Compreensão de políticas públicas

Top PDF Compreensão de políticas públicas:

Um passo para trás: Políticas Públicas e compreensão do funcionamento e das demandas da Educação Infantil no Município de Santa Maria/RS

Um passo para trás: Políticas Públicas e compreensão do funcionamento e das demandas da Educação Infantil no Município de Santa Maria/RS

Com base nesse cenário, percebeu-se, também, a necessidade de dar “um passo para trás”, a fim de visualizar esta dimensão judicial da Educação Infantil e buscar compreender em que medida a expansão da Educação Infantil está acontecendo e com que qualidade, além de visualizar os tempos e espaços em que essa etapa da Educação Básica acontece. Para tanto, fez-se necessário o estudo das Políticas Públicas vigentes, a sua compreensão e a aproximação com a realidade do município, através de comparações dos dados levantados a nível regional e nacional, tendo como foco, principalmente, o acompanhamento da implementação da Lei 12.796/2013 que determina a obrigatoriedade de matrícula das crianças de 4 e 5 anos na Educação Infantil.
Mostrar mais

17 Ler mais

Avaliação de políticas públicas e metodologias participativas: potencialidades para compreensão dos impactos de um programa habitacional

Avaliação de políticas públicas e metodologias participativas: potencialidades para compreensão dos impactos de um programa habitacional

Para a complementação dos dados necessários à pesquisa em relação aos moradores dos conjuntos, recorreu-se ao uso de metodologias participativas a partir de técnicas de Diagnóstico Rápido Participativo (DRP), como o Mapa Falado, o Diagrama de Venn e as caminhadas transversais, como ferramentas e estratégias para a compreensão de suas trajetórias e experiências vivenciadas após a mudança para o novo espaço construído. Estas ferramentas permitem acesso aos dados de difícil obtenção objetiva, como pensamentos, interpretações e subjetividades, mas, sobretudo, por permitirem através de uma interação dialógica, o envolvimento da população beneficiada e sua atuação efetiva no processo avaliativo.
Mostrar mais

18 Ler mais

GESTÃO NOS SISTEMAS EDUCACIONAIS DA BAIXADA FLUMINENSE: modelos de organização educacional e práticas exercidas<em>EDUCATIONAL MANAGEMENT SYSTEMS BAIXADA FLUMINENSE: models of organization and educational practice activities</em>

GESTÃO NOS SISTEMAS EDUCACIONAIS DA BAIXADA FLUMINENSE: modelos de organização educacional e práticas exercidas<em>EDUCATIONAL MANAGEMENT SYSTEMS BAIXADA FLUMINENSE: models of organization and educational practice activities</em>

Trabalho de investigação financiado pela FAPERJ, cuja intenção é a análise dos diferentes modelos de gestão assumidos nos municípios da Baixada Fluminense, à luz de referências como: gestão técnico-científica, concepção autogestionária, gestão interpretativa, gestão multidimensional, gestão da qualidade total e gestão democrática, adotando para tal a abordagem do ciclo de políticas. Os resultados apontam para a predominância de modelos de gestão mais centralizadores, apesar do discurso dos gestores indicar a assunção da gestão da qualidade total. A realização deste estudo traz para os educadores responsáveis pela concretização das políticas públicas de educação, uma compreensão melhor a respeito da finalidade da gestão educacional e oferece a eles a possibilidade de assumir um modelo de gestão educacional mais coletiva tornando a escola verdadeiramente pública e de qualidade, recuperando a sua função social e política, capacitando os alunos para a participação plena na vida social, política, cultural e profissional na sociedade.
Mostrar mais

19 Ler mais

DO ASSISTENCIALISMO AOS CUIDADOS DE CRIANÇAS PEQUENAS: RASTROS HISTÓRICOS, VESTÍGIOS CURRICULARES

DO ASSISTENCIALISMO AOS CUIDADOS DE CRIANÇAS PEQUENAS: RASTROS HISTÓRICOS, VESTÍGIOS CURRICULARES

A concepção da assistência científica formulada no início do século XX, em consonância com as propostas das instituições de educação popular difundidas nos congressos e nas exposições internacionais, já previa que o atendimento da pobreza não deveria ser feito com grandes investimentos. A compreensão de que as políticas públicas não precisam priorizar os investimentos na educação de crianças, conduz a carência de investimento e a má gerência dos recursos na educação infantil, constatadas em pesquisas relatadas por Campos (1985) ao observar dispersão de verbas públicas e órgãos destinados a organização do funcionamento assistencialista de instituições de atendimento de crianças de zero a seis anos. Não podemos desconsiderar que a ausência e a má gestão do financiamento não influenciem nas condições objetivas de trabalho e na sobrevivência de instituições que acolhem com qualidade esses pequenos sujeitos.
Mostrar mais

13 Ler mais

UMA ACEPÇÃO DO CONCEITO DE POBREZA NAS POLÍTICAS PÚBLICAS E PROGRAMAS SOCIAIS GOVERNAMENTAIS DO BRASIL

UMA ACEPÇÃO DO CONCEITO DE POBREZA NAS POLÍTICAS PÚBLICAS E PROGRAMAS SOCIAIS GOVERNAMENTAIS DO BRASIL

A importância da articulação entre políticas, em especial a educação, colocam o programa Bolsa Família como promotor de uma transformação. Acerca desta compreensão, podemos apontar o destaque de Harmon (1975, p. 89), ao afirmar que a pedagogia proposta por Freire é fundamentada numa antropologia filosófica dialética cuja meta é o engajamento do indivíduo na luta por transformações sociais. Observa-se que tanto Arroyo quanto Paulo Freire relacionam a educação com o renovo do currículo e práticas dos indivíduos que foram silenciados e segregados, pois a articulação de ações de melhorias deve incluir os direitos e a produção de vida que foram negadas.
Mostrar mais

11 Ler mais

AGROECOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS NA AMÉRICA LATINA: O CASO DO BRASIL

AGROECOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS NA AMÉRICA LATINA: O CASO DO BRASIL

A experiência brasileira na constituição e organização do movimento agroecológico, apresenta algumas carac- terísticas que merecem ser sublinhadas. Em primeiro lu- gar, o fato de que esse movimento foi se instituindo e se consolidando no decorrer das últimas décadas a partir de variados formatos e ênfases, mas sempre tendo como fundamento uma crítica objetiva aos padrões socialmente excludentes e ambientalmente predatórios que caracte- rizam a agricultura e o desenvolvimento rural no Brasil. A partir dessa leitura crítica sobre a natureza e das relações subjacentes ao modelo hegemônico de desenvolvimento rural, o campo agroecológico brasileiro, reunido na ANA e na ABA-Agroecologia, assume a compreensão de que o enfrentamento desse modelo é, antes de tudo, um desafio no plano político (Petersen 2008). Sob essa perspectiva, a proposta agroecológica emergiu e tem feito seu caminho num campo de disputa na sociedade, no qual a produção familiar assume uma franca oposição aos privilégios de uma elite econômica predatória e parasitária. Essa disputa política não poderá se resolver sem a efetivação de uma estratégia de ocupação massiva dos territórios pelas expe- riências da Agroecologia como força material de produ- ção e fonte de inspiração de políticas (Gomes de Almeida 2009).
Mostrar mais

11 Ler mais

FGV/DAPP e Valor Econômico lançam parceria para a transparência orçamentária

FGV/DAPP e Valor Econômico lançam parceria para a transparência orçamentária

O Diretor da DAPP explicou que o Mosaico foi desenvolvido há cerca de um ano e meio, e a parceria com o Valor começou a ser discutida há três meses. A DAPP acredita que a parceria com o jornal Valor Econômico será um canal importante para a disponibilização de dados públicos, contribuindo para a compreensão das políticas públicas pela sociedade civil e também na direção de se construir um debate qualificado que contribua para a construção de novas políticas de Estado.

3 Ler mais

O movimento LGBT e as políticas de educação de gênero e diversidade sexual: perdas, ganhos e desafios.

O movimento LGBT e as políticas de educação de gênero e diversidade sexual: perdas, ganhos e desafios.

A reflexão aqui apresentada procura explorar alguns dos pontos para os quais venho buscando respostas ao longo de duas décadas de investigações acerca da relação entre Estado e movimentos sociais na produção de políticas públicas de educação, sob a ótica das relações de gênero e da diversidade sexual. São pontos alinhavados ano a ano e, ainda hoje, resta a impressão de que muito se tem por fazer. Os resultados aqui expostos são modestos e tomam como fontes principais duas investigações mais recentes voltadas para a compreensão da introdução do gênero nas políticas públicas de educação no Brasil no governo Lula. A primeira delas, com resultados publicados em minha tese de livre-docência (VIANNA, 2011), examinou a produção acadêmica sobre a introdução do gênero e da sexualidade nas políticas educativas e constatou a ênfase dessas políticas no currículo e na formação docente. A segunda investigação verificou como as políticas voltadas para o currículo – propostas no âmbito do Estado – foram compreendidas, apropriadas e implementadas por professoras e professores de escolas públicas do estado de São Paulo (VIANNA, 2012).
Mostrar mais

16 Ler mais

Análise de políticas públicas: entre a modelagem e a realidade da política habitacional brasileira.

Análise de políticas públicas: entre a modelagem e a realidade da política habitacional brasileira.

Essas três categorias analíticas são de grande relevância na ciência política, particu- larmente na análise de políticas públicas (policy analysis), campo de conhecimento que tem origem nos Estados Unidos na década de 1930, com o objetivo de compreender a forma e as razões pelas quais os governos optam por determinadas ações (Cavalcanti, 2007; Frey, 2000). Para Fischer, Miller e Sidney (2007), os estudos de políticas públicas se caracterizam como uma das áreas das ciências sociais com maior crescimento nas últimas décadas, sendo am- plamente utilizados não somente para a compreensão do processo de formulação de políticas públicas, mas também na produção de informações públicas relevantes.
Mostrar mais

22 Ler mais

Rev. adm. empres.  vol.53 número4

Rev. adm. empres. vol.53 número4

Os autores desta obra buscam apresentar uma compreensão contemporânea da complexa relação entre política de bem-estar e políticas públicas, assunto interes- sante para pesquisadores que atuam em áreas como economia e psicologia. O liv- ro está organizado em quatro seções, as quais abordam essencialmente a mensu- ração do bem-estar e seu emprego no âmbito de políticas públicas. Além disso, os autores tratam de limitações da economia e indicadores sociais.

1 Ler mais

AGRICULTURA FAMILIAR, PLURIATIVIDADE E POLÍTICAS PÚBLICAS NA REGIÃO NORDESTE E SUL DO BRASIL, NOS ANOS 1990 E 2000: TRAJETÓRIAS E DESAFIOS

AGRICULTURA FAMILIAR, PLURIATIVIDADE E POLÍTICAS PÚBLICAS NA REGIÃO NORDESTE E SUL DO BRASIL, NOS ANOS 1990 E 2000: TRAJETÓRIAS E DESAFIOS

Diante dessa análise de Chayanov acerca da família no meio rural e a relevância de sua compreensão enquanto fenômeno econômico, a existência da agricultura familiar, que se pode dizer, grosso modo, herdeira daquela economia camponesa por ele analisada, deve ser compreendida tendo como eixo norteador a razão de sobrevivência econômica das famílias no meio rural dos tempos atuais. É nessa linha de raciocínio de que no futuro o interesse analítico das famílias rurais - cuja gestão e trabalho são estruturados a partir do trabalho familiar - estaria relacionado à sua sobrevivência econômica e às estratégias que a mesma desenvolve para tanto, que a abordagem da seção seguinte caminha na direção de avaliar a relação que as variáveis referentes aos requisitos individuais dos membros das famílias tem com o comportamento do número de famílias da agricultura familiar, particularmente as famílias pluriativas, no sentido de promover uma ampliação desse número de famílias ao longo do tempo.
Mostrar mais

209 Ler mais

A ELABORAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A CONCRETIZAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS  Fernanda Priscila Ferreira Dantas, Maria Dos Remédios Fontes Silva

A ELABORAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A CONCRETIZAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS Fernanda Priscila Ferreira Dantas, Maria Dos Remédios Fontes Silva

É bem verdade que a manutenção de bens e serviços depende da existência de créditos orçamentários. Entretanto, argumentos de capacidade orçamentária não podem prevalecer no que diz respeito às políticas públicas essenciais, exatamente porque elas não estão sujeitas à margem de descricionariedade do administrador ou legislador derivado (FONTE, 2013, p. 243). É nessa esteira que se remonta à compreensão já apresentada no tópico atinente ao orçamento e ao princípio da reserva do possível, consistente em defender a aplicabilidade imediata dos direitos fundamentais sociais, bem como a necessária priorização das políticas públicas a despeito de qualquer escusa estatal relacionada à ausência ou escassez de recursos, especialmente quando o referido Estado não demonstra comprovadamente que utilizou os recursos disponíveis da forma mais eficiente possível e que, de fato, inexistem recursos para fazê-lo (SARLET, 2010, p.28).
Mostrar mais

38 Ler mais

RESUMO: O objetivo deste artigo foi o

RESUMO: O objetivo deste artigo foi o

Tudo isso confirma a compreensão de que não basta a criação de políticas públicas voltadas à qualidade do processo de gestão pública municipal, sendo neces- sário estar atento ao processo de implementação de tais políticas, pois barreiras culturais atuam como elementos limitadores da mudança. Neste sentido, a gestão de pessoas emerge como um dimensão importante, sendo necessário que o dirigente público municipal esteja sensibilizado para este aspecto e adote ações voltadas à busca deliberada de meios e formas de ação efetiva de melhoria da qualidade dos serviços públicos municipais.
Mostrar mais

10 Ler mais

A disseminação das políticas públicas locais de economia solidária no Brasil: os casos de São Paulo e Osasco

A disseminação das políticas públicas locais de economia solidária no Brasil: os casos de São Paulo e Osasco

dessa construção” (ALVES, FRANÇA FILHO, GIRARD, CRUZ e ARAÚJO, 2006) e o relatório “Avaliação de Políticas Públicas de Economia Solidária” (MTE, IPEA, ANPEC, 2005), afirmam que o Município de Mauá, no ABC Paulista, iniciou sua política de Economia Solidária em 1992. Porém, a política desenvolvida no início era de “Frentes de Trabalho”, dando capacitação e trabalho, porém sem o estímulo à organização coletiva. O relatório MTE afirma que posteriormente foram definidos três setores de produção aos quais a prefeitura deu apoio por meio de espaço físico para o trabalho coletivo dos cooperados. Porém, o ano em que a prefeitura começa a fomentar as cooperativas não aparece em nenhuma das publicações. Outra política de geração de renda com emprego da proposta de formação de associações e cooperativas foi implementada pela Secretaria de Emprego e Relações de Trabalho- SERT, do governo do Estado de São Paulo, a partir de 1995. O Secretário à época era Walter Barelli - do PSDB, que implementou o Programa de Auto-Emprego, com a visão de que o trabalhador poderia gerar sua própria renda, por meio do esforço pessoal. Esse programa apresentava diferenças de concepção, possivelmente ideológicas, com relação às chamadas políticas de Economia Solidária. O Programa de Auto-Emprego, como não foi citado por nenhum dos entrevistados como parte da história da Economia Solidária e também não foi citado como inspiração para a disseminação das políticas estudadas, não fez parte desta pesquisa. Seria interessante haver outras pesquisas relacionando os objetivos desse programa às políticas de Economia Solidária.
Mostrar mais

190 Ler mais

Políticas públicas de expansão universitária : uma análise do Programa REUNI na UFSCar no período de 2007 a 2014

Políticas públicas de expansão universitária : uma análise do Programa REUNI na UFSCar no período de 2007 a 2014

Quanto às ações voltadas à educação das relações étnico-raciais, promovidas por servidores docentes, técnico-administrativos e estudantes, alguns projetos desenvolvidos no período foram o Ciclo de Práticas Culturais Populares e Educação; Aciepes (Atividade Curricular de Integração Ensino, Pesquisa e Extensão) voltadas à questão da diversidade; cursos de extensão, dentre outras. Além disso, foram realizados em 2010, no âmbito das comemorações dos 40 anos da UFSCar, seminários para reflexão sobre o PEC-G e sobre desafios e possibilidades das ações afirmativas. Os estudantes africanos do convênio PEC-G já realizaram oito Semanas Acadêmicas e Culturais, promovendo debates importantes sobre as relações de cooperação científica e cultural entre Brasil e África. Por fim, merece destaque o trabalho constante de visitas, palestras e cursos que tanto os estudantes africanos, como os estudantes brasileiros indígenas e negros desenvolvem junto às escolas públicas da cidade de São Carlos, para a promoção da educação das relações étnico-raciais.
Mostrar mais

111 Ler mais

Implementação da política de resíduos sólidos nos municípios  do agreste meridional de Pernambuco

Implementação da política de resíduos sólidos nos municípios do agreste meridional de Pernambuco

Este critério fiscal é puramente político. É uma exigência da PNRS dispensável em outras políticas tidas como prioritárias, a exemplo das políticas de saúde e educação. Assim sendo, é possível concluir que a PNRS não é tratada como prioridade; nem mesmo, pelo menos até o presente momento, tem tratado o problema alvo em sua efetiva complexidade, não obstante sua tentativa de aproximar-se dele. Isso explicar muito os constantes adiamentos de prazos para sua implementação. Contudo, ressalta-se, mais uma vez, que se poderia ter tudo resultados melhores se as populações locais estivessem efetivamente organizadas e mobilizaras, possuindo conhecimento de causa sobre a questão e acesso de maneira transparente aos trâmites e procedimentos inerentes ao processo de implementação da política aqui abordada.
Mostrar mais

10 Ler mais

MULHERES CAMPONESAS CONSTRUINDO TERRITÓRIOS AGROECOLÓGICOS, NA LUTA POR  POLÍTICAS PÚBLICAS

MULHERES CAMPONESAS CONSTRUINDO TERRITÓRIOS AGROECOLÓGICOS, NA LUTA POR POLÍTICAS PÚBLICAS

RESUMO: A intencionalidade deste trabalho é descrever um pouco das políticas públicas voltadas para o campo nesse último período, com um olhar sobre as questões do desenvolvimento, que são pautadas nos territórios camponeses, estes entendidos como um espaço de conflitos. As políticas públicas de governo no campo, na maioria das vezes, foram formuladas a partir de uma demanda necessária de grupos sociais organizados que as pautam como bandeiras de luta, ou seja, essas políticas surgem em sua maioria embasadas em necessidades concretas, ocasionadas pelo processo histórico do modelo de agricultura adotado na agricultura brasileira. Em se tratando das mulheres não foi diferente, pois as políticas voltadas para elas são frutos da luta, entendendo as políticas públicas como um direito dos camponeses e camponesas. Dar continuidade na produção de alimentos e na permanência destes como sujeitos e sujeitas no campo, trabalhando a agroecologia como uma forma saudável de produção, na contribuição da saúde das famílias, e das comunidades locais, preservando o meio ambiente, a cultura dos povos e o enfrentamento ao modelo de produção do agronegócio. Por outro lado vale ressaltar que os camponeses e camponesas desenvolvem atividades autônomas de produção e reprodução da vida nos territórios.
Mostrar mais

15 Ler mais

TRANSFERIR CUSTOS PARA O SETOR PRIVADO A FIM DE REALIZAR DIREITOS À EDUCAÇÃO E À CULTURA : UMA ANÁLISE DA POSIÇÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL / TRANSFERRING COSTS FROM THE STATE TO PRIVATE SECTOR SO AS TO IMPLEMENT EDUCATION AND CULTURAL RIGHTS

TRANSFERIR CUSTOS PARA O SETOR PRIVADO A FIM DE REALIZAR DIREITOS À EDUCAÇÃO E À CULTURA : UMA ANÁLISE DA POSIÇÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL / TRANSFERRING COSTS FROM THE STATE TO PRIVATE SECTOR SO AS TO IMPLEMENT EDUCATION AND CULTURAL RIGHTS

[...] é mais fácil utilizar-se de um poder de pressão maior, do poder que é inerente à soberania, e compelir-se a iniciativa privada a fazer o que ele próprio – Estado – deveria fazer viabilizando o acesso universitário, de uma forma larga, àqueles que tenham o requisito de escolaridade para cursar o nível universitário, sem essa carnificina – e assim rotulo – como o é o vesti- bular para uma universidade pública, com afunilamento insuplantável. Mas veio o Estado, como disse, a cumprimentar com chapéu alheio, deixando no ar a perda da imunidade prevista no artigo 150 na Carta da República, a impor, para ter-se a isenção – e não se pode cogitar de sobreposição, a um só tempo, versar-se o direito à imunidade e o direito à isenção, já que são va- lores que se excluem, sendo o primeiro mais abrangente do que o segundo –, até mesmo àquelas universidades detentoras da prerrogativa estampada na imunidade, para continuarem tendo jus a essa imunidade, a adesão ao ProUni e fazer o que ele não faz: abrir vagas aos estudantes egressos de escolas públicas [...] (BRASIL, 2013, p. 68).
Mostrar mais

24 Ler mais

Representações sociais de homens e mulheres de Coari sobre qualidade de vida

Representações sociais de homens e mulheres de Coari sobre qualidade de vida

Com o crescimento econômico mundial ocorrido na primeira década do século XXI, que refletiu no bom desempenho econômico brasileiro, as políticas públicas do País apresentaram alguns avanços no sentido de melhorar as condições de vida das pessoas. Nos setores econômico e social, destacam-se o aumento real do salário mínimo, o acesso do trabalhador rural à previdência social e aos programas de transferência de recursos financeiros às famílias de baixa renda, que, apesar dos questionamentos quanto às intenções de sua implantação, reduziram notadamente a fome no Brasil.
Mostrar mais

99 Ler mais

Democracia cultural: cultura, sociedade e política no Brasil contemporâneo

Democracia cultural: cultura, sociedade e política no Brasil contemporâneo

As respostas às perguntas seguintes, voltadas para o Ocupa MinC, foram destacadas de acordo com análise de Juris acerca das manifestações-performances e ocupações. Acerca da orgânica do Movimento, todos os entrevistados responderam não haver hierarquia, mas diferentes grupos de trabalho (infraestrutura, comunicação, articulação e segurança) e as decisões se darem por consenso. Segundo Juris, ocupações (e outros eventos políticos de larga escala) “shine a critical light on the existing socio-political order and make visible alternative forms of organization and sociality” (Juris in Baumgarten, Daphi e Ullrich, 2014: 233); de acordo com o autor, o movimento Ocuppy de 2013 e outros recentes movimentos políticos criaram novas formas políticas e culturais, como “the consensus-based decisionmaking processes, the General Assemblies, and the ‘horizontal’ camp and affinity group structures (horizontal in theory, if not always in practice), [that] have a clear egalitarian and communitarian thrust” (Ibidem). O processo também encontra eco no ideal de como políticas voltadas para democracia cultural devem ser elaboradas – o mais próximo e com a maior participação possível da sociedade civil local, conforme visto no primeiro capítulo.
Mostrar mais

116 Ler mais

Show all 10000 documents...