Avaliação de cursos de licenciatura

Top PDF Avaliação de cursos de licenciatura:

Avaliação de cursos de licenciatura em física e matemática a distância: um modelo possível.

Avaliação de cursos de licenciatura em física e matemática a distância: um modelo possível.

Resumo: Com a implantação de cursos de licenciatura em Matemática e em Física na modalidade de ensino a distância, em 2005, na Universidade Federal de Santa Catarina, destacou-se a preocupação com a avaliação de tais cursos, a fim de viabilizar uma prática avaliativa sistematizada destes cursos. Assim, paralelamente ao trabalho das equipes que planejavam os cursos de licenciatura, foi instituída uma comissão, no âmbito do Centro de Ciências da Educação e do Centro de Ciências Físicas e Matemática, para pensar a avaliação dos cursos. Um modelo de avaliação foi elaborado e colocado em prática desde então. O modelo tem como idéia primordial a integração das vertentes de avaliação e de pesquisa, garantindo abarcar as dimensões quantitativa e qualitativa dos cursos. O objetivo neste artigo é apresentar, discutir e analisar o modelo de pesquisa e avaliação que até este momento tem orientado a realização das avaliações e pesquisas, relativas à implementação dos cursos de Licenciatura em questão.
Mostrar mais

21 Ler mais

Avaliação dos cursos de licenciatura por egressos: contribuições à organização curricular

Avaliação dos cursos de licenciatura por egressos: contribuições à organização curricular

A presente pesquisa tem como tema a avaliação dos cursos de graduação em licen- ciatura em uma instituição paranaense. O objetivo foi analisar a formação de profes- sores a partir dos depoimentos dos licenciados egressos dos cursos de licenciatura. Para tanto, inicialmente, foram selecionados os depoimentos sobre as sugestões re- lativas à organização curricular do curso. Os dados foram categorizados e organi- zados segundo a metodologia do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC), proposta por Lefrève e Lefrève (2005). O artigo está organizado em três seções, além da intro- dução e das disposições finais. Na primeira, apresenta-se uma breve reflexão sobre a formação inicial de professores. Na segunda, informa-se sobre o processo de ava- liação realizado. Por fim, na terceira seção, apresentam-se os dados e sua análise. Como resultados, é possível destacar que os egressos percebem a desvalorização das licenciaturas em relação aos bacharelados e valorizam a relação com a escola no processo formativo. Além disso, observa-se, nos depoimentos, a relação conflitiva entre bacharelados e licenciaturas quanto à inclusão ou exclusão de disciplinas.
Mostrar mais

13 Ler mais

A importância das áreas científicas em cursos de licenciatura em Turismo

A importância das áreas científicas em cursos de licenciatura em Turismo

Resumo | O estudo afere sobre a situação atual da educação em Turismo no ensino superior em Portugal, interpretando as mudanças que estão a ocorrer nos processos educativos após a plena implementação do Processo de Bolonha (PB). Assim, o objetivo principal é o de conhecer essas mudanças, bem como as decorrentes da utilização mais recente dos sistemas de avaliação e acreditação nos cursos de 1.º ciclo nesta área do conhecimento científico. A análise da contribui- ção dos sistemas de avaliação e acreditação da oferta formativa na área do Turismo pode permitir perspetivar a evolução futura desta área científica, também nos restantes níveis de ensino, com vista a compreender a sua articulação vertical, sobretudo com os cursos de 2.º e 3.º ciclos. A metodologia de pesquisa baseia-se essencialmente na análise de dados secundários recolhidos para o efeito no site da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES), decorrente da necessidade de examinarmos transversalmente algumas variáveis científicas e curriculares dos cursos selecionados, com o intuito de compreender a natureza científica do Turismo, sobretudo criando uma perspetiva holística de reflexão sobre os resultados dos processos de avaliação e de acreditação desenvolvidos pela A3ES. O desenvolvimento curricular e a qualidade da formação, neste domínio científico, dependem também da ponderação das várias áreas científicas, que contribuem para a estruturação dos curricula de licenciatura, pelo que será possível equacionar a importância relativa de cada uma e o modelo adotado pela instituição.
Mostrar mais

14 Ler mais

O estímulo à criatividade em cursos de licenciatura.

O estímulo à criatividade em cursos de licenciatura.

torna mais evidente a partir dos resultados referentes ao fator Avaliação e Metodologia de Ensino, melhor avaliados pelos os estudantes da área de Saúde em comparação com os da área de Ciências, por exemplo. Observou-se, ainda, que os estudantes de instituições particulares obtiveram médias mais altas do que os de instituição pública nos fatores Incentivo a Novas idéias e Avaliação e Metodologia de Ensino, no que se refere às práticas de seus professores. Uma hipótese que explica esse dado seria a facilidade de acesso e diversidade de recursos que o docente de ensino superior particular tem para utilizar em sua disciplina, assim como a qualidade do espaço físico da sala de aula. Esses aspectos enriquecem o plane- jamento e a condução da disciplina. O uso de recursos diversificados possibilita ao professor diversificar suas estratégias de ensino, atendendo, assim, aos diferentes estilos de aprendizagem e de expressão discente (Fleith, 2002; Renzulli, 1992). A falta ou a dificuldade de acesso, por parte do professor, de recursos audiovisuais, laboratórios bem equipados e instalações físicas pouco adequadas, quadro bastante comum nas instituições públicas, desmotiva o professor e limita seu pla- nejamento de aula.
Mostrar mais

14 Ler mais

LICENCIATURA EM ENFERMAGEM - Participação da Faculdade de Enfermagem da U.F.Pe.

LICENCIATURA EM ENFERMAGEM - Participação da Faculdade de Enfermagem da U.F.Pe.

teiro anexo a este trabalho e onde os aspectos didáticos espeCIaIs concernentes ao planej amento e execução do ensino de enfermagem são acompanhados pela estudante além de se familiarizar com a estrutura e legislação específica dos referidos cursos. Quanto a Dis­ ciplina Prática de Ensino na Escola de 2.° grau lI, ministrada no segundo semestre, tem uma carga horária de 90 horas e compre­ ende a prática de aula com supervisão e avaliação (estágio Su­ pervisionado) .

9 Ler mais

Educação dialógica freireana nos cursos de licenciatura na UFC

Educação dialógica freireana nos cursos de licenciatura na UFC

Conhecido popularmente como “provão”, o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA) é um exame realizado pelo Ministério da Educação , que “[...] tem como principal objetivo construir uma referência nacional de educação para jovens e adultos por meio da avaliação de competências, habilidades e saberes adquiridos no processo escolar ou nos processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais, entre outros. A participação no ENCCEJA é voluntária e gratuita, destinada aos jovens e adultos residentes no Brasil e no Exterior, inclusive às pessoas privadas de liberdade, que não tiveram oportunidade de concluir seus estudos na idade apropriada” (Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/encceja>. Acesso em: 28. maio 2017). Atualmente, este exame pode ser realizado apenas para obter a certificação de conclusão para o Ensino Fundamental ou para o Ensino Médio, no caso de brasileirxs que residam no exterior, já que, desde 2009, a certificação para o Ensino Médio passou a ser realizada pelos resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).
Mostrar mais

149 Ler mais

Monitoria acadêmica nos cursos de Licenciatura em Matemática

Monitoria acadêmica nos cursos de Licenciatura em Matemática

[...] é fundamental que as atividades do monitor possibilitem o aprofundamento de seu conhecimento teórico-prático, bem como o desenvolvimento de ações que permitam uma formação inicial para a docência no ensino superior – planejamento, participação em aulas, orientação de colegas estudantes em atividades teórico- práticas, discussão e elaboração de critérios para avaliação, desenvolvimento de pesquisas relacionadas com o processo de ensino-aprendizagem, apresentação de trabalhos em encontros científicos (SANTOS e LINS, Org., 2007, p.40).
Mostrar mais

20 Ler mais

A formação do professor nos cursos de licenciatura: o que dizem os professores

A formação do professor nos cursos de licenciatura: o que dizem os professores

Como destacado em outras publicações desta investigação: in- tensas mudanças na prática pedagógica, vinculadas ao processo de en- sino e aprendizagem, ocorreram nas últimas décadas e se expressam na prática docente. Essas mudanças envolvem a concepção do processo de ensino e aprendizagem, no qual, da transmissão-assimilação, se busca uma concepção centrada na aprendizagem de professores e alunos. Essa transformação implica uma mudança profunda no processo, pois o foco deixa de ser a assimilação do conteúdo e vai para a elaboração, não sendo o conhecimento resultante o mesmo do ponto de partida. Professores e estudantes passam a dialogar com o conhecimento, questionando e, en- tre si, indagando, recompondo novas propostas em que ele se modifica em projetos e criações. Assim, apresenta-se uma diversificação de pos- sibilidades para os docentes e discentes, do planejamento à avaliação (ROMANOWSKI; MARTINS; VOUSGERAU, 2017).
Mostrar mais

23 Ler mais

Avaliação Institucional na Educação a Distância: um estudo de caso

Avaliação Institucional na Educação a Distância: um estudo de caso

Embora o processo avaliativo fortaleça as instituições educacionais e ajudem a delinear ações vinculadas às políticas públicas por permitirem a compreensão dos processos que se agregam à construção de instrumentos que ajudam a modificar práticas didáticas, reestruturar programas, metodologias e objetivos, não há, ainda, uma adequada compreensão da avaliação institucional (DIAS SOBRINHO, 2008; SIMÕES, 2016). Se essa é uma fragilidade identificada nas IES que de forma centenária desenvolvem seus cursos presenciais, conforme expressam (SCHLICKMANN; MELO; ALPERSTEDT, 2008; SIMÕES, 2016), há que se admitir que a avaliação institucional é uma vertente ainda de inconsistência considerável quando o cenário é a EaD, justamente pela sua rápida e expressiva expansão na última década e dificuldades de adaptação do modelo pedagógico, do ambiente virtual ao Polo de apoio presencial. Isso exige reflexão e ação das IES que desenvolvem EaD considerando que qualquer que seja o curso a distância, se insere em modelo sistêmico e que para funcionar adequada e satisfatoriamente precisa articular, integrar e convergir os diversos segmentos que se vinculam ao processo de gestão, pedagógico e tecnológico, conferindo ao processo um aspecto organizacional (SCHLICKMANN; MELO; ALPERSTEDT, 2008). Pela diversidade de realidades na qual os cursos de Educação a distância são realizados torna-se necessário um olhar individualizado sobre o processo ensino aprendizagem. No segundo semestre do ano de 2012 a Educação a Distância da Universidade Federal da Grande Dourados (EaD/UFGD) contava com dois cursos de graduação, Licenciatura em Computação e Pedagogia. Os cursos foram oferecidos nas cidades de Bataguassu, Miranda, Porto Murtinho e São Gabriel do Oeste, todas cidades do Mato Grosso do Sul e em São Gabriel do Oeste apenas o curso de Licenciatura em Computação foi oferecido. Totalizando um universo de 216 alunos matriculados, sendo 127 do curso de Licenciatura em Computação e 91 do curso de Pedagogia.
Mostrar mais

17 Ler mais

O ESTÁGIO COMO FERRAMENTA NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR PESQUISADOR: UM OLHAR SOBRE OS CURSOS DE LICENCIATURA

O ESTÁGIO COMO FERRAMENTA NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR PESQUISADOR: UM OLHAR SOBRE OS CURSOS DE LICENCIATURA

Contudo, a escolha de uma concepção de avaliação in- terfere no fazer metodológico do professor e implica agir no processo cognitivo do aluno, fazendo-se importante o desenvol- vimento de uma didática para o ensino das disciplinas de está- gio, com a qual venha dar signifi cado ao ensino da disciplina e contribuir para um aprendizado prazeroso e produtivo do aluno. O processo avaliativo deve acompanhar o processo de construção do saber numa aglutinação gradual e constante. Pois a avaliação é uma tarefa didática necessária e permanente no trabalho do professor, onde ela deve acompanhar todos os pas- sos do processo ensino aprendizagem. É através dela que vão sendo comparados os resultados obtidos no decorrer do trabalho conjunto do professor e dos alunos, a fi m de verifi car progresso, difi culdades e orientar o trabalho para possíveis correções.
Mostrar mais

7 Ler mais

Um programa de formação de professores: o caso da Universidade de São Paulo

Um programa de formação de professores: o caso da Universidade de São Paulo

Relata o percurso, da definição à implantação, a partir de 2004, do Programa de Formação de Professores da Universidade de São Paulo (USP). Toma como recurso de análise a trajetória de implantação do referido Programa em duas unidades dessa universidades – nas licenciaturas em Ciências Agrárias e Ciências Biológicas da Escola Superior de Agricultura “Luiz Queiroz” (Esalq) e na licenciatura em Matemática do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) –, a partir do estudo das diretrizes oficiais para a formação de professores e dos aspectos teórico-metodológicos que permeiam estas normas legais. O processo, aqui trazido, aponta desafios de toda ordem, como o desenvolvimento dos conceitos de estágio supervisionado, de prática como componente curricular e de atividades acadêmico-científico-culturais, além das dificuldades inerentes à construção de uma nova identidade docente no interior dos cursos de licenciatura e na própria universidade.
Mostrar mais

17 Ler mais

A Formação Matemática nos Cursos de Licenciatura em Educação do Campo.

A Formação Matemática nos Cursos de Licenciatura em Educação do Campo.

É notória a discrepância entre as cargas horárias destinadas às disciplinas de conteúdo matemático de alguns cursos. Uma das justificativas para essa diferença pode estar na habilitação que cada curso fornece. Por exemplo, o curso da UFCG, cuja carga horária de disciplinas de conteúdo matemático é 240, concede uma formação em Licenciatura em Educação do Campo com habilitação em Ciências Exatas e da Natureza (assim como as instituições UFRR, UNICENTRO, UNIOESTE e UTFPR), ou seja, a carga horária total do curso precisa ser distribuída entre outras disciplinas, como Física, Química e Biologia, e não apenas para a Matemática. Por outro lado, a UFPA, cuja carga horária destinada às disciplinas de conteúdo matemático é 1088, fornece uma Licenciatura em Educação do Campo com habilitação em Matemática (assim como as instituições IFFarroupilha e UFRB), isto é, o curso tem uma formação mais restrita à Matemática e, por isso, permite que se destine uma carga horária maior às disciplinas de conteúdo matemático.
Mostrar mais

16 Ler mais

A didática na Formação Pedagógica de Professores

A didática na Formação Pedagógica de Professores

Em uma universidade pública do interior do Estado, por exemplo, dos 15 (quinze) cursos oferecidos, apenas os cursos de Física, Química e Música apresentam a disciplina de Didática Geral. Ela é encontrada também no curso de Pedagogia com outras denominações: a) Didática: Trabalho Pedagógico Docente; b) Didática: Organização do Trabalho Pedagógico; c) Didática: Avaliação e Ensino. Também no curso de Filosofia encontramos uma disciplina denominada Didática e Teoria da Educação. Nos demais cursos, o processo de ensino – objeto de estudo da didática – é desenvolvido através das didáticas específicas, metodologias específicas, nas disciplinas de práticas de ensino e nas propostas de estágio supervisionado. Isso se repete com alguma variação, nas demais universidades investigadas.
Mostrar mais

8 Ler mais

Desafios para a implementação metodológica de pesquisa em larga escala na educação musical

Desafios para a implementação metodológica de pesquisa em larga escala na educação musical

Diversos programas vinculados e apoiados pelo Ministério da Educação têm sido implementados nos últimos anos, oferecendo alternativas que contribuam para a melhoria da educação brasileira como um todo, afetando, obviamente, a formação de professores, quer seja na preparação inicial na universidade, quer seja com a formação continuada em serviço. Alguns exemplos destes programas são: PRODOCÊNCIA – constam dos objetivos do programa o apoio à implementação de novas propostas curriculares para a formação de professores e o estímulo às experiências metodológicas e práticas docentes (BRASIL, 2010a). O programa oferece bolsas para professores desenvolverem projetos nas escolas (BRASIL, 2011); PIBID – este programa tem como objetivos, dentre vários: incentivar a formação de docentes em nível superior para a educação básica, elevar a qualidade da formação inicial de professores nos cursos de licenciatura e inserir os licenciandos no cotidiano de escolas da rede pública de educação. Bolsas de estudo são oferecidas para estudantes de cursos de licenciatura, professor/a de instituição de educação superior (coordenador/a institucional), professor/a da instituição de educação superior (coordenador/a de área) e docente da escola de educação básica das redes públicas de ensino (professor supervisor) (BRASIL, 2010b); PARFOR (BRASIL, 2011) – é um programa da CAPES que conta com a parceria de secretarias de educação de estados e municípios, cujo objetivo principal é garantir a formação de nível superior para os professores que atuam na educação básica. Esses programas, desenvolvidos em diversos contextos, complementam a preparação de professores na educação superior, e ampliam as atividades de formação continuada para professores já atuantes, contribuindo para a qualidade das ações na escola.
Mostrar mais

18 Ler mais

A escolha do magistério como carreira : por quê (não)?

A escolha do magistério como carreira : por quê (não)?

Os custos diretos com o curso para os ingressantes de Direito equivaliam a quase três vezes os custos dos licenciandos com as mensalidades escolares. Além do valor da mensalidade do curso de bacharelado ser superior, é um curso com maior tempo de duração. Os altos valores de desvio padrão para este item, especialmente entre os futuros bacharéis, sugerem que os estudantes pagavam valores diferenciados entre si. Uma possível explicação era a política da instituição para concessão de descontos (por pontualidade no pagamento, por exemplo) e bolsas, com base, entre outros critérios, no mérito dos alunos. De fato, 11,8% dos alunos de licenciatura e 15,3% dos de Direito declararam receber bolsa integral ou parcial da própria IES. Outra possibilidade é a diferença na quantidade de disciplinas cursadas pelos alunos, que pode ter contribuído para a variação nos valores de mensalidades. Observa-se, ainda, que, nos dois grupos, a moda e a mediana para as mensalidades escolares situavam-se acima da média, o que significa que a maioria dos respondentes pagava pelo curso um valor superior ao médio.
Mostrar mais

288 Ler mais

“Feixe de Intervenções” de Prevenção de Infeção de Local Cirúrgico – Normas de Orientação Clínica

“Feixe de Intervenções” de Prevenção de Infeção de Local Cirúrgico – Normas de Orientação Clínica

b) Número de doentes submetidos a cirurgia hepatobiliar na unidade de tempo. 5) Taxa de adesão (mensal, trimestral, semestral, anual) à implementação do “feixe de intervenç[r]

12 Ler mais

2) Obter pontos de máximos e mínimos utilizando a monotonicidade das funções

2) Obter pontos de máximos e mínimos utilizando a monotonicidade das funções

Os sinais da derivada segunda ordem nos dão informações sobre a concavidade do gráfico de f e, utilizando este fato, escolheremos as alternativas correspondentes para cada valor[r]

16 Ler mais

LÍNGUAS EM CONFLITO EM CURSOS DE LICENCIATURA INTERCULTURAL INDÍGENA

LÍNGUAS EM CONFLITO EM CURSOS DE LICENCIATURA INTERCULTURAL INDÍGENA

status que é dado a uma língua indígena que fora excluída desses espaços por serem consideradas menores e o papel que essa ação tem na autoestima dos falantes. É ainda nas brechas do c[r]

25 Ler mais

A implicação do trabalho do formador na constituição da profissionalidade dos licenciados

A implicação do trabalho do formador na constituição da profissionalidade dos licenciados

Entretanto, essa expansão não necessariamente veio acompanhada de uma formação de professores qualificada. Assim, diante da necessidade de adequação, vivencia-se nesses últimos anos, um movimento de reorganização curricular nos cursos de licenciatura. A formação inicial – no nível de gradua- ção, considerada de suma importância para o processo de constituição da pro- fissionalidade docente, é um momento ímpar para estabelecimento de relações interpares, aprofundamentos diversos, tanto os específicos de área, quanto os voltados para discussões mais amplas sobre concepções de mundo e de edu- cação; e a universidade é um locus privilegiado para o desenvolvimento dessa formação. Desse modo, concorda-se com a afirmação de Imbernón (2004, p. 61) a respeito do papel a ser desempenhado pelas instituições formadoras:
Mostrar mais

19 Ler mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC CENTRO DE ARTES – CEART PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA – MESTRADO GABRIELE MENDES DA SILVA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC CENTRO DE ARTES – CEART PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA – MESTRADO GABRIELE MENDES DA SILVA

Apesar de ter consciência de que nossa licenciatura em Música oferece habilitações em práticas interpretativas, instrumento ou canto, na verdade, não me vejo formando professores de instrumento e não me preocupo especificamente com isso. Tampouco atuo no curso com disciplinas voltadas para a prática instrumental, estando mais ligada às questões de pedagogia musical e à preocupação com a escola regular de educação básica. Assim, na verdade, as disciplinas sob minha responsabilidade não são voltadas especificamente para a formação do professor de instrumento, mas para a formação do educador musical de modo geral. Entendo que, mesmo com a habilitação em instrumento, o diploma de licenciatura habilita legalmente o professor de música a trabalhar em múltiplos contextos educativos, inclusive na escola regular de educação básica, onde pode não ter condições de ou não ser a melhor opção ensinar instrumentos, já que o papel da música neste contexto é outro. (DÉBORA, ENTREVISTA)
Mostrar mais

92 Ler mais

Show all 10000 documents...