Resumo de Introdução ao Turismo

20  58  Download (0)

Full text

(1)

INTRODUÇÃO AO TURISMO

INTRODUÇÃO AO TURISMO

 As Origens: Mobilidade, Viagem e turismo

 As Origens: Mobilidade, Viagem e turismo

 Grand Tour, surge no séc. XVII-XVIII e foi os Grand Tour, surge no séc. XVII-XVIII e foi os inícios do turismo. Este fenómenoinícios do turismo. Este fenómeno

surge na europa, nomeadamente na Inglaterra; surge na europa, nomeadamente na Inglaterra;

 Era feito por classes sociais Era feito por classes sociais mais altas, como os Aristocratas, mais altas, como os Aristocratas, especialmente porespecialmente por

jovens com processos educativos

jovens com processos educativos elevados;elevados;

 Estes começam a viajar com o intuito de visEstes começam a viajar com o intuito de visitar as grandes cidades europeias e ositar as grandes cidades europeias e os

seus monumentos, como forma de reforçarem a sua educação; seus monumentos, como forma de reforçarem a sua educação;

 Este fenómeno servia também para os jovens Este fenómeno servia também para os jovens aprenderem outras línguas, obras eaprenderem outras línguas, obras e

para conviverem com as outras cortes, tendo

para conviverem com as outras cortes, tendo também a vertente da diversão;também a vertente da diversão;

 “Grand Tour”, porque era uma vi“Grand Tour”, porque era uma viagem grande que demorava muito tempo, ondeagem grande que demorava muito tempo, onde

esses jovens se alojavam em pequenas estalagens ou casas de familiares ou esses jovens se alojavam em pequenas estalagens ou casas de familiares ou amigos;

amigos;

 Esta expressão acabou poEsta expressão acabou por se consagrar por turismo, pois r se consagrar por turismo, pois as pessoas passam aas pessoas passam a

deslocar-se com a motivação de conhecer e ver e também por possuírem algum deslocar-se com a motivação de conhecer e ver e também por possuírem algum dinheiro;

dinheiro;

 Final do séc.XVIII e ínicio Final do séc.XVIII e ínicio do séc. XIX, dá-se a do séc. XIX, dá-se a revolução industrial, orevolução industrial, o

desenvolvimento tecno

desenvolvimento tecnológico e dos transportes, o lógico e dos transportes, o progresso da ciência e progresso da ciência e tambémtambém um desenvolvimento

um desenvolvimento económico;económico;

 Tudo isto leva a alterações no estilo de vida que suscitem cada vez mais Tudo isto leva a alterações no estilo de vida que suscitem cada vez mais o interesseo interesse

de viajar nas pessoas, através da literatura e dos registos de viagem, onde surge a de viajar nas pessoas, através da literatura e dos registos de viagem, onde surge a ex

expressão “turista”;pressão “turista”; 

 Com as guerras napoleónicas, o turismo que se Com as guerras napoleónicas, o turismo que se encontra em crescimento sofreencontra em crescimento sofre

uma queda e abranda durante esse tempo. Retomando a sua ascensão com o fim uma queda e abranda durante esse tempo. Retomando a sua ascensão com o fim das guerras.

das guerras.

Elitismo, selectividade e distinção

Elitismo, selectividade e distinção

A partir do séc. XIX, a

A partir do séc. XIX, a expressão turista e turismo já está desenvolvida, começando aexpressão turista e turismo já está desenvolvida, começando a existir:

existir:

 Ressurgimento das estâncias termais (experiências vividas em família);Ressurgimento das estâncias termais (experiências vividas em família); 

 DesenvolvimDesenvolvimento de estâncias balneares (Nice, ento de estâncias balneares (Nice, Hyéres) e de Hyéres) e de montanha (Alpes);montanha (Alpes); 

 Surgimento de grandes hotéis;Surgimento de grandes hotéis; 

 Surge a ideia de organizar viagens;Surge a ideia de organizar viagens; 

 Turismo geralmente elitista;Turismo geralmente elitista; 

 Oferta de viagens organizadas;Oferta de viagens organizadas; 

 Turismo deixa de ser tão elitista, começando a alargar-se a outras pessoas e classesTurismo deixa de ser tão elitista, começando a alargar-se a outras pessoas e classes

sociais, pois as viagens ficam mais

(2)

Crescente importância do lazer e do turismo

Crescente importância do lazer e do turismo

Início do séc. XX: Início do séc. XX:

 Reivindicações socias e laborais: direito ao lazer. As reivindicações e a conquistaReivindicações socias e laborais: direito ao lazer. As reivindicações e a conquista

das folgas, redução dos horários e férias

das folgas, redução dos horários e férias pagas, fazem crescer o turismo pagas, fazem crescer o turismo em grandeem grande escala até aos dias de

escala até aos dias de hoje;hoje;

 Reconhecimento da importância social e económica do turismo (Ex: Sociedade dasReconhecimento da importância social e económica do turismo (Ex: Sociedade das Nações, 1920): o turismo torna-se fonte de riqueza e desenvolvimento de países; Nações, 1920): o turismo torna-se fonte de riqueza e desenvolvimento de países;

 DesenvolvimDesenvolvimento dos ento dos transportes (Ex: automóvel, avião, transportes (Ex: automóvel, avião, comboio);comboio);

 II Guerra Mundial: estagnação do turismo.II Guerra Mundial: estagnação do turismo.

Turismo como fenómeno do pós-guerra

Turismo como fenómeno do pós-guerra

Com o fim da II Guerra Mundial, o turismo começa a crescer de uma forma Com o fim da II Guerra Mundial, o turismo começa a crescer de uma forma bastante rápida e progressiva. Em 1948 nasce o direito de repouso e lazer, limitação da bastante rápida e progressiva. Em 1948 nasce o direito de repouso e lazer, limitação da duração do trabalho e férias pagas, o que permitiu o crescimento do turismo.

duração do trabalho e férias pagas, o que permitiu o crescimento do turismo.

Boom Turístico: “Democratização” e

Boom Turístico: “Democratização” e “Massificação“Massificação”” 

 DesenvolvimDesenvolvimento da ento da indústria automóvel e da indústria automóvel e da aviação comercial;aviação comercial; 

 Políticas para o turismo;Políticas para o turismo; 

 Grandes empresas e Grandes empresas e redes comerciais;redes comerciais; 

 O produto Sol e Mar (3 S’s –O produto Sol e Mar (3 S’s – Sun, Sea and Sand);Sun, Sea and Sand); 

 Concentração turística.Concentração turística.

Quer do lado dos consumidores quer do lado da oferta houve grandes transformações. Quer do lado dos consumidores quer do lado da oferta houve grandes transformações. Antigamente quem era turista eram as pessoas que não trabalhavam, sendo que isso tenha Antigamente quem era turista eram as pessoas que não trabalhavam, sendo que isso tenha mudado ao longo dos tempos.

mudado ao longo dos tempos.

 Mais tempo livreMais tempo livre 

 Mais Mais poder poder de de compra compra Procura Procura conquistaconquista 

 Direito ao lazer, férias, diversãoDireito ao lazer, férias, diversão

 Novos hotéis e restaurantesNovos hotéis e restaurantes 

 Novas Novas formas formas de de organizar organizar viagens viagens Oferta Oferta conquistadaconquistada 

 Estado invente na área turística:Estado invente na área turística: 

 MelhoraMelhorar os rr os recursos à existênciaecursos à existência 

 Fazer publicidadeFazer publicidade 

 Preservação do espaçoPreservação do espaço 

(3)

Deve renovar-se

Deve renovar-se os os produtosprodutos

Século XX

Século XX

 Mais ofertas, mais instituições públicas interessadas na área turística, maisMais ofertas, mais instituições públicas interessadas na área turística, mais

consumidore

consumidores e s e preços reduzidos.preços reduzidos. Democratização

Democratização––Actividades acessíveis a um leque mais Actividades acessíveis a um leque mais diversificado de pessoas.diversificado de pessoas.

1.

1. MassificaçãoMassificação––Associado ao turismo balnear, caracteriza-se pela deslocação deAssociado ao turismo balnear, caracteriza-se pela deslocação de

pessoas para passar férias na

pessoas para passar férias na praia, sobrelotapraia, sobrelotando os ndo os lugarelugares com s com o excesso deo excesso de pessoas, vou todo o público de

pessoas, vou todo o público de dirige ao mesmo sítio, dirige ao mesmo sítio, havendo uma sobrecarga doshavendo uma sobrecarga dos recursos.

recursos.

Houve um crescente aumento económico, os filmes começaram a mostrar as estrelas Houve um crescente aumento económico, os filmes começaram a mostrar as estrelas de cinema com a pele bronzeada, o que faz com que surja a ideia de que o sol faz bem à de cinema com a pele bronzeada, o que faz com que surja a ideia de que o sol faz bem à pele e toda a gente quer ir para a praia para se poder bronzear. Tudo isto se torna no pele e toda a gente quer ir para a praia para se poder bronzear. Tudo isto se torna no símbolo de uma nova sociedade (anos

símbolo de uma nova sociedade (anos 60).60). Massificação = Turismo de

Massificação = Turismo de Massas= ConcentraçãoMassas= Concentração

 Num espaçoNum espaço 

 Utilização exaustiva dos Utilização exaustiva dos espaços/recuespaços/recursosrsos 

 Temporais (mesma zona, mesmo altura do ano)Temporais (mesma zona, mesmo altura do ano) 

 EmpresariaEmpresarial (reduzido nº l (reduzido nº de empresas a operar node empresas a operar no

sentido turístico; grandes cadeias) sentido turístico; grandes cadeias)

 Companhias aéreasCompanhias aéreas

 Anos 70:  Anos 70:

 19731973 –– “Crise ou choque do petróleo” –“Crise ou choque do petróleo” – Crise no Turismo InternacionalCrise no Turismo Internacional ––

Turismo Interno adquire mais

Turismo Interno adquire mais expressão e importância.expressão e importância.

 Pela 1ª vez surge a consciência ambientalPela 1ª vez surge a consciência ambiental –– impactos negativos da actividadeimpactos negativos da actividade

turística. turística.

Destino dos Produtos: Destino dos Produtos:

Ciclo dos destinos turísticos Ciclo dos destinos turísticos

 ExploraExplorado do pelos pelos pioneiros pioneiros aumento aumento de de mais mais pessoas pessoas crescimentocrescimento

alarmante alarmante

Entra-se num período de declínio, ou se revitaliza as ofertas aos consumidores ou o Entra-se num período de declínio, ou se revitaliza as ofertas aos consumidores ou o destino acaba por entrar em declínio.

(4)

Surgem então questões de ordenamento do território e diversos problemas: Surgem então questões de ordenamento do território e diversos problemas:

 Ambientais (exploraçãAmbientais (exploração intensiva o intensiva dos recursos e dos recursos e poluição);poluição);

 Aumento do stress;Aumento do stress;

 Sazonalidade (hotéisSazonalidade (hotéis ––em pique apenas numa altura do ano, restaurantes eem pique apenas numa altura do ano, restaurantes e

aeroportos); aeroportos);

 Preços mais elevados nas épocas de maior procura, o que exige uma maiorPreços mais elevados nas épocas de maior procura, o que exige uma maior qualidade dos serviços e dos locais e por sua vez recursos humanos mais qualidade dos serviços e dos locais e por sua vez recursos humanos mais qualificados;

qualificados;

 As comunidades de acolhimento, ou seja, as As comunidades de acolhimento, ou seja, as pessoas que vivem num determinadopessoas que vivem num determinado local e se deparam com uma grande vaga de turistas a determinada altura do ano; local e se deparam com uma grande vaga de turistas a determinada altura do ano;

 A degradação comercialA degradação comercial ––urge no comércio pois os proprietários podem vender osurge no comércio pois os proprietários podem vender os

produtos mais caros nessas alturas do ano fazendo aumentar os preços produtos mais caros nessas alturas do ano fazendo aumentar os preços artificialmente, acabando por prejudicar a população que vive nesse

artificialmente, acabando por prejudicar a população que vive nesse local devidolocal devido aos preços praticados.

aos preços praticados.

 Anos 80:  Anos 80:

Conferência de Manila (1980) =

Conferência de Manila (1980) = discutia-se as questões do turismodiscutia-se as questões do turismo

 Consideração dos factores e Consideração dos factores e efeitos políticos, sociais, efeitos políticos, sociais, económicoeconómicos, educacionais,s, educacionais,

cultura

culturais e is e ambientais.ambientais. 1.

1. DesenvolvimDesenvolvimento planificado da ento planificado da optimização dos recursos;optimização dos recursos; 2.

2. Integração da população;Integração da população; 3.

3. DiferenciaçãDiferenciação da o da oferta (novos tipos de oferta (novos tipos de ofertas, multiplofertas, multiplicação de novos tipos icação de novos tipos dede turismo), férias activas;

turismo), férias activas; 4.

4. Turismo interno.Turismo interno.

Turismo alternativo:

Turismo alternativo: tentar ser sempre um modelo em que não temos grandetentar ser sempre um modelo em que não temos grande concentração de empresas, pessoas, sem problemas com as questões

concentração de empresas, pessoas, sem problemas com as questões de sazonalidade.de sazonalidade. Permite ir para os

Permite ir para os mesmos locais mas diversificar as mesmos locais mas diversificar as ofertas (praia, golfe, natureza,ofertas (praia, golfe, natureza, cultura

cultura, etc). Cada vez , etc). Cada vez mais as empresas têm de ser mais as empresas têm de ser mais criativas porque os clientes estãomais criativas porque os clientes estão cada vez mais exigentes.

cada vez mais exigentes.  Anos 90:

 Anos 90:

 Evolução dos meios de transporte (aviões e Evolução dos meios de transporte (aviões e navios com maior capacidade).navios com maior capacidade). 

 Voos de baixo custoVoos de baixo custo ––companhias low cost.companhias low cost. 

 Formação de grandes grupos empresariais.Formação de grandes grupos empresariais. 

 DesenvolvimDesenvolvimento das ento das TIC.TIC. 

(5)

História do Turismo em Portugal

História do Turismo em Portugal

INÍCIO DO SÉC. XIX: INÍCIO DO SÉC. XIX:

 Não existia a prática de viajar.Não existia a prática de viajar.

METADE DO SÉC. XIX: METADE DO SÉC. XIX:

Termalismo e turismo balnear terapêutico: Termalismo e turismo balnear terapêutico:

 Alguns locais começam a ser frequentados por famílias ricas;Alguns locais começam a ser frequentados por famílias ricas; 

 Algumas termas começam a ficar conhecidas e Algumas termas começam a ficar conhecidas e surgem os primeiros hotéis;surgem os primeiros hotéis; 

 Aparecimento das zonas Aparecimento das zonas balnearebalneares;s;

FIM DO SÉC. XIX

FIM DO SÉC. XIX––INÍCIO DO SÉC. XX:INÍCIO DO SÉC. XX: 

 Começa a desenvolver-se a actividade turística em Portugal;Começa a desenvolver-se a actividade turística em Portugal; 

 Famílias começaram a comprar casas turísticas nas novas Famílias começaram a comprar casas turísticas nas novas zonas que começaram azonas que começaram a

crescer com na actividade turística; crescer com na actividade turística;

 Começam a surgir alguns hotéis mas muito insuficientes devido à economia, nãoComeçam a surgir alguns hotéis mas muito insuficientes devido à economia, não

existia pessoas para frequentar esses sítios devido

existia pessoas para frequentar esses sítios devido a economia existente;a economia existente;

 Dívida externa;Dívida externa; 

 Domínio da monarquia;Domínio da monarquia; 

 Má imagem perante o exterior;Má imagem perante o exterior; 

 Emigração;Emigração; 

 Atraso dos meios de Atraso dos meios de transporte;transporte; 

 DesenvolvimDesenvolvimento apenas ento apenas além Pirenéus;além Pirenéus;

FACTORES QUE FAVORECEM O DESENVOLVIMENTO: FACTORES QUE FAVORECEM O DESENVOLVIMENTO:

 Condições naturais.Condições naturais. 

 Condições climatéricas.Condições climatéricas. 

(6)

Inovação da república

Inovação da república

No início do séc. 20, a

No início do séc. 20, a maior parte dos turistas concentrava-se na Europa.maior parte dos turistas concentrava-se na Europa.

Na primeira fase do séc. 20, quando se implementa a 1º república, os republicanos Na primeira fase do séc. 20, quando se implementa a 1º república, os republicanos identificam o problema de Portugal e tentam desenvolve-lo sem sucesso, pois Portugal identificam o problema de Portugal e tentam desenvolve-lo sem sucesso, pois Portugal encontrava-se ainda muito pouco desenvolvido.

encontrava-se ainda muito pouco desenvolvido.

Os governantes tinham como objectivo modernizar Portugal e torna-lo um país mais Os governantes tinham como objectivo modernizar Portugal e torna-lo um país mais sofisticado a nível cultural, nível económico e industrial como o Reino unido, a França, sofisticado a nível cultural, nível económico e industrial como o Reino unido, a França, etc.etc. É então criado o ministério do fomento dirigido especificamente para o turismo, de forma É então criado o ministério do fomento dirigido especificamente para o turismo, de forma a tornar Portugal um país de turismo, tentando trazer as elites europeias a Portugal, não a tornar Portugal um país de turismo, tentando trazer as elites europeias a Portugal, não só para trazer dinheiro ao pais mas também nome e um alargamento da cultura.

só para trazer dinheiro ao pais mas também nome e um alargamento da cultura.

O destino Fátima aparece na altura da 1º república, começa a ser visitado por O destino Fátima aparece na altura da 1º república, começa a ser visitado por crentes e peregrinos. Surge o turismo de massas por muita gente viajava para Fátima. crentes e peregrinos. Surge o turismo de massas por muita gente viajava para Fátima. Nasce o turismo religioso com as aparições.

Nasce o turismo religioso com as aparições.

A viragem da monarquia para a 1º república em Portugal, implica a tomada de A viragem da monarquia para a 1º república em Portugal, implica a tomada de consciência que o turismo em Portugal poderia ser benéfico e poderia trazer vantagens consciência que o turismo em Portugal poderia ser benéfico e poderia trazer vantagens para Portugal, como a aposta na de criação de vários empreendimentos turísticos, por para Portugal, como a aposta na de criação de vários empreendimentos turísticos, por ventura algumas estâncias turísticas iguais às que existiam nos mais desenvolvidos da ventura algumas estâncias turísticas iguais às que existiam nos mais desenvolvidos da Europa, fazendo com que Portugal deixa-se de ser o país pobre, pouco desenvolvido e Europa, fazendo com que Portugal deixa-se de ser o país pobre, pouco desenvolvido e agrícola. Esta aposta ficou estagnada durante uns anos, devido

agrícola. Esta aposta ficou estagnada durante uns anos, devido a 1º Guerra Mundial.a 1º Guerra Mundial.

O turismo no estado novo: de propaganda do regime a actividade estratégica

O turismo no estado novo: de propaganda do regime a actividade estratégica

1º Fase do estado novo 1º Fase do estado novo - 1930

- 1930––António ferro foi uma das figuras principais desta época pois era considerado umAntónio ferro foi uma das figuras principais desta época pois era considerado um

intelectual da época. Salazar convidou-o

intelectual da época. Salazar convidou-o para participar no para participar no secretariadosecretariado.. - Secretariado de Propaganda Nacional (SPN) 1933

- Secretariado de Propaganda Nacional (SPN) 1933 ––um dos principais órgãos doum dos principais órgãos do

estado português, sendo um dos elementos fundamentais para o estado de ditadura. As estado português, sendo um dos elementos fundamentais para o estado de ditadura. As actividades ligadas ao turismo estão ligadas a

actividades ligadas ao turismo estão ligadas a este secretariado, salientando Portugeste secretariado, salientando Portugalal como conservador, uma forte nação, a cultura tradicional portuguesa, passando assim da como conservador, uma forte nação, a cultura tradicional portuguesa, passando assim da mensagem de um pais sofisticado, que Portugal tentava passar para o estrangeiro na 1º mensagem de um pais sofisticado, que Portugal tentava passar para o estrangeiro na 1º república, para a mensagem de que Portugal é um pais pitoresco e tradicional, dedicado a república, para a mensagem de que Portugal é um pais pitoresco e tradicional, dedicado a agricultu

agricultura. Esta mensagem não foi ra. Esta mensagem não foi bem passada aos bem passada aos turistas estrangeiros, pois umturistas estrangeiros, pois um Portugal atrasa

Portugal atrasado e tradicional não do e tradicional não eram os ideias eram os ideias turísticos das elites, mas devido turísticos das elites, mas devido aoao facto de Portugal estar a viver

facto de Portugal estar a viver uma ditadura, a ideia uma ditadura, a ideia era fazer propaganda no estrangeiroera fazer propaganda no estrangeiro mas aumentar o turismo interno, fazendo com que os portugueses tivessem orgulho num mas aumentar o turismo interno, fazendo com que os portugueses tivessem orgulho num

(7)

Portugal mais rural, agrícola e tradicional, tornando-se assim um Portugal ainda Portugal mais rural, agrícola e tradicional, tornando-se assim um Portugal ainda maismais Português. Apesar de parecer uma estratégia turística, o objectivo do governo era fazer Português. Apesar de parecer uma estratégia turística, o objectivo do governo era fazer propaganda aos residentes de um Portugal atrasado. É também criado o museu de Arte propaganda aos residentes de um Portugal atrasado. É também criado o museu de Arte Popular.

Popular.

- Fundação Nacional para a

- Fundação Nacional para a Alegria no Trabalho (FNAT), 1935Alegria no Trabalho (FNAT), 1935––tinha como objectivotinha como objectivo

fazer propaganda ao estado, através de dias

fazer propaganda ao estado, através de dias dados aos trabalhadores onde podiam. Osdados aos trabalhadores onde podiam. Os seus objectivos eram: ocupar o tempo

seus objectivos eram: ocupar o tempo livre dos trabalhadores, criar colónias para férias elivre dos trabalhadores, criar colónias para férias e criar cursos e actividades desportivas.

criar cursos e actividades desportivas.

 Anos 60: turismo como actividade estratégica

 Anos 60: turismo como actividade estratégica

 Guerra colonial, emigração;Guerra colonial, emigração; 

 II Plano de Fomento (1968-73)II Plano de Fomento (1968-73)

- Turismo é sector

- Turismo é sector estratégico do crescimento;estratégico do crescimento;

- Concentração turística: Algarve, Madeira, Tróia (e Li

- Concentração turística: Algarve, Madeira, Tróia (e Lisboa);sboa); - Desregulamenta

- Desregulamentação do nº ção do nº de camas.de camas.

Salazar muda a sua estratégia, e decide apostar no turismo, pois Portugal Salazar muda a sua estratégia, e decide apostar no turismo, pois Portugal

encontrava-se na guerra colonial e o sector do turismo era um sector que podia trazer encontrava-se na guerra colonial e o sector do turismo era um sector que podia trazer riqueza ao país e aos cofres do estado e serviria também para manter Portugal na guerra. riqueza ao país e aos cofres do estado e serviria também para manter Portugal na guerra.

Os portugueses emigraram para outros países da Europa em buscar de melhores Os portugueses emigraram para outros países da Europa em buscar de melhores condições de vida e para fugir a guerra colonial. Nos anos 60 volta-se a

condições de vida e para fugir a guerra colonial. Nos anos 60 volta-se a olhar para oolhar para o turismo como um sector potencial em Portugal.

turismo como um sector potencial em Portugal.

 A “Pérola” Algarve  A “Pérola” Algarve

Entradas de estrangeiros em Portugal: Entradas de estrangeiros em Portugal:

 1958: +/- 250 mil visitantes1958: +/- 250 mil visitantes   1964: +/- 1 milhão1964: +/- 1 milhão   1968: +/- 2,5 milhões1968: +/- 2,5 milhões   1973: +/- 4 milhões1973: +/- 4 milhões

Nesta altura, quando chegamos ao 25 Abril, o Algarve era um dos destinos balneares Nesta altura, quando chegamos ao 25 Abril, o Algarve era um dos destinos balneares mais procurados da Europa. O estado viu-se

mais procurados da Europa. O estado viu-se obrigado a aceitar que este obrigado a aceitar que este sector era bomsector era bom para o desenvolvimento do país.

para o desenvolvimento do país.

Nos anos 60, Portugal integra-se como sendo também um destino com muita gente, Nos anos 60, Portugal integra-se como sendo também um destino com muita gente, e havia menos emigrantes a sair. Começou a ser mais frequente ter famílias portuguesas a e havia menos emigrantes a sair. Começou a ser mais frequente ter famílias portuguesas a passar férias no Algarve.

(8)

O turismo no contexto da democracia

O turismo no contexto da democracia

 Após um período de instabilidade… entrada de Portugal na CEE (1986)  Após um período de instabilidade… entrada de Portugal na CEE (1986)

 Turismo como estratégia de: desenvolvimento social e económico, ordenamentoTurismo como estratégia de: desenvolvimento social e económico, ordenamento

do território, defesa do património; do território, defesa do património;

 Novos sistemas de incentivo estatais;Novos sistemas de incentivo estatais; 

 Formação profissional e qualificação da oferta;Formação profissional e qualificação da oferta; 

 Turismo Interno (Vá para fora cá dentro, 1993);Turismo Interno (Vá para fora cá dentro, 1993); 

 Mega eventos;Mega eventos;

Nos anos 80/90, Portugal, que já se

Nos anos 80/90, Portugal, que já se encontrava na União Europeia, relativamente àencontrava na União Europeia, relativamente à estratégia de Turismo começou a ter novos planos para esta área, como o Plano Nacional estratégia de Turismo começou a ter novos planos para esta área, como o Plano Nacional do Turismo (o turismo é bom para o desenvolvimento económico e social do país), porém do Turismo (o turismo é bom para o desenvolvimento económico e social do país), porém é necessário ter em

é necessário ter em atenção o ordenamento do território e a atenção o ordenamento do território e a defesa do património.defesa do património.

Em alguns locais diz-se que a defesa do património é garantir que esse património Em alguns locais diz-se que a defesa do património é garantir que esse património possa continuar a ser explorado de fora natural.

possa continuar a ser explorado de fora natural.

Deu-se a inauguração das escolas como a ESHTE (esta é de 1991, com cursos em Deu-se a inauguração das escolas como a ESHTE (esta é de 1991, com cursos em 1992

1992) e ) e para tal quis-se apostar na para tal quis-se apostar na formação profissional de quem estava na área.formação profissional de quem estava na área. Expo 98, Lisboa Capital Europeia da Cultura, Euro 2004, foram megaeventos Expo 98, Lisboa Capital Europeia da Cultura, Euro 2004, foram megaeventos dinamizados pelo estado para atrair mais pessoas para

dinamizados pelo estado para atrair mais pessoas para o país.o país.

PENT

PENT

Turismo de Portugal

Turismo de Portugal––é um instituto público. É uma entidade que gere todas asé um instituto público. É uma entidade que gere todas as

áreas ligadas ao turismo. Ex: jogos, hotéis,

áreas ligadas ao turismo. Ex: jogos, hotéis, incentivos, promoção turística.incentivos, promoção turística.

Uma das grandes políticas ambientais foi o lançamento do PENT que contém 10 Uma das grandes políticas ambientais foi o lançamento do PENT que contém 10 produtos estratégico

produtos estratégicos (Sol e s (Sol e Mar, Touring Cultural e Paisagístico, CiMar, Touring Cultural e Paisagístico, City Breaks, Turismo dety Breaks, Turismo de Negócios (NICE), Turismo de Natureza, Turismo Náutico, Saúde e bem

Negócios (NICE), Turismo de Natureza, Turismo Náutico, Saúde e bem-estar, Golfe, Resorts-estar, Golfe, Resorts e Gastronomia e Vinhos)

e Gastronomia e Vinhos) Viagens incentivo

Viagens incentivo––empresas que organizam uma viagem aos seus colaboradores maisempresas que organizam uma viagem aos seus colaboradores mais

qualificado

qualificados, dando um ins, dando um incentivo adicional aos seus centivo adicional aos seus trabalhatrabalhadores para fortalecerem asdores para fortalecerem as relações entre eles e se tornarem mais unidos e proporcionando bons momentos de lazer relações entre eles e se tornarem mais unidos e proporcionando bons momentos de lazer para incentivar a uma melhor produção no trabalho, lealdade para com a empresa,

para incentivar a uma melhor produção no trabalho, lealdade para com a empresa, comunicação e interacção social entre os trabalhadores.

comunicação e interacção social entre os trabalhadores. Teambuilding

Teambuilding––actividades que geram e aumentam o espirito de equipa, à base de jogosactividades que geram e aumentam o espirito de equipa, à base de jogos

de confiança. de confiança.

Turismo residencial

Turismo residencial––dinamiza a economia local, promove a zona dinamiza a economia local, promove a zona e promove para fora;e promove para fora;

combate a sazonalidade; que

combate a sazonalidade; quem faz este tipo m faz este tipo de turismo tem muito dinheiro, logo, ficam cáde turismo tem muito dinheiro, logo, ficam cá mais tempo.

(9)

DEFININDO O TURISMO

DEFININDO O TURISMO

CONCEITOS

CONCEITOS

(perspectiva

(perspectiva técnico-operacional

técnico-operacional))

 VISITANTESVISITANTES

- Todo o viajante que realiza uma viagem a um

- Todo o viajante que realiza uma viagem a um destino situado fora do seu ambientedestino situado fora do seu ambiente habitual, durante um período inferior a 1 ano, por um motivo que não seja o de exceder habitual, durante um período inferior a 1 ano, por um motivo que não seja o de exceder uma actividade remunerada no local visitado.

uma actividade remunerada no local visitado.

 VISITANTE DO DIA (EXCURSIONISTA)VISITANTE DO DIA (EXCURSIONISTA)

- Todo o visitante que não passa a noite

- Todo o visitante que não passa a noite no local visitado (não são considerados osno local visitado (não são considerados os passageiros em trânsito)

passageiros em trânsito)

 TURISTATURISTA

- Todo o visi

- Todo o visitante que passa pelo menos uma tante que passa pelo menos uma noite num estabelecimento de alojamentonoite num estabelecimento de alojamento colectivo ou num alojamento privado no local visitado.

colectivo ou num alojamento privado no local visitado.

Viajante Viajante

(todo aquele que se (todo aquele que se

desloca) desloca)

Visitante Visitante

Turista

Turista Visitante doVisitante do Dia/Excursionista Dia/Excursionista Outros Viajantes Outros Viajantes (emigrantes, (emigrantes, refugiados de refugiados de guerra) guerra)

(10)

FACTORES DE DELIMITAÇÃO FACTORES DE DELIMITAÇÃO

 MotivosMotivos

- Exclui actividade remunerada (ver origem do pagamento) - Exclui actividade remunerada (ver origem do pagamento)

 Duração da ViagemDuração da Viagem

- Duração máxima - Duração máxima

 Utilização dos meios de alojamentoUtilização dos meios de alojamento

- Duração da permanência - Duração da permanência

 OrigemOrigem

- R

- Residência habitual/ambiente habitualesidência habitual/ambiente habitual

 Território visitadoTerritório visitado

- Inclui turismo interno - Inclui turismo interno

Turista é um viajante… Turista é um viajante…   TemporárioTemporário   VoluntárioVoluntário 

 Que regressa à residência principalQue regressa à residência principal 

 Que faz uma viagem relativamente longaQue faz uma viagem relativamente longa 

 Que está numa viagem não recorrenteQue está numa viagem não recorrente 

 Que viaja com propósitos não Que viaja com propósitos não instrumentaisinstrumentais 

 Que busca novidade e mudançaQue busca novidade e mudança

CLASSIFICAÇÕES DE TURISMO CLASSIFICAÇÕES DE TURISMO

 Origem dos visitantesOrigem dos visitantes

- Doméstico ou Interno - Doméstico ou Interno - Receptor (In

- Receptor (Inbound)bound) -Emissor (Outbound) -Emissor (Outbound)

Conjugando

Conjugandoestes tipos de turismo…estes tipos de turismo…

- Turismo Interior (

- Turismo Interior (interno + receptor)interno + receptor) - Turismo Nacional (interno + emissor) - Turismo Nacional (interno + emissor)

(11)

Turismo doméstico e Portugal como país receptor e emissor

Turismo doméstico e Portugal como país receptor e emissor

O turismo doméstico em Portugal tem vindo a crescer significativamente. Por volta O turismo doméstico em Portugal tem vindo a crescer significativamente. Por volta de 2001, 2002 e 20003 Portugal teve menos turistas estrangeiros. Isto deveu-se ao de 2001, 2002 e 20003 Portugal teve menos turistas estrangeiros. Isto deveu-se ao terrorismo, com o 11 de Setembro. Outra influência nesta diminuição do número de terrorismo, com o 11 de Setembro. Outra influência nesta diminuição do número de turistas a nível mundial foi a gripe das aves, tanto para turismo emissor como receptor. turistas a nível mundial foi a gripe das aves, tanto para turismo emissor como receptor.

Actualmente Portugal está a ganhar a tendência de turismo receptor, mas dada a Actualmente Portugal está a ganhar a tendência de turismo receptor, mas dada a crise que se faz sentir não sabemos como irá continuar. Apesar de tudo continuamos a crise que se faz sentir não sabemos como irá continuar. Apesar de tudo continuamos a receber um elevado número de turistas. A nossa capacidade a nível de turismo nacional receber um elevado número de turistas. A nossa capacidade a nível de turismo nacional está actualmente em decréscimo fruto à crise.

está actualmente em decréscimo fruto à crise.

Somos essencialmente um país emissor, vêm mais turistas para o nosso país. A Somos essencialmente um país emissor, vêm mais turistas para o nosso país. A Alemanha é um país que se assume efectivamente como um país emissor. O Brasil é um Alemanha é um país que se assume efectivamente como um país emissor. O Brasil é um país mais receptor. A França é um país equilibrado, é muito forte a nível de receptor mas país mais receptor. A França é um país equilibrado, é muito forte a nível de receptor mas como é um grande destino a nível mundial também envia muitos turistas para o como é um grande destino a nível mundial também envia muitos turistas para o estrangeiro.

estrangeiro.

O turismo internacional, segundo o Licínio, há-de ser

O turismo internacional, segundo o Licínio, há-de ser o turismo receptor e emissor.o turismo receptor e emissor. Porém há um problema lógico. Quantifica-se os turismos internacionais quantificando-se Porém há um problema lógico. Quantifica-se os turismos internacionais quantificando-se apenas um aspecto, normalmente é o receptor. No turismo internacional, o número de apenas um aspecto, normalmente é o receptor. No turismo internacional, o número de turistas emissor é menor ao número de turistas receptor, pois um país emite 1 turista, por turistas emissor é menor ao número de turistas receptor, pois um país emite 1 turista, por ex, mas esse turista é recebido em mais do que um país. Sempre que saio do meu país sou ex, mas esse turista é recebido em mais do que um país. Sempre que saio do meu país sou sempre contabilizado, mesmo que no mesmo ano saia 2 vezes. Conta a sua condição de sempre contabilizado, mesmo que no mesmo ano saia 2 vezes. Conta a sua condição de visitante.

visitante.

Turismo doméstico ou interno

Turismo doméstico ou interno - resulta das deslocações dos residentes de um país, - resulta das deslocações dos residentes de um país, querquer tenham ou não a nacionalidade desse país, unicamente no interior do próprio país: os tenham ou não a nacionalidade desse país, unicamente no interior do próprio país: os residentes em Portugal que se desloca dentro das

residentes em Portugal que se desloca dentro das fronteirafronteiras do s do país.país. Turismo receptor

Turismo receptor –– abrange as viagens a um país por residentes noutro ou noutrosabrange as viagens a um país por residentes noutro ou noutros

países, independentemente da nacionalidade que possuírem

países, independentemente da nacionalidade que possuírem: inclui : inclui todas as visitas todas as visitas que osque os residentes no

residentes no estrangeiro efectuam em Portugal.estrangeiro efectuam em Portugal. Turismo emissor

Turismo emissor –– é o turismo que respeita às viagens dos residentes num dado país aé o turismo que respeita às viagens dos residentes num dado país a

outro ou outros países: abrange as visitas que, todos quantos residem em Portugal, outro ou outros países: abrange as visitas que, todos quantos residem em Portugal, efectuam a qualquer país

(12)

CLASSIFICAÇÕES DO TURISMO CLASSIFICAÇÕES DO TURISMO

De acordo com a… De acordo com a…

 Repercussões na balança de pagamentosRepercussões na balança de pagamentos

 Turismo activo: quando dá origem a uma entrada de divisas.Turismo activo:quando dá origem a uma entrada de divisas. 

 Turismo passivo: quando dá origem a uma saída de diviTurismo passivo:quando dá origem a uma saída de divisas.sas.

 Duração da visitaDuração da visita

 Turismo de passagem:Turismo de passagem: resulta das viagens realizadas apenas pelo períodoresulta das viagens realizadas apenas pelo período

de tempo necessário para se alcançar uma outra localidade ou país de tempo necessário para se alcançar uma outra localidade ou país objectivo da viagem.

objectivo da viagem.

 Turismo de permanênciaTurismo de permanência: é o realizado numa localidade ou num país,: é o realizado numa localidade ou num país,

objectivo da viagem, por um período de tempo variável ma que é superior objectivo da viagem, por um período de tempo variável ma que é superior ao tempo que o visitante permanece em qualquer outro local ou país ao tempo que o visitante permanece em qualquer outro local ou país visitado durante a viagem (destino principal).

visitado durante a viagem (destino principal).

 Organização da visitaOrganização da visita

 Turismo individual:Turismo individual: são as pessoas que, segundo os seus gostossão as pessoas que, segundo os seus gostos

individuais ou do grupo que integram, determinam livremente a viagem. individuais ou do grupo que integram, determinam livremente a viagem.

 Turismo de grupo (organizado):Turismo de grupo (organizado): quando os participantes na viagem sequando os participantes na viagem se

limitam a adquirir uma viagem previamente fixada

limitam a adquirir uma viagem previamente fixada que engloba, por via deque engloba, por via de regra, o transporte, a transferência do aeroporto, o meio de alojamento regra, o transporte, a transferência do aeroporto, o meio de alojamento oferecido, visitas e algumas ou todas as refeições. A data de partida e oferecido, visitas e algumas ou todas as refeições. A data de partida e chegada bem como o itinerário são fixados e não podem ser alterados à chegada bem como o itinerário são fixados e não podem ser alterados à vontade do participante da

vontade do participante da viagem.viagem.

 Natureza dos recursos turísticos Natureza dos recursos turísticos consumidosconsumidos

 Outros aspectosOutros aspectos (alvo de análise teórica)(alvo de análise teórica)

Balança de pagamentos

Balança de pagamentos

A nossa balança de pagamentos é activa e positiva. O PIB que é gerado em Portugal A nossa balança de pagamentos é activa e positiva. O PIB que é gerado em Portugal advém do Turismo. Nem tudo que vem do turismo entra na balança de pagamentos advém do Turismo. Nem tudo que vem do turismo entra na balança de pagamentos porque existe turismo doméstico, pois é dinheiro gasto pelos residentes em Portugal. porque existe turismo doméstico, pois é dinheiro gasto pelos residentes em Portugal. A balança de pagamentos mede o fluxo de dinheiro internacional. Se um país tivesse A balança de pagamentos mede o fluxo de dinheiro internacional. Se um país tivesse

(13)

apenas um turismo interno iria ter uma balança de

apenas um turismo interno iria ter uma balança de pagamentos a zeros. A balança só pagamentos a zeros. A balança só contaconta a entrada e saída de divisas.

a entrada e saída de divisas.

Em relação a organização da visita quando se trata de organizadas não se trata Em relação a organização da visita quando se trata de organizadas não se trata apenas de uma pessoa, mas sim de viagens que são todas elas organizadas por um apenas de uma pessoa, mas sim de viagens que são todas elas organizadas por um operador ou uma agência que por um preço fixo, vive uma determinada experiência. São operador ou uma agência que por um preço fixo, vive uma determinada experiência. São tipicamente associadas e dirigidas a um público mais idoso, com menos experiência de tipicamente associadas e dirigidas a um público mais idoso, com menos experiência de viagens.

viagens.

As viagens organizadas foram a base da expansão do turismo. As vantagens desta As viagens organizadas foram a base da expansão do turismo. As vantagens desta modalidade individual, é que é muito mais flexível e uma das razões pelas quais as pessoas modalidade individual, é que é muito mais flexível e uma das razões pelas quais as pessoas fazem cada vez mais viagens individuais é a resistência a venda de pacotes com serviços, o fazem cada vez mais viagens individuais é a resistência a venda de pacotes com serviços, o que não permite as pessoas fazer a sua viagem a sua maneira e sim restringir-se aos que não permite as pessoas fazer a sua viagem a sua maneira e sim restringir-se aos programas do pacote. Cada vez é mais frequente as pessoas decidirem por si só e programas do pacote. Cada vez é mais frequente as pessoas decidirem por si só e organizarem as suas viagens, ou apoiando-se nas agências apenas só para a compra da organizarem as suas viagens, ou apoiando-se nas agências apenas só para a compra da estadia e do voo.

estadia e do voo.

As razões deste aumento são: o facto de haver mais turistas com experiência em As razões deste aumento são: o facto de haver mais turistas com experiência em viagens, turistas com mais escolaridade e com um maior domínio de línguas estrangeiras e viagens, turistas com mais escolaridade e com um maior domínio de línguas estrangeiras e o principal factor, a internet, que permite as pessoas ter uma maior informação sobre o o principal factor, a internet, que permite as pessoas ter uma maior informação sobre o local que pretende visitar, de forma rápida e segura e a possibilidade de fazer tudo online local que pretende visitar, de forma rápida e segura e a possibilidade de fazer tudo online e por si só.

e por si só.

Turismo Livre e Condicionado Turismo Livre e Condicionado

No turismo livre cada um pode ir para onde quer, sem problemas. Turismo No turismo livre cada um pode ir para onde quer, sem problemas. Turismo condicionado tem condicionantes, como por exemplo, o Chipre e a Coreia do Norte, que condicionado tem condicionantes, como por exemplo, o Chipre e a Coreia do Norte, que condicionam os turistas, pois

condicionam os turistas, pois impõem alguimpõem alguns entraves. Outras ns entraves. Outras formas de condicionamentoformas de condicionamento é o controlo de efeitos prejudiciais que o turismo livre pode trazer, como por exemplo, as é o controlo de efeitos prejudiciais que o turismo livre pode trazer, como por exemplo, as ilhas Galapagos, do Equador, pois se lá quisermos ir existe uma restrição de acesso, as ilhas Galapagos, do Equador, pois se lá quisermos ir existe uma restrição de acesso, as pessoas têm que ficar em lista de espera porque só podem entrar um certo nº de pessoas têm que ficar em lista de espera porque só podem entrar um certo nº de visitantes. Outro exemplo é Machu Pichu, a sua atracção é tal que para preservar o visitantes. Outro exemplo é Machu Pichu, a sua atracção é tal que para preservar o património, começam a desenvolver-se condicionantes, como o pedido de uma taxa património, começam a desenvolver-se condicionantes, como o pedido de uma taxa adicional. Condicionamentos de carácter político (Coreia), turismo sustentável e outros adicional. Condicionamentos de carácter político (Coreia), turismo sustentável e outros que não são decretados por lei, mas que condicionam, como a moeda ser diferente, os que não são decretados por lei, mas que condicionam, como a moeda ser diferente, os turistas só poderem ir com viagens

(14)

Turismo enquanto sistema

Turismo enquanto sistema

 Turismo surge como objecto de estudo de várias disciplinas e não de uma sóTurismo surge como objecto de estudo de várias disciplinas e não de uma só

disciplina. disciplina.

SISTEMA FUNCIONAL DO TURISMO SISTEMA FUNCIONAL DO TURISMO

Procura

Procura Subsistema sujeitoSubsistema sujeito (Visitante) (Visitante)

Oferta

Oferta Subsistema ObjectoSubsistema Objecto

Promoção

Promoção e e Informação Informação TransportesTransportes

Destino: Localidades Turísticas Destino: Localidades Turísticas

Organizações

Organizações Turísticas Turísticas Empresas Empresas ee serviços turísticos serviços turísticos

Destinos:

Destinos: são constituídos pelas localidades turísticas que dispõem de atracçõessão constituídos pelas localidades turísticas que dispõem de atracções susceptíveis de originarem a deslocação das pessoas mas

susceptíveis de originarem a deslocação das pessoas mas que implicam uma intervençãoque implicam uma intervenção humana para proporciona

humana para proporcionar a r a máxima satisfação dos visitantes.máxima satisfação dos visitantes. Transportes:

Transportes: são a componente do sistema que garante a ligação entre a residência e osão a componente do sistema que garante a ligação entre a residência e o local do destino, constituindo um subsistema complexo que integra as vias

local do destino, constituindo um subsistema complexo que integra as vias e os meios dee os meios de transportes, as instalações e equipamentos nos locais de

transportes, as instalações e equipamentos nos locais de partida e de chega bem partida e de chega bem como ascomo as estruturas organizativas.

(15)

Promoção e informação:

Promoção e informação: formada pelo conjuformada pelo conjunto de actividades, nto de actividades, iniciativas e acções que,iniciativas e acções que, por um lado, influenciam as pessoas a tomar decisões sobre as viagens e, por outro, lhes por um lado, influenciam as pessoas a tomar decisões sobre as viagens e, por outro, lhes proporcionam os conhecime

proporcionam os conhecimentos para obter a ntos para obter a máxima satisfação das suas máxima satisfação das suas viagens.viagens. Empresas e serviços turísticos:

Empresas e serviços turísticos: constituem, sob o ponto de vista económico, a maisconstituem, sob o ponto de vista económico, a mais importante componente funcional do sistema e inclui a parte fundamental da produção importante componente funcional do sistema e inclui a parte fundamental da produção turística: prestação de alojamento, alimentação, distribuição, diversões,

turística: prestação de alojamento, alimentação, distribuição, diversões, ocupação deocupação de tempos livres e outros serviços.

tempos livres e outros serviços. Organizações

Organizações: conjunto de áreas de : conjunto de áreas de responsabilidade que visam garantir oresponsabilidade que visam garantir o funcioname

funcionamento do nto do sistema, são formadas pelos sistema, são formadas pelos serviços do serviços do estado, autarquias, organismosestado, autarquias, organismos públicos locais e associações profissionais.

públicos locais e associações profissionais. O grau da sua intervenção e O grau da sua intervenção e a importância quea importância que assumem depende dos regimes políticos e da

assumem depende dos regimes políticos e da forma de organização das sociedades.forma de organização das sociedades.

Num sistema existe troca de algo, em que esse algo funciona como um todo; todos Num sistema existe troca de algo, em que esse algo funciona como um todo; todos levam a uma só finalidade.

levam a uma só finalidade.

Para que o turista venha usufruir das empresas e serviços turísticos no local Para que o turista venha usufruir das empresas e serviços turísticos no local escolhido tem de haver transportes, por sua vez, para se saber da e

escolhido tem de haver transportes, por sua vez, para se saber da existência desse local éxistência desse local é necessário haver uma promoção e informação turística, que é

necessário haver uma promoção e informação turística, que é feita através dasfeita através das organizaçõe

organizações s turísticas.turísticas.

Ou seja, todas as componentes dependem umas das outras, para os turistas Ou seja, todas as componentes dependem umas das outras, para os turistas poderem visitar o destino, caso uma falhe

poderem visitar o destino, caso uma falhe as outras todas não as outras todas não vão conseguir trabalhar devão conseguir trabalhar de forma eficiente, fazendo com que todas estejam dependentes e

forma eficiente, fazendo com que todas estejam dependentes e ligadas entre si.ligadas entre si.

Devemos pensar no Turismo como um sistema e quando quisermos descrever um Devemos pensar no Turismo como um sistema e quando quisermos descrever um processo numa determinada região é necessário dizer o que se passou nas componentes. processo numa determinada região é necessário dizer o que se passou nas componentes. Está associado ao que achamos do Turismo e de imaginar o que pode acontecer no futuro. Está associado ao que achamos do Turismo e de imaginar o que pode acontecer no futuro. Por exemplo, se alguma não funcionar como deve de ser, vai-se evidenciar nas outras. Por exemplo, se alguma não funcionar como deve de ser, vai-se evidenciar nas outras.

As organizações são muito importantes em todo o sistema, regulam o sistema todo. As organizações são muito importantes em todo o sistema, regulam o sistema todo. Não oferece directamente nada para ser consumido pelos turistas, mas sim regulamentam Não oferece directamente nada para ser consumido pelos turistas, mas sim regulamentam e asseguram as condições do mesmo.

e asseguram as condições do mesmo.

A OMT aconselha os diferentes países a tomarem determinado tipo de orientações. A OMT aconselha os diferentes países a tomarem determinado tipo de orientações. Foi importante para dar a conhecer os efeitos nocivos que o turismo pode provocar.

(16)

SISTEMA DE INTER-RELAÇÕES DO TURISMO SISTEMA DE INTER-RELAÇÕES DO TURISMO

Económico

Económico Social Social Ambiental Ambiental PolíticoPolítico

Tecnológico

Tecnológico Sistema TurísticoSistema Turístico Institucional/JurídicoInstitucional/Jurídico

Cientifico/Educativo

Cientifico/Educativo Sanitário Sanitário CulturalCultural

Cada um dos si

Cada um dos sistemas consideradostemas considerados não só s não só influencia fortemeinfluencia fortemente o sistemante o sistema funcional do turismo como também é influenciado pelo turismo o que nos permite funcional do turismo como também é influenciado pelo turismo o que nos permite determinar a importância que cada um deles tem para este e vice-versa.

determinar a importância que cada um deles tem para este e vice-versa. Assim o turismo influencia o

Assim o turismo influencia o sistema económicosistema económico, na medida em que cria riqueza e, na medida em que cria riqueza e emprego, permitindo alcançar objectivos de

emprego, permitindo alcançar objectivos de desenvolvimedesenvolvimento económico e nto económico e dinamizardinamizar outras actividades económicas: os consumos dos turistas durante as viagens que dão outras actividades económicas: os consumos dos turistas durante as viagens que dão origem a actividades produtivas que aumentam a produção e o emprego.

origem a actividades produtivas que aumentam a produção e o emprego. O

O sistema socialsistema social é aquele que determina as vocações, os desejos, as atitudes e osé aquele que determina as vocações, os desejos, as atitudes e os comportam

comportamentos dos grupos sociais entos dos grupos sociais que constituem o elemento básico da tendência aque constituem o elemento básico da tendência a viajar, ou seja, da tendência ou da disposição das

viajar, ou seja, da tendência ou da disposição das pessoas para a viagem que origina ospessoas para a viagem que origina os fluxos turísticos. Mas o turismo é, ele

fluxos turísticos. Mas o turismo é, ele próprio, um fenómeno social que influencia ospróprio, um fenómeno social que influencia os comportamentos colectivos e provoca o intercâmbio de valores.

comportamentos colectivos e provoca o intercâmbio de valores. O

O progresso tecnológicoprogresso tecnológico é um dos é um dos principais factores de desenvolvimento doprincipais factores de desenvolvimento do turismo, especialme

turismo, especialmente no que nte no que respeita aos transportes e às respeita aos transportes e às tecnologtecnologias da ias da informação,informação, que estimulam e propiciam as viagens e a sua organização para todos os destinos, por que estimulam e propiciam as viagens e a sua organização para todos os destinos, por mais longínquos que sejam.

mais longínquos que sejam. Os

Os sistemas políticossistemas políticos oferecem uma ampla gama de influências que, de oferecem uma ampla gama de influências que, de modomodo mais ou menos decisivo, determinam o aumento ou a diminuição das viagens. O grau de mais ou menos decisivo, determinam o aumento ou a diminuição das viagens. O grau de liberdade individual, os sistemas políticos e

liberdade individual, os sistemas políticos e as suas alternativas ao poder, a as suas alternativas ao poder, a estabilidadeestabilidade política e a ordem pública, o controlo e os estímulos ao turismo são fundamentais não só política e a ordem pública, o controlo e os estímulos ao turismo são fundamentais não só para a decisão da viagem mas também para a adopção de uma

para a decisão da viagem mas também para a adopção de uma política geral de apoio àpolítica geral de apoio à expansão do turismo.

expansão do turismo. O

O sistema ambientalsistema ambiental, é em grande medida o fundamento da actividade turística, é em grande medida o fundamento da actividade turística não só porque constituem o principal factor de atracção no caso em que se trata de

não só porque constituem o principal factor de atracção no caso em que se trata de espaços naturais atraentes, preservados e equilibrados, mas também porque quando o espaços naturais atraentes, preservados e equilibrados, mas também porque quando o homem vive em

homem vive em ambientes adversos (grandes centros urbanoambientes adversos (grandes centros urbanos e s e poluídos) sente-sepoluídos) sente-se impulsionado a deslocar-se para reencontro com a natureza.

(17)

O

O sistema jurídico/institucionalsistema jurídico/institucional favorece ou prejudica o desenvolvimento dofavorece ou prejudica o desenvolvimento do turismo consoante facilite, ou não, a livre iniciativa e a limite, ou não, ou garanta as turismo consoante facilite, ou não, a livre iniciativa e a limite, ou não, ou garanta as condições jurídicas que permitam um funcionamento equilibrado do sistema. condições jurídicas que permitam um funcionamento equilibrado do sistema.

O

O sistema culturalsistema cultural foi desde sempre um dos mais importantes factores defoi desde sempre um dos mais importantes factores de desenvolvimento do turismo e torna-se, cada vez

desenvolvimento do turismo e torna-se, cada vez mais, acentuado: grande parte dasmais, acentuado: grande parte das viagens realizam-se para destinos que dispõem de

viagens realizam-se para destinos que dispõem de factores cultufactores culturais notáveis, tais rais notáveis, tais como oscomo os locais históricos, monumentos, centros

locais históricos, monumentos, centros arqueolarqueológicos, centros ógicos, centros de peregrinação,de peregrinação, concentraçõ

concentrações de carácter étnico es de carácter étnico e muitos outros. Alguns destes factores podem sere muitos outros. Alguns destes factores podem ser

criados artificialmente mas outros, por outro lado, estão profundamente ligados aos locais criados artificialmente mas outros, por outro lado, estão profundamente ligados aos locais onde se desenvolveram.

onde se desenvolveram. O

O sistema sanitáriosistema sanitário influencia e é influenciado pelo turismo. Influencia o turismoinfluencia e é influenciado pelo turismo. Influencia o turismo favorecendo as viagens, quando existam condições sanitárias que garantam assistência favorecendo as viagens, quando existam condições sanitárias que garantam assistência médica, ou prejudicando a realização de viagens, no caso da existência de epidemias, médica, ou prejudicando a realização de viagens, no caso da existência de epidemias, pragas ou doenças endémicas. O turismo pode, pelo contrário, ser um propagador de pragas ou doenças endémicas. O turismo pode, pelo contrário, ser um propagador de doenças e contribuir para o

doenças e contribuir para o agravamento das condições sanitárias.agravamento das condições sanitárias. Por fim, o

Por fim, o sistema educativo e científicosistema educativo e científico, que está li, que está ligado aos conhecimentogado aos conhecimentos e às e à sua transmissão e que, por um

sua transmissão e que, por um lado, garante o desenvolvimento de aptidões pessoais paralado, garante o desenvolvimento de aptidões pessoais para compreender o fenómeno turístico, introduzir a inovação e a criatividade, e por outro, compreender o fenómeno turístico, introduzir a inovação e a criatividade, e por outro, ajudas as populações a tirar maior

ajudas as populações a tirar maior e melhor proveito do e melhor proveito do desenvolvimento do turimo.desenvolvimento do turimo.

GRANDES COMPONENTES DA ORFERTA TURÍSTICA GRANDES COMPONENTES DA ORFERTA TURÍSTICA

É necessário haver várias componentes da oferta turística para que um É necessário haver várias componentes da oferta turística para que um

determinado destino seja consumido. Ou seja, para além de termos um hotel podemos ter determinado destino seja consumido. Ou seja, para além de termos um hotel podemos ter diversas actividades que vão complementar a estadia

diversas actividades que vão complementar a estadia do cliente.do cliente.

Recursos naturais Recursos naturais Recursos culturais Recursos culturais

Actividades recreativas e de animação Actividades recreativas e de animação (desportos radicais,

(desportos radicais, campeonacampeonatos)tos) Alojamento

Alojamento

Restauração e bebidas Restauração e bebidas Serviços de i

Serviços de informaçãnformação/acolhimento (postos turismo, infoo/acolhimento (postos turismo, info prestada pelos guias e nos

prestada pelos guias e nos postos, guias de áudio)postos, guias de áudio) Transportes e acessibilidades

Transportes e acessibilidades Infra-estrutu

Infra-estruturas básicas ras básicas e de e de apoio (água, electricidade,apoio (água, electricidade, segurança) segurança) Primária Primária Secundária Secundária H H O O S S P P II T T A A LL II D D A A D D E E  Atracções  Atracções

(18)

As componentes secundárias valorizam as primárias. As

As componentes secundárias valorizam as primárias. As pessoas procurampessoas procuram,, primeiramente as primárias, porém para complementar a sua estadia vão

primeiramente as primárias, porém para complementar a sua estadia vão existir asexistir as secundárias.

secundárias.

A oferta primária só se consolida, no âmbito do turismo, se houver as actividades A oferta primária só se consolida, no âmbito do turismo, se houver as actividades secundárias. As primárias são, praticamente, do estado, não são pagas, só nas actividades secundárias. As primárias são, praticamente, do estado, não são pagas, só nas actividades de complementa

de complementaridade é que são pagas e dão diridade é que são pagas e dão dinheiro à região. O Turismo só é sustentávelnheiro à região. O Turismo só é sustentável se for mantido o

se for mantido o bom estado dos recursos primários.bom estado dos recursos primários.

Porém, existem destinos que são conhecidos e atractivos,

Porém, existem destinos que são conhecidos e atractivos, não pelos recursosnão pelos recursos primários, mas sim

primários, mas sim pelos secundários. Algupelos secundários. Alguns locais que não teriam ns locais que não teriam potencialidadepotencialidade turística vivem das atracções; atracções que são formas

turística vivem das atracções; atracções que são formas de recreação que se transformamde recreação que se transformam elas próprias num atractivo. Exempl

elas próprias num atractivo. Exemplo: Paredes de Coura ou RIR, que o: Paredes de Coura ou RIR, que são temporáriosão temporários; é s; é aa razão fundamental, ou a atracção, que foi especificamente criada para o turismo.

razão fundamental, ou a atracção, que foi especificamente criada para o turismo. Outra tendência, para além de coisas

Outra tendência, para além de coisas feitas de forma artificial (parques defeitas de forma artificial (parques de atracçõe

atracções, megaeventos, construção de praias) são s, megaeventos, construção de praias) são o facto de o facto de os hotéis e os hotéis e restaurantesrestaurantes começarem a tornar-se eles próprios numa atracção. O Dubai, por

começarem a tornar-se eles próprios numa atracção. O Dubai, por exemplo, éexemplo, é completam

completamente artificial, quer em hotéis ente artificial, quer em hotéis e restaurantes como nas suas e restaurantes como nas suas atracçõeatracções, porém os, porém o

facto de terem um hotel

facto de terem um hotel e um restaurante “debaixo de água”, o hotel “mais alto e um restaurante “debaixo de água”, o hotel “mais alto do mundo”,do mundo”,

faz com que as pessoas por si

faz com que as pessoas por si só apenas queiram visitar o Dubai para experimentar essessó apenas queiram visitar o Dubai para experimentar esses complementos.

complementos. Hospitalidade

Hospitalidade––Pode incluir-se na oferta turística, porque se Pode incluir-se na oferta turística, porque se entende que a sensação queentende que a sensação que

a pessoa vai ser bem

a pessoa vai ser bem acolhida tem de ser transversal a todas as áreas e acolhida tem de ser transversal a todas as áreas e por outro lado nãopor outro lado não é nem natural nem prévio,

é nem natural nem prévio, pois os destinpois os destinos turísticos são particularmos turísticos são particularmente acolhedores eente acolhedores e hospitaleiros, pois tem a ver com a cultura do sítio. Por outro lado os destinos que são hospitaleiros, pois tem a ver com a cultura do sítio. Por outro lado os destinos que são mais explorados na procura turística incidem mais

mais explorados na procura turística incidem mais nos residentes para seremnos residentes para serem hospitaleiros. Ex: Euro 2004.

hospitaleiros. Ex: Euro 2004.

Tipos de Turismo

Tipos de Turismo

 BalnearBalnear  NaturezaNatureza  RuralRural  ReligiosoReligioso  CulturalCultural  Bem-estar/saúdeBem-estar/saúde

 DesportivoDesportivo Baseiam-se mais na actividadeBaseiam-se mais na actividade  AventuraAventura de atracção turísticade atracção turística

 NegóciosNegócios

Turismo Balnear:

Turismo Balnear: existe algo primordial no âmbito do existe algo primordial no âmbito do turismo balnear que é a turismo balnear que é a praia.praia. Porém, temos de ter em

Porém, temos de ter em atenção os outros elementos turísticos; não pode haver turismoatenção os outros elementos turísticos; não pode haver turismo balnear se não existir a praia; Surgiu na década de 60/70; é o

balnear se não existir a praia; Surgiu na década de 60/70; é o tipo de turismo que mais tipo de turismo que mais sese associa ao turismo de massa; desde os primórdios do turismo que começaram a ter

(19)

serviços de alojamento; Porém não sabiam que era para o turismo de massas, ou seja, já serviços de alojamento; Porém não sabiam que era para o turismo de massas, ou seja, já havia estâncias balneares junto ao mar mas mais relacionadas com o turismo de

havia estâncias balneares junto ao mar mas mais relacionadas com o turismo de saúde/bem-e

saúde/bem-estar, pois sabia-se star, pois sabia-se que fazia bem, que fazia bem, estar uma temporada junto ao mar;estar uma temporada junto ao mar; Turismo balnear atrai todo o tipo de turismo e tem tendências para captar famílias ou Turismo balnear atrai todo o tipo de turismo e tem tendências para captar famílias ou DINK (double income and no kid).

DINK (double income and no kid). Turismo Natureza:

Turismo Natureza: Recursos de carácter natural dispostos ou prévios à actividadeRecursos de carácter natural dispostos ou prévios à actividade turística; O Turismo de Natureza remete para a

turística; O Turismo de Natureza remete para a possibilidade de possibilidade de estar em contacto directoestar em contacto directo com a natureza, recursos naturais puros ou selvagens;

com a natureza, recursos naturais puros ou selvagens; consiste em recursos de carácterconsiste em recursos de carácter natural, dispostos ou prévios à actividade turística. Este

natural, dispostos ou prévios à actividade turística. Este tipo de tipo de turismo remeturismo remete para ate para a possibilidade de o turista estar

possibilidade de o turista estar em contacto directo com a natureza. Este inclui recursosem contacto directo com a natureza. Este inclui recursos naturais, puros, selvagens ou intocados. (Turismo ecológico: está relacionado com as naturais, puros, selvagens ou intocados. (Turismo ecológico: está relacionado com as motivações que levam o turista a praticar o turismo desta forma; ser eco está relacionado motivações que levam o turista a praticar o turismo desta forma; ser eco está relacionado com a preocupação pelo ambiente e as suas formas de o preservar.)

com a preocupação pelo ambiente e as suas formas de o preservar.) Turismo Rural:

Turismo Rural: consiste num turismo que é desenvolvido em zonas/espaços rurais, comoconsiste num turismo que é desenvolvido em zonas/espaços rurais, como actividades agrícolas, animais, pequenas aldeias, etc. Tem por obj

actividades agrícolas, animais, pequenas aldeias, etc. Tem por obj ectivo permitir aosectivo permitir aos visitantes um contacto mais directo e

visitantes um contacto mais directo e genuíno com a natureza, a genuíno com a natureza, a agricultuagricultura e ra e as tradiçõesas tradições locais, através da hospitalidade privado em

locais, através da hospitalidade privado em ambiente rural e familiar.ambiente rural e familiar. Turismo Religioso:

Turismo Religioso: Baseia-se na fé, religião, crença; tem de haver Baseia-se na fé, religião, crença; tem de haver um local que sejaum local que seja investido no facto de

investido no facto de ser sagrado, transcendente; o agente turístico tenta dinamizar umser sagrado, transcendente; o agente turístico tenta dinamizar um determinado pólo numa igreja pré-existente; as pessoas deslocam-se para um

determinado pólo numa igreja pré-existente; as pessoas deslocam-se para um determinado sítio que de certa forma é

determinado sítio que de certa forma é um lugar sagrado, onde aconteceu algo marcante; um lugar sagrado, onde aconteceu algo marcante; éé difícil artificializar a oferta, ou seja, inverter um local só para se fazer

difícil artificializar a oferta, ou seja, inverter um local só para se fazer este tipo de turismo;este tipo de turismo;

há uma associação muito próxima do Turismo Cultural… há uma associação muito próxima do Turismo Cultural…

Turismo Cultural:

Turismo Cultural: Viagens, em que a motivação é descobrir, conhecer e explorar osViagens, em que a motivação é descobrir, conhecer e explorar os atractivos de uma região e tem como actividade percursos em Tours, rotas ou circuitos de atractivos de uma região e tem como actividade percursos em Tours, rotas ou circuitos de diferente duração e exte

diferente duração e extensão, em viagens independentes e organizadas. (Ex: ir nsão, em viagens independentes e organizadas. (Ex: ir a Meca pora Meca por curiosidade do ponto de vista cultural e não religioso, mas também se pode fazer os dois. A curiosidade do ponto de vista cultural e não religioso, mas também se pode fazer os dois. A utilização deste tipo de

utilização deste tipo de recursorecursos nos s nos dois tipos de turismo levanta problemas de que dois tipos de turismo levanta problemas de que àsàs vezes por carácter cultural tem que se restringir certas coisas, como por exemplo, a forma vezes por carácter cultural tem que se restringir certas coisas, como por exemplo, a forma de vestir, no que toca ao turismo religioso).

de vestir, no que toca ao turismo religioso). Turismo de saúde/bem-estar:

Turismo de saúde/bem-estar: numa 1º fase usava-se numa 1º fase usava-se recursos pré-existenterecursos pré-existentes e s e hojehoje existem um maior nº de serviços diversificados, não só para a cura de

existem um maior nº de serviços diversificados, não só para a cura de algum problealgum problema dema de saúde, mas também para fins

saúde, mas também para fins de bem-estar, como as de bem-estar, como as massagens terapêuticamassagens terapêuticas.s. Turismo Desportivo:

Turismo Desportivo: praticantes + assistentes; é praticantes + assistentes; é um turismo que implica a participaçãoum turismo que implica a participação dos visitantes em

dos visitantes em actividades desportivaactividades desportivas, quer de forma activa s, quer de forma activa ou como espectadores. ex:ou como espectadores. ex: euro 2004

euro 2004

Turismo de Aventura/Turismo Radical:

Turismo de Aventura/Turismo Radical: compreende o movimento de turistas cujocompreende o movimento de turistas cujo atractivo principal é a prática d

atractivo principal é a prática de actividades de e actividades de aventura de carácter recreativoaventura de carácter recreativo. Podendo. Podendo ocorrer em qualquer espaço: natural, construído pelo homem, rural, urbano ou

ocorrer em qualquer espaço: natural, construído pelo homem, rural, urbano ou estabelec

Figure

Updating...

References