Fusões e Aquisições no Brasil

Texto

(1)

Fusões e Aquisições no Brasil

Janeiro de 2017

(2)

395

337

415 389

573

722

645 644

799

752 771 812

879

742

597

36 32 17 35 33 42 59 38 63 56 58 53 60 60 51 5454

2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 Jan-Dez Jan

O ano de 2017 inicia-se com 54 transações anunciadas e crescimento de 6% quando comparado ao mesmo período de 2016 (51 transações). Com 7% abaixo da média de 58 transações nos últimos 6 anos, o mês de janeiro retrata a cautela do investidor diante do mercado brasileiro.

A qual o ano de 2017 poderá marcar uma possível volta em questão de volume de transações do período de 2006 a 2009, caso continue com o mesmo ritmo de cautela que foi o ano de 2016.

Janeiro de 2017 começa o ano com 54 transações, crescimento de 6% em relação ao mesmo período do ano de 2016

2

Média de 58 transações em janeiro

Média de 43 transações em janeiro

Média de 30 transações em janeiro

Janeiro 2017 Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

(3)

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

3 Janeiro 2017

Transações

36 32

17

35 33

42

59

38

63

56 58

53

60 60

51 54

2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 Transações anunciadas nos meses de janeiro (2002 a 2017)

janeiro

63

43 83

61 68

73

57 68

62 58

68 95

56 53

65 7072

49 58

71 66

57 58

77

58 60

63 62

88

7271 62

58 61

57 59

53 60

717474 66

65 66

68 67

67 81

60 68

63 70

61 7271

8887 7774

88

60

54 75

79 66

72

54 53 52

53 57

67

51 43

5455 414342

49 62

50 52

55 54

jan/10 fev/10 mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 dez/10 jan/11 fev/11 mar/11 abr/11 mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 jan/13 fev/13 mar/13 abr/13 mai/13 jun/13 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 ago/14 set/14 out/14 nov/14 dez/14 jan/15 fev/15 mar/15 abr/15 mai/15 jun/15 jul/15 ago/15 set/15 out/15 nov/15 dez/15 jan/16 fev/16 mar/16 abr/16 mai/16 jun/16 jul/16 ago/16 set/16 out/16 nov/16 dez/16 jan/17

Transações anunciadas por mês 2010-2017

(4)

A Região Sudeste inicia 2017 com 69% de interesse dos investidores

Nota: Não inclui acordos. Fonte: PwC.

Nordeste

2%

Norte

Centro- oeste

Sul

0%

11%

7%

SP 54%

RJ 9%

MG 4%

ES 2%

Em 2017, a Região Sudeste iniciou o ano sendo a

preferência dos investidores em território brasileiro, com o interesse de 69% nos negócios anunciados (37 transações).

No mesmo período de 2016 foram registradas 32 transações.

O Estado de São Paulo lidera com 54% das transações concretizadas no período de janeiro, representado por 29 transações (2016 - 26 transações). Sendo 22 negociações em São Paulo Capital e 7 transações em regiões no Interior de São Paulo.

Na Região Sul, foram efetuadas 6 negociações, 25% inferior ao mesmo período de 2016 (8 transações).

Transações fora do Brasil representam 11% do total de transações concluídas em 2017, com 6 negócios (2016 - 3 transações).

Janeiro 2017 4

Transações por região - Mês de janeiro de 2017 Sudeste

69%

69%

11%

7%

2% 11% Sudeste

Sul Nordeste Norte

Estrangeiros

(5)

15%

11%

9%

7%

5% 7%

6%

6%

4%

30%

Serviços Auxiliares TI

Químico Serviços Públicos Serviços de Saúde Varejo

Mineração Turismo

Financeiro Outros

Com 15% de interesse nos investimentos realizados em 2017, após 36 meses o setor de serviços auxiliares ultrapassa o setor de TI na preferência por investimentos

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos. 5 Participação dos setores em M&A Brasil

Mês de janeiro de 2017

Janeiro 2017 Serviços Auxiliares

8 Transações, crescimento de 14% em relação a 2016 (7 transações)

15% do total transacionado TI

6 Transações, redução de 50% em relação a 2016 (9 transações)

11% do total transacionado Químico

5 Transações, crescimento de 67% em relação a 2016 (3 transações)

9% do total transacionado

1

2

3

Top 5 setores (2016 e 2017)

0 1

3

9 7

4 4

5 6

8

Serviços de Saúde

Serviços Públicos Químico TI Serviços Auxiliares

2017 2016

5 principais setores correspondem a 50% do total

(6)

Exemplos de transações - Top 5 setores - janeiro 2017

Janeiro 2017 Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

6

Químico Serviços

Públicos

• A empresa brasileira GuardeAqui, operadora de self storage e a Kipit, também do mesmo segmento, anunciaram uma fusão de suas operações.

• O fundo de investimento Kick Ventures realizou um aporte na startup brasileira

Unimove, especializada na utilização de inteligência cognitiva através do IBM Watson para gerenciar um programa de fidelidade.

• A empresa

brasileira GTM do Brasil, subsidiária da GTM Holdings realizou a

aquisição da empresa quantiQ distribuidora de produtos

químicos, pelo valor de R$ 550 milhões.

• O grupo estatal chinês State Grid realizou a

aquisição de 54,64% da empresa brasileira de eletricidade CPFL Energia pelo valor de USD 4,5 bilhões.

• A Diagnósticos da América - DASA realizou a aquisição da Salomão e Zoppi Serviços Médicos e Participações SA, sem valores oficiais

anunciados.

6

Serviços de Saúde Serviços

Auxiliares TI

(7)

19 21

6

15 14

18

37

19

36

29

25

30 31

23

21

27

10

5

3

11

17 13 13

17

19

22 22

27

33

26

22

2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 Nacionais Estrangeiros

Investidores nacionais posicionam-se a frente nos investimentos realizados no Brasil com 55% de participação nas negociações

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Número de negócios realizados em janeiro (2002 a 2017)*

* Não inclui Joint-Ventures , fusões e cisões

Janeiro 2017 7

Com 55% de participação nas transações anunciadas no mês de janeiro de 2017, os investimentos de origem nacional estão frente dos investimentos de origem estrangeira com um total de 27 negociações (crescimento de 29% quando comparado ao mesmo período de 2016 - 21 transações).

Com 22 transações realizadas em janeiro, os investidores estrangeiros tiveram uma redução nas participações de 15% em relação ao mesmo período de 2016 (26 negociações).

(8)

0 10 20 30 40 50

2 0 0 2 2 0 0 3 2 0 0 4 2 0 0 5 2 0 0 6 2 0 0 7 2 0 0 8 2 0 0 9 2 0 1 0 2 0 1 1 2 0 1 2 2 0 1 3 2 0 1 4 2 0 1 5 2 0 1 6 2 0 1 7

Aquisições Compras Joint ventures Fusões Incorporações Cisão

Em janeiro de 2017 foram anunciadas 22 compras de participação minoritária, volume 29% superior ao mesmo período de 2016,

porém aquisições de controle continuam sendo a modalidade preferida por investidores

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

8 Evolução das modalidades no em janeiro (2002 a 2017)

Janeiro 2017 50%

41%

2% 7%

Perfil de transações Mês de janeiro de 2017

Aquisições Compras Joint ventures Fusão

Perfil de Transação

Total

2017 2016

Variação % 2016-2017

Aquisições 27 30 -10%

Compras 22 17 29%

Joint Ventures 1 3 -67%

Fusão 4 1 -300%

Incorporação 0 0 -

Cisão 0 0 -

(9)

6

3

2 2

1 8

1

0 0 0

EUA Reino Unido China França Cingapura

Top Investidores estrangeiros de 2017 e 2016 (janeiro)

2017 2016

Estados Unidos, Reino Unido e China foram responsáveis por 50%

do total de transações envolvendo capital estrangeiro no primeiro mês de 2017

Nota: Não inclui acordos. Fonte: PwC.

Em janeiro de 2017 foram anunciadas 22 transações envolvendo capital estrangeiro, redução de 23% em comparação ao mesmo período do ano anterior (2016 - 27 transações).

EUA: com 27% do total das transações - 6 negociações, 25%

inferior ao ano anterior (2016 - 8 transações);

Reino Unido: com 14% do total - 3 transações (2016 - 1 transação);

China: com 9% do total - 2 transações.

Janeiro 2017 9

50% de interesse em ativos brasileiros do total de transações estrangeiras

27%

14%

9%

9%

4%

4%

4%

4%

5%

5%

5%

5% 5%

Investidores estrangeiros Mês de janeiro de 2017

EUA

Reino Unido China França Cingapura Guatemala India Itália Japão Lituânia Luxemburgo Noruega

(10)

Investidores estrangeiros - janeiro 2017 x 2016

Nota: Não inclui acordos. Fonte: PwC.

Janeiro 2017 10

1º EUA

A gestora de fundos de private equity HIG Capital realizou a aquisição da empresa de suplementação animal Bigsal, sediada em Ji- Paraná (RO), sem valores anunciados.

2º Reino Unido

A HarperCollins Publisher, empresa editora de livros realizou a compra da HarperCollins Brasil, participação minoritária anteriormente detida pelo Grupo Ediouro.

3º China

A Didi Chuxing, conhecida como

"Uber chinês" realizou um aporte de mais de USD 100 milhões na startup 99, responsável pelo aplicativo 99Taxis.

Ranking 2017

Ranking

2016 País investidor Transações 2017

Transações 2016

Variação Percentual (2016 x 2017)

EUA 6 8 -25%

Reino Unido 3 5 -40%

China 2 0 -

França 2 5 -60%

Cingapura 1 0 -

Guatemala 1 0 -

India 1 0 -

Itália 1 0 -

Japão 1 0 -

10º Lituânia 1 0 -

11º Luxemburgo 1 0

12º Noruega 1 0

13º Suécia 1 0

Canadá 3

Espanha 3

Emirados Árabes 1

Irlanda 1

Rússia 1

Total 22 27

Top 3 11 18

% Top 3 50% 67%

(11)

Private Equity

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos. 11

Janeiro 2017

3 3

1 1 1

2

0 1

0 0

12

0 1

0 0

TI Serviços

Auxiliares

Financeiro Serviços Públicos

Alimentos Top 5 setores mais investidos até

janeiro (2015 a 2017) 2017 2016 2015

Setor de TI com 3 transações (50% superior a 2016 - 2

transações em janeiro)

Serviços Auxiliares com 3 transações (nenhuma

transação em janeiro de 2016)

Serviços Financeiros com 1 transação (igualmente - 1 transação em janeiro de 2016)

13 8

6 11

7

12 12

8 18

15

7 11

6 18

16 26

34

25 26

13 14

6 12

15 16

Transações envolvendo Private Equity

(2015 a 2017) 2017

2016 2015

Em janeiro de 2017, os investidores financeiros estiveram presentes em 13 transações, crescimento de 63%

quando comparado ao mesmo período do ano passado (2016 - 8 transações), sendo 54% investidores nacionais (7 transações) e 46% de investidores estrangeiros (6 transações) em 2017.

Das 8 transações concluídas em janeiro de 2016, 38% foi composto por investidores nacionais (3 transações) e 62%

por investidores estrangeiros (5 transações) .

(12)

• A gestora de fundos Gávea Investimentos realizou uma compra minoritária de 49,9%, por meio do seu fundo de investimento GIV V, na empresa brasileira de sucos Natural One, sem valores anunciados;

• O fundo brasileiro de venture capital, Monashees Capital realizou um aporte no valor de R$ 1 milhão no aplicativo norte-americano de aulas de inglês Cambly, a qual terá uma participação minoritária;

• A empresa brasileira de gestão de recursos financeiros SPX Investimentos realizou a compra minoritária de 5,31% do capital da companhia CETIP SA, representando 13.956.407 ações ordinárias, sem valores anunciados;

• O fundo soberano de Cingapura (GIC) realizou a compra de 37% da empresa brasileira do setor de educação superior, Cruzeiro do Sul, anteriormente da gestora britânica Actis, sem valores anunciados;

• O fundo de investimento brasileiro Cventure Primus realizou um aporte na empresa Asaas, de cobranças e boletos

bancários, sediada em Joinville, pelo valor de R$ 2,5 milhões;

• A BRF juntamente com o fundo soberano do Qatar, Qatar Investment Authority realizaram a aquisição de 79,5% das ações de emissão da empresa turca Banvit Bandirma Vitaminli Yem Sanayii, produtora de aves.

Casos selecionados; não é uma lista exaustiva. Não representa necessariamente as maiores transações anunciadas, mas uma abordagem combinada de relevância e tamanho da operação anunciada. Algumas transações sujeitas a análise e aprovação por parte de órgãos reguladores.

• A empresa brasileira PetroRio passou a deter uma

participação de 52,40% na Brasoil Petrolífera, após adquirir uma fatia de 29,21% do Banco Brascan;

• A elétrica brasileira Eneva realizou a compra minoritária de 35% de duas concessões para exploração de petróleo e gás natural em terra em regiões do Nordeste do Brasil, sem valores anunciados;

• O grupo britânico de refrigerantes Britvic realizou a aquisição da fabricante brasileira de sucos Bela Ischia Alimentos, sediada em Minas Gerais, pelo valor de R$ 218 milhões;

• A empresa Braskem, do segmento de petroquímica realizou a aquisição de 63,7% participação da Cetrel, anteriormente da Odebrecht Utilities, pelo valor de R$ 610 milhões;

• O grupo italiano Luxottica, dona de marcas como Ray-ban e Oakley realizou a aquisição da rede brasileira Óticas Carol, do mercado brasileiro de óculos, pelo valor de 110 milhões de euros;

• A BM&F Bovespa realizou a compra minoritária de 8,59% na Bolsa de Valores de Lima (BVL), pelo valor de R$ 49

milhões.

Transações selecionadas de janeiro 2017

12 Janeiro 2017

(13)

Aquisição de participações controladoras são aquelas em que o comprador obtém, na transação, o controle da empresa. Enquadram-se nesta categoria as transações de compra de 100% das ações, de uma

participação majoritária (maior do que 50%, mesmo que por apenas uma ação), participações adicionais que

transferem o controle para o comprador (por exemplo, um acionista que já possui 30% ao comprar uma participação adicional de 21%), ou qualquer outra transação em que fique explícito que o controle foi transferido para o comprador.

Compra de participações não-controladoras são aquelas em que o controle da empresa não é transferido junto com as ações - tipicamente, são transações menores do que 50% do capital.

Joint venture caracteriza-se por ser um empreendimento de dois ou mais sócios em uma nova empresa, sendo que os sócios continuam a existir com suas operações

independentes. É diferente de um acordo comercial (uma representação, por exemplo), em que não existe a criação de uma nova empresa.

Fusão é quando duas empresas juntam suas operações e deixam de existir isoladamente, dando origem a uma terceira nova empresa.

Incorporação acontece quando uma empresa absorve as operações de outra, que deixa de existir.

Cisão é o tipo de transação em que uma empresa é dividida, surgindo daí uma outra empresa. É caso das empresas que querem separar os negócios em unidades independentes.

Definições aplicadas neste relatório na categorização de uma transação

13 Janeiro 2017

(14)

.

© 2016 PricewaterhouseCoopers. Todos os direitos reservados. “PwC” refere-se ao network de firmas membros da PwC International Limited, cada uma constituindo uma pessoa jurídica separada e independente.

Rogério Gollo

rogerio.gollo@pwc.com 11 3674 2435

Alessandro Ribeiro

alessandro.ribeiro@pwc.com 11 3674 2593

Leonardo Dell’Oso

leonardo.delloso@pwc.com 11 3674 2209

Humberto Tognelli

humberto.tognelli@pwc.com

11 3674 2593

Imagem

Referências

temas relacionados :