• Nenhum resultado encontrado

Será que vai mudar algo?

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2022

Share "Será que vai mudar algo?"

Copied!
5
0
0

Texto

(1)

Desculpe o Transtorno

| PÁGINA 07

PREVIDÊNCIA SOCIAL MEI dá direito a salário-maternidade;

veja como solicitar

| PÁGINA 03

EDUCAÇÃO BÁSICA Governo lança Novo Ensino

Médio, com Escolas em Tempo Integral.

| PÁGINA 07

Será que vai mudar algo?

MANINHO 13 VAGUINHO 10

TAKA 55

LAURO MICHELS 43

CULTURA: Fortalecer o Fundo Muni- cipal de Cultura com estratégias de captação e financiamento de ações de produtores culturais locais; Fortalecer e apoiar projetos dos produtores cul- turais da cidade; Respeitar e cumprir as 19 Leis da Cultura existentes com destaque para a revisão e implantação do Plano Municipal de Cultura.

EDUCAÇÃO:Universalizar o atendimen- to de crianças de 4 e 5 anos, conforme Meta 01 do Plano Nacional de Educa- ção – PNE; Requalificar os espaços de atendimento das escolas (bibliotecas, quadras, ateliês, brinquedotecas, hor- tas, parques, áreas cobertas); Construir uma Rede de Proteção Social, com articulação de políticas intersetoriais.

SAÚDE: Reestruturar o Hospital Muni- cipal, com qualidade no atendimento;

Construir a UPA Piraporinha, a UBS Vila Paulina e concluir a obra parali- sada da UBS Campanário.

SEGURANÇA: Implantar plano de ação integrada da Prefeitura/GCM com a Polícia Civil e Militar para acabar a epidemia de roubos e reduzir a taxa de homicídio para um digito.

www.maninho13.com.br SAÚDE: Garantir a Humanização da

Saúde. Consolidar uma rede de aten- ção básica que cuide dos cidadãos de forma humanizada, qualificada e com resolutividade, garantindo que 100%

das unidades de saúde e hospitais, possuam um padrão de excelência.

SEGURANÇA: Integração da Inteligên- cia dos Órgãos de Segurança. Implan- tar um programa, por meio do qual toda a ação de inteligência, tecnologia da informação e comunicação estarão a serviço da população por meio de ações integradas, planejadas, mensu- radas e analisadas, com os diversos órgãos de segurança pública do País.

EDUCAÇÃO: Aumentar as Vagas em Creches. Ampliar o número de vagas para as crianças de 0 a 3 anos, através de creches conveniadas e dar anda- mento as obras paradas.

CULTURA: Reativar e Melhorar os Cen- tros Culturais, principalmente aqueles nas periferias ampliando a oferta de atividades. Apoiar a Realização do Car- naval, fomentando parcerias privadas para captação de recursos.

www.takayamauchi.com.br SAÚDE: Construção do novo Hospital

Municipal, a ser implantado ao lado do Hospital Piraporinha. Um projeto moderno, desenvolvido para atender com qualidade às reais necessidades da população de Diadema.

EDUCAÇÃO: Construção de quatro nú- cleos EDUCA (Educação, Cultura e Arte), que integrarão educação básica, para programas e ações culturais, quadras para práticas esportivas e lazer, cursos de formação e qualificação de jovens para o mercado de trabalho, serviços socioassistenciais, políticas de preven- ção à violência e promoção da cidadania.

SEGURANÇA: Implantação de quatro Bases Comunitárias de Segurança nas regiões Sul, Leste, Norte e Centro Oeste. Alocação de um GCM em cada escola . Intensificação do Projeto AS- CENDER que contempla a conclusão do processo de substituição da ilumi- nação pública por lâmpadas de LED.

EMPREGABILIDADE E GERAÇÃO DE RENDA: Aumento da oferta e criação de novos cursos profissionalizantes, levando em consideração a vocação da cidade na geração de mão de obra especializada.

www.lauro43.com.br

SAÚDE: Reabertura imediata do Hospi- tal Infantil 24h da Rua Itália, facilitando assim, o transporte público na região.

Transferir a Maternidade do Hospital Municipal para o Prédio do antigo Hospital São Lucas (Oriente Monte com Av. Alda).

EDUCAÇÃO: Aumentar as vagas de creches para crianças de 0 a 3 anos, com melhoria nos convênios com as ONG´s e escolas privadas, além de garantir a entrega das creches Sagra- do Coração e Irma Dulce II; Ampliar o tempo de permanência da criança nas creches das 7h às 17h.

SEGURANÇA: Em parceria com o Go- verno do Estado, ampliar a atuação do Conselho de Segurança - CONSEG em todos os bairros; Parceria com Estado - ampliar Efetivo e Polícias em folga atuando – Operação Delegada.

CULTURA: Reorganizar o carnaval da cidade retomando a referência regio- nal; Criar, em parceria com a área da saúde, utilizando praças e ginásios de esportes um programa de práticas cor- porais e de lazer para a promoção da saúde e melhoria da qualidade de vida.

www.vaguinho.com.br

(2)

28 de setembro a 10 de outubro de 2016 28 de setembro a 10 de outubro de 2016

DIADEMA NEWS DIADEMA NEWS

2 3

OPINIÃO

E D I TO R I A L

CANDIDATOS A PREFEITO SEM PROPOSTAS SÓLIDAS

Candidatos a prefeito da cidade, Lauro Michels (PV), Taka Yamauchi (PSD), Maninho (PT), Vaguinho (PRB) são objetos comum de ideias, projetos, e programas para Diadema em suas campanhas. Nada difere um dos outros, propostas sem profundidade, como se tivessem planejando administrar “sabe-se lá o que”. Analisando superficialmente podemos dizer que eles sabem, sim, se organizar com facilidade e talento, como ninguém, até mesmo como um bom adolescente, para se afrontarem nas redes sociais com afinco, parecem até pós-graduados na área.

Ás vezes parece que estão no mesmo partido, trabalhando juntos para chegar num só objetivo, Prefeitura Municipal de Diadema de tão vazias suas propostas. E quem chegar ajuda o outro. Um combinado!

Vamos ver algumas propostas. Na área de segurança, todos querem colocar câmeras nas ruas, que giram, que pular, que fazem tudo, menos combater a segurança. Isso é grosseiro, é chamar o eleitor, o cidadão de: ignorantes.

Na área de educação, querem dar uma (educação de qualidade), mas isso já vem tentando e prometendo há 35 anos, com outros partidos e outros prefeitos. Vamos senhores políticos, onde vocês têm medo de ir? O que tem medo de prometer? Cadê aquelas promessas acaloradas, com cunho de um verdadeiro político?

Aquelas que mexem com a imaginação do povo? Acabou?! Já fizeram políticos melhores, sem medo de prometer! Aí, nasceu esse político à moda paspalho, fraco, sem poder de persuadir, sem graça. Não há diferencial em nenhum deles. Acredite!

Na área de segurança, por exemplo, ninguém fala de políticas públicas para presidiários. De combate ao crime organizado. No enfrentamento hostil a criminalidade? Colocar câmeras nas ruas!?

Conversa fiada! E isso não dá em nada, todos nós já sabemos!

Câmeras não inibem, nem protege.

Outro ponto: A cultura sempre foi miserável quando se fala em investimento. Ela é para poucos, e sempre será! A pasta que mais poderia mudar a historia de um povo, sempre é menosprezada por falta de verba. E isso é no país inteiro. Mas quem fecha a “torneira”

para educação, cultura e esporte estão cometendo um grande erro.

Quando se tem propostas fracas, é sinal que os candidatos são muito, mais muito fracos! O resto é pra grego ver!

CONTATO 11 4044-2391 jornaldiademanews@hotmail.com redacao@jornaldiademanews.com.br REDAÇÃO

Av. São José, 616 - Centro - Diadema

JURÍDICO Koppe Advocacia - 4308-5300

www.koppeadv.com.br COMPUTAÇÃO ..

GRÁFICA Anderson Dias TIRAGEM

10 mil exemplares DIRETOR GERAL

Elias Lubaque MTB: 47010

E X P E D I E N T E

JORNAL DIADEMA NEWS - CNPJ: 21.966.699/0001-19 Mande sua mensagem,

dúvida ou sugestão no

@JDiademaNews

* Eduardo Fagnani - É professor do Instituto de Economia da Unicamp, pesquisador do Centro de Estudos Sindicais e do Trabalho (CESIT) e coordenador da rede Plataforma Política Social.

A PREVIDÊNCIA SOCIAL NÃO TEM DÉFICIT

Desde 1989 nunca se cumpriu rigorosamente o que reza a Constituição, no que diz respeito ao financiamento da Seguridade Social, da qual a Previdência é parte. A parcela que cabe ao governo não é considerada, o que serve para alardear um falso déficit e justificar mais

‘reformas’ com corte de direitos

As conquistas do movimento social das décadas de 1970 e 1980 contrariaram os inte- resses dos detentores da riqueza. Em grande medida, isso se devia ao fato de que mais de 10% do gasto público federal em relação ao PIB passou a ser vinculado constitucionalmente à Seguridade Social.

Desde a Assembleia Nacional Constituinte até os dias atuais, esses setores desenvolvem ativa campanha difamatória e ideológica orien- tada para “demonizar” a Seguridade Social e, especialmente, o seu segmento da Previdência Social, cujo gasto equivale a 8% do PIB.

Nesta campanha prepondera o vale-tudo para recapturar esses recursos. Em flagrante confron- to com a Constituição da República, especialistas esforçam-se para “comprovar” a inviabilidade financeira da Previdência, para justificar nova etapa de retrocesso nesses direitos.

O objetivo deste artigo é assinalar que não existe déficit na Previdência, caso seja considera- do o que a Constituição da República Federativa do Brasil manda fazer e o modo como determina que sejam executados os procedimentos.

O modelo tripartite de financiamento da Seguridade

A Seguridade Social é ao mesmo tempo o mais importante mecanismo de proteção social do País e um poderoso instrumento do desen- volvimento. Além de transferências monetárias para a Previdência Social (Rural e Urbana), contempla a oferta de serviços universais proporcionados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), pelo Sistema Único de Assistência Social (SUAS), pelo Sistema Único de Segu- rança Alimentar e Nutricional (Susan) e pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), com

destaque para o programa seguro-desemprego.

Para financiar a Seguridade Social (artigo 194 da Constituição Federal), os constituintes de 1988 criaram o Orçamento da Seguridade Social (artigo 195), um conjunto de fontes próprias, exclusivas e dotadas de uma pluralidade de incidência.

As contribuições sociais pagas pelas empre- sas sobre a folha de salários, o faturamento e lucro, e as contribuições pagas pelos trabalha- dores sobre seus rendimentos do trabalho inte- gram esse rol exclusivo de fontes do Orçamento da Seguridade Social, com destaque para:

– Receitas da Contribuição previdenciária para o Regime Geral da Previdência Social (RGPS) pagas pelos empregados e pelas em- presas; – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido das Empresas (CSLL); – Contribuição Social Para o Financiamento da Seguridade So- cial, cobrada sobre o faturamento das empresas (Cofins); – Contribuição para o PIS/Pasep para financiar o Programa do Seguro-Desemprego e para financiar os programas de desenvolvi- mento do BNDES, igualmente cobrada sobre o faturamento das empresas; – Receitas das contribuições sobre concurso de prognósticos e as receitas próprias de todos os órgãos e entidades que participam desse Orçamento.

Destaque-se que a CSLL e a Cofins foram criadas pelos constituintes para financiar os benefícios típicos da Seguridade Social (Previ- dência Rural, Benefício de Prestação Continua- da e SUS, público, gratuito e universal). Essas contribuições estavam previstas no documento

“Esperança e mudança: uma proposta de gover- no para o Brasil” (PMDB, 1982).

Com o Orçamento da Seguridade Social, os constituintes estabeleceram o mecanismo de financiamento tripartite clássico (trabalhador, empresa e governo, através de impostos) dos regimes de WelfareState.

Estudos realizados pelo IPEA (2006) de- monstram que para um conjunto de 15 países da OCDE, em média, os gastos com a Seguridade representam 27,3% do PIB e são financiados por 38% da contribuição dos empregadores;

22% pela contribuição dos empregados; e 36% da contribuição do governo (por meio de impostos gerais pagos por toda a sociedade).

Em cinco países (Dinamarca, Irlanda, Luxem- burgo, Reino Unido e Suécia), a participação do governo é relativamente mais elevada.

No Brasil, a contribuição estatal que deve in- tegrar essas contas é muito pequena. Em 2012, de um total de R$ 317 bilhões utilizados para pagar benefícios previdenciários, as contribui- ções exclusivamente previdenciárias (empresas e trabalhadores) somaram R$ 279 bilhões (88% do total). A parcela estatal propriamente dita seria de apenas 12%, um montante muito inferior à terça parte (33%) que caberia numa conta tripartite.

Se nessa conta fossem consideradas as renúncias fiscais, outros R$ 22 bilhões com- poriam as receitas previdenciárias, cabendo ao Tesouro tão somente complementar 5% do total das despesas previdenciárias. Uma conta insignificante, de R$ 16 bilhões, 0,33% do PIB (ANFIP, 2013).

Portanto, os constituintes de 1988 seguiram a experiência internacional clássica e ratifica- ram o sistema tripartite introduzido por Getúlio Vargas na década de 1930 e seguido desde então, inclusive pela ditadura civil e militar.

Os reformadores de 1988 vincularam constitucionalmente recursos do Orçamento da Seguridade Social, para evitar uma prática corrente na Ditadura Militar: a captura, pela área econômica, de fontes de financiamento do gasto social.

Naquela época, em vez de a política eco- nômica financiar a política social, a política social financiava a política econômica. Aquela lógica invertida assim continuou (invertida) pelos governos democráticos a partir de 1990.

O QUE É PARLAMENTARISMO?

Sistema parlamentarista, sistema parla- mentar ou simplesmente parlamentarismo é um sistema de governo democrático, onde o poder executivo baseia a sua legitimidade democrática a partir do poder legislativo (representado pelo parlamento nacional);

os ramos executivos e legislativos são, portanto, interligados nesta forma de go- verno. Em um sistema parlamentarista, o chefe de Estado é normalmente uma pessoa diferente do chefe de governo, em contraste ao sistema presidencial, onde o chefe de Estado muitas vezes é também o chefe de governo e o poder executivo não deriva a sua legitimidade democrática da legislatura.

Os países com sistemas parlamentares

podem ser monarquias constitucionais, onde um monarca é o chefe de Estado, enquanto o chefe de governo é quase sempre um membro da legislatura (como no Reino Unido,Suécia e Japão), ou uma república parlamentarista, onde um, normalmente o presidente cerimonial, é o chefe de Estado, enquanto o chefe de governo é regularmente da legislatura (como na Irlanda, Alemanha,Índia e Itália).

Em algumas repúblicas parlamentares, como Botsuana, África do Sul e Suriname, bem como em estados alemães, o chefe de governo também é o chefe de Estado, mas é eleito pelo parlamento e é responsável perante o legislador

PREVIDÊNCIA

Valor é depositado pelo período de 120 dias pelo INSS desde que a segurada tenha ao menos 10 meses de contribuição

Da Redação ---

TREINAR, TREINAR E TREINAR... ESTAREMOS PREPARADOS PARA UM NOVO CICLO NA ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO COM A IMPLANTAÇÃO DO ESOCIAL, SAIBA QUE A CIOMED ESTÁ PREPARADA PARA VOCÊ E A SUA EMPRESA:

MEI dá direito a salário-maternidade; veja como solicitar

O

empreendedor que opta pela categoria Microempreende- dor Individual (MEI) tem direito, assim como a sua família, a cobertura pre- videnciária. No caso das mulheres, por exemplo, um dos benefícios concedidos é o salário-maternidade – tan- to para os casos de gravidez quanto para os de adoção.

O valor é depositado por um período de 120 dias pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) em favor daquelas microeempreende- doras que tiverem ao menos 10 meses de contribuição até o momento de nascimento ou adoção da criança.

De acordo com o órgão previdenciário, o benefício pode, inclusive, ser requeri- do e recebido após a chega- da da criança, desde que haja comprovação documental.

O Diadema News apu- rou com o INSS e mostra abaixo o que é necessário para requerer e retirar o salário-maternidade, além de pontos importantes a

serem observados sobre o benefício:

1 - COMO SOLICITAR O SALÁRIO

MATERNIDADE

Para algumas situações é possível fazer o pedido pela Internet e enviar os documentos necessários pelos Correios. Também dá para realizar o agen- damento do atendimento

pelo Portal da Previdência ou pela Central de Te- leatendimentos do INSS, ligando no número 135.

2 - DOCUMENTÁRIOS NECESSÁRIOS

Para ser atendido nas agências do INSS, o mi- croempreendedor deve levar um documento de identificação com foto e o número do CPF. Também

deve ser apresentadas as carteiras de trabalho, carnês e outros comprovantes de pagamento ao INSS.

No caso de nascimento ou aborto, é preciso apre- sentar a certidão de nas- cimento ou de natimorto, respectivamente. Em caso de adoção, o documento necessário é a nova certidão de nascimento expedida após a decisão judicial.

3 - VALOR DO BENEFÍCIO

Assim como outros bene- fícios do INSS, o valor pago ao contribuinte depende do período de contribuição e de quanto foi pago men- salmente nos últimos 15 meses. A partir desses fa- tores, o órgão faz o cálculo a ser pago. Por exemplo:

se a cidadã contribuinte individual contribuiu nos últimos 15 meses com base no valor do salário mínimo, o pagamento inicial dela vai ser de R$ 880.

4 - PAGAMENTO DO DAS-MEI

DEVE SER MANTIDO Enquanto recebe o salá- rio-maternidade, a segurada deve continuar pagando o DAS-MEI. No entanto, é um DAS-MEI diferente.

Nesses três meses de bene- fício, a microempreendedo- ra deverá emitir o documen- to informando que está em gozo do benefício e, assim, o documento de arrecada- ção será emitido apenas com os impostos devidos, sem a incidência da contri- buição previdenciária. Isso ocorre porque a contribui-

ção previdenciária será descontada diretamente do benefício previdenciário.

"Se o contribuinte usu- fruiu benefício previden- ciário (salário-maternidade, (...), na condição de con- tribuinte individual, em algum dos períodos de apu- ração selecionados para ge- ração do DAS, deverá clicar em “SIM” para a pergunta correspondente, indicando os meses em que recebeu o benefício", diz trecho do manual do MEI.

OUTROS BENEFÍCIOS Além do salário-materni- dade, exclusivo para MEIs mulheres, os empreende- dores da categoria podem pleitear auxílio-doença, aposentadoria por idade, pensão e auxilio reclusão.

O que é o MEI: significa microempreendedor indi- vidual. Para ser um MEI é necessário faturar hoje até R$ 60.000,00 por ano ou R$ 5.000,00 por mês, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular e ter no máximo um empregado contratado que receba o salário-mínimo ou o piso da categoria.

Eng° de Seg. do Trabalho:

LUIS SOUZA Diretor da CIOMED. Passou por grandes empresas tais como: Schahin Engenharia, TRISUL S.A, Pernambucanas, U.S RESTO- RATION na reconstrução da Cidade de News Orleans no Furacao Katrina, entre outras.

Os acidentes de trabalho têm sido um dos principais motivos de ações ingressadas na Justiça do Trabalho em virtude da não aplicação correta ou a inexistência de uma política de prevenção de acidentes. A capacitação dos colaboradores e a aplicação correta dos treinamentos por profissionais capacitados por meio de palestras e treinamentos evitam potenciais ações trabalhistas referentes aos acidentes de trabalho. Esse trabalho de prevenção é importante para evitar uma série de custos agregados que podem advir da sua ausência. A prevenção é menos custosa para a empresa que precisar arcar com custos materiais e morais desses acidentes, como também terá que realocar o colaborador em seu retorno as vezes em outras funções menos produtivas. A prática preventiva da Engenharia de Segurança do Trabalho é de grande importância, pois trata de uma obrigação legal do empregador zelar pelo bem estar: profissional, físico e psicológico, do colaborador.

Para os empregados, por sua vez, o correto treinamento capacita o colaborador que passa a realizar com exatidão e segurança o seu serviço aumentando a produtividade e mantendo sua integridade. Além disso, cursos, palestras e treinamentos desse tipo proporcionam ao empregado evolução profissional, social, educacional e até mesmo pessoal garantindo melhor rendimento no trabalho. Existem diversas palestras e treinamentos sobre segurança do trabalho. As mais comuns são aqueles que seguem as Normas Reguladoras do Ministério do Trabalho e Emprego, que versam sobre os critérios normativos de medicina e segurança do trabalho. Para citar algumas mais gerais e comuns, temos: Equipamentos de Proteção Individual – EPI; Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade; Atividades e Operações Insalubres;

Ergonomia; Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção;

Sinalização de Segurança, etc... Existem outras normas regulamentadoras que tratam de medicina e segurança do trabalho em áreas especificas. A CIOMED está preparada para

lhe atender com instalações modernas e profissionais capacitados com proficiência exemplar consulte-nos!

“A Proficiência é a demonstração de um conhecimento, competência e capacidade e que tem um total

conhecimento sobre determinado assunto, que executa tudo com muita proficuidade, habilidade e competência”

(3)
(4)

28 de setembro a 10 de outubro de 2016 28 de setembro a 10 de outubro de 2016

DIADEMA NEWS DIADEMA NEWS

6 7

Viagem Literária contempla Diadema

A Biblioteca Olíria de Campos Barros recebe no próximo dia 29 de setembro o programa “Viagem Literária”, com apresen- tação de histórias pela atriz Lilian Marchetti.

A atividade realizada gratuitamente em dois horários, às 10h e ás 14h, é uma pareceria com o Governo do Estado, que desde 2008 promove a ação com o obje- tivo de valorizar as bibliotecas públicas e estimular a leitura.

Dirigidos a leitores infantojuvenis e adultos, o programa este ano passará por 85 cidades do interior paulistas e quando concluídos os percursos cerca de 170 con- tações de histórias serão viabilizadas.

Em Diadema as histórias contadas têm como base os livros Dois Irmãos de Tatiana Belinky e Contos de Enganar a Morte, de Ricardo Azevedo. As obras falam de nar- rativas recolhidas do imaginário popular e os assuntos apresentados trazem consigo elementos da poesia, do sonho, castigos, recompensas e esperança. A morte, um dos temas tratados, aparece na contação com naturalidade, humor e astúcia.

A Biblioteca Olíria de Campos fica na parte superior do complexo Centro Cultural Diadema e está localizada na rua Graciosa, 300, Centro. Para assistir as apresentações os interessados devem chegar ao local com meia hora de antecedência.

No computador, tablet, ou celular um SITE mais dinâmico, com mais

informações. Um jornal feito pra você!

EDUCAÇÃO/CULTURA

ELEIÇÕES

Governo lança Novo Ensino

Médio, com Escolas em Tempo

Integral e nova proposta curricular

O

presiden-te da Re-p ú b l i c a , Michel Temer, e o ministro da Edu- cação, Mendonça Filho, anunciaram nesta quinta-feira, 22, o Novo Ensi- no Médio, a maior mudança na edu- cação nos últimos 20 anos, desde a Lei de Diretrizes e Base da Educação.

Com foco na apren- dizagem do aluno, na manutenção dos jovens na escola e na oferta de uma proposta curricu- lar que atenda não apenas às necessi- dades individuais

O Novo Ensino Médio é a maior mudança na educação nos últimos 20 anos. O Governo anunciou, também, que vai investir R$ 1,5 bilhão em políticas de escolas em tempo integral

Curso de Ciências Ambientais da Unifesp – (Campus Diadema) recebe o selo de Melhores Universidades

A avaliação, realizada pelo Guia do Estudante (Editora Abril), foi de quatro estrelas (muito bom)

O bacharelado em Ciências Ambien- tais do Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF) da Universidade Federal de São Paulo (Uni- fesp – Campus Diadema) recebeu, do Guia do Estudante (Editora Abril), o selo de Melhores Universidades. A avaliação foi de quatro estrelas (muito bom), levando em consideração os seguintes critérios: corpo docente, projeto pedagógico, infraestrutura física do campus, pós-graduação, bases de dados, publicações, entre outros.

Segundo a coordenadora, professora Elia-

na Rodrigues, o curso foi implementado a partir de 2010 com a principal justificativa de integralizar o conhecimento na área ambiental diante dos complexos cenários observados no entorno do campus (Represa Billings, áreas de mananciais, ocupações irregulares e áreas de preservação da Mata Atlântica em meio urbano). “Vislumbrou-se um panorama rico e promissor para estudos e pesquisa sobre impactos ambientais, po- luição atmosférica e qualidade das águas, afetando tanto os aspectos socioeconômicos, quanto os relacionados a saúde”.

A Comissão do curso é composta por seis áreas do conhecimento: Ciências Ambientais, Geociências, Bio-Ecológicas, Ciências Huma- nas, Química e, finalmente Física e Matemática.

Em maio desse ano, o curso também foi positivamente avaliado pelo Ministério da Educação (MEC): o bacharelado em Ciên- cias Ambientais recebeu nota 5 (conceito máximo) pela instituição. A visita in loco resultou nos conceitos 4.7 para a organiza- ção didático-pedagógica, 5.0 para o corpo docente e 4.7 para as instalações físicas, conferindo ao curso o Conceito Global 5.0.

38 anos, casado, pai, filho de japoneses alguém que acredita profundamente na capacidade transformadora da política.

Tem orgulho de fazer parte de um time do bem, que quer resgatar a dignidade de Diadema. “Sabemos que não será fácil, mas sou morador a 35 anos de Diadema e creio que minha formação como engenheiro, pós-graduado em gestão pública e toda a experiência acumulada como empresário na iniciativa privada e como presidente de uma ONG, podem contribuir muito neste processo. Estou disposto e com coragem para ser uma alternativa propositiva e ética, ao paço. O que vem ao encontro, do

clamor popular, que buscam governantes competentes, com credibilidade e acima de tudo sem vícios políticos. Sei que estou preparado para realizar as mudanças que os cidadãos querem e os governos anteriores não realizaram”, Taka Yamauchi.

UMA HABITAÇÃO QUE TRAGA DIGNIDADE

Combater o Déficit Habitacional. Captar recursos federais e estaduais para construir novos conjuntos habitacionais de interesse social para combater o déficit habitacional.

Coibir a venda irregular de unidades habi- tacionais viabilizadas pela Prefeitura. Assim

como, buscar parcerias com instituições sem fins lucrativos e clubes de serviço para ampliar a oferta de moradia às famílias de baixa renda; Integrar as Ações da Política Habitacional às ações estratégicas de desen- volvimento urbano, transporte e mobilidade saneamento e meio ambiente. Assim como, induzir investimentos privados em áreas especificas de interesse do município de forma a ordenar o crescimento e enfrentar os problemas urbanos; Combater o Déficit Habitacional. Captar recursos federais e estaduais para construir novos conjuntos habitacionais de interesse social para com- bater o déficit habitacional.

Vaguinho nasceu e cresceu em Diadema.

Entendeu muito jovem que podia fazer a di- ferença defendendo o interesse das pessoas que mais precisavam. Por isso, tornou-se conselheiro tutelar e, mais tarde, foi eleito por três vezes seguidas como vereador, desenvolvendo um trabalho de proposição de importantes leis para melhorar a vida das pessoas. Agora, Vaguinho está com Cida Ferreira, à companhia perfeita para trabalhar ainda mais. Eles estão unidos para fazer Diadema mudar de verdade.

PROPOSTAS: Garantir o cumprimento da adoção da cota de 5% do quadro de

estagiários da prefeitura para pessoas com necessidades especiais; Equipamento pú- blico acessível – com planos de acessibili- dades, rebaixamento de guias, vagas e com identificação adequada; Avaliar e implantar o atendimento a rede de educação com dis- ponibilidade de garantir duas professoras para atendimento adequado; Referência, integração e atendimento especializado as pessoas com necessidades especiais com a implantação de um Centro de Referência com serviços de triagem, diagnóstico, fi- sioterapia, neuro e ortopedista; Implantar 100% da rede de fibra ótica em todos os equipamentos públicos, seja em saúde,

educação e parques, nesses pontos serão abertos sinal Wi-fi para acesso ao público para que possam integrar o cadastro e eficiência do sistema de informatização, (estudo de voip); Buscar parcerias para implantar um centro comercial com Hotel e espaços para eventos; Retomar plano de revitalização do Centro de Diadema, com ampliação da cobertura de monitoramento, segurança, paisagismo, praças, limpeza etc;

Ampliar as ações de revitalização de cen- tros de bairros, com ampliação da cobertura de monitoramento, segurança, paisagismo, praças, além de organização e limpeza dos comércios ambulantes.

QUEM É LAURO MICHELS

QUEM É MANINHO

QUEM É TAKA YAMAUCHI

QUEM É VAGUINHO

Manoel Eduardo Marinho, mais co- nhecido como Maninho, nasceu em 13 de novembro de 1955 na cidade de Brejo da Madre de Deus, a 200 quilômetros da capital de Pernambuco. Filho de Severino Eduardo Marinho e Maria Tereza Marinho, Maninho é o terceiro filho de cinco irmãos.

Casado há 37 anos com Maria Lucia Leandro Marinho, é pai de Patrícia, Lean- dro, Letícia e Eduardo e avô de cinco me- ninas: Maria Eduarda, Samara, Manoela, Gabriela e Larissa.

Aos 61 anos, exerce seu quinto mandato – quatro dos quais comandou o Legislativo, à frente da presidência da Câmara – como

vereador na cidade de Diadema, pelo Par- tido dos Trabalhadores.

Bacharel em Direito, formado pela Fa- culdade Diadema – FAD, hoje se dedica exclusivamente ao mandato, embora esteja em seus planos futuros prestar o exame da Ordem dos Advogados do Bra- sil – OAB e atuar em prol de entidades sem fins lucrativos.

PROPOSTAS PARA

CRIANÇA E ADOLESCENTE:

Retomar e amplia o programa Adoles- cente Aprendiz; Ampliar o atendimento com a rede conveniada; Fortalecer o Con-

selho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente; Viabilizar os Planos Mu- nicipais de Acolhimento Institucional e Medidas Socioeducativas.

PROPOSTAS PARA

PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS:

Viabilizar parcerias para implantar o Centro de Convivência e Inclusão da Pessoa com Deficiência; Aprimorar o atendimento de readaptação e convivência da pessoa com deficiência para o trabalho, esporte, cultura e lazer; Ampliar a acessibi- lidade nos espaços públicos do município de acordo com a legislação vigente.

CONHEÇA UM POUCO MAIS O PERFIL E AS PROPOSTAS DOS PRINCIPAIS CANDIDADOS À PREFEITURA

DESCULPE

O TRANSTORNO

Um homem (Gregório Duvivier) tem dupla personalidade e incorpora as diferenças en- tre Rio de Janeiro e São Paulo: Uma hora ele é o certinho e tímido paulistano Eduardo; em outra, se transforma em Duca, um carioca fanfarrão e folgado. Ele se envolve em um grande confusão amorosa quando, apesar de estar em um relacionamento estável com a noiva (Dani Calabresa), seu alter-ego acaba se apaixonando por outra mulher (Clarice Falcão), que ele acaba de conhecer.

pontos do Novo En- sino Médio é a fle- xibilização do currí- culo. Serão ofertadas quatro áreas de estu- do – linguagens, ma- temática, ciências da natureza e ciências sociais e humanas. O modelo trará, ainda, a formação técnica e profissional dentro da carga horária do

A admissão dos alunos deverá ocor- rer por proximidade da escola pública de origem ou local de moradia. As escolas e regiões de vulne- rabilidade social ou com baixos índices sociodemográficos deverão ser priori- zadas no momento da seleção. O volu- dos estudantes, a

proposta também oferece oportuni- dades iguais aos principais países do mundo.

O Governo anun- ciou, também, que vai investir R$ 1,5 bilhão em políti- cas de escolas em tempo integral, para atender a 500 mil novos estudantes de ensino médio nesse regime até 2018.

“As crianças e os jovens do Brasil têm pressa. A educação precisa avançar”, afirmou o ministro Mendonça Filho, ao apresentar a propos- ta. Um dos principais

ensino regular.

“Hoje, cerca de 80% dos nossos jo- vens que terminam o ensino médio não entram na facul- dade e saem sem formação para o mundo do traba- lho. Precisamos dar oportunidade para esses jovens”, res- saltou o ministro.

me de escolas será de aproximadamen- te 5% da rede, com o mínimo de oito e máximo de 30 esco- las por Estado.

“Uma escola em tempo integral, até por sua carga ho- rária diferencia- da, tem custo de operação superior a uma escola regu- lar. Desta manei- ra, para incentivar este tipo de esco- la, e entendendo o momento fiscal dos estados, decidimos subsidiar a opera- ção de um volu- me de escolas, por estado”, ressaltou Mendonça Filho.

Nascido em uma família diademense, Lauro Michels, inspirado na coragem de seu pai Ademar Michels, aos 19 anos de- cidiu seguir por um caminho diferente do esperado para um jovem, e candidatou-se ao cargo de vereador para servir aos mo- radores de Diadema.

O amor pela cidade e a vontade de con- tribuir para o seu desenvolvimento, foram reconhecidos pela população que o elegeu, dando a ele mais que um voto de confiança, mas a oportunidade de colocar em prática sonhos e planos para uma Diadema melhor.

Com muita vontade de trabalhar, Lauro começou a escrever sua história na vida po- lítica de Diadema. Sua forte atuação como vereador garantiu a reeleição. Durante os

oito anos de mandato, foi autor de projetos que fazem a diferença para a população.

Foi dele a iniciativa de implantar o ga- binete itinerante, uma forma de estar mais próximo dos moradores da cidade e enten- der melhor as suas necessidades.

O Poupatempo Móvel foi outro serviço que teve as mãos de Lauro Michels. Após eleito ao cargo de prefeito, o projeto evo- luiu para a implantação de uma unidade fixa no município, inaugurada em 2014, que já registrou mais de 1 milhão de aten- dimentos até julho de 2016.

Entregou 1.004 unidades habitacionais.

Criou o Projeto Vida dedicado ao cuidado exclusivo das gestantes, desde a desco- berta da gravidez até o segundo ano de

vida da criança, que contabiliza 18 mil atendimentos. Implantou o Sistema de Ensino Sesi em todas as escolas munici- pais, padronizando a qualidade do ensino para 24 mil alunos.

TRANSPORTE E MOBILIDADE URBANA Criação da tarifa reduzida aos domin- gos e datas comemorativas; Implanta- ção da Central de Monitoramento de Trânsito, que facilitará as intervenções para uma maior fluidez do trânsito lo- cal; Aumento do número de Pontos de Integração Temporal, permitindo que o usuário faça a integração em qualquer parada de ônibus, onde cruzam linhas com o mesmo sentido de deslocamento.

(5)

Referências

Documentos relacionados

Saibam que caso as empresas apurem o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica – IRPJ, com base no lucro presumido ou arbitrado, a Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido - CSLL,

A lo largo del siglo XX, y especialmente después de la Segunda Guerra Mundial, se constata en las formaciones sociales capitalistas en general, aunque con variaciones

Ü Se um servidor, aposentado pelo regime geral de previdência social (RGPS), atualmente ocupar, exclusivamente, um cargo em comissão no estado do Paraná, nesse caso, a sua

2 – Cada viagem de ida tem como destino as instalações do CHVNG/E, contemplando quer a “Unidade I” (Monte da Virgem) quer a “Unidade II” (antigo

Do trabalhador e dos demais segurados da previdência social, não incidindo contribuição são aposentadoria e pensão concedidas pelo regime geral de previdência social.. a)

A idade gestacional (nível 1) e os seus termos quadrá- tico (p<0,001) e cúbico (p<0,001) associaram-se com a variável resposta, indicando que durante a gestação o ganho de

ser definida pelo estudante e orientador, após o término do período de estágio solicitado, que consta no Termo de Compromisso de Estágio. DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS PARA AGENDAMENTO

A previdência brasileira está composta por três regimes distintos: o Regime Geral de Previdência Social (RGPS), o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) e o Regime de