Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais ANEXOS

60  Download (0)

Full text

(1)

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais

ANEXOS

(2)

Anexo I

Entidades gestoras contactadas para a campanha INSAAR 2006 e estatísticas de

preenchimento

(3)

Anexo I 1/7

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais

Entidade Gestora Tipo de empresa

Estatísticas de Preenchimento Vertente Física e de Funcionamento (%) Vertente Económico-Financeira (%)

A.D.C. - ÁGUAS DA COVILHÃ, EM EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 82 100

AC ÁGUAS DE COIMBRA, E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 95 78

AGERE - EMPRESA DE ÁGUAS, EFLUENTES E RESÍDUOS DE BRAGA -

E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 92 77

AGS PAÇOS DE FERREIRA, S.A. EMPRESA PRIVADA 88 0

ÁGUAS DA FIGUEIRA, S.A. EMPRESA PRIVADA 60 63

ÁGUAS DA SERRA, S.A. EMPRESA PRIVADA 2 0

ÁGUAS DA TEJA, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 81 89

ÁGUAS DE ALENQUER, S.A. EMPRESA PRIVADA 20 21

ÁGUAS DE BARCELOS, S.A. EMPRESA PRIVADA 83 38

ÁGUAS DE CARRAZEDA, S.A. EMPRESA PRIVADA 0 0

ÁGUAS DE CASCAIS, S.A. EMPRESA PRIVADA 0 100

ÁGUAS DE GAIA, E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 92 100

ÁGUAS DE GONDOMAR, S.A. EMPRESA PRIVADA 95 0

ÁGUAS DE PAREDES, S.A. EMPRESA PRIVADA 99 63

ÁGUAS DE SANTO ANDRÉ, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 2 100

ÁGUAS DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 97 100

ÁGUAS DE VALONGO, S.A. EMPRESA PRIVADA 39 100

ÁGUAS DO ALGARVE, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 91 100

ÁGUAS DO AVE, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 65 100

ÁGUAS DO CÁVADO, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 98 100

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 95 59

ÁGUAS DO CENTRO, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 83 100

ÁGUAS DO DOURO E PAIVA , S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 98 100

ÁGUAS DO LENA, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 74 100

ÁGUAS DO MARCO, S.A. EMPRESA PRIVADA 0 100

ÁGUAS DO MINHO E LIMA, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 98 100

ÁGUAS DO MONDEGO, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 84 100

ÁGUAS DO NORTE ALENTEJANO, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 80 100

ÁGUAS DO OESTE, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 89 91

ÁGUAS DO PLANALTO, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 77 100

ÁGUAS DO PORTO EM EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 98 94

ÁGUAS DO SADO, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 95 100

ÁGUAS DO VOUGA, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 78 100

ÁGUAS DO ZÊZERE E CÔA, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 62 44

ASSOCIAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO MIRA ASSOCIAÇÃO DE UTILIZADORES 0 0

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO ENXOÉ ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS 100 100

ASSOCIAÇÃO MUNICÍPIOS DAS TERRAS DE SANTA MARIA ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS 50 100

ASSOCIAÇÃO MUNICÍPIOS DO ALENTEJO CENTRAL ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS 96 0

ASSOCIAÇÃO MUNICÍPIOS DO CARVOEIRO - VOUGA ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS 79 58

AUSTRA - ASSOCIAÇÃO DE UTILIZADORES DO SISTEMA DE

TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS DE ALCANENA ASSOCIAÇÃO DE UTILIZADORES 56 50

C. M. ABRANTES MUNICÍPIO 56 0

C. M. AGUIAR DA BEIRA MUNICÍPIO 0 0

C. M. ALANDROAL MUNICÍPIO 97 71

C. M. ALBUFEIRA MUNICÍPIO 25 29

C. M. ALCÁCER DO SAL MUNICÍPIO 0 0

(4)

Anexo I 2/7

Entidade Gestora Tipo de empresa

Estatísticas de Preenchimento Vertente Física e de Funcionamento (%) Vertente Económico-Financeira (%) C. M. ALCOCHETE MUNICÍPIO 56 60 C. M. ALCOUTIM MUNICÍPIO 21 0 C. M. ALFANDEGA DA FÉ MUNICÍPIO 0 0 C. M. ALIJÓ MUNICÍPIO 0 0 C. M. ALJEZUR MUNICÍPIO 0 0 C. M. ALJUSTREL MUNICÍPIO 90 70 C. M. ALMEIDA MUNICÍPIO 2 40 C. M. ALMEIRIM MUNICÍPIO 1 39 C. M. ALMODÔVAR MUNICÍPIO 55 0 C. M. ALPIARÇA MUNICÍPIO 77 0

C. M. ALTER DO CHÃO MUNICÍPIO 36 66

C. M. ALVAIÁZERE MUNICÍPIO 0 0

C. M. ALVITO MUNICÍPIO 72 15

C. M. AMARANTE MUNICÍPIO 70 100

C. M. AMARES MUNICÍPIO 0 0

C. M. ANSIÃO MUNICÍPIO 74 100

C. M. ARCOS DE VALDEVEZ MUNICÍPIO 0 0

C. M. ARGANIL MUNICÍPIO 93 12

C. M. ARMAMAR MUNICÍPIO 83 0

C. M. AROUCA MUNICÍPIO 4 0

C. M. ARRAIOLOS MUNICÍPIO 0 0

C. M. ARRONCHES MUNICÍPIO 0 0

C. M. ARRUDA DOS VINHOS MUNICÍPIO 89 71

C. M. AVIS MUNICÍPIO 95 0 C. M. AZAMBUJA MUNICÍPIO 96 0 C. M. BAIÃO MUNICÍPIO 0 0 C. M. BARRANCOS MUNICÍPIO 86 63 C. M. BARREIRO MUNICÍPIO 0 0 C. M. BATALHA MUNICÍPIO 100 0 C. M. BELMONTE MUNICÍPIO 11 0 C. M. BENAVENTE MUNICÍPIO 90 100 C. M. BOMBARRAL MUNICÍPIO 0 0 C. M. BORBA MUNICÍPIO 0 0 C. M. BOTICAS MUNICÍPIO 0 0 C. M. BRAGANÇA MUNICÍPIO 0 0

C. M. CABECEIRAS DE BASTO MUNICÍPIO 5 34

C. M. CADAVAL MUNICÍPIO 0 23

C. M. CALHETA (AÇORES) MUNICÍPIO 0 39

C. M. CALHETA (MADEIRA) MUNICÍPIO 80 53

C. M. CÂMARA DE LOBOS MUNICÍPIO 93 33

C. M. CAMINHA MUNICÍPIO 80 32

C. M. CAMPO MAIOR MUNICÍPIO 72 0

C. M. CARREGAL DO SAL MUNICÍPIO 83 0

C. M. CARTAXO MUNICÍPIO 0 38

C. M. CASTANHEIRA DE PERA MUNICÍPIO 0 0

C. M. CASTELO DE PAIVA MUNICÍPIO 0 0

C. M. CASTELO DE VIDE MUNICÍPIO 60 72

C. M. CASTRO DAIRE MUNICÍPIO 44 27

C. M. CASTRO MARIM MUNICÍPIO 80 74

C. M. CASTRO VERDE MUNICÍPIO 95 50

C. M. CELORICO DA BEIRA MUNICÍPIO 55 0

C. M. CELORICO DE BASTO MUNICÍPIO 59 0

C. M. CHAMUSCA MUNICÍPIO 44 0

(5)

Anexo I 3/7

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais

Entidade Gestora Tipo de empresa

Estatísticas de Preenchimento Vertente Física e de Funcionamento (%) Vertente Económico-Financeira (%) C. M. CINFÃES MUNICÍPIO 2 0 C. M. CONDEIXA-A-NOVA MUNICÍPIO 71 100 C. M. CONSTÂNCIA MUNICÍPIO 0 0 C. M. CORUCHE MUNICÍPIO 90 33 C. M. CORVO MUNICÍPIO 0 18 C. M. CRATO MUNICÍPIO 0 0 C. M. CUBA MUNICÍPIO 0 0 C. M. ELVAS MUNICÍPIO 54 63 C. M. ENTRONCAMENTO MUNICÍPIO 81 0 C. M. ESPINHO MUNICÍPIO 9 58 C. M. ESTARREJA MUNICÍPIO 43 18 C. M. ESTREMOZ MUNICÍPIO 43 18 C. M. ÉVORA MUNICÍPIO 95 0 C. M. FAFE MUNICÍPIO 0 0 C. M. FELGUEIRAS MUNICÍPIO 57 100

C. M. FERREIRA DO ALENTEJO MUNICÍPIO 96 71

C. M. FERREIRA DO ZÊZERE MUNICÍPIO 100 100

C. M. FIGUEIRA DE CASTELO RODRIGO MUNICÍPIO 15 0

C. M. FIGUEIRÓ DOS VINHOS MUNICÍPIO 0 0

C. M. FORNOS DE ALGODRES MUNICÍPIO 0 0

C. M. FREIXO DE ESPADA À CINTA MUNICÍPIO 0 0

C. M. FRONTEIRA MUNICÍPIO 0 0 C. M. FUNCHAL MUNICÍPIO 95 66 C. M. FUNDÃO MUNICÍPIO 1 97 C. M. GAVIÃO MUNICÍPIO 91 0 C. M. GÓIS MUNICÍPIO 0 0 C. M. GOLEGÃ MUNICÍPIO 4 31 C. M. GOUVEIA MUNICÍPIO 0 16 C. M. GRANDOLA MUNICÍPIO 72 55 C. M. HORTA MUNICÍPIO 60 0 C. M. IDANHA-A-NOVA MUNICÍPIO 0 0 C. M. ÍLHAVO MUNICÍPIO 100 63

C. M. LAGOA (AÇORES) MUNICÍPIO 75 62

C. M. LAGOA (ALGARVE) MUNICÍPIO 88 100

C. M. LAGOS MUNICÍPIO 53 100

C. M. LAJES DAS FLORES MUNICÍPIO 0 39

C. M. LAJES DO PICO MUNICÍPIO 0 17

C. M. LAMEGO MUNICÍPIO 0 61 C. M. LISBOA MUNICÍPIO 0 0 C. M. LOULÉ MUNICÍPIO 0 0 C. M. LOURINHÃ MUNICÍPIO 0 14 C. M. LOUSÃ MUNICÍPIO 53 0 C. M. LOUSADA MUNICÍPIO 0 17 C. M. MAÇÃO MUNICÍPIO 0 0 C. M. MACHICO MUNICÍPIO 0 40 C. M. MADALENA MUNICÍPIO 78 30 C. M. MAFRA MUNICÍPIO 0 0 C. M. MANGUALDE MUNICÍPIO 72 14 C. M. MANTEIGAS MUNICÍPIO 77 39

C. M. MARINHA GRANDE MUNICÍPIO 31 34

C. M. MARVÃO MUNICÍPIO 0 0

C. M. MEALHADA MUNICÍPIO 0 0

C. M. MEDA MUNICÍPIO 0 17

(6)

Anexo I 4/7

Entidade Gestora Tipo de empresa

Estatísticas de Preenchimento Vertente Física e de Funcionamento (%) Vertente Económico-Financeira (%) C. M. MÉRTOLA MUNICÍPIO 93 0

C. M. MESÃO FRIO MUNICÍPIO 0 11

C. M. MIRA MUNICÍPIO 39 15

C. M. MIRANDA DO CORVO MUNICÍPIO 19 33

C. M. MIRANDA DO DOURO MUNICÍPIO 0 35

C. M. MIRANDELA MUNICÍPIO 0 17

C. M. MOGADOURO MUNICÍPIO 47 0

C. M. MOIMENTA DA BEIRA MUNICÍPIO 22 28

C. M. MOITA MUNICÍPIO 0 32

C. M. MONÇÃO MUNICÍPIO 0 0

C. M. MONCHIQUE MUNICÍPIO 59 50

C. M. MONDIM DE BASTO MUNICÍPIO 0 18

C. M. MONFORTE MUNICÍPIO 10 31 C. M. MONTALEGRE MUNICÍPIO 0 0 C. M. MONTEMOR-O-NOVO MUNICÍPIO 69 0 C. M. MONTEMOR-O-VELHO MUNICÍPIO 81 0 C. M. MORA MUNICÍPIO 86 0 C. M. MORTÁGUA MUNICÍPIO 0 57 C. M. MOURA MUNICÍPIO 91 0 C. M. MOURÃO MUNICÍPIO 0 0 C. M. MURÇA MUNICÍPIO 0 0 C. M. MURTOSA MUNICÍPIO 84 38 C. M. NAZARÉ MUNICÍPIO 70 48 C. M. NELAS MUNICÍPIO 18 0 C. M. NISA MUNICÍPIO 35 0 C. M. NORDESTE MUNICÍPIO 90 66 C. M. ÓBIDOS MUNICÍPIO 56 42 C. M. ODEMIRA MUNICÍPIO 26 71 C. M. OLEIROS MUNICÍPIO 58 0 C. M. OLHÃO MUNICÍPIO 0 17

C. M. OLIVEIRA DE AZEMÉIS MUNICÍPIO 89 100

C. M. OLIVEIRA DE FRADES MUNICÍPIO 78 0

C. M. OLIVEIRA DO BAIRRO MUNICÍPIO 93 97

C. M. OLIVEIRA DO HOSPITAL MUNICÍPIO 48 0

C. M. OURÉM MUNICÍPIO 12 21

C. M. OURIQUE MUNICÍPIO 78 55

C. M. PALMELA MUNICÍPIO 70 0

C. M. PAMPILHOSA DA SERRA MUNICÍPIO 0 0

C. M. PAREDES DE COURA MUNICÍPIO 0 0

C. M. PEDROGÃO GRANDE MUNICÍPIO 29 0

C. M. PENACOVA MUNICÍPIO 0 0

C. M. PENAFIEL MUNICÍPIO 0 0

C. M. PENALVA DO CASTELO MUNICÍPIO 0 0

C. M. PENAMACOR MUNICÍPIO 9 0

C. M. PENEDONO MUNICÍPIO 48 0

C. M. PENELA MUNICÍPIO 0 65

C. M. PESO DA RÉGUA MUNICÍPIO 0 0

C. M. PINHEL MUNICÍPIO 91 40

C. M. POMBAL MUNICÍPIO 46 0

C. M. PONTA DO SOL MUNICÍPIO 0 66

C. M. PONTE DA BARCA MUNICÍPIO 0 0

C. M. PONTE DE LIMA MUNICÍPIO 75 0

C. M. PONTE DE SÔR MUNICÍPIO 0 18

(7)

Anexo I 5/7

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais

Entidade Gestora Tipo de empresa

Estatísticas de Preenchimento Vertente Física e de Funcionamento (%) Vertente Económico-Financeira (%) C. M. PORTEL MUNICÍPIO 0 0 C. M. PORTO DE MÓS MUNICÍPIO 14 64

C. M. PORTO MONIZ MUNICÍPIO 0 0

C. M. PORTO SANTO MUNICÍPIO 0 0

C. M. PÓVOA DE LANHOSO MUNICÍPIO 13 38

C. M. PÓVOA DE VARZIM MUNICÍPIO 93 100

C. M. POVOAÇÃO MUNICÍPIO 84 0

C. M. PRAIA DA VITÓRIA MUNICÍPIO 100 0

C. M. PROENÇA-A-NOVA MUNICÍPIO 63 0

C. M. REDONDO MUNICÍPIO 0 0

C. M. RESENDE MUNICÍPIO 35 0

C. M. RIBEIRA BRAVA MUNICÍPIO 0 13

C. M. RIBEIRA DE PENA MUNICÍPIO 33 16

C. M. RIBEIRA GRANDE MUNICÍPIO 74 68

C. M. RIO MAIOR MUNICÍPIO 0 33

C. M. SABROSA MUNICÍPIO 0 0

C. M. SABUGAL MUNICÍPIO 3 66

C. M. SALVATERRA DE MAGOS MUNICÍPIO 0 0

C. M. SANTA COMBA DÃO MUNICÍPIO 0 62

C. M. SANTA CRUZ MUNICÍPIO 84 54

C. M. SANTA CRUZ DA GRACIOSA MUNICÍPIO 59 94

C. M. SANTA CRUZ DAS FLORES MUNICÍPIO 14 24

C. M. SANTA MARTA DE PENAGUIÃO MUNICÍPIO 0 74

C. M. SANTANA MUNICÍPIO 0 0

C. M. SANTARÉM MUNICÍPIO 0 0

C. M. SANTIAGO DO CACÉM MUNICÍPIO 0 0

C. M. SÃO BRÁS DE ALPORTEL MUNICÍPIO 0 0

C. M. SÃO JOÃO DA MADEIRA MUNICÍPIO 0 0

C. M. SÃO JOÃO DA PESQUEIRA MUNICÍPIO 0 0

C. M. SÃO PEDRO DO SUL MUNICÍPIO 0 0

C. M. SÃO ROQUE DO PICO MUNICÍPIO 0 0

C. M. SÃO VICENTE MUNICÍPIO 0 26

C. M. SARDOAL MUNICÍPIO 0 0 C. M. SÁTÃO MUNICÍPIO 9 100 C. M. SEIA MUNICÍPIO 0 0 C. M. SEIXAL MUNICÍPIO 74 100 C. M. SERNANCELHE MUNICÍPIO 0 33 C. M. SERPA MUNICÍPIO 94 36 C. M. SERTÃ MUNICÍPIO 0 56 C. M. SESIMBRA MUNICÍPIO 0 62

C. M. SEVER DO VOUGA MUNICÍPIO 91 18

C. M. SILVES MUNICÍPIO 0 0

C. M. SINES MUNICÍPIO 0 0

C. M. SOBRAL DE MONTE AGRAÇO MUNICÍPIO 0 0

C. M. SOURE MUNICÍPIO 31 60

C. M. SOUSEL MUNICÍPIO 0 0

C. M. TÁBUA MUNICÍPIO 90 84

C. M. TABUAÇO MUNICÍPIO 0 0

C. M. TAROUCA MUNICÍPIO 60 79

C. M. TAVIRA MUNICÍPIO 0 n.a.

C. M. TONDELA MUNICÍPIO 26 0

C. M. TORRE DE MONCORVO MUNICÍPIO 66 0

C. M. TORRES NOVAS MUNICÍPIO 84 37

(8)

Anexo I 6/7

Entidade Gestora Tipo de empresa

Estatísticas de Preenchimento Vertente Física e de Funcionamento (%) Vertente Económico-Financeira (%)

C. M. V. NOVA DE CERVEIRA MUNICÍPIO 0 0

C. M. V. NOVA DE FAMALICÃO MUNICÍPIO 58 0

C. M. VAGOS MUNICÍPIO 61 0

C. M. VALE DE CAMBRA MUNICÍPIO 16 0

C. M. VALENÇA MUNICÍPIO 0 0

C. M. VALPAÇOS MUNICÍPIO 92 53

C. M. VELAS MUNICÍPIO 0 11

C. M. VENDAS NOVAS MUNICÍPIO 57 0

C. M. VIANA DO ALENTEJO MUNICÍPIO 97 0

C. M. VIDIGUEIRA MUNICÍPIO 90 14

C. M. VILA DE REI MUNICÍPIO 85 60

C. M. VILA DO BISPO MUNICÍPIO 70 16

C. M. VILA DO CONDE MUNICÍPIO 0 0

C. M. VILA DO PORTO MUNICÍPIO 84 60

C. M. VILA FLOR MUNICÍPIO 81 100

C. M. VILA FRANCA DO CAMPO MUNICÍPIO 69 69

C. M. VILA NOVA DE FOZ CÔA MUNICÍPIO 0 0

C. M. VILA NOVA DE PAIVA MUNICÍPIO 0 16

C. M. VILA NOVA DE POIARES MUNICÍPIO 59 13

C. M. VILA POUCA DE AGUIAR MUNICÍPIO 0 0

C. M. VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO MUNICÍPIO 0 27

C. M. VILA VELHA DE RÓDÃO MUNICÍPIO 61 100

C. M. VILA VERDE MUNICÍPIO 68 0

C. M. VILA VIÇOSA MUNICÍPIO 17 21

C. M. VIMIOSO MUNICÍPIO 0 0

C. M. VINHAIS MUNICÍPIO 0 0

C. M. VOUZELA MUNICÍPIO 31 0

DELEGAÇÃO DE MAFRA DA COMPAGNIE GÉNERALE DES EAUX EMPRESA PRIVADA 50 100 DELEGAÇÃO DE OURÉM DA COMPAGNIE GÉNERALE DES EAUX EMPRESA PRIVADA 3 18

EAMB - ESPOSENDE AMBIENTE, E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 87 88

EMARP - EMPRESA MUNICIPAL DE ÁGUAS E RESÍDUOS DE PORTIMÃO,

E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 0 100

EMARVR - EMPRESA MUNICIPAL DE ÁGUA E RESÍDUOS DE VILA REAL,

E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 32 100

EMAS - EMPRESA MUNICIPAL DE ÁGUAS E SANEAMENTO DE BEJA, E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 90 100 EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 0 0 EPAL - EMPRESA PORTUGUESA DAS ÁGUAS LIVRES, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 93 69 EPMAR - EMPRESA PÚBLICA MUNICIPAL DE ÁGUA E RESÍDUOS, EM EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 30 52 FAGAR - FARO, GESTÃO DE ÁGUAS E RESÍDUOS, E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 44 45 IGA - INVESTIMENTOS E GESTÃO DA ÁGUA, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 0 0

INDAQUA FAFE - GESTÃO DE ÁGUAS DE FAFE, S.A. EMPRESA PRIVADA 96 71

INDAQUA FEIRA - INDÚSTRIA DA ÁGUA DE STA. MARIA DA FEIRA, S.A. EMPRESA PRIVADA 54 44 INDAQUA SANTO TIRSO/TROFA - GESTÃO DE ÁGUAS DE STO. TIRSO E

TROFA, S.A. EMPRESA PRIVADA 100 58

INFRALOBO - EMPRESA DE INFRA-ESTRUTURAS DE VALE DO LOBO,

E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 92 72

INFRAQUINTA - EMPRESA DE INFRA-ESTRUTURAS DA QUINTA DO

LAGO, E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 93 26

INFRATROIA - INFRAESTRUTURAS DE TRÓIA, E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 0 0 INOVA - EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL DE

CANTANHEDE, E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 0 94

LUSÁGUA, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 100 100

LUSOTUR S.A. EMPRESA PRIVADA 11 54

MUNICÍPIO DE MACEDO DE CAVALEIROS MUNICÍPIO 19 0

MUNICÍPIO DE REGUENGOS DE MONSARAZ MUNICÍPIO 78 100

(9)

Anexo I 7/7

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais

Entidade Gestora Tipo de empresa

Estatísticas de Preenchimento Vertente Física e de Funcionamento (%) Vertente Económico-Financeira (%)

S.M. DA NAZARÉ SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 90 29

S.M. DE ABRANTES SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 95 100

S.M. DE ALCOBAÇA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 38 14

S.M. DE ANGRA DO HEROÍSMO SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 48 42

S.M. DE AVEIRO SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 44 100

S.M. DE PENICHE SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 42 100

S.M. DE SANTARÉM SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 38 43

S.M.A. DE MIRANDELA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 46 0

S.M.A.E.S. DE SANTO TIRSO SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 93 70

S.M.A.S. DA GUARDA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 70 94

S.M.A.S. DAS CALDAS DA RAINHA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 43 45

S.M.A.S. DE ÁGUEDA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 0 0

S.M.A.S. DE ALBERGARIA A VELHA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 0 45

S.M.A.S. DE ALMADA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 62 71

S.M.A.S. DE ANADIA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 21 36

S.M.A.S. DE CASTELO BRANCO SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 90 100

S.M.A.S. DE LEIRIA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 0 100

S.M.A.S. DE LOURES E ODIVELAS SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 10 89

S.M.A.S. DE MATOSINHOS SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 0 81

S.M.A.S. DE OEIRAS E AMADORA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 96 100

S.M.A.S. DE OVAR SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 66 40

S.M.A.S. DE PONTA DELGADA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 67 100

S.M.A.S. DE SINTRA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 63 100

S.M.A.S. DE TOMAR SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 94 100

S.M.A.S. DE TORRES VEDRAS SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 35 80

S.M.A.S. DE VILA FRANCA DE XIRA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 59 60

S.M.A.S. DE VISEU SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 8 53

S.M.A.S. DO MONTIJO SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 18 45

S.M.A.T. DE PORTALEGRE SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 100 100

S.M.E.A.S. DA MAIA SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 0 47

S.M.S.B. DE VIANA DO CASTELO SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS 97 100

SANEST - SANEAMENTO DA COSTA DO ESTORIL, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 96 100

SIMARSUL, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 79 94

SIMLIS - SANEAMENTO INTEGRADO DOS MUNICÍPIOS DO LIS, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 57 47 SIMRIA - SANEAMENTO INTEGRADO DOS MUNICÍPIOS DA RIA, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 64 100 SIMTEJO - SANEAMENTO INTEGRADO DOS MUNICÍPIOS DO TEJO E

TRANCÃO, S.A. EMPRESA PÚBLICA OU DE CAPITAIS PÚBLICOS 0 56

SOMINCOR, SOCIEDADE MINEIRA DE NEVES - CORVO, S.A. EMPRESA PRIVADA 85 100

TAVIRA VERDE - EMPRESA MUNICIPAL DE AMBIENTE, E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 0 20 TROFÁGUAS - SERVIÇOS AMBIENTAIS, E.M. EMPRESA MUNICIPAL OU INTERMUNICIPAL 83 0 VIMAGUA - EMPRESA DE ÁGUA E SANEAMENTO DE GUIMARÃES E

(10)

Anexo II

(11)

Anexo II 1/4

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Entidades gestoras de sistemas por tipo de entidade DEFINIÇÃO

Quantificação das entidades gestoras de sistemas identificadas à data de 31 de Dezembro do ano da campanha, que prestam serviço a sectores (clientes finais) e/ou a outras entidades gestoras, e sua repartição pelos tipos de entidade:

• Município;

• Serviços municipalizados; • Associação de municípios; • Estado;

• Junta de freguesia;

• Empresa municipal ou intermunicipal; • Empresa pública ou de capitais públicos; • Entidade pública empresarial;

• Empresa privada;

• Associação de utilizadores; • Organização de moradores.

Considerou-se ainda a fracção correspondente às entidades gestoras de sistemas em que o tipo de entidade é desconhecido.

EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Município” (número)

2) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Serviços municipalizados” (número) 3) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Associação de municípios” (número) 4) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Estado” (número)

5) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Junta de freguesia” (número)

6) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Empresa municipal ou intermunicipal” (número) 7) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Empresa pública ou de capitais públicos” (número) 8) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Entidade pública empresarial” (número)

9) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Empresa privada” (número)

10) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Associação de utilizadores” (número) 11) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Organização de moradores” (número)

12) Entidades gestoras de sistemas em que o tipo de entidade é desconhecido (número) =

)

11

)

10

)

9

)

8

)

7

)

6

)

5

)

4

)

3

)

2

)

1

)

a

13) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Município” (%) =

100

)

)

1

×

a

14) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Serviços municipalizados” (%) =

100

)

)

2

×

a

15) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Associação de municípios” (%) =

100

)

)

3

×

a

16) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Estado” (%) =

100

)

)

4

×

a

(12)

Anexo II 2/4

NOME

Entidades gestoras de sistemas por tipo de entidade

17) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Junta de Freguesia” (%) =

100

)

)

5

×

a

18) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Empresa municipal ou intermunicipal” (%) =

100

)

)

6

×

a

19) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Empresa pública ou de capitais públicos” (%) =

100

)

)

7

×

a

20) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Entidade pública empresarial” (%) =

100

)

)

8

×

a

21) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Empresa privada” (%) =

100

)

)

9

×

a

22) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Associação de utilizadores” (%) =

100

)

)

10

×

a

23) Entidades gestoras de sistemas do tipo “Organização de moradores” (%) =

100

)

)

11

×

a

24) Entidades gestoras de sistemas em que o tipo de entidade é desconhecido (%) =

100

)

)

12

×

a

Em que:

(13)

Anexo II 3/4

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Entidades gestoras de sistemas por natureza do serviço prestado DEFINIÇÃO

Quantificação das entidades gestoras de sistemas identificadas à data de 31 de Dezembro do ano da campanha, que prestam serviço a sectores (clientes finais) e/ou a outras entidades gestoras, e sua repartição de acordo com a natureza do serviço prestado:

• Exclusivamente serviço de abastecimento de água;

• Exclusivamente serviço de drenagem e tratamento de águas residuais;

• Serviço de abastecimento de água e de drenagem e tratamento de águas residuais simultaneamente.

Considerou-se ainda a fracção correspondente às entidades gestoras de sistemas em que a natureza do serviço prestado é desconhecida.

EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Entidades gestoras de sistemas que prestam exclusivamente serviço de abastecimento de água (número)

2) Entidades gestoras de sistemas que prestam exclusivamente serviço de drenagem e tratamento de águas residuais (número)

3) Entidades gestoras de sistemas que prestam simultaneamente serviço de abastecimento de água e de drenagem e tratamento de águas residuais (número)

4) Entidades gestoras de sistemas em que a natureza do serviço prestado é desconhecida (número) =

a

)

1

)

2

)

3

)

5) Entidades gestoras de sistemas que prestam exclusivamente serviço de abastecimento de água (%) = 100 ) ) 1 × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ a

6) Entidades gestoras de sistemas que prestam exclusivamente serviço de drenagem e tratamento de águas residuais

(%) = 100 ) ) 2 × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ a

7) Entidades gestoras de sistemas que prestam simultaneamente serviço de abastecimento de água e de drenagem e tratamento de águas residuais (%) = 100

) ) 3 × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ a

8) Entidades gestoras de sistemas em que a natureza do serviço prestado é desconhecida (%) = 100 ) ) 4 × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ a Em que:

(14)

Anexo II 4/4

NOME

Entidades gestoras por tipo de serviço prestado DEFINIÇÃO

Quantificação do total de entidades gestoras de sistemas de abastecimento de água e de sistemas de drenagem e tratamento de águas residuais identificadas (à data de 31 de Dezembro do ano da campanha) e sua repartição pelos tipos de serviço prestado:

• Exclusivamente serviço a sectores (clientes finais);

• Exclusivamente serviço a outras entidades gestoras (venda de água ou recepção de águas residuais); • Serviço a sectores (clientes finais) e a outras entidades gestoras simultaneamente;

Considerou-se ainda a fracção correspondente às entidades gestoras sem informação acerca do tipo de serviço prestado.

EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Entidades gestoras de sistemas que prestam exclusivamente serviço a sectores (número)

2) Entidades gestoras de sistemas que prestam exclusivamente serviço a outras entidades gestoras (número)

3) Entidades gestoras de sistemas que prestam simultaneamente serviço a sectores e a outras entidades gestoras (número)

4) Entidades gestoras de sistemas de abastecimento de água sem informação acerca do tipo de serviço prestado (número) =

a

)

1

)

2

)

3

)

5) Entidades gestoras de sistemas que prestam exclusivamente serviço a sectores (%) = 100 ) ) 1 × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ a

6) Entidades gestoras de sistemas que prestam exclusivamente serviço a outras entidades gestoras (%) = 100 ) ) 2 × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ a

7) Entidades gestoras de sistemas que prestam simultaneamente serviço a sectores e a outras entidades gestoras (%)

= 100 ) ) 3 × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ a

8) Entidades gestoras de sistemas sem informação acerca do tipo de serviço prestado (%) = 100 ) ) 4 × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ a Em que:

(15)

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais

Anexo III

Fichas técnicas de indicadores da vertente física e de funcionamento

Abastecimento de água

(16)

Anexo III 1/4

NOME

População servida por tipo de origem de água TIPO

Pressão DEFINIÇÃO

População servida por tipo de origem de água, que pode ser: - origem superficial;

- origem subterrânea. EXPRESSÃODO INDICADOR

1) População servida por água superficial (número de habitantes) 2) População servida por água subterrânea (número de habitantes)

3) População servida por água superficial (%) = população servida por água superficial/população total servida x 100

4) População servida por água subterrânea (%) = população servida por água subterrânea/população total servida x 100

NOME

População servida com água tratada TIPO

Resposta DEFINIÇÃO

População servida com água tratada. Por água tratada entende-se a água tratada nas instalações de tratamento ETA (Estação de Tratamento de Água) e PC (Posto de Cloragem).

EXPRESSÃODO INDICADOR

1) População servida com água tratada (número de habitantes)

2) População servida com água tratada (%) = População servida com água tratada/população residente x 100

NOME

População servida por tipo de tratamento TIPO

Resposta DEFINIÇÃO

População servida por tipo de instalação de tratamento: - Estação de Tratamento de Água (ETA);

- Posto de Cloragem (PC). EXPRESSÃODO INDICADOR

1) População servida por tipo de tratamento (número de habitantes)

2) População servida por tipo de tratamento (%) = população servida por tipo de tratamento/população servida com água tratada x 100

(17)

Anexo III 2/4

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

População servida por sistema público de abastecimento de água TIPO

Resposta DEFINIÇÃO

População servida por sistema de abastecimento de água. EXPRESSÃODO INDICADOR

1) População servida por sistema de abastecimento de água (número de habitantes)

2) Índice de abastecimento de água (%) = População servida por sistema de abastecimento de água/população residente x 100 NOME Número de captações TIPO Pressão DEFINIÇÃO

Captações de água, no total e discriminadas por tipo de origem de água. Os tipos de origens possíveis são:

- origem superficial; - origem subterrânea. EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Total de captações de água (número)

2) Captações de água de origem superficial (número) 3) Captações de água de origem subterrânea (número)

4) Captações de água de origem superficial (%) = Número de captações de água de origem superficial/ Número total de captações de água x 100

5) Captações de água de origem subterrânea (%) = Número de captações de água de origem subterrânea/ Número total de captações de água x 100

(18)

Anexo III 3/4

NOME

Volume de água captada TIPO

Pressão DEFINIÇÃO

Volume de água captado no total e por tipo de origem de água. Os tipos de origens possíveis são:

- origem superficial; - origem subterrânea. EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Volume total de água captado (m3)

2) Volume captado de água de origem superficial (m3) 3) Volume captado de água de origem subterrânea (m3)

4) Volume captado de água de origem superficial (%) = Volume captado de água de origem superficial/Volume total de água captado x 100

5) Volume captado de água de origem superficial (%) = Volume captado de água de origem subterrânea/Volume total de água captado x 100

NOME

Água tratada, por tipo de instalação de tratamento TIPO

Resposta DEFINIÇÃO

Volume de água tratado, no total e por tipo de instalação de tratamento que pode ser: - Estação de tratamento de água (ETA);

- Posto de cloragem (PC). EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Volume total de água tratado (m3)

2) Volume de água tratado, por tipo de instalação de tratamento (m3)

3) Volume de água tratado, por tipo de instalação de tratamento (%) = Volume de água tratado por tipo de instalação de tratamento/Volume total de água tratado x 100

(19)

Anexo III 4/4

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Consumo de água TIPO

Pressão DEFINIÇÃO

Volume total de água consumido nas redes de distribuição de água EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Volume total de água consumido (m3)

NOME

Capitação TIPO Pressão DEFINIÇÃO

Volume médio diário de água consumido por habitante. EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Capitação (L.hab-1.ano-1) = volume total de água consumido (m3) Em que:

a) traduz o volume total de água consumido (m3)

(20)

Anexo IV

Fichas técnicas de indicadores da vertente física e de funcionamento

Drenagem e tratamento de águas residuais

(21)

Anexo IV 1/4

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

População servida por sistema público de drenagem de águas residuais TIPO

Resposta DEFINIÇÃO

População servida por sistema de drenagem de águas residuais. EXPRESSÃO DO INDICADOR

1) População servida por sistema de drenagem de águas residuais (habitantes) 2)População servida por sistema de drenagem de águas residuais (%) = População servida/população residente x 100

NOME

População servida com tratamento de águas residuais TIPO

Resposta DEFINIÇÃO

População servida com tratamento de águas residuais.

Entende-se como tratamento de águas residuais o tratamento nas seguintes instalações:

- FS (Fossa Séptica);

- ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais). EXPRESSÃO DO INDICADOR

1) População servida com tratamento de águas residuais (habitantes)

2) População servida com tratamento de águas residuais (%) = População servida com águas residuais tratadas/população residente x 100

(22)

Anexo IV 2/4

NOME

População servida por tipo de instalação de tratamento TIPO

Resposta DEFINIÇÃO

População servida com tratamento de águas residuais em FS ou ETAR, discriminada por tipo de instalação de tratamento.

EXPRESSÃO DO INDICADOR

1) População servida com tratamento de águas residuais, por tipo de instalação de tratamento (habitantes)

2) População servida com tratamento de águas residuais, por tipo de instalação de tratamento (%) = população servida por tipo de instalação de tratamento/ = População servida com águas residuais tratadas x 100

NOME

Volume de águas residuais tratado por tipo de instalação de tratamento TIPO

Resposta DEFINIÇÃO

Volume de águas residuais tratado em FS ou ETAR, discriminada por tipo de instalação de tratamento. EXPRESSÃO DO INDICADOR

1) Volume de águas residuais tratado, em FS (m3) 2) Volume de águas residuais tratado, em ETAR (m3)

NOME

Volume de águas residuais drenado TIPO

Pressão DEFINIÇÃO

Volume total de águas residuais drenado. EXPRESSÃO DO INDICADOR

(23)

Anexo IV 3/4

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Pontos de rejeição de águas residuais TIPO

Resposta DEFINIÇÃO

Pontos de rejeição de águas residuais, do tipo:

- Descarga de águas residuais em meio receptor após tratamento; - Descarga directa de águas residuais em meio receptor.

EXPRESSÃO DO INDICADOR

1) Total de pontos de rejeição de águas residuais (número)

2) Pontos de rejeição de águas residuais após tratamento (número)

3) Pontos de rejeição águas residuais após tratamento (%) = alínea 2)/alínea 1) x 100

NOME

Volume de águas residuais descarregado TIPO

Resposta DEFINIÇÃO

Volume de águas residuais descarregado por tipo de ponto de descarga: - Descarga de águas residuais em meio receptor após tratamento; - Descarga directa de águas residuais em meio receptor.

EXPRESSÃO DO INDICADOR

1) Volume de águas residuais descarregado com descarga após tratamento; 2) Volume de águas residuais descarregado com descarga directa.

(24)

Anexo IV 4/4 NOME Capitação TIPO Resposta DEFINIÇÃO

Volume médio diário de águas residuais produzido por habitante. EXPRESSÃO DO INDICADOR

1) Capitação (L/(hab.dia) = a)b) × 1000365 Em que:

a) traduz o Volume diário de águas residuais drenado (L)

(25)

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais

Anexo V

Fichas técnicas de indicadores da vertente económico-financeira

Abastecimento de água

(26)

Anexo V 1/17

NOME

Entidades gestoras que adoptaram medidas por motivos ambientais e de escassez, por tipo de medida DEFINIÇÃO

Quantificação das entidades gestoras que adoptaram medidas por motivos ambientais e de escassez associados ao abastecimento de água no ano da campanha, total e por tipo de medida adoptada. Consideram-se os seguintes tipos de medida:

• Diversificação permanente das origens de água; • Diversificação excepcional das origens de água;

• Reutilização de águas residuais por motivo associado ao abastecimento de água; • Alteração/Implementação processo de tratamento de água;

• Instalação/Alteração de sistemas de segurança do funcionamento da ETA; • Alteração/Aumento dos reagentes no tratamento de água;

• Integração paisagística de componentes associadas ao abastecimento de água; • Medidas de insonorização específicas associadas ao abastecimento de água; • Racionalização dos consumos de água;

• Alteração da estrutura tarifária; • Aumento dos preços da água;

• Tomadas de água a diferentes profundidades; • Não aplicável.

O número total de entidades gestoras apresentado no indicador pode não corresponder à soma do número de entidades em cada tipo de medida, tendo em conta que uma entidade pode adoptar mais do que um tipo de medida. EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Entidades gestoras que adoptaram medidas por motivos ambientais e de escassez associados ao abastecimento de água (número)

2) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Diversificação permanente das origens de água” (número) 3) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Diversificação excepcional das origens de água” (número) 4) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Reutilização de águas residuais” (número)

5) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Alteração/Implementação processo de tratamento de água” (número) 6) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Instalação/Alteração de sistemas de segurança do funcionamento da

ETA” (número)

7) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Alteração/Aumento dos reagentes no tratamento de água” (número) 8) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Integração paisagística de componentes associadas ao abastecimento

de água” (número)

9) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Medidas de insonorização específicas associadas ao abastecimento de água” (número)

10) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Racionalização dos consumos de água” (número) 11) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Alteração da estrutura tarifária” (número) 12) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Aumento dos preços da água” (número)

13) Entidades gestoras que adoptaram a medida “Tomadas de água a diferentes profundidades” (número) 14) Entidades gestoras que não adoptaram medidas por motivos ambientais e de escassez (número)

(27)

Anexo V 2/17

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Motivos ambientais e de escassez que justificaram a adopção de medidas DEFINIÇÃO

Repartição percentual dos motivos ambientais e de escassez que justificaram a adopção de medidas no abastecimento de água pelas entidades gestoras no ano da campanha, por tipo de motivo:

• Problemas de qualidade da água na origem;

• Problemas da qualidade da água na origem por motivos de diminuição de quantidade; • Problemas de quantidade de água na origem por razões hidrológicas;

• Problemas de quantidade de água por aumento demográfico da população abastecida; • Ruído no meio envolvente;

• Condições de integração paisagística especiais; • Política de gestão ambiental;

• Requisitos legais ou de organismos públicos; • Custos elevados com o abastecimento de água. EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Peso do motivo “Problemas de qualidade da água na origem” na adopção de medidas no abastecimento de água

(%) = 100 ) ) × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ j a

2) Peso do motivo “Problemas da qualidade da água na origem por motivos de diminuição de quantidade” na adopção de medidas no abastecimento de água (%) = 100

) ) × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ j b

3) Peso do motivo “Problemas de quantidade de água na origem por razões hidrológicas” na adopção de medidas no abastecimento de água (%) = 100 ) ) × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ j c

4) Peso do motivo “Problemas de quantidade de água por aumento demográfico da população abastecida” na adopção de medidas no abastecimento de água (%) = 100

) ) × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ j d

5) Peso do motivo “Ruído no meio envolvente” na adopção de medidas no abastecimento de água (%) = 100 ) ) × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ j e

6) Peso do motivo “Condições de integração paisagística especiais” na adopção de medidas no abastecimento de água

(%) = 100 ) ) × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ j f

7) Peso do motivo “Política de gestão ambiental” na adopção de medidas no abastecimento de água (%) = 100 ) ) × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ j g

8) Peso do motivo “Requisitos legais ou de organismos públicos” na adopção de medidas no abastecimento de água

(%) = 100 ) ) × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ j h

9) Medidas adoptadas pelo motivo “Custos elevados com o abastecimento de água” (%) = 100 ) ) × ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ j i

(28)

Anexo V 3/17

NOME

Motivos ambientais e de escassez que justificaram a adopção de medidas Em que:

a) traduz o número de medidas no abastecimento de água adoptadas pelo motivo “Problemas de qualidade da água na origem”

b) traduz as medidas no abastecimento de água adoptadas pelo motivo “Problemas de qualidade da água na origem por motivos de diminuição de quantidade” (número)

c) traduz as medidas no abastecimento de água adoptadas pelo motivo “Problemas de qualidade da água na origem por motivos de diminuição de quantidade” (número)

d) traduz as medidas no abastecimento de água adoptadas pelo motivo “Problemas de quantidade de água por aumento demográfico da população abastecida” (número)

e) traduz as medidas no abastecimento de água adoptadas pelo motivo “Ruído no meio envolvente” (número) f) traduz as medidas no abastecimento de água adoptadas pelo motivo “Condições de integração paisagística

especiais” (número)

g) traduz as medidas no abastecimento de água adoptadas pelo motivo “Política de gestão ambiental” (número) h) traduz as medidas no abastecimento de água adoptadas pelo motivo “Requisitos legais ou de organismos

públicos” (número)

i) traduz as medidas no abastecimento de água adoptadas pelo motivo “Custos elevados com o abastecimento de água” (número)

(29)

Anexo V 4/17

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Factura média DEFINIÇÃO

Factura média de um consumo anual de água de 120 m3 e 200 m3.

A factura é calculada com base na estrutura tarifária aplicada por entidades gestoras de sistemas públicos de abastecimento de água durante o ano de referência.

Considera-se a componente variável e a componente fixa da estrutura tarifária, assumindo os seguintes pressupostos: • Consumo anual de 200 m3 (Hipótese 1) e de 120 m3 (Hipótese 2);

• Contador de 15 mm1 (no caso da componente fixa do tarifário ser o aluguer de contador);

• Imposto de Valor Acrescentado (IVA) de 5%, que incide sobre todos os valores de tarifa recolhidos. EXPRESSÃODO INDICADOR Factura média (€) =

(

)

= =

×

n EG n EG

b

b

a

1 1

)

)

)

Em que:

a) traduz o montante associado à factura apresentada por Entidade Gestora do serviço a sectores (€) b) traduz a população servida por Entidade Gestora (habitante)

1 No abastecimento de água, para algumas entidades não é definida tarifa de aluguer de contador para um contador com calibre de 15 mm. Nesses casos utilizou-se a tarifa de aluguer de contador definida para o contador com calibre mais próximo de 15 mm.

Na drenagem de águas residuais, em muitos casos a componente fixa da estrutura tarifária, não é o aluguer do contador. Nesses casos, considerou-se o valor fixo apresentado na factura da água e independente de qualquer variável.

(30)

Anexo V 5/17

NOME

Proveitos totais DEFINIÇÃO

Quantificação dos proveitos totais obtidos no ano da campanha com o serviço de abastecimento de água, incluindo: • Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água a sectores (clientes finais);

• Proveitos com a venda de água a outras entidades gestoras; • Outros proveitos do serviço de abastecimento de água.

Para o âmbito Continente e Região Hidrográfica não se incluem os proveitos com a venda de água a outras entidades gestoras na quantificação dos proveitos totais, tendo em conta que já são indirectamente considerados nos proveitos do tarifário do serviço a sectores das entidades que compram água a outras entidades gestoras.

EXPRESSÃO DO INDICADOR Âmbito entidade

1) Proveitos totais do serviço de abastecimento de água (€) =

a

)

+

b

)

+

c

)

Âmbito Continente e Região Hidrográfica

1) Proveitos totais do serviço de abastecimento de água (€) =

a

)

+

c

)

Em que:

a) traduz o montante associado a proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água a sectores (€) b) traduz o montante associado a proveitos com a venda de água a outras entidades gestoras (€)

(31)

Anexo V 6/17

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Proveitos totais por unidade de volume fornecido DEFINIÇÃO

Quantificação dos proveitos totais obtidos no ano da campanha com o serviço de abastecimento de água por unidade de volume fornecido.

Para o âmbito Continente e Região Hidrográfica não se incluem os proveitos com a venda de água a outras entidades gestoras na quantificação dos proveitos totais, tendo em conta que já são indirectamente considerados nos proveitos do tarifário do serviço a sectores das entidades que compram água a outras entidades gestoras. Pela mesma razão não é considerado o volume fornecido a outras entidades gestoras.

EXPRESSÃO DO INDICADOR Âmbito entidade

1) Proveitos totais do serviço de abastecimento de água por unidade de volume fornecido (€/m3) =

)

)

)

)

)

e

d

c

b

a

+

+

+

Âmbito Continente e Região Hidrográfica

1) Proveitos totais do serviço de abastecimento de água por unidade de volume fornecido (€/m3) =

)

)

)

d

c

a

+

Em que:

a) traduz o montante associado os proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água a sectores (€) b) traduz o montante associado os proveitos com a venda de água a outras entidades gestoras (€)

c) traduz o montante associado a outros proveitos do serviço de abastecimento de água (€) d) traduz o volume de água fornecido a sectores (m3)

(32)

Anexo V 7/17

NOME

Proveitos do tarifários do serviço a sectores por sector DEFINIÇÃO

Quantificação dos proveitos do tarifário obtidos no ano da campanha com o serviço de abastecimento de água a sectores (clientes finais) e sua repartição pelos sectores:

• Sector doméstico; • Sector comercial/serviços; • Sector industrial;

• Sector agrícola-rega/ pecuário;

• Outros sectores de actividade, onde se incluem os sectores turístico, estado, instituições particulares de solidariedade social, organizações sem fins lucrativos e outros sectores similares, as actividades de lavagem de ruas/contentores, rega de jardins públicos, ligações temporárias e outras similares.

Considerou-se ainda a fracção correspondente aos proveitos do tarifário não discriminados por sector. EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector doméstico (€) 2) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector comercial/serviços (€) 3) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector industrial (€)

4) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector agrícola-rega/ pecuário (€) 5) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água a outros sectores de actividade (€) 6) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água a outros sectores de actividade (€)

7) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água não discriminados por sector (€) = =

a

)

1

)

2

)

3

)

4

)

5

)

6

)

Em que:

(33)

Anexo V 8/17

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Proveitos do tarifário do serviço a sectores por unidade de volume fornecido DEFINIÇÃO

Quantificação dos proveitos do tarifário com o serviço de abastecimento de água a sectores (clientes finais) por unidade de volume fornecido.

EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água a sectores por unidade de volume fornecido (€/m3) =

b

a

Em que:

a) traduz o montante associado aos proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água a sectores (€) b) traduz o volume de água fornecido a sectores (m3)

(34)

Anexo V 9/17

NOME

Proveitos do tarifário do serviço a sectores por sector e por unidade de volume fornecido DEFINIÇÃO

Quantificação dos proveitos do tarifário obtidos no ano da campanha com o serviço de abastecimento de água a cada sector por unidade de volume fornecido ao sector em causa. Consideram-se os seguintes sectores:

• Sector doméstico; • Sector comercial/serviços; • Sector industrial;

• Sector agrícola-rega/pecuário;

• Outros sectores de actividade, onde se incluem os sectores turístico, estado, instituições particulares de solidariedade social, organizações sem fins lucrativos e outros sectores similares, as actividades de lavagem de ruas/contentores, rega de jardins públicos, ligações temporárias e outras similares.

EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector doméstico por unidade de volume fornecido ao sector (€/m3) = ⎟ ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ ) ) b a

2) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector comercial/serviços por unidade de volume fornecido ao sector (€/m3) =

⎟ ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ ) ) d c

3) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector industrial por unidade de volume fornecido ao sector (€/m3) = ⎟ ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ ) ) f e

4) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector agrícola-rega/pecuário por unidade de volume fornecido ao sector (€/m3) =

⎟ ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ ) ) h g

5) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água a outros sectores de actividade por unidade de volume fornecido ao sector (€/m3) =

⎟ ⎠ ⎞ ⎜ ⎝ ⎛ ) ) j i Em que:

a) traduz o montante associado aos proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector doméstico

(€)

b) traduz o volume de água fornecido ao sector doméstico (m3)

c) traduz o montante associado aos proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector

comercial/serviços (€)

d) traduz o volume de água fornecido ao sector comercial/serviços (m3)

e) traduz o montante associado aos proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector industrial

(€)

f) traduz o volume de água fornecido ao sector industrial (m3)

g) traduz o montante associado aos proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector

agrícola-rega/pecuário (€)

h) traduz o volume de água fornecido ao sector agrícola-rega/pecuário (m3)

i) traduz o montante associado aos proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água a outros sectores de actividade (€)

(35)

Anexo V 10/17

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Proveitos do tarifário do sector doméstico por habitante servido DEFINIÇÃO

Quantificação dos proveitos do tarifário obtidos no ano da campanha com o serviço de abastecimento de água ao sector doméstico por habitante servido com sistema de abastecimento de água.

EXPRESSÃO DO INDICADOR

1) Proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector doméstico por habitante servido (€/habitante) = ) ) b a Em que:

a) traduz o montante associado aos proveitos do tarifário do serviço de abastecimento de água ao sector doméstico

(€)

(36)

Anexo V 11/17

NOME

Custos totais DEFINIÇÃO

Quantificação dos custos de exploração e gestão no ano da campanha com o serviço de abastecimento de água, incluindo:

• Custos de exploração e gestão;

• Custos gerais administrativos (não directamente relacionados com o serviço; imputáveis indirectamente); • Investimento anualizado.

Para o âmbito Continente e Região Hidrográfica não se incluem os custos com a compra de água a outras entidades gestoras na quantificação dos tipos de custo referidos, tendo em conta que já são indirectamente considerados nos custos das entidades que vendem água a outras entidades gestoras.

EXPRESSÃO DO INDICADOR Âmbito entidade

1) Custos totais com o serviço de abastecimento de água (€) =

a

)

+

b

)

+

c

)

+

d

)

Âmbito Continente e Região Hidrográfica

1) Custos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de água por unidade de volume fornecido (€/m3) =

)

)

)

c

d

a

+

+

Em que:

a) traduz o montante associado a custos directos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de água

(€)

b) traduz o montante associado a custos com a aquisição de água a outras entidades gestoras (€) c) traduz o montante associado a custos gerais administrativos indirectamente imputáveis ao serviço (€) d) traduz o montante associado ao investimento anualizado (€)

(37)

Anexo V 12/17

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Custos totais por unidade de volume fornecido DEFINIÇÃO

Quantificação dos custos totais no ano da campanha com o serviço de abastecimento de água, por unidade de volume fornecido aos sectores (clientes finais), incluindo:

• Custos de exploração e gestão;

• Custos gerais administrativos (não directamente relacionados com o serviço; imputáveis indirectamente); • Investimento anualizado.

Para o âmbito Continente e Região Hidrográfica não se incluem os custos com a compra de água a outras entidades gestoras na quantificação dos tipos de custo referidos, tendo em conta que já são indirectamente considerados nos custos das entidades que vendem água a outras entidades gestoras. Pela mesma razão, não é considerado o volume de água fornecido a outras entidades gestoras, tendo em conta que já é indirectamente considerado no volume de água fornecido a sectores (clientes finais) das entidades que compram água a outras entidades gestoras.

EXPRESSÃO DO INDICADOR Âmbito entidade

1) Custos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de água por unidade de volume fornecido (€/m3) =

)

)

)

)

)

)

f

e

d

c

b

a

+

+

+

+

Âmbito Continente e Região Hidrográfica

1) Custos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de água por unidade de volume fornecido (€/m3) =

)

)

)

)

e

d

c

b

+

+

Em que:

a) traduz o montante associado a custos com a aquisição de água a outras entidades gestoras (€)

b) traduz o montante associado a custos directos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de água

(€)

c) traduz o montante associado a custos gerais administrativos indirectamente imputáveis ao serviço (€) d) traduz o montante associado ao investimento anualizado (€)

e) traduz o volume de água fornecido a sectores (m3)

(38)

Anexo V 13/17

NOME

Custos de exploração e gestão DEFINIÇÃO

Quantificação dos custos de exploração e gestão no ano da campanha com o serviço de abastecimento de água, incluindo:

• Custos directos de exploração e gestão;

• Custos com a compra de água a outras entidades gestoras.

Para o âmbito Continente e Região Hidrográfica não se incluem os custos com a compra de água a outras entidades gestoras na quantificação dos custos de exploração e gestão, tendo em conta que já são indirectamente considerados nos custos directos de exploração e gestão das entidades que vendem água a outras entidades gestoras.

EXPRESSÃO DO INDICADOR Âmbito entidade

1) Custos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de água (€) =

a

)

+

b

)

Âmbito Continente e Região Hidrográfica

1) Custos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de água (€) =

a

)

Em que:

a) traduz o montante associado a custos directos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de água

(€)

(39)

Anexo V 14/17

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Custos de exploração e gestão por unidade de volume fornecido DEFINIÇÃO

Quantificação dos custos de exploração e gestão no ano da campanha com o serviço de abastecimento de água, por unidade de volume fornecido.

Para o âmbito Continente e Região Hidrográfica não se incluem os custos com a compra de água a outras entidades gestoras na quantificação dos custos de exploração e gestão, tendo em conta que já são indirectamente considerados nos custos directos de exploração e gestão das entidades que vendem água a outras entidades gestoras. Pela mesma razão, não é considerado o volume de água fornecido a outras entidades gestoras, tendo em conta que já é indirectamente considerado no volume de água fornecido a sectores (clientes finais) das entidades que compram água a outras entidades gestoras.

EXPRESSÃO DO INDICADOR Âmbito entidade

1) Custos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de água por unidade de volume fornecido (€/m3) =

)

)

)

)

d

c

b

a

+

+

Âmbito Continente e Região Hidrográfica

1) Custos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de água por unidade de volume fornecido (€/m3) =

)

)

c

a

Em que:

a) traduz o montante associado a custos directos de exploração e gestão com o serviço de abastecimento de

água(€)

b) traduz o montante associado a custos com a compra de água a outras entidades gestoras (€) c) traduz o volume de água fornecido a sectores (m3)

(40)

Anexo V 15/17

NOME

Investimentos realizados (excepto barragens) DEFINIÇÃO

Quantificação anual dos investimentos realizados (excepto em barragens) no serviço de abastecimento de água desde 1987 até ao ano da campanha, a preços correntes do ano em que foram efectuados.

EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1987 (€) 2) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1988 (€) 3) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1989 (€) 4) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1990 (€) 5) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1991 (€) 6) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1992 (€) 7) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1993 (€) 8) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1994 (€) 9) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1995 (€) 10) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1996 (€) 11) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1997 (€) 12) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1998 (€) 13) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 1999 (€) 14) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 2000 (€) 15) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 2001 (€) 16) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 2002 (€) 17) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 2003 (€) 18) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 2004 (€) 19) Investimentos realizados no serviço de abastecimento de água (excepto barragens) em 2005 (€)

(41)

Anexo V 16/17

Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais NOME

Entidades gestoras com investimento financiado por tipo de instrumento de apoio DEFINIÇÃO

Quantificação das entidades gestoras com investimento comparticipado, por tipo de fundo de financiamento ou por tipo de instrumento de apoio que realiza a distribuição financeira destes fundos.

EXPRESSÃODO INDICADOR

1) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através de contratos-programa (número)

2) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Fundo ENVIREG (número)

3) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Programa INTERREG II (número)

4) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Programa INTERREG III (número)

5) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Programa PEDIP I (número)

6) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Programa PEDIZA (número)

7) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Programa Operacional do Ambiente (POA) (número)

8) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Programa POPRAM III (número)

9) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Programa Operacional Regional (POR) (número)

10) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Programa PPDR (número)

11) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Programa PRAUD (número)

12) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através de protocolo com uma instituição internacional (número)

13) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através do Programa RESIDER II (número)

14) Entidades gestoras que beneficiaram de comparticipação do investimento através de programas ou fundos não identificados (número)

Figure

Updating...

References

Related subjects :