Top PDF A gestão democrática escolar: olhares para a formação continuada em escolas públicas de Guarabira - PB

A gestão democrática escolar: olhares para a formação continuada em escolas públicas de Guarabira - PB

A gestão democrática escolar: olhares para a formação continuada em escolas públicas de Guarabira - PB

Este trabalho tem por objetivo investigar a gestão escolar democrática na Escola Municipal de Ensino Fundamental Professor Edgardo Júlio e no Centro Educacional Dom Helder Câmara, tecendo olhares para a formação continuada para gestores em escolas públicas de Guarabira-PB. Neste sentido , discutiremos aspectos relativos da gestão educacional, destacando a importância da formação continuada para gestores que atuam na educação básica. No entanto, para este estudo foi desenvolvida uma pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso para fins de elencar a gestão democrática de relevância muito importante para os processos educacionais, a qual promove a participação da comunidade, diante da realidade cotidiana, intenta-se desenvolver um estudo comparativo qualitativo em escolas de Guarabira-PB. A partir disso, usaremos como teóricos OLIVEIRA 2014, RIVAS 1997, NAVARRO 2004, partindo como ponto de controle, princípios da administração pública. Para isso, deve haver uma melhor condição de trabalho, para que assim haja um funcionamento bem exercido da instituição. O papel do gestor não se restringe somente a estar na gestão sentado sem se importar para o que está acontecendo, ele também precisa intervir, interagir, agir e analisar junto aos professores e a comunidade, pois ele é o administrador daquela instituição o que permite e faz com que gestores (as) contribuam no máximo possível com os que integram a mesma. É preciso contribuir, coordenar, acompanhar os resultados obtidos por educadores, educandos e comunidade, para, assim, promover alternativas de inovação e até mesmo poder exteriorizar resultados satisfatórios, progressos ou dificuldades pelas quais a mesma vem passando.
Mostrar mais

30 Ler mais

Psicologia escolar e gestão democrática: atuação em escolas públicas de Educação Infantil.

Psicologia escolar e gestão democrática: atuação em escolas públicas de Educação Infantil.

falarem sobre o que esperam desse processo educativo. Existe uma busca por uma concepção de educação que par- te da compreensão da criança como sujeito, prosseguindo para uma visão semelhante à de Wallon (1952/1987) de que a escola precisa se adaptar ao aluno. É nesse relacionar- -se com a criança, conhecê-la, acreditar nela, conversar sobre as suas opiniões, desejos e interesses que um projeto educativo deve ser construído. Nas práticas pedagógicas cotidianas, o conhecimento é sempre trabalhado de forma dinâmica, viva, em constante relação com as questões que surgem dos debates, da experiência com o mundo. Em suma, é um projeto educativo que realiza a construção do PPP também dentro da sala de aula. Esse projeto não está alheio ao que acontece no cotidiano, é pensado e repensado nos vários espaços de debate da associação, nas reuniões de formação continuada dos professores, bem como junto com as crianças em sala de aula. Dessa forma, propicia às crianças a vivência dessa gestão democrática e a sua parti- cipação ativa nesse processo.
Mostrar mais

10 Ler mais

Gestão democrática : um estudo sobre o trabalho do gestor escolar de duas escolas públicas mo município de Alto Paraíso - Rondônia

Gestão democrática : um estudo sobre o trabalho do gestor escolar de duas escolas públicas mo município de Alto Paraíso - Rondônia

A presente pesquisa faz uma análise sobre o trabalho do gestor escolar em duas escolas públicas municipais de Alto Paraíso, no Estado de Rondônia, Brasil. O objetivo geral deste estudo é analisar as práticas e a contribuição do gestor escolar para transformar o espaço em agência educativa, visando também à importância do papel do gestor educacional dentro da instituição e como isso é importante para o trabalho produtivo da equipe e para um bom clima organizacional. Segundo orientações de diversos autores, o gestor educacional deve liderar uma gestão participativa e democrática na relação com os professores, funcionários e com a comunidade, mostrando-se positivo e confiante no desenvolvimento dos trabalhos. Fazem parte ainda às qualidades de mediador, compartilhando suas ideias, sabendo ouvir, sendo aberto e flexível à contribuição de todos, para que os profissionais e a comunidade se sintam valorizados, reconhecidos e motivados para alcançar um processo de ensino e aprendizagem de sucesso. A metodologia de investigação utilizada foi predominantemente qualitativa, realizada em duas escolas públicas municipais de Alto Paraíso. As técnicas utilizadas abrangeram análise de documentos, questionários dirigidos a professores, funcionários, pais e uma entrevista semiestruturada com o gestor escolar. Os resultados obtidos mostram que nestas escolas predomina a liderança participativa e democrática. Este modelo de gestão escolar influencia positivamente os agentes educativos viabilizando assim o ensino de qualidade. Como conclusões principais, recomenda-se que os gestores devem possuir habilidades técnicas, políticas e pedagógicas no desempenho de suas funções. Estas habilidades podem ser adquiridas através da prática e de formação continuada. A formação continuada possibilita aos gestores educativos adquirir conhecimentos que promovem alcançar os objetivos de uma gestão democrática e participativa, apresentando alternativas para um trabalho bem-sucedido, voltado para a formação plena de crianças e jovens ou em qualquer modalidade de ensino.
Mostrar mais

117 Ler mais

Formação continuada em EAD: sobre o que escrevem os gestores de escolas públicas  de Goiás

Formação continuada em EAD: sobre o que escrevem os gestores de escolas públicas de Goiás

ticipativa e compartilhada. Este dado se justifica por tratar-se de conteúdo principal do curso. Em um dos textos do material do curso, os autores apre- sentam a ideia de gestão democrática “como sendo o processo político através do qual as pessoas na escola discutem, deliberam e planejam, solucionam problemas e os encaminham, acompanham, controlam e avaliam o conjunto das ações voltadas ao desenvolvimento da própria escola.” (s ouza et al., 2005) A gestão democrática, como temática central no Curso, perpassou todas as discussões das salas- ambiente. O foco central foi a importância de se consolidar um projeto escolar que favorecesse o exercício da participação democrática como elemento fundamental para a construção de uma escola pública de qualidade. Nesse sentido, a gestão democrática deve ser compre- endida como um fazer diferente ou, nas palavras de Cury (2007), “o termo gestão tem sua raiz etimológica em ger que significa: fazer, brotar, germinar, fazer nascer”. (p.493) Daí resulta a compreensão de que a “gestão democrá- tica expressa um anseio de crescimento dos indivíduos como cidadãos e do crescimento da sociedade enquanto sociedade democrática”. (p.494) Tal questão é fundamental para a escola pública que “oferece o ensino como um bem público” e, nesse caso, a gestão democrática deve ser essa “abertura ao diálogo e à busca de caminhos mais consequentes com a democratização da escola brasileira”. (p.493)
Mostrar mais

18 Ler mais

A POLÍTICA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DOS GESTORES ESCOLARES:
IMPLICAÇÕES NA GESTÃO DAS ESCOLAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DE SÃO
LUÍS   MA

A POLÍTICA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DOS GESTORES ESCOLARES: IMPLICAÇÕES NA GESTÃO DAS ESCOLAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DE SÃO LUÍS MA

Esta pesquisa buscou analisar a política de formação continuada dos gestores escolares, implementada pelo Programa de São Luís te Quero Lendo e Escrevendo - PSLTQLE da Secretaria Municipal de Educação - SEMED e suas implicações na gestão das escolas públicas municipais de São Luís- MA, no período de 2002 a 2008. As análises foram realizadas por meio de referências teóricas sobre as reformas educacionais brasileiras, situando-as no âmbito da reconfiguração do Estado, as modificações na estrutura do Estado na concepção do modelo gerencialista, nas influências dos organismos internacionais nas reformas educacionais na década de 90 do século passado, nas concepções e modificações na trajetória história da gestão escolar estando vinculadas ao contexto social, econômico e político brasileiro, no funcionamento do sistema educacional, tendo como enfoque metodológico a pesquisa qualitativa, no contexto das práticas de gestão democrática da educação nas duas escolas campo da pesquisa empírica, sendo uma da zona rural e uma da zona urbana, da Secretaria Municipal de Educação de São Luís- MA. Nesse contexto inferimos que a formação continuada dos gestores escolares do município de São Luís contribuiu para a inserção de práticas democráticas no ambiente escolar e fortalecimento das ações existentes com a comunidade escolar. Apoiamos nossas análises e fundamentamos nossa abordagem teórica, por meio do aporte teórico de autores, dentre os quais destacamos: Bordignon e Gracindo (2000, 2001, 2006), Cabral Neto (1999, 2007, 2009), Dourado (1998, 2006, 2010) Ferreira (2004, 2006) Frigotto (1993,1996, 2003), Libâneo (2001,2004), Mészaros (2007), Oliveira, (1997, 2000, 2005, 2006, 2008, 2009).
Mostrar mais

170 Ler mais

A gestão democrática e a administração dos recursos nas escolas públicas da rede estadual de ensino no município de Sousa-Pb

A gestão democrática e a administração dos recursos nas escolas públicas da rede estadual de ensino no município de Sousa-Pb

O Ministério da Educação, por meio das suas secretarias e do FNDE, tem desenvolvido um conjunto de programas, projetos e ações que visam não só a apoiar a oferta da educação, direito de todos e dever do Estado, mas também à melhoria da qualidade educacional, em regime de colaboração com as redes de ensino em âmbito estadual e municipal. Esses projetos e ações abrangem diversas áreas e aspectos que contribuem direta e indiretamente para a formação dos alunos e dos professores em todos os níveis e modalidades, e devem ser gerenciados direta ou indiretamente pela Secretaria de Educação ou pela escola, a partir de normas e procedimentos a serem seguidos. No segmento da gestão escolar, muitos programas foram implantados, objetivando contribuir para o processo de democratização da escola. No campo da gestão, três programas traduzem esse movimento ambíguo: O PDE, PDDE e o Programa Nacional de Fortalecimento de Conselhos Escolares.
Mostrar mais

23 Ler mais

As salas de recursos multifuncionais e a perspectiva da inclusão escolar em Guarabira- PB

As salas de recursos multifuncionais e a perspectiva da inclusão escolar em Guarabira- PB

Não tem como falar em educação de qualidade sem mencionar uma formação continuada de professores; que já vem sendo considerada, juntamente com a formação inicial, uma questão fundamental nas políticas públicas para a educação. A rede municipal de Guarabira conta com uma formação continuada: “Buscando Competência para Incluir”, na qual temos a participação de 40 profissionais entre eles professores coordenadores, gestores e cuidadores com temas voltados para inclusão. O professor é um agente fundamental no processo de inclusão, mas ele precisa ser apoiado e valorizado, pois sozinho não poderá efetivar a construção de uma escola fundamentada numa concepção inclusiva. Para tanto se faz necessário a preparação de todo o profissional que constitui a educação, como fator chave para a promoção e progresso das escolas.
Mostrar mais

47 Ler mais

GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA E DESCENTRALIZAÇÃO DE  PODER

GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA E DESCENTRALIZAÇÃO DE PODER

O presente estudo apresenta como reflexão o processo de descentralização de poder necessário para uma gestão escolar democrática, em que todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem e de gestão e manutenção da escola sejam participativos e atuantes. Para tanto, analisa como um mode- lo de gestão deve ser elaborado e posto em prática para que haja a efetiva participação de todo o corpo docente, discente, dos funcionários e de toda a comunidade. Discutimos as incumbências do gestor nesse processo e as características profissionais necessárias para um gestor desenvolver um bom trabalho. Foi feita uma pesquisa bibliográfica considerando as contribuições de autores como Marques (2006), Lück (2009), entre outros, procurando de- monstrar a importância de uma gestão escolar descentralizada e democrática, como forma de garantir, como produto final, a aprendizagem dos alunos.
Mostrar mais

8 Ler mais

Questões sociocientíficas e a gestão democrática na formação inicial e continuada de professores : as potencialidades na web 2.0

Questões sociocientíficas e a gestão democrática na formação inicial e continuada de professores : as potencialidades na web 2.0

O grupo 2 utilizou o tema O uso da energia renovável e não renovável como provocadora do debate. O grupo focalizou suas ações a alunos do 3.º ano do Ensino Médio. Sendo um grupo diversificado, eles apontaram a relevância em se trabalhar o tema na ciência, mas também como desencadeador do debate para professores de filosofia e sociologia que poderiam trazer as reflexões políticas e econômicas para a discussão. Esse grupo propunha que os estudantes trabalhassem com os gastos energéticos, o papel do consumo nas grandes incorporações e quais os critérios que são utilizados para escolher as fontes de produção de energia. A produção de vodcasts foi a escolha do grupo para que os alunos produzissem uma apresentação sobre as distintas fontes de energia. Pretende-se com essas ações promover um debate sobre as potencialidades e dificuldades de escolha de cada uma dessas opções. Para a mudança do mundo (do virtual para o real), o grupo finaliza as ações com atividades promovidas pelos alunos para conduzirem as mudanças que podem ser feitas em suas escolas como a diminuição nos gastos de energia. Nesse sentido, propõem para a conscientização dos agentes escolares que o estudante fizessem a produção de memes para provocar o interesse e engajamento da escola para a diminuição do consumo energético.
Mostrar mais

86 Ler mais

Formação lato sensu a distância em gestão escolar: a experiência dos gestores de escolas públicas do RN (2010-2012)

Formação lato sensu a distância em gestão escolar: a experiência dos gestores de escolas públicas do RN (2010-2012)

30 Identificam-se como exemplos de formação continuada em serviço os projetos desenvolvidos no âmbito do Ministério da Educação (MEC) para a certificação de nível médio de professores leigos, cuja formação foi ofertada por meio do Programa de Formação de Professores em Exercício (PROFORMAÇÃO), nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste. Com características diferentes, também foi realizado o PEC-Formação Universitária, pela Secretaria de Educação de São Paulo, em convênio com a USP, UNESP e PUC-SP. O PEC-Municípios seguiu a mesma proposta, mas com adaptações, atendendo aos municípios de São Paulo na formação de professores da educação infantil. Em Minas gerais, foi realizado o Projeto Veredas, em parceria com o Governo do Estado, Universidades e Instituições de Ensino Superior, para atender a formação de professores do ensino fundamental. Projetos de intervenção também foram realizados pelos MEC junto a escolas públicas no sentido de promover o aprimoramento de conhecimentos de professores de escolas públicas, a saber: Um Salto para o Futuro; Parâmetros em Ação – Programa de Desenvolvimento Profissional Continuado; o Programa Praler, de apoio à leitura e à escrita, para professores de 1ª a 4ª séries do ensino fundamental; Programa de Gestão da Aprendizagem Escolar – Gestar, do Fundescola; do Instituto Ayrton Senna: Projetos Acelera Brasil, Se liga e Gestão; Projeto Informática da Microsoft/PUC-SP; o Programa Intel – Educação para o futuro; o Formando Gestores, da Fundação Lemann; o projeto Poronga, da Fundação Roberto Marinho; os projetos de leitura e escrita, formação na escola para o ensino de língua portuguesa; e o Entre na Roda, do CENPEC, entre outros (GATTI, 2008).
Mostrar mais

258 Ler mais

Orçamento popular participativo como uma ação democrática: um estudo de caso no bairro Mutirão, Guarabira (PB)

Orçamento popular participativo como uma ação democrática: um estudo de caso no bairro Mutirão, Guarabira (PB)

A participação da sociedade civil é indispensável para a uma gestão democrática participativa dos recursos públicos. Dessa forma, o Orçamento Participativo-OP configura um ambiente de interlocução entre a sociedade e os gestores públicos com a finalidade de construir um elo social. Nesta perspectiva, o problema de investigação da pesquisa reside em compreender as transformações sociais no Município de Guarabira (PB), a partir da implantação do Orçamento Popular Participativo - (OPP). O objetivo desse estudo é analisar a implantação do OPP na gestão pública do município de Guarabira-PB, além de compreender o processo da participação popular na elaboração orçamentária do município na perspectiva de uma política democrática. Este trabalho se caracteriza como um estudo de caso, realizado com 25 moradores do bairro Mutirão, esse tipo de estratégia metodológica permite uma investigação de processos organizacionais e administrativos. Complementando-se com a abordagem exploratória. A realização do OPP no município de Guarabira (PB) configura-se da seguinte maneira utilizar o OPP como mecanismo de participação democrática na gestão pública municipal Assim, o bairro do Mutirão, cujo perfil é de classe média baixa, se caracteriza como um logradouro simples, cujos serviços de saneamento básicos são precários além de défices no atendimento público municipal local. A pesquisa demonstrou a importância do Orçamento Popular participativo, como um instrumento transformador da gestão pública democrática de modo a contribuir com a aplicabilidade correta dos recursos públicos na administração municipal.
Mostrar mais

36 Ler mais

A aplicação da Lei 11.645-08 em algumas escolas públicas de Catolé do Rocha-PB: percalços para uma educação democrática

A aplicação da Lei 11.645-08 em algumas escolas públicas de Catolé do Rocha-PB: percalços para uma educação democrática

Prof º Gleyson: eu particularmente nas minhas aulas tanto aqui como em PATU-RN, eu sempre abordo esses temas e acho que é uma dívida que a educação, e uma dívida que nosso país tem com a educação, por exemplo, eu sempre cito esses exemplos, nos falamos várias palavras do tupi-guarani como, por exemplo, Pacaembu, Morumbi, Itamaracá, nós ouvimos diariamente essas palavras, mas nós não sabemos o real significado, por quê? Porque existe essa dívida, só fazendo uma comparação, onde eu fiz o mestrado em Assunção no Paraguai, eles têm duas línguas oficiais, o espanhol e o tupi guarani, que é o que? Que é a língua original dos primeiros habitantes. E aqui, voltando ai para a questão da história e da educação indígena, nós não temos esse reconhecimento, ao nosso primeiro habitante que foi o índio, nós não temos esse estudo um pouco mais depurado do tupi guarani, nós ouvimos falar nessas palavras, usamos no cotidiano, mas não sabemos o que é, porque desde lá da época da colonização, não teve esse projeto, nunca avançou esse projeto, é pedagógico, que nas escolas fossem estudado o tupi guarani, e também para a cultura africana, tantas pessoas que usam a palavra AXÉ, não sabem o significado do Axé , a palavra OLODON, Yleiaé, que a gente escuta muito nessa miscigenação principalmente na Bahia, aquele estudo mais depurado para que você entenda ne, da língua dos costumes, do tipo da herança, um tipo de vestimenta, da influência da música da capoeira, eu particularmente eu comento nas minhas aulas, mais eu acho que podia ser mais analisado pelas organizações educacionais numa escala mais superior. (PROF° GLEYSON, julho, 2017)
Mostrar mais

28 Ler mais

Accountability e a gestão democrática e participativa na gestão escolar

Accountability e a gestão democrática e participativa na gestão escolar

Desta forma, por meio do levantamento de dados dos questionários realizados em todo o Estado de São Paulo, para a implementação do Projeto Gestão Democrática e Participativa nas escolas estaduais, com base na perspectiva dos respondentes, percebeu-se uma sociedade em parte interessada, porém, mal informada acerca de seu poder de decisão, por outras vezes percebeu-se gestores desinteressados em abrir o espaço público para tomada de decisões. Fato também é que falta ao projeto incentivo da alta administração do Governo. Porém, cabe também aos órgãos que estão na camada mais baixa, próximos da sociedade, um maior empenho por diversas vezes resultantes de falta de recursos financeiros, tempo, e até mesmo, de interesse.
Mostrar mais

38 Ler mais

Conselhos escolares: um estudo de caso em  duas escolas municipais de Guarabira/PB

Conselhos escolares: um estudo de caso em duas escolas municipais de Guarabira/PB

Com base nos depoimentos dos professores, funcionários, alunos e pais foram possíveis verificar pontos a serem melhorados de modo que a escola pudesse exercer adequadamente sua função social. Entre estes: falta de um auditório para atividades culturais; maior comprometimento de alguns funcionários; recursos financeiros para a realização e passeios interativos e atividades inovadores; problemas familiares: carência afetiva, separação dos pais, discussões entre os pais, pouca assistência e acompanhamento dos pais; ausência de um psicólogo; e a falta de um acompanhamento maior por parte de especialistas e de formação dos professores para lidar com a inclusão de crianças com necessidades especiais na sala de aula.
Mostrar mais

46 Ler mais

A avaliação do curso de especialização em gestão escolar: uma estratégia de formação continuada

A avaliação do curso de especialização em gestão escolar: uma estratégia de formação continuada

As diretrizes aprovadas enfatizam a necessária articulação entre educação básica e superior, bem como, a institucionalização de projeto próprio de formação inicial e continuada dos profissionais do magistério da educação básica, por parte das instituições formadoras, tendo por eixo concepção formativa e indutora de desenvolvimento institucional que redimensiona a formação desses profissionais a partir de concepção de docência que inclui o exercício articulado nos processos ensino e aprendizagem e na organização e gestão da educação básica. No ensino superior, particularmente no caso da formação continuada do curso de gestão escolar, a motivação de ingresso, ou seja, o momento que eles se matriculam é de extrema importância, manter essa motivação é um desafio a ser exercido tanto nos momentos em que eles estão presentes na instituição, mas também nos períodos em que eles estão nos seus ambientes de trabalho, essa parece ser a tarefa mais difícil para mantê-los estimulados, daí ser necessário utilizar algumas estratégias como o acompanhamento e o controle na fase de aquisição de conhecimentos e habilidades, na fase de aplicação e na fase de adaptação e extensão, ou seja, é preciso saber como o egresso irá se comportar depois de capacitado, que outras necessidades surgirão que o motivarão.
Mostrar mais

228 Ler mais

OS DESAFIOS DE UMA GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA

OS DESAFIOS DE UMA GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA

Assim, Luck (2011, p.21 e 22) afirma que gestão “parte do pressuposto de que o êxito de uma organização social depende da mobilização da ação construtiva conjunta de seus componentes, mediante reciprocidade que cria um todo orientado por uma vontade coletiva”. Essa afirmativa implica um esforço compartilhado, envolvendo a todos que fazem parte direta ou indiretamente do processo educacional no estabelecimento de objetivos e nas propostas das ações. Fundamentado em Libâneo (2008), a organização e os processos de gestão assumem significados distintos conforme a concepção que vigore como referência para os objetivos da educação em relação à formação dos alunos em um dado contexto sociocultural. O autor supracitado aponta duas concepções em relação aos objetivos sociais e políticos da educação: a concepção científico-racional e a concepção sociocrítica.
Mostrar mais

19 Ler mais

Gestão democrática em escolas públicas no município de Apodi RN (um estudo de caso entre a teoria e a prática)

Gestão democrática em escolas públicas no município de Apodi RN (um estudo de caso entre a teoria e a prática)

A cada tempo surge uma nova perspectiva pedagógica em prol das grandes transformações que pairam perante a sociedade, em que o sistema capitalista vem impondo que a pedagogia evolua com novos caracteres para atender uma sociedade cada vez mais organizada social, política e culturalmente. Foi com a preocupação de refletir sobre essa relação, que objetivou- se esta pesquisa em escolas públicas do Município de Apodi, nos quais os dados coletados serão analisados e relacionados com os teóricos em estudo e dispositivos teóricos como Lei de diretrizes e Bases (1996), Estatuto da Criança e do Adolescente (1990), a Lei nº 10.576/95, Constituição do Estado do Rio Grande do Norte (2003), Parâmetro Curricular Nacional (2001). Para tal, propõe-se ainda uma pesquisa de campo, através de observações, questionamentos e entrevistas com os gestores e professores. O método a ser utilizado será em responder perguntas pré-definidas, entrevista sobre o cotidiano escolar com seus agentes envolvidos, como também pesquisa documental sobre o exercício da gestão democrática nas escolas. Através de observações desses questionários percebe-se que ao se tratar das questões fechadas, os membros escolares demarcam positivamente a gestão como democrática, já nas questões abertas, em que cada membro expões sua visão em relação a gestão e seu funcionamento, as contradições são claras e apresentam-se insatisfação com o trabalho em equipe. Chegando-se a conclusão de que a democracia e, consequentemente, a implantação da teoria na prática ainda são objetivos distantes de serem alcançados nessas instituições.
Mostrar mais

24 Ler mais

Conselhos escolares : instrumento de gestão democrática? Uma experiência em duas escolas públicas do Distrito Federal

Conselhos escolares : instrumento de gestão democrática? Uma experiência em duas escolas públicas do Distrito Federal

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 100, incisos VII e XXVI da Lei Orgânica do Distrito Federal, Considerando o que dispõe o artigo 206, inciso VI, da Constituição Federal, que define como um dos princípios da administração do ensino a gestão democrática do ensino público; Considerando o teor do artigo 14 da Lei nº 9.394/96, que prevê a participação das comunidades escolar e local em Conselhos Escolares; Considerando o texto do artigo 222 da Lei Orgânica do Distrito Federal, que determina que o Poder Público assegurará, na forma da Lei, a gestão democrática do ensino público, com a participação e cooperação de todos os segmentos envolvidos no processo educacional; Considerando o artigo 2o, inciso IV, e o artigo 3o, da Lei nº 4.036, de 25 de outubro de 2007, que dispõe sobre a obrigatoriedade da existência dos Conselhos Escolares nas instituições educacionais da rede pública do Distrito Federal, com caráter deliberativo, em conformidade com os objetivos da gestão compartilhada, DECRETA:
Mostrar mais

112 Ler mais

Gestão escolar, situações de conflito e violência: campo de tensão em escolas públicas.

Gestão escolar, situações de conflito e violência: campo de tensão em escolas públicas.

Após os projetos desenvolvidos entre 1996 a 2010, citados anteriormente, a Secretaria de Estado da Educação de São Paulo criou o Programa Sistema de Proteção Escolar (SPE), implantado por meio da Resolução SE nº 19, de 12 de fevereiro de 2010, apontando a necessidade de se instaurar na rede pública de escolas do estado de São Paulo ações para prevenir, mediar e resolver conflitos. As escolas que optam por se inscrever no referido sistema devem atender a uma série de critérios: baixo Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (IDESP); razoável número de registros de ocorrências de conflitos; localização em região considerada vulnerável pela Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. Para operacionalizar o referido Programa, as escolas – levando em conta fatores de vulnerabilidade e de risco a que estão expostas – podem contar com até 2 (dois) docentes, para o desempenho das atribuições de Professor Mediador Comunitário Escolar (PMEC), selecionados pelas Di- retorias de Ensino, seguindo algumas prioridades: em primeiro lugar, titular de cargo docente da própria unidade escolar que se encontrasse na condição de adido (sem aula atribuída, cumprindo horário de permanência); em segundo, docente readaptado e, por último, docente ocupante da função atividade. Com a instituição dessa resolução, ficou também regulamentado o Sistema Eletrônico de Registro de Ocorrências Escolares (ROE), constituindo-se em instrumento de informações on-line para o registro, por parte do Diretor da Unidade Escolar, das ações ou situações de conflito ou indisciplina, danos patrimoniais, furtos, ou ações que possam caracterizar atos infracionais.
Mostrar mais

18 Ler mais

CIDADANIA DEMOCRÁTICA: A PEDAGOGIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS NAS ESCOLAS PÚBLICAS

CIDADANIA DEMOCRÁTICA: A PEDAGOGIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS NAS ESCOLAS PÚBLICAS

This article presents a Critical Discourse analysis of how the concept of citizenship/democracy is taught in a Large Public School System [hereafter referred to a[r]

28 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados