ESTÁGIO SUPERVISIONADO II

11 

Loading.... (view fulltext now)

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

CURSO DE DIREITO

FACULDADE DE DIREITO

“LAUDO DE CAMARGO”

NÚCLEO DE ENSINO PRÁTICO

– N.E.P. –

ESTÁGIO

SUPERVISIONADO – II –

6ª ETAPA

(2)

UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO

FACULDADE DE DIREITO “LAUDO DE CAMARGO”

ESTÁGIO SUPERVISIONADO II – 2º SEMESTRE DE 2016

INSTRUÇÕES

1) A disciplina Estágio Supervisionado proporcionará ao aluno o desenvolvimento das atividades de elaboração das peças jurídicas e o acompanhamento de audiências, propostas neste manual.

2) As peças práticas processuais e pareceres elaborados pelos alunos, serão acompanhados, supervisionados e orientados individualmente pelos professores específicos do núcleo, sempre presentes na sala 04B (grade horária afixada no quadro de avisos da sala 04B bem como no site do Direito: http://www.unaerp.br/direito), até 03 (três) dias antes da data de entrega do trabalho no NEP.

2.1) Esse prazo será contado a partir do dia do vencimento do prazo, incluindo este dia na contagem.

3) As dúvidas relativas à elaboração das peças deverão ser esclarecidas nas respectivas oficinas, nos seus horários de atendimento, na Sala 04B, até 03 (três)

dias antes da data de entrega do trabalho no NEP.

3.1) No último dia do prazo não haverá orientação ao aluno quanto a atividade exigida.

3.2) Esse prazo será contado a partir do dia do vencimento do prazo, incluindo este dia na contagem.

4) Em cada peça deverá constar obrigatoriamente: citação de, ao menos, uma ementa de um julgado.

5) Diante da nova sistemática exigida pelo concurso do exame da OAB e visando uma melhor adequação aos nossos candidatos, o aluno deverá apresentar sua peça prática profissional de forma MANUSCRITA, em formulário próprio do

(3)

indicando artigo de lei, súmulas dos Tribunais entre outros (material permitido no concurso) pertinente ao caso.

a) Como a peça será entregue de forma manuscrita, o aluno está

dispensado da transcrição de jurisprudências (em razão da proibição de acesso ao material no concurso).

6) A capa deverá ser, obrigatoriamente digitada e deverá constar: nome e código

do aluno, etapa, sala, número da peça estabelecida no manual e nome da disciplina cursada, que possibilitará a imediata identificação do autor do trabalho

prático. O não cumprimento das normas estabelecidas acarretará no não recebimento do referido trabalho.

7) As peças deverão ser entregues sempre em 02 vias, de igual teor, que serão protocoladas e encaminhadas para avaliação. Após 15 dias, as mesmas serão retiradas junto ao NEP, pelo representante de sala e devolvidas aos alunos.

8) Os trabalhos idênticos receberão nota zero.

9) Havendo cópia dos próprios alunos serão reprovados todos,

independentemente da assunção da culpa por um aluno ou grupo.

10) Cada uma das audiências deverá ser comprovada por atestado de comparecimento e relatório individual, que poderá ser digitado. Os mesmos serão entregues ao NEP, identificados e de uma só vez, grampeados com os originais e cópia para protocolo, com uma única capa constando: nome e código do aluno,

etapa, sala, número da peça estabelecida no manual e nome da disciplina cursada, o que possibilitará a imediata identificação do autor do trabalho prático.

O não cumprimento das normas estabelecidas acarretará no não recebimento do referido trabalho.

11) Durante as audiências nas várias instituições, os alunos deverão observar o uso de traje adequado ao ambiente forense.

12) O Núcleo de Ensino Prático não receberá peças, trabalhos e relatórios de audiências após o prazo de vencimento estipulado.

13) Caso o aluno não entregue alguma das peças ou receba nota igual a zero por deficiência ou cópia, será considerado atividade não cumprida e o aluno será, automaticamente, reprovado independentemente do cumprimento das demais atividades.

14) O prazo para pedido/revisão de notas das peças é de 05 (cinco) dias da data da disponibilização no site da Unaerp, no aluno Online/NEP.

(4)

15) A avaliação da disciplina Estágio Supervisionado II será feita através da atribuição de nota aos trabalhos e ao exame final. Será considerado aprovado na disciplina o aluno que obtiver nota final igual ou superior a cinco.

16) A nota final será a soma da média aritmética dos trabalhos com peso quatro, com a nota do exame final com peso seis.

Nota final = (média aritmética das peças) x 0,4 + (nota do exame) x 0,6

17) O Estágio Supervisionado II é disciplina curricular, portanto, provas, exame e outras avaliações estarão sujeitas a regulamentos e normas estabelecidas pela Universidade.

Observação: A imagem da Universidade, do aluno e do futuro jurista depende do

seu interesse, atenção e educação no cumprimento das atividades que lhes são confiadas. Deverá, portanto, o aluno observar os princípios éticos e tratar as autoridades e funcionários, com respeito e urbanidade.

(5)

6ª ETAPA - ESTÁGIO SUPERVISIONADO - II -

A-) ATIVIDADES DE OBSERVAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS SEGUINTES AUDIÊNCIAS

Trabalho nº 07 - Cíveis – 1 instrução, debates e julgamento Trabalho nº 08 - Criminais – 1 instrução e julgamento

Trabalho nº 09 -Juizado especial – 1 cível – 1 criminal

Trabalho nº 10 - Júri – 1 julgamento

Trabalho nº 11 - Trabalhista – 1 instrução e julgamento

As Audiências objetivarão o conhecimento e a familiarização com os ambientes dos órgãos visitados e a genérica noção acerca de sua finalidade e funcionamento.

Cada uma dessas audiências deverá ser comprovada por atestado de comparecimento e relatório individual de observação física e prática da atividade, que poderá ser digitado.

PRAZO MÁXIMO PARA PROTOCOLO: ATÉ 23/11/2016

Observação: todos os atestados das audiências poderão ser digitados e entregues

identificados e de uma só vez, grampeados com os originais e cópia para protocolo,

com uma única capa constando: nome e código do aluno, etapa, sala, número

do trabalho estabelecido no manual e nome da disciplina cursada, o que

possibilitará a imediata identificação do autor do trabalho prático. O não cumprimento das normas estabelecidas acarretará no não recebimento do referido trabalho.

(6)

A T E S T A D O

N° DA ATIVIDADE

Atesto que o (a) acadêmico (a)______________________________________ código _______________, etapa _____, sala _____- ____, do curso de Direito da Faculdade de Direito “Laudo de Camargo”, esteve presente no seguinte local:___________________________________________________________ _______________________________________________________________, cumprindo atividade da disciplina Estágio Supervisionado.

___________, ____ de ______________ de ____

_____________________________________

assinatura e carimbo

Assinatura e carimbo da Autoridade ou funcionário designado para o acompanhamento da visita / atividade de Est. Supervisionado.

(7)

RELATÓRIO DO(A) ALUNO(A): __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________

(8)

B-) ELABORAÇÃO DE PEÇAS PRÁTICAS

Elaboração de peças práticas (sob orientação dos professores do NEP) sobre os problemas previamente determinados, observada a respectiva forma técnica, as quais deverão ser entregues na secretaria do NEP.

A correta utilização da língua portuguesa, a estética da petição, a correta qualificação das partes, a lógica entre o fato e a fundamentação, os pedidos e a referência a supostos documentos juntados com a petição serão levados em consideração na correção.

Dados necessários para a elaboração das peças, sob o aspecto legal, que não estão nos casos hipotéticos, deverão ser informados com traço. Ex: (CPF ____________, RG ____________, Advogado ________________, etc), sendo vedada a identificação do aluno na petição, devendo a mesma ser feita em folha de rosto, inclusive com o código do aluno. Além da argumentação fática, apresente nas petições os fundamentos legais de direito material e direito processual aplicáveis ao caso, bem como ao menos uma citação doutrinária e uma citação jurisprudencial pertinentes.

Trabalho nº 12 - Relatório de análise de autos findos em matéria cível

O(a) aluno(a) deverá elaborar relatório sobre processo cível já encerrado, que tenha pelo menos julgamento de recurso pelo Tribunal de Justiça.

Poderá o aluno optar por fazer esse relatório de processo cível do acervo do NEP; para tanto, deverá comparecer no NEP e solicitar vistas de autos cíveis findos para a elaboração de relatório, que poderá ser entregue digitado.

OBSERVAÇÕES:

1) OS AUTOS FINDOS CÍVEIS DEVERÃO PERMANECER EM

CARGA COM OS ALUNOS POR APENAS 01 DIA;

2) A NÃO DEVOLUÇÃO DOS PROCESSOS NO NEP, CONFORME

ITEM ACIMA IMPLICARÁ NA REPROVA DO ALUNO MESMO TENDO SIDO PROTOCOLADO A ENTREGA DE SEU RELATÓRIO ATÉ O PRAZO MÁXIMO;

3) OS PROCESSOS PODERÃO SER RETIRADOS DURANTE

TODO O SEMESTRE ATÉ A DATA LIMITE PARA O PROTOCOLO DO MESMO.

(9)

Trabalho nº 13

Mario Fontes, ao se mudar para seu novo apartamento, recém-comprado, adquiriu, em 20/01/2016, diversos eletrodomésticos de última geração, dentre os quais uma televisão de LED com sessenta polegadas, acesso à Internet e outras facilidades, pelo preço de R$ 6.000,00 (seis mil reais). Depois de funcionar perfeitamente por trinta dias, o televisor apresentou superaquecimento que levou à explosão da fonte de energia do equipamento, provocando danos irreparáveis a todos os aparelhos eletrônicos que nele estavam conectados. Malgrado a reclamação que lhes foi apresentada em 25 de fevereiro de 2016, tanto o fabricante (LAW-TV S.A.) quanto o comerciante de quem o produto foi adquirido (Lojas de Eletrodomésticos Sem-fim Ltda.) permaneceram inertes, deixando de oferecer qualquer solução até o presente momento.

Diante disso, Mario Fontes o (a) procurou como advogado (a) para tomar medida judicial na defesa de seus interesses.

QUESTÃO: Como advogado (a) de Mario Fontes tome a medida judicial

adequada para a defesa de seus interesses, observando que este quer que o advogado (a) se valha de todos os recursos necessários para sua defesa, inclusive eventual Recurso Especial se necessário.

PRAZO MÁXIMO PARA PROTOCOLO: ATÉ 05/09/2016 Trabalho nº 14

Luiz de Saulo, que não tinha lugar para morar com a família, ocupou determinada área urbana de 500 metros quadrados. Como ignorava a titularidade do imóvel, o qual se encontrava sem demarcação e aparentemente abandonado, nele construiu uma casa de alvenaria, com três quartos, furou um poço, plantou grama, e, como não possuía outro imóvel, fixou residência com a mulher e os cinco filhos, por cerca de dois anos, sem ser molestado. Jorge Aparecido, proprietário do imóvel, ao tomar conhecimento da ocupação, ajuizou ação de reintegração de posse em face de Luiz de Saulo. Citado dessa ação, Luiz de Saulo o (a) procurou para defesa de seus interesses.

QUESTÃO: Como advogado (a) de Luiz de Saulo tome a medida

processualmente mais adequada para defesa de seus interesses.

(10)

Trabalho nº 15

Luciano Amaral ajuizou ação indenizatória por danos materiais e morais contra MAW-TV S.A. e Lojas Compratudo Ltda., perante a 5ª Vara Cível da Comarca de Ribeirão Preto.

Na petição inicial, precisamente na causa de pedir (remota), narrou Luciano Amaral, em suma, que ao se mudar para seu novo apartamento, adquiriu, em 20/01/2016, diversos eletrodomésticos de última geração, dentre os quais uma televisão de LED com sessenta polegadas, acesso à Internet e outras facilidades, pelo preço de R$ 6.000,00 (seis mil reais). Depois de funcionar perfeitamente por trinta dias, o televisor apresentou superaquecimento que levou à explosão da fonte de energia do equipamento, provocando danos irreparáveis a todos os aparelhos eletrônicos que nele estavam conectados. Malgrado a reclamação que lhes foi apresentada em 25 de fevereiro de 2016, tanto o fabricante (MAW-TV S.A.) quanto o comerciante de quem o produto foi adquirido (Lojas Compratudo Ltda.) permaneceram inertes, deixando de oferecer qualquer solução.

Diante disso, requereu: (a) a substituição do televisor por outro do mesmo modelo ou superior, em perfeito estado; (b) indenização de aproximadamente trinta e cinco mil reais, correspondente ao valor dos demais aparelhos danificados; e (c) indenização por danos morais, em virtude de a situação não ter sido solucionada em tempo razoável, motivo pelo qual a família ficou, durante algum tempo, sem usar o televisor.

Citados, os réus apresentaram contestação.

O réu Compratudo Ltda., arguiu preliminar de ilegitimidade passiva, com fundamento nos artigos 12 e 13 do Código de Defesa do Consumidor; já o fabricante sustentou decadência do direito do autor, com fundamento no artigo 26, inciso II, do CDC, considerando que decorreram mais de noventa dias entre a data do surgimento do defeito e a do ajuizamento da ação. No mérito, ambos sustentaram que o problema no televisor surgiu de mau uso do aparelho pelo autor, a configurar culpa exclusiva sua, a excluir o nexo causal (art. 12, parágrafo 3º, inciso III, CDC).

Diante das contestações apresentadas, o juiz deu vista dos autos do processo ao advogado (a) do autor, para manifestação.

QUESTÃO: Na qualidade de advogado(a) do autor da ação, indique o meio

processual adequado à tutela do seu direito nessa fase processual, elaborando a peça processual cabível no caso, indicando os seus requisitos e fundamentos nos termos da legislação vigente.

(11)

Trabalho nº 16

Juca Pato, taxista, ajuizou ação de reparação de danos contra Valtino Arantes, distribuída à 4º Vara Cível da Comarca de Ribeirão Preto (processo n. 0000111.02.2016). Na petição inicial, o autor colocou como causa de pedir que o réu, agindo com culpa na modalidade de imprudência, deu causa a um acidente de trânsito, havido em 16 de janeiro de 2016, na avenida das Acácias, altura do número 2000, por volta de 10h; está narrado na inicial que na ocasião o réu, embriagado, dirigia um automóvel Wolkswagem-Fusca e por isso ingressou no leito na avenida, vindo de uma rua (rua das Magnólias), a dar causa ao acidente, porque interceptou a trajetória de seu veículo (Honda-Civic). Com isso, relata o autor na inicial, teve danos no seu veículo e ainda deixou de trabalhar por cerca de quinze dias no seu ofício de taxista, enquanto seu automóvel passava pelos reparos necessários. Por isso Juca formulou pedido de condenação de Valtino, para que este lhe ressarça os prejuízos que experimentou, na quantia de R$ 30.000,00 pelos danos no veículo e R$ 10.000,00 pelos dias perdidos, tudo com fundamento nos artigos 186, 927, caput, e 950, todos do Código Civil.

Citado pelo correio, Valtino Arantes o (a) procurou como advogado (a), para defesa de seus interesses. Para tanto, Valtino lhe relatou que em verdade o acidente não se deu da forma como afirmou o autor, pois não dirigia embriagado (apresentou laudo de alcoolemia a respeito, que afasta essa hipótese) e nem ingressou na avenida como ele refere; assegurou Valtino que seguia pela direita da avenida, em baixa velocidade porque, como entregador, levava produtos frágeis no seu veículo, quando foi atingido pelo automóvel do réu, que, desgovernado, derivou à direita e o abalroou, porque ao desviar de um buraco na avenida perdeu o controle de seu veículo. Ainda relatou Valtino que em razão desse acidente perdeu seu veículo, porque os danos nele havidos implicou na sua perda total, além de perder contrato informal de entregador que lhe rendia a quantia mensal média de R$ 2.000,00, estando desde então, por isso, desempregado. Valtino, assim, quer se ressarcir desses prejuízos que sofreu, inclusive quer indenização por danos morais em razão dos constrangimentos que vem sofrendo pela perda do trabalho e abalo de seu relacionamento conjugal pela falta de renda.

QUESTÃO: Como advogado(a) de Valtino tome a medida processual adequada

para que ele possa, na ação contra ele ajuizada e dentro da mesma relação jurídico-processual, haver reparação dos danos que sofreu e a indenização por danos morais.

Imagem

temas relacionados :