Ano CXLV N o Brasília - DF, quinta-feira, 31 de julho de 2008

Texto

(1)

Ano CXLV N

o

-146

Brasília - DF, quinta-feira, 31 de julho de 2008

Sumário

.

PÁGINA

Atos do Poder Executivo... 1

Presidência da República ... 11

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ... 13

Ministério da Ciência e Tecnologia ... 16

Ministério da Cultura ... 16

Ministério da Defesa ... 16

Ministério da Educação ... 17

Ministério da Fazenda... 18

Ministério da Justiça ... 35

Ministério da Previdência Social... 41

Ministério da Saúde ... 41

Ministério das Cidades... 47

Ministério das Comunicações ... 51

Ministério de Minas e Energia... 53

Ministério do Desenvolvimento Agrário... 66

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ... 66

Ministério do Esporte... 66

Ministério do Meio Ambiente ... 67

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão... 84

Ministério do Trabalho e Emprego ... 94

Ministério do Turismo ... 97

Ministério dos Transportes ... 97

Ministério Público da União ... 98

Tribunal de Contas da União ... 99

Poder Judiciário... 135 Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais . 135

Atos do Poder Executivo

.

<!ID1276980-1>

DECRETO No

-6.518, DE 30 DE JULHO DE 2008 Dispõe sobre a execução do Sexagésimo Oitavo Protocolo Adicional ao Acordo de Complementação Econômica no2, assinado

entre os Governos da República Federativa do Brasil e da República Oriental do Uru-guai, em 17 de julho de 2008.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e

Considerando que o Tratado de Montevidéu de 1980, que criou a Associação Latino-Americana de Integração (ALADI), fir-mado pelo Brasil em 12 de agosto de 1980 e promulgado pelo Decreto no87.054, de 23 de março de 1982, prevê a modalidade de

Acordo de Complementação Econômica;

Considerando que os Plenipotenciários da República Fede-rativa do Brasil, e da República Oriental do Uruguai, com base no Tratado de Montevidéu de 1980, assinaram em 20 de dezembro de 1982, em Montevidéu, o Acordo de Complementação Econômica no

2, promulgado pelo Decreto n° 88.419, de 20 de junho de 1983;

Considerando que os Plenipotenciários da República Fede-rativa do Brasil e da República Oriental do Uruguai, com base no Tratado de Montevidéu de 1980, assinaram, em 17 de julho de 2008, em Montevidéu, o Sexagésimo Oitavo Protocolo Adicional ao Acordo de Complementação Econômica no2, relativo ao Acordo sobre

Po-lítica Automotiva Comum;

D E C R E T A :

Art. 1oO Sexagésimo Oitavo Protocolo Adicional ao Acordo

de Complementação Econômica no2, entre os Governos da República

Federativa do Brasil e da República Oriental do Uruguai, assinado em 17 de julho de 2008, em Montevidéu, apenso por cópia ao presente Decreto, será executado e cumprido tão inteiramente como nele se contém.

Art. 2oEste Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 30 de julho de 2008; 187oda Independência e 120o

da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

Samuel Pinheiro Guimarães Neto

ACORDO DE COMPLEMENTAÇÃO ECONÔMICA No2 CELEBRADO ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI

Sexagésimo Oitavo Protocolo Adicional

Os Plenipotenciários da República Federativa do Brasil e da República Oriental do Uruguai, acreditados por seus respectivos Go-vernos segundo poderes outorgados em boa e justa forma e de-positados oportunamente junto à Secretaria-Geral da Associação La-tino-Americana de Integração (ALADI),

CONSIDERANDO:

Os objetivos maiores de consolidar a integração regional, em conformidade com os princípios do Tratado de Assunção, e fomentar a integração das cadeias produtivas do setor automotivo;

A importância de incentivar novos investimentos no setor automotivo de ambos os países e reduzir o desequilíbrio do comércio do setor automotivo entre Brasil e Uruguai, sem prejuízo dos atuais níveis de comércio;

A necessidade de revisar o Acordo Automotivo Bilateral Brasil - Uruguai disposto no 62oProtocolo Adicional ao ACE 2 e

prorrogado pelos 65o, 66oe 67oProtocolos Adicionais ao ACE No2

até 30 de junho de 2008,

R E S O LV E M :

Artigo 1°.- Incorporar ao Acordo de Complementação Eco-nômica No2 o anexo "Acordo sobre a Política Automotiva Comum

entre a República Federativa do Brasil e a República Oriental do Uruguai" (Acordo Automotivo), que faz parte do presente Protocolo. Artigo 2o- Com base no Protocolo de Ouro Preto, as Partes

manifestam sua disposição e compromisso de iniciar as negociações para estabelecer uma Política Automotiva do MERCOSUL (PAM) no âmbito do Acordo de Complementação Econômica No18.

Artigo 3o - O Acordo incorporado pelo presente Protocolo

permanecerá em vigor por seis anos, ou até que a Política do MER-COSUL disponha o contrário. As Partes estabelecerão as condições para os períodos posteriores aos expressamente estabelecidos neste Acordo, mantendo-se em caso contrário as estabelecidas para o úl-timo período acordado.

Artigo 4o- O presente Protocolo Adicional entrará em vigor

simultaneamente no território de ambas as Partes na data em que a Secretaria Geral da ALADI comunicar ter recebido, dos dois países, a notificação de que foram cumpridas as formalidades necessárias para sua aplicação.

A Secretaria-Geral da ALADI será depositária do presente Protocolo, do qual enviará cópias devidamente autenticadas aos Go-vernos signatários.

EM FÉ DO QUE, os respectivos Plenipotenciários assinam o presente Protocolo na cidade de Montevidéu, aos dias do mês de julho de dois mil e oito, em um original nos idiomas português e espanhol, sendo ambos os textos igualmente válidos. (a.:) Pelo Go-verno da República Federativa do Brasil: José Humberto de Brito Cruz; Pelo Governo da República Oriental do Uruguai: ... .

ANEXO

ACORDO SOBRE A POLÍTICA AUTOMOTIVA COMUM ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

E A REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI

TÍTULO I

ÂMBITO DE APLICAÇÃO E DEFINIÇÕES

ARTIGO 1o- Âmbito de Aplicação

As disposições contidas neste Acordo serão aplicadas ao intercâmbio comercial dos bens listados a seguir, doravante deno-minados Produtos Automotivos, sempre que se tratar de bens novos, compreendidos nos códigos da Nomenclatura Comum do MERCO-SUL (NCM), com suas respectivas descrições, que figuram no Apên-dice I deste Acordo.

a) automóveis e veículos comerciais leves (até 1.500 kg de capacidade de carga)

b) ônibus c) caminhões

d) tratores rodoviários para semi-reboques e) chassis com motor

f) reboques e semi-reboques g)carrocerias e cabinas

h) tratores agrícolas, colheitadeiras e máquinas agrícolas au-topropulsadas

i) máquinas rodoviárias autopropulsadas j) autopeças

k) veículos utilitários com capacidade de carga útil acima de 1.500 kg e peso bruto total (PBT) de até 3.500 kg.

ARTIGO 2o- Definições

Para os fins do presente Acordo considerar-se-á:

Autopeças: peças, conjuntos e subconjuntos, incluindo pneu-máticos, utilizados nos veículos incluídos nas alíneas "a" a "i" e "k" do Artigo 1o, bem como as peças necessárias aos subconjuntos e

conjuntos da alínea "j" do Artigo 1o. As autopeças podem ser

des-tinadas à produção ou ao mercado de reposição.

Condições Normais de Fornecimento: capacidade de forne-cimento ao mercado das Partes em condições adequadas de qualidade, preço e com garantia de continuidade no fornecimento.

Conjunto: unidade funcional formada por peças e/ou sub-conjuntos, com função específica no veículo.

Preço "Ex-fabrica": preço de venda no mercado interno sem impostos, sem gastos de distribuição, de transporte, de promoção de vendas, de comercialização e de serviços posteriores à venda.

Órgão Competente: órgão de governo de cada Parte res-ponsável pela implementação, acompanhamento e controle dos pro-cedimentos operacionais do presente Acordo.

(2)

Nº 146, quinta-feira, 31 de julho de 2008

1

Peça: produto elaborado e terminado, tecnicamente

carac-terizado por sua individualidade funcional, não composto por outras partes ou peças que possam ter aplicação separada e que se destina a integrar fisicamente um subconjunto ou conjunto, com função es-pecífica mecânica ou estrutural e que não é passível de ser ca-racterizado como matéria-prima.

Programa de Integração Progressiva - PIP: programa de fa-bricação com incremento progressivo do Índice de Conteúdo Re-gional (ICR), submetido ao Órgão Competente da Parte onde está localizada a empresa automotiva que tiver dificuldades em atender ao ICR no momento do lançamento de um Novo Modelo.

Produto Automotivo: veículos para o transporte de pessoas e/ou cargas, suas partes, peças, conjuntos e subconjuntos, assim como os tratores agrícolas, colheitadeiras e máquinas agrícolas e rodoviárias autopropulsadas, obtidos mediante transformação industrial, monta-gem ou modificação de um produto automotivo existente para dotá-lo de novas funcionalidades ou características.

Produtor Habilitado: empresa automotiva produtora cujo pe-dido de habilitação foi aprovado pelo Órgão Competente do Governo. Subconjunto: grupo de peças unidas para serem incorporadas a um grupo maior para formar um conjunto.

TÍTULO II

DO COMÉRCIO BILATERAL

ARTIGO 3o- Preferências Tarifárias no Comércio Bilateral

Os Produtos Automotivos serão comercializados entre as Partes com 100% (cem por cento) de preferência (zero por cento - 0% de tarifa "ad valorem" intrazona), sempre que satisfaçam os requisitos de origem e as condições estipuladas no presente Acordo.

ARTIGO 4o- Habilitação de Produtores

O Órgão Competente de cada Parte poderá exigir a habi-litação dos fabricantes e exportadores dos Produtos Automotivos lis-tados nas alíneas "a" a "k" do Artigo 1o, nas condições estabelecidas

por esse Órgão.

ARTIGO 5o- Acesso de Veículos e Autopeças Produzidos na República Oriental do Uruguai à República Federativa do Brasil

Os produtos automotivos fabricados no território da Repú-blica Oriental do Uruguai terão as seguintes condições de acesso ao mercado da República Federativa do Brasil:

a) margem de preferência de 100%, conforme estabelecida no Artigo 3o, sem limitações quantitativas, quando:

- se tratar de Produtos Automotivos incluídos nas alíneas "a" a "i" e "k" do Artigo 1o, bem como os conjuntos e subconjuntos

incluídos na alínea "j" do mesmo Artigo, que atendam ao Índice de Conteúdo Regional (ICR) estabelecido nos Artigos 10 ou 14 deste Acordo.

- se tratar de produtos da alínea "j" do Artigo 1o (exceto

conjuntos e subconjuntos) que atendam a regra de origem prevista no Artigo 12 deste Acordo.

b) margem de preferência de 100%, conforme estabelecida no Artigo 3o, limitada às quantidades a seguir apresentadas, quando

atenderem ao Índice de Conteúdo Regional Preferencial (ICP) es-tabelecido nos Artigos 11 ou 15 deste Acordo:

- Automóveis e veículos comerciais leves - (alínea "a" do Artigo 1o): quota de 20.000 unidades por período anual (1ode julho

a 30 de junho).

- Ônibus - (alínea "b" do Artigo 1o): o Comitê Automotivo

Bilateral definirá as condições de acesso ao mercado brasileiro. - Caminhões - (alínea "c" e "d" do Artigo 1o): quota de 2.500

unidades por período anual (1ode julho a 30 de junho).

- Autopeças (conjuntos e subconjuntos) - (alínea "j" do Ar-tigo 1o): quota de US$ 100 milhões por período anual (1ode julho a

30 de junho).

- Veículos utilitários com capacidade de carga útil acima de 1.500 kg e peso bruto total (PBT) de até 3.500 kg. (alínea "k" do Artigo 1o): quota de 2.500 unidades por período anual (1ode julho a

30 de junho).

c) margem de preferência de 100%, conforme estabelecida no Artigo 3o, limitada às quantidades a seguir apresentadas, para os

automóveis e veículos comerciais leves (alíneas "a" e "k" do Artigo 1o) blindados nas condições previstas no Artigo 16:

Períodos anuais quotas em unidades

Primeiro 600 Segundo 900 Te r c e i r o 1200 Quarto 1400 Quinto 1500 Sexto 1600

A partir do terceiro período anual, o Comitê Automotivo Bilateral poderá estabelecer aumentos em qualquer quota estabelecida neste acordo, se a quota anual tiver sido plenamente utilizada.

ARTIGO 6o- Acesso de Veículos e Autopeças Produzidos na República Federativa do Brasil à República Oriental do Uruguai

Os Produtos Automotivos produzidos por empresas auto-motivas instaladas no território da República Federativa do Brasil, quando atenderem ao Índice de Conteúdo Regional estabelecido nos Artigos 10 ou 14 deste Acordo, terão acesso ao mercado da República Oriental do Uruguai com a margem de preferência de 100%, con-forme estabelecida no Artigo 3o, e sem limitações quantitativas, com

as seguintes exceções:

a) Primeiro período anual:

- Produtos automotivos incluídos nas alíneas "a" e "k" do Artigo 1o: quota de 6.500 unidades.

- Produtos automotivos incluídos na alínea "j" do Artigo 1o:

quota de US$ 85 milhões.

b) Segundo ao sexto período anual:

- Os produtos automotivos das alíneas "a", "j" e "k" do Artigo 1oterão uma quota, expressa em dólares norte-americanos, que

re-sultará da multiplicação do montante das exportações de produtos au-tomotivos do Uruguai para o Brasil, efetivadas durante o período anual imediatamente anterior, pelos multiplicadores da tabela a seguir:

Períodos anuais Multiplicador

Segundo período anual

(1/07/2009-30/06/2010) 2,24

Terceiro período anual

( 1 / 0 7 / 2 0 1 0 - 3 0 / 0 6 / 2 0 11 ) 1,84 Quarto período anual

( 1 / 0 7 / 2 0 11 - 3 0 / 0 6 / 2 0 1 2 ) 1,34 Quinto período anual

(1/07/2012-30/06/2013) 0,89

Sexto período anual

(1/07/2013-30/06/2014) 0,87

ARTIGO 7o- Disposições transitórias referentes ao acesso de veículos e autopeças produzidos na República Federativa do

Brasil ao Mercado da República Oriental do Uruguai

Durante o segundo período anual, além da quota esta-belecida na alínea "b" do Artigo anterior, os produtos auto-motivos das alíneas "a" e "k" do Artigo 1oterão uma quota de 3.750 unidades.

O Comitê Automotivo poderá estabelecer quotas adicionais para os produtos automotivos listados nas alíneas "a", "j" e "k" do Artigo 1o.

ARTIGO 8° - Distribuição de quotas

As quotas estabelecidas no Artigo 5o, na alínea "a" do Artigo

6oe no Artigo 7oserão distribuídas pelo respectivo Órgão Competente

do País exportador com os critérios estabelecidos para este efeito. As quotas estabelecidas na alínea "b" do Artigo 6o serão

distribuídas da seguinte forma:

a) 70% do valor total da quota anual serão distribuídos pelo Órgão competente brasileiro, considerando os antecedentes de ex-portação ao Uruguai.

b) Os 30% restantes do valor total da quota serão distri-buídos pelo Órgão Competente brasileiro entre os importadores de produtos automotivos uruguaios, na proporção do montante das im-portações realizadas durante o período anterior.

O importador poderá solicitar ao Organismo Oficial brasileiro o crédito correspondente à utilização da quota estabelecida no inciso "b" acima, dentro dos trinta primeiros dias de cada período anual de vigência do acordo, comprovando suas importações do Uruguai rea-lizadas durante o período anterior e informando uma estimativa do valor que pretende exportar ao Uruguai no período atual.

Caso não seja apresentada a solicitação estabelecida no pa-rágrafo anterior, a proporção de quota correspondente será redis-tribuída conforme o critério estabelecido na alínea "a" deste Artigo. Transcorridos os primeiros 180 dias do período anual com uma utilização inferior à quota concedida ao exportador que fez a solicitação, a quota restante poderá ser redistribuída conforme o cri-tério estabelecido na alínea "a" deste Artigo.

Os Órgãos Competentes de ambas as Partes intercambiarão infor-mações sobre o mecanismo de distribuição de quotas adotado, assim como as quotas outorgadas em cada período anual e todo ajuste que for feito durante o transcurso de um período.

ARTIGO 9o- Acesso aos Mercados das Partes de Produtos Automotivos que Excederem as Quotas Acordadas

As Partes aplicarão em cada período anual as seguintes mar-gens de preferência sobre as tarifas incidentes sobre o valor das im-portações de Produtos Automotivos que excederem as cotas estabele-cidas ou que, a critério do importador, não se incluam nas quotas de-finidas nos Artigos anteriores, desde que atendam ao Índice de Conteúdo Regional estabelecido nos Artigos 10, 11, 14 ou 15 deste Acordo.

Margem de Preferencia sobre

as tarifas vigentes Período

70% Primeiro período anual

50% Segundo período anual

30% Terceiro período anual e os seguintes

ARTIGO 10 - Índice de Conteúdo Regional (ICR)

Os Produtos Automotivos incluídos nas alíneas "a" a "i" e "k" do Artigo 1o, bem como os conjuntos e subconjuntos incluídos na

alínea "j" do mesmo Artigo, incluídos os veículos das alíneas "a" e "k" blindados a partir de SKD (parcialmente desmontado) ou CKD (totalmente desmontado), serão considerados originários das Partes sempre que atingirem um Índice de Conteúdo Regional (ICR) mínimo de 60%, calculado com a seguinte fórmula:

Σ importações CIF de autopeças de 3ospaísescnão membros do MERCOSUL

ICR = {1_ ___________________ } x 100 ≥ 60% preço do produto "ex - fabrica" ARTIGO 11 - Índice de Conteúdo Regional Preferencial (ICP) para

Produtos Automotivos Produzidos na República Oriental do Uruguai

Os Produtos Automotivos incluídos nas alíneas "a" a "i" e "k" do Artigo 1o, incluídos os veículos das alíneas "a" e "k" blindados

a partir de SKD (parcialmente desmontado) ou CKD (totalmente des-montado), bem como os conjuntos e subconjuntos incluídos na alínea "j" do mesmo Artigo, produzidos no território da República Oriental do Uruguai, serão considerados originários sempre que atingirem um Índice de Conteúdo Regional Preferencial mínimo de 50%, calculado através da fórmula constante do Artigo anterior, e estarão limitados às quotas estabelecidas na alínea "b" do Artigo 5odeste Acordo.

ARTIGO 12 - Regra de Origem para Autopeças

Para as peças incluídas na alínea "j" (exceto conjuntos e subconjuntos) do Artigo 1o, será aplicada a Regra Geral de Origem do

MERCOSUL estabelecida no Artigo 3o do Quadragésimo Quarto

Protocolo Adicional ao Acordo de Complementação Econômica No

18 (ACE-18), ou aquelas normas que o complementem, modifiquem ou substituam.

ARTIGO 13 - Programa de Integração Progressiva - PIP

Os Produtos Automotivos, para serem considerados origi-nários nos termos do disposto nos Artigos 14 e 15, deverão ter aprovado pelo Órgão Competente do Estado exportador o Programa de Integração Progressiva.

(3)

1

O PIP deverá discriminar as metas de integração para cada

ano do programa, de forma a atender as exigências de integração estabelecidas nos Artigos 14 ou 15, conforme o caso, e demonstrar, de forma documentada, a impossibilidade de cumprimento, no momento do início da produção, dos requisitos básicos estabelecidos nos Ar-tigos 10 ou 11, justificando a necessidade de um prazo para o de-senvolvimento de fornecedores regionais aptos a atender as neces-sidades do Novo Modelo em condições normais de abastecimento.

O Órgão Competente aprovará o PIP e, ato contínuo, en-caminhará o parecer para avaliação e deliberação no âmbito do Co-mitê Automotivo mencionado no Artigo 20 deste Acordo.

A empresa que tiver um PIP aprovado e não concluí-lo, em razão da descontinuidade da produção do modelo objeto do PIP, só poderá ter outro programa aprovado após o prazo final do PIP apro-vado. No entanto, a empresa poderá solicitar a alteração do PIP aprovado para adequá-lo a outro novo modelo, partindo do nível de integração (ICR) e do cronograma já alcançados.

ARTIGO 14 - Índice de Conteúdo Regional (ICR) no Caso de Novos Modelos

Serão também considerados originários das Partes os veículos, subconjuntos e conjuntos cobertos pelo conceito de Novo Modelo e produzidos em seus territórios ao amparo dos Programas de Integração Progressiva - PIP - aprovados. Os produtos constantes do PIP deverão cumprir com o ICR a que se refere o Artigo 10 em um prazo máximo de dois anos, sendo que no início do primeiro ano o ICR deverá ser de, no mínimo, 40%, e no início do segundo ano de, no mínimo, 50%, alcançando o mínimo de 60% no início do terceiro ano.

ARTIGO 15 - Índice de Conteúdo Regional Preferencial (ICP) no Caso de Novos Modelos na República Oriental do Uruguai

Serão também considerados originários da República Orien-tal do Uruguai os veículos, subconjuntos e conjuntos cobertos pelo conceito de Novo Modelo e produzidos ao amparo dos Programas de Integração Progressiva aprovados. Os produtos constantes do PIP deverão cumprir com o ICP a que se refere o Artigo 11 em um prazo máximo de cinco anos, sendo que o ICP deverá ser, no mínimo, de 30% no início do primeiro ano do respectivo Programa de Integração Progressiva, de 35% no início do segundo ano, de 40% no início do terceiro ano, de 45% no início do quarto ano, atingindo 50% no início do quinto ano.

ARTIGO 16 - Veículos Blindados

Serão considerados originários, para os efeitos de aplicação da Margem de Preferência de 100% estabelecida no Artigo 3odeste

Acor-do, os veículos compreendidos nas alíneas "a" e "k" do Artigo 1o,

blindados a partir de veículos importados na forma de CBU (Com-pletamente Montado), no território da República Oriental do Uruguai. A preferência tarifária estabelecidas no Artigo 3o estará

li-mitada às quantidades de veículos estabelecidas para veículos blin-dados na alínea "c" do Artigo 5o.

O processo de blindagem deverá realizar-se a partir de veí-culos CBU sem nenhuma modificação prévia destinada a resistir a ataques de armas de fogo, com um processo produtivo mínimo como o detalhado no apêndice II, e o veículo resultante deverá cumprir com os requisitos da norma BRV 1999 (Balistic Resistant Vehicle) do Beschussamt Ulm Rev. 29.10.02

ARTIGO 17 - Certificação e Verificação do Requisito de Origem Repartições Oficiais dos Estados Partes

Para os efeitos da emissão de Certificados de Origem e dos procedimentos aduaneiros relacionados com a origem dos produtos automotivos abrangidos por este Acordo, como a verificação e con-troles dos certificados, aplicar-se-á no que não for contrário ao dis-posto neste Acordo, o Regime de Origem do MERCOSUL, esta-belecido pelo Quadragésimo Quarto Protocolo Adicional ao ACE No

18, ou aquele que no futuro o modifique ou o substitua.

O formulário a ser utilizado para certificação de origem será o mesmo vigente no Regime de Origem do MERCOSUL, estabe-lecendo, no campo "observações", a expressão "ACE No 2 -

Au-tomotivo". Brasil

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior - SECEX

Esplanada dos Ministérios, Bloco J, 7oa n d a r.

(Brasília)

Fax: (005561) 2109 7385 Uruguai

Ministério de Indústria, Energia e Minas Direção Nacional de Indústrias Sarandi 690 D, 2oandar

(Montevidéu)

Fax: (005982) 916 36 51

ARTIGO 18 - Tratamento de Bens Produzidos a Partir de Investimentos Amparados por Incentivos Governamentais

Os Produtos Automotivos produzidos ao amparo de inves-timentos realizados com projetos aprovados a partir do início da vigência do presente Acordo e que recebam incentivos e/ou apoios promocionais, setoriais e/ou regionais nas Partes, tanto dos Governos Nacionais e/ou suas entidades centralizadas ou descentralizadas quan-to das Províncias, Departamenquan-tos ou Estados ou dos Municípios, serão considerados como bens procedentes de extrazona e, portanto, não farão jus, no comércio com a outra Parte, às preferências ta-rifárias concedidas no presente Acordo.

No caso da República Oriental do Uruguai, são exceções ao disposto no presente Artigo os projetos de investimento declarados de "interesse nacional" ao amparo do disposto pela Lei no16.906, de 7

de janeiro de 1998.

ARTIGO 19 - Tratamento de Bens Produzidos com Benefícios de Incentivos Governamentais

Os Produtos Automotivos que forem beneficiados por in-centivos às exportações via reembolsos, devoluções de impostos e outros esquemas semelhantes não poderão usufruir das condições do presente Acordo no comércio bilateral.

Constituem exceções ao disposto no presente Artigo o con-teúdo do Decreto da República Oriental do Uruguai N.o316/92 e suas

normas complementares.

TÍTULO III

ADMINISTRAÇÃO DO ACORDO

ARTIGO 20 - Comitê Automotivo Bilateral

Fica criado o Comitê Automotivo Bilateral, constituído por representantes das Partes, que irá administrar as disposições contidas no presente Acordo e monitorará, trimestralmente, a consecução dos seus objetivos.

A sede das reuniões do Comitê alternará entre as Partes, salvo acordo em contrário. O País sede da reunião será responsável pela organização da mesma.

Sempre que for considerado necessário pelas Partes, poderão ser convidados a participar das reuniões do Comitê representantes dos setores privados dos dois Países.

As competências do Comitê Automotivo Bilateral serão: • Avaliar trimestralmente os resultados do comércio recípro-co de produtos automotivos.

• No caso de as exportações não alcançarem os resultados esperados, avaliar as causas e propor ações para possibilitar a cor-reção de rumo em dicor-reção às metas estabelecidas, tais como o ajuste dos multiplicadores e das quotas a partir do terceiro ano.

• Propor quotas transitórias de exportação do Brasil para o Uruguai nos termos do Artigo 7o.

• Determinar, dentro dos dez primeiros dias de cada período anual, as quotas correspondentes ao mesmo que resultem do in-tercâmbio do período anual anterior.

• Estabelecer as condições para o comércio recíproco, a partir do 7operíodo anual do acordo, conforme o estabelecido no Artigo 3o

do 68oProtocolo Adicional ao ACE 2.

ARTIGO 21 - Ajustes das Regras de acesso aos mercados das Partes

As regras para o acesso aos mercados, estabelecidas pelo presente Acordo, permanecerão inalteradas durante os dois primeiros períodos anuais, com exceção do disposto no segundo parágrafo do Artigo 7o.

A partir do terceiro período anual o Comitê Automotivo Bi-lateral poderá propor os ajustes necessários de forma a alcançar a efetiva implementação dos objetivos do Acordo, com base nas ava-liações trimestrais realizadas a partir da entrada em vigor do mesmo.

ARTIGO 22 - Integração das Cadeias Produtivas das Partes

Com o objetivo de atingir uma integração efetiva, consolidar a indústria automotiva do MERCOSUL e alcançar níveis de com-petitividade internacional, por meio de processo virtuoso de espe-cialização produtiva e complementação industrial, as Partes buscarão criar uma metodologia para desenvolvimento das pequenas e médias empresas da cadeia automotiva, de forma a fomentar parcerias, po-tencializar as vantagens competitivas de cada país e desenvolver tec-nologias e processos inovadores.

TÍTULO IV

REGULAMENTOS TÉCNICOS

ARTIGO 23 - Regulamentos Técnicos

Só poderão ser comercializados e registrados dentro do ter-ritório das Partes os veículos que cumpram os regulamentos técnicos de proteção do meio ambiente e de segurança ativa e passiva, es-tabelecidos pelo País importador, independentemente da origem do veículo. Os veículos blindados deverão cumprir adicionalmente com os requisitos técnicos específicos estabelecidos pelo órgão competente na matéria. As autopeças, para a sua comercialização, deverão cum-prir os regulamentos técnicos do País importador.

TÍTULO V DISPOSIÇÕES GERAIS

ARTIGO 24 - Remissão ao Trigésimo Primeiro Protocolo Adicional ao ACE-18

Permanecem válidas para as Partes Signatárias as disposições do Trigésimo Primeiro Protocolo Adicional ao Acordo de Comple-mentação Econômica N° 18, que não foram incorporadas ou mo-dificadas pelo presente Protocolo, com exceção do previsto nos Ar-tigos 10 e 35 do referido Protocolo.

ARTIGO 25 - Incorporação à Política Automotiva do MERCOSUL

Quando for subscrita a Política Automotiva do MERCOSUL, as disposições do presente Acordo serão substituídas pelas negociadas no âmbito do Acordo de Alcance Parcial de Complementação Eco-nômica no18.

ARTIGO 26 - Denúncia

Os países signatários poderão denunciar o presente Acordo a qualquer momento, mediante comunicação formal à outra Parte e à Secretaria Geral da ALADI por via diplomática. Formalizada a de-núncia, as concessões outorgadas permanecerão vigentes por um pra-zo de 30 meses, contados a partir da data da referida comunicação.

<!ID1276980-2>

APÊNDICE I

LISTA 1 - AUTOMÓVEIS E VEÍCULOS COMERCIAIS LE-VES, ÔNIBUS, CAMINHÕES, CAMINHÕES TRATORES, CHASSIS COM MOTOR - CAPAZES DE SE LOCOMOVER

POR SEUS PRÓPRIOS MEIOS -, REBOQUES E SEMI-RE-BOQUES E CARROCERIAS

NCM Descrição da TEC Alínea do

artigo 3 8424.81.19 Outros i 8 4 2 9 . 11 . 9 0 Outros i 8429.19.90 Outros i 8429.20.90 Outros i 8429.30.00 -Raspo-transportadores ("scrapers") i 8429.40.00 -Compactadores e rolos ou cilindros

compressores i 8429.51.19 Outras i 8429.51.29 Outras i 8429.51.99 Outras i 8429.52.19 Outras i 8429.59.00 --Outros i 8430.31.90 Outros i 8430.41.10 Perfuratriz de percussão i 8430.41.20 Perfuratriz rotativa i 8430.41.90 Outras i

8430.50.00 -Outras máquinas e aparelhos,

auto-propulsados i

8433.51.00 --Ceifeiras-debulhadoras h

8433.52.00 --Outras máquinas e aparelhos para

debulha h

8433.53.00 --Máquinas para colheita de raízes ou

tubérculos h

8 4 3 3 . 5 9 . 11 Com capacidade para trabalhar até dois sulcos de colheita e potência no volante inferior ou igual a 59,7kW (80HP)

h

8433.59.90 Outros h

8479.10.10 Automotrizes para espalhar e calcar

pavimentos betuminosos i

8479.10.90 Outros i

8701.10.00 -Motocultores h

8701.20.00 -Tratores rodoviários para

semi-rebo-ques d

8701.30.00 -Tratores de lagartas h;i

8701.90.90 Outros h

8702.10.00 -Com motor de pistão, de ignição por compressão (diesel ou semidiesel) a;b

8702.90.90 Outros b

8703.21.00 --De cilindrada não superior a

1.000cm³ a

8703.22.10 Com capacidade de transporte de pes-soas sentadas inferior ou igual a seis, incluído o motorista

a

8703.22.90 Outros a

8703.23.10 Com capacidade de transporte de pes-soas sentadas inferior ou igual a seis, incluído o motorista

a

8703.23.90 Outros a

8703.24.10 Com capacidade de transporte de pes-soas sentadas inferior ou igual a seis, incluído o motorista

(4)

Nº 146, quinta-feira, 31 de julho de 2008

1

8703.24.90 Outros a

8703.31.10 Com capacidade de transporte de pes-soas sentadas inferior ou igual a seis, incluído o motorista

a

8703.31.90 Outros a

8703.32.10 Com capacidade de transporte de pes-soas sentadas inferior ou igual a seis, incluído o motorista

a

8703.32.90 Outros a

8703.33.10 Com capacidade de transporte de pes-soas sentadas inferior ou igual a seis, incluído o motorista

a

8703.33.90 Outros a

8703.90.00 -Outros a

8704.10.90 Outros i

8704.21.10 Chassis com motor e cabina e

8704.21.20 Com caixa basculante a;c

8704.21.30 Frigoríficos ou isotérmicos a;c

8704.21.90 Outros a;c

8704.22.10 Chassis com motor e cabina e

8704.22.20 Com caixa basculante c

8704.22.30 Frigoríficos ou isotérmicos c

8704.22.90 Outros c

8704.23.10 Chassis com motor e cabina e

8704.23.20 Com caixa basculante c

8704.23.30 Frigoríficos ou isotérmicos c

8704.23.90 Outros c

8704.31.10 Chassis com motor e cabina e

8704.31.20 Com caixa basculante c

8704.31.30 Frigoríficos ou isotérmicos c

8704.31.90 Outros c

8704.32.10 Chassis com motor e cabina e

8704.32.20 Com caixa basculante c

8704.32.30 Frigoríficos ou isotérmicos c

8704.32.90 Outros c

8704.90.00 -Outros c

8705.10.90 Outros c

8705.20.00 -Torres ("derricks") automóveis, para

sondagem ou perfuração c

8705.30.00 -Veículos de combate a incêndio c

8705.40.00 -Caminhões-betoneiras c

8705.90.90 Outros c

8706.00.10 Dos veículos da posição 87.02 e

8706.00.90 Outros e

8707.10.00 -Para os veículos da posição 87.03 g

8707.90.90 Outras g

8716.20.00 -Reboques e semi-reboques, autocar-regáveis ou autodescarautocar-regáveis, para usos agrícolas

f

8716.31.00 --Cisternas f

8716.39.00 --Outros f

8716.40.00 -Outros reboques e semi-reboques f

8716.80.00 (*) -Outros veículos f

(*) Exceto os de tração humana ou animal

LISTA 2 - AUTOPEÇAS (Alínea j do Artigo 3)

NCM Descrição da TEC Obs

3815.12.10 Em colméia cerâmica ou metálica para conversão catalítica de gases de escape de veículos

3917.32.10 De copolímeros de etileno (1)

3917.32.29 Outros (1)

3917.32.30 De poli(tereftalato de etileno) (1)

3917.32.90 Outros (1)

3917.33.00 --Outros, não reforçados com outras matérias, nem associados de outra for-ma com outras for-matérias, com acessó-rios

(1)

3917.39.00 --Outros (1)

3917.40.90 Outros (4)

3919.90.00 -Outras (1)

3923.30.00 -Garrafões, garrafas, frascos e artigos semelhantes

3923.50.00 -Rolhas, tampas, cápsulas e outros dis-positivos para fechar recipientes 3926.30.00 -Guarnições para móveis, carroçarias ou

semelhantes 3926.90.10 Arruelas 3926.90.21 De transmissão 3926.90.90 Outras (4) 4006.90.00 -Outros 4 0 0 9 . 11 . 0 0 --Sem acessórios (1)

4009.12.10 Com uma pressão de ruptura superior

ou igual a 17,3MPa (1)

4009.12.90 Outros (1)

4009.21.10 Com uma pressão de ruptura superior

ou igual a 17,3MPa (1)

4009.21.90 Outros (1)

4009.22.10 Com uma pressão de ruptura superior

ou igual a 17,3MPa (1)

4009.22.90 Outros (1)

4009.31.00 --Sem acessórios (1)

4009.32.10 Com uma pressão de ruptura superior

ou igual a 17,3MPa (1)

4009.32.90 Outros (1)

4009.41.00 --Sem acessórios (1)

4009.42.10 Com uma pressão de ruptura superior

ou igual a 17,3MPa (1)

4009.42.90 Outros (1)

4010.31.00 --Correias de transmissão sem fim, de seção trapezoidal, estriadas, com uma circunferência externa superior a 60cm, mas não superior a 180cm

4010.32.00 --Correias de transmissão sem fim, de seção trapezoidal, não estriadas, com uma circunferência externa superior a 60cm, mas não superior a 180cm 4010.33.00 --Correias de transmissão sem fim, de

seção trapezoidal, estriadas, com uma circunferência externa superior a 180cm, mas não superior a 240cm

4010.34.00 --Correias de transmissão sem fim, de seção trapezoidal, não estriadas, com uma circunferência externa superior a 180cm, mas não superior a 240cm 4010.35.00 --Correias de transmissão sem fim,

sín-cronas, com uma circunferência externa superior a 60cm, mas não superior a 150cm

4010.36.00 --Correias de transmissão sem fim, sín-cronas, com uma circunferência externa superior a 150cm, mas não superior a 198cm

4010.39.00 --Outras

4 0 11 . 1 0 . 0 0 -Dos tipos utilizados em automóveis de passageiros (incluídos os veículos de uso misto ("station wagons") e os au-tomóveis de corrida)

4 0 11 . 2 0 . 1 0 De medida 11,00-24 4 0 11 . 2 0 . 9 0 Outros

4 0 11 . 6 1 . 0 0 --Dos tipos utilizados em veículos e máquinas agrícolas ou florestais 4 0 11 . 6 2 . 0 0 --Dos tipos utilizados em veículos e

máquinas próprios para construção civil ou manutenção industrial, para aros de diâmetro inferior ou igual a 61cm 4 0 11 . 6 3 . 9 0 Outros

4 0 11 . 6 9 . 9 0 Outros

4 0 11 . 9 2 . 1 0 Nas seguintes medidas: 15; 4,00-18; 4,00-19; 5,00-15; 5,00-16; 5,50-16; 6,00-16; 6,00-19; 6,00-20; 6,50-16; 6,50-20; 7,50-16; 7,50-18; 7,50-20 4 0 11 . 9 2 . 9 0 Outros

4 0 11 . 9 3 . 0 0 --Dos tipos utilizados em veículos e máquinas próprios para construção civil ou manutenção industrial, para aros de diâmetro inferior ou igual a 61cm

(4)

4 0 11 . 9 4 . 9 0 Outros 4 0 11 . 9 9 . 9 0 Outros 4012.90.10 "Flaps" 4012.90.90 Outros

4013.10.10 Para pneumáticos do tipo dos utilizados em ônibus ou caminhões, de medida 11 , 0 0 - 2 4

4013.10.90 Outras 4013.90.00 -Outras

4016.10.10 Partes de veículos automóveis ou tra-tores e de máquinas ou aparelhos, não domésticos, dos Capítulos 84, 85 ou 90

4016.91.00 --Revestimentos para pavimentos

(pi-sos) e capachos (4)

4016.93.00 --Juntas, gaxetas e semelhantes (4)

4016.99.90 Outras (4)

4205.00.00 Outras obras de couro natural ou

re-constituído. (1)

4503.90.00 -Outras 4504.90.00 -Outras 4805.40.90 Outros 4823.20.99 Outros

4823.70.00 -Artigos moldados ou prensados, de pasta de papel

4823.90.99 Outros 4 9 11 . 1 0 . 9 0 Outros

5704.90.00 -Outros (1)

5 9 11 . 9 0 . 0 0 -Outros

6812.99.10 Juntas e outros elementos com função semelhante de vedação

6812.99.20 Amianto trabalhado, em fibras (1)

6812.99.30 Misturas à base de amianto ou à base de amianto e carbonato de magnésio (1) 6812.99.90 Outras

6813.20.00 -Contendo amianto 6813.81.10 Pastilhas

6813.81.90 Outras

6813.89.10 Disco de fricção para embreagens 6813.89.90 Outras

6815.10.90 Outras (3)

6909.19.90 Outros

7 0 0 7 . 11 . 0 0 --De dimensões e formatos que permi-tam a sua aplicação em automóveis, veículos aéreos, barcos ou outros veí-culos

(4)

7007.21.00 --De dimensões e formatos que permi-tam a sua aplicação em automóveis, veículos aéreos, barcos ou outros veí-culos

(4)

7009.10.00 -Espelhos retrovisores para veículos (1) 7009.91.00 --Não emoldurados

7014.00.00 Artefatos de vidro para sinalização e elementos de óptica de vidro (exceto os da posição 70.15), não trabalhados op-ticamente.

7304.31.10 Tubos não revestidos (1)

7304.39.10 Tubos não revestidos, de diâmetro ex-terior inferior ou igual a 229mm (1) 7304.39.20 Tubos revestidos, de diâmetro exterior

inferior ou igual a 229mm (1)

7304.51.10 Tubos de diâmetro exterior inferior ou

igual a 229mm (1)

7304.59.19 Outros (1)

7304.90.19 Outros (1)

7304.90.90 Outros (1)

7306.30.00 -Outros, soldados, de seção circular, de

ferro ou aço não ligado (1)

7306.50.00 -Outros, soldados, de seção circular, de

outras ligas de aços (1)

7 3 0 7 . 11 . 0 0 --De ferro fundido não maleável (1)

7307.19.20 De aço (1)

7307.19.90 Outros (1)

7307.21.00 --Flanges

7307.22.00 --Cotovelos, curvas e luvas ou mangas, roscados

7307.91.00 --Flanges

7307.92.00 --Cotovelos, curvas e luvas ou mangas, roscados

7307.93.00 --Acessórios para soldar topo a topo 7307.99.00 --Outros

7 3 11 . 0 0 . 0 0 Recipientes para gases comprimidos ou liquefeitos, de ferro fundido, ferro ou aço. 7312.10.90 Outros 7 3 1 5 . 11 . 0 0 --Correntes de rolos 7315.12.10 De transmissão 7315.12.90 Outras 7315.19.00 --Partes 7315.20.00 -Correntes antiderrapantes 7317.00.20 Grampos de fio curvado 7317.00.90 Outros

7318.13.00 --Ganchos e armelas (pitões) 7318.14.00 --Parafusos perfurantes

7318.15.00 --Outros parafusos e pinos ou pernos, mesmo com as porcas e arruelas 7318.16.00 --Porcas

7318.19.00 --Outros

7318.21.00 --Arruelas de pressão e outras arruelas de segurança

7318.22.00 --Outras arruelas 7318.23.00 --Rebites

7318.24.00 --Chavetas, cavilhas e contrapinos 7318.29.00 --Outros

7320.10.00 -Molas de folhas e suas folhas 7320.20.10 Cilíndricas

7320.20.90 Outras 7320.90.00 -Outras

7325.10.00 -De ferro fundido, não maleável 7325.99.10 De aço

7325.99.90 Outras 7326.19.00 --Outras

7326.20.00 -Obras de fios de ferro ou aço 7326.90.90 Outros

7 4 11 . 1 0 . 1 0 Não aletados nem ranhurados (1)

7 4 11 . 1 0 . 9 0 Outros (1)

7 4 11 . 2 1 . 1 0 Não aletados nem ranhurados (1)

7 4 11 . 2 1 . 9 0 Outros (1)

7 4 11 . 2 2 . 1 0 Não aletados nem ranhurados (1)

7 4 11 . 2 2 . 9 0 Outros (1)

7 4 11 . 2 9 . 1 0 Não aletados nem ranhurados (1)

7 4 11 . 2 9 . 9 0 Outros (1)

7412.10.00 -De cobre refinado 7412.20.00 -De ligas de cobre

7415.21.00 --Arruelas (incluídas as de pressão) 7415.29.00 --Outros

7415.33.00 --Parafusos; pinos ou pernos e porcas 7415.39.00 --Outros

7419.99.30 Molas 7419.99.90 Outras

7608.10.00 -De alumínio não ligado (1)

7608.20.10 Sem costura, extrudados e trefilados, segundo Norma ASTM B210, de seção circular, de liga AA 6061 ("Aluminium Association"), com limite elástico apa-rente de Johnson ("JAEL") superior a 3.000Nm, segundo Norma SAE AE7, diâmetro externo superior ou igual a 85mm mas inferior ou igual a 105mm e espessura superior ou igual a 1,9mm e inferior ou igual a 2,3mm

(1)

7608.20.90 Outros (1)

7609.00.00 Acessórios para tubos (por exemplo, uniões, cotovelos, luvas ou mangas), de alumínio.

7613.00.00 Recipientes para gases comprimidos ou liquefeitos, de alumínio.

7616.10.00 -Tachas, pregos, escápulas, parafusos, pinos ou pernos roscados, porcas, gan-chos roscados, rebites, chavetas, cavi-lhas, contrapinos, arruelas e artefatos semelhantes

7616.99.00 --Outras

8301.20.00 -Fechaduras dos tipos utilizados em veículos automóveis

8301.50.00 -Fechos e armações com fecho, com fe-chadura

8301.60.00 -Partes

8301.70.00 -Chaves apresentadas isoladamente 8302.10.00 -Dobradiças de qualquer tipo (incluídos

os gonzos e as charneiras)

8302.30.00 -Outras guarnições, ferragens e artigos semelhantes, para veículos automóveis

8307.10.90 Outros (1)

8307.90.00 -De outros metais comuns (1)

8308.10.00 -Grampos, colchetes e ilhoses 8308.20.00 -Rebites tubulares ou de haste fendida 8309.90.00 -Outros

8310.00.00 Placas indicadoras, placas sinalizadoras, placas-endereços e placas semelhantes, números, letras e sinais diversos, de metais comuns, exceto os da posição 94.05.

8407.33.90 Outros 8407.34.90 Outros 8407.90.00 -Outros motores

8408.20.10 De cilindrada inferior ou igual a 1.500cm³

8408.20.20 De cilindrada superior a 1.500cm³, mas inferior ou igual a 2.500cm³

8408.20.30 De cilindrada superior a 2.500cm³, mas inferior ou igual a 3.500cm³

8408.20.90 Outros 8408.90.90 Outros 8 4 0 9 . 9 1 . 11 Bielas

8409.91.12 Blocos de cilindros, cabeçotes e cárte-res

8409.91.13 Carburadores, com bomba e dispositivo de compensação de nível de combus-tível incorporados, ambos a membrana, de diâmetro de venturi inferior ou igual a 22,8mm e peso inferior ou igual a 280g

(5)

1

8409.91.14 Válvulas de admissão ou de escape

8409.91.15 Coletores de admissão ou de escape 8409.91.16 Anéis de segmento 8409.91.17 Guias de válvulas 8409.91.18 Outros carburadores 8409.91.20 Pistões ou êmbolos 8409.91.30 Camisas de cilindro 8409.91.40 Injeção eletrônica 8409.91.90 Outras 8 4 0 9 . 9 9 . 11 Bielas

8409.99.12 Blocos de cilindros, cabeçotes e cárte-res

8409.99.13 Injetores (incluídos os bicos injetores) 8409.99.14 Válvulas de admissão ou de escape 8409.99.15 Coletores de admissão ou de escape 8409.99.16 Anéis de segmento 8409.99.17 Guias de válvulas 8409.99.20 Pistões ou êmbolos 8409.99.30 Camisas de cilindro 8409.99.90 Outras 8412.21.10 Cilindros hidráulicos 8412.21.90 Outros 8412.29.00 --Outros 8412.31.10 Cilindros pneumáticos 8412.31.90 Outros

8412.90.80 Outras, de máquinas das subposições 8412.21 ou 8412.31

8412.90.90 Outras 8413.19.00 --Outras

8413.20.00 -Bombas manuais, exceto das subposi-ções 8413.11 ou 8413.19

8413.30.10 Para gasolina ou álcool

8413.30.20 Injetoras de combustível para motor de ignição por compressão

8413.30.30 Para óleo lubrificante 8413.30.90 Outras 8413.50.90 Outras 8 4 1 3 . 6 0 . 11 De engrenagem 8413.60.19 Outras 8413.60.90 Outras 8413.70.10 Eletrobombas submersíveis 8413.70.90 Outras 8413.91.90 Outras

8413.92.00 --De elevadores de líquidos 8414.10.00 -Bombas de vácuo

8 4 1 4 . 3 0 . 11 Com capacidade inferior a 4.700 frigo-rias/hora

8414.30.91 Com capacidade inferior ou igual a 16.000 frigorias/hora

8414.30.99 Outros 8414.59.90 Outros 8414.80.19 Outros

8414.80.21 Turboalimentadores de ar, de peso in-ferior ou igual a 50kg para motores das posições 84.07 ou 84.08, acionado pe-los gases de escapamento dos mesmos 8414.80.22 Turboalimentadores de ar, de peso

su-perior a 50kg para motores das posições 84.07 ou 84.08, acionados pelos gases de escapamento dos mesmos

8414.80.33 Centrífugos, de vazão máxima inferior a 22.000m3/h

8414.80.39 Outros 8414.80.90 Outros 8414.90.10 De bombas

8414.90.20 De ventiladores ou coifas aspirantes 8414.90.31 Pistões ou êmbolos

8414.90.33 Blocos de cilindros, cabeçotes e cárte-res

8414.90.34 Válvulas 8414.90.39 Outras

8415.20.10 Com capacidade inferior ou igual a 30.000 frigorias/hora

8415.20.90 Outros

8415.82.10 Com capacidade inferior ou igual a 30.000 frigorias/hora

8415.82.90 Outros

8415.83.00 --Sem dispositivo de refrigeração 8415.90.00 -Partes

8418.69.40 Grupos frigoríficos de compressão para refrigeração ou para ar condicionado, com capacidade inferior ou igual a 30.000 frigorias/hora

8418.99.00 --Outras 8419.50.90 Outros 8419.89.40 Evaporadores

8421.23.00 --Para filtrar óleos minerais nos moto-res de ignição por centelha ou por com-pressão

8421.29.90 Outros

8421.31.00 --Filtros de entrada de ar para motores de ignição por centelha ou por com-pressão

8421.39.20 Depuradores por conversão catalítica de gases de escape de veículos

8421.39.90 Outros

8421.99.10 De aparelhos para filtrar ou depurar ga-ses, da subposição 8421.39

8421.99.99 Outras 8424.90.90 Outras

8425.42.00 --Outros macacos, hidráulicos 8425.49.10 Manuais

8425.49.90 Outros

8426.91.00 --Próprios para serem montados em veí-culos rodoviários 8430.69.19 Outros 8430.69.90 Outros 8 4 3 1 . 2 0 . 11 Autopropulsadas 8431.20.90 Outras 8431.39.00 --Outras

8431.41.00 --Caçambas, mesmo de mandíbulas, pás, ganchos e tenazes

8431.42.00 --Lâminas para "bulldozers" ou "angle-dozers"

8431.49.21 Cabinas 8431.49.29 Outras

8433.90.90 Outras

8473.30.42 Placas (módulos) de memória com uma superfície inferior ou igual a 50cm2 8473.30.49 Outros

8481.10.00 -Válvulas redutoras de pressão 8481.20.10 Rotativas, de caixas de direção

hidráu-lica 8481.20.90 Outras

8481.30.00 -Válvulas de retenção

8481.40.00 -Válvulas de segurança ou de alívio 8481.80.21 Válvulas de expansão termostáticas ou

pressostáticas 8481.80.92 Válvulas solenóides 8481.80.95 Válvulas tipo esfera 8481.80.97 Válvulas tipo borboleta 8481.80.99 Outros 8481.90.90 Outras 8482.10.10 De carga radial 8482.10.90 Outros 8482.20.10 De carga radial 8482.20.90 Outros

8482.30.00 -Rolamentos de roletes em forma de to-nel

8482.40.00 -Rolamentos de agulhas 8482.50.10 De carga radial 8482.50.90 Outros

8482.80.00 -Outros, incluídos os rolamentos com-binados 8482.91.19 Outras 8482.91.20 Roletes cilíndricos 8482.91.30 Roletes cônicos 8482.91.90 Outros 8482.99.00 --Outras 8483.10.10 Vi r a b r e q u i n s

8483.10.20 Árvore de "cames" para comando de válvulas

8483.10.30 Veios flexíveis 8483.10.40 Manivelas 8483.10.90 Outros

8483.20.00 -Mancais com rolamentos incorporados 8483.30.10 Montados com "bronzes" de metal

an-tifricção 8483.30.20 "Bronzes" 8483.30.90 Outros

8483.40.10 Caixas de transmissão, redutores, mul-tiplicadores e variadores de velocidade, incluídos os conversores de torques 8483.40.90 Outros

8483.50.10 Polias, exceto as de rolamentos regu-ladoras de tensão

8483.50.90 Outras 8 4 8 3 . 6 0 . 11 De fricção 8483.60.19 Outras 8483.60.90 Outros

8483.90.00 -Rodas dentadas e outros órgãos ele-mentares de transmissão apresentados separadamente; partes

8484.10.00 -Juntas metaloplásticas

8484.20.00 -Juntas de vedação, mecânicas (selos mecânicos) 8484.90.00 -Outros 8487.90.00 -Outras 8501.10.19 Outros 8501.10.21 Síncronos 8501.10.29 Outros

8501.20.00 -Motores universais de potência supe-rior a 37,5W 8501.31.10 Motores 8501.32.10 Motores 8501.32.20 Geradores 8 5 0 1 . 4 0 . 11 Síncronos 8501.40.19 Outros 8501.40.21 Síncronos 8501.40.29 Outros 8504.40.90 Outros 8 5 0 5 . 11 . 0 0 --De metal 8505.19.10 De ferrita (cerâmicos) 8505.19.90 Outros 8505.20.90 Outros 8505.90.80 Outros 8505.90.90 Partes

8507.10.00 -De chumbo, do tipo utilizado para o arranque dos motores de pistão 8507.20.10 De peso inferior ou igual a 1.000kg 8507.30.19 Outros

8507.40.00 -De níquel-ferro 8507.80.00 -Outros acumuladores 8507.90.10 Separadores

8507.90.20 Recipientes de plástico, suas tampas e tampões 8507.90.90 Outras 8 5 11 . 1 0 . 0 0 -Velas de ignição 8 5 11 . 2 0 . 1 0 Magnetos 8 5 11 . 2 0 . 9 0 Outros 8 5 11 . 3 0 . 1 0 Distribuidores 8 5 11 . 3 0 . 2 0 Bobinas de ignição

8 5 11 . 4 0 . 0 0 -Motores de arranque, mesmo funcio-nando como geradores

8 5 11 . 5 0 . 1 0 Dínamos e alternadores 8 5 11 . 5 0 . 9 0 Outros

8 5 11 . 8 0 . 1 0 Velas de aquecimento

8 5 11 . 8 0 . 2 0 Reguladores de voltagem (conjuntores-disjuntores)

8 5 11 . 8 0 . 3 0 Ignição eletrônica digital 8 5 11 . 8 0 . 9 0 Outros

8 5 11 . 9 0 . 0 0 -Partes 8 5 1 2 . 2 0 . 11 Faróis 8512.20.19 Outros 8512.20.21 Luzes fixas

8512.20.22 Luzes indicadoras de manobras 8512.20.23 Caixas de luzes combinadas

8512.20.29 Outros

8512.30.00 -Aparelhos de sinalização acústica 8512.40.10 Limpadores de pára-brisas 8512.40.20 Degeladores e desembaçadores 8512.90.00 -Partes

8517.70.10 Circuitos impressos com componentes elétricos ou eletrônicos, montados

8518.29.90 Outros (4)

8518.90.10 De alto-falantes

8519.81.10 Com sistema de leitura óptica por "la-ser" (leitores de discos compactos) (4) 8523.59.10 Cartões e etiquetas de acionamento por

aproximação 8527.21.10 Com toca-fitas 8527.21.90 Outros 8527.29.00 --Outros 8529.10.19 Outras 8529.90.90 Outras 8530.80.90 Outros 8531.10.90 Outros 8531.90.00 -Partes 8532.21.19 Outros 8532.22.00 --Eletrolíticos de alumínio 8532.23.90 Outros

8532.24.10 Próprios para montagem em superfície (SMD -"Surface Mounted Device") 8532.25.10 Próprios para montagem em superfície

(SMD -"Surface Mounted Device") 8532.25.90 Outros

8532.29.90 Outros 8532.30.90 Outros

8533.10.00 -Resistências fixas de carbono, aglome-radas ou de camada

8533.21.10 De fio

8533.21.20 Próprias para montagem em superfície (SMD -"Surface Mounted Device") 8533.21.90 Outras 8533.29.00 --Outras 8533.31.10 Potenciômetros 8533.31.90 Outras 8533.39.90 Outras 8533.40.19 Outras

8533.40.92 Outros potenciômetros de carvão 8534.00.00 Circuitos impressos.

8 5 3 5 . 3 0 . 11 Não automáticos 8535.30.19 Outros

8536.10.00 -Fusíveis e corta-circuitos de fusíveis 8536.20.00 -Disjuntores

8536.41.00 --Para tensão não superior a 60V 8536.50.90 Outros

8536.61.00 --Suportes para lâmpadas

8536.90.10 Conectores para cabos planos constituí-dos por condutores paralelos isolaconstituí-dos individualmente

8536.90.30 Soquetes para microestruturas eletrôni-cas

8536.90.90 Outros 8537.10.90 Outros

8538.10.00 -Quadros, painéis, consoles, cabinas, ar-mários e outros suportes, da posição 85.37, desprovidos dos seus aparelhos 8538.90.90 Outras

8539.10.10 Para tensão inferior ou igual a 15V 8539.10.90 Outros

8539.21.10 Para tensão inferior ou igual a 15V 8539.29.10 Para tensão inferior ou igual a 15V 8539.29.90 Outros

8539.39.00 --Outros 8539.90.90 Outras

8541.40.22 Outros diodos emissores de luz (LED), exceto diodos "laser"

8542.33.19 Outros 8542.39.19 Outros 8542.39.39 Outros

8544.20.00 -Cabos coaxiais e outros condutores elétricos coaxiais

8544.30.00 -Jogos de fios para velas de ignição e outros jogos de fios dos tipos utilizados em quaisquer veículos

8544.42.00 --Munidos de peças de conexão 8544.49.00 --Outros

8545.20.00 -Escovas 8546.20.00 -De cerâmica 8546.90.00 -Outros

8547.10.00 -Peças isolantes de cerâmica 8547.20.90 Outras

8547.90.00 -Outros

8706.00.20 Dos veículos das subposições 8701.10, 8701.30, 8701.90 ou 8704.10 8707.90.10 Dos veículos das subposições 8701.10,

8701.30, 8701.90 ou 8704.10 8708.10.00 -Pára-choques e suas partes 8708.21.00 --Cintos de segurança 8 7 0 8 . 2 9 . 11 Pára-lamas 8708.29.12 Grades de radiadores 8708.29.13 Portas 8708.29.14 Painéis de instrumentos 8708.29.19 Outros 8708.29.91 Pára-lamas 8708.29.92 Grades de radiadores 8708.29.93 Portas 8708.29.94 Painéis de instrumentos

8708.29.95 Geradores de gás para acionar retratores de cintos de segurança

8708.29.99 Outros

8 7 0 8 . 3 0 . 11 Dos veículos das subposições 8701.10, 8701.30, 8701.90 ou 8704.10 8708.30.19 Outras

(6)

Nº 146, quinta-feira, 31 de julho de 2008

1

8 7 0 8 . 4 0 . 11 Servo-assistidas, próprias para torques

de entrada superiores ou iguais a 750Nm

8708.40.19 Outras 8708.40.90 Outras

8708.50.12 Eixos não motores 8708.50.19 Outros

8708.50.80 Outros

8708.50.91 De eixos não motores, dos veículos das subposições 8701.10, 8701.30, 8701.90 ou 8704.10

8708.50.99 Outras

8708.70.10 De eixos propulsores dos veículos das subposições 8701.10, 8701.30, 8701.90 ou 8704.10

8708.70.90 Outros

8708.80.00 -Sistemas de suspensão e suas partes (incluídos os amortecedores de suspen-são)

8708.91.00 --Radiadores e suas partes

8708.92.00 --Silenciosos e tubos de escape; suas partes

8708.93.00 --Embreagens e suas partes 8 7 0 8 . 9 4 . 11 Vo l a n t e s 8708.94.12 Barras 8708.94.13 Caixas 8708.94.81 Vo l a n t e s 8708.94.82 Barras 8708.94.83 Caixas

8708.95.10 Bolsas infláveis de segurança com sis-tema de insuflação ("airbags") 8708.95.21 Bolsas infláveis para "airbags" 8708.95.22 Sistema de insuflação 8708.95.29 Outras

8708.99.10 Dispositivos para comando de acelera-dor, freio, embreagem, direção ou caixa de marchas mesmo os de adaptação dos preexistentes, do tipo dos utilizados por pessoas incapacitadas

8708.99.90 Outros

8716.90.10 Chassis de reboques e semi-reboques (2) 8716.90.90 Outras 9 0 2 5 . 11 . 9 0 Outros 9025.19.90 Outros 9025.90.10 De termômetros 9025.90.90 Outros 9 0 2 6 . 1 0 . 11 Medidores-transmissores eletrônicos, que funcionem pelo princípio de indu-ção eletromagnética

9026.10.19 Outros 9026.10.29 Outros 9026.20.10 Manômetros 9026.20.90 Outros

9026.80.00 -Outros instrumentos e aparelhos 9026.90.10 De instrumentos e aparelhos para

me-dida ou controle do nível 9026.90.20 De manômetros 9026.90.90 Outros 9027.90.99 Outros

9028.20.10 De peso inferior ou igual a 50kg 9029.10.10 Contadores de voltas, contadores de

produção ou de horas de trabalho 9029.10.90 Outros

9029.20.10 Indicadores de velocidade e tacôme-tros

9029.90.10 De indicadores de velocidade e tacô-metros

9029.90.90 Outros

9030.33.21 Do tipo dos utilizados em veículos au-tomóveis 9030.33.29 Outros 9030.33.90 Outros 9030.89.90 Outros 9030.90.90 Outros 9 0 3 1 . 8 0 . 11 Dinamômetros

9031.80.40 Aparelhos digitais, de uso em veículos automóveis, para medida e indicação de múltiplas grandezas tais como: veloci-dade média, consumos instantâneo e médio e autonomia (computador de bordo) 9031.80.99 Outros 9031.90.90 Outros 9032.10.10 De expansão de fluidos 9032.10.90 Outros 9032.20.00 -Manostatos (pressostatos) 9 0 3 2 . 8 9 . 11 Eletrônicos 9032.89.19 Outros

9032.89.21 De sistemas antibloqueantes de freio (ABS) 9032.89.22 De sistemas de suspensão 9032.89.23 De sistemas de transmissão 9032.89.24 De sistemas de ignição 9032.89.25 De sistemas de injeção 9032.89.29 Outros 9032.89.81 De pressão 9032.89.82 De temperatura 9032.89.83 De umidade 9032.89.89 Outros 9032.89.90 Outros

9032.90.10 Circuitos impressos com componentes elétricos ou eletrônicos, montados 9032.90.91 De termostatos

9032.90.99 Outros

9104.00.00 Relógios para painéis de instrumentos e relógios semelhantes, para automóveis, veículos aéreos, embarcações ou para outros veículos.

(4)

9109.19.00 --Outros

9 11 4 . 1 0 . 0 0 -Molas, incluídas as espirais 9 11 4 . 9 0 . 2 0 Ponteiros

9 11 4 . 9 0 . 5 0 Eixos e pinhões 9 11 4 . 9 0 . 9 0 Outras

9401.20.00 -Assentos dos tipos utilizados em veí-culos automóveis

9401.80.00 -Outros assentos 9401.90.90 Outros

9603.50.00 -Outras escovas que constituam partes de máquinas, aparelhos ou veículos 9613.80.00 -Outros isqueiros e acendedores 9613.90.00 -Partes

Obs:

(1) somente cortados nas dimensões finais para uso em veículos ou auto-peças

(2) sem trem rodante

(3) exclusivamente para peças de injeção eletrônica (4) somente os tipos utilizados em veículos automotivos APÉNDICE II

VEÍCULO BLINDADO A PARTIR DE CBU (Art. 16° do 68º protocolo adicional ao ACE N° 2) ETAPAS e OPERAÇÕES PRECEPTIVAS NO PROCESSO

PRODUTIVO BÁSICO

GENERALIDADES: As etapas e operações a seguir não necessa-riamente incluem a totalidade do PPB do veículo blindado, não são necessariamente sucessivas e são as apenas necessárias para o veículo blindado se considerar originário para os efeitos do disposto nos art. 5º "c" e 16º do 68º protocolo adicional ao ACE Nº 2.

1.-Desmontagem do veículo CBU: retirada de todas as au-topeças e sistemas não pertencentes à estrutura metálica do veí-culo (chicotes, motores, rodas e pneus, acabamentos internos, bancos, painel, etc.);

<!ID1276981-2>

ANEXO I

(Anexo I do Decreto no6.439, de 22 de abril de 2008)

LIMITES DE MOVIMENTAÇÃO E EMPENHO

R$ Mil

ÓRGÃOS E/OU UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS Demais Obrigatórias To t a l

Lei + Créditos Disponível Lei + Créditos Disponível Lei + Créditos Disponível ( a ) ( b ) ( c ) ( d ) ( e = a + c ) ( f = b + d )

20000 Presidência da República 2.691.849 1.768.655 25.375 25.375 2.717.224 1.794.030

20102 Gabinete da Vice-Presidência da República 2.620 2.600 67 67 2.687 2.667

2 0 11 4 Advocacia-Geral da União 234.222 213.960 15.879 15.879 250.102 229.839

22000 Min. da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 1.833.789 1.180.807 83.722 83.722 1.917.512 1.264.529

24000 Min. da Ciência e Tecnologia 3.932.126 3.897.534 32.510 32.510 3.964.635 3.930.044

25000 Min. da Fazenda 2.862.195 1.846.813 69.621 69.621 2.931.816 1.916.434

26000 Min. da Educação 9.636.022 8.259.083 3.582.577 3.582.577 13.218.599 11 . 8 4 1 . 6 6 0

28000 Min. do Desenvolvimento, Ind. e Comércio Exterior 721.181 461.898 8.041 8.041 729.223 469.939

30000 Min. da Justiça 3.180.044 2.619.350 59.250 59.250 3.239.294 2.678.600

32000 Min. de Minas e Energia 670.842 423.368 16.166 16.166 687.008 439.533

33000 Min. da Previdência Social 1.548.024 1.106.367 150.633 150.633 1.698.657 1.257.000

35000 Min. das Relações Exteriores 1.014.602 959.985 4.805 4.805 1.019.407 964.789

36000 Min. da Saúde 9.768.580 7.720.231 33.536.069 33.536.069 43.304.649 41.256.300

38000 Min. do Trabalho e Emprego 1.557.192 993.730 17.070 17.070 1.574.262 1.010.800

39000 Min. dos Transportes 10.006.183 8.494.318 144.445 144.445 10.150.627 8.638.762

41000 Min. das Comunicações 407.563 346.145 6.671 6.671 414.234 352.816

42000 Min. da Cultura 8 4 7 . 0 11 603.189 10.381 10.381 857.392 613.570

44000 Min. do Meio Ambiente 7 11 . 9 9 3 525.990 15.555 15.555 727.549 541.545

47000 Min. do Planejamento, Orçamento e Gestão 615.992 301.504 38.346 38.346 654.338 339.850

49000 Min. do Desenvolvimento Agrário 2.705.221 2.325.887 93.649 93.649 2.798.869 2.419.536

51000 Min. do Esporte 1.212.983 683.938 1.956 1.956 1.214.939 685.894

52000 Min. da Defesa 9.217.746 7.286.470 321.045 321.045 9.538.791 7.607.515

53000 Min. da Integração Nacional 4.329.583 3.229.141 13.938 13.938 4.343.520 3.243.078

54000 Min. do Turismo 2.627.886 1 . 4 11 . 7 8 4 1.125 1.125 2 . 6 2 9 . 0 11 1.412.909

55000 Min. do Desenvolvimento Social e Combate à Fome 2.819.720 2.609.371 10.369.739 10.369.739 13.189.459 1 2 . 9 7 9 . 11 0

2.-Aplicação de placas de aço balístico na estrutura do veí-culo e "overlaps" nas portas;

3.-Tratamentos de superfície da estrutura resultante da etapa anterior:

Anticorrosivo - Cataforese Pintura

4.-Montagem do veículo:

a) Colocação e fixação dos vidros balísticos; b) Remontagem do veículo

<!ID1276981-1>

DECRETO No

-6.519, DE 30 DE JULHO DE 2008 Altera o art. 9oe os Anexos I, II, VII, VIII,

IX e X do Decreto no6.439, de 22 de abril

de 2008, que dispõe sobre a programação orçamentária e financeira, estabelece o cro-nograma mensal de desembolso do Poder Executivo para o exercício de 2008 e dá outras providências.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e tendo em vista o disposto no art. 9o, § 1o, da Lei Complementar no101, de 4 de maio

de 2000,

D E C R E T A :

Art. 1oO art. 9odo Decreto no6.439, de 22 de abril de 2008,

passa a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 9o...

I - ... ... b) ampliar os limites estabelecidos para os órgãos e unidades orçamentárias relacionados nos Anexos I e II deste Decreto, até o montante de R$ 3.004.000.000,00 (três bilhões e quatro milhões de reais) e R$ 5.485.913.000,00 (cinco bilhões, quatrocentos e oitenta e cinco milhões, novecentos e treze mil reais), respec-tivamente; e

c) constituir reserva no valor de R$ 14.244.000.000,00 (qua-torze bilhões, duzentos e quarenta e quatro milhões de reais), a ser destinada ao Fundo Soberano do Brasil - FSB, após a sua criação, conforme proposta constante do Projeto de Lei enca-minhado ao Congresso Nacional pela Mensagem no466, de 2 de

julho de 2008; e

..." (NR) Art. 2oOs Anexos I, II, VII, VIII, IX e X do Decreto no

6.439, de 2008, passam a vigorar, respectivamente, na forma dos Anexos I, II, III, IV, V e VI deste Decreto.

Art. 3oO Anexo VI do Decreto no6.439, de 2008, passa a

vigorar acrescido da ação 00AK-Transferências a Clubes Sociais. Art. 4oEste Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 30 de julho de 2008; 187oda Independência e 120o

da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

Guido Mantega Paulo Bernardo Silva

Imagem

Referências