Top PDF Avaliação de MP10 na região metropolitana de Belo Horizonte

Avaliação de MP10 na região metropolitana de Belo Horizonte

Avaliação de MP10 na região metropolitana de Belo Horizonte

sobressaído nos resultados do Grupo 3, Belo Horizonte. Assim, é interessante observar que o menor número de amostras coletadas na RMBH contribuiu de forma significante para o conjunto de elementos químicos, consequentemente indicadores de fontes de emissões poluidoras. Esse resultado sugere a contribuição importante de mineradoras (As); produtos da queima de combustível, de óleo, de gasolina, de diesel, motores veiculares por ser uma região mais industrializada; desgaste de freio e emissões industriais por ser uma região próxima a rodovias com grande fluxo veicular não só de automóveis, mas também de caminhões e asfalto (Br, Co e Na). Presença de solo, queima de combustível, óleo, indústria de cimento (K).
Mostrar mais

144 Ler mais

Avaliação do gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde em municípios da região metropolitana de Belo Horizonte (Brasil).

Avaliação do gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde em municípios da região metropolitana de Belo Horizonte (Brasil).

• 3º passo: para o levantamento detalhado da sistemática do geren- ciamento dos RSS dos municípios, a pesquisa acompanhou várias etapas do processo (armazenamento externo, coleta nos estabeleci- mentos geradores, tratamento e disposição final) em todos os muni- cípios pertencentes à amostra, de forma a possibilitar a identifica- ção e a avaliação dos procedimentos do gerenciamento (realidade constatada no ambiente), comparando-os em relação ao prescrito nas normas e regulamentos referentes aos resíduos sólidos e, em particular, aos RSS, como referencial teórico, objetivando-se, assim, identificar necessidades/dificuldades dos municípios.
Mostrar mais

12 Ler mais

A LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO E A REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

A LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO E A REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

A partir dos requisitos da transparência ativa, este trabalho se propõe a verificar a implementação da LAI nos municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Cabe destacar que o Decreto Federal nº 7.724, de 16 de maio de 2012, regulamenta, no âmbito do Poder Executivo Federal, os procedimentos para a garantia do acesso à informação, contudo a presente análise utiliza suas diretrizes para a avaliação de sites institucionais dos municípios da região metropolitana de Belo Horizonte. Trata-se de buscar algum indicador de transparência ativa, uma vez que tais municípios não possuem decreto regulamentador específico da LAI.
Mostrar mais

22 Ler mais

Condições de saúde e aspectos sócio demográficos associados ao trabalho remunerado entre homens e mulheres na faixa etária de 50-69 anos

Condições de saúde e aspectos sócio demográficos associados ao trabalho remunerado entre homens e mulheres na faixa etária de 50-69 anos

Introdução: Aumentar a permanência dos idosos no mercado de trabalho e incentivar o retorno ao trabalho após a aposentadoria são expressões do envelhecimento ativo. Esse processo permite otimizar as oportunidades de saúde, participação e segurança, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida à medida que as pessoas ficam mais velhas. Nesse contexto, faz-se necessário conhecer os fatores associados à permanência no mercado de trabalho nas idades de transição para a aposentadoria. Objetivos: (1) Examinar os fatores sociodemográficos e os indicadores de saúde associados ao trabalho remunerado entre homens e mulheres com 50-69 anos de idade; (2) Identificar diferenças entre gêneros em relação aos fatores associados ao trabalho remunerado nesse grupo. Métodos: A fonte de dados foi o segundo Inquérito de Saúde da Região Metropolitana de Belo Horizonte, conduzido entre maio e junho de 2010. Os fatores associados ao trabalho remunerado foram examinados em uma amostra probabilística de 3.320 indivíduos (50-69 anos de idade) residentes na Região Metropolitana de Belo Horizonte. As variáveis estudadas incluíram características sociodemográficas, discriminação no ambiente de trabalho, comportamentos em saúde e condições de saúde. A análise multivariada dos dados foi baseada em razões de prevalência (RP) com variância robusta, considerando-se procedimentos analíticos para amostras complexas. Resultados: A prevalência do trabalho remunerado foi de 62,8% entre homens e 35,8% entre mulheres. Em ambos os gêneros, o trabalho remunerado apresentou associação positiva com nível de escolaridade e negativa com autoavaliação da saúde. A prevalência do trabalho remunerado foi maior entre mulheres sem cônjuge e aquelas que conheciam alguém que havia sido discriminado no ambiente de trabalho. Entre os homens, a prevalência do trabalho remunerado caiu de 67,2%, entre aqueles com ≥ 8 anos de escolaridade e que avaliaram melhor a sua saúde, para 37,8% entre aqueles com escolaridade mais baixa e que avaliaram sua saúde como ruim (RP=0,56; IC95%:0,37-0,87). Entre as mulheres, a prevalência correspondente caiu de 42,1% para 3,6% (RP=0,09; IC95%:0,03- 0,26). Conclusão: Os resultados mostraram que a prevalência do trabalho remunerado entre mulheres com baixa escolaridade e pior avaliação da saúde foi dez vezes menor do que entre seus equivalentes homens. Chamou-se a atenção para a necessidade de mais investigações para identificar os determinantes das diferenças da participação no mercado de trabalho entre homens e mulheres.
Mostrar mais

50 Ler mais

Diagnóstico da produção de hortaliças na região metropolitana de Belo Horizonte.

Diagnóstico da produção de hortaliças na região metropolitana de Belo Horizonte.

A cadeia produtiva de hortaliças da região metropolitana de Belo Horizonte caracteriza-se pelo cultivo de hortaliças tuberosas, herbáceas e frutos, sendo considerado um dos cinturões verdes do estado de Minas Gerais. Este trabalho teve como objetivo realizar um diagnóstico da situação atual dos produtores dessa região, analisando aspectos de produção, comercialização e caracterização dos produto- res. A coleta dos dados foi feita através de um questionário estruturado aplicado in loco no período de janeiro a dezembro de 2013 para um grupo representativo de produtores, indicados pela EMATER-MG. Foi feita uma avaliação quantitativa dos dados apresentada na for- ma de figuras e tabelas. Verificou-se que na região metropolitana a maioria dos produtores de hortaliças possui idade superior a 39 anos, basicamente com grau de escolaridade fundamental, sendo que a prin- cipal hortaliça cultivada é a alface. Observou-se que as hortaliças são comercializadas na região metropolitana diretamente ao consumidor final. Desse modo, o estudo contribuiu para ampliar a compreensão a respeito da produção e comercialização das hortaliças. Com base nos dados obtidos sugerem-se estudos futuros comparativos entre diferentes regiões do estado de Minas Gerais.
Mostrar mais

5 Ler mais

Estudo do perfil clínico de pacientes adultos submetidos à cirurgiacardíaca pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na região metropolitana deBelo Horizonte por meio da aplicação de escore de risco pré-operatório -Euroscore

Estudo do perfil clínico de pacientes adultos submetidos à cirurgiacardíaca pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na região metropolitana deBelo Horizonte por meio da aplicação de escore de risco pré-operatório -Euroscore

Os exames geralmente exigidos para avaliação da indicação cirúrgica são: hemograma, glicemia, creatinina, coagulograma, ionograma e urina rotina. A exigência de exames tais como radiografia do tórax, ecocardiograma, teste ergométrico, Holter, cintilografia miocárdica e cateterismo cardíaco dependerão da doença específica do paciente. A SMSA de Belo Horizonte em Portaria de número 020/2003 de 27 de maio de 2003 definiu no Anexo II as Propostas de Rotinas de pré e pós-operatórios de procedimentos de Alto Custo em Cardiologia (25). Cabe aos médicos avaliadores analisarem a indicação dos exames necessários não previstos no Anexo II. Considera-se para efeitos de validade dos exames o prazo máximo de seis meses entre a realização e a avaliação no ambulatório. No caso de comorbidades específicas como pneumopatias, doenças neurológicas ou metabólicas, como tireoidopatias, a análise de complementação propedêutica é individualizada. No caso de CRVM o ecocardiograma (ECO) poderia não ser um exame imprescindível, porém diretrizes internacionais (26) e nacionais (27) recomendam sua realização no pré- operatório por ser de fundamental importância para avaliação da função sistólica do ventrículo esquerdo.
Mostrar mais

145 Ler mais

Vigilância das meningites na Região Metropolitana de Belo Horizonte, MG, 1999: o uso dos sistemas de informação em saúde e o método da captura-recaptura na estimação da incidência e da subnotificação

Vigilância das meningites na Região Metropolitana de Belo Horizonte, MG, 1999: o uso dos sistemas de informação em saúde e o método da captura-recaptura na estimação da incidência e da subnotificação

Entretanto, dois problemas advêm desta descrição. Primeiramente, não se sabe o critério usado para determinar se o programa estava bom; sabe-se apenas que Deus viu que estava bom. Em segundo lugar, esta avaliação exemplifica um problema observado freqüentemente: o diretor do programa está, ele mesmo, avaliando o seu programa. Consciente ou inconscientemente podem ser criados vieses desta avaliação. Mais ainda, mesmo que o diretor administre o programa muito bem, ele não tem, necessariamente, o preparo para conduzir uma avaliação rigorosa do programa”.
Mostrar mais

224 Ler mais

Rev. Assoc. Med. Bras.  vol.55 número4

Rev. Assoc. Med. Bras. vol.55 número4

3. Rozenfeld S. Prevalência, fatores associados e mau uso de medicamentos entre os idosos: uma revisão. Cad Saúde Pública. 2003;19(3):717-24. 4. Loyola Filho AI, Uchoa E, Firmo JOA, Lima-Costa MF. Estudo epidemioló- gico de base populacional sobre uso de medicamentos entre idosos na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Cad Saúde Pública. 2006;22(12):2657-67.

2 Ler mais

O PROGRAMA DE BIBLIOTECAS DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE: CAMINHOS PARA UMA POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE LEITORES

O PROGRAMA DE BIBLIOTECAS DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE: CAMINHOS PARA UMA POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE LEITORES

Programa BH para Crianças dispõe de uma frota de 20 ônibus que são agendados, diariamente para o transporte de roteiros educativos de projetos e programas da SMED/BH, das Escolas, UMEIs e Creches conveniadas para viagens na Região Metropolitana, demais municípios mineiros e outros Estados. Atualmente, todas as demandas de roteiros pedagógicos e aulas-passeio passam por esse programa. Assim, a proposta é a de que o Circuito de Leitura seja acolhido, de forma natural, pelo Programa BH para Crianças e siga os procedimentos necessários já presentes na RME/BH para o uso do transporte. No cotidiano das escolas, para fazer o pedido de transporte, é preciso acessar o site do programa e solicitar o ônibus. Havendo ônibus da frota disponível para a data solicitada é feita a locação. Quando não há transporte para a data que a escola necessita, o Programa autoriza a locação a ser realizada pela escola com recurso do Caixa Escolar para que a escola faça a contratação de um ônibus. O recurso do Caixa Escolar para transporte de 46 pessoas (capacidade dos ônibus) varia de 350 a 450 reais por turno, variando de acordo com a distância do deslocamento.
Mostrar mais

208 Ler mais

Rev. bras. estud. popul.  vol.31 número1

Rev. bras. estud. popul. vol.31 número1

No caso da dependência funcional, alguns entrevistados de Belo Horizonte e de sua região metropolitana mencionaram que, apesar de constarem na lista de espera, não se aceitavam idosos com grau de dependência III, ou seja, aqueles que necessitam de ajuda em todas as atividades de autocuidado. Isso ocorria, de acordo com os entrevistados, porque esses idosos eram considerados mais onerosos e, além disso, ao longo dos anos aqueles que já residiam na instituição tenderiam a evoluir para esse nível de dependência, permanecendo no local. Em uma ILPI, foi mencionado que, embora se aceitassem todos os níveis de dependência, a opção por idosos totalmente dependentes só ocorria quando surgisse uma vaga de um residente que estava nas mesmas condições.
Mostrar mais

8 Ler mais

Mulheres quilombolas e culturas do escrito: voz e letra na comunidade quilombola do Mato do Tição/MG

Mulheres quilombolas e culturas do escrito: voz e letra na comunidade quilombola do Mato do Tição/MG

Esta dissertação expõe os resultados da pesquisa sobre os modos de participação nas culturas do escrito de um grupo de mulheres ― que apresentam diferentes papéis na comunidade e diferentes experiências com escolarização ― da Comunidade Quilombola do Mato do Tição, localizada em Jaboticatubas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (Minas Gerais). Essa comunidade está estabelecida na tradição oral, entretanto, há a presença de novos atores sociais, construídos pela ampliação da interação com a prática escolar e com as novas configurações da legislação quilombola, o que engendra melhor diálogo com o poder público, Organizações Não Governamentais (ONGs), universidades, movimentos sociais, dentre outros ― consequentemente, novos usos da escrita, diferentes daquelas de sua prática cotidiana. Estas definem os contornos do processo de letramento dessas mulheres e a relação com a oralidade e com as práticas tradicionais realizadas, principalmente, pelos mais velhos. Analisamos os funcionamentos da oralidade, os modos de usar a escrita, a relação entre oralidade e escrita e suas implicações nas práticas sociais, na constituição e na manutenção de uma identidade quilombola. A pesquisa é fruto de uma etnografia, por meio da qual procuramos identificar as interações dos sujeitos com a escrita e o funcionamento das práticas de oralidade. Observamos que as novas configurações políticas decorrentes da Constituição Federativa do Brasil de 1988 e de seus desdobramentos, que implicaram o reconhecimento quilombola, provocaram mudanças nas maneiras de se produzir e de se transmitir conhecimentos e, muitas vezes, nas maneiras pelas quais os atores sociais ressignificam seu papel na cultura, sua identidade e os conteúdos culturais da comunidade, processo que se deu atravessado pelas relações com as culturas do escrito.
Mostrar mais

231 Ler mais

Capacidade funcional e uso de serviços de saúde por idosos da Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil: um estudo de base populacional.

Capacidade funcional e uso de serviços de saúde por idosos da Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil: um estudo de base populacional.

Considerando o modelo de Andersen 16 , as variáveis do bloco de necessidades desempe- nharam um papel mais marcante no ajustamen- to da associação entre incapacidade funcional e as distintas modalidades de atenção à saúde, se comparado aos blocos de variáveis predispo- nentes e capacitantes. Elas foram responsáveis por importantes diluições nas forças de asso- ciação entre a incapacidade funcional e o uso de serviços de saúde, além de permaneceram independentemente associadas à utilização de serviços de saúde. A exceção foi o número de condições de saúde, que não permaneceu as- sociado à consulta domiciliar no modelo mul- tivariado. Esses resultados estão de acordo com o verificado em outras populações 28 e indicam a pertinência da utilização dessas variáveis na investigação, numa perspectiva de obtenção de uma maior precisão dos resultados. Ainda em relação às variáveis de ajustamento, os re- sultados relativos à residência do participante apontam que eventuais diferenças de oferta e acesso a serviços de saúde entre os municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte não tiveram qualquer influência na associação entre
Mostrar mais

12 Ler mais

ZÔNIO TROPOSFÉRICO – OS EFEITOS NA SAÚDE E NO MEIO AMBIENTE E DIRETRIZES PARA A REGIÃO METROPOLITANA DEB ELOH ORIZONTE

ZÔNIO TROPOSFÉRICO – OS EFEITOS NA SAÚDE E NO MEIO AMBIENTE E DIRETRIZES PARA A REGIÃO METROPOLITANA DEB ELOH ORIZONTE

Quanto às fontes, foi avaliado que a Região Metropolitana de Belo Horizonte possui uma grande variedade de tipos de fontes emissoras de poluentes atmosféricos, incluindo font[r]

83 Ler mais

CRIME CONTRA O PATRIMÔNIO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

CRIME CONTRA O PATRIMÔNIO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

taken as spatial units. Based on the rational choice approach was sought to ascertain whether the crimes were the result of specific situations of social activity, economic and demographic. With the benefit of the tool of spatial autocorrelation (Moran's I), we tried to verify the presence of this phenomenon to the rates of property crime. It was, moreover, to identify the presence of cluster mapping crime. Through the results, we verified the presence of spatial association of crime in the metropolitan region of Belo Horizonte and its neighbors. The model with Spatial Lag in logarithm proved the most suitable, revealing the principal determinants of crime against property in this region.
Mostrar mais

30 Ler mais

Cad. Saúde Pública  vol.33 número3

Cad. Saúde Pública vol.33 número3

Foram examinados indicadores de comportamentos em saúde e uso de serviços preventivos em duas amostras probabilísticas de adultos, uma em 2003 (n = 13.757) e outra em 2010 (n = 12.983), cobertas ou não por planos privados de saúde, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, Bra- sil. Após ajustamentos por fatores demográficos, variação temporal e fonte de atenção, houve redução da prevalência do tabagismo, semelhante entre aque- les sem e com plano privado de saúde, no período compreendido de 2003 a 2010. No mesmo período, a prevalência do consumo excessivo de bebidas al- coólicas, assim como do sedentarismo no cotidiano, aumentou nos dois grupos e, com igual magnitude, diminuiu a prevalência de atividades físicas no lazer. Não foram observadas mudanças na prevalência de aferição da pressão arte- rial, mas a prevalência da realização de dosagem de colesterol, da realização da mamografia e da citologia oncótica do colo uterino aumentou mais acen- tuadamente entre indivíduos não filiados a planos de saúde.
Mostrar mais

13 Ler mais

A satisfação com o entorno físico e social e o hábito de fumar cigarros na região metropolitana de Belo Horizonte.

A satisfação com o entorno físico e social e o hábito de fumar cigarros na região metropolitana de Belo Horizonte.

Mais recentemente, estudo conduzido em várias cidades da França mostrou que o risco de ser fumante era comparativamente maior em áreas com renda média menor, mesmo Tabela 1. Distribuição de frequência de acordo com variáveis selecionadas para 12.299 participantes. Inquérito de Saúde dos Adultos, região metropolitana de Belo Horizonte, MG, Brasil. 2003.

12 Ler mais

Tratamento de manutenção da asma persistente à admissão em ambulatório de pneumologia pediátrica.

Tratamento de manutenção da asma persistente à admissão em ambulatório de pneumologia pediátrica.

Dos 560 pacientes, 61,8% eram do sexo masculino, correspondendo a uma relação de 1,6/1. A faixa etária das crianças admitidas no estudo mostrou predomínio entre quatro e nove anos, correspondendo a 69,8%, com mediana equivalente a 85 meses. Os pacientes residentes em Belo Horizonte representaram 60,2% do total, e os demais foram procedentes de outros municípios da região metropolitana. Observou-se que a maioria dos pais exercia atividades braçais na construção civil (40,2%), em serviços autôno- mos (7,3%), ou eram aposentados (2,9%). Quanto às mães, exerciam atividades como empregadas domésticas (20,2%), serviços autônomos (10,4%) e donas de casa (45,5%).
Mostrar mais

6 Ler mais

J. bras. pneumol.  vol.42 número2

J. bras. pneumol. vol.42 número2

A estratégia implantada em Belo Horizonte e na sua região metropolitana, apresentada e discutida no workshop realizado no dia 27 de novembro de 2015, do qual participaram proissionais com larga experiência no manejo das DRCs no âmbito do SUS dos quatro cantos deste país, foi baseada nas recomendações da Practical Approach to Lung Health da Organização Mundial da Saúde e levou à publicação, em 01/07/2014, da deliberação da Comissão Intergestores Bipartite de Minas Gerais-SUS/MG, Número 1.861, que aprovou a instituição de um programa de manejo dirigido especiicamente para o conjunto das DRCs. Essa deliberação, que viabilizaria a implantação de um modelo assistencial abrangente que reuniria a rede de atenção primária, centros de especialidades, hospitais
Mostrar mais

1 Ler mais

Influência dos Jogos da Copa do Mundo FIFA 2014 na Qualidade de Energia Elétrica em Belo Horizonte

Influência dos Jogos da Copa do Mundo FIFA 2014 na Qualidade de Energia Elétrica em Belo Horizonte

 Este artigo apresenta parte dos resultados de qualidade de energia elétrica obtidos em um trabalho maior multidisciplinar encomendado pelo CNPq às instituições federais de ensino superior das cidades-sede dos jogos da Copa do Mundo, em atendimento a uma demanda do Ministério do Esporte. Os resultados de qualidade de energia deste trabalho maior foram obtidos em medições realizadas na região metropolitana de Belo Horizonte, nos dias de jogos realizados no Estádio Mineirão e em dias jogos da seleção brasileira realizados em outros estádios. Foram realizadas medições de valores de tensões, flutuações de tensões, harmônicos, níveis de cintilações, freqüência, dentre outras. Com exceção aos jogos do da seleção do Brasil, os resultados mostraram baixo impacto do evento Copa do Mundo nos indicadores de qualidade de energia. Nos jogos da seleção do Brasil, foram observadas alterações nos indicadores. No artigo, são também apresentados resultados de medições de demanda realizadas pelo ONS para Belo Horizonte.
Mostrar mais

6 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados