• Nenhum resultado encontrado

Estratégias em Tecnologia da Informação. Missão, Visão e Objetivo Organizacional (Cultura Organizacional)

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Estratégias em Tecnologia da Informação. Missão, Visão e Objetivo Organizacional (Cultura Organizacional)"

Copied!
30
0
0

Texto

(1)

Estratégias em Tecnologia da Informação

Capítulo 2

Missão, Visão e Objetivo Organizacional

(Cultura Organizacional)

(2)

2

 Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica.

 Os professores da disciplina irão focar alguns dos tópicos da bibliografia assim como poderão adicionar alguns detalhes não presentes na bibliografia, com base em suas experiências profissionais.

 O conteúdo de slides com o título “Comentário” seguido de um texto, se refere a comentários adicionais ao slide cujo texto indica e tem por objetivo incluir alguma informação adicional aos conteúdo do slide correspondente

 Bibliografia básica:

 OLIVEIRA, Djalma P. Rebouças.. Planejamento Estratégico: Conceitos, Metodologia e Práticas. 28ª ed. São Paulo: Atlas, 2010.

 LAUDON, Kenneth.; LAUDON, Jane.. Sistemas de Informação Gerenciais. 7ª ed. São Paulo: Prentice Hall, 2007.

 TURBAN, E. e RAINER Jr., R.K. & POTTER, R.E. Administração de tecnologia da informação. Rio de Janeiro: Campus, 2005.

 WEILL, Peter e ROSS, Jeanne W. Governança de TI: Tecnologia da informação. 1ª ed. São Paulo: M. Books, 2006.

 POLLONI, Enrico Giulio F.. Administrando sistemas de informação: Estudo de Viabilidade. 1ª ed. São Paulo: Futura, 2003.

(3)
(4)

4

 A definição da missão da empresa é importante porque é nesse ponto que se procura descrever as habilidades essenciais da empresa.

 Exemplos de como atingir a essência da missão da empresa:

 Empresas de cinema estão no negócio de diversão, não apenas fabricam filme.

 Ferrovias estão no negócio de transportes.

 Empresa de computadores estão no negócio de tratamento de informações.

Definição da Missão

A missão deve ser definida em termos amplos, tal como de satisfazer alguma necessidade do ambiente externo, e não ser colocada em termos de oferecer algum produto ou serviço.

(5)

5

 A missão da empresa pode ser traduzida em áreas específicas de empenho que correspondem aos seus propósitos.

 Por exemplo: A missão da BIC é “produzir e comercializar produtos

descartáveis”.

 Essa missão propiciou a ela entrar em linhas de produtos distintos, tais como canetas, isqueiros, calcinhas.

 A missão que estabelece uma satisfação genérica do ambiente, sem indicar os produtos e/ou serviços, pode se chamar missão aberta.

 A missão que indica o produto ou serviço em que a empresa atua é chamada missão fechada.

 É este conceito de missão aberta que permitirá:

 A uma ferrovia (trens) ganhar dinheiro com oleodutos;

 A uma empresa fabricante de tintas (pintura) ganhar dinheiro com papel de paredes;

 A uma empresa de alimentos ganhar dinheiro com sementes; e

 A uma empresa farmacêutica (medicamentos) ganhar dinheiro com produtos de higiene pessoal.

(6)

6

 Cuidados que devem ser tomados quando do estabelecimento da missão de uma empresa:

 Não, simplesmente, explicitar o que estão fazendo, pois tais definições não cumprem sua finalidade básica, ou seja, a de provocar decisões de mudanças;

 Não relacionar, diretamente, com os produtos e serviços oferecidos, pois reduz, em muito, a amplitude da missão da empresa;

 Não procurar definições curtas e objetivas em excesso, pois esse aspecto pode prejudicar sua clareza e entendimento. Não estabelecer, também, definições longas, que podem prejudicar sua assimilação; e

 Não estabelecer uma frase definitiva para a missão da empresa, pois essa não está isenta de mudanças no tempo e nas circunstâncias internas e externas à empresa.

 A finalidade não é apenas definir a missão, mas tornar-se capacitado a defini-la e redefini-la sempre que for necessário, dentro de um processo contínuo de observação e pensamento.

O importante é que se “tenha sempre” uma definição, e não ter uma definição “para sempre”.

(Djalma de Pinho Rebouças Oliveira)

(7)

7

 A Visão define o que a organização pretende ser no futuro, onde ela deseja chegar, que tamanho almeja ter.

 É o objetivo maior e principal da empresa, aquele que deve ser considerado por todos como um destino certo se tomarem o rumo indicado e fizerem a sua parte do processo.

Visão

 Está atrelada a um modelo empreendedor, pois pressupõe eventuais mudanças.

 É dinâmica, flexível e pode ser alterada no decorrer do tempo.

 Orienta as políticas a serem seguidas e corrige o rumo se necessário.

(8)

8

 A visão precisa ser prática, realista e visível.

 Nós não alcançamos aquilo que nós não vemos, pois não passará de uma mera alucinação, se ela sugerir ou propuser resultados inatingíveis.

 Daria para levar a sério uma visão do tipo:

 “Pretendemos nos tornar o único fabricante de pesos para papel do mundo.”

 Claro que não!!!

 Normalmente, atua a longo prazo, pois está vinculada a um processo de aplicação de vultosos investimentos em ativo fixo.

Visão

A Visão é o que a empresa quer ser, isto é, aonde se quer chegar com a empresa.

(9)
(10)

10

 Conceito – O valor é uma qualidade que confere às coisas, aos feitos ou às pessoas, uma estimativa, seja ela, positiva ou negativa.

 Os valores são características morais inerentes à pessoa.

 Na Grécia Antiga, o conceito de valor era tratado como algo geral e sem divisões, mas desde a especialização dos estudos, foram surgindo diferentes tipos de valores e foram sendo relacionados com diferentes disciplinas e ciências.

 Os valores também são um conjunto de exemplos que a sociedade propõe nas relações sociais, daí se dizer que alguém “tem valores” quando estabelece relações de respeito para com o próximo.

 Pode-se dizer que os valores são crenças de maior categoria,

partilhadas por uma cultura e que surgem do consenso social.

(11)

11

 As empresas também podem escolher os seus valores para nortear decisões e comportamentos compartilhados entre os donos e funcionários.

Valores da Empresa

 É uma cadeia composta de práticas, comportamentos, atitudes, reconhecimentos, compromissos e ações que vão conduzir a organização ao seu objetivo.

 Pode-se dizer que é o elo que une a

missão e a visão.

 De um lado tem-se o que a empresa é e do outro onde ela pretende chegar.

O importante é a vivencia dos valores entre as pessoas envolvidas na empresa e as atitudes no seu dia-a-dia.

(12)

12

O que é cultura?

 A definição genérica formulada por Edward B. Tylor cultura é:

“aquele todo complexo que inclui o conhecimento, as crenças,

a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e aptidões adquiridos pelo homem como membro da sociedade”.

 Quando trazemos esse “todo” para a organização (empresa) podemos entender que:

 A cultura organizacional é o conjunto de hábitos e crenças estabelecidos através de normas, valores, atitudes e expectativas compartilhados por todos os membros da organização.

 Em outras palavras, constitui o modo institucionalizado de pensar e agir que existe em uma organização.

(13)

13

 Cada organização cultiva e mantém a sua própria cultura. É por este motivo que algumas empresas são conhecidas por algumas peculiaridades próprias.

 A cultura organizacional pode ser forte ou fraca.

 É forte quando seus valores são compartilhados intensamente

pela maioria dos funcionários e influencia comportamentos e expectativas.

 É fraca quando as subculturas se destacam em pequenos grupos e não no todo.

 Representa o universo simbólico da organização e proporciona um referencial de padrões de desempenho.

(14)

14

 Muitos atribuem ao conjunto Visão – Missão – Valores a denominação de Cultura Organizacional.

 A cultura organizacional, em muitos casos, será elemento fundamental para o executivo decidir se iniciará uma relação comercial e/ou parceria com outra empresa, dependendo de qual for a cultura, por exemplo, de um cliente ou fornecedor, e se esta for coerente com a sua cultura organizacional.

Cultura Organizacional

 Serão estes componentes principais do negócio que irão efetivamente ditar o norte para as pessoas que fazem parte da empresa.

(15)
(16)

16

Recapitulando, OBJETIVO é o alvo ou ponto quantificado, com prazo de realização e responsável estabelecidos, que se pretende atingir através de um esforço.

 O objetivo poderá ser geral e interessar a toda empresa ou ser o específico de um setor da empresa, este último chamado de objetivos funcional.

Desafio: é a quantificação, com prazos definidos, do objetivo estabelecido. E para serem alcançados exigem esforço extra.

Meta: é a etapa ou passo intermediário para se alcançar determinado fim.

(17)

17

 Os objetivos servem para as seguintes finalidades das empresas:

 Fornecer às pessoas um sentimento específico e adequado de seu papel na empresa.

 Dar consistência à tomada de decisão entre grande número de diferentes executivos.

 Estimular o empenho e a realização baseada em resultados esperados.

 Fornecer a base para as ações corretivas e controle.

(18)

18

 Antes do executivo passar à determinação dos desafios quantificados e com prazos de realização, deve verificar se os objetivos:

 Estão claros em perfeitamente, divulgados, entendidos e aceitos  São específicos, mensuráveis, realísticos e desafiadores

 Apresentam as suas inter-relações de forma esquematizada

 Estão, adequadamente, relacionados a fatores internos e externos da empresa

 O sistema de controle e avaliação estabelecido está adequado  As prioridades estão estabelecidas.

(19)

19

 Base dos objetivos das pessoas

 Uma empresa em si só não pode ter objetivos, pois é uma pessoa jurídica, uma entidade sem vontade própria.

 O que se chama de objetivos da empresa são uma média ponderada dos objetivos da pessoas que dirigem a empresa.

 Para alcançar seus objetivos, uma empresa necessita da cooperação dos indivíduos.

 Os indivíduos ao serem admitidos, trazem consigo necessidades, aspirações e expectativas que esperam sejam satisfeitas em troca de seu trabalho.

(20)

20

 Portanto, é muito importante que os funcionários da empresa considerem os objetivos empresariais como seus próprios objetivos pessoais.

 Esta situação pode ser facilitada quando:

 Os objetivos empresariais expressam valores culturais que são adequados para os próprios valores individuais; e

 Os funcionários identificam-se com os valores de seu grupo de trabalho.

Objetivo Organizacional

A empresa só poderá alcançar seus objetivos quando todos os seus funcionários tiverem alta capacitação e motivação de desempenho em direção aos seus resultados esperados.

(21)

21

 As principais características dos objetivos e desafios devem ser resumidas na necessidade de serem:

 Hierárquicos  Quantitativos  Realistas

 Consistentes

 Claros, entendidos e escritos  Comunicados

 Desmembrados em objetivos funcionais  Motivadores

 Utilitários  Decisórios  Operacionais

(22)

22

 Hierárquicos

 Os objetivos e desafios principais devem ser dispostos em escalas hierárquicas demonstrando suas prioridade e como elas foram estabelecidas.

 Quantitativos

 Sempre que possível devem ser expressos como quantitativos

ou operacionais.  Realistas

 Devem surgir de uma análise das oportunidades e ameaças ambientais e dos pontos fortes e fracos, bem como dos recursos da empresa e não de pensamentos e desejos de seus diferentes executivos e funcionários.

 Consistentes

 Uma empresa pode estar buscando vários objetivos e desafios importantes de uma só vez, entretanto, devem ser consistentes.

Objetivo Organizacional

(23)

23

 Claros, entendidos e escritos

 Os objetivos e desafios permitem maior amplitude e controle, visto que a tarefa da chefia é simplificada e o planejamento estratégico é mais fácil de ser feito quando os objetivos e desafios são claros e entendidos por todos os profissionais envolvidos no processo.

 Comunicados

 A finalidade e o conteúdo dos objetivos e desafios devem ser

comunicados a todos os envolvidos direta ou indiretamente em sua realização.

 Desmembrados em objetivos funcionais

 Esses objetivos e desafios devem ser desmembrados para as várias áreas da empresa.

Objetivo Organizacional

(24)

24

 Motivadores

 Devem propiciar uma situação de motivação para facilitar as estratégias a serem desenvolvidas pelos funcionários, visando obter seu alcance.

 Utilitários

 Os objetivos e desafios devem explicitar quem vai beneficiar-se

quando forem alcançados.  Decisórios

 Os objetivos e desafios devem esclarecer as decisões básicas envolvidas em seu processo.

 Operacionais

 Os objetivos e desafios devem visualizar os aspectos básicos que devem ser realizados para o seu alcance.

Objetivo Organizacional

(25)

25

Desafios

Desafios

Desafios

Desafios

Marketing

Produção

Finanças

RH

Objetivos funcionais

Objetivos da empresa

Propósitos

Postura

Estratégica

Missão da empresa

1º nível 2º nível 3º nível 4º nível Objetivo Organizacional

(26)

26

1º nível - Missão e Visão da Empresa  É a razão de ser da empresa.

 É onde está enunciada a visão que corresponde ao objetivo maior e principal da empresa.

2º nível - Objetivos da empresa

 Neste nível, trabalha-se de maneira mais ordenada os aspectos

não quantificáveis, através da identificação e qualificação das expectativas dos setores de atuação estabelecidos no nível anterior.

 Inicia-se a análise da disponibilidade de recursos e as

atribuições das áreas envolvidas no processo.

Objetivo Organizacional

(27)

27

3º nível - Objetivos funcionais

 Aqui se relacionam os objetivos da empresa em suas várias áreas funcionais (marketing, produção, finanças, recursos humanos).

Cada empresa deve estabelecer suas áreas funcionais.

 Pode-se ter vários níveis de objetivos funcionais, de acordo com as necessidade de maior e melhor detalhamento do processo.

4º nível - Desafios e Metas

 Nesse nível são estabelecidas a situação atual e a situação futura desejada, perfeitamente quantificáveis, bem como o

período de tempo para sua realização.

 É importante que todo o processo represente real situação de

esforço extra para sua realização.

Objetivo Organizacional

(28)

28

 Os objetivos podem ser estabelecidos de diferentes formas:

Forma Determinística: o objetivo é identificado numa situação precisa. Por exemplo:

“Aumentar as vendas em 5% até o final do ano”

Forma Probabilística: o objetivo é apresentado como uma situação provável de acontecer. Por exemplo:

“Não ter mais de 2% de produtos devolvidos por defeito”

Forma Qualitativa: o objetivo pode ser:

“Melhorar a imagem da empresa perante a comunidade”

Forma Logística: o objetivo pode ser apresentado como:

“Adquirir o controle acionário da principal concorrente”

Objetivo Organizacional

(29)

29

 A empresa deve manter a necessidade de renovação periódica dos objetivos e desafios.

 Mesmo que as condições internas e externas à empresa não se alterem, uma reavaliação sistemática de objetivos e desafios é aconselhável.

 A manutenção do mesmo plano de ação durante longo período de tempo não provoca impactos favoráveis a empresa.

 Objetivos que passam a ser estáticos podem redundar em

consequências indesejáveis em termos de dinâmica de operação.

 O executivo não deve fazer revisões em períodos de tempo curtos, mas desenvolver um processo dinâmico e flexível o suficiente para a realidade da empresa.

Objetivo Organizacional

(30)

30

 Divulgação formalizada dos objetivos e desafios  Não há empresas sem objetivos.

 O que há – e muitas – são empresas sem a formulação oficial e pública de seus objetivos e desafios.

 Alguns aspectos que podem influenciar o nível de divulgação formalizada dos objetivos e desafios da empresa são:

Grau de centralização e descentralização decisória da empresa, pois, quanto mais centralizado for o poder de decisão na empresa, tanto menos ela necessita de objetivos e desafios explícitos;

Empresas mais profissionalizadas e descentralizadas procuram sistemas que facilitem a divulgação formalizada dos objetivos e desafios estabelecidos; e

Nível de segurança desejado para com as estratégias dos concorrentes, pois a empresa pode ter medo da ação competitiva inesperada.

Objetivo Organizacional

Referências

Documentos relacionados

Deficiências dos modelos conceituais: são fracos para previsão e controle;. modelos simples (também) geram graves

E essa tecnologia, a exemplo das redes sociais, exerce um grau de influência tão grande ao passo de interferir e contribuir na formação identitária desse jovem, um jovem não mais

Primeiro me apresentei à turma, falei do motivo pelo qual estava realizando esse trabalho e expus a proposta para a aula de matemática, que seria o desenvolvimento do jogo “corrida

O controle do trabalho está positivamente associado à qualidade de vida do trabalhador, de forma que à medida que o controle do trabalho aumenta, amortece o impacto das altas

É possível Investigar os distúrbios da distribuição das pressões plantares e da oscilação corporal de portadores de DP em diferentes estágios e com um grupo controle

Foram avaliados os desempenhos estatísticos de cinco modelos de estimativa de UE (Simpson, Hailwood e Harrobin de um hidrato, Hailwood e Harrobin de dois hidratos, BET e Bradley) e

Fórmulas de quadratura têm sido amplamente estudadas e são de grande importância matemática e de grande aplicabilidade em outras áreas do conhecimento, principalmente nas Ciências

Em (d), o papagaio está acenando com as duas mãos, enquanto olha para o espaço, para um referente que não é sinalizado naquele momento (referente ausente) e