Top PDF O contexto do desenvolvimento de coleções em coleções digitais jurídicas

O contexto do desenvolvimento de coleções em coleções digitais jurídicas

O contexto do desenvolvimento de coleções em coleções digitais jurídicas

Este trabalho analisa o desenvolvimento de coleções em bibliotecas digitais jurídicas do Distrito Federal e busca identificar os elementos potenciais para o estabelecimento de uma política de desenvolvimento de coleções comum nessas unidades de informação. Para isso, discorre sobre o conceito de coleção e sobre o desenvolvimento de coleções, incluindo os processos de estudo da comunidade, política de desenvolvimento de coleções, seleção, aquisição, doações, desbastamento e descarte, avaliação e competências e habilidades do bibliotecário. Em seguida, examina os aspectos específicos do desenvolvimento de coleções em suportes eletrônicos, como a viabilidade técnica, funcionalidade, confiabilidade, suporte do fornecedor, fornecimento, licenciamento, preservação, acessibilidade e usabilidade. No contexto do desenvolvimento da pesquisa, trata sobre a informação jurídica, indicando posteriormente quais são as particularidades do desenvolvimento de coleções jurídicas. Relaciona as informações obtidas por meio de entrevistas com as bibliotecas jurídicas do Distrito Federal com a revisão de literatura. O texto finaliza apresentando o processo de desenvolvimento de coleções em bibliotecas digitais jurídicas a partir da identificação das instituições que possuem essas coleções, da análise de suas trajetórias e do reconhecimento dos pontos convergentes dentre as práticas já adotadas. Além disso, conclui com a indicação de alguns desafios identificados, sugestão de estudos futuros e apresentação de elementos potenciais para a política de desenvolvimento de coleções digitais.
Mostrar mais

220 Ler mais

A Representação da Informação e o Paradigma do Uso: o caso da disciplina Desenvolvimento de Coleções no contexto da EAD

A Representação da Informação e o Paradigma do Uso: o caso da disciplina Desenvolvimento de Coleções no contexto da EAD

Estamos no contexto desta terceira geração e, nela, as tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) são imprescindíveis. Não sendo o foco deste artigo discutir as TICs, pretendemos apenas demonstrar que um instrumento, ou conteúdo, deve refletir sua verdadeira função para estar presente em determinado contexto educacional. Mas voltemos ao conteúdo da discussão, o qual se volta para um recurso textual, um material escrito.

9 Ler mais

Dados e informações usados na tomada de decisão em bibliotecas universitárias brasileiras : o contexto da atividade de desenvolvimento de coleções

Dados e informações usados na tomada de decisão em bibliotecas universitárias brasileiras : o contexto da atividade de desenvolvimento de coleções

Dissertação apresentada ao Departamento de Biblioteconomia da Universidade de Brasília como parte dos requisitos para obtenção do. Titulo de Mestre em Biblioteconomia[r]

286 Ler mais

SELEÇÃO E AVALIAÇÃO DE COLEÇÕES DE DADOS DIGITAIS DE PESQUISA: uma possível abordagem metodológica

SELEÇÃO E AVALIAÇÃO DE COLEÇÕES DE DADOS DIGITAIS DE PESQUISA: uma possível abordagem metodológica

A área de Ciências Nucleares, assim como diversos outros domínios científicos, produz intensivamente uma diversidade de dados de pesquisa, que vão desde resultados de experimentos até dados gerados a partir de simulações, como, por exemplo, os originados de pesquisas em realidade virtual e inteligência artificial. Este fato vem sendo evidenciado no âmbito do Instituto de Engenharia Nuclear (IEN), uma unidade da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), órgão vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) do Brasil. Apesar das especificidades da área Nuclear o problema de identificação, coleta e seleção dos dados de pesquisa é um desafio que se apresenta em qualquer domínio ou instituição que queira iniciar um projeto de curadoria de dados científicos. Neste sentido, uma questão que se coloca neste contexto é como identificar os dados de pesquisas produzidos dentro de uma instituição de pesquisa científica? Sendo assim, o artigo objetiva apresentar uma possível abordagem metodológica, aplicada no IEN, que se acredita ser possível replicar em qualquer instituição de pesquisa um caminho metodológico possível dentre outros, sendo indicada sua aplicação em instituições nas quais ainda não exista um plano de gestão de dados (PGD). Palavras chave: Desenvolvimento de Coleção. Dados de Pesquisa. Seleção de Dados.
Mostrar mais

18 Ler mais

Estudo da utilização das mídias sociais no desenvolvimento de coleções de moda

Estudo da utilização das mídias sociais no desenvolvimento de coleções de moda

Ao analisar o macroambiente no setor de moda, pode-se situar esta indústria em um cenário econômico de competição e de eliminação de fronteiras. Em razão da existência de um grande número de empresas de moda e ao intenso trabalho da mídia, o consumidor está em contato com diversas opções de produtos, preços e facilidades, tornando-se cada vez mais desafiador para uma empresa se destacar nesse mercado. O setor de moda tem como característica a necessidade de renovação e, portanto, o contínuo e cíclico desenvolvimento de produtos. Esta particularidade tem como consequência uma grande influência sobre a gestão, produção, logística e atratividade dos artigos no mercado, que, aliadas à obsolescência, intimamente ligadas às estações do ano, estabelecem para esses produtos um ciclo de vida relativamente curto. Os meios de comunicação tornam-se mecanismos fundamentais para a disseminação da moda, que se revela, na maior parte das vezes, em uma trajetória de uma única via, onde as informações são simplesmente transmitidas ou ditadas. Das transformações no cenário da tecnologia digital da comunicação, emergem novas formas de interação, as mídias sociais. Estas novas tecnologias têm tornado viável uma comunicação contínua entre pessoas e empresas por meio da Internet, que ao valorizar a interação, possibilita que grupos com objetivos comuns se encontrem e possam compartir suas visões e objetivos. Neste contexto, surge um novo modelo de participação colaborativa que pode vir a ser uma ferramenta útil às empresas no desenvolvimento de coleções de moda. Este modelo permitiria, através da comunicação de via dupla, a utilização de opiniões e feedbacks de seus consumidores-alvo para estreitar relações e aperfeiçoar estratégias de segmentação e posicionamento. Pretende-se com o presente trabalho elaborar um estudo sobre a utilização das mídias sociais nas etapas do processo de desenvolvimento de coleções de moda em três diferentes segmentos: a moda exclusiva, o varejo tradicional de moda e o fastfashion. Os resultados demonstraram que as empresas com características mais inovadoras utilizam as mídias sociais com a finalidade de aumentar a visibilidade e o alcance de suas marcas e produtos, apropriando-se de seu potencial de comunicação. Enquanto as que oferecem peças com maior apelo comercial e grande grau de aceitação procuram utiliza-las também com foco na interação, a fim de identificar os desejos vigentes dos consumidores e tentar inseri-los em suas coleções.
Mostrar mais

143 Ler mais

Linked Open Data em coleções de patrimônio cultural: aspectos da representação da informação para Humanidades Digitais

Linked Open Data em coleções de patrimônio cultural: aspectos da representação da informação para Humanidades Digitais

A inclusão do Brasil nesse contexto só tem a contribuir para o mapeamento e gestão do patrimônio cultural nacional. Isso porque o país parece não acompanhar o cenário internacional. O Ministério da Cultura (MinC), bem como o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) – responsável pelo Arquivo Nacional – anunciaram seus respectivos planos de abertura de dados, mas ambos não fazem menções significativas a respeito do patrimônio cultural dos quais são responsáveis (BRASIL, 2017a, 2017c). O Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), por outro lado, lidera o projeto Tainacan, que tem como objetivo o desenvolvimento de uma ferramenta que promova “a gestão de acervos culturais de arquivos, museus, bibliotecas e cinematecas, trazendo ainda uma camada voltada para a colaboração de usuários” (IBRAM, [201-], online). Entende-se, portanto, que as instituições brasileiras, sejam elas públicas ou particulares, científicas, políticas, educacionais e culturais ainda estão amadurecendo suas iniciativas de inserção ao movimento Linked Open Data.
Mostrar mais

104 Ler mais

Desenvolvimento de coleções de fontes de informação eletrônica em bibliotecas universárias

Desenvolvimento de coleções de fontes de informação eletrônica em bibliotecas universárias

O contexto hodierno caracteriza-se como um panorama de uso contínuo de informação nas mais variadas esferas da sociedade. A informação é usada em diversos contextos sob vários formatos e isso se torna possível com a evolução tecnológica realizada em ritmo acelerado, sobretudo nos últimos dois séculos. Essa evolução trouxe consigo a possibilidade ampliada de acesso à informação, mas por outro lado, impôs desafios circunstanciais no seu tratamento e difusão. Nos diversos tipos de unidades de informação, faz-se necessária a adoção de estratégias para a melhoria do gerenciamento e desenvolvimento das coleções, sobretudo as coleções digitais. De tal modo, o trabalho visa a traçar um panorama ligado às questões relacionadas à comunicação cientifica com a bibliotecas universitárias, com vistas a ampliar o debate sobre o desenvolvimento digital de coleções de periódicos em bibliotecas universitárias, bem como aspectos relacionados à adoção de critérios de seleção e avaliação destes itens de informação. Aborda os casos específicos, como o do Portal Capes e o SciELO como coleções digitais de periódicos sujeitos a estratégias de desenvolvimento das coleções. Aponta opções para a melhoria da gestão da coleção digital em bibliotecas universitárias. A metodologia empregada foi a de pesquisa bibliográfica em uso de fontes eletrônicas e convencionais, bem como análise de critérios utilizados na Avaliação e Coleções para Bibliotecas Universitárias e o Indicadores Qualis pela Condenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Ensino Superior (CAPES).
Mostrar mais

14 Ler mais

Desenvolvimento de coleções: análise do sistema de bibliotecas da Universidade Federal da Bahia

Desenvolvimento de coleções: análise do sistema de bibliotecas da Universidade Federal da Bahia

Nesse contexto, foi incluída a obrigatoriedade de que as IES tenham bibliotecas e que estas atendam as demandas e diretrizes determinadas pela Lei. A partir de então, percebe-se, na literatura da área, a preocupação em preparar as bibliotecas para atender as exigências do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), órgão coordenador e executor do processo avaliativo dos cursos de graduação. De fato, nada de se publicou que subsidiasse efetivamente a preparação das bibliotecas para enfrentar a avaliação do INEP no que se refere a padrões e indicadores de desempenho, à exceção do modelo teórico para avaliação da biblioteca universitária brasileira (LUBISCO, 2007) e, na sequencia, o instrumento em construção, Banco de informações gerencias (LUBISCO; MORAES, 2012)
Mostrar mais

111 Ler mais

BIBLIOTECAS VIRTUAIS E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES: o caso dos repertórios de sites Web

BIBLIOTECAS VIRTUAIS E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES: o caso dos repertórios de sites Web

A redação de uma política de desenvolvimento de coleções constitui a pedra fundamental de toda boa coleção, quer seja tradicional (física) ou eletrônica. O desafio que se coloca atualmente é o de desenvolver uma coleção pertinente e útil para os usuários em um contexto onde a escolha documentária é considerável e os recursos financeiros, humanos e tecnológicos sejam limitados. Uma política de desenvolvimento de coleções nos permite, então, ter uma coleção eletrônica coerente, em harmonia com as coleções existentes (EVANS, 2000, p.70-71). Disponível no site Web da biblioteca, a política de desenvolvimento de recursos eletrônicos constitui igualmente uma vantagem não negligenciável para o usuário, pois permite a ele conhecer os critérios de avaliação que conduziram a seleção dos recursos. Segundo Alison Cooke (2001, p.41), por
Mostrar mais

16 Ler mais

Sistema de informação gerencial para desenvolvimento de coleções

Sistema de informação gerencial para desenvolvimento de coleções

Quanto à finalidade e ao uso dos dados e estatísticas regularmente coletados, foi ve- rificado que esses dados são utilizados, preferencialmente, para registrar ativida- des e elaborar relatórios. A maioria das bi- bliotecas afirma que eles fornecem indica- dores que auxiliam o processo decisório na atividade de desenvolvimento de cole- ções, e que são úteis para fins de planeja- mento. Entretanto, embora todas as bi- bliotecas coletem regularmente dados e estatísticas relacionados aos elementos que integram o contexto da atividade de desenvolvimento de coleções, elas não o fazem de forma completa, tampouco su- ficiente.
Mostrar mais

9 Ler mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES PARA DOCUMENTOS ELETRÔNICOS: TENDÊNCIAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES PARA DOCUMENTOS ELETRÔNICOS: TENDÊNCIAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

Paralelamente, no Brasil, as bibliotecas vêm desenvolvendo esforços no sentido de depositarem seus registros em meio digital, disponibilizando-os na Internet, onde surgem como grandes catálogos e fortes provedores de informação. Grande parte das bibliotecas universitárias brasileiras já marca presença na rede, onde já disponibilizaram seus catálogos e serviços em sítios próprios. Sobressaem-se as bibliotecas da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Na área especializada, o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) e a Biblioteca Regional de Medicina (BIREME) devem ser destacados pelo acervo e pela magnitude dos serviços prestados (BARBOSA, 2004). A Biblioteca Nacional apresenta-se também como destaque nesse novo contexto, disponibilizando diversos serviços no seu sítio, inclusive arquivos sonoros e de obras raras.
Mostrar mais

15 Ler mais

Bases para a implementação de uma política de desenvolvimento de coleções numa biblioteca universitária

Bases para a implementação de uma política de desenvolvimento de coleções numa biblioteca universitária

Se considerarmos a falta de um documento orientador de boas práticas como um problema para a gestão de uma biblioteca, então podemos considerar que a sua solução passa pela existência de políticas documentais como garantia de uniformização da gestão da coleção, isto é, políticas que visem padronizar critérios e procedimentos e hierarquizar prioridades na gestão dos recursos e serviços prestados, contribuindo para o desenvolvimento de uma coleção de qualidade e que responda de forma eficaz às necessidades dos utilizadores, reais e potenciais. Neste contexto, ao elaborar este projeto tivemos como objetivo principal criar mecanismos para tomada de decisões coerentes e concisas relativamente à coleção e assegurar que ela está a ser desenvolvida de forma equilibrada. Pretendemos também estabelecer e cumprir práticas e rotinas no serviço desenvolvido, de modo a assegurar que a coleção está a ser tratada, divulgada e promovida de forma adequada. Assim, será proposto para este trabalho de projeto, a elaboração de um documento escrito que responda ao problema de partida: “criação de uma Política de Desenvolvimento de Coleções, como forma de solucionar o problema do desenvolvimento da coleção da BFMV, no sentido de manter a coleção atualizada e adequada às necessidades dos utilizadores”.
Mostrar mais

156 Ler mais

Transferência de coleções e serviços: planear e gerir a mudança (no contexto das bibliotecas de ensino superior)

Transferência de coleções e serviços: planear e gerir a mudança (no contexto das bibliotecas de ensino superior)

Na opinião de Linn (2008, p. 88) a cultura organizacional é feita de práticas, querenças e valores que ajudam a criar o seu funcionamento e segundo Schein (2009, p.17) é “um padrão de assunções básicas partilhadas, que foram apreendidas pelo grupo e que resolvem os seus problemas de adaptação externa e de integração interna, que funcionam bem e são consideradas válidas e portanto ensinadas aos novos membros, como a forma correta de perceber, pensar e sentir, em relação a esses problemas”. Lin (2008, p. 89) refere também que muitas mudanças falham devido à falta de planeamento adequado no ajuste da cultura organizacional, se esta for muito rígida. Na opinião de Villafañe (1999, p. 245) há uma relação estreita entre a comunicação interna, a cultura da empresa e o envolvimento dos recursos humanos nos projetos da organização. Herrero (2008, p. 374) refere que os recursos humanos reagem bem a pedidos lógicos e racionais de mudança, mas a mudança comportamental só ocorre se os comportamentos particulares forem reforçados com recompensas, incentivos dos pares e reconhecimento. Cunha et al. (2004, p. 847) apontam como decisivo o diagnóstico dos intervenientes, os seus pontos de vista em relação à mudança e o seu grau de influência positiva ou negativa; lembram também (2004, p. 854) o poder da linguagem associada à mudança e ao desenvolvimento organizacional. Collins e Porras (1998, p. 16 ) advertem que, para que a mudança não seja “excessiva”, as instituições com boas culturas organizacionais devem escolher novos objetivos que não requeiram a transformação integral da cultura organizacional, optando por manter o seu âmago e estimular o progresso.
Mostrar mais

148 Ler mais

A gestão da qualidade como estratégia de suporte para o desenvolvimento de coleções em bibliotecas jurídicas

A gestão da qualidade como estratégia de suporte para o desenvolvimento de coleções em bibliotecas jurídicas

As bibliotecas são entendidas como organizações sem fins de lucro, cujo objetivo principal é propor serviços de qualidade em torno da mediação da informação com vistas ao atendimento de necessidades de informação específicas de determinados grupos de usuários. Nesse sentido, como organizações, necessitam ter estratégias de gestão específicas que garantam sua eficácia e eficiência para garantir a sua sobrevivência. Dentre algumas estratégias temos da gestão pela qualidade. Este artigo se propõe debater a questão da gestão da qualidade por meio do estudo do processo de Desenvolvimento de Coleções de Bibliotecas Jurídicas. Para o embasamento e consecução dos objetivos propostos foi feita uma revisão de literatura que considera as áreas da Qualidade, do Desenvolvimento de Coleções, buscando-se identificar suas principais características enquadrando-se o universo específico das Bibliotecas Jurídicas. Neste contexto, são caracterizados elementos relacionados ao assunto tais como Bibliotecas Jurídicas, Informação jurídica, e apontados os principais desafios enfrentados na gestão de coleções jurídicas bem como possíveis soluções. Com base nas reflexões propostas, pode-se confirmar que o papel da biblioteca jurídica é difundir a informação jurídica nas instituições das quais fazem parte, apoiar as decisões nos processos judiciais em curso levando-lhes o Direito em seu estado bruto para que possa ser lapidado através das regras de interpretação, achando-se ao final a norma a ser aplicada na solução do caso, contribuindo para pacificação da sociedade. Conclui-se que para que este processo se cumpra torna-se necessário a aplicação eficaz de estratégias que garantam a qualidade dos serviços propostos.
Mostrar mais

17 Ler mais

Organização da informação de coleções musealizadas

Organização da informação de coleções musealizadas

70 Nesse sentido, as ações de comunicação têm se ampliado, o que exige novas formas de atuação, como é o caso da disponibilização de conteúdo pela internet, divulgando o conteúdo através de exposições ou catálogos virtuais e outras informações. “No contexto dos museus, a comunicação aparece simultaneamente como a apresentação dos resultados da pesquisa efetuada sobre as coleções (catálogos, artigos, conferências, exposições) e como o acesso aos objetos que compõem as coleções [...]”. (DESVALLÉS; MAIRESSE, 2013, p. 35). Essas funções são o básico para que uma instituição possa ser considerada um museu, entretanto, essas funções se confundem, se ampliam para além dessas funções (como já mencionamos) e também são mais do que apenas um conjunto de atividades. Elas servem como diretrizes para que o museu possa desempenhar suas ações. Nesse sentido, a adoção e a implementação de políticas e práticas de gestão são necessárias para que a instituição possa alcançar o seu propósito, possibilitando que as coleções possam ser preservadas e colocadas à disposição para o público.
Mostrar mais

95 Ler mais

Seleção, sim; coleções, não! :: Brapci ::

Seleção, sim; coleções, não! :: Brapci ::

As coleções fechadas mais recentes são Obras Imortais da Nossa Literatura da Editora Três e Literatura Brasileira Contemporânea, em promoção conjunta da mesma editora com a Livraria José[r]

4 Ler mais

As empresas são grandes coleções de processos.

As empresas são grandes coleções de processos.

Os processos são a fonte das competências “especí- ficas da empresa” que fazem a diferença em termos de concorrência, além da influência que podem ter a es- tratégia, os produtos, a estrutura e a indústria (Keen, 1997). Os processos não criam apenas as eficiências de hoje, mas também garantem o futuro por meio de habilidades que se aplicam aos novos produtos. A rá- pida inovação dos processos pode resultar em capacitações organizacionais melhoradas (Kanter, 1997) que permitem, por exemplo, que os novos pro- dutos sejam desenvolvidos mais rapidamente. É conhe- cido o caso das empresas industriais japonesas, que investiram 70% dos seus fundos de P&D em inovação de processos, ao contrário das americanas, que inves- tiram essa mesma proporção, mas no desenvolvimento de produtos. Os resultados muito superiores da indús- tria japonesa durante o período considerado provavel- mente refletem as conseqüências dessa decisão.
Mostrar mais

14 Ler mais

Estudo da dieta em coleções paleoantropológicas

Estudo da dieta em coleções paleoantropológicas

Os resultados de sódio obtidos para o dente de veado e dentes humanos modernos. parecem consistentes com uma maior concentração deste elemento nos omnívoros do que[r]

53 Ler mais

Ciência e cultura, coleções e museus

Ciência e cultura, coleções e museus

Finalmente, não considerando como bastantes as visitas livres ou guiadas e prelecionadas, as palestras públicas, as sessões cinematográficas, e os passeios dirigidos, e entendendo que deve ir mais longe ainda a sua acção educativa, certos Museus Norte-americanos – cite-se por exemplo como modelar o Museu Field ou Museu de História Natural de Chicago –, criaram para os Museus de História Natural, além do «Museu Científico» e do «Museu Público», um terceiro Museu – o «Museu Ambulante» (Travelling Museum), constituído por coleções dos mais variados assuntos das Ciências Naturais puras e aplicadas, expostas à maneira de grupos biológicos (ou de pequenos dioramas, pois nem os efeitos da perspectiva são esquecidos), que passam de escola em escola, no Museu Field de Chicago, elevava-se, já há anos, acima de um milhar (36) .
Mostrar mais

22 Ler mais

Desenvolvimento de coleções: uma nova visão para o planejamento de recursos informacionais

Desenvolvimento de coleções: uma nova visão para o planejamento de recursos informacionais

O desenvolvimento de coleções continua em constante evolução. Aos poucos, em seu interior, começam a surgir outras es- pecialidades, demonstrando ter a área atingido um grau de amadurecimento con- siderável para os poucos anos em que está constituída, Da mesma forma, vê-se proliferar cada vez mais a convicção da necessidade de encarar as coleções e seu desenvolvimento como um fator importante da administração dos serviços de informa- ção. Existem, neste campo, variadas ra- zões para otimismo. Embora muito ainda exista a ser feito, tem-se nitidamente a consciência de que o momento atualmente vivido não é de paralisação, mas de evolu- ção. O melhor dessa evolução é que ela não parece restringir-se apenas aos paí- ses mais desenvolvidos, onde as van- guardas tecnológicas se localizam, mas atinge também países periféricos como o Brasil, que, mesma em ritmo mais lento, passam a usufruir seus benefícios e, desta forma, capacitam-se a enfrentar os desa- fios que virão com a virada do século.
Mostrar mais

9 Ler mais

Show all 10000 documents...