Top PDF Qualidade de vida relacionada à saúde em gestantes de alto risco

Qualidade de vida relacionada à saúde em gestantes de alto risco

Qualidade de vida relacionada à saúde em gestantes de alto risco

Prezado Senhor (a), você está sendo convidado (a) a participar desta pesquisa de forma totalmente voluntária. Antes de concordar em participar, é muito importante que você compreenda as informações e instruções contidas neste documento. Os pesquisadores deverão responder todas as suas dúvidas antes de você decidir participar. Você tem o direito de desistir de participar da pesquisa a qualquer momento, sem nenhuma penalidade e sem perder os benefícios aos quais tenha direito. O principal objetivo do estudo é: Analisar a qualidade de vida relacionada à saúde em gestantes de alto risco, a partir da aplicação do instrumento SF- 36 e da escala The Mother Generated Index. Procedimentos: Sua participação nesta pesquisa consistirá apenas em autorizar a menor a responder as perguntas de três (3) formulários, os quais abordarão dados pessoais sobre a qualidade de vida, assim como dados sobre condições sociodemográficas e sobre a história obstétrica da mesma. Benefícios: Esta pesquisa propiciará um maior entendimento acerca da qualidade de vida e descreverá uma realidade, cujos resultados poderão contribuir para que medidas sejam tomadas, a fim de contribuir para uma melhoria na qualidade de vida das gestantes de alto risco. Riscos: O preenchimento dos formulários poderá representar risco psicológico mínimo para a gestante envolvida, considerando o constrangimento que possa ser despertado ao responder os questionários. Sigilo: Os dados coletados na realização da pesquisa serão analisados e publicados, porém as respostas obtidas, os dados pessoais e qualquer outra informação fornecida por vocês serão confidenciais. Portanto, os sujeitos da pesquisa não serão identificados em nenhum momento, mesmo quando os resultados desta pesquisa forem divulgados.
Mostrar mais

111 Ler mais

Ansiedade odontológica e qualidade de vida em gestantes: existe relação com a qualidade de vida relacionada à saúde bucal?

Ansiedade odontológica e qualidade de vida em gestantes: existe relação com a qualidade de vida relacionada à saúde bucal?

Este estudo teve como objetivo comparar a qualidade de vida e a qualidade de vida relacionada à saúde bucal de gestantes de acordo com o nível de ansiedade odontológica. Participaram desta pesquisa 326 gestantes em acompanhamento pré-natal em um hospital universitário. As participantes, alfabetizadas e maiores de 18 anos, responderam a +um questionário sociodemográfico, ao OHIP-14, à Escala de Ansiedade Odontológica e ao WHOQOL-BREF. Foram comparadas as medianas dos escores dos domínios do WHOQOL-BREF e do OHIP-14 de acordo com o nível de ansiedade das gestantes (Mann Whitney). Os escores dos domínios dos questionários foram correlacionados por meio do coeficiente de correlação de Pearson. A maioria das gestantes entrevistadas (52%) demonstrou ansiedade moderada/alta frente ao atendimento odontológico. As gestantes com ansiedade moderada/alta tiveram uma pior percepção da qualidade de vida relacionada à saúde bucal (p<0,05). Os escores de qualidade de vida geral das gestantes diferiram de acordo com o nível de ansiedade odontológica nos domínios físico, psicológico e meio ambiente (p<0,05). A percepção de qualidade de vida no domínio físico esteve relacionada à percepção de qualidade de vida relacionada à saúde bucal, principalmente com relação à dor física (p<0,001;r=0,30), incapacidade psicológica (p<0,001;r=0,30) e incapacidade social (p<0,001;r=0,30). As gestantes com maior nível de ansiedade apresentaram pior percepção da qualidade de vida relacionada à saúde bucal e relacionada à saúde geral. A percepção de qualidade de vida no domínio físico associou-se à dor física e incapacidade psicossocial da qualidade de vida relacionada à saúde bucal das gestantes.
Mostrar mais

62 Ler mais

Disfunção do assoalho pélvico e qualidade de vida relacionada à saúde de gestantes

Disfunção do assoalho pélvico e qualidade de vida relacionada à saúde de gestantes

A todas as minhas amigas da infância, do Marista Cearense e do projeto Saúde Sexual e Reprodutiva que tornam a vida leve, cheia de algodão doce e chocolate! Alguns nomes preciso citar: Samila Ribeiro que compartilhou toda a vida acadêmica comigo e se tornou uma grande e inesquecível amiga; Diego Jorge que entrou na minha vida com intensidade e tomou um espaço no meu coração que creio que ele nem acredite o quanto és importante na minha vida; Cintia Gondim que chegou sem eu querer, mas que fez da coleta árdua, momentos prazerosos e que sem dúvida eu jamais teria terminado esse trabalho sem ela. Ela também veio com sua espontaneidade mostrar que a vida é mais bonita quando se sorri, mesmo sem motivo, e eu tenho muito o que aprender com ela ainda.
Mostrar mais

163 Ler mais

THE MOTHER GENERATED ÍNDEX : avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde de gestantes de baixo risco

THE MOTHER GENERATED ÍNDEX : avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde de gestantes de baixo risco

A revisão integrativa identificou nove estudos que abordaram o domínio físico e a sua influência na qualidade de vida das gestantes. Três estudos pesquisaram a relação do exercício físico com a qualidade de vida das gestantes. O domínio físico foi afetado de forma negativa na QVRS, indicando piora na qualidade de vida das gestantes. A dor lombar, uma faceta do domínio físico, esteve relacionada a um peso pré-gestacional superior ou ao aumento do IMC gestacional. Este é mais um indício de que o exercício deve ser benéfico e estimulado nesta população. Uma diminuição significativa no domínio físico foi encontrada na média dos escores em qualidade de vida, ao longo do tempo. A falta de associação entre a prática de exercício físico e escores de qualidade de vida também pode ser atribuído ao pequeno número de casos incluídos nesse estudo. Não houve diferença significativa entre os grupos, porém, as mulheres que participaram das aulas de hidroginástica informaram que esta forma de exercício melhorou o seu bem-estar físico. As gestantes que receberam a intervenção de exercício físico supervisionado contendo sessões de caminhada, exercício aeróbico, alongamento e relaxamento puderam apresentar melhores resultados, especialmente nas facetas de aptidão física, dor no corpo e saúde geral.
Mostrar mais

138 Ler mais

Preditores de qualidade de vida relacionada com a saúde na obesidade.

Preditores de qualidade de vida relacionada com a saúde na obesidade.

Os valores dos macronutrientes reportados no RNCP estão de acordo com as recomendações para adultos do Institute of Medicine, que descrevem uma dieta constituída por 20 a 35% de gordura, 10 a 35% de proteína e 45 a 65% de hidratos de carbono como saudável 35 . De referir que a comparação do número total de calorias ingeridas bem como da percentagem de ingestão dos macronutrientes tem em consideração as diferenças culturais existentes entre as duas populações, uma vez que os questionários utilizados foram específicos para as respectivas populações, i.e., validados para cada país 36-37 . No RNCP, a ingestão energética é mais elevada, existindo maior limitação dos alimentos ricos em gordura embora com um consumo superior de gordura, provavelmente pelo tipo de alimentação adoptado pelos portugueses, que tradicionalmente seguem a dieta mediterrânica, mais rica em gordura. Também neste caso, a diferente constituição das amostras dos dois registos, com a amostra portuguesa com um maior número de homens (41% comparado com 20% no NWCR) poderá explicar a maior ingestão energética observada. Permitir um padrão mais flexível pode evitar aborrecimentos e desistências em relação ao seu regime alimentar mas pode, por outro lado, aumentar o risco de exposição a situações de alto risco, criando mais oportunidades de perda do controlo do peso e aumentando a probabilidade de manter o peso perdido em 1,5 vezes 2 .
Mostrar mais

232 Ler mais

FATORES ASSOCIADOS À QUALIDADE DE VIDA EM GESTANTES DE ALTO RISCO

FATORES ASSOCIADOS À QUALIDADE DE VIDA EM GESTANTES DE ALTO RISCO

Socialmente, tem sido construída a imagem de que a gestação é uma experiência única, gratificante à mulher e seus familiares, onde a mesma passa por uma transformação física e emocional, que desperta seu instinto materno e é repleta de realizações pessoais. Entretanto, este estereótipo não contempla a realidade de grande parte das mulheres, mesmo em situações onde a gravidez tenha sido desejada. Cada gestante está sujeita a fatores que influenciam na satisfação do período gestacional, tais como a saúde materna e fetal, participação do parceiro e apoio social (5) .
Mostrar mais

13 Ler mais

Qualidade de vida relacionada à saúde em crianças e adolescentes com mielomeningocele

Qualidade de vida relacionada à saúde em crianças e adolescentes com mielomeningocele

A mielomeningocele (MM) é a forma mais freqüente e incapacitante dos defeitos de fechamento do tubo neural. As limitações motoras e sensitivas e os diversos problemas de saúde associados a essa condição podem comprometer a qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) dos portadores. Todavia, não esta claro como os diferentes níveis de lesão e de comprometimento motor influenciam na QVRS. O objetivo deste estudo foi avaliar a QVRS de crianças e adolescente com MM em comparação com indivíduos saudáveis da mesma faixa etária, e segundo o nível de lesão medular e o padrão de deambulação. Participaram do estudo portadores de MM entre 5 e 18 anos de idade, acompanhados na AACD-MG e indivíduos saudáveis pareados por idade e sexo. Os pacientes foram classificados segundo o nível neurológico da lesão medular (torácico, lombar alto, lombar baixo ou sacral) e o padrão de deambulação (comunitário, domiciliar, não funcional ou não deambulador). Os dados demográficos e clínicos foram obtidos por entrevista com o cuidador e completados com informações contidas no prontuário médico. O Child Health Questionnaire (CHQ-PF50) foi respondido pelos pais/responsáveis pela técnica de auto-aplicação. As propriedades psicométricas foram avaliadas pela qualidade dos dados (proporção de dados perdidos, efeito piso e efeito teto) e confiabilidade (consistência interna do item e confiabilidade da consistência interna). Os escores dos pacientes foram comparados com os do grupo controle e segundo o padrão de deambulação (teste de Mann-Whitney) e o nível neurológico da lesão (teste de Kruskall-Wallis). O questionário foi respondido por 30 participantes no grupo de estudo e 60 no grupo controle. A idade média dos pacientes foi de 8,3 anos. A taxa de dados perdidos foi baixa (variou de 0,0% a 6,7%). O efeito piso
Mostrar mais

75 Ler mais

Determinantes sociais da saúde de gestantes acompanhadas no prénatal de alto risco

Determinantes sociais da saúde de gestantes acompanhadas no prénatal de alto risco

Objetivo: avaliar os determinantes sociais da saúde de gestantes acompanhadas no pré-natal de alto risco. Métodos: estudo observacional e transversal, realizado com 276 gestantes de alto risco. A coleta deu-se mediante aplicação de questionário estruturado acerca dos determinantes sociais da saúde, além de dados clínicos e obstétricos das mulheres. Os dados foram analisados através do programa estatístico Jamovi®, versão 0.9, e discutidos segundo o Modelo de Dahlgren e Whitehead. Resultados: as condições individuais; o comportamento e estilo de vida; a rede social e comunitária; e a condição de vida, tais como: trabalho, saúde, educação, saneamento básico e habitação podem constituir fator de risco ou de proteção à saúde da gestante. Conclusão: determinantes como idade, raça, tipo de gestação, nível educacional, a situação de moradia e o acesso aos serviços de saúde foram considerados favoráveis à saúde da maioria das gestantes, porém, a prevalência de gravidez não planejada como comportamento desfavorável. Descritores: Gravidez de Alto Risco; Assistência Pré-Natal; Determinantes Sociais da Saúde.
Mostrar mais

8 Ler mais

Infecção relacionada à assistência à saúde precoce em unidade neonatal de alto risco

Infecção relacionada à assistência à saúde precoce em unidade neonatal de alto risco

Infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS), em neonatologia, contemplam as infecções relacionadas à assistência, e as relacionadas à falha na assistência, prevenção, diagnóstico e tratamento, a exemplo das transplacentárias e precoce neonatal de origem materna. As IRAS afetam mais de 30% de neonatos e, comparados à população pediátrica, os índices são até cinco vezes maiores. Estima- se que no Brasil, 60% da mortalidade infantil ocorram no período neonatal, sendo a sepse neonatal uma das principais causas. A pesquisa tem como objetivo caracterizar as infecções neonatais precoces relacionadas à assistência à saúde, de recém-nascidos em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal da Maternidade Escola Assis Chateaubriand (MEAC). Trata-se de um estudo transversal, de natureza descritiva e exploratória com abordagem quantitativa. Os dados foram coletados no período de janeiro a março de 2012, nos registros da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH). Participaram do estudo 545 recém-nascidos com infecção precoce admitidos no período de janeiro de 2010 a dezembro de 2011. Fez- se análise bivariada e multivariada com desfechos: prematuridade, baixo peso ao nascer e óbito. Dos recém-nascidos pesquisados, a maioria é de baixo peso, e 81% prematuros. Na análise com variável dependente prematuridade, a variável sexo mostra associação estatística significante com desfecho RC= 1,67. Ser do sexo feminino há risco de quase duas vezes mais em nascer prematuro em comparação ao sexo masculino. Utilizando como variável dependente baixo peso < 2.500 g, a variável sexo tem associação estatística significante com desfecho RC= 1,94. Ser do sexo feminino o risco é de quase duas vezes mais em nascidos com peso menor que 2.500 g. Outra associação estatística é a idade gestacional e baixo peso ao nascer com RC= 60,3. Recém-nascido prematuro apresenta quase 60 vezes mais chances de nascimento com baixo peso em comparação aos nascidos a termo. Na análise de regressão logística bivariada, óbito e variáveis independentes, para os nascidos com idade gestacional < 37 semanas mostra-se associação estatística significante com desfecho RC= 4,14 e baixo peso ao nascer RC= 3,94. Conclui-se que as infecções neonatais precoces tem alta incidência em recém-nascidos. São de difícil controle por estar na dependência da qualidade dos cuidados durante a assistência pré-natal, perinatal e neonatal.
Mostrar mais

87 Ler mais

Função sexual e qualidade de vida em gestantes de baixo risco

Função sexual e qualidade de vida em gestantes de baixo risco

OBJETIVO: Avaliar em gestantes saudáveis no segundo trimestre a associação entre função sexual e qualidade de vida, e função sexual e satisfação sexual. MÉTODOS: Estudo transversal com 51 gestantes em acompanhamento em ambulatório de pré-natal de baixo risco. A função sexual foi aferida por meio do Quociente Sexual – Versão Feminina (QS-F). A qualidade de vida e a satisfação sexual foram avaliadas pelo Instrumento Abreviado de Avaliação de Qualidade de Vida da Organização Mundial da Saúde (WHOQOL-bref). Os critérios de inclusão foram idade gestacional entre a 15ª e a 26ª semana, idade materna igual ou superior a 20 anos, mínimo de 5 anos de educação escolar, ter parceiro ixo há pelo menos 6 meses, ter tido relação sexual com penetração vaginal nos últimos 15 dias. Foram excluídas mulheres vítimas de violência sexual, com história pregressa ou atual de depressão, antecedente de aborto habitual ou complicações na gestação atual (amniorrexe prematura, trabalho de parto prematuro ou hemorragia). Para a análise dos dados foram utilizados os testes do χ 2 e exato de Fisher e p<0,05 foi considerado signiicante.
Mostrar mais

5 Ler mais

Qualidade de vida relacionada à saúde de crianças obesas.

Qualidade de vida relacionada à saúde de crianças obesas.

obesos apresentaram pior qualidade de vida nos aspectos físico e psicossocial, quando comparados a outros três grupos: peso normal, risco de obesidade e obesidade. Entretanto, no mesmo estudo, somente o domínio psicossocial foi inferior no grupo de jovens com obesidade severa comparado ao grupo de obesos, enquanto que o aspecto físico não diferiu entre esses dois grupos. Encontrou-se diferença estatisticamente signiicante entre os grupos GE e GC nos domínios físico, emocional, social, psicos- social e na qualidade de vida geral. Embora no domínio escolar as crianças eutróicas tenham apresentado escores superiores, a diferença entre os grupos não foi signiicante. Segundo Williams et al. 19 parece viável que algumas dimensões podem ser mais
Mostrar mais

5 Ler mais

Qualidade de Vida Relacionada à Saúde de Pacientes com Insuficiência Cardíaca

Qualidade de Vida Relacionada à Saúde de Pacientes com Insuficiência Cardíaca

Você está sendo convidado (a) a participar do estudo QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE DE PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA, por possuir diagnóstico médico de Insuficiência Cardíaca. Os avanços na área da saúde ocorrem através de estudos como este, por isso a sua participação é importante. O objetivo deste estudo é avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes diagnosticados com Insuficiência Cardíaca e caso você participe, será necessário que responde a um questionário com perguntas clínicas e socioeconômicas, um questionário genérico para avaliar sua qualidade de vida relacionada à saúde e a um terceiro questionário específico para Insuficiência Cardíaca que também avalia sua qualidade de vida relacionada a saúde. Não será feito nenhum procedimento que lhe traga qualquer desconforto ou risco à sua vida. Você poderá obter todas as informações que quiser e poderá não participar da pesquisa ou retirar seu consentimento a qualquer momento, sem prejuízo no seu atendimento. Pela sua participação no estudo, você não receberá qualquer valor em dinheiro, mas terá a garantia de que todas as despesas necessárias para a realização da pesquisa não serão de sua responsabilidade. Seu nome não aparecerá em qualquer momento do estudo, pois você será identificado com um número.
Mostrar mais

114 Ler mais

Preditores da qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com insuficiência...

Preditores da qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com insuficiência...

O Índice de Comorbidade de Charlson (ICC) é um método de classificação de gravidade que utiliza dados dos diagnósticos secundários para atribuir um risco de morte ao paciente (Charlson et al., 1987). Esse método foi desenvolvido a partir de uma coorte de 604 pacientes em um hospital nos Estados Unidos para predizer a mortalidade em um ano (Charlson et al., 1987). O ICC foi validado em uma coorte de 685 mulheres com câncer de mama, acompanhadas por dez anos, sendo difundido e empregado em diversos trabalhos (Charlson et al., 1987). Esse método consiste em uma lista de 19 condições clínicas anotadas como diagnóstico secundário, com o objetivo de medir a gravidade do caso e avaliar o seu efeito sobre o prognóstico do paciente. Para cada uma dessas condições é atribuída uma pontuação representada por um peso que varia entre um e seis. (Charlson et al., 1987). Para gerar um escore único, a idade do paciente também tem um peso: a partir dos 50 anos, cada período de dez anos corresponde a um ponto adicional no índice. Para o cálculo desse escore foi utilizado o algoritmo desenvolvido por Quan et al.,(2004), que definiu os códigos da CID-10 para cada condição clínica do índice de Charlson (Quan et al., 2004).
Mostrar mais

151 Ler mais

Antropometria e qualidade de vida relacionada à saúde em mulheres idosas

Antropometria e qualidade de vida relacionada à saúde em mulheres idosas

Reforçando estes achados, Visser et al. (1998b) estudaram 275 homens e 478 mulheres com idades entre 72 a 95 anos visando investigar transversalmente a relação entre o componente funcional físico auto- referido (manuseio de pequenos objetos, caminhar meia milha, entre outros) e a composição corporal indicada pela massa muscular esquelética e o percentual de gordura medidos por absorção de raios x de dupla energia (DEXA). Constatou-se que a composição corporal foi fortemente associada com o comprometimento funcional nos idosos, entretanto, apenas o percentual de gordura corporal elevado apresentou associação com o aumento no risco estimado deste desfecho desfavorável. Os autores referem possíveis mecanismos que podem explicar a associação observada, como a relação entre um elevado percentual de gordura e doença crônica aliada com o sobrepeso, resultando em diabetes, osteoartrite, doença cardíaca, além da maior probabilidade de os idosos tornarem-se fisicamente inativos. Os resultados igualmente sugerem, uma influência direta da adiposidade corporal sobre o risco de incapacidade, mediada por um aumento na carga física sobre o corpo, limitando o movimento e aumentando a carga sobre as articulações e músculos. Em contraste com os achados referentes à massa adiposa, a massa muscular não foi associada com comprometimento funcional nos idosos.
Mostrar mais

245 Ler mais

Qualidade de vida relacionada com a saúde oral de idosos institucionalizados

Qualidade de vida relacionada com a saúde oral de idosos institucionalizados

As doenças orais partilham um conjunto de determinantes com as demais patologias, sendo que, dentro destes, alguns são intrínsecos não podendo por isso ser modificados e outros resultam do estilo de vida e de comportamentos específicos, aspetos já abordados anteriormente, pelo que não serão novamente explorados. De acordo com a FDI (2015a), os fatores modificáveis das doenças orais incluem os hábitos alimentares não saudáveis, particularmente a ingestão de alimentos ricos em açúcar, o uso de tabaco e o consumo abusivo de álcool. Estes, de forma isolada ou combinada são responsáveis pela degradação da condição oral dos indivíduos e consequente perda de QdVRSO. Desta forma, é necessária uma intervenção focalizada no indivíduo que vise a mudança de comportamentos e a incrementação da resiliência, nomeadamente no que respeita à escolha de estilos de vida saudáveis. No entanto, é necessário ter presente que todas as escolhas são influenciadas por múltiplos fatores, nomeadamente socioeconómicos e culturais. Assim, a mesma entidade reitera que, por forma a que as estratégias de promoção da saúde baseadas na abordagem dos estilos de vida revelem eficácia, sejam considerados os fatores de risco e determinantes mais amplos do comportamento humano objetivando a escolha saudável como a mais fácil, tal como preconizado na Carta de Ottawa.
Mostrar mais

159 Ler mais

Qualidade de vida relacionada à saúde em pacientes submetidos à prostatectomia

Qualidade de vida relacionada à saúde em pacientes submetidos à prostatectomia

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva (INCA, 2016), no Brasil, o câncer de próstata (CaP) é o segundo mais comum entre os homens, perdendo apenas para o câncer de pele não melanoma, sendo que a taxa de incidência é maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento, e ocorre, na maioria das vezes, a partir dos 65 anos de idade. Com a melhoria da qualidade dos sistemas de informação e o aumento na expectativa de vida, os métodos diagnósticos estão evoluindo no Brasil, justificando o aumento na taxa de incidência dessa patologia. A grande maioria dos tumores de próstata crescem de forma lenta, podendo não manifestar sintomas e nem ameaçar a saúde do homem. De acordo com Magnabosco (2014), o aumento da idade, mais frequente entre homens acima de 65 anos; a etnia, mais comum e agressivo entre a raça negra, e a genética são fatores de risco bem definidos para o CaP.
Mostrar mais

96 Ler mais

Qualidade de vida de gestantes acompanhadas na atenção primária à saúde

Qualidade de vida de gestantes acompanhadas na atenção primária à saúde

Os dados resultantes desta pesquisa serão apresentados às equipes de saúde da família da UBS pesquisada e à Fundação Municipal de Saúde, a fim de ser ú l para o planejamento de ações futuras, já que a pesquisa apontou alguns fatores (menor renda, médio risco gestacional e abortos indis ntos) que devem ser tratados co m m a i o r ate n çã o n o p ré - n ata l p o r influenciarem diretamente na sa sfação da gestante em relação à sua qualidade de vida. Assim, a assistência pré-natal prestada pode ter maior efe vidade e qualidade se, além de orientações e prescrições, o profissional oferecer uma escuta qualificada.
Mostrar mais

15 Ler mais

Qualidade de vida em gestantes no contexto na Estratégia Saúde da Família

Qualidade de vida em gestantes no contexto na Estratégia Saúde da Família

A gravidez é um processo na vida da mulher determinado por intensas transformações biológicas, psíquicas, relacionais e socioculturais para preparação da maternidade. Por sua capacidade modificadora e em detrimento destes fatores, observa-se que as alterações físicas, sociais e emocionais vividas pelas mulheres durante a gestação, podem influenciar na percepção sobre sua qualidade de vida, especialmente relacionada à saúde. Os objetivos desta pesquisa foram verificar a qualidade de vida de gestantes no contexto da Estratégia Saúde da Família de um município da Paraíba, com vista à: caracterizar as gestantes segundo os aspectos sociodemográficos, hábitos de vida, obstétricos e assistenciais das gestantes e caracterizar os domínios da qualidade de vida das mulheres grávidas, segundo o questionário de qualidade vida, o WHQOL-bref. Trata-se de um estudo descritivo do tipo transversal exploratório e descritivo com abordagem quantitativa. A população foi composta por 120 gestantes atendidas na atenção básica de atenção à saúde do município de Sousa-PB. A coleta de dados foi realizada num período de dois meses pela própria mestranda e por dois acadêmicos de enfermagem, por meio da aplicação de um formulário referente as características sociodemográficas, assistenciais e obstétricas e do instrumento WHOQOL-bref. Os dados coletados foram organizados em um banco de dados eletrônico do aplicativo Microsoft Excel sendo codificados, tabulados e apresentados em forma de tabelas, quadros e gráficos com suas respectivas distribuições percentuais. Das pesquisadas, predominaram, a faixa etária de 20 a 25 anos, católicas, com companheiro fixo, baixa escolaridade, sem vínculo empregatício, renda salarial de 01 salário mínimo. Quanto aos dados obstétricos e assistenciais, quase a totalidade, nunca havia abortado, referiram a assistência recebida como ótima, As queixas mais freqüentes foram: dor nas costas e dor em baixo ventre. Quanto à qualidade de vida segundo o WHOQOL-bref, as insatisfações que predominaram nos domínios foram: no domínio físico, dor e desconforto, sono e repouso e energia e fadiga. No domínio psicológico: imagem corporal e aparência, memória e concentração e sentimentos negativos. No domínio relações sociais, a atividade sexual e no domínio meio ambiente, as facetas com maior insatisfação foram: recursos financeiros, oportunidade de lazer e transporte. Concluímos que a qualidade de vida destas gestantes foi considerada insatisfatória para estas facetas, o que denota que a assistência a este público alvo deve ser realizada de forma integral e holística, de forma a contemplar as facetas afetadas, para uma melhoria da qualidade de vida das gestantes assistidas na atenção básica.
Mostrar mais

93 Ler mais

Qualidade de Vida Relacionada à Saúde e Risco de Comorbidade Cardiovascular ao Diagnóstico de Câncer de Mama

Qualidade de Vida Relacionada à Saúde e Risco de Comorbidade Cardiovascular ao Diagnóstico de Câncer de Mama

Neste estudo, a maioria das mulheres foi diagnosticada em estádio avançado do câncer de mama (≥IIB) e com alguma comorbidade, sendo 10,8% com problemas no sistema coração e 48,2% no sistema vascular. Observou-se maior risco de doenças do sistema coração nas mulheres com piores funções física e sexual, e aquelas com pior sintoma de dor e dispneia. Para o sistema vascular, observou-se maior risco naquelas com piores funções física e sexual e pior satisfação sexual. Para sintomas na mama e perspectiva futura, aquelas com melhores escores

7 Ler mais

Qualidade de vida relacionada com a saúde e comportamentos de risco em adolescentes

Qualidade de vida relacionada com a saúde e comportamentos de risco em adolescentes

Futuramente poderão ser feitos estudos do mesmo género, porém longitudinais, com vários momentos de avaliação e em que a amostra seja maior de forma a se poder perceber melhor de que forma a qualidade de vida relacionada com a saúde e os comportamentos de risco estão interligados nas diferentes realidades do nosso país. Ao serem avaliados os resultados deste estudo deparámo-nos com diversas limitações. O reduzido tamanho da amostra impede, nesse contexto, a possibilidade de generalizar os resultados. Seria, neste contexto, importante fazer novos estudos, com uma amostra substancialmente mais alargada. Uma outra limitação prende-se com a consistência interna baixa (aferida pelo Alpha de Cronbach) na escala dos Comportamentos de Risco (RT), o que naturalmente, limita a interpretação dos resultados. Ainda assim, atendendo a que à pequena dimensão da amostra do estudo, à sua natureza exploratória e, ao facto da dimensão SH ser a mais relevante na interpretação dos resultados, decidiu considerar-se os resultados das duas dimensões. No que concerne à Qualidade de Vida Relacionada com a Saúde os valores vão de grosso modo ao encontro do que Gaspar e Matos (2008) e Jacoto (2014) avaliaram. Os estudos relativos à qualidade de vida relacionada com a saúde e aos comportamentos de risco têm vindo a aumentar, mas ainda existem muitas lacunas referentes a isso.
Mostrar mais

77 Ler mais

Show all 10000 documents...