VERMELHO JONATHAS DE ANDRADE /

49 

Loading.... (view fulltext now)

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

VERMELHO

WWW.GALERIAVERMELHO.COM.BR / INFO@GALERIAVERMELHO.COM.BR

JONATHAS DE ANDRADE

(2)

MUSEU DO HOMEM DO NORDESTE

segunda individual de Jonathas de Andrade, na Vermelho, a exposição “Museu do Homem do Nordeste” reúne três de seus projetos mais recentes: as instalações “Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste” [2013], “40 Nego Bom é 1 real” [2013], e “O Levante” [2012-2013]. As obras se articulam como uma coleção paralela ao Museu do Homem do Nordeste, localizado na cidade do Recife [PE]. Criado em 1979 por Gilberto Freyre, o museu antropológico conta com um acervo de mais de 15000 peças representativas da formação étnica, histórica e social da região. Nesta série de trabalhos, Jonathas de Andrade experimenta novas bases e metodologias ao museu original, e apresenta na Galeria Vermelho a primeira versão deste paramuseu.

Para criar a instalação “Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste”, Andrade publicou anúncios nos jornais do Recife em busca de trabalhadores interessados em posar para o cartaz do Museu do Homem do Nordeste. Os cartazes da instalação variam conforme cada

encontro, numa construção de identidade – do homem, da imagem do museu – pautada por uma relação ambivalente, antropófoga e erotizante.

Instalação que atualmente participa da 12ª Bienal de Lyon, na França, e que recentemente rendeu a Andrade o Prix de la Francophonie [Lyon, França], “40 Nego Bom é 1 real” parte do grito popular usado na venda deste doce de banana nos mercados e ruas do Nordeste brasileiro. Neste projeto, Andrade construiu uma fabrica fictícia onde 40 personagens trabalham na feitura do doce a partir de uma receita. Num segundo momento, a instalação revela, por meio de textos impressos, um acerto de contas em que as relações de trabalho são explicitadas, levando em consideração as sutilezas das relações pessoais que ao fim entram na conta. No projeto, Andrade revê a teoria-mito de uma harmonia calcada na camaradagem, e aborda os ecos de um pós-colonialismo e pós-escravidão que constituíram uma cultura de naturalidade com as relações de poder e dependência, de naturalidade diante do servilismo, da exploração atenuada pela aparente gentileza, e pelo racismo velado e incorporado como dinâmica social.

A terceira instalação que integra o Museu do Homem do Nordeste, “O Levante”, é resultado da “1ª Corrida de Carroças no Centro do Recife”, organizada por Jonathas nas ruas do Recife, em 2012. Como a circulação de

animais rurais é proibida por lei nas ruas do Recife, todos aqueles que se movimentam a cavalo pela cidade se tornam invisíveis para a lei. somente tratando a corrida como cena de filme, ou seja, como ficção, é que o evento obteve as autorizações oficiais necessárias para acontecer no espaço público.

Para Andrade, ao mesmo tempo que os cavalos e seus donos, normalmente pessoas que estão à margem da lógica desenvolvimentista da cidade, e do País, o contraste gerado por sua presença no espaço urbano soa como eco da ruralidade, revelando as origens desta região. O vídeo e as fotos, registros da ação nas ruas do Recife, representam documentos acerca das leis e de sua inoperância, e, silenciosamente, revelam que as leis foram feitas para poucos. “O Levante” de Andrade acentua o contraste entre a ideia de desenvolvimento pretendida pela cidade, e a clandestinidade que permeia todos os âmbitos da sociedade brasileira, do publico e privado, e que a faz funcionar.

“Museu do Homem do Nordeste” é um projeto em andamento de Jonathas de Andrade que, a cada nova montagem, apresenta uma nova versão do “Museu”, incorporando cumulativamente novos projetos e pesquisas desenvolvidos pelo artista.

Jonathas de Andrade / seleção de exposições individuais: Cartazes para o Homem do Nordeste, Kunsthalle

Lissabon, Lisboa, Portugal; 4000 disparos, Musée d’art Contemporain de Montréal, Montreal, Canadá [2013]; Ressaca tropical, Galeria Vermelho, são Paulo, Brasil [2010]; Amor e Felicidade no Casamento, Instituto Itaú Cultural, são Paulo, Brasil [2008]. seleção de exposições coletivas: Entre-temps... brusquement, et ensuite, 12e Biennale de Lyon, Lyon, França; La Bienal 2013: Here is where we jump, El Museo del Barrio, Nova York, EuA; Future Generation Art Prize @Venice, Pallazzo Contarini Polignac, Veneza, Itália; the Right to the City, stedelijk Museum Bureau Amsterdam, Amsterdã, Holanda [2013]; When Attitudes Became Form Become Attitudes - CCA Wattis Institute for Contemporary Art – san Francisco – EuA; Prêmio CNI/sEsI Marcantonio Vilaça para Artes Plásticas, [exposição itinerante], Brasil; the ungovernables, New Museum triennial, New Museum, Nova Iorque, EuA [2012]; sharjah Biennial 10, sharjah, Emirados Árabes [2011]; 29ª Bienal de são Paulo: Há sempre um copo de mar para um homem navegar, Parque do Ibirapuera, são Paulo, Brasil [2010]

(3)

MUSEU DO HOMEM DO NORDESTE

the third solo show by Jonathas de Andrade, at Vermelho, Museu do Homem do Nordeste features three of his most recent projects: the installations Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste [Posters for the Museu do Homem do Nordeste] (2013), 40 Nego Bom é 1 real [40 nego bom for 1 real] (2013), and O Levante [the uprising] (2012–2013). the works are articulated as a collection in parallel to the Museu do Homem do Nordeste, located in the city of Recife [PE]. Created in 1979 by Gilberto Freyre, the anthropological museum has a collection of more than 15.000 pieces representative of the region’s ethnic, historical and social makeup. In this series of works, Jonathas de Andrade experiments with new bases and methodologies for the original museum, and presents at Galeria Vermelho the first version of this paramuseum. to create the installation Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste, Andrade published ads in the news-papers of Recife in search of workers interested in posing for the poster for the Museu do Homem do Nordeste. the posters of the installation vary according to each encoun-ter, in a construction of identity – of man, of the museum’s image – based on an ambivalent, anthropophagic and eroticizing relation.

An installation that is currently participating in the 12th Biennale of Lyon, France, and which recently garnered Andrade the Prix de la Francophonie [Lyon, France], 40 Nego Bom é 1 real is based on the hawker’s cry used to sell this banana sweet in the markets and streets of the Brazilian Northeast. In this project, Andrade constructed a fictitious factory where 40 characters work in the mak-ing of the sweet based on a recipe. In a second phase, the installation uses printed texts to reveal a settling of accounts in which the relations of work are made explicit, taking into consideration the subtleties of the personal relations that ultimately come into play. In the project, Andrade takes a fresh look at the theory-myth of a har-mony couched in camaraderie, and approaches the echoes of a post-colonialism and post-slavery that constituted a culture of naturalness with the relations of power and dependence, of naturalness in the face of servility, of ex-ploitation attenuated by apparent politeness, and by veiled

racism incorporated as a social dynamics.

the third installation that is part of the Museu do Homem do Nordeste, O Levante, is an outgrowth of the 1st Cor-rida de Carroças no Centro do Recife [street-Cart Race in downtown Recife] organized by Jonathas on the streets of Recife, in 2012. As the circulation of rural animals is illegal on the streets of Recife, all the horse-pulled carts in the city become invisible to the law. Only by treating the race as a scene in a film, that is, as fiction, could the event obtain the official authorizations necessary for it to take place in the public space.

For Andrade, the presence of the horses and their own-ers – normally people who are at the fringe of the city’s (and the country’s] developmentalist logic – generates a contrast in the urban space that resounds as an echo of ruralness, revealing the origins of this region. the video and the photos, records of the action in the streets of Recife, represent documents concerning the laws and their non-application, while silently revealing that the laws were made for the few. Andrade’s O Levante accentuates the contrast between the idea of development sought for by the city and the clandestineness that pervades all the public and private sectors of Brazilian society, allowing it to operate.

Museu do Homem do Nordeste is a project underway by Jonathas de Andrade which presents a new version of the “Museu” each time it is set up, cumulatively incorporating new projects and research developed by the artist.

Jonathas de Andrade / selection of solo shows: Cartazes para o Homem do Nordeste, Kunsthalle Lissabon, Lisbon, Portugal; 4000 disparos, Musée d’art Contemporain de Montréal, Montreal, Canada [2013]; Ressaca tropi-cal, Galeria Vermelho, são Paulo, Brazil [2010]; Amor e Felicidade no Casamento, Instituto Itaú Cultural, são Paulo, Brazil [2008]. selection of group shows: Entre-temps... brusquement, et ensuite, 12e Biennale de Lyon, Lyon, France; La Bienal 2013: Here is where we jump, El Museo del Barrio, Nova York, usA; Future Generation Art Prize @Venice, Pallazzo Contarini Polignac, Venice, Italy; the Right to the City, stedelijk Museum Bureau Amster-dam, AmsterAmster-dam, the Netherlands [2013]; When Attitudes Became Form Become Attitudes - CCA Wattis Institute for Contemporary Art – san Francisco – usA; Prêmio CNI/ sEsI Marcantonio Vilaça para Artes Plásticas, [traveling show], Brazil; the ungovernables, New Museum triennial, New Museum, Nova Iorque, usA [2012]; sharjah Biennial 10, sharjah, Emirates [2011]; 29ª Bienal de são Paulo: Há sempre um copo de mar para um homem navegar, Parque do Ibirapuera, são Paulo, Brazil [2010].

(4)
(5)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

LETREiRO - EM aNDaMENTO/wORk iN pROgRESS

sd/undated

MAdEIRA E PREGOs WOOd ANd NAILs VARIÁVEIs

(6)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

DOcUMENTaçãO Da 1ª cORRiDa DE caRROçaS DO cENTRO DO REcifE

sd/undated

MAQuEtE E PANFLEtOs MOdEL ANd PAMPHLEts

(7)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR duRAÇÃO / duRAtION tÉCNICA / tECHNIQuE

O LEVaNTE / THE UpRiSiNg

2012 VÍdEO VIdEO 8’ loop

(8)

O LEVaNTE

O projeto O Levante compreende tres trabalhos: 1. o acontecimento da 1a corrida de carrocas do centro da cidade do recife, 2 - a “documentacao da 1a corrida de carrocas do centro do recife” e 3. o video “O Levante”

A idéia do projeto foi tornar possível a realização da 1ª Corrida de Charrete no Centro do Recife. Como animais de fazenda estão proibidos de circular em qualquer local do Centro da cidade, qualquer pessoa que se desloque a cavalo por essa região, se torna invisivel aos olhos da lei. tratar a ação como “cena de filme”, ou seja, como ficção, garantiu a concessão das autorizações oficiais necessárias para a realização do evento.

THE UpRiSiNg

the uprising project comprises three pieces: 1. the event of the first chariot race in downtown Recife, 2. the “First chariot race in downtown Recife documentation” and 3. the video “the uprising”.

the idea of the project was to undertake whatever would be needed to make it possible to hold the 1st Horse-drawn Cart Race in the Center of Recife.

As farm animals are prohibited anywhere in Recife, everyone who gets about by horse is made invisible from the point of view of the law. Only by dealing with the race as if it were scene from a movie – by being able, therefore, to have it considered as being to some extent a piece of “fiction” - is what would make the event feasible and fit to obtain the authorizations needed to make it happen.

(9)

ARtIstA/ARtIst ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE ALOÍSIO MAGALHÃES 1970 COLAGEM COLLAGE 50X80CM

tÍtuLO / tItLE caRTEMa ÍNDiO Uaika

INstItuIÇÃO/IstItutION Gentilmente cedido pelo Museu do Homem do Nordeste para o Museu do Homem do Nordeste

(10)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

40 NEgO BOM É 1 REaL

2013

sERIGRAFIA, COMPRENsAdO, ACRILICO E IMPREssÃO RIsOGRÁFICA sILKsCREEN, PLYWOOd, ACRYLIC ANd RIsOGRAPHIC PRINt

(11)

Instalação que atualmente participa da 12ª Bienal de Lyon, na França, e que recentemente rendeu a Andrade o Prix de la Francophonie [Lyon, França], “40 Nego Bom é 1 real” parte do grito popular usado na venda deste doce de banana nos mercados e ruas do Nordeste brasileiro. Neste projeto, Andrade construiu uma fabrica fictícia onde 40 personagens trabalham na feitura do doce a partir de uma receita. Num segundo momento, a instalação revela, por meio de textos impressos, um acerto de contas em que as relações de trabalho são explicitadas, levando em consideração as sutilezas das relações pessoais que ao fim entram na conta. No projeto, Andrade revê a teoria-mito de uma harmonia calcada na camaradagem, e aborda os ecos de um pós-colonialismo e pós-escravidão que constituíram uma cultura de naturalidade com as relações de poder e dependência, de naturalidade diante do servilismo, da exploração atenuada pela aparente gentileza, e pelo racismo velado e incorporado como dinâmica social.

(12)
(13)
(14)
(15)

An installation that is currently participating in the 12th Biennale of Lyon, France, and which recently garnered Andrade the Prix de la Francophonie [Lyon, France], 40 Nego Bom é 1 real is based on the hawker’s cry used to sell this banana sweet in the markets and streets of the Brazilian Northeast. In this project, Andrade constructed a fictitious factory where 40 characters work in the making of the sweet based on a recipe. In a second phase, the installation uses printed texts to reveal a settling of accounts in which the relations of work are made explicit, taking into consideration the subtleties of the personal relations that ultimately come into play. In the project, Andrade takes a fresh look at the theory-myth of a harmony couched in camaraderie, and approaches the echoes of a post-colonialism and post-slavery that constituted a culture of naturalness with the relations of power and dependence, of naturalness in the face of servility, of exploitation attenuated by apparent politeness, and by veiled racism incorporated as a social dynamics.

(16)
(17)
(18)
(19)
(20)
(21)
(22)
(23)
(24)
(25)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

caRTazES paRa O MUSEU DO HOMEM DO NORDESTE

2013

IMPREssÃO dIGItAL, MAdEIRA, REtROPOJEtOR E FERRO dIGItAL PRINt, WOOd, OVERHEAd PROJECtOR ANd IRON variadas / variable

(26)
(27)

Para criar a instalação “Cartazes para o Museu do Homem do

Nordeste”, Andrade publicou anúncios nos jornais do Recife em busca de

trabalhadores interessados em posar para o cartaz do Museu do Homem

do Nordeste. Os cartazes da instalação variam conforme cada encontro,

numa construção de identidade – do homem, da imagem do museu –

pautada por uma relação ambivalente, antropófoga e erotizante.

to create the installation Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste,

Andrade published ads in the newspapers of Recife in search of workers

interested in posing for the poster for the Museu do Homem do Nordeste.

the posters of the installation vary according to each encounter, in a

construction of identity – of man, of the museum’s image – based on an

ambivalent, anthropophagic and eroticizing relation.

(28)
(29)
(30)
(31)
(32)

JONaTHaS DE aNDRaDE

1982 / Maceió, Brasil

vive e trabalha em Recife / lives and works in

Re-cife

Exposições individuais/ Solo Exhibitions

2013

Museu do Homem do Nordeste – Galeria Vermelho –

são Paulo – Brasil

cartazes para o homem do nordeste – Kunsthalle

Lissabon – Lisboa – Portugal

Nostalgia, sentimento de classe – Galeria Vermelho

– são Paulo – Brasil

4000 Disparos - Musée d’art Contemporain de

Montréal – Montreal – Canadá

2010

programa de Exposições – Centro Cultural são

Paulo – são Paulo – Brasil

Ressaca Tropical- Galeria Vermelho- são Paulo-

Brasil

2009

Ressaca Tropical - Instituto Cultural Banco Real –

Recife - Brasil

2008

amor e felicidade no casamento – Instituto Itaú

Cultural - são Paulo - Brasil

2007

amor e felicidade no casamento - Fundação

Joa-quim Nabuco - Recife - Brasil

amor e felicidade no casamento - Instituto Furnas

Cultural - Rio de Janeiro - Brasil

Exposições coletivas/group Exhibitions

2013

Entre-Temps... brusquement, et ensuite -12e

Bien-nale de Lyon – Lyon – França

Mitologias por procuração – Museu de Arte

Mod-erna [MAM sP] – são Paulo – Brasil

avante Brasil - KIt [Kunst im tunnel] – dusseldorf –

Alemanha

La Bienal 2013: Here is where we jump - El Museo

del Barrio – Nova York – EuA

Blind field – Broad Art Museum – East Lansing -

EuA

future generation art prize @Venice - Pallazzo

Contarini Polignac – Veneza - Itália

Moving- Norman Foster on Art – Carré d’Art –

Mu-sée d’Art Contemporain – Nimes – França

The Right to the city – stedelijk Museum Bureau

Amsterdam – Amsterdã – Holanda

Better Homes - sculptureCenter - Long Island City

– EuA

plaisance - Midway Contemporary Art - Minneapolis

– EuA. 2013

prêmio cNi/SESi Marcantonio Vilaça para artes

plásticas – Palácio das Artes – Belo Horizonte -

Brasil

The insides are on the Outside / O interior está

no exterior - Casa de Vidro e sEsC Pompéia – são

Paulo - Brasil

Blind field – Krannert Art Museum – Champaign –

EuA

prêmio cNi/SESi Marcantonio Vilaça para artes

plásticas – Museu de Arte de Ribeirão Preto –

MARP - Ribeirão Preto

2012

future generation art prize 2012 [21 Shortlisted

artists] – Pinchukartcentre – Kiev – ucrânia

Tropikalizmy - Gdańsk City Gallery - Gdańsk –

Polô-nia

when attitudes Became form Become attitudes -

CCA Wattis Institute for Contemporary Art – san

Francisco – EuA

New Brazil/Bolívia Now – Memorial da América

Latina – são Paulo – Brasil

Salvajes – digesting Europe Piece by Piece -

tra-neudstillingen Exhibition space – Copenhagen -

dinamarca

prêmio cNi/SESi Marcantonio Vilaça para artes

plásticas – Palácio do Comércio - Maceió - Brasil

prêmio cNi/SESi Marcantonio Vilaça para artes

plásticas – Fortaleza são José de Macapá –

Ma-capá - Brasil

prêmio cNi/SESi Marcantonio Vilaça para artes

plásticas – Palácio da Instrução – Cuiabá – Brasil

prêmio cNi/SESi Marcantonio Vilaça para artes

plásticas – Centro Cultural Usina do Gasômetro –

Porto Alegre – Brasil

prêmio cNi/SESi Marcantonio Vilaça para artes

plásticas - Casa França Brasil - Rio de Janeiro –

Brasil

The crowd Behind Us – Abdali/King Hussein street

– Amam - Jordânia

The Ungovernables - New Museum triennial - New

Museum – Nova Iorque - EuA

2011

En Obras: arte y arquitectura en la coleção

Teix-eira de freitas - tEA tenerife Espacio de las Artes

– tenerife – Ilhas Canárias

Os primeiros Dez anos – Instituto tomie Ohtake –

são Paulo – Brasil

contra a parede – Galeria Vermelho – são Paulo -

Brasil

Mitologias - Cité Internationale des Arts - Paris -

França

panoramas do Sul - 17° festival internacional

de arte contemporânea Videobrasil – são Paulo -

Brasil

caos e Efeito - Instituto Itaú Cultural - são Paulo -

Brasil

finalistas pipa 2011 – Museu de Arte Moderna do

Rio de Janeiro [MAM RJ] – Rio de Janeiro - Brasil

32º panorama da arte Brasileira – Museu de Arte

Moderna de são Paulo MAM – são Paulo – Brasil

Untitled (12ª Bienal de istambul) – Istambul –

turquia

arte contemporânea Brasileira – Museu de Arte

Contemporânea [MAC usP] – são Paulo - Brasil

Um Outro Lugar – Museu de Arte Moderna Rio de

Janeiro [MAM RJ] – Rio de Janeiro – Brasil

arte for life/ arte for living - Lab’Bel at swab Art

Fair and Mies van der Rohe Pavillion – Barcelona -

Espanha

(33)

geração 00 - A nova fotografia Brasileira - sEsC

Belenzinho – são Paulo - Brasil

Sharjah Biennial 10 – sharjah – Emirados Árabes

a casa como convêm – schunck Museum - Herleen

- Holanda

Bienal de cerveira – Cerveira – Portugal

ano Novo - Galeria silvia Cintra - Rio de Janeiro

- RJ - Brasil

Que sais-je? Vera Cortês, Art Agency – Lisboa –

Portugal

ficções – Galeria Lunara – Porto Alegre - Brasil

29ª Bienal de São paulo: Há sempre um copo de

mar para um homem navegar [itinerâncias] Palácio

das Artes – Belo Horizonte – Brasil.

Horizonte Vazado: artistas iberoamericanos en el

filo. Espaço Cultural Instituto Cervantes. são Paulo,

sP, Brasil.

29ª Bienal de São paulo: Há sempre um copo de

mar para um homem navegar [itinerâncias] MAM

RJ – Rio de Janeiro - Brasil.

2010

En Obras - Arte y arquitectura en la Coleção

teix-eira de Freitas - tenerife Espacio de las Artes [tEA]

– Ilhas Canárias

29ª Bienal de São paulo: Há sempre um copo de

mar para um homem navegar – Parque do

Ibi-rapuera – são Paulo – Brasil

primeira e Última – Galeria Luiza strina - são

Paulo – Brasil

cidades imaginadas – Museu de Arte

Contem-porânea de são Paulo [MAC sP] – Brasil

2009

7a Bienal de artes Visuais do MERcOSUL - Porto

Alegre - Brasil

Rosa dos Ventos - Galeria Fayga Ostrower -

Fun-arte - Brasília - Brasil

2008

festival de inverno de garanhuns [Retrato do

in-verno anterior] – Garanhuns – Brasil

Spa das artes - Recife - Brasil

2006

Spa das artes - Recife - Brasil

prêmios/ prizes - Bolsas/ grants - residências/

residencies

2012

Special prize winner of the future generation art

prize 2012 - ucrânia

2011

Train - Gasworks International Residency

Pro-gramme – Londres – Inglaterra

Bolsa iberê camargo 2010 – the Bronx Museum of

Art – Nova Iorque – EuA

Townhouse gallery – Cairo – Egito

prêmio cNi/SESi Marcantonio Vilaça para artes

plásticas - Brasil

2009

47o Salão de artes plásticas de pernambuco -

Brasil

programa de pesquisa em artes Visuais –

FuN-ARtE - Rio de Janeiro - Brasil

prêmio de produção de Videoarte da fundaj –

Re-cife – Brasil

coleções públicas / public collections

Tate Modern – Londres – Inglaterra

centro cultural Banco do Nordeste – Fortaleza –

Ceará

Museu de arte Moderna do Rio de Janeiro (MaM

RJ) – Rio de Janeiro – Brasil

Museu de arte contemporânea de São paulo (Mac)

– são Paulo – Brasil

pinacoteca do Estado de São paulo - são Paulo –

Brasil

centro cultural São paulo - são Paulo – Brasil

coleções privadas abertas ao público / private

collections open to the public

fundacion Louis Vuitton – Paris – França

(34)
(35)

VERMELHO

WWW.GALERIAVERMELHO.COM.BR INFO@GALERIAVERMELHO.COM.BR

CHIARA BANFI

(36)

Gravações Perdidas dá continuidade as pesquisas desenvolvidas por Chiara Banfi acerca de instrumentos musicais e de sons. A relação de Banfi com o som, que permeia seus trabalhos na forma de colagens, desenhos performances e pinturas, revela a intimidade da artista com a substância viva das coisas, fato que, para ela, está sempre associado à música.

Na individual “Gravações Perdidas”, Banfi apresenta sete novos trabalhos de sua mais nova série intitulada “silêncio”. Nela, Banfi aplicou sobre placas de alumínio de 160 x 126 cms cada, fitas magnéticas analógicas usada na gravação de vinis antigos. O observador poderá visualizar campos horizontais deixados pela transferência do som sobre as fitas magnéticas, criando uma escrita sonora feita de sulcos e de intervalos que correspondem a pausas entre as músicas.

O políptico “Edições em uma gravação perdida” [2013] pode ser considerado um desdobramento da série “silêncio”, já que emprega a mesma técnica da anterior, incluindo, entretanto, uma variedade maior de formas e cores. Nesse universo

ligado à musica, “O magnífico mundo novo da música” da série “discos Vazios” [2013], materializa a finalização de um processo em extinção nos dias hoje. um conjunto com 36 discos de vinil, ou LPs, são apresentados ao lado dos envelopes que os protegem, em molduras de madeira, sugere a finalização de um ritual anacrônico nos nossos dias de MP3, que envolvia uma relação diferenciada entre o corpo [audição] e o som. Chiara Banfi / seleção de exposições individuais: No No Yes Please, Galeria silvia Cintra + Box4, Rio de Janeiro, Brasil [2013]; sunburst, Galeria Vermelho, são Paulo, Brasil [2012]; Place to Be, GaleryRio, Nantes, França [2010]. seleção de exposições coletivas: Prospect 1, Museum of Contemporary Art san diego, san diego, EuA; Além da Biblioteca, Itochu Aoyama Art square, tóquio, Japão [2013]; 32º Panorama da arte Brasileira, Museu de Arte Moderna [MAM sP], são Paulo, Brasil [2011]; Blooming Brasil-Japão: O seu lugar, toyota Municipal Museum of Art, Província de Aichi, Japão [2008].

(37)

Gravações Perdidas [Lost Recordings] lends continuity to the researches carried out by Chiara Banfi in regard to musical instruments and sounds, one of the interests which have pervaded her work from the outset of her career, in the form of collages, drawings, performances and paintings. It reveals the artist’s intimacy with the living substance of things, which for her is always associated to music.

In the solo show Gravações Perdidas, Banfi presents seven new works of her most recent series entitled silêncio [silence]. Here, Banfi took analog magnetic tapes used in the recording of old vinyl records and placed them on sheets of aluminum measuring 160 by 126 cm each. In this way, the observer can visualize horizontal fields left by the transfer of the sound to the magnetic tapes, creating a writing of sound made up of the grooves and intervals that correspond to the pauses between songs.

the polyptych Edições em uma gravação perdida [Editings in A Lost Recording], can be considered an unfolding of the silêncio series insofar as it uses the same technique, while including a wider variety of shapes and colors. In this universe linked to music, O magnífico mundo novo da música [the Magnificent New World of Music], of the discos Vazios [Empty Records] (2013) series, materializes the finalizing of a currently obsolete process. A set of 36 vinyl records, also known as LPs, are presented

alongside their album covers, in wooden frames, thus suggesting the completion of an anachronistic ritual in our days of MP3, which involved a different relation between the body (hearing) and sound.

Chiara Banfi / selection of solo shows: No No Yes Please, Galeria silvia Cintra + Box4, Rio de Janeiro, Brazil [2013]; sunburst, Galeria Vermelho, são Paulo, Brazil [2012]; Place to Be, GaleryRio, Nantes, France [2010]. selection of solo shows: Prospect 1, Museum of Contemporary Art san diego, san diego, usA; Além da Biblioteca, Itochu Aoyama Art square, tokio, Japan [2013]; 32º Panorama da arte Brasileira, Museu de Arte Moderna [MAM sP], são Paulo, Brazil [2011]; Blooming Brasil-Japão: O seu lugar, toyota Municipal Museum of Art, Aichi, Japan [2008].

(38)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

[A dIrEItA/ On tHE rIGHt] EdIçÃO dE FItA 3 - dA SérIE GrAvAçÃO pErdIdA

2013

FItA MAGNÉtICA sOBRE ALuMINIO MAGNEtIC tAPE ON ALuMINuM

(39)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

FEndEr prEcISIOn BLAck SOuLAGES - BAck/ FEndEr prEcISIOn BLAck SOuLAGES - FrOnt

2013

COMPENsAdO E MdF COM PPINtuRA INstRuMENtAL PLYWOOd ANd MdF WItH INstRuMENtAL PAItING

(40)
(41)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

O MAGnÍFIcO nOvO MundO dA MúSIcA (GrupO J)

2013

MAdEIRA CAIXEtA, PAPEL E VINIL CAIXEtA WOOd, PAPER ANd VINYL

(42)
(43)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

BLAnk (GrupO H) - dA SérIE dIScOS vAzIOS

2013

MAdEIRA CAIXEtA, PAPEL E VINIL CAIXEtA WOOd, PAPER ANd VINYL

(44)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

AtcO (GrupO F) - dA SérIE dIScOS vAzIOS

2013

MAdEIRA CAIXEtA, PAPEL E VINIL CAIXEtA WOOd, PAPER ANd VINYL

(45)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

StrAnGE FruIt - dA SérIE SILêncIO

2013

FItA MAGNÉtICA sOBRE ALuMINIO MAGNEtIC tAPE ON ALuMINuM

(46)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

SuGArMAn / GOOd rOckIn’ tOnIGHt - dA SérIE SILêncIO

2013

FItA MAGNÉtICA sOBRE ALuMINIO MAGNEtIC tAPE ON ALuMINuM

160 x 126 x 5 cm tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE I GIOrnI dELL’ArcOBALEnO /

LOcO pOr tu cuLpA - dA SérIE SILêncIO

2013

FItA MAGNÉtICA sOBRE ALuMINIO MAGNEtIC tAPE ON ALuMINuM

160 x 126 x 5 cm

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

GLAd tO BE GAy / é prOIBIdO prOIBIr - dA SérIE SILêncIO

2013

FItA MAGNÉtICA sOBRE ALuMINIO MAGNEtIC tAPE ON ALuMINuM

160 x 126 x 5 cm

da esquerda para a direita From left to right

(47)

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

SuGArMAn / GOOd rOckIn’ tOnIGHt - dA SérIE SILêncIO

2013

FItA MAGNÉtICA sOBRE ALuMINIO MAGNEtIC tAPE ON ALuMINuM

160 x 126 x 5 cm

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

I GIOrnI dELL’ArcOBALEnO / LOcO pOr tu cuLpA - dA SérIE SILêncIO

2013

FItA MAGNÉtICA sOBRE ALuMINIO MAGNEtIC tAPE ON ALuMINuM

160 x 126 x 5 cm

tÍtuLO / tItLE ANO / YEAR dIMENsÕEs / dIMENsIONs tÉCNICA / tECHNIQuE

GLAd tO BE GAy / é prOIBIdO prOIBIr - dA SérIE SILêncIO

2013

FItA MAGNÉtICA sOBRE ALuMINIO MAGNEtIC tAPE ON ALuMINuM

160 x 126 x 5 cm

da esquerda para a direita From left to right

(48)

chiara Banfi

são Paulo, 1979

Vive e trabalha no Rio de Janeiro [Brasil] / Lives

and Works in Rio de Janeiro [Brazil]

Exposição individual/ Solo Exhibition

2013

- No No Yes Please – Galeria silvia Cintra + Box4 –

Rio de Janeiro – Brasil

2012

- sunburst – Galeria Vermelho – são Paulo - Brasil

2011

- O papel do jardim – Galeria silvia Cintra + Box4 –

Rio de Janeiro - Brasil

2010

- KOtO – Galeria Vermelho – são Paulo - Brasil

- Place to Be – GaleryRio – Nantes - França

2009

- LuGAR - Camara de Comércio de Bogotá - Bogotá

- Colômbia

2007

- Mirante – Galeria Lunara – Porto Alegre – Brasil

- Pausa – Galeria Vemelho – são Paulo – Brasil

2006

- Cruzamentos – Caminhos – dRCLAs - Cambridge

– EuA

- Cruzamentos – Encontros –Boston Arts Academy -

Boston – EuA

- sweet Melody – LABF15 – Lyon – França

2005

- Firehouse – de Vleeshal – Middelburg - Holanda

- Viga Mestra – Galeria Vermelho – são Paulo –

Brasil

2004

- Várias Marés – Espaço ECCO – Brasília – Brasil

- Open studios – Gasworks – Londres - Inglaterra

Exposições coletivas/group Exhibitions

2013

- Além da Biblioteca – Itochu Aoyama Art square –

tóquio – Japão

- Brasil Vívido – sotheby’s – Nova York – EuA

- Prospect 1 - Museum of Contemporary Art san

diego – san diego - EuA

- tomie Ohtake Correspondências – Instituto tomie

Ohtake – são Paulo – Brasil

2011

- Contra a Parede – Galeria Vermelho – são Paulo

– Brasil

- 32º Panorama da arte Brasileira – Museu de Arte

Moderna [MAM sP] – são Paulo – Brasil

- Convivendo com Arte [diálogos do moderno ao

contemporâneo] – torre santander – são Paulo -

Brasil

- Miradas sin Coordenadas - Galería 80m2 Arte &

debates – Lima - Peru

2010

- Paralela 2010- A contemplação do mundo- Liceu

de Artes e Ofício- são Paulo- Brasil

- Quem tem medo? – Galeria Vermelho – são Paulo

- Brasil

2009

- Artérias e Capilares – Galeria Vermelho – são

Paulo - Brasil

- pH Neutro - Galeria Vermelho - são Paulo - Brasil

2008

- Blooming Brasil-Japão – O seu lugar - toyota

Mu-nicipal Museum of Art - Província de Aichi – Japão

- Exposição de Verão - Galeria silvia Cintra-Box 4 –

Rio de Janeiro – Brasil

2007

- Futuro do Presente – Instituto Itaú Cultural – são

Paulo – Brasil

2006

- 10 anos + 1 – Os anos recentes da arte brasileira

– Instituto tomie Othake – são Paulo – Brasil

- Paralela – Prodan – são Paulo - Brasil

- urban spaces – dNA Galerie – Berlin – Alemanha

- Rumos Itaú Cultural 2005/2006 Artes Visuais –

Instituto Itaú Cultural – são Paulo – Brasil

- Rumos Itaú Cultural 2005/2006 Artes Visuais –

Paço Imperial – Rio de Janeiro – Brasil

- Rumos Itaú Cultural 2005/2006 Artes Visuais –

Casa das Onze janelas – Belém - Brasil

- Rumos Itaú Cultural 2005/2006 Artes Visuais –

dragão do Mar – Fortaleza - Brasil

2005

- Além da Imagem – Centro Cultural telemar – Rio

de Janeiro – Brasil

- Panorama – Museu de Arte de são Paulo [MAM

sP] – são Paulo – Brasil

- Verbo – Galeria Vermelho – são Paulo - Brasil

- J’en Rêve - Fondation Cartier – Paris – França

2004

- tudo Aquilo que Escapa - 46° salão

Pernambu-cano de Artes Plásticas – Espaço Cícero dias do

Museu do Estado – Recife – Brasil

- Prêmio Chamex de Arte Jovem – Instituto tomie

Ohtake – são Paulo – Brasil

- underground – Corpo de Baile - sesc Consolação

– são Paulo – Brasil

2003

- Yba – Young Brazilian Artists – Galeria André

Vi-ana – Porto – Portugal

- sem título – Chiara Banfi – (A Operação Ilegal/ O

Lugar do Homem) - Galeria Vermelho – são Paulo –

sP

- Figura 4 – Espaço Bananeiras - Rio de Janeiro –

Brasil

- Corpo de Baile- Galeria Vermelho – são Paulo –

Brasil

- Metacorpos - Corpo de Baile – Paço das Artes –

são Paulo – Brasil

- 35° Anual de Arte – FAAP – são Paulo – Brasil

2002

- 34° Anual de Arte – Fundação Armando Álvares

Penteado [FAAP] – são Paulo – Brasil

bolsas e residências/ grants and residencies

2008

- Mountain school of Arts - Los Angeles – EuA

prêmios/ awards

2004

- Art in Residency Programme at Gasworks Gallery

– 1° lugar Prêmio Chamex de Arte Jovem – Londres

- Inglaterra

2003

(49)

Paulo – Brasil

coleções públicas/ public collections

- Pinacoteca do Estado de são Paulo, são Paulo,

Brasil

- de Vleeshal – Middelburg – Holanda

- Harvard university – Cambridge – EuA

- Museum of Contemporary Art san diego – EuA

Coleções Privadas abertas ao Público / Private

Col-lections open to the Public

- Coleção Gilberto Chateaubriand – Museu de Arte

Moderna [MAM RJ] - Rio de Janeiro – Brasil

Imagem

Referências

temas relacionados :