Candida albicans

Top PDF Candida albicans:

Combinação de técnicas fenotípicas para distinguir Candida albicans de Candida dubliniensis e uma investigação dos mecanismos de resistência a derivados azólicos em isolados de Candida albicans de origem animal

Combinação de técnicas fenotípicas para distinguir Candida albicans de Candida dubliniensis e uma investigação dos mecanismos de resistência a derivados azólicos em isolados de Candida albicans de origem animal

Candida albicans resistentes a derivados azólicos tem sido descritos na prática clínica humana e em cepas de origem veterinária. O presente estudo teve como objetivo reabordar a identificação laboratorial de isolados veterinários de C. albicans resistentes a derivados azólicos, propondo combinação de métodos fenotípicos para distinguir as espécies crípticas C. albicans e Candida dubliniensis . Ademais, almejou-se investigar os mecanismos de resistência das cepas estudadas. Para tanto, trinta e sete cepas veterinárias de C. albicans resistentes a derivados azólicos e três cepas humanas de C. dubliniensis foram submetidas à identificação fenotípica por prova do tubo germinativo, microcultivo em ágar cornmeal, semeadura em ágar cromogênico, semeadura em ágar semente de girassol, prova de opacificação em ágar Tween 80 ™ e reação em cadeia da polimerase (PCR). Para estudos de resistência, cepas de C. albicans foram estudadas com testes de efluxo de rodamina 6G (n = 11), determinação do conteúdo de ergosterol (n = 6) e testes de expressão dos genes CDR1, CDR2, MDR1 e ERG11 (n = 30). As cepas estudadas apresentaram prova do tubo germinativo positiva e produção de clamidoconídios em ágar cornmeal . Trinta e cinco cepas (35/37) apresentaram coloração verde em ágar cromogênico. Em ágar semente de girassol, 36 cepas (36/37) apresentaram padrão de colônia lisa, e no ágar Tween 80 ™, 34 (34/37) apresentaram opacificação em menos de 5 dias. Todas as cepas testadas apresentaram produto específico na PCR, sendo confirmadas como C. albicans . As cepas de C. dubliniensis apresentaram colônias de coloração verde no ChromoAgar Candida ™, aspecto rugoso no ágar girassol, não opacificaram o meio em ágar Tween 80™ em até 12 dias
Mostrar mais

79 Ler mais

Avaliação da viabilidade celular de Candida albicans frente à ação antifúngica do timol

Avaliação da viabilidade celular de Candida albicans frente à ação antifúngica do timol

Candida albicans é um importante agente patogênico dos seres humanos. Um fator crucial para isto é a sua capacidade e versatilidade de sobreviver como um microrganismo comensal em locais anatomicamente distintos. Esta capacidade significa que o espectro de doenças causadas por C. albicans é superior ao da maioria dos outros microrganismos comensais. À semelhança de outros patógenos, a virulência de C. albicans inclui o reconhecimento e ligação com proteínas celulares das células hospedeiras, e ainda, ligação com microrganismos competidores (co-agregação). Intuitivamente, a invasão de C. albicans aos tecidos é facilitada por meio da transição entre células na forma de levedura e o crescimento filamentoso. A morfogênese refere- se à transição entre as células leveduriformes unicelulares a uma forma de crescimento filamentosa, quer seja através do crescimento de hifas como de pseudohifas. De todas as espécies de Candida, apenas C. albicans e Candida dubliniensis apresentam ambos os tipos de crescimento filamentoso. Assim, estas espécies são capazes de crescer isotropicamente (levedura) ou apicalmente (hifas e pseudohifas), e são mais propriamente definidas como polimórficas em seus padrões de crescimento (CALDERONI; FONZI; 2001).
Mostrar mais

69 Ler mais

Imunossenescência e Candida albicans: avaliação da capacidade fagocítica e produção...

Imunossenescência e Candida albicans: avaliação da capacidade fagocítica e produção...

Caro voluntário, estarei desenvolvendo o projeto “Imunossenescência e macrófagos: avaliação da atividade microbicida em resposta a Candida albicans ” que tem por objetivo analisar os mecanismos de defesa das células do sangue de idosos saudáveis frente ao fungo Candida albicans. Para isso, necessitaremos de amostras de sangue para o grupo alvo (acima de 60 anos de idade) e para o grupo controle (entre 18 e 50 anos de idade) de voluntários saudáveis. Os indivíduos que aceitarem participar da pesquisa responderão a um questionário, no qual serão registrados os dados sobre sua história médica. Este formulário ajudará a identificar voluntários saudáveis para a pesquisa. A coleta de sangue será realizada uma única vez pela farmacêutica, especialista em Análises Clínicas, Rafaela Alves da Silva Alavarce, no Centro Integrado de Pesquisa – CIP – da Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo. Os riscos e o desconforto da coleta de sangue são mínimos e de total responsabilidade da pesquisadora responsável pelo projeto. O indivíduo poderá sentir uma leve ardência durante a coleta e posteriormente pode ser que apareça um pequeno hematoma (coloração arroxeada) no local onde houve a entrada da agulha. A coleta de sangue é a mesma que se realiza em laboratório de análises clínicas, sendo muito segura. O material colhido e seus derivados serão descartados após o término da pesquisa. O voluntário tem o direito à indenização por danos decorrentes de sua participação na pesquisa. Este trabalho pretende melhorar o entendimento do comportamento das células do sistema imunológico do idoso, neste caso macrófagos, frente ao estímulo nocivo Candida albicans, podendo assim contribuir para o melhor tratamento das diferentes doenças associada a este microrganismo. Caso não queira participar da pesquisa, esclareço que o tratamento odontológico oferecido pela faculdade ocorrerá da mesma maneira, sem qualquer prejuízo.
Mostrar mais

131 Ler mais

Lactobacillus rhamnosus pode alterar a virulência de Candida albicans.

Lactobacillus rhamnosus pode alterar a virulência de Candida albicans.

PURPOSE: To investigate the inluence of Lactobacillus rhamnosus in the expression of virulence factors of Candida albicans in vitro. METHODS: A suspension of L. rhamnosus was initially grown in MRS agar. The other day, Sabouraud dextrose agar was added on the growth of lactobacilli and C. albicans was seeded for 24, 48 and 72 hours. Candida strains were then isolated for investigation of the ability of bioilm formation, by means of cultivation into 96 wells plaque, and reading the optical densities and counting colony forming units per mL. Also the ability of germ tube formation was investigated, after incubation in horse serum and counting of 200 cells. The results were compared to Candida strains grown in the absence of L. rhamnosus, using Student’s t test for statistical analysis. RESULTS: there was a signiicant reduction in the growth of C. albicans in the presence of lactobacilli after 24, 48 or 72 hours. Signiicant reduction was also observed in germ tube formation after interaction for 48 or 72 hours. For bioilm formation, no statistically signiicant difference was observed between the Candida strains grown in the presence or absence of lactobacilli. CONCLUSION: The results suggest that L. rhamnosus is able to inluence signiicantly the growth and expression of virulence factors of C. albicans in vitro, and may interfere with pathogenicity of these micro-organisms.
Mostrar mais

4 Ler mais

Caracterização funcional dos genes PGA13 e PGA58 de Candida albicans

Caracterização funcional dos genes PGA13 e PGA58 de Candida albicans

The incidence of opportunistic fungal infections in immunocompromised patients has increased in the last years. Candida albicans is the most commonly isolate in immunocompromised patients. C. albicans may grow in distinct morphologies: yeast, pseudohyphal and true hyphal. The switch between yeast and filamentous forms is strongly associated with virulence. During the transition, hyphal-specific genes are expressed and many of these genes encode glycophosphatidylinositol (GPI)- anchored proteins. The majority (66%) of predited GPI proteins has unknown functions. The purpose of this work was to functionally characterize the novel PGA13 and PGA58 genes. To accomplish this task, we have made in silico promoter analysis, mRNA differential expression analysis under some environmental conditions. We have also verified whether those genes are regulated by Tup1 and Efg1 transcriptional regulators. We have knocked out PGA13 and have done phenotypic analysis of the resulting PGA13 null mutant strain and a Pga13 overexpressing strain.
Mostrar mais

82 Ler mais

The impact of carbon source in Candida albicans virulence: participation of RLM1 in pathogen host interaction

The impact of carbon source in Candida albicans virulence: participation of RLM1 in pathogen host interaction

Candida albicans ∆rlm1/∆rlm1 mutant displayed phenotypes associated to cell wall deficiency such as, hypersensitivity to Congo red, caspofungin in glucose- and lactate- grown cells. However the RLM1 mutants were slight more resistant to Congo Red when grown in lactate. On the other hand lactate-grown cells were not able to growth al all in the presence of SDS and presented sensitivity to caffeine, in comparison with glucose-grown cells. The increased transcription of genes already reported to be involved in cell adhesion correlated well with adhesion and biofilm assays, in which RLM1 mutant presented greater biofilm formation than WT in both growth condition. However cell adapted to lactate adhered more and biofilm formation was more pronounced. The host-pathogen interaction was accessed by co-incubation with murine macrophages-like cell line (J774). In general, lactate-grown cells were less efficiently killed in comparison to glucose-grown cells. However the mutant presented distinct behaviors, they were more resistant when adapted to glucose than to lactate. The TNF-α and IL-10 were lower in response to Δrlm1/Δrlm1 mutant and the cellular toxicity, measured as extracellular lactate dehydrogenase activity, was significantly lower in comparison with the WT and complemented strains in glucose-grown cells. The effect observed before was reverted when C. albicans cells were grown on lactate.
Mostrar mais

109 Ler mais

Yeasts: Candida albicans ATCC 90028 reference strain

Yeasts: Candida albicans ATCC 90028 reference strain

mutants are known to be avirulent in infections (13,24). C. albicans extracellular proteolytic activity due to secreted aspartic proteases has been purposed as putative virulence factor during the tissue invasion process by hyphal cells. Felk et al., 2002 (4) showed that strains that produced hyphal cells but lacked hyphal-associated proteases were less invasive. Thus the hyphal morphology per si seems not make the fungus invasive (13). Several studies (5,6,8,27) showed inhibitory effects of Indinavir and Ritonavir on the yeast growth of Candida albicans. They established that a particularly virulent form of C. albicans associated with HIV infection produces a secretory aspartyl protease. This protease is inhibited by the HIV protease inhibitors. Using an experimental mouse model of vaginal candidosis, De Bernardis et al., 1999 (8) demonstrated that the PIs had a therapeutic efficacy comparable to that of fluconazole.
Mostrar mais

5 Ler mais

Efeito de antifúngicos em suspensões e biofilmes de Candida albicans e Candida dubliniensis

Efeito de antifúngicos em suspensões e biofilmes de Candida albicans e Candida dubliniensis

Yeasts are responsible for the most opportunistic fungal infections in humans. Over the years, there has been an increase in the incidence of candidosis in immunocompromised individuals. Although Candida albicans is the most important etiological agent responsible for these infections, the frequency of infections caused by non-Candida albicans species is increasing. Candida dubliniensis is one of the species recently identified, and has been mismatched with Candida albicans. Since Candida dubliniensis is most often associated with recurrent episodes of disease in HIV-infected individuals it has been suggested that the recent emergence as a human pathogen may have resulted from selection due to the widespread use of antifungal drug therapy. A variety of manifestations of Candida infections are associated with the formation of biofilms on the surface of biomaterials. Cells in biofilms display phenotypic traits that are dramatically different from their free-floating planktonic counterparts, such as increased resistance to anti-microbial agents and protection from host defences.
Mostrar mais

85 Ler mais

Avaliação da terapia fotodinâmica em candida albicans in vitro e in vivo

Avaliação da terapia fotodinâmica em candida albicans in vitro e in vivo

The aims of the present study were evaluate the antifungal action of Photodynamic Therapy (PDT) on Candida albicans planktonic cultures and biofilms formed in vitro and experimental candidosis model in mice, as well as its interference on C. albicans adherence on humans buccal epithelial cells in vitro. Standard strain of C. albicans (ATCC 18804) was used for assays. Green Light Emitting Diode (LED- 532 ± 10 nm) was used as light source with an output power of 90 mW and erythrosine photosensitizer at concentrations range from 200 to 0.39 µM for the assays on plaktonic cultures. The biofilm was formed on plates of 96- wells and treated with the erythrosine photosensitizer at a concentration of 400 µM and LED light. 56 adults and males mice were immunosuppressed and inoculated with suspensions containing 10 8 cells/ mL of C. albicans. The animals were submitted to erythrosine dye- mediated PDT (400 µM) and irradiated by LED. Before and after the treatments, yeasts from the animals´ oral cavities were recovered. The yeasts recovered after PDT and control group were evaluated for interference of PDT on C. albicans adherence to humans buccal epithelial cells. Following, the animals were sacrified and their tongues taken away for macroscopic and histological analysis. The biofilms, tongues and adherence slices were also analized by Scanning Electron Microscopy (SEM). The analysis of the dates were done by ANOVA and Tukey test, Student t test and Kruskal-Wallis (P < 0.05). PDT applied on C. albicans planktonic culture was concentration- dependent with significant reduction from minor concentration tested (0.39 µM) and 100% of cells death from 3.12 µM. C. albicans biofilm formed in vitro was reduced 0.74 log 10 by PDT with reduction of yeasts and hyphaes
Mostrar mais

123 Ler mais

Diferenciação de cepas de Candida albicans pelo sistema killer.

Diferenciação de cepas de Candida albicans pelo sistema killer.

Foi estudado o efeito killer de 9 cepas padrão de lev eduras so bre 1 4 6 amo stras de Candida albicans isoladas dos seguintes espécimes clínico s: muco sa bucal, fez es, lav ado brô nquico , escarro , secreção v aginal, urina, lesão de pele, lesão de unha e sangue. Usando este sistema fo i possível diferenciar 2 3 biotipos de C. albicans. Os biotipos 211, 111 e 8 1 1 fo ram os mais freqüent em ent e isolados. A maio ria das amo stras de C. albicans (98,6% ) fo i sensível a pelo meno s um a o u mais das 9 cepas killer. Empregando - se este sistema fo i possível demo?zstmr que 2 pacientes albergav am mesmo biotipo killer, respectivamente, 111 e 211, em diferentes espécimes clínicos, e em o utro paciente, o mesmo biotipo (2 1 1 ) fo i isolado de hemo culturas realizadas em o casiões distintas. O uso do sistema killer p ara diferenciar os tipos entre as espécies de lev eduras pato gênicas, p o de s er um méto do útil p ara estabelecer a ev entual fo nt e de infecção , co nstituindo um a ajuda valiosa p ara o co ntro le e v igilância de infecçõ es no soco miais causadas p o r lev eduras.
Mostrar mais

4 Ler mais

Endoftalmite por Candida albicans.

Endoftalmite por Candida albicans.

Os métodos clássicos para detecção e identificação de leveduras do gênero Candida e da espécie Candida albicans são divididos em métodos para visualização e recuperação fúngica e testes para identificação de leveduras. A visualiza- ção do fungo é possível através do uso de técnicas de colora- ção específicas, nas quais a levedura pode ser identificada por observação microscópica direta. Dentre os corantes usados destacam-se: Gram, Giemsa, prata Gomori, hidróxido de potás- sio, branco calcoflúor, entre outros. Estes fungos crescem rapidamente em quase todos os meios de cultura, mas o ágar Sabouraud com ciclohexamida em temperatura ambiente e o meio BHI (brain heart infusion) a 36 graus são os mais reco- mendados quando o organismo é clinicamente suspeito. Na ausência dos meios apropriados, o material pode ser direta- mente inoculado em frascos com ágar sangue. Colônias esbran- quiçadas aparecem em 24 a 48 horas após a inoculação (43) .
Mostrar mais

7 Ler mais

Detecção de antígeno circulante nas candidemias: diagnóstico de candidemia em pacientes de UTI pela detecção da molécula de 65 kDa de Candida albicans através da técnica de ELISA de inibição

Detecção de antígeno circulante nas candidemias: diagnóstico de candidemia em pacientes de UTI pela detecção da molécula de 65 kDa de Candida albicans através da técnica de ELISA de inibição

As espécies de Candida têm sido os agentes das causas mais comuns de infecções da circulação sanguínea nosocomial (Banerjee et al., 1991). O aumento das infecções fúngicas pode ser atribuído a vários fatores como regime terapêutico imunosupressivo, longo período de uso de catéteres, uso de antibióticos de amplo espectro de ação e a sobrevida longa de indivíduos imunocomprometidos. No Brasil, Colombo et al. (2006) realizaram estudo epidemiológico de candidemia em onze centros médicos brasileiros, detectando 712 casos de candidemia com uma incidência de 2,49 casos por 1000 admissões por dia, um valor elevado quando comparado a dados de outros países. Das espécies de Candida isoladas por hemoculura Candida albicans foi a espécie mais comum com 40,9% dos casos, seguida por C. tropicalis (20,9%) e C. parapsilosis (20,5%). Nos Estados Unidos e Europa, C. glabrata vem em segundo lugar como a espécie mais incidente (respectivamente, 18,3% e 13,6%), seguida por C. parapsilosis (respectivamente, 13,2% e 13,3%) (Pfaller et al., 2004; Tortorano et al., 2004). Geralmente, 40 a 60% dos pacientes que desenvolvem candidemia morrem durante a internação na qual houve a fungemia, sendo a alta mortalidade decorrência, particularmente, do diagnóstico tardio, gravidade da infecção e estado geral do paciente (Wenzel, 1995; Wey et al., 1988).
Mostrar mais

124 Ler mais

Efeito da irradiação com microondas sobre células de Candida albicans

Efeito da irradiação com microondas sobre células de Candida albicans

somente a padronização da obtenção, mas também dos tratamentos dados aos corpos-de-prova. Metade de cada uma das hemifaces dos corpos-de-prova foi polimerizada em contato com uma lâmina de vidro e não recebeu acabamento (superfície lisa - controle) e a outra metade foi submetida a acabamento (superfície rugosa). O acabamento da resina de base foi realizado com fresa de aço e o dos materiais reembasadores, com lixas de carbeto de silício. As colônias com e sem transformação fenotípica foram obtidas a partir de cepas padrão de C. albicans e incubadas por 18 a 20 horas em caldo nutriente. Em seguida, uma suspensão celular (10 7 org/ml) foi incubada durante uma hora em placas de orifícios contendo os pares de corpos-de-prova unidos. Após a remoção das placas, os corpos-de- prova foram enxaguados, secos, montados em lâminas de vidro e corados. As leveduras e hifas aderidas foram contadas microscopicamente pela técnica de amostra estratificada. Os resultados para a aderência de leveduras demonstraram que não houve diferença estatisticamente significante na aderência dos dois tipos de C. albicans (com ou sem transformação fenotípica). Foi observada menor aderência desses microrganismos à resina acrílica do que aos materiais reembasadores e a aderência às superfícies lisas foi menor do que às superfícies rugosas. A aderência à resina acrílica de base foi menor do que aos materiais reembasadores. O número de leveduras aderidas aos materiais foi superior ao número de hifas, tendo sido a contagem dessas últimas, realizada em maior aumento do microscópio. Para as hifas, foi observada maior aderência de C. albicans com transformação fenotípica, mas não houve diferença significativa de aderência entre os materiais. Os autores concluíram que a rugosidade de superfície promoveu a adesão e que a capacidade de transformação fenotípica dos microrganismos não influenciou na aderência das leveduras mas, sim, na aderência de hifas.
Mostrar mais

151 Ler mais

Avaliação da variabilidade fenotípica e molecular de isolados de 'Candida albicans'...

Avaliação da variabilidade fenotípica e molecular de isolados de 'Candida albicans'...

Dentre os métodos de tipagem molecular utilizados, destacam-se a eletroforese de enzima multilocus (MLEE), a cariotipagem eletroforética (EK), o DNA polimórfico amplificado ao acaso (RAPD), o polimorfismo do tamanho dos fragmentos de restrição com e sem hibridação (RFLP com e sem hibridação) e a análise com enzima de restrição (REA). Dois outros métodos baseados na reação em cadeia da polimerase (PCR), e mais recentemente utilizados na investigação de isolados, são a tipagem de seqüência multilocus (MLST) e o polimorfismo de comprimento de microssatélite (MLP). Para C. albicans, um sistema de MLST baseado em sete fragmentos de DNA foi desenvolvido com alta acuidade para a tipagem de subtipos. Esses métodos são aplicados em diferentes estudos, e servem de base para a compreensão dos padrões de distribuição e características dos microrganismos (BORIOLLO et al., 2003; BORIOLLO et al., 2006; CAMPANHA et al. 2005; GARCIA- HERMOSO, 2007; OLIVE; BEAN, 1999; SOLL, 2000; TAVANTI et al., 2005; VALÉRIO; WEIKERT-OLIVEIRA; RESENDE, 2006; XU et al., 1999).
Mostrar mais

30 Ler mais

Oxidative stress response to menadione and cumene hydroperoxide in the opportunistic fungal pathogen Candida glabrata

Oxidative stress response to menadione and cumene hydroperoxide in the opportunistic fungal pathogen Candida glabrata

Candida glabrata is an opportunistic fungal pathogen that can cause severe invasive infections and can evade phagocytic cell clearance. We are interested in understanding the virulence of this fungal pathogen, in particular its oxidative stress response. Here we investigated C. glabrata, Saccharomyces cerevisiae and Candida albicans responses to two different oxidants: menadione and cumene hydroperoxide (CHP). In log-phase, in the presence of menadione, C. glabrata requires Cta1p (catalase), while in a stationary phase (SP), Cta1p is dispensable. In addition, C. glabrata is less resistant to menadione than C. albicans in SP. The S. cerevisiae laboratory reference strain is less resistant to menadione than C. glabrata and C. albicans; however S. cerevisiae clinical isolates (CIs) are more resistant than the lab reference strain. Furthermore, S. cerevisiae CIs showed an increased catalase activity. Inter- estingly, in SP C. glabrata and S. cerevisiae are more resistant to CHP than C. albicans and Cta1p plays no apparent role in detoxifying this oxidant.
Mostrar mais

6 Ler mais

Rev. Soc. Bras. Med. Trop.  vol.31 número6

Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.31 número6

Foram estudadas 120 amostras de secreção vaginal coletadas de mulheres com suspeita clínica de candidíase na cidade de Goiânia, GO, identificando-se 57 (47,5%) Candida albicans, 4 (3,3%) Candida krusei e 2 (1,7%) Candida tropicalis. As características morfofisiológicas das leveduras analisadas mostraram células arredondadas e ovais com brotamento unipolar e multipolar e a formação de tubos germinativos em soro fetal bovino. No microcultivo, em ágar c orn-meal acrescido de tween 80, foram observados pseudomicélios, blastósporos e clamidósporos em cepas de Candida albicans. Em caldo Sabouraud dextrose, presenciou-se a formação de resíduo e sedimento. As colônias g i g a n t e s d e C a n d i d a a p r e s e n t a r a m - s e branco-amareladas, opacas e lobuladas. Topograficamente, notou-se colônias de centro e periferia lisa, rugosa e franjada. A assimilação e fermentação de açúcares ocorreram de acordo com cada espécie de Candida. A produção de proteinase foi detectada em todas amostras de leveduras analisadas e de fosfolipase apenas em Candida albicans. Na análise fenotípica das leveduras obteve-se 9 morfotipos (0000, 3220, 5220, 5230, 5240, 5320, 5330, 5530 e 7330) e 3 biotipos (337, 677 e 777) diferentes. As 56 (98,2%) cepas de Candida albicans foram classificadas como sorotipo A. Todas as espécies de Candida apresentaram-se sensíveis à anfotericina B e nistatina. Cand id a alb ic ans mostrou-se sensível ao cetoconazol (35,0%), fluconazol (22,8%) e itraconazol (47,4%). Candida krusei e Candida tropicalis não foram sensíveis, respectivamente, ao fluconazol e cetoconazol. Através do teste "kendall rank correlation" verificou-se a associação entre a produção de exoenzimas pelas cepas de Candida e os resultados dos testes de susceptibilidade in vitro à drogas antifúngicas.
Mostrar mais

1 Ler mais

Fatores de risco associados à colonização por Candida spp em neonatos internados em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal brasileira.

Fatores de risco associados à colonização por Candida spp em neonatos internados em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal brasileira.

investigação, a colonização na região perianal foi alta (68,9%), sendo a Candida albicans a mais prevalente correspondendo a 51,6% das amostras de mucosa perianal. Os fatores de risco relacionados significantemente com a colonização foram: idade gestacional entre 26 e 30 semanas e o uso prévio de antibiótico (P ≤ 0,05), entretanto o extremo baixo peso e o uso de intracath apresentaram Odds ratio igual a 3 e 7,13, respectivamente.

5 Ler mais

Avaliação clínica e micológica de onicomicose em pacientes brasileiros com HIV/AIDS.

Avaliação clínica e micológica de onicomicose em pacientes brasileiros com HIV/AIDS.

Introdução: Onicomicoses são comuns em pacientes imunocomprometidos embora espécies emergentes tenham sido verificadas, modificado o perfil epidemiológico desta micose. Assim, o objetivo desta pesquisa é avaliar o peril clínico e micológico da onicomicose em pacientes com infecção pelo HIV/AIDS. Métodos: Amostras clínicas foram coletadas, processados para exame direto e a cultura mantida a temperatura de 30°C e 37ºC durante 15 dias. Resultados: Dos 100 pacientes, 32 apresentavam onicomicose. Os agentes isolados foram Candida albicans, C. parapsilosis, C. tropicalis, C. guilliermondii, Trichophyton rubrum, T. mentagrophytes, Fusarium solani, Scytalidium hialinum, S. japonicum, Aspergillus niger, Cylindrocarpon destructans e Phialophora reptans. Conclusões: Onicomicoses em HIV/AIDS apresentam variadas manifestações clínicas e podem ser causadas por fungos emergentes. As peculiaridades apresentadas pelos diferentes agentes de origem fúngica justiicam a necessidade de identiicação ao nível da espécie, com a inalidade de orientar uma melhor abordagem terapêutica e minimizar a exposição desses pacientes a condições de risco de uma infecção disseminada.
Mostrar mais

3 Ler mais

Avaliação in vitro da curcumina frente às cepas de Candida spp. e Cryptococcus neo¬formans resistentes ao fluconazol

Avaliação in vitro da curcumina frente às cepas de Candida spp. e Cryptococcus neo¬formans resistentes ao fluconazol

Em relação aos diversos mecanismos de ação descritos para a curcumina, existem evidências de que o DNA é um dos alvos celulares desta molécula (CARMELO et al., 2015). Nossos resultados sugerem que após a exposição à curcumina nas concentrações CIM (8 µg/ml), 2x CIM (16 µg/ml), 4x CIM (32 µg/ml), as células de Candida albicans , apresentaram quebras totais nas cadeias de DNA, onde a fragmentação do DNA nuclear foi evidente no ensaio do cometa. Em um estudo feito por Lu e colaboradores (2009), foi investigado a capacidade da curcumina em promover danos ao DNA em linhagens celulares ganglionares, usando a técnica do cometa. Os respectivos autores verificaram que após 24 e 48 h de incubação na concentração de 10, 25 e 30 µM, o composto curcumina levou a um aumento da migração do DNA. Segundo Ogiwara e colaboradores (2013), a curcumina promove a ruptura da fita dupla do DNA através da inibição da acetilação das histonas no DNA.
Mostrar mais

70 Ler mais

Patrícia M Pinto+ , Maria A Resende, Cristiane Y Koga-Ito, Miriam Tendler

Patrícia M Pinto+ , Maria A Resende, Cristiane Y Koga-Ito, Miriam Tendler

Several reports have described a significant increase in the incidence of systemic candidosis during the last decade (Hazen 1995, Voss et al. 1995, Coleman et al. 1997). The increase of the immune-suppressed population spe- cially related to the human immunodeficiency virus (HIV), organ transplantation, and chemotherapy had dramatically raised the incidence of candidosis (Klein et al. 1984, Odds 1988, Samaranayake & Holmstrup 1989, Odds et al. 1990, Coleman et al. 1993, Pfaller 1995). Oropharingeal candi- dosis, caused mainly by the commensal yeast Candida albicans, is the most frequently occurring opportunistic infection, during acquired immunodeficiency syndrome (AIDS). Up to 90% of individuals infected with the HIV have presented at least one episode of oropharyngeal candidosis during the course of their disease (Klein et al. 1984, Barchiesi et al. 1997). C. albicans is the most patho- genic species of the Candida genus and the most fre- quently associated with candidosis (Odds et al. 1990). Earlier studies on the epidemiology of candidiasis used phenotypic properties to assess strain identity, but these methods lacked resolution power (Merz 1990, Pfaller et al. 1990). With the advent of molecular genetics more power- ful DNA-based typing methods have emerged for clinical and epidemiological analysis (Scher & Stevens 1988,
Mostrar mais

6 Ler mais

Show all 809 documents...