Produção de Áudio e Vídeo

Texto

(1)

Plano de Curso

Habilitação Profissional Técnica em

Produção de Áudio e Vídeo

Eixo tecnológico:

Produção Cultural e Design

Autorizado pela Resolução nº 08/2019 de 26/03/2019 emitida pelo Conselho Regional do Senac São Paulo.

Atualização da nomenclatura da modalidade, autorizada pela Resolução CRS nº 16 de 31/08/2021, em cumprimento ao artigo 15 da Resolução CNE/CP nº 1 de 05/01/2021.

Documento vigente a partir de 04/04/2019

(2)

Informações do Curso no Senac São Paulo

Área de Negócio: Comunição e Artes Subárea: Cinema, vídeo e TV Formato de Oferta: presencial Tipo de PC: Regional alinhado ao MPS Número do Plano de Curso: 259 Habilitação Profissional Técnica

Curso: TÉCNICO EM PRODUÇÃO DE ÁUDIO E VÍDEO Carga Horária: 1.536 horas

Ficha Técnica: 21393

Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Assistência de Operações Audiovisuais Carga Horária: 240 horas

Ficha Técnica: 21276

Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Cenografia Carga Horária: 252 horas

Ficha Técnica: 21277

Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Direção de Imagens - TV Carga Horária: 264 horas

Ficha Técnica: 21278

Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Edição de Mídia Audiovisual Carga Horária: 300 horas

Ficha Técnica: 21279

Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Iluminação Carga Horária: 240 horas

Ficha Técnica: 21280

Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Operação de Câmera Carga Horária: 300 horas

Ficha Técnica: 21281

Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Produção de Rádio e TV Carga Horária: 300 horas

Ficha Técnica: 21282

(3)

1 IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

Título do Curso: Técnico em Produção de Áudio e Vídeo Eixo Tecnológico: Produção Cultural e Design

Carga Horária: 1.536 horas

2 REQUISITOS E FORMAS DE ACESSO

Para matrícula na Habilitação Profissional Técnica , o(a) candidato(a) deve estar cursando, no mínimo, o 2º ano do Ensino Médio.

Documentos:

• RG e CPF ou outro documento de identificação que comprove a numeração destes registros (apresentação);

• Certificado ou Histórico Escolar de conclusão do Ensino Médio ou outros documentos educacionais que comprovem a conclusão do Ensino Médio (entregar cópia simples); ou

• Declaração de escola, comprovando estar cursando a escolaridade mínima exigida (entregar cópia simples).

As inscrições e as matrículas devem ser efetuadas conforme cronograma estabelecido pela Unidade, atendidos os requisitos de acesso e nos termos regimentais.

Para matrícula na(s) Qualificação(ões) Profissional(is) Técnicas, quando realizadas de forma independente da habilitação, o(a) candidato(a) deve ter no mínimo o Ensino Fundamental completo.

Documentos:

• RG e CPF ou outro documento de identificação que comprove a numeração destes registros (apresentação);

• Certificado ou Histórico Escolar de conclusão do Ensino Fundamental ou outros documentos educacionais que comprovem a conclusão do Ensino Fundamental (entregar cópia simples).

As inscrições e as matrículas devem ser efetuadas conforme cronograma estabelecido pela Unidade, atendidos os requisitos de acesso e nos termos regimentais.

(4)

3 JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS

A Habilitação Profissional Técnica em Produção de Áudio e Vídeo – Eixo Tecnológico Produção Cultural e Design, de acordo com o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos de Nível Médio instituído pela Resolução CNE/CEB nº 03/2008 fundamentada no Parecer CNE/CEB nº 11/2008, alterada pelas Resoluções CNE/CEB nº 04/2012 de 06/06/2012 e CNE/CEB nº 01/2014 de 05/12/2014, atende ao disposto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) – Lei Federal nº 9.394/1996, no Decreto Federal nº 5.154/2004, alterado pelo Decreto nº 8.268/2014; nas Resoluções CNE/CEB nº 04/2010 e 06/2012, nos Pareceres CNE/CEB nº 07/2010 e 11/2012, no Regimento das Unidades Escolares Senac São Paulo e nas demais normas do sistema de ensino.

Na perspectiva de atualizar o perfil profissional de conclusão, para que os egressos possam acompanhar as transformações do setor produtivo e da sociedade, o Plano de Curso da Habilitação Técnica de Nível Médio em Produção de Áudio e Vídeo, aprovado pela Portaria Senac/Geduc - SE nº 01/2012 de 01/02/2012, passa, nesta oportunidade, por revisão, ajustando-se às diretivas do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos de Nível Médio e mantendo-se alinhado às exigências específicas da ocupação, incorporando as inovações decorrentes dos avanços científicos e tecnológicos deste segmento, da experiência acumulada pela instituição e de novas tecnologias educacionais.

Essa reformulação considerou, ainda, as diretrizes apontadas pelo Decreto nº 9.329, de 04/04/2018, que alterou o Anexo do Decreto nº 84.134, de 30/10/1979, que regulamenta a Lei nº 6.615, de 16/12/1978, visando adequar este curso às novas funções em que se desdobram as atividades e os setores da profissão.

Segundo o estudo Mapeamento e Impacto Econômico do Setor Audiovisual no Brasil,1 realizado pelo SEBRAE, Fundação Dom Cabral e a Associação Brasileira de Produção de Obras Audiovisuais (APRO), no ano de 2016, o mercado mundial de produção audiovisual apresentou um faturamento de cerca de US$ 400 bilhões em 2015, gerando milhões de empregos diretos. O mesmo estudo aponta que a receita operacional líquida das empresas de audiovisual do Brasil chegou a R$ 42,7 bilhões em 2015, com geração de 98,7 mil empregos diretos e 107,6 mil indiretos. Destaca-se que a participação do setor audiovisual na economia brasileira chegou a 0,44% em 2015, crescimento de 10% entre os anos de 2010 e 2014.

Esta movimentação provoca o aparecimento de novas demandas para o setor produtivo audiovisual, decorrentes tanto da diversidade dos formatos televisivos e radiofônicos quanto da expansão do cinema nacional e do aumento do número de produtoras independentes,

1 MAPEAMENTO e impacto econômico do setor audiovisual no Brasil. SEBRAE. 6 jun. 2017. Disponível em:

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/bis/mapeamento-e-impacto-economico-do-setor-audiovisual-no- brasil,5859a25df13f8510VgnVCM1000004c00210aRCRD. Acesso em: 11 dez. 2018.

(5)

gerando transformações em todos os segmentos da cadeia produtiva da radiodifusão brasileira.

O aparecimento de novas demandas que transformam a cadeia produtiva culmina em um novo desafio para todos os envolvidos na área, pois exige uma visão que considere a fase de convergência digital tanto como uma oportunidade mercadológica, quanto um fator determinante a ser incorporado nas práticas profissionais, visando à inserção dos radialistas no mercado, não apenas como mão de obra, mas um profissional que concebe novas propostas e formas de produção, atua de forma inovadora, sempre atento à pesquisa e novas tecnologias.

Os novos formatos televisivos baseados na digitalização e modelos de negócio podem ser observados desde o ano de 2007 quando a televisão aberta brasileira iniciou o processo de digitalização da transmissão, dessa forma, aumentando a oferta do número de canais, chamada multiprogramação, além da melhoria na qualidade do som e imagem e a possibilidade de proporcionar mobilidade, tornando a transmissão acessível em dispositivos móveis aptos a receber o sinal.(SEBRAE, 2011)2.

É com este novo panorama do mercado audiovisual que o Plano de Curso do Técnico em Produção de Áudio e Vídeo do Senac São Paulo passa por revisão e atualização, adaptando- se às transformações provocadas pela incorporação de novas tecnologias e plataformas de mídias.

A organização das competências prepara o aluno para enfrentar diferentes situações com criatividade e flexibilidade, favorecendo a ampliação de sua esfera de atuação e a interação com outros profissionais da área. O curso propõe experiências em situações de aprendizagem que tornem o egresso capaz de realizar as principais atividades da Produção de Áudio e Vídeo, ao promover atividades inerentes ao seu campo de atuação, e que favoreçam a tomada de decisão para o planejamento, a concepção e a produção de projetos.

A Instituição oferece esta habilitação profissional técnica em sintonia com sua Proposta Pedagógica, a fim de acompanhar as transformações tecnológicas, legais e socioculturais, especialmente, aquelas voltadas à área de produção de áudio e vídeo, respeitando valores estéticos, políticos e éticos, mantendo compromisso com a qualidade, o trabalho, a ciência, a tecnologia e as práticas sociais relacionadas com os princípios da cidadania responsável.

Objetivo geral:

• Formar profissionais com competências para atuar e intervir em seu campo de trabalho, com foco em resultados.

2 SEBRAE. Estudo de inteligência de mercado audiovisual. Disponível em:

https://www.sebraemg.com.br/atendimento/bibliotecadigital/documento/diagnostico/estudo-de-inteligencia-de-mercado- audiovisual. Acesso em: 11 dez. 2018.

(6)

Objetivos específicos:

• Promover o desenvolvimento do aluno por meio de ações que articulem e mobilizem conhecimentos, habilidades, valores e atitudes de forma potencialmente criativa e que estimule o aprimoramento contínuo.

• Estimular, por meio de situações de aprendizagens, atitudes empreendedoras, sustentáveis e colaborativas nos alunos.

• Articular as competências do perfil profissional com projetos integradores e outras atividades laborais que estimulem a visão crítica e a tomada de decisão para resolução de problemas.

• Promover uma avaliação processual e formativa com base em indicadores das competências, que possibilitem a todos os envolvidos no processo educativo a verificação da aprendizagem.

• Incentivar a pesquisa como princípio pedagógico e para consolidação do domínio técnico-científico, utilizando recursos didáticos e bibliográficos.

4 PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO

O Técnico em Produção de Áudio e Vídeo é o profissional que exerce funções e atividades ligadas à operação técnica e apoio operacional de produção em diferentes gêneros e formatos de conteúdos audiovisuais, considerando softwares e equipamentos de captação, iluminação, sonorização e edição. Pode atuar em emissoras de rádio, de televisão, produtoras de áudio, vídeo e conteúdo, agências de publicidade, agências de notícias e sistemas.

Para o desenvolvimento das suas atividades, atua em times multidisciplinares, interagindo com equipes de produção de rádio, televisiva, jornalística, publicitária, de entretenimento, cinematográfica e de produção de voz para sistemas.

O profissional habilitado pelo Senac tem como marcas formativas: domínio técnico- científico, visão crítica, atitude empreendedora, sustentável, colaborativa, atuando com foco em resultados. Essas marcas formativas reforçam o compromisso da instituição com a formação integral do ser humano, considerando aspectos relacionados ao mundo do trabalho e ao exercício da cidadania. Essa perspectiva propicia o comprometimento do aluno com a qualidade do trabalho, o desenvolvimento de uma visão ampla e consciente sobre sua atuação profissional e sobre sua capacidade de transformação da sociedade.

A ocupação está situada no Eixo Tecnológico Produção Cultural e Design.

As seguintes competências compõem o Perfil Profissional de Conclusão do Técnico em Produção de Áudio e Vídeo:

(7)

• Desenvolver projetos de audiovisual.

• Providenciar recursos para produções audiovisuais.

• Realizar apoio técnico e logístico de produções audiovisuais.

• Elaborar projeto cenográfico.

• Executar projeto cenográfico.

• Estruturar narrativas de mídias audiovisuais.

• Dirigir imagens em movimento.

• Formatar narrativas audiovisuais de multiplataforma.

• Editar áudio e vídeo.

• Executar conceito fotográfico.

• Iluminar set de gravação.

• Captar imagens em movimento.

• Realizar etapas de pré-produção de projetos audiovisuais.

• Produzir projetos audiovisuais.

• Realizar etapas de pós-produção de projetos audiovisuais.

O curso de Habilitação Profissional Técnica em Produção de Áudio e Vídeo do Senac possui as seguintes qualificações profissionais técnicas:

Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Assistência de Operações Audiovisuais

O Radialista – Assistente de Operações Audiovisuais executa a montagem, transporta os recursos e apoia a operação de captação de áudio ou imagem e a iluminação.

Pode atuar em emissoras de rádio, de televisão, produtoras de áudio, vídeo e conteúdo, agências de publicidade, agências de notícias e estúdios de gravação. Para o desenvolvimento das suas atividades, interage com equipes de produção de rádio, televisiva, jornalística, publicitária, de entretenimento, cinematográfica e de produção de voz para sistemas.

O profissional formado pelo Senac tem como marcas formativas: domínio técnico-científico, visão crítica, atitude empreendedora, sustentável, colaborativa, atuando com foco em resultados. Estas marcas formativas reforçam o compromisso da instituição com a formação integral do ser humano, considerando aspectos relacionados ao mundo do trabalho e ao exercício da cidadania. Esta perspectiva propicia o comprometimento do aluno com a

(8)

qualidade do trabalho, o desenvolvimento de uma visão ampla e consciente sobre sua atuação profissional e sobre sua capacidade de transformação da sociedade.

A ocupação está situada no Eixo Tecnológico Produção Cultural e Design.

No Brasil, a atividade profissional do Radialista está regulamentada pela Lei nº 6.615, de 16/12/1978, e pelo Decreto nº 9.329, de 04/04/2018, que alterou o anexo do Decreto nº 84.134, de 30/10/1979. O Anexo citado aponta no quadro das funções o Setor Tratamento e Registros Sonoros ou Audiovisuais – Função Assistente de Operações Audiovisuais, que corresponde a atividade desenvolvida na Qualificação Profissional Técnica de Radialista Assistência de Operações Audiovisuais.

As seguintes competências compõem o Perfil Profissional de Conclusão da Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Assistência de Operações Audiovisuais:

• Desenvolver projetos de audiovisual.

• Providenciar recursos para produções audiovisuais.

• Realizar apoio técnico e logístico de produções audiovisuais.

Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Cenografia

O Radialista – Cenógrafo desenvolve o projeto do cenário de acordo com o conceito artístico do projeto de cenografia definido.

Pode atuar em emissoras de televisão, produtoras de vídeo e conteúdo, agências de publicidade e estúdios de gravação. Para o desenvolvimento das suas atividades interage com equipes de produção televisiva, jornalística, publicitária, de entretenimento e cinematográfica.

O profissional formado pelo Senac tem como marcas formativas: domínio técnico-científico, visão crítica, atitude empreendedora, sustentável, colaborativa, atuando com foco em resultados. Estas marcas formativas reforçam o compromisso da instituição com a formação integral do ser humano, considerando aspectos relacionados ao mundo do trabalho e ao exercício da cidadania. Esta perspectiva propicia o comprometimento do aluno com a qualidade do trabalho, o desenvolvimento de uma visão ampla e consciente sobre sua atuação profissional e sobre sua capacidade de transformação da sociedade.

A ocupação está situada no Eixo Tecnológico Produção Cultural e Design.

No Brasil, a atividade profissional do Radialista está regulamentada pela Lei nº 6.615, de 16/12/1978, e pelo Decreto nº 9.329, de 04/04/2018, que alterou o anexo do Decreto nº 84.134, de 30/10/1979. O Anexo citado aponta no quadro das funções o Setor Cenografia - Função Cenógrafo, que corresponde a atividade desenvolvida na Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Cenografia.

(9)

As seguintes competências compõem o Perfil Profissional de Conclusão da Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Cenografia:

• Desenvolver projetos de audiovisual.

• Elaborar projeto cenográfico.

• Executar projeto cenográfico.

Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Direção de Imagens – TV

O Radialista – Diretor de Imagens – TV garante o andamento das cenas e das matérias nos programas gravados ou ao vivo, seleciona as imagens e os efeitos, participa das definições de desenho de câmera e dimensionamento de equipamentos e direciona o enquadramento e a movimentação das câmeras.

Pode atuar em emissoras de televisão, produtoras de eventos, de vídeo e conteúdo e agências de notícias. Para o desenvolvimento das suas atividades interage com equipes de produção televisiva, jornalística e de entretenimento.

O profissional formado pelo Senac tem como marcas formativas: domínio técnico-científico, visão crítica, atitude empreendedora, sustentável, colaborativa, atuando com foco em resultados. Estas marcas formativas reforçam o compromisso da instituição com a formação integral do ser humano, considerando aspectos relacionados ao mundo do trabalho e ao exercício da cidadania. Esta perspectiva propicia o comprometimento do aluno com a qualidade do trabalho, o desenvolvimento de uma visão ampla e consciente sobre sua atuação profissional e sobre sua capacidade de transformação da sociedade.

A ocupação está situada no Eixo Tecnológico Produção Cultural e Design.

No Brasil, a atividade profissional do Radialista está regulamentada pela Lei nº 6.615, de 16/12/1978, e pelo Decreto nº 9.329, de 04/04/2018, que alterou o anexo do Decreto nº 84.134, de 30/10/1979. O Anexo citado aponta no quadro das funções o Setor Produção - Função Diretor de Imagens - TV, que corresponde a atividade desenvolvida na Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Direção de Imagens – TV.

As seguintes competências compõem o Perfil Profissional de Conclusão da Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Direção de Imagens - TV:

• Desenvolver projetos de audiovisual.

• Estruturar narrativas de mídias audiovisuais.

• Dirigir imagens em movimento.

(10)

Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Edição de Mídia Audiovisual

O Radialista – Editor de Mídia Audiovisual formata a narrativa do produto por meio de imagens e áudio, em apoio ao processo de finalização e preparação das mídias.

Pode atuar em emissoras de televisão, produtoras de vídeo e conteúdo e agências de notícias. Para o desenvolvimento das suas atividades interage com equipes de produção televisiva, jornalística e de entretenimento.

O profissional formado pelo Senac tem como marcas formativas: domínio técnico-científico, visão crítica, atitude empreendedora, sustentável, colaborativa, atuando com foco em resultados. Estas marcas formativas reforçam o compromisso da instituição com a formação integral do ser humano, considerando aspectos relacionados ao mundo do trabalho e ao exercício da cidadania. Esta perspectiva propicia o comprometimento do aluno com a qualidade do trabalho, o desenvolvimento de uma visão ampla e consciente sobre sua atuação profissional e sobre sua capacidade de transformação da sociedade.

A ocupação está situada no Eixo Tecnológico Produção Cultural e Design.

No Brasil, a atividade profissional do Radialista está regulamentada pela Lei nº 6.615, de 16/12/1978, e pelo Decreto nº 9.329, de 04/04/2018, que alterou o anexo do Decreto nº 84.134, de 30/10/1979. O Anexo citado aponta no quadro das funções o Setor Tratamento e Registros Sonoros ou Audiovisuais – Função Editor de Mídia Audiovisual, que corresponde a atividade desenvolvida na Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Edição de Mídia Audiovisual.

As seguintes competências compõem o Perfil Profissional de Conclusão da Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Edição de Mídia Audiovisual:

• Desenvolver projetos de audiovisual.

• Formatar narrativas audiovisuais de multiplataforma.

• Editar áudio e vídeo.

Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Iluminação

O Radialista – Iluminador monta, prepara e opera os sistemas de iluminação, cria os setups nas mesas de comando de iluminação e acerta o posicionamento de refletores e luminárias no set de gravação”.

Pode atuar em emissoras de televisão, produtoras de vídeo e conteúdo, agências de notícias e estúdios de gravação. Para o desenvolvimento das suas atividades interage com equipes de produção televisiva, jornalística, cinematográficaede entretenimento.

O profissional formado pelo Senac tem como marcas formativas: domínio técnico-científico, visão crítica, atitude empreendedora, sustentável, colaborativa, atuando com foco em resultados. Estas marcas formativas reforçam o compromisso da instituição com a formação

(11)

integral do ser humano, considerando aspectos relacionados ao mundo do trabalho e ao exercício da cidadania. Esta perspectiva propicia o comprometimento do aluno com a qualidade do trabalho, o desenvolvimento de uma visão ampla e consciente sobre sua atuação profissional e sobre sua capacidade de transformação da sociedade.

A ocupação está situada no Eixo Tecnológico Produção Cultural e Design.

No Brasil, a atividade profissional do Radialista está regulamentada pela Lei nº 6.615, de 16/12/1978, e pelo Decreto nº 9.329, de 04/04/2018, que alterou o anexo do Decreto nº 84.134, de 30/10/1979. O Anexo citado aponta no quadro das funções o Setor Tratamento e Registros Sonoros ou Audiovisuais – Função Iluminador, que corresponde a atividade desenvolvida na Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Iluminação.

As seguintes competências compõem o Perfil Profissional de Conclusão da Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Iluminação:

• Desenvolver projetos de audiovisual.

• Executar conceito fotográfico.

• Iluminar set de gravação.

Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Operação de Câmera

O Radialista – Operador de Câmera prepara e opera o equipamento de captação de imagens, por meio de diversas tecnologias, realiza os enquadramentos, além dos ajustes de foco e níveis de qualidade de áudio.

Pode atuar em emissoras de televisão, produtoras de eventos, de vídeo e conteúdo, agências de notícias, produtoras cinematográficas e estúdios de produção audiovisual. Para o desenvolvimento das suas atividades interage com equipes de produção televisiva, jornalística e de entretenimento.

O profissional formado pelo Senac tem como marcas formativas: domínio técnico-científico, visão crítica, atitude empreendedora, sustentável, colaborativa, atuando com foco em resultados. Estas marcas formativas reforçam o compromisso da instituição com a formação integral do ser humano, considerando aspectos relacionados ao mundo do trabalho e ao exercício da cidadania. Esta perspectiva propicia o comprometimento do aluno com a qualidade do trabalho, o desenvolvimento de uma visão ampla e consciente sobre sua atuação profissional e sobre sua capacidade de transformação da sociedade.

A ocupação está situada no Eixo Tecnológico Produção Cultural e Design.

No Brasil, a atividade profissional do Radialista está regulamentada pela Lei nº 6.615, de 16/12/1978, e pelo Decreto nº 9.329, de 04/04/2018, que alterou o anexo do Decreto nº 84.134, de 30/10/1979. O Anexo citado aponta no quadro das funções o Setor Tratamento e Registros Sonoros ou Audiovisuais – Função Operador de Câmera, que corresponde a

(12)

atividade desenvolvida na Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Operação de Câmera.

As seguintes competências compõem o Perfil Profissional de Conclusão da Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Operação de Câmera:

• Desenvolver projetos de audiovisual.

• Captar imagens em movimento.

Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Produção de Rádio e TV

O Radialista – Produtor de Rádio e TV produz programas de rádio e televisão de qualquer gênero, inclusive telenoticioso e esportivo.

Pode atuar em emissoras de rádio e televisão, produtoras de áudio, vídeo e conteúdo, agências de notícias, produtoras cinematográficas e estúdios de produção audiovisual. Para o desenvolvimento das suas atividades interage com equipes de produção de rádio e televisiva, vídeo, jornalística e de entretenimento.

O profissional formado pelo Senac tem como marcas formativas: domínio técnico-científico, visão crítica, atitude empreendedora, sustentável, colaborativa, atuando com foco em resultados. Estas marcas formativas reforçam o compromisso da instituição com a formação integral do ser humano, considerando aspectos relacionados ao mundo do trabalho e ao exercício da cidadania. Esta perspectiva propicia o comprometimento do aluno com a qualidade do trabalho, o desenvolvimento de uma visão ampla e consciente sobre sua atuação profissional e sobre sua capacidade de transformação da sociedade.

A ocupação está situada no Eixo Tecnológico Produção Cultural e Design.

No Brasil, a atividade profissional do Radialista está regulamentada pela Lei nº 6.615, de 16/12/1978, e pelo Decreto nº 9.329, de 04/04/2018, que alterou o anexo do Decreto nº 84.134, de 30/10/1979. O Anexo citado aponta no quadro das funções o Setor Produção – Produtor de Rádio e TV, que corresponde a atividade desenvolvida na Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Produção de Rádio e TV.

As seguintes competências compõem o Perfil Profissional de Conclusão da Qualificação Profissional Técnica de Radialista - Produção de Rádio e TV:

• Desenvolver projetos de audiovisual.

• Realizar etapas de pré-produção de projetos audiovisuais.

• Produzir projetos audiovisuais.

• Realizar etapas de pós-produção de projetos audiovisuais.

(13)

5 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

O Modelo Pedagógico Senac considera a competência o ponto central do currículo dos Cursos Técnicos, sendo a competência a própria unidade curricular.

A organização curricular do curso Técnico em Produção de Áudio e Vídeo contempla as certificações da habilitação profissional técnica e sete qualificações profissionais técnicas como saídas intermediárias, representadas nos quadros abaixo, com a seguinte distribuição:

A Habilitação Profissional Técnica em Produção de Áudio e Vídeo corresponde às UCs 1 a 22, representadas no Quadro 1.

A Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Assistência de Operações Audiovisuais, corresponde às UCs 1, 2, 3 e 4, representadas no Quadro 2.

A Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Cenografia, corresponde às UCs 1, 5, 6 e 7, representadas no Quadro 3.

A Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Direção de Imagens - TV, corresponde às UCs 1, 8, 9 e 10, representadas no Quadro 4.

A Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Edição de Mídia Audiovisual, corresponde às UCs 1, 11, 12 e 13, representadas no Quadro 5.

A Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Iluminação, corresponde às UCs 1, 14, 15 e 16, representadas no Quadro 6.

A Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Operação de Câmera, corresponde às UCs 1, 17 e 18, representadas no Quadro 7.

A Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Produção de Rádio e TV, corresponde às UCs 1, 19, 20, 21 e 22, representadas no Quadro 8.

(14)

Quadro 1: Habilitação Profissional Técnica em Produção de Áudio e Vídeo

Unidades curriculares Carga horária

UC4: Projeto Integrador Radialista Assistência de Operões Audiovisuais 24 horas

UC1: Desenvolver projetos de audiovisual.* 60 horas UC2: Providenciar recursos para produções audiovisuais. 96 horas UC3: Realizar apoio técnico e logístico de produções

audiovisuais. 60 horas

UC7: Projeto Integrador Radialista Cenografia 24 horas UC5: Elaborar projeto cenográfico. 84 horas

UC6: Executar projeto cenográfico. 84 horas

UC10: Projeto Integrador Radialista Direção de Imagens - TV 24 horas UC8: Estruturar narrativas de mídias audiovisuais. 72 horas

UC9: Dirigir imagens em movimento. 108 horas

UC13: Projeto Integrador Radialista - Edão de Mídia Audiovisual. 24 horas UC11: Formatar narrativas audiovisuais de

multiplataforma. 108 horas

UC12: Editar áudio e vídeo. 108 horas

UC16: Projeto Integrador Radialista Iluminiação 24 horas UC14: Executar conceito fotográfico. 72 horas

UC15: Iluminar set de gravação. 84 horas

UC18: Projeto Integrador Radialista Operação de mera 24 horas

UC17: Captar imagens em movimento. 216 horas

UC22: Projeto Integrador Radialista - Produção de Rádio e TV 24 horas

UC19: Realizar etapas de pré-produção de

projetos audiovisuais 96 horas

UC20: Produzir projetos audiovisuais 60 horas UC21: Realizar etapas de pós-produção de

projetos audiovisuais 60 horas

Carga Horária Total3 1.536 horas

* A UC1 é comum a todas Qualificações Profissionais Técnicas, contempladas nos Quadros 2 a 8.

3 Soma das Unidades Curriculares, inclusive Projeto Integrador.

(15)

Quadro 2: Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Assistência de Operações Audiovisuais

Unidades curriculares Carga horária

UC4: Projeto Integrador Radialista– Assistência de Operações Audiovisuais 24 horas

UC1: Desenvolver projetos de audiovisual. 60 horas

UC2: Providenciar recursos para produções audiovisuais. 96 horas UC3: Realizar apoio técnico e logístico de produções

audiovisuais. 60 horas

Carga Horária Total4 240 horas

A UC4 é correquisito das UCs 1, 2 e 3. Deve ser desenvolvida em concomitância com essas UCs.

Quadro 3: Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Cenografia

Unidades curriculares Carga horária

UC7: Projeto Integrador Radialista– Cenografia 24 horas

UC1: Desenvolver projetos de audiovisual. 60 horas

UC5: Elaborar projeto cenográfico. 84 horas

UC6: Executar projeto cenográfico. 84 horas

Carga Horária Total5 252 horas

A UC7 é correquisito das UCs 1, 5, e 6. Deve ser desenvolvida em concomitância com essas UCs.

4 Soma das Unidades Curriculares, inclusive Projeto Integrador.

5 Soma das Unidades Curriculares, inclusive Projeto Integrador.

(16)

Quadro 4: Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Direção de Imagens - TV

Unidades curriculares Carga horária

UC10: Projeto Integrador Radialista– Direção de Imagens - TV 24 horas UC1: Desenvolver projetos de audiovisual. 60 horas UC8: Estruturar narrativas de mídias audiovisuais. 72 horas

UC9: Dirigir imagens em movimento 108 horas

Carga Horária Total6 264 horas

A UC10 é correquisito das UCs 1, 8 e 9. Deve ser desenvolvida em concomitância com essas UCs.

Quadro 5: Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Edição de Mídia Audiovisual

Unidades curriculares Carga horária

UC13: Projeto Integrador Radialista– Edição de Mìdia Audiovisual 24 horas

UC1: Desenvolver projetos de audiovisual. 60 horas UC11: Formatar narrativas audiovisuais de multiplataforma. 108 horas

UC12: Editar áudio e vídeo. 108 horas

Carga Horária Total7 300 horas

A UC13 é correquisito das UCs 1, 11 e 12. Deve ser desenvolvida em concomitância com essas UCs.

6 Soma das Unidades Curriculares, inclusive Projeto Integrador.

7 Soma das Unidades Curriculares, inclusive Projeto Integrador.

(17)

Quadro 6: Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Iluminação

Unidades curriculares Carga horária

UC16: Projeto Integrador Radialista– Iluminação 24 horas UC1: Desenvolver projetos de audiovisual. 60 horas

UC14: Executar conceito fotográfico. 72 horas

UC15: Iluminar set de gravação. 84 horas

Carga Horária Total8 240 horas

A UC16 é correquisito das UCs 1, 14 e 15. Deve ser desenvolvida em concomitância com essas UCs.

Quadro 7: Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Operação de Câmera

Unidades curriculares Carga horária

UC18: Projeto Integrador Radialista– Operação de Cãmera 24 horas UC1: Desenvolver projetos de audiovisual. 60 horas

UC17: Captar imagens em movimento. 216 horas

Carga Horária Total9 300 horas

A UC18 é correquisito das UCs 1 e 17. Deve ser desenvolvida em concomitância com essas UCs.

8 Soma das Unidades Curriculares, inclusive Projeto Integrador.

9 Soma das Unidades Curriculares, inclusive Projeto Integrador.

(18)

Quadro 8: Qualificação Profissional Técnica de Radialista – Produção de Rádio e TV

Unidades curriculares Carga horária

UC22: Projeto Integrador Radialista– Produção de Rádio e TV 24 horas

UC1: Desenvolver projetos de audiovisual. 60 horas UC19: Realizar etapas de pré-produção de projetos audiovisuais 96 horas

UC20: Produzir projetos audiovisuais 60 horas

UC21: Realizar etapas de pós-produção de projetos audiovisuais 60 horas

Carga Horária Total10 300 horas

A UC22 é correquisito das UCs 1, 19, 20 e 21. Deve ser desenvolvida em concomitância com essas UCs.

5.1 Detalhamento das Unidades Curriculares:

UC1: Desenvolver projetos de audiovisual.

CARGA HORÁRIA: 60 HORAS

1. Formata o projeto de acordo com o público-alvo, com base nos estudos e teorias da comunicação.

2. Aplica a linguagem audiovisual na construção de projetos.

3. Seleciona formas de financiamento e distribuição para produções audiovisuais com base na demanda de mercado.

CONHECIMENTOS

• Historiografia:

▪ Cinema: primeiros diretores, transição do cinema mudo para o falado, cor, Hollywood e cinema europeu, cinema brasileiro (cinema novo e contemporâneo).

10 Soma das Unidades Curriculares, inclusive Projeto Integrador.

(19)

▪ Rádio no Brasil: Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, Roquette Pinto, Pe. Landell de Moura, Rádio Nacional, rádios paulistas, publicidade, surgimento da televisão, FM dos anos 70 e 80, migração do AM para FM, internet e digital.

▪ Televisão no Brasil: TV Tupi e inauguração da TV no Brasil, transmissão por microondas, introdução do videoteipe, transmissão via satélite, auge da TV como veículo de comunicação de massa na década de 80, digitalização da produção e da transmissão, TV por assinatura.

• Música: trilhas sonoras.

• Internet e transmídias.

• Teoria da comunicação e sistemas de comunicação: a influência da comunicação de massa no receptor.

• Segmentação e público-alvo.

• Profissional do audiovisual: perfil e área de atuação.

• Contexto mercadológico.

• Equipamentos de produção, estúdios e locação.

• Linguagem audiovisual: gêneros, formatos, estética e narrativa.

• Mecanismos de fomento à produção audiovisual: legislação, direitos autorais e leis de incentivo.

HABILIDADES

• Pesquisar formas de produção de rádio e televisão.

• Identificar diferentes teorias cinematográficas.

• Identificar os diferentes meios de comunicação.

• Projetar e mensurar os impactos da produção no público-alvo.

• Identificar tendências do mercado de produção audiovisual.

• Organizar orçamento e cronograma de produção.

• Interpretar roteiro de produção.

• Ler e interpretar editais.

• Formatar projetos audiovisuais.

(20)

ATITUDES/VALORES

• Senso analítico na produção de conteúdo audiovisual.

• Equilíbrio na produção de questões técnicas e artísticas.

• Criatividade na proposição de ideias.

• Trabalho em equipe.

• Atitude empreendedora no posicionamento de projeto.

• Ética em relação ao respeito autoral.

• Responsabilidade com o cumprimento das etapas do projeto.

UC2: Providenciar recursos para produções audiovisuais

CARGA HORÁRIA: 96 HORAS

1. Organiza os equipamentos de áudio e vídeo de acordo com o checklist de produção.

2. Monta e posiciona equipamento de áudio e vídeo, conforme orientações da direção do programa.

3. Desmonta e armazena os equipamentos de áudio e vídeo, conforme características técnicas.

CONHECIMENTOS

• Iluminação: tipos de luz, tipos de equipamentos de luz, dimerização, itens de segurança para iluminação e EPIs.

• Assistência de câmera: câmeras, lentes, tripés, remote de câmera, teleprompter, dolly, traveling, conexões, comunicação e linguagem – movimento, ângulo, enquadramento e plano.

• Periféricos e interfaces de áudio e vídeo.

• Produção de TV: estúdio, externa, providências de locação, switcher, equipe de produção, cronograma e mapa de produção.

• Produção de rádio e áudio: equipamentos de externa e estúdio.

• Noções de cenografia: estética, interpretação de plantas, ferramentas, ferragens, mobiliário e objetos cenográficos.

(21)

• Noções de monitoração de áudio e vídeo: waveform, historiograma, vectorscope, monitor de áudio.

• Termos técnicos: áudio, vídeo e produção.

• Maquinaria: iluminação, câmera, áudio e cenografia.

• Cabos e conexões: tipos e funções.

• Mercado: tipos de contratação, carreira e precificação.

HABILIDADES

• Separar, organizar e armazenar equipamentos de áudio e vídeo.

• Acompanhar cronograma de produção.

• Interpretar plantas baixas e cortes de cenários.

• Utilizar vocabulário técnico de acordo com o tipo de produção.

• Monitorar sinais de entrada e saída de áudio e vídeo.

• Realizar e conferir checklist de produção.

• Administrar tempo.

• Trabalhar sob pressão.

ATITUDES/VALORES

• Trabalho em equipe.

• Iniciativa na proposição de soluções.

• Cuidado no manuseio dos equipamentos.

• Atenção difusa.

• Raciocínio lógico.

(22)

UC3: Realizar apoio técnico e logístico de produções audiovisuais

CARGA HORÁRIA: 60 HORAS

1. Verifica os sinais de áudio e vídeo levando em consideração a comunicação entre estúdio e central.

2. Acompanha e monitora o funcionamento técnico dos equipamentos e providências de produção, durante a execução do programa, de acordo com as orientações de produção.

CONHECIMENTOS

• Gêneros e formatos de programas de rádio e TV.

• Rotinas de produção de programas de rádio e TV em estúdio e externa.

• Noções de roteiro.

• Conexão entre equipamentos de produção e periféricos.

• Transmissão e recepção de sinal.

• Configuração de periféricos.

• Workflow técnico de gravação e transmissão.

HABILIDADES

• Testar equipamentos de áudio e vídeo.

• Realizar checklist de equipamentos e sistemas.

• Antecipar e detectar problemas técnicos.

• Checar sinal in e out.

• Realizar manutenção primária.

• Comutar equipamento de emissão e recepção.

• Distribuir áudio e vídeo.

• Instalar equipamentos e periféricos e interfaces de áudio e vídeo.

• Trocar cenários e objetos de cena.

• Substituir equipamentos de produção.

• Administrar intercomunicação das equipes.

• Preencher relatórios técnicos.

(23)

ATITUDES/VALORES

• Trabalho em equipe.

• Iniciativa na proposição de soluções.

• Cuidado no manuseio dos equipamentos.

• Atenção difusa.

• Raciocínio lógico.

UC5: Elaborar projeto cenográfico

CARGA HORÁRIA: 84 HORAS

1. Realiza estudo de referências artísticas considerando o roteiro do projeto audiovisual.

2. Representa graficamente os elementos do projeto cenográfico, de acordo com o roteiro e o conceito artístico da produção.

3. Realiza a gestão do projeto cenográfico considerando a equipe e os elementos da cenografia.

CONHECIMENTOS

• História da arte: movimentos artísticos do século 20.

• Conceito artístico de produção: formas, texturas e cores.

• Roteiro técnico e literário.

• Gêneros e formatos audiovisuais.

• Linguagem cinematográfica: planos, enquadramentos, movimentos de câmera e ângulos.

• Princípios do design: contraste, repetição, alinhamento e proximidade.

• Fundamentos básicos da teoria da cor: classificação das cores, estímulos (cor luz e cor pigmento), harmonia, contraste e percepção da cor.

• Materiais e ferramentas de desenho e medição: tipos e formas de utilização.

• Desenho: perspectiva, croqui, desenho de observação e técnicas de ilustração.

• Cálculos de superfície, área e volume.

• Noções de iluminação cênica: conceito, projeto e equipamentos.

• Noções de softwares para elaboração de cenário virtual.

(24)

• Conceitos de cenário virtual.

• Materiais cenográficos: tecido, tinta, madeira.

• Composição gráfica digital.

• Planejamento cenotécnico de estúdio e externa.

• Mercado: tipos de contratação, carreira e precificação.

HABILIDADES

• Pesquisar contexto histórico e materiais.

• Definir conceito de produção.

• Interpretar planta baixa.

• Elaborar soluções cenotécnicas.

• Utilizar técnicas de desenho de croqui e perspectiva.

• Executar maquetes.

• Especificar materiais.

• Elaborar cronograma de execução e montagem.

• Planejar orçamento, mão de obra e materiais.

• Planejar área de ação cênica.

• Elaborar estudo volumétrico.

• Definir elementos estruturais da cenografia.

• Definir adereços e objetos de cena.

• Elaborar projeto de cenografia virtual.

ATITUDES/VALORES

• Trabalho em equipe.

• Criatividade na elaboração de projetos.

• Percepção visual e espacial.

• Atitude sustentável na escolha de materiais cenográficos.

(25)

UC6: Executar projeto cenográfico

CARGA HORÁRIA: 84 HORAS

1. Produz o cenário e elementos cenográficos, de acordo com o projeto.

2. Realiza a montagem do cenário considerando o projeto e o espaço cênico.

3. Acompanha a execução do programa, de acordo com as providências cenográficas e orientações da produção.

CONHECIMENTOS

• Equipe de construção de cenário: cenotécnico, carpinteiro, pintor de arte e de liso, aderecista, escultor, costureiro, eletricista, técnico de efeitos especiais, equipe de embalagem e transporte.

• Cenotécnica: montagem, manutenção, conservação e armazenamento.

• Componentes da iluminação cênica.

• Noções de marcenaria, pintura, modelagem, serralheria e elétrica.

• Sistemas de cenário virtual.

• EPIs para execução de projetos cenográficos.

HABILIDADES

• Analisar dramaturgicamente textos, roteiros e propostas cênicas da direção.

• Elaborar métodos de trabalho.

• Coordenar equipe de palco, estúdio e externa na montagem.

• Realizar ajuste técnico.

• Orientar a manutenção do funcionamento da cenográfica.

• Executar cronograma de produção.

• Gerir orçamento, mão de obra e materiais.

• Operar sistemas de cenário virtual.

(26)

ATITUDES/VALORES

• Trabalho em equipe

• Percepção visual e espacial.

• Criatividade na resolução de projetos.

• Percepção visual e espacial.

• Atitude sustentável na escolha de materiais cenográficos.

UC8: Estruturar narrativas de mídias audiovisuais

CARGA HORÁRIA: 72 HORAS

1. Planeja a execução técnica da transmissão ou gravação do programa, de acordo com o gênero e formato televisivo.

2. Confere e organiza equipamentos para transmissão ou gravação, considerando o workflow técnico de produção.

CONHECIMENTOS

• Gêneros e formatos de programas televisivos: entrevista, talk show, musical, merchandising, variedades, dramaturgia e jornalismo.

• Roteiro: interpretação e indicações técnicas.

• Linguagem de câmera e fotografia de vídeo: plano, enquadramento, movimento e ângulo.

• Reunião de produção: desenvolvimento de novos programas.

• Técnicas de operação de câmera.

• Switcher: mesa de corte, mesa de áudio, efeitos, direção de câmera, gerador de caracteres, teleprompter, workflow de vídeo, VT, distribuidores, monitoração.

• Noções de direção de arte: cenário e figurino.

• Estúdios e suas funções: equipamentos de vídeo, iluminação, áudio, cabeamentos de áudio e câmera, retorno e intercom.

• Áudio: console, microfones, monitoração de sinal e sincronismo com vídeo.

(27)

HABILIDADES

• Comunicar-se com equipe do switcher.

• Utilizar equipamentos de comunicação entre switcher e estúdio.

• Comunicar-se com terminologia técnica.

• Comandar equipe de estúdio via switcher.

• Organizar a sequência dos cortes de câmera.

• Selecionar imagens e definir efeitos.

ATITUDES/VALORES

• Espírito de liderança.

• Trabalho em equipe.

• Iniciativa na resolução de problemas técnicos.

• Zelo pela qualidade do som e imagem.

• Percepção sensorial do conteúdo.

• Acuidade visual e auditiva.

UC9: Dirigir imagens em movimento

CARGA HORÁRIA: 108 HORAS

1. Seleciona imagens para o programa considerando a linguagem audiovisual e o formato do programa.

2. Monitora sinal de vídeo e retorno de câmera considerando o roteiro e orientações do diretor do programa.

3. Aplica efeitos e recursos de direção de imagem de acordo com o roteiro e orientações do diretor do programa.

(28)

CONHECIMENTOS

• Roteiro: leitura.

• Monitoração e sinal de vídeo.

• Equipamentos de movimentação de câmera.

• Unidade de externa: processo de transmissão de imagem e áudio.

• Equipamentos de comunicação: intercom, ponto eletrônico e voz de Deus.

• Equipamentos de monitoração de vídeo: vectorscope, waveform e historiograma.

• Mesa de corte e efeitos (switcher): corte seco e efeitos de transição, créditos, recorte e preview.

• Chromakey: aplicação e recorte.

• Noções de cenário virtual.

• Modelos e características de mesas de corte e efeito: estúdio, externa, broadcast e softwares.

• Noções de montagem de sistemas de transmissão audiovisual via internet.

• Mercado: tipos de contratação, carreira e precificação.

HABILIDADES

• Orientar apresentador por meio do ponto eletrônico.

• Comunicar-se com equipe do switcher.

• Utilizar equipamentos de comunicação entre switcher e estúdio.

• Comunicar-se com terminologia técnica.

• Comandar equipe de estúdio via switcher.

• Operar mesa de corte e efeitos (switcher)

• Analisar qualidade de imagens e de som.

• Criar enquadramentos e movimentos de câmera.

• Definir efeitos visuais e de transição.

• Selecionar e sequenciar imagens.

• Inserir créditos.

• Criar e aplicar caracteres.

(29)

• Recepcionar material captado de outros setores e áreas.

• Solicitar captação de imagens.

• Adicionar arte gráfica.

• Recortar imagens de chromakey.

• Trabalhar sob pressão.

ATITUDES/VALORES

• Espírito de liderança.

• Trabalho em equipe.

• Iniciativa na resolução de problemas técnicos.

• Zelo pela qualidade do som e imagem

• Percepção sensorial do conteúdo.

• Acuidade visual e auditiva.

• Precisão motora.

UC11: Formatar narrativas audiovisuais de multiplataforma.

CARGA HORÁRIA: 108 HORAS

1. Analisa material bruto de edição considerando as necessidades narrativas do roteiro.

2. Prepara o material de edição considerando o planejamento técnico do projeto.

CONHECIMENTOS

• História e evolução das mídias:

▪ Filme 16mm, 35mm e 8mm.

▪ Fitas de vídeo analógicas.

▪ Fitas de vídeo digitais

▪ Sistemas digitais de armazenamento.

• História da tecnologia da edição:

(30)

▪ Moviola.

▪ U-matic.

▪ Betacam.

▪ AB-Roll.

▪ Sistemas digitais de edição.

▪ 3D.

▪ Streaming.

▪ VOD.

▪ Vídeo 360º.

• Linguagem audiovisual: gêneros e formatos de programas de televisão, vídeo e internet, teoria da montagem e tipos de roteiro.

• Narrativas audiovisuais: jornalística, documental, ficcional, shows, musical, programa de auditório, institucional e publicitário.

• Sistemas operacionais: MAC, PC e Mobile.

• Equipamentos de captura e produção de áudio e vídeo: gravador de áudio, gerador de timecode, claquete.

• Fundamentos do tratamento de áudio e vídeo.

• Áudio: amplitude, frequência, padrões, equalização, compressão e loudness.

• Workflow de organização do projeto: pastas e subpastas.

• Continuidade: raccord, direção de tela; eixo da ação, regra dos 45º.

• Mercado: tipos de contratação, carreira e precificação.

HABILIDADES

• Reconhecer as diferenças de ajustes de softwares de edição em sistemas operacionais distintos.

• Avaliar material bruto.

• Identificar os diferentes codecs e formatos de áudio e vídeo.

• Minutar e decupar material bruto.

• Analisar qualidade de imagem e som.

• Analisar roteiro audiovisual.

(31)

• Ordenar narrativas de filmes e mídias audiovisuais.

• Propor tempo e definição de narrativa.

• Trabalhar sobre pressão.

ATITUDES/VALORES

• Senso estético.

• Senso crítico.

• Acuidade auditiva.

• Zelo pela qualidade técnica e artística.

• Iniciativa na proposição de soluções.

• Concentração.

• Organização.

• Memorização de ações e processos de produção.

• Paciência para assistir material bruto e finalizado repetidas vezes.

• Senso de hierarquia.

UC12: Editar áudio e vídeo

CARGA HORÁRIA: 108 HORAS

1. Organiza o software de áudio ou vídeo, conforme o workflow de edição.

2. Compõe narrativas de áudio e vídeo, por meio das técnicas de edição e linguagem audiovisual.

3. Trata e corrige áudio e vídeo de acordo com as definições estéticas do produto audiovisual.

4. Finaliza a sequência de áudio ou vídeo considerando a plataforma de exibição.

(32)

CONHECIMENTOS

• Softwares de edição de áudio e vídeo: interface e operação.

• Técnicas de edição de vídeo: corte, zoom, movimentos de câmera, insert, overwrite, rough cut, edição de 3 pontos e multicam.

• Monitoração de áudio e vídeo: vectorscope; histogram, waveform, RTA, loudness meter.

• Chromakey e lumakey: recorte e tratamento.

• Timecode.

• Minutagem e decupagem.

• Áudio: mixagem, efeitos.

• Som direto, foley e dublagem.

• Teoria de cor: correção (HSL), tratamento, brilho e contraste, curvas RGB.

• Formatos de vídeo: resolução, aspecto, frame rate (quadro por segundo), entrelaçado, progressivo, Codec e contêiner.

• Filtros e transições de áudio e vídeo.

• Gerador de caracteres.

• Grafismo.

• Lentes: distorção e aberração.

• Renderização e masterização.

HABILIDADES

• Utilizar softwares não lineares de edição de áudio e vídeo.

• Definir efeitos visuais.

• Editar efeitos especiais.

• Definir primeiro corte.

• Capturar, cortar, sequenciar e fundir áudio e vídeo.

• Sincronizar áudio e vídeo.

• Mixar e tratar áudio no software.

• Criar e aplicar créditos, caracteres, legendas e artes gráficas.

• Sonorizar mídias audiovisuais.

(33)

• Exportar mídias audiovisuais.

• Corrigir cor, brilho e contraste.

• Preparar conteúdo para pós-produção de áudio.

• Trabalhar sobre pressão.

ATITUDES/VALORES

• Senso estético.

• Senso crítico.

• Acuidade auditiva.

• Zelo pela qualidade técnica e artística.

• Iniciativa na proposição de soluções.

• Concentração.

• Organização.

• Memorização de ações e processos de produção.

• Responsabilidade no cumprimento de prazos.

• Agilidade e paciência no processo de seleção e edição do material.

UC14: Executar conceito fotográfico

CARGA HORÁRIA:72 HORAS

1. Produz luz cênica considerando linguagem audiovisual e técnicas de iluminação.

2. Explora as possibilidades fotográficas do equipamento de captação mobilizando os conceitos fotográficos e técnicas de iluminação.

CONHECIMENTOS

• Luz: contraste, difusa, dura, rebatida, potência, natural, artificial, de produção e grau de dispersão.

• Cor: temperatura e balanço de branco.

• Câmera: sensor e lente.

(34)

• Lente: abertura, aberrações cromáticas, distorção, profundidade de campo.

• Dimmer de iluminação: operação e ajustes.

• Iluminação de externa: equipamentos e características.

• Iluminação de três pontos: keylight, backlight e fill light.

HABILIDADES

• Escolher e combinar efeito ou correção.

• Operar sistemas de iluminação.

• Iluminar cenas.

• Padronizar a luz do set.

• Customizar a iluminação do set.

• Afinar iluminação.

• Propor e definir conceito fotográfico.

• Realizar teste fotográfico.

• Relacionar cenário, figurino, maquiagem e o objetos de cena com as decisões conceituais do projeto.

• Antecipar e detectar problemas técnicos.

• Improvisar em situações inesperadas.

ATITUDES/VALORES

• Senso estético e artístico.

• Trabalho em equipe.

• Visão sistêmica do processo de produção.

• Iniciativa na proposição de soluções.

• Cuidado no manuseio e armazenamento de equipamentos.

• Responsabilidade no cumprimento das normas de segurança do trabalho.

(35)

UC15: Iluminar set de gravação

CARGA HORÁRIA: 84 HORAS

1. Prepara equipamentos para a produção de acordo com o roteiro e mapa de iluminação.

2. Monta os equipamentos considerando as providências de segurança e o mapa de iluminação.

3. Armazena os equipamentos e acessórios de iluminação de acordo com suas características.

CONHECIMENTOS

• Noções de elétrica: conceito de eletricidade, watts, volts, amperagem e segurança.

• EPIs de iluminação.

• Tipos de iluminação: canhão seguidor, HMI, fresnel, spot, moving light, geladeira, elipsoidal, set light, led, soft, scoop, ciclorama, kino flow, floo, brut e mini brut.

• Tipos de lâmpada: fluorescente, incandescente, tungstênio, hmi e led.

• Equipamentos de iluminação: tripé, grid, sargento, medusa, prolonga, extensão, conectores, rebatedor.

• Dimmer de iluminação: montagem.

• Filtros: gelatina difusa, cto, ctb.

• Planta baixa do cenário: mapa de luz.

• Equipamentos de segurança de iluminação.

• Manutenção básica: tela de proteção, lâmpadas, conectores, ajustes de maquinaria.

• Roteiro: interpretação e leitura técnica.

• Linguagem fotográfica de vídeo: plano, enquadramento, movimento e ângulo.

• Mercado: tipos de contratação, carreira e precificação.

HABILIDADES

• Operar equipamentos elétricos.

• Conectar os equipamentos na rede elétrica.

• Realizar manutenção de rotina e substituição de lâmpadas e filtros.

(36)

• Elaborar cronograma de produção.

• Criar setups nas mesas de comando.

• Coordenar equipes de maquinaria e elétrica.

• Calcular quantidade de equipamentos e potência elétrica.

• Improvisar em situações inesperadas.

• Posicionar equipamentos de iluminação.

• Elaborar relatório técnico.

ATITUDES/VALORES

• Senso estético e artístico.

• Trabalho em equipe.

• Visão sistêmica do processo de produção.

• Iniciativa na proposição de soluções.

• Cuidado no manuseio e armazenamento de equipamentos.

UC17: Captar imagens em movimento

CARGA HORÁRIA: 216 HORAS

1. Monta câmera e acessórios para captação de imagem de acordo com a natureza da produção audiovisual.

2. Propõe linguagem de câmera considerando linguagem e narrativas audiovisuais.

3. Regula funções e menu de câmera de acordo com as intenções fotográficas.

4. Propõe soluções de captação de imagem em produções externas, de acordo com pauta e roteiro.

5. Executa operação de câmera de acordo com as orientações do diretor de imagem.

6. Utiliza equipamentos periféricos de acordo com as possibilidades e necessidades de captação e da narrativa audiovisual.

7. Monitora sinal de vídeo, na câmera ou em equipamento externo, considerando fotografia e qualidade do sinal.

(37)

CONHECIMENTOS

• Linguagem audiovisual: gêneros e formatos de programas de televisão e vídeo.

• Narrativas audiovisuais: jornalística, documental, ficcional, shows, musical, programa de auditório, institucional e publicitário.

• Produção: equipe, funções e workflow.

• Roteiro: técnico, decupado e storyboard.

• Câmera de vídeo e componentes: corpo, lente, sensor, armazenamento, limpeza, manutenção e guarda.

• Acessórios: bateria, microfones, mídias físicas, fone de ouvido, cases e capas de câmera.

• Conexões, cabos e adaptadores.

• Bateria e AC: tipos e conservação.

• Tripé: cabeça, tripé, estrela, dolly, manche e monopé.

• Câmera e componentes: limpeza, manutenção e guarda.

• Ergonomia: postura, movimentação corporal e acessórios.

• Objetivas: lentes, foco, autofocus, backfocus, diafragma, zoom, adaptadores, filtros e sistemas de medidas.

• Tipos de câmera: broadcast, camcorder, prosumer, DSLR, mirrorless, celular, action cam e 360°.

• Ajustes: íris, ND filter, shutter, white balance e ganho.

• Anéis:

▪ Zoom.

▪ Foco.

▪ Íris.

• Viewfinder: ajuste e monitoração.

• Monitor: calibragem.

• Menu de câmera.

• Métodos e técnicas de armazenamento, montagem e desmontagem.

• Operação manual e automática.

• Movimentos de lente.

(38)

• Ângulos – plongeé, contra-plongeé e eye-level.

• Direção de câmera:

▪ Plano.

▪ Composição de imagem: cores, regra dos terços.

▪ Enquadramento – grande plano geral, plano geral, plano próximo, plano médio fechado, plano médio, plano americano, plano detalhe, close-up, super close-up.

▪ Movimento de câmera – panorâmica, tilt, travelling e dolly.

• Equipamentos de estabilidade: steadycam, gimbal e suportes.

• Equipamentos de movimento: travelling, grua e slider.

• Direção de imagem: switcher, ponto eletrônico, intercom, monitoramento, corte de câmeras.

• ENG: equipe e equipamentos.

• EFP: equipe e equipamentos.

• Equipamentos de iluminação: estúdio e externa.

• Áudio:

▪ Microfones externos e da câmera.

▪ Tipos de cabo.

▪ Gravadores portáteis.

▪ Monitoração.

▪ Ajustes de captação.

• Tecnologia: tipos de mídia, timecode, scan mode, codec, fps (frame per second), entrelaçado, progressivo e sensor.

• Formatos, resolução de vídeo e aspect ratio.

• Noções de logagem.

• Mercado: tipos de contratação, carreira e precificação.

HABILIDADES

• Reconhecer as etapas de produção audiovisual.

• Montar e regular equipamentos e acessórios de áudio, vídeo e iluminação.

• Preparar local de gravação.

Imagem

temas relacionados :