Medicina - prática

Top PDF Medicina - prática:

Avaliação da disciplina observação da prática médica pelos graduandos de medicina da Unifesp - Escola Paulista de Medicina.

Avaliação da disciplina observação da prática médica pelos graduandos de medicina da Unifesp - Escola Paulista de Medicina.

Em busca da aproximação progressiva do aluno à prática médica, mediante um conhecimento real de como se dão as relações médico-paciente nos diversos ambientes da área de saúde e de um aprimoramento do entendimento dos alunos sobre essa relação (a capacidade de observar, como um teles- pectador, os defeitos e qualidades a serem assimiladas dos encontros observados), a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) — Escola Paulista de Medicina introduziu, em 2003, no primeiro ano do curso médico, a disciplina de Observação da Prática Médica (OPM), respeitando as características tanto da instituição (campo físico de tal experiência), como as pe- culiaridades do campo emocional de estudantes e pacientes. Esse curso visa, além da apresentação de práticas aos inician- tes, à integração nos diversos níveis de conhecimento e expe- riência — biológico, psicológico e social — desde o início da formação médica, o que auxilia na internalização, pelo estu- dante, da concepção humanista de medicina 19 .
Mostrar mais

7 Ler mais

Medicina defensiva: uma prática necessária?.

Medicina defensiva: uma prática necessária?.

O artigo em questão aborda os motivos pelos quais a Medicina Defensiva é largamente utilizada no Brasil e no Mundo. A Medicina Defensiva, na prática, se caracteriza pela utilização exagerada de exames complementares, pelo uso de procedimentos terapêuticos supostamente mais seguros, pelo encaminhamento frequente de pacientes a outros especialistas e pela recusa ao atendimento de pacientes graves e com maior potencial de complicações. Trata-se de uma prática que tem como objetivo principal defender o médico de eventuais processos, principalmente na área judicial. A maneira como são conduzidos os processos pelo poder judiciário certamente contribui para a consolidação desta prática insensata. A morosidade da justiça, em nosso meio, associado ao despreparo dos juízes e peritos judiciais na análise dos casos, leva a um desgaste emocional das partes. Alem disso, a formação precária do médico em nosso país faz com que se utilize de meios requintados de diagnóstico e tratamento em detrimento a um exame clínico pormenorizado e uma adequada comunicação com o paciente. Além de ineficiente em proteger o médico, a Medicina Defensiva traz consequências graves ao paciente e à sociedade, já que gera um custo adicional incalculável ao exercício da Medicina, determina um maior sofrimento ao doente e faz com que haja uma deteriorização na relação médico-paciente, que sempre foi pautada pela confiança, respeito e pessoalidade.
Mostrar mais

8 Ler mais

Delirium numa enfermaria de medicina interna : impacto do seu reconhecimento para a prática clínica

Delirium numa enfermaria de medicina interna : impacto do seu reconhecimento para a prática clínica

Este trabalho demonstrou que o delirium é frequente nas enfermarias de Medicina Interna, numa população particularmente susceptível pelo seu marcado envelhecimento, com multimorbilidade e limitação cognitiva e funcional significativas. Identificaram-se como factores de risco independentes para a ocorrência de delirium nos doentes idosos (>65 anos) o índice de Barthel, a contenção física e as alterações da glicémia. Destaca-se a necessidade de optimizar as medidas não farmacológicas e a contenção farmacológica (nomeadamente a sua instituição mais precoce e redução da prescrição de benzodiazepinas), de forma a evitar a contenção física, ainda muito prevalente, e que foi o principal factor associado a qualquer forma de delirium neste estudo. Salienta-se ainda que, de acordo com o momento e tipo de delirium, é fundamental reconhecerem-se factores de risco específicos para os quais devemos estar alerta e adequar a nossa prática clínica, nomeadamente: a limitação funcional, a presença de infecção, os fármacos prévios e prescritos no internamento, e a correcção atempada de alterações analíticas.
Mostrar mais

163 Ler mais

Análise bioética do uso de recém-cadáveres na aprendizagem prática em medicina.

Análise bioética do uso de recém-cadáveres na aprendizagem prática em medicina.

especialmente vinculada a este debate diz respeito às práticas empregadas pelos discentes para a aquisição de habilidades, as quais envolvem, comumente, o treinamento em recém- cadáveres. Ou seja, indivíduos para os quais tenha acabado de sobrevir o óbito. Tal prática - usualmente considerada corriqueira e sem maiores dilemas por boa parte dos médicos e dos estudantes de medicina - expõe significativas questões éticas, quando apreciada de modo um pouco mais atento. Desde esta perspectiva, ganha ressonância a indagação central da presente investigação: como proporcionar, no âmbito curricular, as oportunidades para que os estudantes possam desenvolver as habilidades para a competência médica, vinculando os aspectos técnicos aos ético-humanísticos? Refletir sobre estas questões - enfocando, especialmente, os aspectos éticos da utilização dos corpos de indivíduos recém- falecidos na aprendizagem de procedimentos invasivos por estudantes de Medicina - é o objetivo deste artigo.
Mostrar mais

6 Ler mais

Emergências médicas na prática clínica de Medicina Dentária

Emergências médicas na prática clínica de Medicina Dentária

Durante a prática clínica de medicina dentária, os médicos dentistas atendem todo o tipo de pacientes. No consultório ou clínica dentária, durante a consulta, podem surgir situações inesperadas, que poderão colocar a vida do paciente em risco. Devido a isso, para além de uma completa anamnese do paciente de forma e prevenir essas situações, e a minimizar o risco, ao permitir antever a ocorrência de algumas delas, o médico dentista deverá estar preparado para atuar em caso de emergência médica, garantindo ainda que o consultório está provido dos equipamentos e fármacos de emergência necessários e adequados e que a sua equipa está preparada para o auxiliar em qualquer situação.
Mostrar mais

47 Ler mais

Laboratório de comunicação: ampliando as habilidades do estudante de medicina para a prática da entrevista.

Laboratório de comunicação: ampliando as habilidades do estudante de medicina para a prática da entrevista.

o trabalho apresenta a atividade denominada “laboratório de comunicação” na qual, utilizando gravação e discussão de dramatizações de entrevistas (técnica de “vídeo feedback interativa”) objetiva-se capacitar os estudantes de medicina nas habilidades comunicacionais necessárias para o exercício da tarefa médica. A atividade está inserida no segundo ano do curso médico, fazendo parte do programa de psicologia médica. o exame cuidadoso e detalhado das imagens registradas tem se revelado um instrumento muito poderoso para a detecção e a evolução das capacidades relacionais e comunicacionais. Ainda estamos em fase de realização de avaliações sistematizadas que nos permitirão verificar a eficácia da atividade e mensurar a repercussão que terá sobre o desempenho dos estudantes em sua atividade na prática médica.
Mostrar mais

11 Ler mais

Sedação em medicina intensiva: uso de remifentanil na prática clínica

Sedação em medicina intensiva: uso de remifentanil na prática clínica

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Os pacientes em te- rapia intensiva freqüentemente necessitam receber se- dação e analgesia para diversos procedimentos como parte fundamental do tratamento. A Medicina intensiva tem como desaio escolher o melhor fármaco analgé- sico para o paciente, produzindo poucos efeitos cola- terais. O objetivo deste estudo foi descrever os princi- pais fundamentos para o uso do remifentanil na prática clínica das UTI.

4 Ler mais

Síndrome do túnel do carpo associado à prática clínica de Medicina Dentária

Síndrome do túnel do carpo associado à prática clínica de Medicina Dentária

Entre os fatores de risco mencionados como causadores de dor músculoesquelética destaque para as posições estáticas prolongadas, movimentos repetitivos, stress e posições incorretas que são bastante comuns no trabalho dos médicos dentistas. (Rambabu e Suneetha, 2014). Entre as desordens músculoesqueléticas é destacado o síndrome do túnel do carpo (STC) como uma importante causa de incapacidade de trabalho. Tendo em conta os resultados obtidos pelo estudo entre a relação desta patologia e a prática da medicina dentária é de extrema importância o seu diagnóstico precoce de forma a melhorar o prognóstico da doença (Borhan Haghighi et al., 2013).
Mostrar mais

26 Ler mais

O uso de portfólio na prática de atendimento domiciliar a idosos no curso de Medicina.

O uso de portfólio na prática de atendimento domiciliar a idosos no curso de Medicina.

Este trabalho apresenta e analisa a utilização do portfólio na prática de atendimento domiciliar a idosos no Módulo do Envelhecimento do segundo ano do curso de Medicina da Universidade Estadual de Londrina. As informações analisadas foram obtidas dos 40 portfólios apresentados pelos alunos na conclusão do módulo em 2006. O portfólio é estruturado com dados de identificação, anamnese, exame físico, medicamentos, exames complementares e avaliações funcionais, cognitivas e sociais. As seguintes informações foram selecionadas para análise: descrição das visitas domiciliares e avaliação individual dos alunos. As principais vantagens identificadas pelos alunos foram à possibilidade de aplicação do conhecimento adquirido (50,0%), a criação de vínculos (37,2%) e o desenvolvimento da relação médico-paciente (35,9%). Como principais dificuldades, apontaram insegurança (26,9%), dúvida em relação ao consentimento (15,4%) e invasão de privacidade (12,8%). A análise sugere que a prática de atendimento domiciliar a idosos é importante para a formação de profissionais com condições de atender à população idosa. Além disso, o portfólio mostrou ser um recurso pedagógico que proporciona um aprendizado ativo e garante o envolvimento do aluno com o conteúdo proposto para a atividade.
Mostrar mais

8 Ler mais

A prática do coaching na Medicina Dentária

A prática do coaching na Medicina Dentária

A aplicação da programação neurolinguística (PNL) na Medicina dentária é também uma mais valia na prática do coaching no consultório dentário e, uma vez que a Programação Neurolinguística persiste na autoconsciência e comunicação efetiva entre as pessoas, sendo um modelo dinâmico de como funciona a mente humana e de como as pessoas entendem, representam, constroem e comunicam as suas experiências e as implicações que todo este processo tem no seu desenvolvimento pessoal e profissional. Existem pelo menos 5 formas básicas dentro da Programação Neurolinguística de forma a atingir esta mudança e que pode ser usada pelo Médico Dentista e que são: “rapport”, sistemas de perceção, ajuda na visualização do futuro desejado, linguagem positiva e até hipnose (Camino, 2017).
Mostrar mais

28 Ler mais

Ensino e Aprendizagem da Prática Profissional: Perspectiva de Estudantes de Medicina.

Ensino e Aprendizagem da Prática Profissional: Perspectiva de Estudantes de Medicina.

A Faculdade de Medicina de Marília (Famema) construiu um currículo integrado e orientado por competência dialógica, sendo a Unidade de Prática Profissional (UPP) uma das unidades educacio- nais desenvolvida por meio da Problematização. Este estudo tem como objetivo analisar o processo de ensino-aprendizagem na Unidade de Prática Profissional (UPP) na perspectiva dos estudantes do curso de Medicina. Trata-se de um estudo qualitativo, em que foi realizada entrevista com 16 estudan- tes escolhidos aleatoriamente, abrangendo todas as séries do curso de Medicina. Na análise de dados utilizou-se a análise de conteúdo, na modalidade temática. Obtiveram-se três categorias temáticas: compreensão da proposta da UPP; o processo ensino-aprendizagem; organização do espaço de cons- trução do conhecimento. Apesar de serem identificadas lacunas quanto à organização dessa unidade educacional, considera-se que essa proposta curricular possibilita formar um profissional definido pelas Diretrizes Nacionais e que atenda às necessidades do SUS, contribuindo para que outras escolas possam adequar seus currículos e buscar a formação de profissionais mais críticos e reflexivos.
Mostrar mais

9 Ler mais

Medicina defensiva: uma prática em defesa de quem?

Medicina defensiva: uma prática em defesa de quem?

Casos de litígio contra médicos têm aumentado no Brasil: já são três novas ações por hora em decorrência de suposto erro médico. Este estudo objetivou analisar se o médico processado e o profissional que conhece outro colega de profissão que também passou por tal situação alteram a conduta clínica com receio de figurar como réu em ação indenizatória por erro médico. Foi aplicado questionário a 104 médicos de 28 especialidades, 53 mulheres (51%) e 51 homens (49%). Analisou-se a relação entre variáveis como estado civil, tempo médio de formado, vínculos empregatícios, entre outras, e a prática cotidiana da medicina defensiva. O estudo busca promover o debate sobre a alteração da conduta clínica por interesse do médico em não ser processado, desvinculando sua prática e a hipótese diagnóstica do paciente.
Mostrar mais

9 Ler mais

Uso da ferramenta virtual UpToDate como prática de aprendizagem de um curso de medicina

Uso da ferramenta virtual UpToDate como prática de aprendizagem de um curso de medicina

Os sistemas informatizados são fundamentais na área da saúde e estão associados ao ensino e à prática médica. Na pesquisa acadêmica, as ferramentas tecnológicas suplantam paradigmas convencionais relacionados ao uso do livro em papel e se fazem presentes nas metodologias de ensino e de aprendizagem. Este estudo teve por objetivo analisar o uso da ferramenta on-line UpToDate enquanto prática pedagógica no curso de medicina da Universidade Federal do Paraná. A pesquisa foi efetuada a partir de dados de registro e de acesso à ferramenta UpToDate, entre os anos de 2010 a 2017. Os resultados indicaram aumento significativo (80%) no número de acessos no período. Os acadêmicos foram os que mais utilizaram a ferramenta, correspondendo a 46,68% de acessos, seguido pelos médicos -29,42% e residentes, em que o resultado corresponde a 16,15%. O uso do UpToDate na UFPR por residentes foi maior nas especialidades: clínica médica, medicina da família e pediatria, que são as preconizadas nas normativas do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Ministério de Educação (MEC), com vistas a melhorar a saúde da população. A facilidade e rapidez de acesso, confiabilidade e profundidade de cobertura são vantagens inerentes à ferramenta, tornando mais objetiva a prática da medicina baseada em evidência. Adicionalmente, o UpToDate contribui para a melhoria da gestão e organização hospitalar, proporcionando maior qualidade de atendimento aos pacientes, diminuindo custos, tempo de tratamento, taxa de mortalidade, erros de diagnóstico ambulatorial e a necessidade de exames complementares.
Mostrar mais

15 Ler mais

Medicina defensiva: uma prática em defesa de quem?

Medicina defensiva: uma prática em defesa de quem?

Casos de litígio contra médicos têm aumentado no Brasil: já são três novas ações por hora em decorrência de suposto erro médico. Este estudo objetivou analisar se o médico processado e o profissional que conhece outro colega de profissão que também passou por tal situação alteram a conduta clínica com receio de figurar como réu em ação indenizatória por erro médico. Foi aplicado questionário a 104 médicos de 28 especialidades, 53 mulheres (51%) e 51 homens (49%). Analisou-se a relação entre variáveis como estado civil, tempo médio de formado, vín- culos empregatícios, entre outras, e a prática cotidiana da medicina defensiva. O estudo busca promover o debate sobre a alteração da conduta clínica por interesse do médico em não ser processado, desvinculando sua prática e a hipótese diagnóstica do paciente.
Mostrar mais

9 Ler mais

Medicina defensiva: uma prática em defesa de quem?

Medicina defensiva: uma prática em defesa de quem?

Casos de litígio contra médicos têm aumentado no Brasil: já são três novas ações por hora em decorrência de suposto erro médico. Este estudo objetivou analisar se o médico processado e o profissional que conhece outro colega de profissão que também passou por tal situação alteram a conduta clínica com receio de figurar como réu em ação indenizatória por erro médico. Foi aplicado questionário a 104 médicos de 28 especialidades, 53 mulheres (51%) e 51 homens (49%). Analisou-se a relação entre variáveis como estado civil, tempo médio de formado, vínculos empregatícios, entre outras, e a prática cotidiana da medicina defensiva. O estudo busca promover o debate sobre a alteração da conduta clínica por interesse do médico em não ser processado, des- vinculando sua prática e a hipótese diagnóstica do paciente.
Mostrar mais

9 Ler mais

Ensino e aprendizagem da prática baseada em evidências nos cursos de Enfermagem e Medicina

Ensino e aprendizagem da prática baseada em evidências nos cursos de Enfermagem e Medicina

A estratégia de fazer com que os estudantes elaborem uma pergunta clínica, com base em suas vivências e interesses, tem como foco a prática pedagógica de um aprendizado significativo. O aprendizado significativo implica abordar conteúdos de uma forma não arbitrária, mas sim instigando o aprendiz a desenvolver, em suas estruturas cognitivas, ideias relevantes ancoradas em seu conhecimento prévio, necessárias para fazer relações e conexões com o abstrato e o concreto (Moreira, 2012). Para tanto, os estudantes precisam de pensamento crítico para compreender a relevância da evidência em sua prática; consequentemente, o ensino precisa facilitar o desenvolvimento da maturidade cognitiva, sendo que uma das estratégias para aumentar o interesse dos estudantes é conectar a tarefa de aprendizagem a situações clínicas reais (Aglen, 2016).
Mostrar mais

14 Ler mais

As narrativas em medicina: contribuições à prática clínica e ao ensino médico.

As narrativas em medicina: contribuições à prática clínica e ao ensino médico.

A segunda sublinha as inter-relações entre Medicina e Literatura, que vem sendo considerada como uma ferramenta fundamental para garantir a competência narrativa tão [r]

9 Ler mais

Atenção primária como cenário de prática na percepção de estudantes de Medicina .

Atenção primária como cenário de prática na percepção de estudantes de Medicina .

A formação de médicos capacitados para atuar na Atenção Primária à Saúde (APS), cujo intuito é promover um aprendizado vinculado às necessidades reais de saúde da comunidade, tem sido tema de estudos no Brasil há alguns anos. Em 1975, a Faculdade de Medicina da UFMG (FM/UFMG) inseriu seus estudantes em cenários de APS e atualmente busca ampliar essa inserção. Neste sentido, o obje- tivo desta pesquisa foi investigar a percepção dos estudantes do oitavo período da FM/UFMG sobre as atividades realizadas nos centros de saúde, tomando como referência as propostas do SUS para a APS. Trata-se de estudo qualitativo, que utilizou para a coleta de dados as técnicas de observação e grupos focais com estudantes de Medicina. A experiência de inserção na APS foi considerada válida e importante para a formação médica, contribuindo para construir uma nova visão do processo saúde- -doença e da organização do SUS. Conclui-se que é importante inserir os estudantes de Medicina na APS em seu processo de formação.
Mostrar mais

9 Ler mais

Entre a teoria e a prática: o projeto político-pedagógico do curso de medicina da UFMA

Entre a teoria e a prática: o projeto político-pedagógico do curso de medicina da UFMA

A proposta em questão destaca, ainda, neste item, as principais características que diferenciam o novo currículo médico e o transformam no mais adequado às tendências políticas e pedagógicas da formação médica contemporânea: a) flexibilidade, pois possibilita ao aluno integrar conteúdos teórico-práticos obrigatórios e optativos, que atendam às suas necessidades e aspirações individuais; b) abordagem humanista, com uma fundamentação comum do conhecimento, do desenvolvimento de habilidades atitudes e valores, associados à sensibilidade e preservação dos princípios morais e éticos; c) opção pela formação geral do médico, garantindo uma ampla visão da medicina no seu todo, sem comprometimento com a especialização precoce, permitindo ao aluno, após o término do curso, optar por qualquer área do conhecimento médico e, dessa forma, continuar os estudos em áreas específicas ou aprofundar-se em sua formação geral; d) redimensionamento do processo formativo, voltando-se para novas propostas pedagógicas, possibilitando o conhecimento contextualizado e o saber aprender; e) abandono da tendência hospitalocêntrica da aprendizagem médica, pois, embora considerando que o ensino, em certos processos e momentos, deve transcorrer nos hospitais universitários, privilegia a aprendizagem do aluno nos ambulatórios e nos postos de saúde, através da sua participação em programas de prevenção; f) locais de treinamento e de formação profissional integrantes e integrados ao Sistema Único de Saúde.
Mostrar mais

455 Ler mais

Questões éticas na prática da medicina do esporte na contemporaneidade

Questões éticas na prática da medicina do esporte na contemporaneidade

rio compartir informaciones médicas confidenciales con dirigentes o con una comisión técnica, el atleta debe ser informado previamente por el médico del deporte, quien debe ser consciente de que la divulga- ción del estado físico del deportista debe restringirse a determinadas personas y con el propósito de deter- minar la aptitud del atleta para competir, según el Código de Ética del Comité Olímpico Internacional y la Federación Internacional de Medicina Deportiva  15,16 .

5 Ler mais

Show all 10000 documents...