Mapa 7 Distribuição do Log da distância por Grupos de bairros

2. REVISÃO DA LITERATURA

2.3. A literatura de Pareamento na Produção Familiar (casamentos à la Becker)

Curiosamente, a literatura que Gary Becker ajudou a desenvolver quando escreveu seus dois artigos sobre casamentos (A Theory of Marriage Part I e Part II, de 1973 e 1974) trata de mercados para os quais as transferências monetárias são incomuns. São denominados mercados por analogia, em um mercado de casamentos é difícil saber quem é o demandante e quem é o ofertante. O prórprio Becker (1991, p.81) no livro A Treatise on the Family, escrito posteriormente como um compêndio de diversas das suas teorias desenvolvidas para a família, alerta: “The phrase ‘marriage market’ is used metaphorically and signifies that the mating of

human populations is highly systematic and structured”.

A preocupação principal de Becker (1973 e 1974) era explicar a formação das famílias por meio do arcabouço econômico dos agentes racionais. Becker intuiu que a racionalidade econômica poderia ajudar a desenvolver modelos preditivos para a formação de pares e, por consequência, influir na constituição de famílias, nas decisões sobre o número de filhos, e uma série de outros temas familiares que passavam desapercebidos por grande parte da ciência econômica do seu tempo.37

Em verdade, uma parte dos casamentos de sociedades ancestrais, ou mesmo na era moderna de algumas sociedades, possuiam transferência de renda entre esposos na forma de dote. Becker (1991) menciona evidências de pagamentos monetários em algumas dessas sociedades antigas e Siow (2003) as relaciona mais sistematicamente. Uma hipótese dessa literatura é que o preço dos dotes pagos modificaria de acordo com a fração de homens e mulheres nessa sociedade, que refletiria uma escassez ou abundância relativa (qual lado seria merecedor do dote variava de sociedade para sociedade, mas o mais comum é encontrar dotes sendo pagos aos homens).

Quando não há possibilidades de pagamentos monetários para os casamentos (são legalmente proibidas, ou moralmente inaceitáveis), esse arcabouço teórico menciona que existem outras maneiras de se transferir valores entre esposos dentro de um casamento. Isso envolve, por

37 Becker (1974) realiza uma revisão dos textos clássicos que tratavam de consumo familiar e da formação de família

anteriores ao seu trabalho e aponta que no início do século XX a preocupação com tais temas andava em baixa, até identificar um recente desenvolvimento ligado a vertente que procurava entender como o consumo ocorria internamente nas famílias.

exemplo, a fração de bens consumidos no domicílio por cada um dos entes familiares (ver Lundberg & Pollak, 1996; Browning & Chiappori, 1998; ou Chiappori, Fortin & Lacroix, 2002). Essas transferências podem se dar também em valores implícitos, os preço-sombra, tais como o salário-reserva do marido ou da mulher no mercado de trabalho, situações em que compensam a mulher não procurar mercado no trabalho, ou o contrário.

Por conta desse último aspecto levantado, se diz também que, pela teoria de Becker, as utilidades são transferíveis, enquanto que na literatura da seção 2.2, não há, pelo menos em princípio, transferências de utilidades.38 Talvez, uma das maneiras menos óbvias de se transferir utilidades entre casais é procurar emparelhar características comuns. Casais podem buscar se assemelhar em características afins tais como renda, educação, idade, cor, hábitos de consumo, opiniões políticas e demais tipos de preferências sociais.

Casamentos entre pessoas com características afins são chamados por essa literatura de positive

matings. O termo positivo se refere a caracteristicas positivamente correlacionadas. Nesse

sentido, pessoas de alta renda tenderiam a se casar com pessoas de alta renda, muito educados com muito educados e assim por diante. Quando ocorre a atração dos opostos (alto-baixo) se diz que é um negative mating, a correlação é inversa (negativa).

Becker & Murphy (2000) elencam as condições que podem levar à maior ocorrência de positive

matings e quais as condições que levam aos negative matings. Em resumo, essas condições dizem

respeito ao que faz o casal derivar mais utilidade, se for mais compensador o casamento entre iguais, isso quer dizer que as transferências que um dos lados do mercado (homens ou mulheres) tem de fazer para o outro lado são menores (mais “baratas”) na situação de características iguais, e, logicamente, maiores no caso inverso. Se for o contrário, se for mais compensador casar entre

38 No capítulo 3, mais detalhes sobre as transferências de utilidades serão apresentados. Por hora pode se pensar no

simples exemplo a título de esclarecer a diferença entre as teorias. Suponha que uma mulher w1 tenha declarado, em

um ranking de preferências, o homem h1 como o parceiro mais preferido. Suponha, ademais, que um casamento por

preferências (tal como o do modelo deferred-acceptance) tenha formado o casal (w1, h1). Porém, suponha que haja

mais um homem, h2, que prefira a mulher w1 com bastante estima (em primeiro lugar). Em uma última suposição,

suponha-se que h2 é mais rico que h1 e que a transferência de recursos monetários seja aceitável nesse casamento. No

modelo de transferência de utilidades, se a quantia a mais de riqueza que h2 possui e transfere para sua pretendente

w1, compensa a desutilidade que a mulher possui em casar com um homem menos preferido, o par (w1, h2) poderá ser

formado. Essa conclusão será mais bem formalizada no próximo capítulo. Em termos coloquiais, pode se dizer que o modelo de transferência de utilidades aceita o casamento por conveniência.

desiguais, tem-se a posibilidade dos negative matings serem mais frequentes. Em termos gerais, essa literatura é também chamada de assortative matings, casamentos ordenados, tanto positivamente quanto negativamente.

Grande parte da evidência encontrada sugere que os casamentos mais comuns são do tipo positivamente correlacionados. É muito mais comum encontrar casamentos com indivíduos de características semelhantes. Uma extensa área da sociologia estuda esse tipo de fenômeno social (Mare, 1990). Mare (2008) mostra evidências de que ao longo do século passado os casamentos foram ficando ainda mais positivos, principalmente nos quesitos de renda e educação.39

Ao contrário da literatura de two-sided markets, para o qual a palavra casamentos é mais alusiva, ou seja, casamentos são vistos de uma maneira mais geral para a formação de pares por preferências, ou como uma regra para a formação de pares. Na literatura de assortative mating, os casamentos possuem um sentido mais literal e se referem, de fato, às praticas sociais relacionadas à união de casais. Até o presente momento, não se tem notícia da teoria de assortative matings sendo aplicada para analisar casamentos mais genéricos entre escolas e alunos, embora o próprio Becker (1975) tenha dado contribuição fundamental para teoria do capital humano.

Como defesa do ponto de que a teoria de casamentos de Becker (1991) se aplica à alocação de alunos e escolas, pode-se pensar que o casamento de uma escola entre vários alunos é um casamento poligâmico, tal como descrito por Becker no capítulo 3 (A Treatise on the Family), os detalhes do modelo relacionado serão dados no capitulo 3 desta tese. Porém, não é difícil de se extrapolar essa questão para os casamentos abordados pela literatura de two-sided matchings, pois grade parte da literatura das decisões familiares já incorporou tanto o modelo de Gale & Shapley (1962) quanto o modelo de Becker (1973 e 1974), ver por exemplo Weiss (1997), Bergstron (1997), Ermisch (2003) e mais recentemente Browning, Chiappori & Weiss (2011).

39 Para ver uma a trabalhos da literatura de assortative mating tratada sob a perspectiva da evolução de casamentos

inter-raciais, ver Fryer Jr. (2008) e Christensen (2008). Para estudos da educação, Rios-Neto & Guimarães (2010) empregam os métodos de progressão por série para identificar a seletividade no matching, à medida que os alunos progridem na carreira escolar, ou seja, para os últimos anos, o positive assortative mating de alunos e escolas se torna ainda mais positivo.

Volta-se a esse último ponto de interseção das literaturas mais à frente na seção 2.5. Por enquanto, na próxima seção, levantaremos trabalhos da demografia da educação e da literatura educacional, que ressaltam evidências importantes a serem consideradas para a tese.

No documento Alocação dos alunos nas escolas: uma abordagem de algoritmos de pareamento para análise do efeito do cadastro escolar de Belo Horizonte na proficiência dos estudantes (páginas 65-68)