3. Redução da concentração de sódio nos túbulos distais (que é sentida pelas células da mácula densa).

Texto

(1)

Sistema renina-angiotensinogênio-angiotensina

Teoria

O sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA) é um mecanismo do corpo que regula funções essenciais do organismo, como a manutenção da pressão arterial, o balanço hídrico e o de sódio. Esse sistema atua como resposta a uma instabilidade hemodinâmica e evita a redução na perfusão tecidual sistêmica. Atua de modo a reverter a hipotensão arterial, através da indução de vasoconstricção arteriolar periférica e do aumento na volemia, por meio de retenção de sódio nos rins (através da aldosterona) e água (através da liberação de ADH-vasopressina).

A renina é liberada pelos rins, enquanto a enzima conversora de angiotensina (ECA) é encontrada no endotélio vascular, em vários órgãos. Uma vez ativada a cascata, surgem a angiotensina I (AI) e a angiotensina II (AII), que circulam pelo sangue e se ligam em receptores específicos ATI e ATII, regulando funções em órgãos- alvos.

O sistema sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA) envolve o sistema renal, adrenal, o fígado, a hipófise posterior e os endotélios dos vasos. As principais substâncias envolvidas são a renina, a angiotensina e a aldosterona

O sistema se inicia nas células justaglomerulares, que são responsáveis pela produção de renina; essas células estão localizadas na arteríola aferente dos néfrons, e ao lado delas se situam as células da mácula densa, que funcionam como sensores do nível de sódio no túbulo contorcido distal.

Fatores para ativação do SRAA

1. Queda da pressão arterial (que pode ser sentida pelos barorreceptores);

2. Ativação do sistema nervoso simpático;

3. Redução da concentração de sódio nos túbulos distais (que é sentida pelas células da mácula densa).

Assim temos o início da ativação do sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA)

A renina, que é liberada pelas células justaglomerulares, cai na corrente sanguínea e converte o Angiotensinogênio (produzido no fígado) em angiotensina I. A angiotensina I apresenta uma leve atividade de vasoconstrição.

Em seguida, a angiotensina I é convertida em angiotensina II pela enzima conversora da angiotensina (ECA).

A angiotensina II atua principalmente com vasoconstricção nos vasos do corpo; nos rins ela promove vasoconstricção (preferencialmente da arteríola aferente). Assim, mesmo promovendo redução do fluxo renal, ela mantém a taxa de filtração glomerular, mas com aumento de absorção osmótica do líquido presente nos túbulos. A angiotensina II também estimula a adrenal a secretar aldosterona, que, por sua vez, atua no túbulo distorcido distal, estimulando a reabsorção de sódio e excreção de potássio. Ela também estimula a hipófise posterior a secretar ADH (que atua nos ductos coletores), estimulando a reabsorção de água.

(2)

Dessa forma, temos o aumento da vasoconstricção e da reabsorção de sódio e água. Consequentemente, ocorre o aumento da pressão arterial sistêmica.

Se a pressão estiver mais elevada, os estímulos para a secreção de renina são reduzidos e, em consequência, a pressão é reduzida também. Assim, temos um excelente mecanismo de autorregulação.

(3)

Exercícios

1. IBFC - 2010 - Sobre o Sistema Renina - Angiotensina - Aldosterona leia as seguintes afirmativas e depois responda:

I. Em decorrência da queda da pressão arterial, o rim secreta a enzima renina, que quebra o angiotensinogênio, transformando-o em angiotensina I

II. Ao mesmo tempo a renina estimula a medula óssea para produção de células sanguíneas III. Na circulação pulmonar, a angiotensina I entra em contato com as enzimas conversoras (ECA) que

se encontram no endotélio desses vasos, transformando- se em angiotensina II

IV. A angiotensina II é um potente vasoconstrictor que promove a elevação da pressão arterial.

V. Nas glândulas suprarrenais a angiotensina II estimula a produção de hormônio antidiurético. Este hormônio promove a reabsorção de H2O e NaCl, aumentando a volemia e por consequência a pressão arterial. São verdadeiras:

a) I, III e IV.

b) I, II e IV.

c) II, III e V.

d) Todas as alternativas estão corretas

2. O hormônio ADH (antidiurético), produzido no hipotálamo e armazenado na hipófise, é o principal regulador fisiológico do equilíbrio hídrico no corpo humano.

Assinale a alternativa correta.

a) A redução na ingestão de água aumenta a pressão osmótica do sangue. O ADH atua nos rins, aumentando a reabsorção de água e diminuindo a pressão osmótica do sangue.

b) O aumento na ingestão de água aumenta a pressão osmótica do sangue. O ADH atua nos rins, aumentando a reabsorção de água e diminuindo a pressão osmótica do sangue.

c) A redução na ingestão de água diminui a pressão osmótica do sangue. O ADH atua nos rins, aumentando a reabsorção de água e aumentando a pressão osmótica do sangue.

d) O aumento na ingestão de água diminui a pressão osmótica do sangue. O ADH atua nos rins, diminuindo a reabsorção de água e aumentando a pressão osmótica do sangue.

(4)

3. Portadores de diabetes insipidus reclamam da confusão feita pelos profissionais da saúde quanto os dois tipos de diabetes: mellitus e insipidus. Enquanto o primeiro tipo está associado aos níveis ou à ação da insulina, o segundo não está ligado à deficiência desse hormônio. O diabetes insipidus é caracterizado por um distúrbio na produção ou no funcionamento do hormônio antidiurético (na sigla, em inglês, ADH), secretado pela neuro-hipófise para controlar a reabsorção de água pelos túbulos renais.

Tendo em vista o papel funcional do ADH, qual é um sintoma clássico de um paciente acometido por diabetes insipidus?

a) Alta taxa de glicose no sangue b) Aumento da pressão arterial c) Ganho de massa corporal d) Anemia crônica

e) Desidratação

4. Em situações de baixa pressão arterial, sabe-se que ocorre ativação do SRAA. Sobre esse sistema regulatório e o balanço de sódio, responda como a Angiotensina-II contribui para a reabsorção de sódio.

5. Apesar do desconhecimento por parte da maioria das pessoas, o álcool também é considerado uma droga psicotrópica, pois atua no sistema nervoso central, provocando mudança no comportamento de quem o consome, além de ter potencial para desenvolver dependência. O álcool é uma das poucas drogas psicotrópicas que tem seu consumo admitido e até incentivado pela sociedade. Esse é um dos motivos pelos quais ele é encarado de forma diferenciada, quando comparado com as demais drogas.

Apesar de sua ampla aceitação social, o consumo de bebidas alcoólicas, quando excessivo, passa a ser um problema. Além dos inúmeros acidentes de trânsito e da violência associada a episódios de embriaguez, o consumo de álcool a longo prazo, dependendo da dose, frequência e circunstâncias, pode provocar um quadro de dependência conhecido como alcoolismo. Dessa forma, o consumo inadequado do álcool é um importante problema de saúde pública, especialmente nas sociedades ocidentais, acarretando custos para a sociedade e envolvendo questões médicas, psicológicas, profissionais e familiares.

Fonte: http://www.obid.senad.gov.br/portais/OBID/conteudo/index.php?id_conteudo =11288&rastro=INFORMA%C3%87%C3%

95ES+SOBRE+DROGAS%2FTipo s+de+drogas/%C3%81lcool. Acesso em: 09/13

O álcool, além de provocar uma das mais expressivas doenças, o alcoolismo, também pode influenciar em mecanismos de feedback. Observe um exemplo a seguir:

Desidratação → aumento da liberação de ADH (hormônio antidiurético) → aumento da permeabilidade da água nos túbulos renais → aumento da reabsorção de água → menor volume de urina (perde menos água) → evita desidrataçãoSabendo que o álcool inibe a ação do ADH, espera-se que em um indivíduo que não sofre de distúrbios renais e que ingeriu grandes quantidades de álcool:

a) produza muita urina b) produza pouca urina

(5)

6. Quanto à autorregulação da pressão arterial, assinale a alternativa correta:

a) Angiotensina II é um potente vaso dilatador e provoca diminuição da pressão arterial.

b) Aldosterona é secretada pelas células justaglomerulares em resposta à diminuição da pressão arterial.

c) Quando a pressão arterial aumenta, o hormônio renina é secretado.

d) A regulação da pressão arterial é uma importante função do rim.

7. O fluxograma ilustra a participação de alguns órgãos e substâncias (angiotensinogênio, angiotensina, renina e aldosterona) no controle da pressão arterial humana.

Sídio Machado. Biologia para o ensino médio, 2003. Adaptado.

Considere que os números 1, 2 e 3 indicados no fluxograma representem uma ação do tipo estimulante (+) ou uma ação do tipo inibidora (–) e que o aumento da reabsorção de sódio nos túbulos renais promova um deslocamento hídrico nos túbulos renais. De acordo com essas informações, assinale a alternativa que indica, correta e respectivamente, o tipo da ação representada pelos números 1, 2 e 3 e o resultado do deslocamento hídrico.

a) (+); (–); (+); aumento da reabsorção de água.

b) (–); (–); (–); aumento da reabsorção de água.

c) (+); (+); (+); aumento da reabsorção de água.

d) (–); (+); (–); redução da reabsorção de água.

e) (+); (–); (–); redução da reabsorção de água.

(6)

Gabaritos

1. A

I. CORRETA – em decorrência da queda da pressão arterial, o rim secreta a enzima renina, que quebra o angiotensinogênio, transformando-o em angiotensina I.

II. ERRADA – ao mesmo tempo a renina estimula a medula óssea para produção de células sanguíneas.

III. CORRETA – na circulação pulmonar, a angiotensina I entra em contato com as enzimas conversoras (ECA) que se encontram no endotélio desses vasos, transformando-se em angiotensina II.

IV. CORRETA – a angiotensina II é um potente vasoconstrictor que promove a elevação da pressão arterial.

V. ERRADA – nas glândulas suprarrenais, a angiotensina II estimula a produção de hormônio antidiurético. Esse hormônio promove a reabsorção de H2O e NaCl, aumentando a volemia e, por consequência, a pressão arterial.

2. A

O hormônio antidiurético (ADH), também chamado vasopressina, atua nos túbulos renais (túbulo contornado distal e tubo coletor) estimulando a reabsorção de água pelo organismo (isso reduz o volume de urina a ser eliminado).

Quando a pessoa ingere pouca água e/ou transpira muito, a pressão osmótica do sangue aumenta (aumenta a concentração do plasma); ao reduzir a eliminação de água, o ADH contribui para reduzir a pressão osmótica.

Por outro lado, um aumento na ingestão de água reduz a pressão osmótica do sangue, o que reduz a secreção de ADH. Dessa forma, mais água é eliminada na urina (menor reabsorção), o que aumenta a pressão osmótica do sangue.

3. E

O hormônio ADH estimula a reabsorção de água no túbulo contornado distal e no túbulo coletor. Dessa forma, um distúrbio na produção ou no funcionamento desse hormônio implica em maior eliminação de água pela urina, ocasionando a desidratação.

4. A angiotensina II faz com que as paredes musculares das pequenas artérias (arteríolas) se contraiam, aumentando a pressão arterial. A angiotensina II também provoca a liberação do hormônio aldosterona pelas glândulas adrenais e da vasopressina (hormônio antidiurético) pela hipófise.

5. A

Como o ADH é inibido, a água é pouco absorvida resultando em uma urina com muita água, ou seja, muito diluída.

Eles atuam na parte ascendente espessa da alça de Henle, inibindo o sítio de Cl-. A reabsorção de sódio ocorre por meio do cotransporte de 2Cl- e K+.

6. D

O rim é um órgão que regula a pressão arterial, fazendo o equilíbrio de eletrólitos.

7. C

Imagem

temas relacionados :