• Nenhum resultado encontrado

EXEMPLOS DE APLICA Ç ÃO

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2019

Share "EXEMPLOS DE APLICA Ç ÃO"

Copied!
63
0
0

Texto

(1)

LINHAS DE PRODUTOS / CARACTER

LINHAS DE PRODUTOS / CARACTERÍSTICAS E APLICAÍSTICAS E APLICAÇÇÕESÕES

PRESTA

PRESTAÇÇÃO DE SERVIÇÃO DE SERVIÇOSOS ESPECIFICA

ESPECIFICAÇÇÃOÃO

EXEMPLOS DE APLICA

EXEMPLOS DE APLICAÇÃOÇÃO

1

1

4

4

5

5

6

6

TRANSFORMADORES A SECO TRANSFORMADORES A SECO

(2)

TRANSFORMADORES DE DISTRIBUI

TRANSFORMADORES DE DISTRIBUIÇÇÃOÃO

CARACTERÍSTICAS:

Potências: 15 a 300 kVA Alta tensão: 15 e 24,2 kV

Baixa tensão: 380/220 ou 220/127V Normas: conforme ABNT / IEC

APLICAÇÕES:

Distribuição de energia.

TRANSFORMADORES

(3)

TRANSFORMADORES AUTOPROTEGIDOS TRANSFORMADORES AUTOPROTEGIDOS

CARACTERÍSTICAS:

Potências: 45 a 150 kVA Alta tensão: 15 ou 24,2 kV

Baixa tensão: 380/220; 220/127V Normas: conforme ABNT / IEC

APLICAÇÕES:

Proteção do sistema de distribuição contra sobrecargas; Proteção de curto circuitos na rede secundária;

Proteção contra falhas internas no transformador.

TRANSFORMADORES

(4)

TRANSFORMADOR PEDESTAL TRANSFORMADOR PEDESTAL

CARACTERÍSTICAS:

Potências: 75 a 300 kVA Alta tensão: 15 e 24,2 kV

Baixa tensão: 380/220 ou 220/127V Normas: Conforme ANSI C 57.12.26/90

APLICAÇÕES:

Instalação em vias públicas Condomínios

Residências

TRANSFORMADORES

(5)

TRANSFORMADORES SUBTERRÂNEOS TRANSFORMADORES SUBTERRÂNEOS

CARACTERÍSTICAS:

Potências: 150 a 2.000 kVA Alta tensão: 15 ou 24,2 kV

Baixa tensão: 216,5/125; 220/127; 380/220; 400/231V

Normas: conforme NBR 9369/1986 ABNT

APLICAÇÕES:

Instalação em câmaras, em qualquer nível; Possibilidade de submersão de

qualquer natureza.

TRANSFORMADORES

(6)

TRANSFORMADORES INDUSTRIAIS TRANSFORMADORES INDUSTRIAIS

CARACTERÍSTICAS:

Potências: 500 a 3000 kVA

Alta tensão: 15; 24,2 ou 36,2 kV

Baixa tensão: 4160/2402; 440/254; 380/220; 220/127V ou conforme especificações do cliente.

Normas: conforme ABNT / IEC

APLICAÇÕES:

Subestações industriais.

TRANSFORMADORES

(7)

TRANSFORMADORES DE FOR TRANSFORMADORES DE FORÇÇAA

CARACTERÍSTICAS:

Potências: 5000 a 100.000 kVA (200t)

Alta tensão: 15; 24,2; 36,2; 72,5; 145, 230 e 550 kV Baixa tensão: 4.160; 6.900; 13.800; 24.200; 36.200V ou conforme especificações do cliente.

Normas: conforme ABNT / IEC

APLICAÇÕES:

Concessionárias de energia elétrica; Subestações de grande consumidores.

TRANSFORMADORES

(8)

TRANSFORMADORES A SECO TRANSFORMADORES A SECO

CARACTERÍSTICAS:

Potências: 500 a 3000 kVA Alta tensão: 15 e 24,2 kV

Baixa tensão: 440/254; 380/220; 220/127V Normas: conforme IEC 726/82 e

complemento pela norma ANSI / IEEE C57.12.01 (1979)

APLICAÇÕES:

Subestações industriais.

TRANSFORMADORES

(9)

Olhal de Suspensão

Olhal de Suspensão

Sa

Saíídas BTdas BT

Bobina AT

Bobina AT

Bobina BT

Bobina BT

Pontes de Comuta

Pontes de Comutaççãoão

Viga de Prensagem

Viga de Prensagem

Cal

Calçços de Cabeceiraos de Cabeceira

Coluna do N

Coluna do Núúcleocleo

Sa

Saíídas de Derivadas de Derivaççãoão

Base de Apoio

Base de Apoio

Rodas Bidirecionais

Rodas Bidirecionais

TRANSFORMADOR A SECO

(10)

Î

Î Faixa de Tensões

Alta Tensão: 15, 24,2 ou 36,2 kV com 3 ou 5 posições. Î

Î Potências Padronizadas

300 / 500 / 750/ 1.000 / 1.500 / 2.000 / 2.500 / 3.000 kVA CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS ELSTICAS ELÉÉTRICASTRICAS

Î Classes de Temperatura

Alta Tensão : Classe F - 155ºC Baixa Tensão: Classe F - 155ºC

TRANSFORMADOR A SECO

(11)

Î

Î NÚCLEO

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS CONSTRUTIVASSTICAS CONSTRUTIVAS

- Aço Silício de grãos orientados, cortado em 45º, prensado,

cintado e pintado com tintas de temperatura compatível;

TRANSFORMADOR A SECO

(12)

- Fios de cobre eletrolítico com isolação em fibra de vidro e

encapsulamento em resina epóxi;

- Chapas alumínio com isolação pré impregnada em resina epóxi.

Î

Î BOBINAS DE BAIXA TENSÃO

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS CONSTRUTIVASSTICAS CONSTRUTIVAS

TRANSFORMADOR A SECO

(13)

- Fios de cobre eletrolítico com isolação em fibra de vidro / falso

tecido ou Nomex®;

- Encapsulamento a vácuo em resina epóxi de última geração.

Î

Î

BOBINAS DE ALTA TENSÃO

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS CONSTRUTIVASSTICAS CONSTRUTIVAS

TRANSFORMADOR A SECO

(14)

Inserção no molde e Impregnação das Bobinas

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS DE PROCESSOSTICAS DE PROCESSO

TRANSFORMADOR A SECO

(15)

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS DE PROCESSOSTICAS DE PROCESSO

Inserção das Bobinas no Núcleo

TRANSFORMADOR A SECO

(16)

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS DE PROCESSOSTICAS DE PROCESSO

Montagem Barramentos BT

TRANSFORMADOR A SECO

(17)

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS DE PROCESSOSTICAS DE PROCESSO

Montagem Barramentos AT

TRANSFORMADOR A SECO

(18)

Î

Î COMUTAÇÃO DE TENSÃO SEM CARGA

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS CONSTRUTIVASSTICAS CONSTRUTIVAS

Î

Î SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO

- Canais axiais de refrigeração natural nas bobinas;

- Sistema de refrigeração de ar forçado (opcional);

- Provido de Painel de Conexões para

comutação das tensões;

TRANSFORMADOR A SECO

(19)

Î

Î

CAIXA DE PROTEÇÃO - IP 10 a 23

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS CONSTRUTIVASSTICAS CONSTRUTIVAS

-

Aplicação em ambientes internos

;

TRANSFORMADOR A SECO

(20)

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS CONSTRUTIVASSTICAS CONSTRUTIVAS

Î

Î

Graus de proteção indicados pelo 1o numeral característico

Grau de proteção (NBR 6146) Primeiro numeral

característico Descrição sucinta Corpos que não devem penetrar 0 Não protegido Sem proteção especial

1

Protegido contra objetos sólidos maiores de

50mm.

Uma grande superfície do corpo humano, como a mão (penetração não deliberada).

2

Protegido contra objetos sólidos maiores que

l2mm.

Os dedos ou objetos similares de comprimento não superior a 80mm.

3

Protegido contra objetos sólidos maiores de

2,5mm.

Ferramentas, fios, etc., de

diâmetro ou espessura superior a 2,5mm.

4

Protegido contra objetos sólidos maiores de

1,0mm.

Fios ou fitas de largura superior a 1,0mm.

5 Protegido contra a poeira.

Não totalmente vedada, não deve penetrar em quantidade prejudicial a operação.

TRANSFORMADOR A SECO

(21)

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS CONSTRUTIVASSTICAS CONSTRUTIVAS

Î

Î

Graus de proteção indicados pelo 2o numeral característico

Grau de proteção (NBR 6146) Primeiro numeral

característico Descrição sucinta Proteção dada. Descrição sucinta Sem proteção especial 0 Não protegido Nenhuma proteção especial

1 Protegido contra quedasverticais de água. As gotas d’água caindo na vertical nãodevem ter efeitos prejudiciais.

2

Protegido contra queda de gotas d’água para uma inclinação máxima

de 15°.

Queda de gotas de água vertical, quando o invólucro inclinado 15°.

3 Protegido contra águaaspergida. Água aspergida de um ângulo de 60° davertical.

4 projeções d’água.Protegido contra Água projetada de qualquer direção contrao invólucro.

5 Protegido contra jatosd’água. Água projetada de qualquer direção por umbico contra o invólucro.

TRANSFORMADOR A SECO

(22)

Î

Î

UNIDADE DE MONITORAÇÃO DE TEMPERATURA

CARACTER

CARACTERÍÍSTICAS CONSTRUTIVASSTICAS CONSTRUTIVAS

- Sensores de temperatura dentro das bobinas BT;

- Proteção contra sobrecargas e sobre elevações de temperatura;

Alarme: 130 a 140º C

Desligamento: 150ºC

Valores Típicos

TRANSFORMADOR A SECO

(23)

Î

Î Plantas Industriais Î

Î Plantas Químicas e Petroquímicas Î

Î Plataformas Off-shore Î

Î Prédios Comerciais Î

Î Hospitais

Î

Î Embarcações Marítimas Î

Î Shopping Centers Î

Î Unidades de Tratamentos de Água Î

Î Aeroportos

Î

Î Centros de Entretenimento

APLICAÇÕES TÍPICAS:

TRANSFORMADORES TRANSFORMADORES

A SECO A SECO

TRANSFORMADOR A SECO

(24)

VANTAGENS VANTAGENS

Î

Î

Praticamente isento de manutenção;

Î

Î

De menor volume e fácil instalação (junto ao centro de carga)

Î

Î

De difícil combustão, auto-extinguíveis e não explosivos;

Î

Î

Longa vida útil devido ao nível de descargas parciais < 20pC;

Î

Î

Resistente a umidade;

Î

Î

Alta resistência à sobrecargas e curto-circuitos;

Î

Î

Alta resistência à descargas atmosféricas;

Î

Î

Ecologicamente compatível.

TRANSFORMADOR A SECO

(25)

PRESTA

PRESTAÇÇÃO DE SERVIÇÃO DE SERVIÇOSOS

Î

Î

Conserto;

Î

Î

Reforma;

Î

Î

Repotenciação em transformadores de força.

Î

Î

Supervisão de montagem;

Î

Î

Comissionamento;

Î

Î

Start-up

SERVIÇOS DE CAMPO

TRANSFORMADORES

(26)

PARQUE FABRIL PARQUE FABRIL

TRANSFORMADORES

(27)

LINHA DISTRIBUI

LINHA DISTRIBUIÇÇÃOÃO

MONTAGEM PARTE ATI VA

VI STA GERAL LI NHA TRANSFORMADORES

DE DI STRI BUI ÇÃO

TRANSFORMADORES

(28)

LINHA INDUSTRIAL LINHA INDUSTRIAL

(MEIA FOR (MEIA FORÇÇA)A)

LI NHA SECO CABI NE DE I MPREGNAÇÃO

VI STA GERAL LI NHA TRANSFORMADORES

I NDUSTRI AI S

TRANSFORMADORES

(29)

LINHAFOR LINHAFORÇÇAA

MONTAGEM PARTE ATI VA

MONTAGEM NÚCLEO MONTAGEM

FI NAL

BOBI NAGEM

TRANSFORMADORES

(30)

RECUPERA

RECUPERAÇÇÃOÃO

PARTE ATI VA

TRANSFORMADOR RECUPERADO 20/ 26 MVA - 138 kV

PARTE ATI VA

TRANSFORMADORES

(31)

LABORAT

LABORATÓÓRIORIO DE ENSAIOS DE ENSAIOS

ÁREA DE TESTES

SALA DE COMANDO

TRANSFORMADORES

(32)

CALDEIRARIA CALDEIRARIA

CABI NES DE PI NTURA E GRANALHA

DE AÇO

VI STA GERAL

SOLDAGEM DO TANQUE

TRANSFORMADORES

(33)

POTÊNCIAS NORMALIZADAS POTÊNCIAS NORMALIZADAS

TENSÕES / COMUTA

TENSÕES / COMUTAÇÇÃO / FREQUÊNCIAÃO / FREQUÊNCIA

N

NÍÍVEL BVEL BÁÁSICO DE IMPULSO (NBI)SICO DE IMPULSO (NBI)

TIPOS CONSTRUTIVOS / L

TIPOS CONSTRUTIVOS / LÍÍQUIDO ISOLANTEQUIDO ISOLANTE

SISTEMAS DE PINTURAS SISTEMAS DE PINTURAS

ACESS

ACESSÓÓRIOSRIOS

DESLOCAMENTO ANGULAR DESLOCAMENTO ANGULAR

ESPECIFICA

ESPECIFICAÇÇÃOÃO

TRANSFORMADOR EXPLODIDO TRANSFORMADOR EXPLODIDO

(34)

TRANSFORMADOR TRANSFORMADOR

EXPLODIDO EXPLODIDO

TRANSFORMADORES

(35)

COMO ESPECIFICAR UM TRANSFORMADOR COMO ESPECIFICAR UM TRANSFORMADOR

Î

Î

CONSULTAR CONCESSIONÁRIA DE ENERGIA;

Î

Î

CONTRATAR CONSULTORES, INSTALADORES OU

EMPRESAS DE ENGENHARIA;

Î

Î

CONHECIMENTO DAS PRINCIPAIS NORMAS:

NBR 5440, 5356, 5380, 10295;

Î

Î

CONHECER AS CARACTERÍSTICAS DO

AMBIENTE DE INSTALAÇÃO.

Î

Î

CONSULTAR CATÁLAGO ELETRÔNICO WEG

TRANSFORMADORES

(36)

POTÊNCIAS NORMALIZADAS: (kVA) POTÊNCIAS NORMALIZADAS: (kVA)

Î

Î DISTRIBUIÇÃO:

Monofásicos: 3, 5, 10, 15, 25, 37.5, 50, 75 e 100 kVA. Trifásicos: 15, 30, 45, 75, 112.5, 150, 225, 300 kVA.

Î

Î FORÇA: (MVA)

5, 10, 20, 25, 30, ... 100 MVA. Î

Î MEIA FORÇA:

500, 750, 1.000, 1.500, 2.000, 2.500, 3.000 kVA.

TRANSFORMADORES

(37)

TENSÕES: (V, kV) TENSÕES: (V, kV)

Verificar junto a concessionária de energia qual é a tensão disponível no local de instalação.

Î

Î Tensões comuns de entrada:

15, 24.2, 36.2, 72.5, 145, 230 kV.

Î

Î Nível de tensão:

A concessionária deverá informar o nível de tensão para definição dos (Taps) a serem especificadas no transformador.

TRANSFORMADORES

(38)

Î

Î Tensões comuns de saída padronizadas:

Concessionárias: 220/127 V, 380/220V.

Instalações Fabris: 220/127, 380/220, 440/254, 2.300, 4.160 V... Distribuição de energia interna: 13.800, 24.200 V, ...

Exemplo:

Para uma rede de 15 kV com uma tensão medida pela concessionária de 11,4 kV, deve ser especificada a seguinte variação padronizada:

7 Taps - 13,8/ 13,2/ 12,6/ 12,0/ 11,4/ 10,8/ 10,2 kV ou, 5 Taps - 13,8/ 13,2/ 12,6/ 12,0/ 11,4

TENSÕES: (V, kV) TENSÕES: (V, kV)

TRANSFORMADORES

(39)

COMUTA

COMUTAÇÇÃOÃO

Î

Î PAINEL:

- Utilizado correntes elevadas, ou em religações. Î

Î SOB CARGA (CDC):

- Comutador 8, 17 e 33 posições. - Operação em carga e com tensão; - Automático, acompanhando as

flutuações da rede.

- Alto preço e aplicável normalmente a potências superiores a 5 MVA.

Î

Î VAZIO:

- Comutador 3, 5 e 7 posições;

- Acionado sem carga e sem tensão.

TRANSFORMADORES

(40)

FREQUÊNCIA (Hz) FREQUÊNCIA (Hz)

Î

Î A frequência nominal é definida pelo local de instalação, e

pode ser:

- 60 Hz;

- 50 Hz.

TRANSFORMADORES

(41)

DESLOCAMENTO ANGULAR DESLOCAMENTO ANGULAR

Definir o grupo de ligação de sua instalação, isto é, qual a defasagem angular existente entre a tensão do enrolamento primário e secundário.

No Brasil a ABNT padronizou 30 graus.

A ligação pode ser Dy1 ou Yd1.

Letra maiúscula : maior tensão Letra minúscula : menor tensão Letra “n” ou “N” : neutro

Número : indicação horária do ângulo

TRANSFORMADORES

(42)

DESLOCAMENTO ANGULAR DESLOCAMENTO ANGULAR

Exemplo: Transformador: Î

Î Primário 13,8kV em delta; Î

Î Secundário 380/220 V em estrela com neutro; Î

Î Deslocamento de 30 graus;

Maior tensão : 13,8 kV ÎÎ D

Menor tensão : 380/220 V ÎÎ y

Neutro : ÎÎ n

Deslocamento : 30° Adiantado ÎÎ 11

Logo o Grupo de ligação é : Dyn 11

TRANSFORMADORES

(43)

N

NÍVEL BÍVEL BÁÁSICO DE IMPULSO (NBI)SICO DE IMPULSO (NBI)

Níveis de isolamento para tensões máximas do equipamento iguais ou inferiores a 242 kV.

Nota: A escolha entre as tensões suportáveis nominais, ligadas a dada tensão máxima do equipamento, depende:

Î

Î Da severidade das condições de sobretensão esperadas no sistema; Î

Î Da importância da instalação.

Uma orientação para a escolha pode ser obtida na NBR 6939;

Os valores escolhidos devem ser claramente indicados na especificação

TRANSFORMADORES

(44)

Tensão m

Tensão mááxima do xima do equipamento

equipamento Tensão suportTensão suportde impulso atmosfde impulso atmosfáável nominal vel nominal ééricorico

Tensão suport

Tensão suportáável nominal vel nominal àà freq

freqüüência industrial, durante 1 min e ência industrial, durante 1 min e tensão induzida

tensão induzida kV (eficaz) kV (crista)Pleno kV (crista)Cortado kV (eficaz)

0,6 4

1,2 10

7,2 4060 4466 20

15,0 11095 105121 34

24,2 125150 138165 50

150 165

36,2 170 187 70

200 220

72,5 350 385 140

92,4 380450 418495 150185

450 495 185

145,0 550 605 230

650 715 275

750 825 325 242,0 850 935 360 950 1045 395

N

ÍVEL B

VEL B

Á

ÁSICO DE IMPULSO (NBI)

SICO DE IMPULSO (NBI)

TRANSFORMADORES

(45)

TIPOS CONSTRUTIVOS TIPOS CONSTRUTIVOS

Î

Î SELADO: Construído de forma hermética.

Î

Î CONSERVADOR: Possui tanque de expansão de líquido isolante. Neste caso o tanque não é hermético.

TRANSFORMADORES

(46)

Î

Î FLANGEADOS:

- Para conexão a um painel de MT ou BT

- Para cabos com saída inferior e tampa frontal.

- Para cabos e/ou barramento com tampa frontal e saída superior.

Nestes casos as saídas do primário e secundário estão geralmente nas laterais dos tanques.

TRANSFORMADORES

(47)

L

LÍÍQUIDO ISOLANTE:QUIDO ISOLANTE:

Î

Î ÓLEO MINERAL: Parafínico e Naftênico.

Î

Î ÓLEO SINTÉTICO: Silicone. Aplicação: Áreas de Risco

Î

Î ÓLEO MINERAL ADITIVADO: R-Temp Aplicação: Áreas de Risco

TRANSFORMADORES

(48)

SISTEMA DE PINTURA SISTEMA DE PINTURA

Dependendo do tipo de ambiente, temos:

Î

Î Ambientes Normais:

Fundo: EPÓXI POLIAMIDA

Acabamento: ESMALTE SINTÉTICO

Î

Î Cor: A cor de acabamento pode ser especificada pelo cliente. O padrão é cinza munsell N 6,5.

Î

Î Ambientes Corrosivos e/ou Salinos:

Fundo : EPÓXI POLIAMIDA

Intermediário : EPÓXI POLIAMIDA

Acabamento : POLIURETANO ALIFÁTICO. Radiadores : Podem ser galvanizados.

TRANSFORMADORES

(49)

ACESS

ACESSÓÓRIOSRIOS

Î

Î TABELA 18 - NBR 5358

ALGUNS ACESSÓRI OS PARA TRANSFORMADORES

TRANSFORMADORES

(50)

REL

RELÉÉ BUCHHOLZ (TRAFOSCÓBUCHHOLZ (TRAFOSCÓPIO)PIO)

Î

Î Finalidade: Proteger aparelhos elétricos que trabalhem imersos em líquido isolante.

Î

Î Proteção contra:

Ô Perdas de óleo;

Ô Descargas internas;

Ô Isolação defeituosa dos enrolamentos;

Î

Î Operação: Diante de algum dos defeitos citados, pode:

Ô Acionar alarme;

Ô Efetuar o desligamento;

Î

Î Instalação: Normalmente montado entre o tanque principal e o tanque de expansão dos transformadores.

TRANSFORMADORES

(51)

TERMÔMETRO DE

TERMÔMETRO DE ÓLEOÓLEO

Î

Î Finalidade: Detectar e informar a temperatura do líquido isolante no topo do óleo do transformador;

Î

Î Proteção contra:

Ô Anomalias durante o funcionamento do transformador.

Î

Î Operação: Possui até quatro ponteiros ( 3 contatos ):

Ô Primeiro contato:

Acionamento da VF, quando aplicável (65°C);

Ô Segundo contato: Alarme (75°C);

Ô Terceiro contato:

Desligamento (85°C).

TRANSFORMADORES

(52)

INDICADOR MAGN

INDICADOR MAGNÉÉTICO DE NTICO DE NÍÍVEL DE VEL DE ÓÓLEOLEO

Î

Î Finalidade: Indicar com perfeição o nível de líquidos tais como água, óleo, etc..

Î

Î Proteção contra:

Ô Perdas de óleo;

Î

Î Operação: Quando providos de contatos podem:

Ô Acionar alarme;

Î

Î Observações:

Ô Fabricados conforme norma ANSI;

Ô Carcaça em alumínio fundido;

Ô Indicação feita por ponteiro acoplado a um imã permanente, de grande sensibilidade;

Ô Bastante preciso.

TRANSFORMADORES

(53)

SECADOR DE AR COM S

SECADOR DE AR COM SÍÍLICALICA--GELGEL

Î

Î Observações:

Ô Sílica-gel seca (azulada);

Ô Sílica-gel umidificada (cor-de-rosa);

Ô Na tonalidade cor-de rosa deverá ser feita a secagem ou troca dos cristais.

Î

Î Finalidade: Desumidificador de ar do transformador com conservador de óleo

Î

Î Proteção contra:

Ô Contaminação do óleo;

Î

Î Operação: Com a alteração da pressão interna, o ar

externo passa através do copo de óleo que retém o pó. Os cristais de silica-gel retém a umidade, purificando o ar que adentra o conservador.

TRANSFORMADORES

(54)

IMAGEM T

IMAGEM TÉÉRMICARMICA

Î

Î Instalação:

Ô O conjunto é instalado na tampa do transformador, equalizando-se com a temperatura do topo do óleo;

Ô A resistência de aquecimento é alimentada por um TC, associado ao enrolamento secundário do transformador principal

Î

Î Finalidade: Medir a temperatura do enrolamento

do transformador.

Î

Î Operação: O sistema é composto de:

Ô Resitência de aquecimento;

Ô Sensor de temperatura simples ou duplo;

TRANSFORMADORES

(55)

V

VÁÁLVULA DE ALLVULA DE ALÍÍVIO DE PRESSÃOVIO DE PRESSÃO

Î

Î Finalidade: Proteção contra possível deformação ou ruptura do tanque, em casos de defeitos internos, com

aparecimento de pressão elevada.

Î

Î Operação: A atuação da válvula é:

Ô Sensível à pressões elevadas;

Ô Rápida (opera em menos de dois milésimos de segundo);

Ô Fecha-se automaticamente após a operação, impedindo a entrada de agentes externos.

TRANSFORMADORES

(56)

TUBO DE EXPLOSÃO TUBO DE EXPLOSÃO

TRANSFORMADORES

(57)

REL

RELÉÉ DE PRESSÃO SDE PRESSÃO SÚÚBITABITA

Î

Î Instalação:

Ô Instalado acima do nível máximo do líquido, no espaço com gás compreendido entre o líquido e a tampa do transformador;

Î

Î Finalidade: Proteção contra mudanças bruscas de pressão interna em transformadores

do tipo selado.

Î

Î Operação:

Ô Para aumentos de pressão de 0,4 atm/s, a operação dá-se com cerca de 3 ciclos;

Ô Para aumentos de pressão mais rápidos (1 atm/s), a operação dá-se com menos de um ciclo;

Ô Não opera devido a mudanças lentas de pressão ocasionadas pelo funcionamento normal do transformador.

TRANSFORMADORES

(58)

CAIXA DE LIGA

CAIXA DE LIGAÇÇÃOÃO

VENTILA

VENTILAÇÇÃO FORÃO FORÇÇADAADA

TRANSFORMADORES

(59)

REGISTRADOR DE IMPACTO REGISTRADOR DE IMPACTO

Î

Î Observações:

Ô Caso seja detectado qualquer tipo de anomalia, o responsável pelo recebimento deverá contatar o fabricante;

Ô Admitem-se valores de até 4G em qualquer um dos sentidos.

Î

Î Finalidade: Registro da aceleração da gravidade ocorrida durante o transporte do transformador, que podem vir a danificá-lo.

Î

Î Operação: A aceleração da gravidade ocorrida é registrada em três direções:

Ô Largura;

Ô Comprimento;

Ô Altura.

TRANSFORMADORES

(60)

Cliente: AHE I TI QUI RA 52,9 MVA - Classe 242 kV Cliente: CI A. MI NERADORA ZALDI VAR ( 2000)

40/ 53/ 67 MVA - Classe 242 KV

TRANSFORMADORES

(61)

Cliente: Cia. Força e Luz Cat. Leopoldina Termelétrica de Juiz de Fora

50 MVA - Classe 145 kV

Cliente: Camargo Corrêa S/A 140 MVA - Classe 242 kV

TRANSFORMADORES

(62)

Cliente:

DUKE ENERGY 200 MVA - 500 KV

TRANSFORMADORES

TRANSFORMADORES

PESOS:

(63)

TRANSFORMADORES

TRANSFORMADORES

COMPOSIÇÃO:

27,3 toneladas de cobre 82 toneladas de silício 39 toneladas de aço 8,9 toneladas de papelão 1 tonelada de tinta

DIMENSÕES: Largura: 5,9 m

Referências

Documentos relacionados

A Política Nacional do Sangue foi implementada e regulamentada no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), em um contexto de definições importantes no tocante à política de

Os dados utilizados na simulação do antes foram cedidos pela empresa, onde continham os tempos de ciclo das operações da linha antes da aplicação da melhoria, e os

Um item fácil de matemática para um candidato pode ser difícil para outro candidato, assim como uma questão de língua portuguesa pode ser fácil para um e um terror para

EOC: 2 (dois) atletas masculinos e 2 (dois) atletas femininas melhor classificados nas Provas de Seleção, cujo resultado será obtido através do somatório dos pontos; 1

PONTO INICIAL: SANTO ANTONIO(AVENIDA

No capítulo que aqui se encerra, levantei discussões que permitiram uma reflexão sobre as dinâmicas com as quais lida uma modelo. Desde o processo de

Leia o nome dos animais e escreva o habitat que ele utiliza para se abrigar...

Na elaboração das demonstrações financeiras individuais e consolidadas, a administração é responsável pela avaliação da capacidade da JHSF continuar