• Nenhum resultado encontrado

Gestão Financeira. Caixa e Fluxo de Caixa. Diálogo Empresarial. Manual do Participante

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Gestão Financeira. Caixa e Fluxo de Caixa. Diálogo Empresarial. Manual do Participante"

Copied!
24
0
0

Texto

(1)

Manual do Participante

Diálogo Empresarial

(2)
(3)

MANUAL DO PARTICIPANTE

GESTÃO FINANCEIRA

CAIxA E FLUxO DE CAIxA

DIÁLOGOS EMPRESARIAIS

(4)

2013. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Microempresas – Sebrae TodoS oS direiToS reServAdoS

A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei 9.610).

Informações e Contatos

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae

Unidade de Capacitação empresarial SGAS 604/605, Asa Sul CeP 70200-904, Brasília (dF). Fone (61) 3348 7230 – Fax (61) 3347 4938 www.sebrae.com.br.

SEBrAE NACIONAL

UNIDADE DE CAPACITAÇÃO EMPrESArIAL Presidente do Conselho Deliberativo Nacional

roberto Simões

Diretor-Presidente

Luiz eduardo Pereira Barretto Filho

Diretor Administrativo Financeiro

José Claudio dos Santos

Diretor-Técnico

Carlos Alberto dos Santos

Gerente da Unidade de Capacitação Empresarial

Mirela Malvestiti

Coordenação Nacional

Fernanda vernieri vivacqua da Costa Ferreira daniela Cristina Mendes Batista

Consultor Conteudista

João Baptista Alves dos Santos

Acompanhamento Educacional

Noelma Silva

Editoração Eletrônica

(5)

APRESENTAÇÃO ... 6 ATIVIDADE DE ABERTURA ... 9 ATIVIDADE 1 – CAIxA E FLUxO DE CAIxA: FERRAMENTAS

DE CONTROLE FINANCEIRO ... 11 ATIVIDADE 2 – PLANEJAMENTO A PARTIR DO FLUxO DE CAIxA ... 14 ATIVIDADE 3 – TOMANDO DECISÕES A PARTIR DA ANÁLISE

DO FLUxO DE CAIxA ... 17 ATIVIDADE DE ENCERRAMENTO ... 20 REFERÊNCIAS ... 22

(6)

Manual do P art ticipante 6

APRESENTAÇÃO

Caro(a) Participante,

O principal ativo de uma empresa não se expressa unicamente pelo volume do seu caixa ou tamanho do seu patrimônio, mas também pelo seu capital intelectual. As em-presas crescem em torno da qualidade das pessoas que nela trabalham. E a qualidade está alicerçada em uma palavra chave, que é o motivo essencial pelo qual você está aqui: o conhecimento.

As organizações estão descobrindo que o aprendizado coletivo é uma forma eficaz de aprimorar a capacidade de criar os resultados que desejam por meio do compartilha-mento de experiências e aprendizados com as outras organizações, formando parce-rias e somando conhecimentos.

Os Diálogos Empresariais têm por objetivo:

• O aprofundamento do conteúdo abordado, no Curso de Planejamento Estratégico, sobre Missão, Visão e Valores, de forma interativa, dialogada, crítica, reflexiva e pragmática;

• Estimular o intercâmbio de experiências dos participantes para a criação de si-nergia que conduza à descoberta de novas e adaptáveis soluções para velhos e recorrentes problemas, diagnosticados nas empresas, sobre o tema Missão, Visão e Valores;

• Propiciar ambiente de aprendizagem onde os participantes possam identificar so-luções inovadoras que sirvam de exemplo de “boas práticas” e “benchmark”, para compartilhamento mútuo sobre o tema Missão, Visão e Valores;

• Oportunizar ambiente de relações interpessoais favorável à geração de negócios, parcerias empresariais e redes de conhecimento, e, também, familiarização dos participantes com outras soluções educacionais do Sebrae.

(7)

Manual do P

art

ticipante

7

Muitas vezes dividir é somar, e experiências diversificadas vividas por outros empre-sários podem indicar soluções adequadas a serem aplicadas em seu próprio negócio. Sabemos que empresas diferentes, com históricos diferentes, em estágios de matu-ridade distintos, possuem frequentemente experiências complementares e importan-tes soluções para trocarem entre si.

Compartilhe também seu conhecimento!

CARGA HORÁRIA 2h30. ROTEIRO DE ATIVIDADES Atividade de Abertura • Tempo 15 minutos; • Exposição Dialogada.

Atividade 1 – Caixa e Fluxo de Caixa: ferramentas de controle financeiro

• Tempo 35 minutos;

• Atividade em grupo no formato de diálogo empresarial sobre o conteúdo de apro-fundamento.

Atividade 2 – Planejamento a partir do Fluxo de Caixa

• Tempo 35 minutos;

• Atividade em grupo no formato de diálogo empresarial sobre o conteúdo de apro-fundamento.

Intervalo para Coffee-break

(8)

Manual do P

art

ticipante

8

Atividade 3 – Tomando decisões a partir do Fluxo de Caixa

• Tempo 35 minutos;

• Atividade em grupo no formato de diálogo empresarial sobre o conteúdo de apro-fundamento.

Encerramento do Diálogo Empresarial

• Tempo 15 minutos; • Vídeo Na Medida;

(9)

Manual do P

art

ticipante

9

(10)

Manual do P

art

ticipante

10

TEMA DO DIÁLOGO

(11)

Manual do P

art

ticipante

11

ATIVIDADE 1 – CAIXA E FLUXO DE CAIXA:

FERRAMENTAS DE CONTROLE FINANCEIRO

Neste vídeo pode ser conhecida a experiência de uma empresária do ramo de varejo que adotou o Fluxo de Caixa em sua empresa. Ela detalha as mudanças ocorridas com a utilização desta ferramenta na gestão da sua empresa.

Apesar de não haver dúvida sobre a importância da utilização desta ferramenta na ges-tão financeira de uma empresa, trata-se de uma ferramenta que muitas vezes é até subutilizada. Talvez por desconhecimento do gestor sobre o que fazer com as várias informações contidas neste registro.

É evidente segundo o relato da empresária as mudanças ocorridas com a implemen-tação desta ferramenta.

(12)

Manual do P

art

ticipante

12

Diante disso perguntamos:

Algumas perguntas para verificar como é possível projetar o futuro financeiro da em-presa a partir do Caixa e Fluxo de Caixa.

• Qual a diferença entre Caixa e Fluxo de Caixa?

• Como deve ser a rotina de preenchimento do Livro Caixa e do Fluxo de Caixa? • Como o empresário deve proceder para separar e controlar o dinheiro do caixa da

empresa e o dinheiro da conta pessoal?

• Como a empresa deve proceder, para unificar os dados contidos nos controles de caixa, nas contas a pagar, nas contas a receber, no extrato bancário e ainda auxiliar na complementação do fluxo de caixa, para melhor gerir financeiramente a empresa?

(13)

Manual do P

art

ticipante

13

• Qual a interpretação do empresário sobre os saldos e valores apresentados no fluxo de caixa?

• Como o fluxo de caixa possibilita ao empresário visualizar a situação financeira atu-al e projetada da empresa?

Alguns pontos de atenção!

• Disciplina e organização no preenchimento diário dos controles das ferramentas que alimentam o Caixa e o Fluxo de Caixa;

• Se possível busca de auxílio na Tecnologia da Informação (software), para interação dos dados diários do Caixa, Contas a Pagar, Contas a Receber, Extratos Bancários e Vendas;

• Controle dos gastos pessoais e da retirada do pró-labore do caixa da empresa, evi-tando assim que se misturem as despesas pessoais dos sócios com as despesas da empresa.

(14)

Manual do P

art

ticipante

14

ATIVIDADE 2 – PLANEJAMENTO A PARTIR

DO FLUXO DE CAIXA

Nesta entrevista, um consultor e um empresário relatam seus conhecimentos e expe-riências da utilização do fluxo de caixa frente ao planejamento de uma empresa.

Ressaltamos abaixo a frase do empresário, extraída do vídeo, sobre o que efetivamen-te define a gestão financeira eficaz de uma empresa.

(15)

Manual do P

art

ticipante

15

(16)

Manual do P

art

ticipante

16

Algumas perguntas para refletir sobre a importância do Fluxo de Caixa no Planejamen-to de uma Empresa.

• Que elementos ou dados são fundamentais para fazer o planejamento de uma empresa?

• É possível visualiza no fluxo de caixa as melhores datas para realizar os negócios para sua empresa? Como?

• Como o fluxo de caixa pode auxiliar a conhecer a realidade financeira da sua em-presa?

• Como o fluxo de caixa pode ajudar a identificar quais são os produtos de melhores vendas e como são seus clientes?

• Como o Fluxo de Caixa pode auxiliar a identificar as melhores datas e para o paga-mento de fornecedores?

• Como o Fluxo de Caixa pode auxiliar na identificação da sazonalidade do seu ne-gócio?

• Como o Fluxo de Caixa pode auxiliar a encontrar o que dá mais lucro e saber como devem ser feitos os pagamentos (à vista, à prazo, com cartão).

Alguns pontos de atenção!

• A convicção de que o fluxo de caixa nos possibilita visualizar a sazonalidade de nosso negócio, os períodos de caixa negativo e as melhores datas para se realizar compras e pagamentos aos fornecedores;

• O fluxo de caixa nos indica o comportamento de nosso cliente, em termos de com-pras, de modalidade de pagamento e pontualidade;

(17)

Manual do P

art

ticipante

17

ATIVIDADE 3 – TOMANDO DECISÕES A PARTIR

DA ANÁLISE DO FLUXO DE CAIXA

A atividade é ilustrada com um vídeo de humor sobre as conseqüências de uma atitu-de precipitada.

Este vídeo ilustra perfeitamente que a decisão tomada foi precipitada. E você, na sua empresa, como faz para não tomar decisões precipitadas?

(18)

Manual do P

art

ticipante

18

O fluxo de caixa possibilita não apenas conhecimento sobre as entradas e saídas, mas demonstra principalmente a situação financeira na qual se encontra uma empresa. • Algumas perguntas para refletir sobre a importância de tomar decisões a partir do

fluxo de caixa da empresa.

• Por que o fluxo de caixa é um dos instrumentos capazes de evitar ações inconse-quentes como a registrada vídeo?

• Como utilizar o Fluxo de Caixa na tomada de decisões?

• Como estabelecer metas de crescimento a partir do fluxo de caixa?

• Como a análise do fluxo contribui para definir sobre novos investimentos?

• A análise periódica do fluxo de caixa permite ao empresário tomar que tipo de de-cisões?

(19)

Manual do P

art

ticipante

19

• Podemos estabelecer metas de crescimento real em vendas, compras, despesas e lucro através do fluxo de caixa?

Alguns pontos de atenção!

• Estas ferramentas nos permitem vislumbrar as possibilidades de crescimento da empresa, em termos de resultados, vendas e investimentos;

• Auxilia no controle do capital de giro necessário a manter o caixa da empresa e pode determinar a necessidade de busca junto a agentes externos.

(20)

Manual do P

art

ticipante

20

ATIVIDADE DE ENCERRAMENTO

Conheça as oportunidades e soluções em gestão para as microempresas de um pro-jeto que foi desenhado Na Medida para você.

Acesso o site do Sebrae e o do Na Medida e continue melhorando sua empresa. www.sebrae.com.br/namedida.

(21)

Manual do P

art

ticipante

(22)

Manual do P

art

ticipante

22

REFERÊNCIAS

ASSEF, Robert. Guia Prático de Administração Financeira: pequenas e médias

em-presas. Rio de Janeiro: Ed. Qualitymark. 1999. (Bibliografia básica).

ZDANOWICZ, José Eduardo. Fluxo de Caixa Uma decisão de Planejamento e

con-trole financeiro. Porto Alegre: Editora Sagra Luzzatto, 2000. InTERnET

Vídeo: Reportagem do programa “Direto ao ponto” do Sebrae SP que relata o

caso da Ana Luíza sobre as mudanças obtidas com o uso do fluxo de caixa em sua empresa. Publicado em: http://www.youtube.com/watch?v=KmSk7iOBRYg,

2:52 minutos.

Vídeo: Entrevista com empresário e consultor do Sebrae sobre a importância do

Fluxo de Caixa no planejamento da empresa – acessado em 12/10/2012 –

disponi-bilizado em: http://www.youtube.com/watch?v=OVBQqdGrS2Q&feature=relmfu, 0 a 3m54s

Vídeo: Entrevista com empresário e consultor do Sebrae sobre a importância do

Fluxo de Caixa no planejamento da empresa

Vídeo: Tomando decisões precipitadas – acesso em 08/10/2012.disponibilizado em: http://www.youtube.com/watch?v=C0RdX3BacWA&feature=related, 1:05

(23)
(24)

Referências

Documentos relacionados

Para Hoji (2004), o sistema de tesouraria compreende o registro dos fluxos financeiros da organização. Permite gerir contas-correntes, efetuar pagamentos e recebimentos,

Para Gitman (2010), o ponto central da administração financeira é o planejamento, pois é quando se avaliam as necessidades presentes e futuras de numerário, os

Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Universidade Federal da Paraíba. Adoção de tecnologia de informação e seu impacto no desempenho organizacional: um estudo

Com esta parceria pretende-se demonstrar a importância da inclusão da aprendizagem da forma de construir e de tocar a Viola Campaniça, nas aulas de Educação Tecnológica

O primeiro passo para a elaboração de um fluxo de caixa é definir um plano de contas da tesouraria, o qual nada mais é do que organizar os tópicos (contas) alinhados

3.1. O concurso consiste na criação de uma família de marcas para a Coordenadoria de Design e seus respectivos cursos, Bacharelado em Design, Técnico em Comunicação Visual e Técnico

[r]

O presente artigo pretende, a partir da análise de três documentários cuja narrativa é a trajetória de Carlos Marighella, produzidos no período de pouco mais de