NBR 6118

Top PDF NBR 6118:

Consumo mínimo de armadura em vigas segundo as prescrições da norma NBR 6118-2003 - estudo de caso.

Consumo mínimo de armadura em vigas segundo as prescrições da norma NBR 6118-2003 - estudo de caso.

A NBR 6118:2003 [1] recomenda o uso de modelos de treliça com variação do ângulo da escora (θ) e do tirante transversal (α) para o dimensionamento de vigas de concreto submetidas à lexão e força cortante. Esta norma permite ao projetista optar entre dois modelos de dimensionamento da armadura transversal: O modelo I, onde o ângulo da escora tem valor de 45º e a parcela de força cortante resis- tida pelo concreto V c tem valor constante, e o modelo II, onde o ângulo da escora varia de 30º a 45º, com V c variando em função da força

9 Ler mais

Reliability of internal column-slab connection under punching according to NBR 6118:2014 Confiabilidade da ligação laje-pilar interno sob punção de acordo com a NBR 6118:2014

Reliability of internal column-slab connection under punching according to NBR 6118:2014 Confiabilidade da ligação laje-pilar interno sob punção de acordo com a NBR 6118:2014

This article presents a study on the reliability of internal column-slab connection under punching, designed according to the Brazilian Standard NBR 6118:2014. The evaluation of reliability was made by comparing the reliability index β with the target reliability index recommended by the fib Model Code 2010. The reliability indexes were calculated through statistical analysis of the data obtained with numerical simulations using the Monte Carlo method, with Latin Hypercube sample, through ANSYS software. The results showed that, for most slabs, the indexes of reliability β presented satisfactory results. However, some of the tested slabs presented results below the assumed limits. Therefore, this article suggests that the Brazilian Standard NBR 6118:2014 is appropriate for most flat slabs without shear reinforcement.
Mostrar mais

9 Ler mais

Impactos no projeto estrutural da versão 2014 da norma brasileira ABNT NBR 6118.

Impactos no projeto estrutural da versão 2014 da norma brasileira ABNT NBR 6118.

With the issuing of the 2014 version of the Brazilian Standard ABNT NBR 6118 – Design of Concrete Structures, several procedures followed in the design oices shall be altered. The purpose of this paper is to furnish data to the designers, in order to facilitate the transition to the new version of the Standard. A summary of some of the main modiications with direct impact in the design is presented, being shown, among oth- ers, the topics: characteristics of the concretes of class up to C90, including the new stress-strain diagrams and respective simpliication criteria for these diagrams, the new deformation domains, the values of design tensile stresses in concrete and the new criteria for limiting the depth of the neutral axis; new design criteria for designing and detailing of special elements, including the application of strut-and-tie models; new design criteria, minimum dimensions and detailing criteria for columns, walls and slabs; new criteria for considering global imperfections; new criteria for considering creep and shrinkage; new values for minimum reinforcement in pure bending; new expressions for evaluating the elasticity modulus of concrete. A new table for the design of concrete sections under pure bending is furnished, and new diagrams for designing rectangular sections under bending with compression forces are presented.
Mostrar mais

10 Ler mais

Parâmetros de instabilidade global das estruturas de concreto armado segundo a nova NBR-6118

Parâmetros de instabilidade global das estruturas de concreto armado segundo a nova NBR-6118

submetido a uma carga axial uniformemente distribuída ao longo de sua altura. Foram discutidas algumas considerações relacionadas aos valores limites de α, como as apresentadas por FRANCO (1985b), que adota diferentes limites de α para os diversos tipos de contraventamento. Explicou-se que, nas estruturas reticuladas de edifícios, o módulo de rigidez EI não corresponde à soma das rigidezes dos pilares isolados, devendo- se adotar a rigidez equivalente de um pilar em balanço, que sofra o mesmo deslocamento no topo que a estrutura em estudo, sob a ação das mesmas forças. Foi apresentada a expressão do parâmetro de instabilidade α segundo a NBR 6118 (2001), que estabelece que o módulo de rigidez equivalente da estrutura seja determinado a partir da aplicação do “carregamento horizontal”. Sugeriu-se a substituição do “carregamento horizontal” por uma força uniformemente distribuída ao longo da altura do edifício, o que resultaria em uma equação conhecida e bastante simples para a obtenção da rigidez equivalente, a eq. (3.5).
Mostrar mais

153 Ler mais

Reliability of internal column-slab connection under punching according to NBR 6118:2014 Confiabilidade da ligação laje-pilar interno sob punção de acordo com a NBR 6118:2014

Reliability of internal column-slab connection under punching according to NBR 6118:2014 Confiabilidade da ligação laje-pilar interno sob punção de acordo com a NBR 6118:2014

Este artigo apresenta um estudo sobre a confiabilidade da ligação laje-pilar interno de lajes lisas, sem armadura de cisalhamento, sob punção, dimensionadas de acordo com a norma brasileira NBR 6118:2014. A avaliação da confiabilidade foi feita através da comparação do índice de confiabilidade β com o índice de confiabilidade alvo recomendado pelo Código Modelo 2010 da fib. Os índices de confiabilidade foram calculados a partir da análise estatística dos dados obtidos com simulações numéricas utilizando o Método de Monte Carlo, com amostragem por Latin Hypercube, através do software ANSYS. Os resultados encontrados mostram que, para a maior parte das lajes analisadas nesse trabalho, os índices de confiabilidade β apresentam resultados satisfatórios. Entretanto, algumas das lajes analisadas apresentam resultados abaixo dos limites estabelecidos. Assim, o estudo indica que a NBR 6118:2014 está adequada para a maioria das lajes lisas sem armadura de cisalhamento. Palavras-chave: confiabilidade estrutural, lajes lisas, punção, concreto armado.
Mostrar mais

9 Ler mais

Avaliação da variabilidade da segurança de vigas em concreto armado submetidas ao momento fletor considerando os coeficientes parciais de segurança da NBR 6118:2014.

Avaliação da variabilidade da segurança de vigas em concreto armado submetidas ao momento fletor considerando os coeficientes parciais de segurança da NBR 6118:2014.

Para efeito de comparação, as vigas foram dimensionadas consi- derando os coeicientes parciais de segurança convencionais da NBR 6118 [13] e em seguida, considerando os coeicientes parcias calibrados de acordo com o processo proposto. A largura da viga foi mantida constante no valor de 14 cm e as resistências caracte- rísticas do concreto e do aço fora adotadas, respectivamente, nos valores de 20 MPa e 500 MPa. Os coeicientes de segurança fo- ram calibrados para índice de coniabilidade alvo de 3,8. Em todos os casos, a posição relativa da linha neutra no ELU foi adotada e mantida constante em 0,45 para que a restrição da ductilidade imposta pela NBR 6118 [13] fosse sempre respeitada. A Tabela 4 reúne os resultados obtidos nesta análise. Conforme pode ser observado, as maiores diferenças entre ambos os métodos de cálculo encontram-se para valores baixos da razão de carrega- mentos. Isso mostra que em situações em que as cargas variáveis são signiicativamente menores que as cargas permanentes, os coeicientes parciais utilizados pela NBR 6118 [13] conduzem a di- mensionamentos excessivamente seguros. Esse comportamento se altera à medida que R aumenta, onde o nível de segurança das vigas à lexão tende a diminuir, violando o limite de 3,8 proposto pelo Eurocode 2 [20]. Assim, a falta de uniformidade na segurança das vigas ica evidenciada. Por outro lado, ao se calibrar os coei- cientes parciais de acordo com a necessidade do projeto, é possí- vel obter uniformidade na segurança estrutural, conforme valores dos índices de coniabilidade obtidos na análise. O b médio obtido com o modelo proposto foi de 3,80 enquanto que para o modelo da NBR 6118 [13] foi de 4,50, o que demonstra mais uma vez que o processo de calibração proposto permite, além de atingir o nível de segurança alvo especiicado em projeto, garantir uniformidade da segurança estrutural.
Mostrar mais

14 Ler mais

Influência da Armadura Transversal Recomendada pelas Normas NBR 6118, ACI e Eurocode no Comportamento de Vigas de Concreto Armado

Influência da Armadura Transversal Recomendada pelas Normas NBR 6118, ACI e Eurocode no Comportamento de Vigas de Concreto Armado

Garcia (2002) define taxa de armadura transversal mínima como aquela necessá- ria para que a viga não tenha ruptura frágil após a força cortante ter alcançado o valor do cortante de fissuração diagonal. As fórmulas de taxas de armadura transversal mí- nima propostas nos códigos atuais são basicamente empíricas, em geral não incluem todos os parâmetros relevantes, levando a valores que diferem muito entre sim. Para este trabalho foi utilizada a formulação da NBR 6118 (2007), mostrada na Equação 1.

21 Ler mais

Análise da punção e flechas em lajes maciças sem vigas de concreto armado de acordo com as prescrições da NBR 6118:2003.

Análise da punção e flechas em lajes maciças sem vigas de concreto armado de acordo com as prescrições da NBR 6118:2003.

It will be done a comparative analysis of consideration of the non physical linearity presented by structural calculation program CYPECAD to that one done according to NBR 6118:2003, using a grill analogy through the GPLAN program to do that, as it will be also solved some examples to determine the strain and the framework structure to the punch as to deflection in the flat plates. At last, it will be done a study of case of a building in solid flat plates that presents deflection problems, as well as project failures in the dimension of the flat to punch, which subjects deserve a high attention and concern under the vision and sight of NBR 6118:2003.
Mostrar mais

200 Ler mais

Estruturas de concreto armado em ambiente urbano: avaliação de carbonatação à luz das recomendações da NBR 6118:2003.

Estruturas de concreto armado em ambiente urbano: avaliação de carbonatação à luz das recomendações da NBR 6118:2003.

da estrutura de concreto armado ......................... 3.4.1 Deterioração por falhas humanas na execução da estrutura ..................... 3.4.2 Deterioração por causas naturais .............................................................. 3.5 Corrosão da armadura .............................................................................. 3.6 Carbonatação do concreto ........................................................................ 3.6.1 Fatores intervenientes na carbonatação do concreto ................................ 3.6.2 Correlação entre a carbonatação e corrosão das armaduras ..................... 3.7 Recomendações normativas quanto à durabilidade ................................. 3.7.1 Recomendações da NBR 6118:1980 ....................................................... 3.7.2 Recomendações da NBR 6118:2003 ....................................................... 3.8 Considerações quanto à revisão da literatura ........................................... 4. MATERIAIS E MÉTODOS .................................................................... 4.1 Planejamento experimental ...................................................................... 4.1.1 Levantamento preliminar ......................................................................... 4.1.2 Resgate do histórico da construção ..........................................................
Mostrar mais

112 Ler mais

Projeto ótimo de Pilares em Concreto de Alta Resistência Segundo ABNT NBR 6118:2014

Projeto ótimo de Pilares em Concreto de Alta Resistência Segundo ABNT NBR 6118:2014

A ABNT NBR 6118:2014 permite a utilização de pilares com dimensão inferiores a 19cm, até o mínimo de 14cm, desde que as ações solicitantes sejam majoradas pelos coeficientes indicados na Tabela 1. Além disso, deve-se observar que, segundo a ABNT NBR 6118:2014, a seção de concreto deve possuir área mínima de 360cm². Outra definição da norma acerca dos pilares é que nos casos em que a maior dimensão excede em 5 vezes a menor dimensão da seção transversal, os mesmos devem ser tratados como pilar-parede.

25 Ler mais

Avaliação da confiabilidade de pilares curtos em concreto armado projetados segundo a NBR 6118:2003

Avaliação da confiabilidade de pilares curtos em concreto armado projetados segundo a NBR 6118:2003

Estudos realizados em diversos países demonstram a viabilidade econômica do uso do concreto de alta resistência (CAR) em pilares de pavimentos inferiores de construções altas, assim como nas de médio porte. Várias normas técnicas internacionais já se ajustaram a esta nova realidade. No caso brasileiro, a despeito da recente revisão da NBR 6118:2003, esta norma tem os concretos de classe C50 como limite de aplicação. Entretanto, a utilização de concretos de resistência superiores a este limite já vem sendo feita com sucesso em território nacional e a inexistência de documentos normativos que atendam a esta nova realidade representa um empecilho para a utilização segura e econômica deste material.
Mostrar mais

146 Ler mais

Análise estrutural de elementos lineares segundo a NBR 6118:2003

Análise estrutural de elementos lineares segundo a NBR 6118:2003

“O objetivo da análise estrutural é determinar os efeitos das ações em uma estrutura, com a finalidade de efetuar verificações de estados limites últimos e de serviço” (NBR 6118:2003 Projeto de estruturas de concreto). A análise estrutural consiste numa das principais etapas do projeto estrutural de um edifício, pois compreende a escolha dos modelos teóricos, que devem representar adequadamente a estrutura real, e do tipo de análise, com relação ao comportamento dos materiais. Visa-se, com este trabalho, aproximar o meio técnico do acadêmico, e tornar mais acessível a parte da NBR 6118:2003 que trata da análise estrutural. Neste trabalho consideram-se os modelos estruturais mais utilizados, no cálculo de edifícios, e os principais conceitos relativos aos diferentes tipos de análise permitidos pela Norma. Em seguida são realizados exemplos de elementos lineares, pelos diferentes tipos de análise, com ênfase na redistribuição de esforços, empregando-se análise linear com redistribuição ou análise plástica. Ressalta-se a importância da consideração de seção T nas vigas e os ajustes necessários quando da consideração de uma envoltória de carregamentos. Tem-se ainda um exemplo de um edifício de oito pavimentos, que visa demonstrar as diferenças nos esforços ou nos deslocamentos obtidos com modelos estruturais distintos.
Mostrar mais

137 Ler mais

Solicitações tangenciais em elementos lineares de concreto armado: análise teórica baseada na ABNT NBR 6118:2007.

Solicitações tangenciais em elementos lineares de concreto armado: análise teórica baseada na ABNT NBR 6118:2007.

Constata-se que, à medida que o ângulo de inclinação da biela diminui de 45º para 30º, ocorre redução percentual da relação entre as áreas das armaduras obtidas com o modelo de cálculo[r]

10 Ler mais

Rev. IBRACON Estrut. Mater.  vol.1 número3

Rev. IBRACON Estrut. Mater. vol.1 número3

gle (θ) and transverse tie angle (α), would lead to the smallest consumption of longitudinal and transversal steel, according to the prescriptions of the NBR 6118:2003 code, these are: For the transverse steel, the smaller is the inclined strut angle (θ), the smaller is the steel consumption, being the model II with θ=30° and α=60° the one that leads to the smallest steel consumption. When a designer intends to achieve economy in the total steel consumption (transversal and longitudinal) in the beams de- sign using the truss model, with vertical stirrups (α=90 0 ), he
Mostrar mais

9 Ler mais

Rev. IBRACON Estrut. Mater.  vol.4 número3

Rev. IBRACON Estrut. Mater. vol.4 número3

designed without beams. Item 14.7.8 of the NBR 6118:2003 standard [1] foresees the possibility of designing the loor using an approximate elastic process, when the columns are placed in a regular arrangement. In these cases, and when the loors are part of the structures of multi-storey buildings, one can con- sider the formation of spatial frames composed of columns and slab bands working as lat slabs. An evaluation will be made of the ability of this structural design to behave adequately un- der horizontal loads, considering simpliications consistent with those adopted in the treatment of the loor.
Mostrar mais

14 Ler mais

Rev. IBRACON Estrut. Mater.  vol.10 número4

Rev. IBRACON Estrut. Mater. vol.10 número4

For punching shear design, formulations of the NBR 6118: 2007 standard that was in efect until April 2014, do not consider the con- crete compression in the slab plane, due to prestressing. Just the inclined component of some tendons was considered to relief the requesting load; however, it did not generate signiicant diference compared with reinforced concrete, because the inclination angle is very close to zero. The American and European standards con- sider a portion related to concrete compression in the slab plane. Thus, in order to obtain less conservative results, ABNT revised the formulation to design punching shear in the new NBR 6118: 2014 by inserting a portion related to compression in the slab plane, due to prestressing as Eurocode 2 suggests.
Mostrar mais

19 Ler mais

Punching shear resistance of reinforced concrete footings: evaluation of design codes Resistência à punção de sapatas de concreto armado: avaliação de normas de projeto

Punching shear resistance of reinforced concrete footings: evaluation of design codes Resistência à punção de sapatas de concreto armado: avaliação de normas de projeto

Nos casos em que estes elementos possuem altura variável, nor- mas como o EUROCODE 2 [2], recomendam que a resistência à punção seja verificada em planos de ruptura com diferentes incli- nações, conforme ilustrado na Figura 2, respeitando-se o limite para o ângulo do plano de ruptura de θ ≥ arctan (½). Segundo HEGGER et al. [3] e [4], no caso de sapatas, o ângulo do plano de ruptura também é influenciado pela relação a/d, devido principal- mente ao efeito arco, tendendo a ser de 45º para os casos onde a relação a/d ≤ 1,25 e menor que 35º para os casos onde a/d ≥ 2. O dimensionamento à punção de sapatas é feito com base em mé- todos empíricos apresentados por normas para projeto de estrutu- ras de concreto. Estes métodos foram desenvolvidos tendo como base as evidências experimentais disponíveis, que em sua maio- ria referem-se à ensaios representativos de ligações laje-pilar. Este artigo apresenta uma avaliação do desempenho das reco- mendações apresentadas pelas normas ACI 318 [5], EUROCODE 2 [2] e ABNT NBR 6118 [6], para a previsão da resistência à pun- ção de sapatas de concreto armado sem armaduras de cisalha- mento, através da análise de um banco de dados com resultados de 216 ensaios. O critério de COLLINS [7] é utilizado para avaliar a confiabilidade destas recomendações normativas. A composição deste banco de dados foi feita seguindo uma metodologia de co- leta buscando permitir a avaliação de diferentes parâmetros na resistência à punção de sapatas de concreto armado. São consi- derados nestas análises a resistência à compressão do concreto (f c ), a altura útil da sapata (d), a taxa de armadura de flexão (⍴), e as razões entre o perímetro do pilar e o vão de cisalhamento em relação à altura útil da sapata (u 0 /d e a/d). Trata-se de uma discus- são relevante que se insere dentro de um contexto internacional, com contribuições recentes, como as de SIMÕES et al. [8] e [9] e KUERES et al. [10].
Mostrar mais

12 Ler mais

Punching shear resistance of reinforced concrete footings: evaluation of design codes Resistência à punção de sapatas de concreto armado: avaliação de normas de projeto

Punching shear resistance of reinforced concrete footings: evaluation of design codes Resistência à punção de sapatas de concreto armado: avaliação de normas de projeto

A punção é um possível modo de ruptura para sapatas esbeltas e pode levar uma estrutura à ruína através do colapso progressivo. Apesar das sapatas apresentarem características geométricas diferenciadas, seu dimensionamento à punção é feito com base em métodos empíricos similares aos usados para ligações laje-pilar. Este artigo utiliza resultados experimentais de 216 ensaios para avaliar o desempenho das reco- mendações apresentadas pelas normas ACI 318 (2014), ABNT NBR 6118 (2014) e Eurocode 2 (2010) para a estimativa da resistência à punção de sapatas de concreto armado. Foi observada grande dispersão entre os resultados teóricos e experimentais, ficando evidente que o tipo de sistema de ensaio afeta a resistência à punção de sapatas. O método mais complexo proposto pelo Eurocode 2 resultou em uma melhor cor- relação com os resultados experimentais.
Mostrar mais

11 Ler mais

Rev. IBRACON Estrut. Mater.  vol.9 número6

Rev. IBRACON Estrut. Mater. vol.9 número6

This paper presents results of a parametric study done in order to show how errors in the consideration of the wind action during the design stage can jeopardize the behaviour and the safety in the Ultimate Limit State of reinforced concrete buildings. A typical architectural plan was used as reference to develop the structural and foundations designs, having as one of the variables the num- ber of loors, varied between 10, 20 and 30 loors. The other vari- able of the study was the magnitude of the wind, which was initially assumed as zero, to deine the geometry and the amount of steel reinforcement of the structural elements, which were designed ac- cording to the recommendations of ABNT NBR 6118 [12]. Later, the wind action was considered as recommended by ABNT NBR 6123 [13] and the internal forces were used to verify the response in service and the safety of the structure and the foundations that were initially designed without wind consideration. The response in service and safety of columns and foundations is discussed.
Mostrar mais

14 Ler mais

Rev. IBRACON Estrut. Mater.  vol.5 número4

Rev. IBRACON Estrut. Mater. vol.5 número4

Normas para projeto de estruturas de concreto armado estabelecem que a análise dos efeitos de 2ª ordem em pilares esbeltos deve ser feita de modo a assegurar que para as combinações mais desfavoráveis das ações de cálculo, não ocorra perda de estabilidade, nem esgotamento da capacidade resistente de cálculo. Para isso é obrigatório considerar a não-linearidade física dos materiais, juntamente com a não-linearidade geométrica. Os cálculos dos efeitos de 2ª ordem podem ser feitos por métodos aproximados ou pelo método geral. Neste trabalho o foco será no cálculo desses efeitos de 2ª ordem com base nos métodos aproximados prescritos na NBR 6118: método do pilar-padrão com curvatura apro- ximada e método do pilar-padrão com rigidez aproximada. Dada a importância dos pilares e de sua estabilidade é importante que os métodos aproximados sejam capazes de apresentar soluções seguras para o dimensionamento destes. Neste cenário, o objetivo desse trabalho é avaliar estes métodos aproximados em termos de segurança, precisão e economia com relação a resultados de ensaios de pilares encontrados na literatura. A análise deste estudo comparativo revela que o emprego do método da rigidez aproximada apresenta resultados mais próximos dos encontrados nos ensaios de pilares.
Mostrar mais

7 Ler mais

Show all 349 documents...