Artigo Quem EU SOU? Porque eu raramente reflito ou questiono sobre as situações que são apresentadas ou que já foram apresentadas pra mim até hoje?

Texto

(1)

QUEM EU SOU?

Quem eu sou perante a humanidade, perante a sociedade, perante todos os sistemas criados, perante a religião e tudo mais que se apresenta neste mundo?

Porque eu raramente reflito ou questiono sobre as situações que são apresentadas ou que já foram apresentadas pra mim até hoje?

Porque eu quase sempre aceito como verdade tudo que é dito, colocado, informado, imposto ou apresentado, sem questionar se aquilo condiz com a minha realidade e com quem EU SOU de fato?

Porque eu aceito como verdade quase tudo que os outros dizem e fazem e porque estou quase sempre repetindo e seguindo as mesmas atitudes dos outros?

Porque a minha felicidade depende de outra pessoa ou de situações externas? Porque eu julgo e condeno os outros e a mim mesmo o tempo todo?

Quem eu sou quando exijo que alguém satisfaça a minha vontade?

Quem eu sou quando permito que os outros imponham em mim a sua vontade ou quando sigo a vontade dos outros?

Quem EU SOU perante este planeta e todos os seres vivos?

(2)

Porque muitas vezes sou incapaz de questionar se o meu sistema familiar, político, social e religioso realmente condiz com a minha realidade e porque quase sempre não consigo ter discernimento próprio para avaliar o que é melhor pra mim e para todos?

Porque eu preocupo com a violência urbana próxima da minha cidade, mas raramente me preocupo com a violência urbana em outras cidades, em outros países? Porque quase nunca me preocupo com a violência envolvendo outras pessoas? Será que na verdade minha preocupação é apenas comigo mesmo ou talvez também com meus familiares, então será que o meu desejo de vida e de bem estar está restrito apenas a mim mesmo e as pessoas que considero serem mais importantes na minha vida? Porque não preocupo com o bem estar de toda humanidade e de todos seres viventes? Será que estou centrado e preocupado apenas em mim mesmo?

Porque eu preocupo com o bem estar e com a vida do meu animal de estimação mas não preocupo e nem importo se milhares de animais são cruelmente assassinados com requintes de crueldade todos os dias para servirem de alimento para mim e para os outros?

Porque eu preocupo se vai faltar proteína na minha alimentação, mas não preocupo e nem me importo de onde está vindo a proteína que consumo diariamente? Porque eu preocupo tanto comigo mesmo, porque eu faço questão de preservar minha vida mas não preocupo e nem faço questão de preservar a vida dos outros?

Porque que de vez em quando eu penso que a vida do golfinho, da baleia, do cachorro, do gato e do cavalo devem ser preservadas, mas que a vida de outros animais que servem de comida pra mim não precisa?

Porque eu não quero preservar a vida de quem não satisfaz os meus desejos e porque tenho vontade de bater, de agredir e até mesmo de matar quem resolve me contrariar? Porque tenho medo de ser agredido ou morto se contrariar a vontade de outras pessoas também?

(3)

Não era apenas para eu me preocupar comigo mesmo e exigir que os outros façam o mesmo por mim?

Afinal de contas quem eu sou?

Porque aqui no Brasil penso que não é normal matar um cachorro, um gato ou um cavalo para comer, mas penso que isso seja errado quando é feito por pessoas em outros países?

Porque eu me sinto ofendido e fico com raiva daquela pessoa lá na China que matou uma raposa e deixou ela viva e sem pele por vários minutos, sofrendo angustiadamente e com dor, mas estou preparado para matar a primeira formiga que cruzar na minha frente e acho esta atitude a coisa mais normal do mundo? Porque eu acho normal comprar carne no açougue mas não acho normal matar a raposa na China?

Porque não me incomodo se um animal foi torturado durante vários minutos, mas importo bastante que o preço do casaco de peles é muito caro, que o sapato de couro está machucando o meu pé e que o banco de couro do meu carro está sujo?

Porque eu importo tanto comigo mesmo? Porque eu me amo tanto a ponto de desejar que outros morram por mim ou que satisfaçam sempre os meus desejos?

Porque eu reclamo tanto do preço do baby beef, mas não me importa que aquele bezerro de apenas alguns meses de idade ficou enclausurado vários meses no mesmo lugar, recebendo pouca alimentação, apenas para a carne dele ficasse mais macia e satisfizesse meu momento de prazer e bem estar durante alguns minutos?

Porque desejo tanto ir para o céu e ter uma morte tranqüila, mas não importo nem um pouco se alguns vivenciam e experimentam um inferno aqui mesmo nas suas vidas?

Qual a diferença entre o meu animal de estimação e outro animal que eu não conheço?

Porque o meu animal de estimação não pode servir de alimento, mas outros animais podem servir?

Porque eu fico indignado com a matança de golfinhos, baleias, de cachorros e de cavalos sendo transformados em alimentos em diversos países do mundo mas acha normal comer carne de frango, de porco, de peixe ou de boi todos os dias? Qual a diferença entre a minha vida e a vida deste animais?

Qual a diferença entre aquela mulher que espancou um cachorrinho e depois jogou ele pela janela e uma pessoa que mata um animal para transformar em comércio e alimento ou até mesmo qual é a diferença entre quem assistiu aquele vídeo do cachorrinho sendo espancado, ficou indignado, com raiva e revoltado e depois foi comer um hambúrguer na lanchonete?

Porque eu ensino meu filho, meu sobrinho e outras crianças a amarem os animais quando são pequenos e porque eu dou bichinhos de pelúcia para eles se a minha intenção final quase sempre é de permitir que estes mesmos animais sejam transformados em alimento pra mim mesmo?

(4)

Se as pessoas acham normal matar um animal com o pretexto de transformá-lo em comida, porque não vão achar normal matar outro ser humano por outros motivos, afinal de contas o ato de matar é o ato de querer satisfazer e de querer impor a própria vontade a outrem, o que muda são apenas os motivos para que estas vontades sejam satisfeitas. Será isso mesmo?

Porque uma das minhas diversões principais é assistir filmes onde as pessoas ficam atirando e tentando matar umas as outras? Porque adoro assistir aquela novela onde os personagens ficam se prejudicando o tempo todo? Porque adoro jogar vídeo games onde eu consiga matar o maior número de pessoas e considerar todos como meus inimigos?

Porque eu considero melhor apenas as profissões que ganham mais?

Porque eu fico com raiva de quem ganha mais do que eu? Porque eu fico com inveja do vizinho que comprou um carro novo? Porque eu torço pelas pessoas errarem e fracassarem? Porque eu sinto bem com isso?

Porque eu sinto prazer em ser o primeiro a dar notícias ruins? Porque eu preciso tanto de elogios?

Porque eu não gosto de dar passagem no trânsito e acelero quando vejo que alguém está tentando me ultrapassar ou entrar na minha frente? Porque eu buzino um segundo depois que o sinal de trânsito abriu e exijo que o motorista saia da minha frente logo em seguida?

Porque eu sinto ciúmes e exijo que o outro me ame porque se não me amar vou agredi-lo, considerá-lo injusto, desleal e tentar acabar com a vida dele? Porque eu gosto tanto de defender o que é meu?

(5)

Porque que eu não consigo perdoar o próximo e nem a mim mesmo? Porque que é tão difícil? Porque me considero uma pessoa tão ruim e os outros também? Será que realmente sou tão ruim assim?

Porque sou incapaz de questionar meu ensino religioso, meus líderes religiosos e até mesmo partes da própria Bíblia? Porque eu sou incapaz pensar por mim mesmo e de filtrar, absorver e agir com base apenas naquilo que sinto ser realmente a verdade condizente com meu EU mais elevado, com meu EU SUPERIOR e com quem realmente EU SOU?

Qual foi a religião que Jesus e Buda e outros seres despertos criaram? Imagino que eles não criaram religião nenhuma e que eles apenas demonstravam e ensinavam o AMOR incondicional e que foram seus seguidores que criaram o Cristianismo e o Budismo e outras religiões algum tempo depois. Então será que eu sou parte de uma religião ou será que eu ESTOU apenas fazendo parte de algo que as pessoas criaram?

Porque eu preciso acreditar imediatamente em toda informação que chega pra mim, seja através da internet, de livros, de pessoas, da televisão, de jornais, do rádio e das revistas (inclui até mesmo este texto) sem antes refletir se estas informações realmente condizem com a realidade e com quem EU SOU?

Porque eu acreditei na mensagem recebida pela internet, repassada pelo meu amigo, informando que o planeta Marte estará tão perto da Terra em agosto deste ano, ao ponto que vai ficar do tamanho da lua no céu e não avaliei se esta informação realmente condizia com a realidade? Porque fui repassar esta mensagem para outras pessoas e depois alguém comentou comigo que era mentira? Porque eu fui incapaz de avaliar por mim mesmo esta informação e faço o mesmo com quase tudo que os outros dizem pra mim?

Porque eu não sou capaz de buscar a verdade dentro de mim mesmo e preciso quase sempre de alguém que me apresente a sua própria verdade ou a verdade definida pela sociedade? Quais são os interesses e conceitos desenvolvidos por esta sociedade?

Porque as leis estão sempre mudando se elas deveriam refletir apenas verdade e a verdade é sempre imutável? Ou será que a verdade é apenas um conceito que varia de acordo com a interpretação em um determinado momento por uma determinada pessoa?

Qual é o nível de consciência que já alcancei sobre isso tudo?

Será que desejo refletir e avaliar se todas estas situações que já vivenciei e que já experimentei por diversas vezes são as atitudes e as experiências que condizem com meu EU verdadeiro e mais elevado?

Desejo continuar vivenciando e experimentando estas mesmas situações daqui pra frente ou vou começar a criar e a experimentar algo novo?

Será que vale a pena continuar pensando e vivendo sempre da mesma forma?

(6)

Penso que muitas pessoas estão chegando à mesma conclusão de que o estilo de vida que adotamos nas últimas centenas de anos não era o estilo de vida que proporcionou a verdadeira felicidade e muitas pessoas desejam vivenciar e experimentar uma nova realidade aqui neste plano daqui pra frente, realidade esta que seja compatível com o despertar de uma nova consciência. Esta nova consciência inclui a felicidade de todos os seres existentes e não apenas a minha própria felicidade.

Muitas vezes criamos e adotamos nosso próprio conceito de DEUS, um deus pessoal criado por cada um de nós ou criado pelas nossas próprias religiões, deus este que vai satisfazer sempre as nossas próprias vontades, deus este que possui um comportamento igual ao de qualquer outro ser humano, capaz de matar, sentir raiva, ser vingativo, ser orgulhoso, mas que na verdade reflete apenas o interior conturbado de cada um.

É a vontade de cada um de nós (da grande maioria), em transformar DEUS em um deus pessoal, em um retrato igual de quem somos e de como pensamos, por isso quase sempre imaginamos que deus age da mesma forma que os seres humanos. Muitas pessoas sentem medo e vergonha de DEUS,

Como ainda somos incapazes de compreender e manifestar o AMOR INCONDICIONAL por todos os seres viventes, não conseguimos ainda entender que DEUS É O AMOR UNIVERSAL DE TODOS e quando falo de TODOS não são apenas os seres humanos ou eu ou você.

O deus que ama apenas eu e você é o nosso deus pessoal, o deus que criamos para satisfazer apenas as nossas vontades, o deus criado para manter e sustentar este personagem que criei e que interpreto todos os dias, acreditando que eu sou.

O dia que eu for capaz de amar e respeitar até mesmo a vida de uma pequena formiga então serei capaz de amar e respeitar melhor a mim mesmo, todos os outros seres humanos e de todos os seres vivos deste planeta.

Imagem

Referências

temas relacionados :