Fator Humano

Top PDF Fator Humano:

Estudo sobre a contribuição do fator humano para o desenvolvimento da inovação nas organizações

Estudo sobre a contribuição do fator humano para o desenvolvimento da inovação nas organizações

Durante a identificação de fontes para a construção do referencial teórico, foram realizadas pesquisas no Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Trata-se de uma ferramenta de busca de reconhecida importância acadêmica no país, que foi escolhida por esse motivo. Foram utilizados os argumentos de pesquisa Inovação (Innovation), Determinante (Determinant), Obstáculo (Obstacle), Pessoas (People), Empregado (Employee), Membro (Member) e Fator Humano (Human Factor) e suas combinações. As bases de dados pesquisadas foram: Oxford Journals, Science Direct (Elsevier), Willey Online Library e ASP (EBSCO). O quadro 5 mostra a combinação de argumentos utilizada em cada uma das iterações de pesquisa. Já a tabela 1, mostra a quantidade de registros retornados em cada uma das bases, bem como o somatório de todas elas, para cada iteração de pesquisa.
Mostrar mais

262 Ler mais

PARA ALÉM DE FAZERES TÉCNICOS: O ARQUIVISTA E SUA RELAÇÃO COM O FATOR HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES

PARA ALÉM DE FAZERES TÉCNICOS: O ARQUIVISTA E SUA RELAÇÃO COM O FATOR HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES

Resumo: O fator humano constitui uma das maiores preocupações das organizações contemporâneas. Em todos os setores de uma empresa, sabe-se das vantagens que uma efetiva gestão de pessoas pode proporcionar ao bom funcionamento do organismo. No contexto específico dos arquivos, não é diferente, pois, para que as práticas arquivísticas sejam realizadas com êxito, recorre-se às pessoas, pois são elas que acometem vitalidade aos processos; por conseguinte, o arquivista insere-se nesse contexto como gestor do fator humano. Sendo assim, objetiva-se demonstrar a importância do arquivista como líder na condução das equipes de trabalho envolvidas com o fluxo da informação empresarial. Através de revisão de literatura em publicações da Administração e da Arquivística, bem como estudo documental de um currículo acadêmico, concluiu-se que, o arquivista possui, com base na literatura, papel importante ao gerir as equipes, sobretudo através do monitoramento contínuo das atividades, bem como da aplicação de treinamento. Constatou-se, através da análise curricular, que o curso em questão pretende capacitar o profissional a exercer as atividades de um líder, devendo o arquivista adquirir novas competências, habilidades e responsabilidades, que extrapolam os fazeres técnicos, podendo exercer também seu papel social e atuar junto às equipes de trabalho, com foco na gestão de pessoa e na liderança.
Mostrar mais

17 Ler mais

Decisões de terceirização e as práticas em gestão do fator humano: análise nas grandes indústrias cearenses de confecção

Decisões de terceirização e as práticas em gestão do fator humano: análise nas grandes indústrias cearenses de confecção

O presente trabalho tem como objetivo pesquisar e apresentar as motivações que sustentam as decisões de terceirização nas empresas de confecção do Estado do Ceará e avaliar qualitativamente as práticas da gestão do fator humano terceirizado. Inicialmente, foram feitas abordagens teóricas tais como: organizações em rede e terceirização estratégica; estratégia empresarial e gestão do fator humano; indústria têxtil e o setor de confecção. Após a revisão bibliográfica, realizou-se uma pesquisa de campo, com a aplicação de dois questionários semi-estruturados e uma entrevista por pauta, junto às grandes empresas de confecção do Ceará. Em seguida, as informações coletadas foram tratadas quantitativa e qualitativamente, sendo para isso utilizado o modelo de reversibilidade. A pesquisa permitiu constatar que as decisões de terceirização nas empresas pesquisadas têm alcance limitado pela incapacidade de reduzir custos e pelo comprometimento da qualidade. Onde a terceirização se afirma com força, assume uma conotação custos, com prejuízos para a qualidade. Neste caso, a fragilidade das técnicas da gestão do fator humano terceirizado é flagrante. Embora as decisões de terceirização se pautem, em geral, por critérios estratégicos, não fica evidente a congruência entre as referidas decisões e as práticas da gestão do fator humano terceirizado nas grandes indústrias cearenses de confecção. Acredita-se que os investimentos em tecnologias da gestão do trabalho terceirizado possam corrigir as disfunções percebidas.
Mostrar mais

217 Ler mais

Habitação e meio ambiente: o fator humano  algumas hipóteses para discussão

Habitação e meio ambiente: o fator humano algumas hipóteses para discussão

Concluindo, é fundamental e necessário ter o elemento humano como referencial básico para a elaboração dos projetos habitacionais, incluindo programas de inclusão social que considerem a participação efetiva da comunidade organizada e ONGs em todas as etapas do projeto. Este caminho se apresentaria como o mais viável para o controle dos impactos ambientais nos EHISs. Para alcançar tal objetivo relativo à participação comunitária, é necessária uma mudança de comportamento por parte de planejadores e formuladores de políticas habitacionais (MOU- GHTIN, 1992), procurando eliminar as forças do clientelismo e da coop- tação, que foram e são usadas, pelo poder público, para solapar e suprimir a verdadeira participação (GILBERT & WARD, 1984; RAKODI, 1995).
Mostrar mais

6 Ler mais

O fator humano na mediação

O fator humano na mediação

Sou a favor da mediação obrigatória, mas não acho que ela seja a melhor opção para todos os Estados e todos os casos.. É pre- ciso haver algum poder de escolha?[r]

2 Ler mais

A EFICÁCIA DO PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO EM UMA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA NA REGIÃO DA BAIXADA SANTISTA MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO

A EFICÁCIA DO PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO EM UMA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA NA REGIÃO DA BAIXADA SANTISTA MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO

Para além do foco de organização do trabalho, Vasconcellos e Hemsley (2002) também destacam alguns pressupostos relativos ao fator humano que constituem um perfil [r]

78 Ler mais

Desenvolvimento dos relacionamentos entre as agências e os seus clientes

Desenvolvimento dos relacionamentos entre as agências e os seus clientes

Assim, a nível de contributo teórico, enfatizam-se os seguintes aspetos: os critérios de seleção serem diferentes consoante a duração do relacionamento; a relevância do fator humano na[r]

51 Ler mais

SAMARA SILVA DE OLIVEIRA A MOTIVAÇÃO NO CANTEIRO DE OBRAS DE UMA EMPRESA CEARENSE: UM ESTUDO DE CASO

SAMARA SILVA DE OLIVEIRA A MOTIVAÇÃO NO CANTEIRO DE OBRAS DE UMA EMPRESA CEARENSE: UM ESTUDO DE CASO

A Construtora Mota Machado visa o sucesso organizacional, sem deixar de lado o fator humano. Pensando nisso, adotou-se algumas estratégias que são utilizadas para influenciar a motivação organizacional com o objetivo de promover a satisfação de seus colaboradores. Essas influências do clima organizacional mostram a clareza dos objetivos, metas e planos por partes dos integrantes; a integração organizacional a fim de alcançar metas; orientação para o desempenho de cargos e tarefas; o dinamismo e inovação da empresa em relação às mudanças no ambiente; a remuneração como estimulo ao desempenho das atividades; informações para a tomada de decisão e oportunidade de desenvolvimento do potencial das pessoas. Pode-se ressaltar que algumas dessas técnicas motivacionais relacionam-se com teorias citadas no capítulo anterior deste estudo, com foco na teoria dos dois fatores de Frederick Herzberg.
Mostrar mais

64 Ler mais

Vozes que saem das mãos: o ensino de Astronomia para surdos

Vozes que saem das mãos: o ensino de Astronomia para surdos

Em qualquer atividade de ensino o fator humano é decisivo para a eficácia do aprendizado, destacando que o desempenho do professor é o motor da boa aprendizagem e sendo ainda mais sensível nas ações didáticas com pessoas surdas, nas quais o papel do docente passa a ser mais decisivo, pois um dos pilares da comunicação, o áudio, está ausente e precisa ser compensado de algum modo. Além disso, existe a questão da linguagem especializada, Libras, que não é o habitat ou métier de um professor ouvinte, aliás, esta situação tende a ser tanto mais frequente e sensível quanto mais especializado for o objeto de ensino, como é o caso da Astronomia. Entre os poucos professores surdos existentes, a maioria está voltada para o EF ou EM e pouquíssimos estão em áreas de estudo altamente complexas, como nas ciências em geral.
Mostrar mais

20 Ler mais

Produção científica sobre a temática “gestão de bibliotecas” contemplada na base de periódicos em Ciência da Informação (BRAPCI): reflexões à luz da literatura  Scientific production on the theme "library management" contemplated in regular Basis in Infor

Produção científica sobre a temática “gestão de bibliotecas” contemplada na base de periódicos em Ciência da Informação (BRAPCI): reflexões à luz da literatura Scientific production on the theme "library management" contemplated in regular Basis in Infor

Assim, entende-se que a maioria dos trabalhos analisados ainda está focada nos procedimentos técnico-operacionais. Conclui-se que realizar a gestão da biblioteca é algo imprescindível nos dias atuais, independente que tipo de gestão seja realizada. É importante ampliar essa discussão, focando, também, na gestão do fator humano nas unidades de informação, cuja intenção seja vislumbrar uma moderna biblioteca, mais inovadora, seja na gestão dos usuários internos (intermediários) quanto externos (finais), assim como defende David Lankes (2012), a respeito do que deve ser a Biblioteconomia: uma área mais humanizada, cuja preocupação não esteja somente nos fazeres técnicos, mas principalmente, nas pessoas, pois são elas que vitalizam nossas práticas; elas representam a razão de ser dos fazeres biblioteconômicos.
Mostrar mais

19 Ler mais

Rev. adm. empres.  vol.41 número4

Rev. adm. empres. vol.41 número4

Mais conhecido pela Psicopatologia e pela Psicodinâmica do Trabalho, nessa obra Dejours apresenta questões epistemológicas sobre a noção do fator humano. O autor mostra como esse conceito é desenvolvido de modo diferente dentro das organi- zações por, de um lado, profissionais que partem de uma visão decorrente das Ciências Humanas e, de outro, por profis- sionais das Ciências da Engenharia. A noção de homem, trabalho e tecnologia desenvolvida por esses profissionais leva a condutas distintas no modo de encaminhar, julgar e controlar o comportamento do ser humano no trabalho.
Mostrar mais

1 Ler mais

A economia colonial do Grão-Pará: uma avaliação crítica (1720-1822).

A economia colonial do Grão-Pará: uma avaliação crítica (1720-1822).

Onde Y$ é o Valor Bruto da Produção da Colônia no Mercado Mundial (VBPM = XT a preços vigentes do mercado mundial) e X$, o Valor da Produção Exportada na Colônia (VBPC = XT a preços de exportação de Belém para a metrópole). A equação (1) diz que a expansão dessa economia como parte de uma economia-mundo depende da extensão do fator humano passível de incorporação pelo projeto colonial P, das condições internas que determinam a rentabilidade na aplicação desses recursos humanos na colônia ( x = X$/P) e das condições externas à colônia, que determinam a capacidade de formação de valor adicionado a partir da metrópole ( m = Y$/X$ = XT.y$/XT.x$ = y$/x$, para y$ e x$ sendo, respectivamente, os preços no mercado mundial e os preços na Colônia). Poder-se- ia, em primeiro plano, afirmar que a eficiência será correlata ao resultado da aplicação de cada unidade de recurso humano na colônia (y = Y$/P), como se lê na equação (2). Por fim, a equação (3) estabelece que as condições internas resultam da produtividade física (xt=XT/P) e do preço da produção exportada da Colônia (x$=X$/XT). Uma leitura dinâmica seria a de que a expansão do sistema (∆Y$ = ∆m + ∆x + ∆P) se fará tanto mais eficiente quanto maior o crescimento da sua produtividade monetária (∆y = ∆m + ∆x), que, por sua vez, depende das variações observadas nas condições externas (∆m = ∆y$- ∆x$) e internas (∆x = ∆xt + ∆x$) de operação de seus fundamentos – transacionais e produtivos.
Mostrar mais

23 Ler mais

Classificação molecular de tumores mamários felinos e sua relevância clínica

Classificação molecular de tumores mamários felinos e sua relevância clínica

ligando, os subdomínios II e IV do domínio extracelular interagem de modo a manter os subdomínios I e III (de ligação ao ligando) distantes um do outro, assumindo o recetor uma conformação designada de “fechada”. Por outro lado, na presença de ligando ocorre a aproximação dos respetivos subdomínios I e III, bem como a separação dos subdomínios II e IV, permitindo que o subdomínio II fique disponível para o processo de dimerização e assumindo o recetor uma conformação designada de “aberta” (Citri & Yarden, 2006). De facto, os recetores quando se ligam a ligandos peptídicos específicos extracelulares, alteram a sua conformação (de “fechada” para “aberta”) de modo a se associarem entre si, formando pares, através do referido mecanismo de dimerização, que desencadeia a transativação da autofosforilação de tirosina no domínio intracelular (catalisada pela tirosina-quinase) e, subsequentemente, induz o recrutamento de proteínas de sinalização intracelular, como p.ex. proteína 2 ligada ao recetor de fator de crescimento (Grb2), proteína 7 ligada ao recetor de fator de crescimento (Grb7), fosfolipase C γ (PLCγ), c-Src e PI3K, responsáveis pela ativação de diferentes cascatas de sinalização a jusante (Olayioye et al., 2000; Prenzel, Fischer, Streit, Hart & Ullrich, 2001; Burgess et al. 2003; Russell, 2014). As principais vias de sinalização ativadas são a (1) Ras/MAPK (relacionada sobretudo com a proliferação), (2) PI3K/AKT (relacionada sobretudo com a sobrevivência), (3) PLCγ/proteína quinase C (PKC), (4) JAK-1/JAK-2/STAT3 e (5) proteína quinase p21 ativada (PAK)/proteína quinase 8 ativada pelo mitogénio (JNK)/proteína quinase quinase 4 ativada pelo mitogénio (JNKK) (Yarden & Sliwkowski, 2001; Ross et al., 2009; Feldman & Yarden, 2014). Todas estas vias estão, normalmente, envolvidas na regulação de múltiplas funções celulares, fundamentais para o normal desenvolvimento biológico, como p.ex. angiogénese, crescimento, proliferação, diferenciação, resposta imunitária, mobilidade, adesão, sobrevivência e apoptose celular (Yarden & Sliwkowski, 2001; Burgess et al. 2003; Santos et al., 2012; Roskoski, 2014). Existem também evidências de que estes recetores são translocados para o núcleo, onde promovem muitas das funções citadas (p.ex. impulsionam a transcrição de ciclina D1 e, consequentemente, a proliferação celular; e de sintase do óxido nítrico (NOS) que catalisa a formação de óxido nítrico, interferindo na inflamação e na angiogénese) (Lin et al., 2001; Carpenter & Liao, 2009; Wang & Hung, 2009).
Mostrar mais

280 Ler mais

Associação entre o polimorfismo no códon 72 da p53 e as lesões pré-malignas e malignas cervicais.

Associação entre o polimorfismo no códon 72 da p53 e as lesões pré-malignas e malignas cervicais.

Objetivos: testar a hipótese de que o polimorfismo no códon 72 do gene TP53 é fator de risco para as lesões pré-malignas e malignas cervicais associadas ou não ao papilomavírus humano (HPV). Métodos: foram incluídas amostras de cérvice uterina, para pesquisa de DNA de HPV e do polimorfismo no códon 72 da p53 com o uso da reação em cadeia da polimerase (PCR), de 155 pacientes que se submeteram à biópsia cervical. Foram formados três grupos de acordo com o diagnóstico histológico: lesão escamosa intra-epitelial de baixo grau (LSIL), lesão escamosa intra-epitelial de alto grau (HSIL) e carcinoma cervical. Aquelas pacientes sem alterações displásicas, citológicas e histológicas, foram consideradas controles. Para testar a associação entre o polimorfismo no códon 72 do gene TP53 e os grupos, foi utilizado o teste de χ 2 . Considerou-se como
Mostrar mais

6 Ler mais

O planejamento estratégico do capital humano como fator de desenvolvimento sustentável das organizações na agroenergia: estudo de caso

O planejamento estratégico do capital humano como fator de desenvolvimento sustentável das organizações na agroenergia: estudo de caso

Em um estudo recente da UDOP, 2009 – União dos Produtores de Bioenergia apresentado em Ribeirão Preto, em 25 de setembro, no Seminário GERHAI 1 , com o aumento das unidades de produção para suportar o mercado crescente, como já mencionado anteriormente, o avanço da mecanização do corte da cana-de-açúcar e a qualificação de novos trabalhadores, é previsto no setor, para a safra 2017/18, um acréscimo de 44.340 novas vagas, com aumento maior de Tratoristas (30%), Operadores (15%), Mecânicos (15%), Pipas (15%), Comboístas e Engatadores (15%) e Lideres (10%). Em razão do crescimento e do aumento de vagas, teremos um grupo de novos colaboradores que deverá ser treinado e capacitado na indústria e em toda a cadeia produtiva, em diferentes níveis hierárquicos (figura 2). Tudo isso leva a um grande desafio na qualificação e desenvolvimento do capital humano para adequação às novas tecnologias e ao novo ambiente de negócios.
Mostrar mais

65 Ler mais

Risk of illness and human cost at work in a psychiatric hospital Riesgo de enfermedad y el costo humano en el trabajo en un hospital psiquiátrico

Risk of illness and human cost at work in a psychiatric hospital Riesgo de enfermedad y el costo humano en el trabajo en un hospital psiquiátrico

hospital psiquiátrico. Método: Estudo transversal, realizado em um hospital psiquiátrico, com 74 trabalhadores de enfermagem. Foi aplicada a Escala de Custo Humano no Trabalho. Resultados: Na avaliação do custo humano no trabalho, o fator custo cognitivo foi avaliado como risco crítico para adoecimento do trabalhador de enfermagem, enquanto os fatores custo afetivo e custo físico demonstraram avaliação satisfatória. Os itens considerados críticos para adoecimento referiram-se a: ter controle das emoções, lidar com a agressividade dos outros, uso da visão e memória, uso contínuo e repetido das pernas e mãos. Conclusão: Os itens avaliados indicaram condições críticas para a saúde mental do trabalhador de enfermagem, revelando risco de adoecimento.
Mostrar mais

9 Ler mais

SERVIÇO PÚBLICO E DIREITOS HUMANOS

SERVIÇO PÚBLICO E DIREITOS HUMANOS

O acesso ao serviço público é direito humano, conforme se extrai de normas internacionais, podendo ser referido o enunciado específico constante da Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948, que previu que “todo ser humano tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país” (art. 21, 2) (ONU). Também há preocupação universal com o direito a um padrão de vida mínimo, do ser humano e sua família, para ser assegurado saúde e bem-estar, representados por alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, direito à segurança social por desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle (art. 25, 1) (ONU).
Mostrar mais

20 Ler mais

Influência de Medidas de Segurança de Trânsito no Comportamento dos Motoristas

Influência de Medidas de Segurança de Trânsito no Comportamento dos Motoristas

Neste contexto, que destaca a importância do comporta- mento do motorista como fator contribuinte da ocorrência dos acidentes, este artigo objetiva identificar as principais infrações associadas à ocorrência de acidentes e as medidas de segurança capazes de coibir essas infrações. Adicional- mente, objetiva-se classificar essas medidas de segurança de trânsito de acordo com seu grau de influência em inibir o cometimento de infrações de trânsito no meio urbano. A abordagem adotada para atingir o objetivo deste estudo foi a realização de grupos focados (pesquisa qualitativa) e pos- terior aplicação de questionário autorrelatado (pesquisa quantitativa). Esse artigo está organizado em cinco seções: Além desta introdução, apresenta-se uma revisão teórica a respeito do tema, incluindo questões relativas ao desempe- nho e ao comportamento dos motoristas, bem como os fato- res que os influenciam. A seguir é apresentado o método de trabalho, incluindo as etapas qualitativa e quantitativa da pesquisa. Os resultados são analisados e discutidos e, por fim, são apresentadas as principais conclusões da pesquisa.
Mostrar mais

10 Ler mais

Clonagem e expressão do fator 1 humano induzível por hipóxia (HIF-1) na levedura Saccharomyces cerevisiae

Clonagem e expressão do fator 1 humano induzível por hipóxia (HIF-1) na levedura Saccharomyces cerevisiae

fosfoglicerato quinase 1 (PGK1) e lactato desidrogenase-A (LDH) (Bracken et al., 2003; Semenza, 2003). Muitos fatores pró-angiogênicos tais como o fator de crescimento endotelial vascular (VEGF), fator de crescimento transformante β2 (TGF-β2), receptor do VEGF, ( conhecido também como Flt-1), fator de crescimento básico de fibroblasto (bFGF) e fator de crescimento derivado de plaquetas (PDGF-b) são induzidos por HIF-1 para promover a formação de vasos. Outros genes ativados pelo HIF-1 incluem fatores que regulam a proliferação e sobrevivência celular, apoptose, motilidade e estrutura do citoesqueleto, metabolismo da matriz extracelular, tônus vascular, metabolismo de nucleotídeos, adipogênese, desenvolvimento de células B e resistência a drogas. Fatores de transcrição como AP-1, CREB, GATA-1 e GATA-2 são também alvos do HIF-1 e que posteriormente regulam uma variedade de genes que promovem a diferenciação e sobrevivência celular (Semenza, 2003). Enquanto HIF-1 permanece como o regulador predominante da expressão gênica durante a hipóxia, existem dados que mostram mecanismos da regulação transcricional em resposta ao oxigênio independente do HIF-1. Por exemplo, NF-kB e AP-1 induzem a expressão de um conjunto de genes tais como, citocinas pró-inflamatórias, fator de necrose tumoral α (TNF-α), interleucina β (IL-β), endotelina e fator de crescimento B derivado de plaquetas sob condições de hipóxia (Bandyopadhyay et al., 1995).
Mostrar mais

181 Ler mais

Temas em debate

Temas em debate

As crises com estresse, listadas como adversi- dade por Projetos de Resiliência Internacional (www.resilnet.uiuc.edu/library/grotb95b.html), estão numa ordem por sua freqüência média em vários estudos internacionais. Significa que podem ser fator de risco de patologia, mas onde também encontramos ou desenvolvemos resi- liência: morte de pais ou avós que cuidam - divórcio - separação forçada - doença de pais ou irmãos - pobreza - mudanças - acidentes - abuso - abuso sexual - abuso no trabalho -

9 Ler mais

Show all 8079 documents...