COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

Texto

(1)

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 19.12.2002 COM(2002) 749 final 2002/0302 (ACC) Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

relativa à conclusão de um protocolo que adapta os aspectos comerciais do Acordo Europeu que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro, a fim de ter em conta o resultado das negociações entre as Partes sobre as novas concessões agrícolas mútuas

(2)

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

1. Em 30 de Março de 1999, o Conselho autorizou a Comissão a iniciar negociações sobre concessões agrícolas mútuas adicionais no âmbito dos Acordos Europeus concluídos entre a Comunidade Europeia e os países associados da Europa Central e Oriental.

2. As negociações com a Bulgária, que decorreram no contexto geral do processo de adesão, foram baseadas no nº 5 do artigo 21º do Acordo Europeu. O referido artigo prevê que, tendo em conta o volume das suas trocas comerciais de produtos agrícolas e a sua especial sensibilidade, as regras da política agrícola comum da Comunidade e o papel da agricultura na economia da Bulgária, a Comunidade e a Bulgária examinem, no Conselho de Associação, a possibilidade de efectuarem novas concessões mútuas, produto por produto, numa base ordenada e recíproca.

3. De acordo com o mandato do Conselho, as negociações deverão conduzir a um equilíbrio justo entre os interesses da Comunidade Europeia e dos seus Estados-Membros e os dos países associados, quer em termos de exportações, quer de importações. Nesta base, as duas Partes realizaram duas rondas de negociações, concluídas em 18 de Maio de 2000 e em 18 de Outubro de 2002.

4. O resultado das negociações entre a Comissão e a Bulgária sobre as concessões agrícolas adicionais prevê uma liberalização imediata, total e recíproca do comércio de certos produtos agrícolas. Alcançou-se também um acordo quanto à abertura de novos contingentes pautais em certos sectores e quanto ao aumento de certos contingentes existentes.

5. O presente protocolo sobre as novas concessões agrícolas mútuas constituirá um novo protocolo adicional ao Acordo Europeu, em que se fixam todas as concessões comerciais agrícolas (isto é, tanto as antigas como as novas) acordadas entre a Comunidade e a Bulgária.

6. Os resultados da primeira ronda de negociações são aplicados pelas Partes numa base autónoma e transitória desde 1 de Julho de 2000. Por parte da Comunidade, as novas concessões produziram efeito por força do Regulamento (CE) nº 2290/2000 do Conselho, de 9 de Outubro de 20001. O presente protocolo substituirá essas medidas autónomas e transitórias a partir do dia da sua entrada em vigor.

(3)

2002/0302 (ACC) Proposta de

DECISÃO DO CONSELHO

relativa à conclusão de um protocolo que adapta os aspectos comerciais do Acordo Europeu que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro, a fim de ter em conta o resultado das negociações entre as Partes sobre as novas concessões agrícolas mútuas

O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o seu artigo 133º, conjuntamente com o nº 2, primeiro parágrafo, do seu artigo 300º,

Tendo em conta a proposta da Comissão1, Considerando o seguinte:

(1) O Acordo Europeu que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro2 prevê determinadas concessões comerciais mútuas para certos produtos agrícolas.

(2) O Acordo Europeu prevê, no nº 5 do seu artigo 21º, que a Comunidade e a Bulgária examinem a possibilidade de efectuarem novas concessões mútuas, produto por produto, numa base ordenada e recíproca.

(3) O protocolo que adapta os aspectos comerciais do Acordo Europeu entre as Comunidades Europeias e os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro, a fim de ter em conta a adesão da República da Áustria, da República da Finlândia e do Reino da Suécia à União Europeia, assim como os resultados das negociações do «Uruguay Round» no domínio agrícola, incluindo as melhorias do regime preferencial existente, aprovado pela Decisão 1999/278/CE do Conselho3, introduziu as primeiras melhorias no regime preferencial do Acordo Europeu com a Bulgária.

(4) Foram igualmente previstas melhorias do regime preferencial, em consequência das negociações para liberalizar o comércio agrícola concluídas em 2000. No respeitante à Comunidade, essas melhorias concretizaram-se em 1 de Julho de 2000, por força do Regulamento (CE) nº 2290/2000 do Conselho que estabelece determinadas concessões sob a forma de contingentes pautais comunitários para certos produtos agrícolas e que prevê a adaptação, a título autónomo e transitório, de certas concessões agrícolas previstas no Acordo Europeu com a República da Bulgária4. Esta segunda adaptação 1 JO C ... ..., p. ... 2 JO L 358 de 31.12.1994, p. 3. 3 JO L 112 de 29.4.1999, p. 1. 4 JO L 262 de 17.10.2000, p. 1.

(4)

do regime preferencial ainda não foi incorporada no Acordo Europeu sob a forma de um protocolo adicional.

(5) Em 18 de Outubro de 2002, foram concluídas negociações com vista a novas melhorias do regime preferencial do Acordo Europeu com a Bulgária.

(6) A fim de consolidar todas as concessões no âmbito do comércio agrícola entre as duas Partes, incluindo os resultados das negociações concluídas em 2000 e 2002, deve ser aprovado o novo protocolo adicional ao Acordo Europeu que adapta os aspectos comerciais do Acordo Europeu entre as Comunidades Europeias e os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro (em seguida referido como "o Protocolo").

(7) O Regulamento (CEE) nº 2454/93 da Comissão, de 2 de Julho de 1993, que fixa determinadas disposições de aplicação do Regulamento (CEE) nº 2913/92 do Conselho que estabelece o Código Aduaneiro Comunitário5, codificou as modalidades de gestão dos contingentes pautais destinados a serem utilizados por ordem cronológica das datas das declarações aduaneiras. Por conseguinte, alguns contingentes pautais previstos pela presente decisão devem ser geridos em conformidade com essas modalidades.

(8) As novas medidas necessárias à execução da presente decisão devem ser aprovadas em conformidade com o procedimento do comité de gestão previsto pela Decisão 1999/468/CE do Conselho, de 28 de Junho de 1999, que fixa as regras de exercício das competências de execução atribuídas à Comissão6.

(9) Na sequência das negociações acima referidas, o Regulamento (CE) nº 2290/2000 do Conselho perdeu de facto o seu significado, pelo que deve ser revogado.

DECIDE:

Artigo 1º

É aprovado em nome da Comunidade o protocolo em apêndice que adapta os aspectos comerciais do Acordo Europeu que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro, a fim de ter em conta o resultado das negociações entre as Partes sobre novas concessões agrícolas mútuas.

Artigo 2º

1. O Presidente do Conselho fica autorizado a designar a pessoa com poderes para assinar o Protocolo em nome da Comunidade, por forma a exprimir a aceitação de vinculação ao mesmo Protocolo pela Comunidade.

2. O Presidente do Conselho procederá, em nome da Comunidade, à notificação de aprovação prevista no artigo 3º do Protocolo.

(5)

Artigo 3º

1. A partir da entrada em vigor da presente decisão, as disposições previstas nos anexos do protocolo que acompanha a presente decisão substituirão as previstas nos Anexos X e XI a que se referem os nºs 2 e 3 do artigo 21º, conforme alterado, do Acordo Europeu que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro.

2. As normas de execução do Protocolo serão adoptadas pela Comissão de acordo com o procedimento referido no artigo 5º.

Artigo 4º

1. Os números de ordem atribuídos aos contingentes pautais no anexo da presente decisão podem ser alterados pela Comissão em conformidade com o procedimento referido no artigo 5º. Os contingentes pautais cujo número de ordem seja superior a 09.5100 são geridos pela Comissão, em conformidade com as disposições dos artigos 308ºA, 308ºB e 308ºC do Regulamento (CEE) nº 2454/93.

2. As quantidades de mercadorias sujeitas a contingentes pautais e colocadas em livre circulação desde 1 de Julho de 2002 ao abrigo das concessões previstas no Anexo A(b) do Regulamento (CE) nº 2290/2000 serão inteiramente deduzidas das quantidades previstas na quarta coluna do Anexo A(b) do Protocolo em apêndice, excepto no respeitante às quantidades para as quais tenham sido emitidas licenças de importação antes de 1 de Julho de 2002.

Artigo 5º

1. A Comissão será assistida pelo Comité de Gestão dos Cereais instituído pelo artigo 23º do Regulamento (CEE) nº 1766/927 do Conselho, ou, se for caso disso, pelo comité instituído pelas disposições correspondentes dos outros regulamentos relativos à organização comum dos mercados agrícolas.

2. Sempre que se faça referência ao presente número, são aplicáveis os artigos 4º e 7º da Decisão 1999/468/CE.

O prazo previsto no nº 3 do artigo 4º da Decisão 1999/468/CE é de um mês.

(6)

Artigo 6º

O Regulamento (CE) nº 2290/2000 é revogado a partir da entrada em vigor do Protocolo. Feito em Bruxelas, em

Pelo Conselho O Presidente

(7)

ANEXO

Números de ordem dos contingentes pautais da União Europeia para produtos originários da Bulgária (referidos no artigo 4º)

Nº de ordem do contingente

Código NC Designação das mercadorias

09.4598 0102 90 05 Animais vivos da espécie bovina de peso não superior a 80 kg 09.4537 0102 90 21

0102 90 29 0102 90 41 0102 90 49

Animais vivos da espécie bovina de peso superior a 80 kg mas não superior a 300 kg

09.4563 ex 0102 90 Novilhas e vacas, não destinadas a abate, das seguintes raças de montanha: cinzenta, castanha, amarela, malhada do Simmental e Pinzgau

09.4651 0201 0202

Carnes de animais da espécie bovina, frescas, refrigeradas ou congeladas 09.4671 ex0203 0210 11 0210 12 0210 19 1601 00 1602 41 1602 42 1602 49

Carnes de suínos das espécies domésticas, frescas, refrigeradas ou congeladas Carnes de animais da espécie suína, salgadas, em salmoura, secas ou fumadas

Enchidos e produtos semelhantes

Preparações e conservas de carne, miudezas ou sangue de suíno

09.5854 ex 0207 Carne e miudezas comestíveis de aves de capoeira da posição 0105, excepto dos códigos NC 0207 27 91, 0207 35 91, 0207 36 89 09.4675 0403 10 11 0403 10 13 0403 10 19 0403 10 31 0403 10 33 0403 10 39 Iogurte 09.4660 0406 Queijos e requeijão

09.5891 0407 00 30 Ovos de aves domésticas, com casca, excepto para incubação 09.6223 0701 90 50

0701 90 90

Batatas 09.6225 0702 00 00 Tomates

09.6231 0707 Pepinos e pepininhos (cornichões), frescos ou refrigerados 09.6233 0709 60 10 Pimentos doces ou pimentões

09.5892 0709 90 70 Aboborinhas 09.6161 0710 21 00 0710 22 00 0710 29 00 0710 80 51 0710 80 69 0710 80 95

Produtos hortícolas, congelados

09.4725 0711 51 00 2003 10 20 2003 10 30

Cogumelos, do género Agaricus 09.6245 0806 10 Uvas frescas 09.6247 0808 10 Maçãs 09.6249 0808 20 10 0808 20 50 Peras 09.6253 0809 10 00 Damascos 09.5731 0809 20 0811 90 75 0811 90 80 Cerejas 09.6255 0809 30 Pêssegos 09.6162 0809 40 05 Ameixas 09.6261 0810 10 00 Morangos, frescos

09.5573 0812 90 10 Damascos, conservados transitoriamente 09.4676 1001

1109 00 00

Trigo e mistura de trigo com centeio Glúten de trigo 09.5893 1002 00 00 1102 10 00 1103 19 10 1103 20 10 Centeio Farinha de centeio

Grumos e sêmolas de centeio Pellets de centeio

(8)

Nº de ordem do contingente

Código NC Designação das mercadorias

09.5894 1003 1102 90 10 1103 19 30 1103 20 20 Cevada Farinha de cevada

Grumos e sêmolas de cevada Pellets de cevada 09.5895 1004 1102 90 30 1103 19 40 1103 20 30 Aveia Farinha de aveia

Grumos e sêmolas de aveia Pellets de aveia 09.4677 1005 10 90 1005 90 00 Milho 09.6275 1512 11 10 1512 11 91 1512 19 10 1512 19 91

Óleos de girassol ou de cártamo e respectivas fracções

09.6277 1602 32 1602 39

Preparações e conservas de carne de aves de capoeira

09.5896 1603 00 10 Extractos e sucos, em embalagens de conteúdo não superior a 1 kg 09.6279 2001 10 00 Pepinos, conservados

09.5897 2001 90 70 Pimentos doces ou pimentões, conservados 09.6281 2002 Tomates preparados ou conservados 09.5898 2005 10 00 2005 20 20 2005 20 80 2005 40 00 2005 51 00 2005 59 00 2005 60 00 2005 90 30 2005 90 50 2005 90 60 2005 90 70 2005 90 75 2005 90 80

Outros produtos hortícolas, preparados ou conservados

09.6285 2007 99 33 Doce de morango 09.5899 2008 40 11 2008 40 21 2008 40 29 2008 40 39 2008 40 51 2008 40 59 2008 40 71 2008 40 79 2008 40 91 2008 40 99

Peras, preparadas ou conservadas

09.6287 2008 50 Damascos, preparados ou conservados 09.6291 2008 70 Pêssegos, preparados ou conservados 09.6293 2008 80 Morangos, preparados ou conservados 09.5900 2309 10 51

2309 10 90

Alimentos para cães e gatos 09.5732 2309 90 31

2309 90 41

Preparações dos tipos utilizados na alimentação dos animais 09.6299 2401 10 10 2401 10 60 2401 10 70 2401 20 10 2401 20 60 2401 20 70 Tabaco

(9)

FICHA FINANCEIRA

FicheFin/02/34431

DATA: 7/11/2002 1. RUBRICA ORÇAMENTAL:

Capítulo 10 - Direitos agrícolas Capítulo B1-1 e B1-2

DOTAÇÕES: 1 121,7 milhões € 38 209 milhões € 2. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO:

Decisão do Conselho relativa à conclusão de um protocolo que adapta os aspectos comerciais do Acordo Europeu que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro, a fim de ter em conta o resultado das negociações entre as Partes sobre as novas concessões agrícolas mútuas

3. BASE JURÍDICA: Artigo 133º do Tratado 4. OBJECTIVOS DA ACÇÃO:

5. CONSEQUÊNCIAS FINANCEIRAS PERÍODO DE 12 MESES (milhões de euros) EXERCÍCIO EM CURSO 2002 (milhões de euros) EXERCÍCIO SEGUINTE 2003 (milhões de euros) 5.0 DESPESAS A CARGO (1) - - DO ORÇAMENTO DA CE (RESTITUIÇÕES/INTERVENÇÕES) - DOS ORÇAMENTOS NACIONAIS

- OUTROS 1.9 - 1.4 5.1 RECEITAS (2) - - RECURSOS PRÓPRIOS DA CE (DIREITOS NIVELADORES/DIREITOS ADUANEIROS) - NO PLANO NACIONAL -0.2 - -0.2 2004 2005 2006 2007

5.0.1 PREVISÃO DAS DESPESAS 1.9 2.1 2.3 2.5

5.1.1 PREVISÃO DAS RECEITAS -0.2 -0.2 -0.2 -0.2

5.2 MODO DE CÁLCULO:

6.0 FINANCIAMENTO POSSÍVEL POR DOTAÇÕES INSCRITAS NO CAPÍTULO

CORRESPONDENTE DO ORÇAMENTO EM EXECUÇÃO SIM/NÃO

6.1 FINANCIAMENTO POSSÍVEL POR TRANSFERÊNCIA ENTRE CAPÍTULOS DO

ORÇAMENTO EM EXECUÇÃO SIM/NÃO

6.2 NECESSIDADE DE UM ORÇAMENTO SUPLEMENTAR SIM/NÃO

6.3 DOTAÇÕES A INSCREVER NOS ORÇAMENTOS FUTUROS SIM/NÃO OBSERVAÇÕES:

(1) Estima-se que as repercussões das novas concessões no âmbito do acordo "benefício duplo" com a Bulgária sejam marginais no plano das despesas, excepto no caso do milho.

No caso do trigo e da cevada, da introdução de importações com isenção de direitos poderia resultar o aumento de excedentes exportáveis, mas tal não deveria levar ao aumento das despesas, uma vez que a restituição à exportação é actualmente de zero.

Milho

80 000 t* 24,1 €/t = 1,928 milhões € por ano

1,446 milhões € 2003 (exercício orçamental apenas até 15/10/2003) 0,193 milhões € de aumento por ano, após 2003

(2) Com base no actual nível de comércio, a perda total de recursos próprios pode estimar-se em 0,2 milhões de euros.

(10)

PROTOCOLO

que adapta os aspectos comerciais do Acordo Europeu que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro, a fim de ter em conta o resultado das negociações entre as Partes

sobre as novas concessões agrícolas mútuas

A COMUNIDADE EUROPEIA, adiante designada por «Comunidade», por um lado, e

A REPÚBLICA DA BULGÁRIA, por outro,

CONSIDERANDO O SEGUINTE:

(1) O Acordo Europeu que cria uma associação entre as Comunidades Europeias os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro (adiante designado por "o Acordo Europeu") foi assinado em Bruxelas, em 8 de Março de 1993, e entrou em vigor em 1 de Fevereiro de 19951.

(2) O Acordo Europeu prevê, no nº 5 do seu artigo 21º, que a Comunidade e a Bulgária examinem a possibilidade de efectuarem concessões agrícolas mútuas adicionais, produto por produto, de modo ordenado e recíproco. Nessa base, decorreram e foram concluídas negociações entre as Partes.

(3) No protocolo que adapta os aspectos comerciais do Acordo Europeu2 foram pela primeira vez previstas melhorias do regime agrícola preferencial do Acordo Europeu, para ter em conta o último alargamento da Comunidade e os resultados do «Uruguay Round» do GATT.

(4) Em 18 de Maio de 2000 e em 18 de Outubro de 2002, foram concluídas mais duas rondas de negociações destinadas a melhorar as concessões comerciais agrícolas. (5) Por um lado, o Conselho decidiu, por força do Regulamento (CE) nº 2290/20003,

aplicar, numa base provisória, desde 1 de Julho de 2000, as concessões da Comunidade Europeia resultantes da ronda de negociações de 2000 e, por outro lado, o Governo da Bulgária adoptou disposições legislativas para aplicar, igualmente desde 1 de Julho de 2000, as concessões búlgaras equivalentes (decreto nº 127/30 de 11.7.2000 do Conselho de Ministros, decreto nº 161 de 20.6.2001 do Conselho de Ministros e pauta aduaneira integrada da República da Bulgária, adoptada pelo decreto nº 289 de 20.12.2001 do Conselho de Ministros4).

(6) As concessões acima mencionadas serão complementadas e substituídas na data da entrada em vigor do presente protocolo pelas concessões que este estabelece,

1

JO L 358 de 31.12.1994, p. 3.

(11)

ACORDARAM NO SEGUINTE:

Artigo 1º

O regime de importação para a Comunidade aplicável a certos produtos agrícolas originários da Bulgária, constante dos Anexos A(a) e A(b), e o regime de importação para a Bulgária aplicável a certos produtos agrícolas originários da Comunidade, constante nos Anexos B(a) e B(b) do presente protocolo, substituirão os constantes dos Anexos X e XI, como referido nos nºs 2 e 3 do artigo 21º, na sua versão alterada, do Acordo Europeu que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e os seus Estados-Membros, por um lado, e a República da Bulgária, por outro.

Artigo 2º

Os anexos do presente protocolo são parte integrante do mesmo. O presente protocolo é parte integrante do Acordo Europeu.

Artigo 3º

O presente Protocolo será aprovado pela Comunidade e pela Bulgária segundo as suas formalidades próprias. As Partes contratantes adoptarão as medidas necessárias à sua execução.

As Partes contratantes notificar-se-ão mutuamente da conclusão das formalidades correspondentes em conformidade com o primeiro parágrafo.

Artigo 4º

Sob reserva da conclusão das formalidades previstas no artigo 3º, o presente protocolo entrará em vigor em 1 de Janeiro de 2003. Caso as referidas formalidades não sejam concluídas atempadamente, o presente protocolo entrará em vigor no primeiro dia do primeiro mês seguinte à notificação das Partes contratantes da conclusão das formalidades.

Artigo 5º

O presente protocolo é redigido em duplo exemplar nas línguas alemã, dinamarquesa, espanhola, finlandesa, francesa, grega, inglesa, italiana, neerlandesa, portuguesa, sueca e búlgara, fazendo igualmente fé qualquer dos textos.

Feito em Bruxelas, em

(12)

ANEXO A(a)

Os direitos aduaneiros de importação aplicáveis na Comunidade aos produtos em seguida

enumerados, originários da Bulgária, serão suprimidos - códigos NC(1)

0101 10 90 0709 52 00 0811 20 90 1211 90 30 2005 70 2008 92 94 2009 50 0101 90 19 0709 59 0811 90 19 1212 10 10 2005 90 10 2008 92 96 2009 71 0101 90 30 0709 60 99 0811 90 39 1212 10 99 2006 00 99 2008 92 97 2009 79 19 0101 90 90 0709 90 10 0811 90 50 1214 90 10 2007 91 90 2008 92 98 2009 79 30 0104 2 0709 90 20 0811 90 70 1302 19 05 2007 99 10 2008 99 11 2009 79 93 0106 19 10 0709 90 31 0811 90 85 1502 00 90 2007 99 31 2008 99 19 2009 79 99 0106 39 10 0709 90 40 0811 90 95 1503 00 19 2007 99 39 2008 99 23 2009 80 19 0204 2 0709 90 50 0812 10 00 1503 00 90 2007 99 58 2008 99 25 2009 80 36 0205 0709 90 90 0812 90 20 1504 10 10 2007 99 93 2008 99 26 2009 80 38 0206 80 91 0710 30 00 0812 90 40 1504 10 99 2007 99 98 2008 99 28 2009 80 50 0206 90 91 0710 80 10 0812 90 50 1504 20 10 2008 11 92 2008 99 36 2009 80 63 0207 27 91 0710 80 59 0812 90 60 1504 30 10 2008 11 94 2008 99 37 2009 80 69 0207 35 91 0710 80 80 0812 90 99 1507 2008 11 96 2008 99 38 2009 80 71 0207 36 89 0710 80 85 0813 10 00 1508 10 90 2008 11 98 2008 99 40 2009 80 73 0208 0711 20 10 0813 20 00 1508 90 2008 19 2008 99 43 2009 80 79 0210 92 00 0711 30 00 0813 30 00 1509 2008 20 19 2008 99 45 2009 80 88 0210 93 00 0711 40 00 0813 40 10 1510 2008 20 39 2008 99 46 2009 80 89 0210 99 10 0711 59 00 0813 40 30 1511 10 90 2008 20 51 2008 99 47 2009 80 95 0210 99 21 2 0711 90 10 0813 40 95 1511 90 2008 20 59 2008 99 49 2009 80 96 0210 99 29 2 0711 90 50 0813 50 15 1512 11 99 2008 20 71 2008 99 53 2009 80 97 0210 99 60 2 0711 90 80 0813 50 19 1512 19 99 2008 20 79 2008 99 55 2009 80 99 0210 99 79 0711 90 90 0813 50 39 1512 21 2008 20 91 2008 99 61 2009 90 19 0407 00 11 2 0712 20 00 0813 50 91 1512 29 2008 20 99 2008 99 62 2009 90 29 0407 00 19 2 0712 31 00 0813 50 99 1513 2008 30 11 2008 99 68 2009 90 39 0407 00 90 0712 32 00 0814 00 00 1514 2008 30 31 2008 99 72 2009 90 41 0408 11 802 0712 33 00 09 1515 2008 30 39 2008 99 78 2009 90 49 0408 19 812 0712 39 00 1006 10 10 1516 20 95 2008 30 51 2008 99 99 2009 90 51 0408 19 892 0712 90 05 1007 00 10 1516 20 96 2008 30 55 2009 11 19 2009 90 59 0408 91 802 0712 90 30 1008 2 1516 20 98 2008 30 59 2009 12 00 2009 90 73 0408 99 802 0712 90 50 1102 90 90 2 1518 00 31 2008 30 71 2009 19 19 2009 90 79 0409 00 00 0712 90 90 1103 19 90 2 1518 00 39 2008 30 75 2009 19 98 2009 90 95 0410 00 00 0713 1103 20 90 2 1522 00 91 2008 30 79 2009 21 00 2009 90 96 06 0714 20 1106 10 00 1602 20 11 2008 30 90 2009 29 19 2009 90 97 0701 10 00 0714 90 90 1106 30 1602 20 19 2008 60 2009 29 91 2302 50 00 0701 90 10 0802 1107 2 1602 31 2008 92 12 2009 29 99 2306 90 19 0703 0804 20 1108 20 00 1602 90 72 2 2008 92 14 2009 31 2308 00 90 0704 20 00 0806 20 1208 10 00 1602 90 74 2 2008 92 32 2009 39 19 2309 90 10 0704 90 90 0807 1209 10 00 1602 90 76 2 2008 92 34 2009 39 31 0705 19 00 0808 20 90 1209 21 00 1602 90 78 2 2008 92 36 2009 39 39 0705 21 00 0809 40 90 1209 23 80 2001 90 20 2008 92 38 2009 39 55 0705 29 00 0810 40 1209 29 50 2001 90 50 2008 92 51 2009 39 59 0706 0810 50 00 1209 29 60 2001 90 65 2008 92 59 2009 39 95 0708 10 00 0810 60 00 1209 29 80 2001 90 75 2008 92 72 2009 39 99 0709 10 00 0810 90 95 1209 30 00 2001 90 85 2008 92 74 2009 41 0709 20 00 0811 20 19 1209 91 2001 90 93 2008 92 76 2009 49 19 0709 30 00 0811 20 39 1209 99 91 2001 90 96 2008 92 78 2009 49 30 0709 40 00 0811 20 51 1209 99 99 2003 20 00 2008 92 92 2009 49 93 0709 51 00 0811 20 59 1210 2003 90 00 2008 92 93 2009 49 99

(1) Conforme definido no Regulamento (CE) nº 1832/2002 da Comissão, de 1 de Agosto de 2002, que altera o anexo I do Regulamento (CEE) nº 2658/87 do Conselho relativo à nomenclatura pautal e estatística e à pauta aduaneira comum (JO L 290 de 28.10.2002, p. 1).

(2) Os direitos aduaneiros de importação destes produtos serão suprimidos desde que estes últimos não beneficiem de restituições à exportação.

(13)

ANEXO A (b)

As importações na Comunidade dos produtos em seguida enumerados, originários da Bulgária, serão objecto das concessões a seguir indicadas

(NMF = direitos aplicáveis à nação mais favorecida)

Código NC Designação das mercadorias (1) aplicávelDireito

(% de NMF)(2) QUANTIDADE de 1.7.2002 a 30.6.2003 (toneladas) QUANTIDA-DE ANUAL de 1.7.2003 a 30.6.2004 (toneladas) AUMENTO ANUAL a partir de 1.7.2004 (toneladas) Disposições específicas

0102 90 05 Animais vivos da espécie bovina de peso não superior a 80 kg 10 178 000 cabeças 178 000 cabeças 0 (3)(14) 0102 90 21 0102 90 29 0102 90 41 0102 90 49

Animais vivos da espécie bovina de peso superior a 80 kg mas não superior a 300 kg

10 153 000 cabeças 153 000 cabeças 0 (3)(14)

ex 0102 90 Novilhas e vacas, não destinadas a abate, das seguintes raças de montanha: cinzenta, castanha, amarela, malhada do Simmental e Pinzgau 6 % ad valorem 7 000 cabeças 7 000 cabeças 0 (4)(14) 0201 0202

Carnes de animais da espécie bovina, frescas, refrigeradas ou congeladas Isenção 250 250 0 (14) ex0203 0210 11 0210 12 0210 19 1601 00 1602 41 1602 42 1602 49

Carnes de suínos das espécies domésticas, frescas, refrigeradas ou congeladas

Carnes de animais da espécie suína, salgadas, em salmoura, secas ou fumadas

Enchidos e produtos semelhantes

Preparações e conservas de carne, miudezas ou sangue de suíno

Isenção 2 500 3 000 500 (5)(13)

(14)

ex 0207 Carne e miudezas comestíveis de aves de capoeira da posição 0105, excepto dos códigos NC 0207 27 91, 0207 35 91, 0207 36 89 Isenção 6 050 6 050 0 (14) 0403 10 11 0403 10 13 0403 10 19 0403 10 31 0403 10 33 0403 10 39 Iogurte Isenção 250 500 0

0406 Queijos e requeijão Isenção 6 100 6 400 300 (13)(14)

0407 00 30 Ovos de aves domésticas, com casca, excepto para incubação Isenção 150 300 0 (13) 0701 90 50 0701 90 90 Batatas Isenção 4 100 5 000 0 (14) 0702 00 00 0702 00 00 Tomates Tomates Isenção 100 6 450 -6 550 -100 -(7)(8) (13)(14) (8) 0707 0707

Pepinos e pepininhos (cornichões), frescos ou refrigerados

Pepinos e pepininhos (cornichões), frescos ou refrigerados Isenção 100 8 375 -8 375 -850 -(7)(8)(14) (8)

(14)

Código NC Designação das mercadorias (1) aplicávelDireito (% de NMF)(2) QUANTIDADE de 1.7.2002 a 30.6.2003 (toneladas) QUANTIDA-DE ANUAL de 1.7.2003 a 30.6.2004 (toneladas) AUMENTO ANUAL a partir de 1.7.2004 (toneladas) Disposições específicas

0709 60 10 Pimentos doces ou pimentões Isenção 2 000 2 000 0 (14)

0709 90 70 0709 90 70 Aboborinhas Aboborinhas Isenção 100 50 -100 -0 -(7)(8) (8) 0710 21 00 0710 22 00 0710 29 00 0710 80 51 0710 80 69 0710 80 95

Produtos hortícolas, congelados Isenção 4 000 4 000 0 (14)

0711 51 00 2003 10 20 2003 10 30

Cogumelos, do género Agaricus Isenção 2 125 2 500 250 (14)

0806 10 10 0806 10 90 0806 10 10 Uvas frescas Uvas frescas Isenção 100 1 200 -1800 -0 -(7)(9)(14) (14) (9) 0808 10 10 0808 10 20 0808 10 50 0808 10 90 0808 10 20 0808 10 50 0808 10 90 Maçãs Maçãs Isenção 100 1 925 -2 3-25 -400 -(13)(14) (7)(10)(13)( 14) (10) 0808 20 10 0808 20 50 0808 20 50 Peras Peras Isenção 100 3 125 -3 125 -315 -(14) (7)(14)(11) (11) 0809 10 00 0809 10 00 Damascos Damascos Isenção 100 750 -750 -0 -(7)(8)(14) (8) 0809 20 0811 90 75 0811 90 80 0809 20 Cerejas Cerejas Isenção 100 1 600 -2 -200 -220 -(7)(8) (8) 0809 30 0809 30 Pêssegos Pêssegos Isenção 100 1 000 -1 000 -100 -(7)(12)(14) (12) 0809 40 05 0809 40 05 Ameixas Ameixas Isenção 100 9 375 9 375 -0 -(7)(9)(14) (9)

0810 10 00 Morangos, frescos Isenção 2 090 2 090 200 (6)(14)

0810 20 Framboesas, amoras, incluídas as silvestres, e amoras-framboesas

Isenção Ilimitada Ilimitada (6)

0810 30 Groselhas, incluindo o cassis Isenção Ilimitada Ilimitada (6)

0811 10 Morangos, congelados Isenção Ilimitada Ilimitada (6)

(15)

Código NC Designação das mercadorias (1) aplicávelDireito (% de NMF)(2) QUANTIDADE de 1.7.2002 a 30.6.2003 (toneladas) QUANTIDA-DE ANUAL de 1.7.2003 a 30.6.2004 (toneladas) AUMENTO ANUAL a partir de 1.7.2004 (toneladas) Disposições específicas

0812 90 10 Damascos, conservados transitoriamente Isenção 1 250 1 250 125 (14) 1001

1109 00 00

Trigo e mistura de trigo com centeio Glúten de trigo Isenção 126 400 250 000 25 000 (13)(14) (13) 1002 00 00 1102 10 00 1103 19 10 1103 20 10 Centeio Farinha de centeio

Grumos e sêmolas de centeio Pellets de centeio Isenção 2 000 4 000 400 (13) (13) (13) (13) 1003 1102 90 10 1103 19 30 1103 20 20 Cevada Farinha de cevada

Grumos e sêmolas de cevada Pellets de cevada Isenção 25 000 50 000 5 000 (13) (13) (13) (13) 1004 00 00 1102 90 30 1103 19 40 1103 20 30 Aveia Farinha de aveia

Grumos e sêmolas de aveia Pellets de aveia Isenção 1 250 2 500 250 (13) (13) (13) (13) 1005 10 90 1005 90 00 Milho Isenção 40 000 80 000 8 000 (13) 1512 11 10 1512 11 91 1512 19 10 1512 19 91

Óleos de girassol ou de cártamo e respectivas fracções

Isenção 1 750 3 000 0 (14)

1602 32 1602 39

Preparações e conservas de carne de aves de capoeira

Isenção 1 250 1 500 150 (13)(14)

1603 00 10 Extractos e sucos, em embalagens de conteúdo não superior a 1 kg

Isenção 50 100 10

2001 10 00 Pepinos, conservados Isenção 3 125 3 125 315 (14)

2001 90 70 Pimentos doces ou pimentões, conservados Isenção 250 500 50

2002 Tomates, preparados ou conservados Isenção 16 900 17 100 200 (13)(14)

2005 10 00 2005 20 20 2005 20 80 2005 40 00 2005 51 00 2005 59 00 2005 60 00 2005 90 30 2005 90 50 2005 90 60 2005 90 70 2005 90 75 2005 90 80

Outros produtos hortícolas, preparados ou conservados

Isenção 1 500 3 000 300

2007 99 33 Doce de morango Isenção 250 250 25 (7)(14)

2008 40 11 2008 40 21 2008 40 29 2008 40 39 2008 40 51 2008 40 59 2008 40 71 2008 40 79 2008 40 91 2008 40 99

(16)

Código NC Designação das mercadorias (1) aplicávelDireito (% de NMF)(2) QUANTIDADE de 1.7.2002 a 30.6.2003 (toneladas) QUANTIDA-DE ANUAL de 1.7.2003 a 30.6.2004 (toneladas) AUMENTO ANUAL a partir de 1.7.2004 (toneladas) Disposições específicas

2008 50 Damascos, preparados ou conservados Isenção 500 500 50 (14)

2008 70 Pêssegos, preparados ou conservados Isenção 750 750 75 (14)

2008 80 Morangos, preparados ou conservados Isenção 650 650 65 (14)

2309 10 51 2309 10 90

Alimentos para cães e gatos Isenção 250 500 0

2309 90 31 2309 90 41

Preparações dos tipos utilizados na alimentação dos animais

Isenção 3 500 3 500 0 (14) 2401 10 10 2401 10 60 2401 10 70 2401 20 10 2401 20 60 2401 20 70 Tabaco Isenção 7 500 7 500 0 (14)

(1) Não obstante as regras referentes à interpretação da Nomenclatura Combinada, a redacção da designação das mercadorias deve ser considerada meramente indicativa, sendo o regime preferencial, no contexto do presente anexo, determinado pelo âmbito do código NC. Sempre que sejam mencionados códigos ex da NC, o regime preferencial deve ser determinado pela aplicação conjunta dos códigos NC e da designação correspondente.

(2) No caso de existir um direito NMF mínimo, o direito mínimo aplicável é equivalente ao direito NMF mínimo multiplicado pela percentagem indicada nesta coluna.

(3) O contingente referente a este produto está aberto aos seguintes países: Bulgária, República Checa, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia, Roménia e República Eslovaca. Sempre que seja provável que o total das importações para a Comunidade de animais vivos da espécie bovina possa exceder 500 000 cabeças numa determinada campanha de comercialização, a Comunidade poderá adoptar as medidas de gestão necessárias para proteger o seu mercado, sem prejuízo de quaisquer outros direitos conferidos pelo acordo.

(4) O contingente referente a este produto está aberto aos seguintes países: Bulgária, República Checa, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia, Roménia e República Eslovaca.

(5) Excepto lombinho apresentado isoladamente.

(6) Sujeito a regime de preços mínimos de importação incluído no anexo do presente anexo. (7) A redução aplica-se unicamente à parte ad valorem do direito.

(8) Sistema de preços de entrada: para todas as importações (dentro e fora dos contingentes pautais) dos códigos NC 0702 (tomates), 0707.00.05 (pepinos), 0709.90.70 (aboborinhas), 0809.10 (damascos) e 0809.20 (cerejas), são introduzidas cinco fases adicionais (10%, 12%, 14% 16% e 18%), a utilizar antes da aplicação do direito específico pleno, em conformidade com a Nomenclatura Combinada.

(9) Sistema de preços de entrada: para todas as importações (dentro e fora dos contingentes pautais) de produtos dos códigos NC 0806.10.10 (uvas) e 0809.40.05 (ameixas), são introduzidas três fases adicionais (10%, 12% e 14%), a utilizar antes da aplicação do direito específico pleno, em conformidade com a Nomenclatura Combinada. Além disso, as importações da Bulgária na Comunidade de ameixas destinadas à transformação, em contentores imediatos de conteúdo líquido superior a 250 kg (código NC ex 0809 40 05), serão isentas do direito específico. A admissão nesta subposição é sujeita às condições estabelecidas nas disposições pertinentes comunitárias (ver artigos 291º a 300º do Regulamento (CEE) nº 2454/1993 (JO L 253 de 11.10.1993, p. 71) e alterações posteriores.

(10) Sistema de preços de entrada: para todas as importações (dentro e fora dos contingentes pautais) de produtos dos códigos NC 0808.10.20, 0808.10.50, 0808.10.90 (maçãs), serão aplicadas as seguintes concessões:

- são introduzidas cinco fases adicionais (10%, 12%, 14%, 16% e 18%) para o período de 1 de Janeiro a 14 de Fevereiro, a utilizar antes da aplicação do direito específico pleno, em conformidade com a Nomenclatura Combinada,

(17)

- são introduzidas duas fases adicionais (16% e 18%) para o período de 1 de Abril a 15 de Julho, a utilizar antes da aplicação do direito específico pleno, em conformidade com a Nomenclatura Combinada,

- são introduzidas cinco fases adicionais (10%, 12%, 14%, 16% e 18%) para o período de 16 de Julho a 31 de Dezembro, a utilizar antes da aplicação do direito específico pleno, em conformidade com a Nomenclatura Combinada.

(11) Sistema de preços de entrada: para todas as importações (dentro e fora dos contingentes pautais) de produtos do código NC 0808.20.50 (peras), serão aplicadas as seguintes concessões:

- são introduzidas cinco fases adicionais (10%, 12%, 14%, 16% e 18%) para o período de 1 de Janeiro a 31 de Fevereiro, a utilizar antes da aplicação do direito específico pleno, em conformidade com a Nomenclatura Combinada,

- são introduzidas duas fases adicionais (16% e 18%) para o período de 1 a 30 de Abril e de 1 a 15 de Julho, a utilizar antes da aplicação do direito específico pleno, em conformidade com a Nomenclatura Combinada,

- são introduzidas cinco fases adicionais (10%, 12%, 14%, 16% e 18%) para o período de 16 de Julho a 31 de Dezembro, a utilizar antes da aplicação do direito específico pleno, em conformidade com a Nomenclatura Combinada.

(12) Sistema de preços de entrada: para todas as importações (dentro e fora dos contingentes pautais) de produtos do código NC 0809.30 (pêssegos, incluídas as nectarinas), serão aplicadas as seguintes concessões:

- são introduzidas três fases adicionais (10%, 12% e 14%) para o período de 11 de Junho a 31 de Julho, a utilizar antes da aplicação do direito específico pleno, em conformidade com a Nomenclatura Combinada,

- são introduzidas cinco fases adicionais (10%, 12%, 14%, 16% e 18%) para o período de 1 de Agosto a 30 de Setembro, a utilizar antes da aplicação do direito específico pleno, em conformidade com a Nomenclatura Combinada.

(13) Esta concessão aplica-se apenas a produtos que não beneficiam de qualquer tipo de subsídio à exportação.

(14) As quantidades de mercadorias sujeitas aos contingentes pautais existentes e colocadas em livre circulação desde 1 de Julho de 2002 antes da entrada em vigor do presente protocolo serão inteiramente deduzidas das quantidades previstas na quarta coluna.

(18)

ANEXO DO ANEXO A(b)

Regime de preços mínimos de importação para determinados frutos de bagas destinados a transformação

1. São fixados preços mínimos de importação para os seguintes produtos destinados a transformação, originários da Bulgária:

Código NC Designação das mercadorias

Preço mínimo de importação (EUR/100 kg líquidos)

ex 0810 10 00 Morangos, frescos, destinados a transformação 51,4 ex 0810 20 10 Framboesas, frescas, destinadas a transformação 63,1 ex 0810 30 10 Groselhas de cachos negros, frescas, destinadas a transformação 38,5 ex 0810 30 30 Groselhas de cachos vermelhas, frescas, destinadas a transformação 23,3 ex 0811 10 90 Morangos congelados, sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes: fruto

inteiro

75,0 ex 0811 10 90 Morangos congelados, sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes: outros 57,6 ex 0811 20 31 Framboesas congeladas, sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes:

fruto inteiro

99,5 ex 0811 20 31 Framboesas congeladas, sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes:

outros

79,6

2. Os preços mínimos de importação, definidos no artigo 1º, serão respeitados com base em cada remessa. No caso de o valor da declaração aduaneira ser inferior ao preço mínimo de importação, será cobrado um direito compensador equivalente à diferença entre o preço mínimo de importação e o valor da declaração aduaneira.

3. Se o preço de importação de um determinado produto abrangido pelo presente anexo revelar uma tendência que indique que os preços poderão descer abaixo do preço mínimo de importação no futuro imediato, a Comissão Europeia informará as autoridades búlgaras, de forma a permitir que estas corrijam a situação.

4. A pedido da Comunidade ou da Bulgária, o comité de associação analisará o funcionamento do sistema ou a revisão do nível dos preços mínimos de importação. Se tal for necessário, o comité de associação adoptará as decisões adequadas.

5. Para incentivar e fomentar o desenvolvimento das trocas comerciais e para benefício mútuo das Partes, será organizada uma reunião de consulta três meses antes do início de cada campanha de comercialização na Comunidade Europeia. Esta reunião de consulta contará com a presença, por um lado, da Comissão Europeia e das organizações europeias de produtores dos produtos em causa e, por outro lado, das autoridades e das organizações de produtores e de exportadores de todos os países associados exportadores.

Durante esta reunião consultiva, será discutida a situação do mercado das frutas de bagas, nomeadamente as previsões de produção, a situação das existências, a evolução dos preços e as possíveis evoluções do mercado, bem como as possibilidades de adaptação da oferta à procura.

(19)

ANEXO B(a)

Os direitos aduaneiros de importação aplicáveis na Bulgária aos produtos em seguida enumerados,

originários da Comunidade, serão suprimidos - códigos pautais búlgaros(1)

0101 10 90 0207 27 91 0709 60 99 0812 90 20 1404 2001 90 50 2008 92 74 0101 90 11 0207 34 0709 90 10 0812 90 30 1501 00 11 2001 90 65 2008 92 76 0101 90 19 0207 35 91 0709 90 20 0812 90 40 1502 2001 90 75 2008 92 78 0101 90 30 0207 36 81 0709 90 31 0812 90 50 1503 2001 90 85 2008 92 92 0101 90 90 0207 36 85 0709 90 40 0812 90 60 1507 2001 90 91 2008 92 93 0102 90 90 0207 36 89 0709 90 50 0812 90 70 1508 2001 90 93 2008 92 94 0104 10 10 2 0208 0709 90 90 0812 90 99 1509 2001 90 96 2008 92 96 0104 10 30 2 0210 92 00 0710 30 00 0813 1510 2003 20 00 2008 92 97 0104 10 80 2 0210 93 00 0710 80 10 0814 00 00 1511 2003 90 00 2008 92 98 0104 20 10 2 0210 99 10 0710 80 59 0901 1512 11 99 2005 70 2008 99 11 0104 20 90 2 0210 99 21 2 0710 80 80 0902 1512 19 99 2005 90 10 2008 99 19 0105 19 20 0210 99 29 2 0710 80 85 0903 00 00 1512 21 2006 00 10 2008 99 23 0105 19 90 0210 99 60 2 0711 20 0904 1512 29 2006 00 91 2008 99 25 0106 11 00 0210 99 71 0711 30 00 0905 00 00 1513 2006 00 99 2008 99 26 0106 12 00 0210 99 79 0711 59 00 0908 1514 2007 91 90 2008 99 28 0106 19 10 0407 00 11 2 0711 90 10 0909 1515 11 00 2007 99 93 2008 99 36 0106 19 90 0407 00 19 2 0711 90 50 0910 1515 19 10 2008 11 92 2008 99 37 0106 20 00 0407 00 90 0711 90 80 1005 10 11 1515 19 90 2008 11 94 2008 99 38 0106 31 00 0408 11 20 2 0711 90 90 1005 10 13 1515 21 10 2008 11 96 2008 99 40 0106 32 00 0408 11 80 2 0712 20 00 1005 10 15 1515 21 90 2008 11 98 2008 99 41 0106 39 10 0408 19 2 0712 90 05 1005 10 19 1515 29 10 2008 19 2008 99 43 0106 39 90 0408 91 20 2 0712 90 11 1006 10 10 1515 29 90 2008 20 19 2008 99 45 0106 90 00 0408 91 80 2 0712 90 30 1007 00 10 1515 30 10 2008 20 39 2008 99 46 0204 10 00 2 0408 99 20 2 0712 90 50 1008 2 1515 30 90 2008 20 51 2008 99 47 0204 21 00 2 0408 99 80 2 0712 90 90 1102 90 90 2 1515 40 00 2008 20 59 2008 99 49 0204 222 0409 00 00 0713 10 1103 19 90 2 1515 50 11 2008 20 71 2008 99 51 0204 23 00 2 0410 00 00 0713 20 00 1103 20 90 2 1515 50 19 2008 20 79 2008 99 53 0204 30 00 2 0501 00 00 0713 31 00 1106 10 00 1515 50 91 2008 20 91 2008 99 55 0204 41 00 2 0502 0713 32 00 1106 30 1515 50 99 2008 20 99 2008 99 61 0204 42 10 2 0503 00 00 0713 33 1107 2 1515 90 21 2008 30 11 2008 99 62 0204 42 30 2 0504 00 00 0713 39 00 1108 20 00 1515 90 29 2008 30 31 2008 99 68 0204 42 50 2 0511 10 00 0713 40 00 1201 1515 90 31 2008 30 39 2008 99 72 0204 42 90 2 0511 91 0713 50 00 1202 1515 90 39 2008 30 51 2008 99 78 0204 43 10 2 0511 99 0713 90 1203 00 00 1515 90 40 2008 30 55 2008 99 99 0204 43 90 2 0601 0714 20 1204 1515 90 51 2008 30 59 2009 11 19 0204 50 2 0602 0714 90 90 1205 1515 90 59 2008 30 71 2009 12 00 0205 0603 0801 1206 1515 90 60 2008 30 75 2009 19 19 0206 10 10 0604 0802 1207 1515 90 91 2008 30 79 2009 19 98 0206 10 91 0701 10 0803 1208 1515 90 99 2008 30 90 2009 21 00 0206 10 99 0703 20 00 0804 1209 1516 20 95 2008 60 11 2009 29 19 0206 22 00 0703 90 00 0805 1210 1516 20 96 2008 60 31 2009 29 91 0206 29 10 0704 20 00 0806 20 1211 1516 20 98 2008 60 51 2009 29 99 0206 29 99 0704 90 90 0807 1212 10 1518 00 31 2008 60 59 2009 31 11 0206 30 20 0705 19 00 0808 20 90 1212 30 00 1518 00 39 2008 60 71 2009 31 19 0206 30 301 0705 21 00 0810 40 1212 99 80 1522 00 91 2008 60 79 2009 31 51 0206 30 801 0705 29 00 0810 50 00 1213 00 00 1522 00 99 2008 60 91 2009 31 59 0206 41 201 0706 90 0810 60 00 1214 1602 31 2008 60 99 2009 31 91 0206 41 801 0708 10 00 0810 90 1301 1602 90 72 2 2008 92 12 2009 31 99 0206 49 201 0709 10 00 0811 20 39 1302 11 00 1602 90 74 2 2008 92 14 2009 39 31 0206 49 801 0709 20 00 0811 20 51 1302 19 05 1602 90 76 2 2008 92 32 2009 39 19 0206 80 10 0709 40 00 0811 90 31 1302 19 98 1602 90 78 2 2008 92 34 2009 39 39 0206 80 91 0709 51 00 0811 90 39 1302 32 90 1603 00 80 2008 92 36 2009 39 55 0206 80 99 2 0709 52 00 0811 90 70 1302 39 00 1801 00 00 2008 92 38 2009 39 59

(20)

0206 90 10 0709 59 0811 90 85 1401 1802 00 00 2008 92 51 2009 39 95 0206 90 91 0709 60 91 0811 90 95 1402 00 00 2001 90 10 2008 92 59 2009 39 99 0206 90 99 2 0709 60 95 0812 10 00 1403 00 00 2001 90 20 2008 92 72 2009 41 10 2009 41 91 2009 79 19 2009 80 63 2009 80 96 2009 90 51 2302 50 00 0 2307 00 11 0 2009 41 99 2009 79 30 2009 80 69 2009 80 97 2009 90 59 2303 10 19 0 2307 00 90 0 2009 49 19 2009 79 93 2009 80 71 2009 80 99 2009 90 73 2303 10 90 0 2308 00 11 0 2009 49 30 2009 79 99 2009 80 73 2009 90 19 2009 90 79 2303 20 2308 00 40 2009 49 93 2009 80 19 2009 80 79 2009 90 29 2009 90 95 2303 30 00 0 2308 00 90 2009 49 99 2009 80 36 2009 80 88 2009 90 39 2009 90 96 2304 00 00 0 2309 10 31 0 2009 50 2009 80 38 2009 80 89 2009 90 41 2009 90 97 2305 00 00 0 2309 90 10 2009 71 2009 80 50 2009 80 95 2009 90 49 2301 2306

(1) Conforme definido na Nomenclatura Pautal da República da Bulgária, adoptada pelo decreto nº 289 do Conselho de Ministros (Jornal Oficial nº 1/2002).

(2) Os direitos aduaneiros de importação destes produtos serão suprimidos desde que os referidos produtos não beneficiem de restituições à exportação e, no caso dos produtos cerealíferos (capítulos 10 e 11 da NC), desde que sejam acompanhados por um certificado de exportação com uma indicação para esse efeito.

(21)

ANEXO B(b)

As importações na Bulgária dos produtos em seguida enumerados originários da Comunidade serão objecto das concessões a seguir indicadas

(NMF = direitos aplicáveis à nação mais favorecida)

Direito aplicável (2) QUANTI-DADE de 1.7.2002 a 30.6.2003 (toneladas) QUANTIDA DE ANUAL de 1.7.2003 a 30.6.2004 (toneladas) AUMENTO ANUAL a partir de 1.7.2004 (toneladas) Disposições específicas Código pautal búlgaro

Designação das mercadorias(1)

Coluna I % de NMF Coluna II % ad valorem 0105 11 0105 99 10 0105 99 20

Aves de capoeira vivas, de peso não superior a 185 gr:

De galos ou de galinhas da espécie Gallus domesticus Patos Gansos Isenção 218 400 40 (4) 0202 20 30 0 0202 20 50 0

Quartos dianteiros não desossados, congelados Quartos traseiros não desossados, congelados

15 8,5 8 149 8 149 0 (4) ex0203 0210 11 0210 12 0210 19 1601 00 1602 41 1602 42 1602 49

Carnes de suínos das espécies domésticas, frescas, refrigeradas ou congeladas

Carnes de animais da espécie suína, salgadas, em salmoura, secas ou fumadas

Enchidos e produtos semelhantes

Preparações e conservas de carne, miudezas ou sangue de suíno

- Isenção 8 000 8 500 500 (3)(4)

0207 Carnes e miudezas comestíveis de aves de capoeira Isenção 1 000 1 000 0 (4) 0402 10

0402 21

Leite e nata, em pó, grânulos ou outras formas sólidas

10 2 977 3 000 0 (4)

0405 10 0405 90

Manteiga e outras matérias gordas provenientes do leite

20 87 100 0 (4)

0406 Queijos e requeijão - Isenção 2 700 3 000 300 (3)(4)

0407 00 30 Ovos de aves domésticas, com casca, excepto para incubação

Isenção 150 300 0 (3)

0702 00 00 Tomates, frescos - Isenção 700 800 100 (3)(4)

0706 10 00 0 Cenouras e nabos - Isenção 255 255 25 (4)

0707 Pepinos e pepininhos (cornichões) - Isenção 1 130 1 130 115 (4)

0709 30 00 0 0709 90 39 0709 90 60

Beringelas

Outros produtos hortícolas

- Isenção 75 100 10 (4)

0709 60 10 Pimentos doces ou pimentões - Isenção 145 150 0 (4)

(22)

Direito aplicável (2) QUANTI-DADE de 1.7.2002 a 30.6.2003 (toneladas) QUANTIDA DE ANUAL de 1.7.2003 a 30.6.2004 (toneladas) AUMENTO ANUAL a partir de 1.7.2004 (toneladas) Disposições específicas Código pautal búlgaro

Designação das mercadorias(1)

Coluna I % de NMF Coluna II % ad valorem 0710 10 00 0710 22 00 0710 29 00 0710 80 51 0710 80 61 0710 80 69 0710 80 95 0710 90 00

Produtos hortícolas, congelados - Isenção 260 300 30 (4)

0710 21 00 0 Ervilhas (pisum sativum), congeladas - Isenção 115 150 15 (4)

0806 10 Uvas frescas - Isenção 1 450 1 800 0 (4)

0808 10 Maçãs - Isenção 4 680 5 080 400 (3)(4)

0808 20 50 9 Peras, excepto de 1 de Abril a 30 de Junho - Isenção 350 500 50 (4)

0809 10 00 0 Damascos - Isenção 320 500 0 (4)

0809 20 0811 90 75 0811 90 80

Cerejas - Isenção 100 200 20

0809 30 Pêssegos, incluídas as nectarinas - Isenção 2 025 2 030 0 (4)

0811 20 Framboesas, amoras, incluídas as silvestres, amoras-framboesas e groselhas

- Isenção 60 100 0 (4)

1001 1109 00 00

Trigo e mistura de trigo com centeio Glúten de trigo - Isenção 27 500 55 000 5 500 (3) 1002 00 00 1102 10 00 1103 19 10 1103 20 10 Centeio Farinha de centeio

Grumos e sêmolas de centeio Pellets de centeio - Isenção 500 1 000 100 (3) 1003 1102 90 10 1103 19 30 1103 20 20 Cevada Farinha de cevada

Grumos e sêmolas de cevada Pellets de cevada - Isenção 7 550 15 000 1 500 (3)(4) 1004 1102 90 30 1103 19 40 1103 20 30 Aveia Farinha de aveia

Grumos e sêmolas de aveia Pellets de aveia

- Isenção 700 1 200 120 (3)(4)

1005 10 90 1005 90

Milho - Isenção 14 000 28 000 2 800 (3)

1006 30 Arroz semibranqueado ou branqueado 15 12,75 2 880 2 880 0 (4)

1103 19 50 1103 20 50

Sêmolas e pellets de arroz - 25 13 671 13 671 0 (4)

1108 13 00 1108 14 00 1108 19

Fécula de batata Fécula de mandioca Outros amidos e féculas

(23)

Direito aplicável (2) QUANTI-DADE de 1.7.2002 a 30.6.2003 (toneladas) QUANTIDA DE ANUAL de 1.7.2003 a 30.6.2004 (toneladas) AUMENTO ANUAL a partir de 1.7.2004 (toneladas) Disposições específicas Código pautal búlgaro

Designação das mercadorias(1)

Coluna I % de NMF Coluna II % ad valorem 1512 11 10 1512 11 91 1512 19 10 1512 19 91

Óleos de girassol ou de cártamo e respectivas fracções

- Isenção 1 500 3 000 0

ex 1515 90 15 Óleos de oiticica, cera de mirica e cera do Japão; respectivas fracções

- Isenção Ilimitada Ilimitada

1517 10 Margarina, excepto a margarina líquida 30 10,5 1 316 1 316 0 (4)

1602 10 00 0 1602 20

Preparações homogeneizadas de conservas de carne Preparações homogeneizadas de fígados de quaisquer animais

- Isenção 75 100 10 (4)

1602 32 1602 39

Preparações e conservas de carne de aves de capoeira

- Isenção 1 250 1 500 0 (3)(4)

1602 50 Outras preparações e conservas de carne, miudezas ou sangue de animais da espécie bovina

- Isenção 100 100 10 (4)

1603 00 10 Extractos e sucos, em embalagens de conteúdo não superior a 1 kg

- Isenção 50 100 10

1701 99 00 0 Açúcares, excepto em bruto, sem adição de aromatizantes ou de corantes

15 34 21 888 21 888 0 (4)

1703 Melaços - Isenção 10 000 20 000 2 000 (3)

2002 Tomates, preparados ou conservados - Isenção 2 400 2 600 200 (3)(4)

2004 10 10 2004 10 99

Batatas, preparadas ou conservadas, excepto em vinagre ou em ácido acético, congeladas

- Isenção 535 535 55 (4) 2005 10 00 2005 20 20 2005 20 80 2005 40 00 2005 51 00 2005 59 00 2005 60 00 2005 90 30 2005 90 50 2005 90 60 2005 90 70 2005 90 75 2005 90 80

Outros produtos hortícolas, preparados ou conservados

- Isenção 200 400 40

2007 10 Preparações homogeneizadas - Isenção 155 155 15 (4)

2008 40 11 2008 40 21 2008 40 29 2008 40 39 2008 40 51 2008 40 59 2008 40 71 2008 40 79 2008 40 91 2008 40 99

(24)

Direito aplicável (2) QUANTI-DADE de 1.7.2002 a 30.6.2003 (toneladas) QUANTIDA DE ANUAL de 1.7.2003 a 30.6.2004 (toneladas) AUMENTO ANUAL a partir de 1.7.2004 (toneladas) Disposições específicas Código pautal búlgaro

Designação das mercadorias(1)

Coluna I % de NMF Coluna II % ad valorem 2009 11 11 2009 11 91 2009 11 99 2009 19 11 2009 19 91

Sumos de laranja, congelados Outros sumos de laranja

- Isenção 520 520 0 (4) 2009 29 11 2009 39 11 2009 39 51 2009 39 91 2009 49 11 2009 49 91 2009 90 11 2009 90 21 2009 90 31 2009 90 71 2009 90 92 2009 90 94 2009 90 98

Sumo de toranja (grapefruit) Sumo de qualquer outro citrino Sumo de ananás (abacaxi) Mistura de sumos

- Isenção 462 462 50 (4)

2009 60 Sumo de uva (incluindo os mostos de uvas) 15 34 385 385 0 (4)

2303 10 11 0 Resíduos da fabricação do amido de milho, de teor em proteínas superior a 40%, em peso

- Isenção 443 443 0 (4)

2309 10 11 2309 10 51 2309 10 90

Alimentos para cães e gatos - Isenção 750 1 500 150

2309 90 excepto 2309 90 10

Preparações dos tipos utilizados na alimentação de animais, excepto alimentos para cães e gatos, acondicionados para a venda a retalho

15 8,5 12 752 12 752 0 (4)

2401 10 2401 20

Tabaco - Isenção 6 000 6 000 0 (4)

(1) Não obstante as regras referentes à interpretação da pauta aduaneira búlgara (PAB), a redacção da designação das mercadorias deve ser considerada meramente indicativa, sendo o regime preferencial, no contexto do presente anexo, determinado pelo âmbito do código PAC. Sempre que sejam mencionados códigos ex da PAB, o regime preferencial deve ser determinado pela aplicação conjunta dos códigos PAB e da designação correspondente.

(2) Sempre que sejam indicados direitos nas duas colunas (I e II), o direito aplicável será o mais baixo dos dois em termos ad valorem.

(3) Esta concessão é aplicável apenas a produtos que não beneficiem de qualquer tipo de subsídio à exportação e, no caso dos produtos cerealíferos (capítulos 10 e 11 da NC), desde que sejam acompanhados por um certificado de exportação com uma indicação para esse efeito.

(4) As quantidades de mercadorias sujeitas aos contingentes pautais existentes e colocadas em livre circulação desde 1 de Julho de 2002, antes da entrada em vigor do presente protocolo, serão inteiramente deduzidas das quantidades previstas na quinta coluna.

Imagem

Referências