• Nenhum resultado encontrado

ORIENTAÇÃO BÁSICA PARA A ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO (MAIÚSCULO SEM NEGRITO TAMANHO 14)

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "ORIENTAÇÃO BÁSICA PARA A ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO (MAIÚSCULO SEM NEGRITO TAMANHO 14)"

Copied!
6
0
0

Texto

(1)

ORIENTAÇÃO BÁSICA PARA A ELABORAÇÃO DO ARTIGO

CIENTÍFICO

∗∗∗∗

(MAIÚSCULO SEM NEGRITO TAMANHO 14)

CAVALCANTE, Maria Cleide Lima Pereira∗∗ Coautor1

RESUMO

Este texto trata sobre as Normas da ABNT em relação à publicação de Artigos Científicos procurando estabelecer, de forma sintética, os principais cuidados na escrita do texto científico. Para esse efeito, descrevemos e comentamos sequencialmente os sucessivos componentes de um documento desta natureza, sendo o mesmo, resultado de pesquisa bibliográfica em teorias atinentes ao método e documentos oficiais. Pensa-se que esta abordagem constituirá um bom auxiliar para os autores que pretendam reforçar a coerência e adequação dos seus artigos científicos.

Palavras-Chave: Artigo. Pesquisa. Ciência. Regras.

INTRODUÇÃO (Fonte 12 negrito)

Texto fonte 12 entre linhas 1,5

O espaço entre parágrafos deve ser 6 pts depois que corresponde a 1,5 entre linha.)

O artigo é a apresentação sintética dos resultados de investigações ou estudos realizados a respeito de uma questão. O objetivo fundamental de um artigo é ser um meio rápido e sucinto de divulgar, através de sua publicação em periódicos especializados, a dúvida investigada, o referencial teórico utilizado (as teorias que serviram de base para orientar a pesquisa), a metodologia empregada, os resultados alcançados e as principais dificuldades encontradas no processo de investigação ou na análise de uma questão. Assim, os problemas abordados nos artigos podem ser os mais diversos: podem fazer parte quer de questões historicamente polemizadas, quer de problemas teóricos ou práticos novos.

O artigo possui a seguinte estrutura: • Elementos Pré-Textuais

o Título o Autor (es)

Este texto foi elaborado para orientação, a partir das Normas da ABNT, aos alunos de Metodologia Científica e

Metodologia da Pesquisa Científica nos Cursos de Pós-Graduação da SOMAY.

∗∗ Professora da Cadeira de Metodologia Científica e Coordenadora de Projetos e Monografia. 1

O Coautor é Orientador de Conteúdo.

O pesquisador autor e o coautor Espaço da margem direita 3 cm Espaço da margem inferior 2 cm Parágrafo único, sem recuo de primeira linha, justificado, entre

linhas simples Fonte de Tamanho 12 (máximo 200 palavras).

Titulo primário espaçamento 18 pt p/ 12 pt

No mínimo 3 e máximo 5 palavras com a

Primeira letra Maiúscula, divididas por ponto(.) Espaço da Margem Direita 2cm

(2)

o Epígrafe (facultativa) o Resumo

o Abstract o Palavras-chave

• Elementos Textuais – Corpo do Artigo o Introdução o Desenvolvimento o Considerações Finais • Elementos Pós-Textuais o Referências o Anexos

Quanto a linguagem do Artigo, tendo em vista ser um trabalho extremamente sucinto, algumas qualidades são exigidas: linguagem correta e precisa, coerência na argumentação, clareza na exposição das ideias, objetividade, concisão e fidelidade às fontes citadas. Para que essas qualidades se manifestem é necessário, principalmente, que o autor tenha um elevado conhecimento a respeito do que está escrevendo, baseado em muita leitura e organização de sua pesquisa. Deve apresentar a Fundamentação Teórica, Resultados e Análises dos resultados feitos pelo pesquisador. Encerrar traçando suas considerações sobre a pesquisa.

1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

O Título deve compreender os conceitos-chave que o tema encerra. Deve inserir asterisco para indicar, em nota de rodapé, a finalidade do mesmo.

Os Autores indicados do centro para a margem direita, em ordem alfabética ou por titulação. Categoricamente inserir asterisco, indicando em nota de rodapé os títulos de cada um.

O Resumo trata-se de um texto com uma quantidade pré-determinada de palavras, onde se expõe o objetivo do artigo que deve incluir o problema, a metodologia utilizada para solucionar o problema e os resultados alcançados. Caso seja solicitado, acrescentar o ABSTRACT (resumo traduzido em língua estrangeira). Parte do artigo tem por meta a divulgação da pesquisa de forma mais abrangente e eficaz.

As Palavras-Chave são expressões indicativas do tema que servem para indexar o

artigo.

(3)

Introdução: apresenta e delimita a dúvida investigada (problema de estudo - o quê),

os objetivos (finalidade do estudo), a metodologia utilizada no estudo (como).

Desenvolvimento, demonstração dos resultados e análise:

Esta parte do artigo tem como objetivo:

o Fazer uma exposição e uma discussão das teorias que foram utilizadas para entender e esclarecer o problema, apresentando-as e relacionando-as com a dúvida investigada;

o Apresentar as demonstrações dos argumentos teóricos e/ ou de resultados que sustentam os dados coletados;

o Analisar os resultados confrontando com a teoria estudada.

O corpo do artigo pode ser dividido em quantos itens forem necessários, de acordo com a natureza do trabalho elaborado. Neste aspecto, é importante expor, por uma lógica indutiva ou dedutiva, os argumentos, explicativos ou demonstrativos, através de proposições desenvolvidas no corpo do artigo.

Considerações Finais: comentários finais, onde se reagrupam as conclusões parciais

do desenvolvimento (processo de síntese).

Quando necessário, deve-se incluir ainda referência a eventuais aplicações dos resultados obtidos e recomendações para trabalhos futuros.

3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

As Referências tratam de uma listagem dos livros, artigos ou outros elementos bibliográficos que foram referenciados ao longo do artigo. É necessário listar todas as referências bibliográficas segundo as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Considerando o que vimos, toda a estrutura teórica precisa seguir alguns critérios. Não obstante, as “Normas de Apresentação Gráfica do Artigo” devem ser respeitadas quando se trata de trabalho dessa natureza. Ao redigir o artigo, deverá atender ao que está exposto abaixo:

1. O texto deve ser digitado em tamanho 12, fonte Times New Roman;

2. O título principal deve vir em caixa alta centralizada com fonte 14 e em negrito; 3. Os títulos das seções devem vir em negrito em fonte 12;

(4)

4. O (s) nome (s) do (s) autor (es) deve (m) vir em caixa baixa e em fonte 12; 5. Papel no formato A4 (21 x 29,7 cm);

6. As margens são as seguintes: Margem superior: 3,0 cm; Margem Esquerda: 3,0 cm; Margem direita e margem inferior: 2,0 cm;

7. O espaçamento entre as linhas é de 1,5 cm;

8. A paginação vem de forma contínua e sequencial na margem superior direita das folhas (exceto a primeira página que não deve ser numerada);

9. O texto e os títulos devem vir de forma contínua sem que haja necessidade de que os mesmos apareçam em folhas separadas;

10. Os termos em outros idiomas devem constar em itálico, sem aspas. Exemplos: a priori, on-line, savoir-faires, know-how, apud, et alii, idem, ibidem, op. cit. Para dar destaque a termos ou expressões deve ser utilizado o negrito. Evitar o uso excessivo de aspas que “poluem” visualmente o texto;

11. As citações diretas, com menos de três linhas, devem vir entre aspas no corpo do texto;

12. Nas citações diretas curtas (até 3 linhas) com fonte 12, utilizadas no texto, devem constar o autor, a data e a página, conforme o exemplo: “A ciência, enquanto conteúdo de conhecimentos, só se processa como resultado da articulação do lógico com o real, da teoria com a realidade” (SEVERINO, 1997, p.30);

14. Quando a citação ultrapassar três linhas, deve ser separada com um recuo de parágrafo de 4,0 cm e com espaço simples, fonte 10, como no exemplo abaixo:

Segundo Severino (2002, p. 185)

A argumentação, ou seja, a operação com argumentos, apresentados com objetivo de comprovar uma tese, funda-se na evidência racional dos fatos. A evidência racional, por sua vez, justifica-se pelos princípios da lógica. Não se podem buscar fundamentos mais primitivos. A evidência é a certeza manifesta imposta pela força dos modos de atuação da própria razão.

15. As notas de rodapé destinam-se a prestar esclarecimentos, tecer considerações que não devem ser incluídas no texto para não interromper a sequência lógica da leitura. Referem-se aos comentários e/ou observações pessoais do autor e são utilizadas para indicar dados relativos à comunicação pessoal. Devem ser reduzidas ao mínimo e situar-se em local tão próximo quanto possível ao texto. Para se fazer a chamada das notas de rodapé, usam-se os algarismos arábicos,

Citação longa, acima de 3 cm linhas. Fonte 10 – entre-linhas simples recuo de 4 cm da margem esquerda.

Citação curta até 3 linhas no texto fonte 12 entre linhas 1,5.

Utilize o itálico para palavras estrangeiras.

(5)

na entrelinha superior sem parênteses, com numeração progressiva nas folhas. Devem ser digitadas em espaço simples como tamanho 9.

Este trabalho tem como objetivo proporcionar de forma muito sintética e objetiva uma familiarização com os principais cuidados na escrita do artigo científico. Optou-se por uma descrição sequencial dos componentes para que o resultado obtido satisfaça os requisitos de objetividade e pequena dimensão da produção textual. Essa ferramenta se constituirá em auxiliar útil, de referência frequente para a construção da competência na escrita de artigos científicos, buscando sempre o aperfeiçoamento na prática dessa tarefa. A arte de escrever artigos científicos é construída no dia-a-dia através da experiência e da cultura.

REFERÊNCIAS

(entre-linhas simples e entre-parágrafos duplos, em ordem alfabética sem justificar a margem direita)

AMAZÔNIA. Protocolo Verde. Arquivos online. Disponível em:

<http://www.amazonia.org.br/arquivos/168395.pdf>. Acesso em: 17 dez. 2008.

ANUATTI NETO, Francisco. Regulamentação dos Mercados. In: PINHO, Diva Benevides; VASCONCELLOS, Marco Antonio Sandoval de. Manual de Economia. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2006.

ARISTÓTELES. Ética a Nicomaco. Edson Bini (Trad.). 2. ed. Bauru: EDIPRO, 2007. AZEVEDO, Antonio Carlos do Amaral. Dicionários de Nomes, Termos e Conceitos

Históricos. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997.

BANCO BRADESCO. Política de crédito. Texto online. Disponível em:

<http://www.bradescorsa.com.br//Imagens/PDF/politica_de_credito.pdf>. Acesso em: 18 Mai. 2009.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Manual de Crédito Rural do Banco Central do Brasil.

Normativo online. Disponível em:

<http://www4.bcb.gov.br/NXT/gateway.dll?f=templates&fn=default.htm&vid=nmsDenorMCR:i dvDenorMCR>. Acesso em: 1 dez. 2008.

BANCO REAL. Práticas de Cestão. Risco Sócio Ambiental. Texto online. Disponível em: <http://sustentabilidade.bancoreal.com.br/sustentabilidadenobancoreal/praticasdegestao/Paginas/ RiscoSocioambiental.aspx>. Acesso em: 19 de Mai. 2009.

BERCOVICI, Gilberto. Constituição Econômica e Desenvolvimento: uma leitura a partir da Constituição de 1988. São Paulo: Malheiros, 2005.

BONAVIDES, Paulo. Do Estado Liberal ao Estado Social. 7. ed. São Paulo: Malheiros, 2004, p. 43.

BRASIL. Lei nº 11.105/2005. Coletânea de Legislação Ambiental, Constituição Federal. Odete Medauar (org.). 8. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009.

(6)

BRASIL. Lei nº 4.595/1964. Legislação Bancária. Marcos Rolim Fernandes e Ivo Waisberg (orgs.). São Paulo: Quartier Latin, 2006.

BRASIL. Lei nº 8.974/1995 (revogada). Legislação on line. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8974.htm>. Acesso em: 30 jun. 2009.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Mandado de Segurança nº 22.164. Tribunal Pleno, Brasília, DF, 30 de outubro de 1995. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Poder Executivo. Diário da Justiça, Poder Judiciário, Brasília, DF, 17 nov. 1995.

CEBDS. CONSELHO EMPRESARIAL BRASILEIRO PARA O DESENVOLVIEMENTO SUSTENTÁVEL. CTFIN. Texto online. Disponível em: <http://www.cebds.org.br/cebds/fi-ctfin.asp>. Acesso em: 17 dez. 2008.

COLOMBIA. Código Civil Colombiano. Legislação online. Disponível em:

<https://www.superservicios.gov.co/basedoc/docs/codigos/c_civil.html>. Acesso em: 16 set. 2008.

COMPARATO, Fábio Konder. A Afirmação Histórica dos Direitos Humanos. 2. ed. São COULANGES, Fustel de. A Cidade Antiga. Fernando de Aguiar (Trad.) 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

ESPANHA. Código Civil Espanhol. Legislação online. Disponível em:

<http://www.ucm.es/info/civil/jgstorch/leyes/cc_0512.htm#TÍTULO%20II.%20De%20la%20pro piedad>. Acesso em: 16 set. 2008.

FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Direitos Humanos Fundamentais. 4. ed . São Paulo: Saraiva, 2000.

FRANÇA, Júnia Lessa et alii. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 4.ed., rev. e aum., Belo Horizonte: UFMG, 1998.

IFC. CORPORAÇÃO FINANCEIRA INTERNACIONAL. Sobre o IFC. Texto online. Disponível em: <http://www.ifc.org/ifcext/portuguese.nsf/Content/Home>. Acesso em: 18

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de Metodologia Científica: teoria da ciência e prática da pesquisa. 14.ed. Petrópolis: Vozes, 1997.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22.ed. revista. São Paulo: Cortez, 2002.

Referências

Documentos relacionados

1 Graduando de Jornalismo pelo Centro Universitário Toledo – UNITOLEDO.. Revista Contemporânea: Revista Unitoledo: Arquitetura, Comunicação, Design e Educação, v. elementos

Nessa situação temos claramente a relação de tecnovívio apresentado por Dubatti (2012) operando, visto que nessa experiência ambos os atores tra- çam um diálogo que não se dá

Entretanto, como já mencionamos, o critério exposto acima, não se aplica satisfatoriamente ao exemplo com o verbo “colocar”, porque, embora “na estante” sirva de

Apud. BONFIM, Edílson Mougenot. Direito Penal: Parte Geral. Manual de Direito Penal. Direito Penal: Parte geral. Direito Penal – Parte Geral. BONFIM, Edílson Mougenot. Direito

No entanto, maiores lucros com publicidade e um crescimento no uso da plataforma em smartphones e tablets não serão suficientes para o mercado se a maior rede social do mundo

O valor da reputação dos pseudônimos é igual a 0,8 devido aos fal- sos positivos do mecanismo auxiliar, que acabam por fazer com que a reputação mesmo dos usuários que enviam

Este texto é uma reflexão em torno da necropolítica, a partir de Achille Mbembe, e das esculturas de Niemeyer, de como estas obras artísticas representam a enunciação e

Câmara dos Santos.. A pesquisa deste casal é divulgada no mundo a partir da publicação do primeiro artigo que tratava da teoria pelo Van Hiele na França, pois até então a teoria