Top PDF Síntese e caracterização do zirconato de cálcio (CaZrO3)

Síntese e caracterização do zirconato de cálcio (CaZrO3)

Síntese e caracterização do zirconato de cálcio (CaZrO3)

Desde a sua descoberta, tem ocorrido um crescente interesse no estudo do zirconato de cálcio, tanto em sua fase estequiométrica quanto em suas fases não estequiométricas (Ibiapino et al., 2013). Este crescente interesse deve-se ao fato desse material apresentar propriedades elétricas muito interessantes, o que o potencializa para diversas aplicações, mas principalmente como sensor (Gonenli e Tas, 1999). Dudek et al (Dudek e Drożdż-Cieśla, 2009), estes autores reportaram as propriedades sensoras do sistema CaZrO3-CaOZrO2 obtido por diferentes métodos de síntese e posteriores tratamentos térmicos em temperaturas entre 1000ºC e 1500ºC. O CaZrO3 estequiométrico tem sido reportado como um material semicondutor do tipo p. Quando pequenos excessos de CaO ou ZrO 2 são adicionados ao CaZrO 3 é observada condutividade iônica para diferentes valores de pressão parcial de oxigênio e elevada estabilidade química em temperaturas superiores a 1000°C. Os autores citam ainda que o CaZrO3 estequiométrico se mostra um eletrólito mais adequado para a determinação de O2 do que as soluções sólidas de zircônio. Ele também tem sido empregado como material refratário, eletrólito sólido e condutor de prótons (Hwang e Choi, 2006) .
Mostrar mais

59 Ler mais

Fosfatos de cálcio mesoporosos e como nanocompósitos com sílica: síntese, caracterização e ensaios de liberação controlada de fármaco

Fosfatos de cálcio mesoporosos e como nanocompósitos com sílica: síntese, caracterização e ensaios de liberação controlada de fármaco

A principal aplicação dos fosfatos de cálcio é como biomateriais, para serem usados como enxerto ou implante ósseo. A obtenção de biocerâmicas mesoporosas permitiu o uso destes materiais como carreadores de fármacos, que são incorporados à estrutura porosa para serem subsequentemente liberados de forma controlada do enxerto ou implante ósseo para o tecido adjacente e com uma cinética bem estabelecida. Outra característica desejável aos biomateriais é possuir uma boa estabilidade química para não serem dissolvidos em meios ácidos, particularmente em pH<4,00. Os objetivos deste trabalho incluíram a síntese, caracterização e aplicação de biomateriais de fosfatos de cálcio, como hidroxiapatitas mesoporosas e nanocompósitos de monetita/sílica. A hidroxiapatita mesoporosa foi avaliada em ensaios de liberação de fármaco. A estabilidade dos nanocompósitos, preparados pelo método sol-gel, variando a concentração do TEOS nas sínteses, foi investigada com respeito à estabilidade química em sistemas ácidos, incluindo um estudo detalhado da cinética de decomposição térmica da segunda etapa de perda de massa da monetita e do nanocompósito CaPSil2. Das vinte e uma hidroxiapatitas porosas preparadas usando dois surfactantes catiônicos, o brometo de hexadeciltrimetilamônio e o brometo de miristiltrimetilamônio e o surfactante aniônico dodecilsulfato de sódio, variando-se as concentrações, as razões de aquecimento e as temperaturas de calcinação, somente a amostra HA-MTAB-60-673/5 foi mesoporosa, enquanto as demais foram nanoporosas, como indicaram as isotermas de adsorção de N 2 . A matriz HA-MTAB-60-673/5 foi aplicada
Mostrar mais

193 Ler mais

SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE ORTOFOSFATOS DE CÁLCIO DOPADOS COM NIÓBIO (V) POR MEIO DA ROTA HIDROTÉRMICA E AVALIAÇÃO DE CITOCOMPATIBILIDADE

SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE ORTOFOSFATOS DE CÁLCIO DOPADOS COM NIÓBIO (V) POR MEIO DA ROTA HIDROTÉRMICA E AVALIAÇÃO DE CITOCOMPATIBILIDADE

Este trabalho teve como objetivo a obtenção de possíveis biomateriais sintetizados pela reação hidrotérmica entre o etanoato de cálcio monohidratado e o monofosfato de amônio anidro aditivados com 57.6, 288 e 576 ppm de um precursor de íons nióbio (V), o complexo de nióbio oxo-tris (oxalato) niobato de amônio e hidrogênio trihidratado que até o momento é pouco empregado na síntese de biomateriais. Em uma área de crescentes inovações, esta aditivação possibilita a obtenção de ortofosfatos de cálcio com novas perspectivas no campo dos biomateriais em relação às características de biocompatibilidade, morfológicas e estruturais.A síntese foi realizada com temperaturas variando de 100 a 200 °C durante 24 horas com o emprego do diaminometanal para controle do pH de precipitação e do ácido 2-hidroxi- 1,2,3 propanotricarboxílico monohidratado como regulador do pH inicial da síntese e como agente quelante para os íons metálicos.Para a caracterização das fases formadas nas amostras obtidas foi utilizada a técnica de difração de raios X (DRX) sendo estas fases confirmadas pelas técnicas espectroscópicas de espectroscopia de absorção na região do infravermelho por transformada de Fourier (IV-TF) e espectroscopia Raman.As técnicas de microscopia eletrônica de varredura acoplada com detector de energia dispersiva de raios X (MEV-EDX) e, de microscopia eletrônica de transmissão (MET) foram empregadas para visualização do formato das partículas e mapeamento de elementos presentes enquanto as técnicas de análise granulométrica por difração de laser (DL) e, de análise por espalhamento dinâmico de luz (EDL) caracterizaram a distribuição do tamanho de partículas. Análises térmicas (TG e ATD) foram realizadas para verificar o comportamento térmico e a composição química foi determinada através da fluorescência
Mostrar mais

201 Ler mais

PRISCILA FERRAZ FRANCZAK SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE BIOCIMENTOS DE FOSFATOS DE CÁLCIO PARA USO NA REPARAÇÃO DO TECIDO ÓSSEO

PRISCILA FERRAZ FRANCZAK SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE BIOCIMENTOS DE FOSFATOS DE CÁLCIO PARA USO NA REPARAÇÃO DO TECIDO ÓSSEO

Os biocimentos de fosfato de cálcio são biomateriais que apresentam características cristalográficas semelhantes as da estrutura do esqueleto humano, sendo utilizados em aplicações biomédicas na reparação de defeitos, reconstrução óssea e fixação de implantes. São promissores por apresentarem facilidade de moldagem, boa molhabilidade, hidratação e capacidade de endurecimento durante sua aplicação em meios biológicos. O interesse pelos biocimentos de fosfatos de cálcio está associado às características de bioatividade, biocompatibilidade e semelhança cristalográfica com a apatita óssea. Esse trabalho teve como objetivo a elaboração e caracterização de pós nanoestruturados de fosfatos de cálcio hidratados nas razões Ca/P = 1,5; 1,55; 1,6; 1,67; 1,7 molar e composições bifásicas com 1% de MgO e 5% de Al 2 O 3 -α. Estes
Mostrar mais

120 Ler mais

Síntese e caracterização de substâncias semelhantes aos ácidos húmicos de carvão de eucalipto, e sua interação com diclorofenol, cálcio, manganês e alumínio

Síntese e caracterização de substâncias semelhantes aos ácidos húmicos de carvão de eucalipto, e sua interação com diclorofenol, cálcio, manganês e alumínio

durante o processo de síntese e extração, que está de acordo com a baixa relação H/C. Bandas largas por volta de 2.550 cm -1 são indicativas de grupos carboxílicos protonados (Baes e Bloom, 1989). As bandas fortes observadas a 1.712 cm -1 e 1.250 cm -1 indicam a presença de grupos carboxílicos. A primeira é atribuída ao estiramento do C=O do COOH e outros grupos carbonilas (p.ex. cetonas). A segunda é atribuída ao estiramento do C-O e deformação do O-H de grupos COOH, e estiramento do C-O de fenóis. A banda de absorção para grupos carboxílicos ionizados ocorre em torno de 1.612 cm -1 . A região entre 1.620 e 1.600 cm -1 pode ser atribuída também às vibrações C=C aromáticos, C=O de cetonas conjugadas e à deformação da água (Stevenson, 1994). De maneira geral, o espectro de AH obtidos do carvão vegetal apresentaram os mesmos picos que AH obtidos do solo (Stevenson and Goh, 1972), e são semelhantes aos AH do tipo A, associado a solos ricos em C pirogênico (Kumada, 1983; Maie et al., 2002). Todos os picos observados estão relacionados aos grupos carboxílicos e à estrutura policíclica aromática, sugerindo um conteúdo baixo de C alifático. A exceção é a presença de bandas de absorção característicos em 1.532 cm -1 atribuídas à deformação de N-H em amidas secundárias, como as que ocorrem em proteínas e peptídeos, ou ao nitrobenzeno (Mangrich et al., 2000). Normalmente esse pico é encontrado em AH extraído da serapilheira (Kögel et al., 1988) e outros materiais ricos em polissacarídeos como o composto (Niemeyer et al., 1992; Mangrich et al., 2000). O pico a 1.532 cm -1 está associado a um pico em 1.342 cm -1 no espectro do AH de carvão vegetal. Esses picos estão relacionados à formação de grupos funcionais contendo N, provavelmente nitro benzenos, introduzidos pela reação com ácido nítrico. Silverstein et al. (1987) mostra um espectro FTIR de nitrobenzeno demonstrando dois picos fortes a 1.542 e 1.342 cm -1 , relacionados às deformações de N-O assimétricos e simétricos, respectivamente. No AH do carvão vegetal formado em temperaturas mais altas (550
Mostrar mais

107 Ler mais

Síntese e caracterização de fosfatos de cálcio a partir da casca de ovo de galinha.

Síntese e caracterização de fosfatos de cálcio a partir da casca de ovo de galinha.

Fosfatos de cálcio são compostos cerâmicos atualmente utilizados para o desenvolvimento de biomaterais que atuam como substitutos ósseos nas áreas da ortopedia e odontologia clínica. Este trabalho teve como objetivo explorar rotas químicas para a conversão de casca de ovo de galinha, uma fonte rica em CaCO 3 , em fosfatos de cálcio inorgânicos, como o beta tricálcio fosfato (β-Ca 3 (PO 4 ) 2 ) e hidroxiapatita (Ca 10 (PO 4 ) 6 (OH) 2 ) para a utilização como substitutos ósseos. Uma análise termodinâmica preliminar permitiu estabelecer quais os ácidos

5 Ler mais

Síntese e caracterização estrutural e magnética da ferrita de cálcio

Síntese e caracterização estrutural e magnética da ferrita de cálcio

Existem diversas técnicas para preparação de ferritas, tais como: método químico hidrotermal, decomposição evaporativa de solução, coprecipitação sol-gel e moagem mecânica. Na síntese mecânica são misturados os óxidos precursores, que passam por um processo de moagem com o objetivo de homogeneizar a granulometria e a composição do material. A seguir, faz-se o tratamento térmico em temperaturas da ordem de 1200K, para que aja formação parcial ou completa da ferrita de interesse. Este processo de moagem e calcinação é repetido algumas vezes, até se obter o pó com a qualidade desejada [14, 23]. O pó obtido resultante é então submetido a caracterização física (estrutural, magnética, elétrica e et c.).
Mostrar mais

84 Ler mais

Síntese e caracterização dos vidros cálcio boroteluretos dopados com Sm2O3

Síntese e caracterização dos vidros cálcio boroteluretos dopados com Sm2O3

Os pesquisadores do Laboratório de Espectroscopia Óptica e Fototérmica (LEOF), ligados ao Programa de Pós-Graduação em Ciência dos Materiais da Universidade Federal do Maranhão, campus Imperatriz, têm desenvolvido bases vítreas com composições inéditas. Dentre as bases desenvolvidas, destaca-se a base vítrea denominada cálcio borotelureto, a qual apresenta boas propriedades térmicas, ópticas e espectroscópicas [14]. O diferencial da composição da base vítrea desenvolvida pelos pesquisadores foi a adição de agentes modificadores como fluoreto cálcio (CaF 2 ) e óxido de cálcio (CaO). A adição de CaF 2 teve
Mostrar mais

88 Ler mais

Síntese e caracterização de biocerâmicas à base de fosfato de cálcio modificada com nióbio

Síntese e caracterização de biocerâmicas à base de fosfato de cálcio modificada com nióbio

A Ortopedia é a ciência que se concentra em estudar o desenvolvimento ósseo, se ocupando da preservação ou restauração anatômica e/ou funcional do esqueleto e formações associadas. Os problemas que afetam comumente o tecido ósseo são as lombalgias, traumatismos, problemas periodontais e osteoporose (MARRA; KUMTA, 2002). Das alterações acima, a osteoporose é atualmente uma das situações mais frequentes, justamente porque as pessoas estão vivendo mais. Esta se caracteriza por ser uma doença esquelética sistêmica, com diminuição da massa óssea e deterioração microarquitetural do tecido ósseo com um consequente aumento na fragilidade óssea e susceptibilidade à fratura. As fraturas causadas por osteoporose duplicaram na última década e isto está associado ao aumento da vida média da população (ERIKSEN, 2003). Em relação à osteoporose, os fatores genéticos afetam tanto o pico de massa óssea quanto à perda óssea depois da menopausa. O depósito de cálcio afeta o acréscimo de massa óssea durante o crescimento e é também um fator determinante da massa óssea depois dos 65 anos. Os níveis de estrogênio afetam o acréscimo da massa óssea durante o crescimento e regulam a atividade dos osteoclastos e por isto, influenciam na perda óssea do início da menopausa. Os exercícios físicos mostram um grande efeito sobre a massa óssea na adolescência enquanto que na idade adulta e nos idosos é insignificante (ERIKSEN, 2003).
Mostrar mais

163 Ler mais

Síntese pelo método da coprecipitação e caracterização estrutural do tungstato de cálcio com estrutura tipo scheelita.

Síntese pelo método da coprecipitação e caracterização estrutural do tungstato de cálcio com estrutura tipo scheelita.

de elétrons (bases de Lewis). As soluções com diferentes proporções de solventes (água/etileno glicol), os quais têm alta afinidade e miscibilidade devido à formação de ligações de hidrogênio entre si não sofreram ajuste no seu pH com um bom rendimento reacional. Utilizando-se das proporções dos solventes anteriormente citadas, a síntese do CaWO 4 ocorreu em temperatura ambiente, sob agitação, durante aproximadamente 30 min. Após a reação, as soluções resultantes foram centrifugadas, lavadas sucessivamente com água deionizada e acetona e o produto seco em estufa a 80 °C.
Mostrar mais

9 Ler mais

Síntese e caracterização de vidros cálcio boroaluminato dopados com Dy2O3 para geração de luz branca

Síntese e caracterização de vidros cálcio boroaluminato dopados com Dy2O3 para geração de luz branca

Como resultado disso, diferentes relações de intensidade de emissão entre a banda localizada na região do amarelo e a banda localizada na região do azul podem ser obtidas variando o comp[r]

114 Ler mais

Síntese e caracterização espectrométrica de glicodendrímeros

Síntese e caracterização espectrométrica de glicodendrímeros

A um balão de fundo redondo de 25 mL foi adicionado o núcleo ou a solução do núcleo (neste caso, o solvente foi co-destilado com diclorometano - 3 x 5 mL - até a secura, em evaporador rotatório). Ao balão foram adicionados 5 mL de diclorometano anidro e 100 mg (0,16 mmol; 1,2 equivalente molar por grupo amino terminal do núcleo) de (5). O balão foi fechado com tubo de cloreto de cálcio e a mistura mantida sob agitação magnética a temperatura ambiente. Após 1 hora, nas reações nas quais se observou a formação de uma suspensão, adicionou-se metanol anidro, gota-a-gota, até a formação de uma mistura homogênea. Após 3 horas, o solvente foi evaporado em evaporador rotatório e o resíduo foi solubilizado em 3 mL de metanol anidro. Adicionou-se, gota-a-gota, sob banho de gelo e agitação magnética, uma solução de metóxido de sódio em 3 mL de metanol. O balão foi fechado com tubo de cloreto de cálcio e, após 1 hora, a mistura foi neutralizada com uma solução de ácido clorídrico 1 mol/L. O solvente foi removido em evaporador rotatório e o produto foi purificado por SEC (eluente metanol/água 1:1).
Mostrar mais

145 Ler mais

“Síntese e caracterização de perovskitas sem e com dopagem de Nb2O5”

“Síntese e caracterização de perovskitas sem e com dopagem de Nb2O5”

óxido de cálcio (CaO). A calcinação é um processo vigorosamente endotérmico. Dentre os autores adotados como referencias, há variações na temperatura e no tempo de calcinação dos materiais: (AHMAD, 2013); (LIN et al., 2006); (LU, LI e WU, 2 01β)ν (εAKCHAROEN et al. β01β)ν (εAZNI et al. β00λ)ν (εORIYAεA KAN e OGAWA β01γ)ν (εOURA et al. β011)ν (εU et al. β010)ν (RAε REZ et al. β006)ν (SEN et al. β010)ν (SHAO et al. β006)ν (TARARAM et al., 2011); (WANG, NI e CHEN, 2010); (XU et al., 2011). Para as amostras de CCTO optou-se por realizar a calcinação durante 8 horas a 800°C, por essa ser uma faixa de temperatura média entre os trabalhos consultados como referências.
Mostrar mais

107 Ler mais

Síntese e avaliação de oligômeros de quitosana como inibidores de incrustação de carbonato de cálcio

Síntese e avaliação de oligômeros de quitosana como inibidores de incrustação de carbonato de cálcio

Zhang et al. (2016) avaliaram em seu trabalho a inibição de incrustação inorgânica por um inibidor verde. A partir da síntese de Polisuccinimida com ureia, obtiveram como produto o “PASP/Ureia”, que pode ser considerado um copolímero biodegradável. Para a caracterização estrutural, fizeram uso da espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier (IR), ressonância magnética nuclear (RMN) e análise por cromatografia de permeação em gel (GPC). O teste de inibição usado foi o estático, e para a investigação da interação do produto inibidor com as formações de CaCO 3, CaSO 4 e Ca 3 (PO 4 ) foi empregada a microscopia eletrônica de
Mostrar mais

36 Ler mais

Síntese e caracterização de rutenato de bário

Síntese e caracterização de rutenato de bário

em uma matriz de óxidos diferentes provenientes do sitio A. Outro fato importante relatado foi a influências dos sítios A na estabilidade do catalisados, o que também é inferido seu efeito na conversão do metano e do CO (GOLDWASSER et al., 2003). A substituição do lantânio por cálcio conferiu maior basicidade, no que resultou na diminuição da formação de coque, maior conversão de metano e menor deposição de CO (LABHSETWAR, WATANABE E MITSUHASHI, 2003).

70 Ler mais

Síntese e caracterização das fases minerais C

Síntese e caracterização das fases minerais C

Silicato de cálcio 2, 2CaO.SiO 2 , C 2 S (belita): no clínquer, o C 2 S é denominado como belita e, assim como o C 3 S, também apresenta polimorfos apresentados na Fig. 1b, sendo eles C 2 S-γ, C 2 S-β, α’ L , α’ H e α [14]. O polimorfo encontrado com maior frequência nos clínqueres é o C 2 S-β. O C 2 S-α é formado em temperaturas da ordem de 1425 ºC, mas, devido à sua baixa estabilidade, no processo de resfriamento retorna à estrutura C 2 S-β [16]. Caso o C 2 S-β não seja estabilizado durante o resfriamento, os C 2 S-α e C 2 S-α’ são estabilizados com o polimorfo C 2 S-γ [26]. Existe uma particularidade para C 2 S-γ e quando ocorre o seu aquecimento entre 780 e 860 °C não há sua conversão estrutural para C 2 S-β, transformando- se diretamente em C 2 S-α’ L . Contudo, C 2 S-β pode ser convertido em C 2 S-γ. Essa conversão promove a quebra dos nódulos, devido à diferença nas estruturas atômicas para os dois polimorfos, resultando em um material pulverulento e de distintas densidades [14]. Com a necessidade crescente de redução na emissão de CO 2 , o cimento belita tem sido estudado como uma alternativa na produção de cimentos de menor impacto ao meio ambiente, tendo em vista que a fase C 2 S é formada em menor temperatura, bem como necessita de menor quantidade de CaCO 3 e, por conseguinte, menor liberação de CO 2 no processo de descarbonatação [1]. Neste caso, em alguns trabalhos prioriza-se o aumento da reatividade hidráulica da belita [6, 27, 28], enquanto que em outros usam-se adições a fim de aumentar a sua estabilidade, tais como boro [6], potássio [29] e mesmo a argila mineral com alto teor de óxido de alumínio [30]. Também tem sido estudada a utilização de outros insumos na produção do cimento belita, como a nanossílica proveniente da casca do arroz [31] e o resíduo de lodo de anodização de alumínio não calcinado [32]. A faixa de temperatura utilizada para a síntese do C 2 S é ampla; por exemplo, 1000 °C em [33], enquanto em [16] foi realizada a síntese a 1450 °C.
Mostrar mais

9 Ler mais

Otimização da síntese das fases de cimento de aluminato de cálcio para fins biomédicos.

Otimização da síntese das fases de cimento de aluminato de cálcio para fins biomédicos.

Portanto, o objetivo deste trabalho foi estudar a síntese do CAC, a caracterização das fases geradas visando um melhor conhecimento sobre o processamento, bem como o controle do nível de impurezas que podem limitar a sua atuação nas aplicações pretendidas. Além disso, a produção isolada das fases visa permitir que as suas propriedades possam ser estudadas a fim de determinar uma mistura mais adequada para melhor atender as necessidades do cimento endodôntico a base de CAC e outras.

8 Ler mais

Síntese e Caracterização de Polímeros de Coordenação com Lantanídeos

Síntese e Caracterização de Polímeros de Coordenação com Lantanídeos

Este tipo de síntese tem como princípio básico a dissolução dos reagentes de partida (sal do metal e o ligando orgânico) num solvente apropriado. A mistura reaccional é mantida num sistema aberto, ou parcialmente aberto, à temperatura ambiente ou, por vezes, a temperaturas próximas de 0 ºC. A evaporação lenta do solvente promove o crescimento da nova estrutura cristalina. 29, 30 Este método de síntese é bastante lento podendo levar desde algumas semanas a vários meses. Por outro lado este método tem dado provas de ser bastante eficiente para a obtenção de mono-cristais de dimensão adequada para análises por difracção de raios-X de mono-cristal. Como exemplo disto, Farnum et al., através da síntese por difusão lenta de perclorato de cádmio e uma solução etanólica de 3,4’-dipiridilcetona, obtiveram um polímero de coordenação bidimensional, [Cd(H 2 O) 2 (3,4’-dpk) 2 ] n (Figura 1.6).
Mostrar mais

137 Ler mais

Síntese e caracterização de peneiras moleculares mesoporosas

Síntese e caracterização de peneiras moleculares mesoporosas

Em 2003, Kleitz e colaboradores relataram a síntese de uma nova silica mesoporosa de estrututura cúbica chamada KIT-6. Esse material foi chamado dessa forma por que sua descoberta ocorreu no Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia (Korea Advanced Institute of Science and Technology) (KALBASI; MOSADDEGH, 2012). A KIT-6 exibe uma estrutura simétrica Ia3d cúbica tridimensional com uma rede bicontinua interpenetrante de canais, também possui grandes poros facilmente ajustáveis com paredes de poros espessas, alta estabilidade hidrotérmica, alta área de superfície específica e grande volume de poros (KLEITZ et al., 2003).
Mostrar mais

48 Ler mais

Síntese e caracterização de quantum dots de CdTe

Síntese e caracterização de quantum dots de CdTe

3.12.a Variação da emissão de fluorescência dos QDs de CdTe com MSS, ao comprimento de onda de excitação máximo, em função do tempo de reacção. 3.12.b Variação do comprimento de onda, n[r]

109 Ler mais

Show all 10000 documents...