Sede: Avenida do General Humberto Delgado, 182, 3.º esquerdo, Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 9373/

040709; identificação de pessoa colectiva n.º P507034775; inscri-ção n.º 1; número e data da apresentainscri-ção: 51/20040709.

Certifico que foi constituída a sociedade em epígrafe cujo entre Dr.

João Carlos Baranda Moreira da Silva Ribeiro, número de identifica-ção fiscal 177669330 e mulher Dr.ª Cristina da Piedade Cabrita Fernandes Ribeiro, número de identificação fiscal 179213989, casa-dos sob o regime da comunhão de adquiricasa-dos, ela natural da freguesia de Algoz, concelho de Silves, que intervêm por si e ainda na qualidade de representantes legais de seus filhos solteiros, menores: David Fernandes Ribeiro, número de identificação fiscal 242371728, e Maria Inês Fernandes Ribeiro, número de identificação fiscal 247499714.

O outorgante marido e ora representados são naturais da freguesia de Coimbra (Sé Nova), concelho de Coimbra e todos residentes na Avenida de Humberto Delgado, 182, 3.º esquerdo, freguesia, concelho e cidade de Leiria, cujo contrato segue:

ARTIGO 1.º

1 — A sociedade adopta a firma Fernandes Ribeiro, L.da e tem a sua sede na Avenida do General Humberto Delgado, 182, 3.º esquer-do, freguesia, concelho e cidade de Leiria.

2 — A sociedade, por simples deliberação da gerência, poderá des-locar a sede social para outro local dentro do mesmo concelho ou

para concelho limítrofe, e criar agências, delegações, sucursais ou quaisquer outras formas locais de representação, em território nacio-nal ou estrangeiro.

ARTIGO 2.º

A sociedade tem por objecto principal a prestação de serviços médicos nas áreas da gastroenterologia, oftalmologia e realização de exames complementares de diagnóstico, exploração de policlínicas, investimentos imobiliários, compra e venda de imóveis e revenda dos adquiridos para esse fim e como actividades secundárias dar de arren-damento de imóveis, serviços de publicidade e marketing, estudos de mercado e consultadoria para os negócios e gestão.

ARTIGO 3.º

O capital social, integralmente realizado em dinheiro, é de 5000 euros e corresponde à soma de quatro quotas dos valores nomi-nais e titulares seguinte: duas iguais de 2000 euros cada, pertencentes uma a cada um dos sócios João Carlos Baranda Moreira da Silva Ri-beiro e Cristina da Piedade Cabrita Fernandes RiRi-beiro; e duas iguais de 500 euros cada, pertencentes uma a cada um dos sócios David Fernandes Ribeiro e Maria Inês Fernandes Ribeiro.

ARTIGO 4.º

1 — A gerência da sociedade, com ou sem remuneração conforme for deliberado, ficará a cargo de quem vier a ser designado em assembleia geral, ficando desde já nomeados gerentes os sócios João Carlos Baranda Moreira da Silva Ribeiro e Cristina da Piedade Cabrita Fernandes Ribeiro.

2 — Para a sociedade ficar obrigada nos seus actos e contratos basta a assinatura de um gerente.

3 — A remuneração da gerência poderá consistir, total ou parcial-mente, em participação nos lucros da sociedade.

ARTIGO 5.º

A sociedade poderá participar no capital social de outras socieda-des, mesmo com objecto diferente do seu e em sociedades reguladas por leis especiais ou em agrupamentos complementares de empresas.

ARTIGO 6.º

A cessão de quotas a não sócios depende do consentimento da sociedade, que terá sempre o direito de preferência, o qual, de seguida, se defere aos sócios não cedentes, nos termos permitidos por lei.

ARTIGO 7.º

1 — A sociedade poderá amortizar qualquer quota nos seguintes casos:

a) Por acordo com o respectivo titular;

b) Quando a quota for objecto de penhora, arresto ou adjudicação em juízo, falência ou cessão gratuita não autorizada;

c) Quando o sócio praticar actos que violem o pacto social ou as obrigações sociais;

d) No caso de morte de sócio a quem não sucedam herdeiros legitimários;

e) Quando, em partilha, a quota for adjudicada a quem não seja sócio;

f) Por interdição ou inabilitação de qualquer sócio;

g) Por exoneração ou exclusão de um sócio; e

h) Quando a quota tiver sido cedida a terceiros sem o prévio con-sentimento da sociedade, tomado por maioria, em assembleia geral.

2 — Os sócios podem deliberar que a quota amortizada figure no balanço e que, posteriormente, sejam criadas uma ou várias quotas, destinadas a serem alienadas a um ou a alguns dos sócios ou terceiros.

3 — Salvo acordo em contrário ou disposição legal imperativa, a contrapartida da amortização será o valor que resultar do último ba-lanço aprovado.

4 — Se por falecimento de um sócio a respectiva quota não for amortizada no prazo de 90 dias, a contar da data do falecimento, os herdeiros deverão designar, de entre eles, um representante comum.

ARTIGO 8.º

Aos lucros líquidos anualmente apurados, depois de deduzida a per-centagem para reserva legal, será dado o destino que vier a ser delibe-rado em assembleia geral.

ARTIGO 9.º

1 — Aos sócios maiores poderão ser exigidas prestações suplemen-tares até ao montante global igual a 20 vezes o capital social, desde que deliberado por unanimidade dos votos correspondentes ao capital

social, reembolsáveis quando julgadas dispensáveis, sendo a data e a forma de restituição fixadas em assembleia geral, que delibere o reem-bolso.

2 — Qualquer sócio poderá fazer suprimentos à sociedade, quando esta deles carecer, nas condições de retribuição e reembolso que fo-rem fixadas em assembleia geral.

Está conforme o original.

12 de Julho de 2004. — A Ajudante, Gracinda Neves Francisco.

2005222038

SEFOESTE — SOCIEDADE DE EQUIPAMENTOS FLORESTAIS, L.

DA

Sede: Monte Redondo, Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 3584/

910624; identificação de pessoa colectiva n.º 502577347; inscri-ção n.º 7; número e data da apresentainscri-ção: 50/20040709.

Certifico, em relação à sociedade em epígrafe, que reforçou o ca-pital e alterou o contrato quanto aos artigos 2.º e 3.º cujo teor passa a ser o seguinte:

2.º

A sociedade passa a ter por objecto importação, comércio e alu-guer de máquinas e equipamentos florestais e comércio de camiões.

3.º

O capital social, integralmente subscrito e realizado em dinheiro, é de 1 000 000 euros, dividido em duas quotas, uma do valor nominal de 900 000 euros, pertencente ao sócio António Manuel Pedrosa Ramalho e uma do valor nominal de 100 000 euros, pertencente à sócia Maria Adelina Pedrosa Duarte Ramalho.

O pacto actualizado ficou arquivado na pasta respectiva.

12 de Julho de 2004. — A Ajudante, Maria Goreti Leal de

Olivei-ra Moniz. 2005222305

PAVIROSA — PAVIMENTOS EM MADEIRA, L.

DA

Sede: Rua Central, 24, Santa Catarina da Serra, Leiria Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 5813/

980130; identificação de pessoa colectiva n.º 504065866; inscri-ção n.º 5; número e data da apresentainscri-ção: 53/20040709.

Certifico, relativamente à sociedade em epígrafe, que foram alte-rados os artigos 1.º e 2.º, os quais passam a ter a seguinte redacção:

1.º

A sociedade passa a ter a firma PAVIROSA — Hotelaria, L.da, com sede na Rua Central, 24, no lugar e freguesia de Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria.

§ único. […]

2.º

A sociedade passa a ter como objecto comercialização e revesti-mentos de pavirevesti-mentos e paredes. Exploração de restaurante, café, bar e snack-bar e exploração de hotelaria.

O pacto actualizado ficou arquivado na pasta respectiva.

Conferido está conforme.

14 de Julho de 2004. — A Ajudante, Maria Goreti Leal de

Olivei-ra Moniz. 2005222330

MADEIFLORESTA — EXPLORAÇÃO FLORESTAL, UNIPESSOAL, L.

DA

Sede: Rua da Sobreira, 2, lugar de Casal dos Ferreiros, freguesia de Arrabal, concelho de Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 9374/

040709; identificação de pessoa colectiva n.º P506988449; inscri-ção n.º 1; número e data da apresentainscri-ção: 52/20040709.

Contrato de sociedade unipessoal

Leonel Dias de Oliveira, casado com Ana Paula Ferreira Gaspar, sob o regime da comunhão de adquiridos, natural da freguesia e con-celho de Leiria, nacionalidade portuguesa, residente em Rua da Sobreira, 2, lugar de Casal dos Ferreiros, freguesia de Arrabal, concelho de Leiria, bilhete de identidade n.º 9750314, datado de 30 de Maio de 2000, emi-tido pelo Arquivo de Identificação de Leiria, número de identificação fiscal 188006710, constitui uma sociedade unipessoal por quotas, com o número de identificação pessoa colectiva 506988449, que se rege pelas seguintes cláusulas:

ARTIGO 1.º

A sociedade adopta a denominação MADEIFLORESTA — Explo-ração Florestal, Unipessoal, L.da e tem a sua sede em Rua da Sobreira, 2, lugar de Casal dos Ferreiros, freguesia de Arrabal, concelho Leiria.

§ único. Por simples decisão, a gerência da sociedade poderá trans-ferir a sua sede para outro local, do mesmo concelho ou concelhos limítrofes, bem como criar ou encerrar filiais, sucursais ou qualquer outra forma de representação social.

ARTIGO 2.º

A sociedade tem por objecto a silvicultura e exploração florestal;

abate e comercialização de árvores; plantação de árvores e sua comercialização; fabricação e comercialização de carvão.

ARTIGO 3.º

O capital social, integralmente subscrito e realizado em dinheiro, é de 5000 euros, e corresponde à quota de igual valor nominal, perten-cente ao sócio único.

ARTIGO 4.º

A gerência da sociedade, com ou sem remuneração, fica a cargo do sócio ou de não sócios conforme for deliberado em assembleia geral, ficando desde já nomeado gerente o sócio único.

§ único. Para validamente representar a sociedade, em todos os seus actos e contratos, é suficiente a assinatura de um gerente.

ARTIGO 5.º

O sócio único fica autorizado a celebrar negócios jurídicos com a sociedade, desde que tais negócios sirvam à prossecução do objecto social.

ARTIGO 6.º

O sócio único está autorizado a fazer prestações suplementares de capital à sociedade, até ao montante global correspondente a 20 ve-zes o capital social.

ARTIGO 7.º

A sociedade poderá participar em agrupamentos complementares de empresas e no capital social de outras sociedades, nos termos per-mitidos por lei, mesmo que o seu objecto não coincida no todo ou em parte com aquele que a sociedade está exercendo.

Está conforme o original.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Gracinda das Neves

Fran-cisco. 2005222143

BEMCOR — TINTAS, PINTURA E COMÉRCIO, L.

DA

Sede: Magagia, Santa Catarina Serra, Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 5722;

identificação de pessoa colectiva n.º 504004271; número e data da apresentação: D-1648/18082003.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Gracinda Neves Francisco.

2000531652

AUTO BEMPOSTA — COMÉRCIO E REPARAÇÕES, L.

DA

Sede: Bemposta, Santa Catarina da Serra, Leiria Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 5008;

identificação de pessoa colectiva n.º 503574619; número e data da apresentação: D-1656/18082003.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Gracinda Neves Francisco.

2000531628

BARRINHO — TRANSPORTES, L.

DA

Sede: Rua Central, 16, Sobral da Granja, Santa Catarina da Serra, Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 6652/

991012; identificação de pessoa colectiva n.º 504419811; número e data da apresentação: D-1646/18082003.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Gracinda Neves Francisco.

2000531709

VIBRICK — SOCIEDADE DE REVESTIMENTOS, L.

DA

Sede: Rua Nova da Fazarga, 41, Loureira, Santa Catarina da Serra, Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 6322/

990311; identificação de pessoa colectiva n.º 504503227; número e data da apresentação: D-1654/18082003.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Maria Goreti Leal de

Olivei-ra Moniz. 2003521917

FAZARVIL — CONSTRUÇÕES, L.

DA

Sede: Rua de Fátima, 126, Loureira, Santa Catarina da Serra, Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 8295/

020404; identificação de pessoa colectiva n.º 506001482; número e data da apresentação: D-1655/18082003.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

9 de Julho de 2004. — A Ajudante, Maria Goreti Leal de Oliveira

Moniz. 2000531695

ARMINDO MANUEL & NEVES — CONSTRUÇÕES, L.

DA

Sede: Rua de Fátima, 11, Vale Tacão, Santa Catarina da Serra, Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 8403/

020612; identificação de pessoa colectiva n.º 506114686; número e data da apresentação: D-1652/18082003.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

9 de Julho de 2004. — A Ajudante, Maria Goreti Leal de Oliveira

Moniz. 2000531601

ROTA 39 — VIAGENS E TURISMO, L.

DA

Sede: Avenida de 22 de Maio, lote 60, rés-do-chão esquerdo, Marrazes, Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 8286/

20020328; identificação de pessoa colectiva n.º 503860840; nú-mero e data da apresentação: D-1658/20030818.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Paula Maria Sousa da Silva

Alves. 2002752931

DAFILJO — CONSTRUÇÃO CIVIL, L.

DA

Sede: Rua do Barreiro de Trás, 15, Chainça, Leiria Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 7665/

010717; identificação de pessoa colectiva n.º 505587033; número e data da apresentação: D-1650/030818.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2001.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Paula Maria Sousa da Silva

Alves. 2000531571

DAFILJO — CONSTRUÇÃO CIVIL, L.

DA

Sede: Rua do Barreiro de Trás, 15, Chainça, Leiria Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 7665/

010717; identificação de pessoa colectiva n.º 505587033; número e data da apresentação: D-1651/030818.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Paula Maria Sousa da Silva

Alves. 2000531580

ACRIMAR — POLIMENTO DE MÁRMORES MARQUES, L.

DA

Sede: Loureira, Santa Catarina da Serra, Leiria Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 4491/

940531; identificação de pessoa colectiva n.º 503219487; número e data da apresentação: D-1649/030818.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Paula Maria Sousa da Silva

Alves. 2003521941

IMOBILIÁRIA J. FARIA & PEREIRA, L.

DA

Sede: Rua de Tomar, Cardosos, Arrabal, Leiria Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 4659/

950106; identificação de pessoa colectiva n.º 503337404; número e data da apresentação: D-1639/20030814.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Paula Maria Sousa da Silva

Alves. 2002752800

GASPAR RUIVO & CARVALHO, L.

DA

Sede: Avenida do 25 de Abril, lote 20, Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 2051/

850801; identificação de pessoa colectiva n.º 501533257; número e data da apresentação: D-1410/160703.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

13 de Julho de 2004. — A Ajudante, Maria Goreti Leal de

Olivei-ra Moniz. 2000525946

TAPIMANOS — TAPETES ORIENTAIS, L.

DA

Sede: Rua de Miguel Torga, lote 4, rés-do-chão, Leiria Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 5550/

970606; identificação de pessoa colectiva n.º 503899690;

averbamento n.º 1 à inscrição n.º 1 e inscrição n.º 3; números e data das apresentações: 15 e 16/20040707.

Certifico, relativamente à sociedade em epígrafe, que cessou fun-ções de gerente Eugénio Silva Almeida, por renúncia, em 7 de Feve-reiro de 2001 e foram alterados os artigos 3.º e 4.º, os quais passam a ter a seguinte redacção:

3.º

O capital social, integralmente realizado em dinheiro é de 50 000 euros e representa-se por duas quotas, sendo uma quota de 40 000 euros do sócio Alfredo Silva Almeida e uma quota de 10 000 euros da sócia Madalena Lisboa Tojeira.

4.º

1 — A gerência da sociedade, sem caução e com ou sem remune-ração, conforme deliberação da assembleia geral, pertence ao sócio Alfredo Silva Almeida, desde já nomeado gerente.

2 — Para obrigar a sociedade é suficiente a assinatura de um gerente.

O pacto actualizado ficou arquivado na pasta respectiva.

Conferido está conforme.

8 de Julho de 2004. — A Ajudante, Graça Maria Cardoso

Car-reira. 2005245348

DUPLOMETAL — ALUMÍNIO E FERRO, L.

DA

Sede: Zona Industrial dos Pousos, Canhestro, Pousos, Leiria Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 2443/

871110; identificação de pessoa colectiva n.º 501896520; número e data da apresentação: D-1638/20030813.

Certifico que foram depositados na pasta respectiva os documen-tos de prestação de contas da sociedade em epígrafe, referente ao exercício de 2002.

12 de Julho de 2004. — A Ajudante, Paula Maria Sousa da Silva

Alves. 2002752753

BESTSAFE — SEGURANÇA EM TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, L.

DA

Sede: Avenida do Engenheiro Adelino Amaro da Costa, lote 2, 2.º, escritório 5, Arrabalde da Ponte, freguesia de Marrazes,

concelho de Leiria

Conservatória do Registo Comercial de Leiria. Matrícula n.º 9372/

040709; identificação de pessoa colectiva n.º P506738493; inscri-ção n.º 1; número e data da apresentainscri-ção: 46/20040709.

Certifico que foi constituída a sociedade por quotas em epígrafe, entre:

1.º Leonel Leal Fernandes, casado segundo o regime da comunhão de adquiridos com Virgínia da Conceição Ferreira Rufino Fernandes, natural da República Federal da Alemanha, residente na Rua do Pro-fessor Portela, 11, sede de freguesia de Marrazes, concelho de Leiria, contribuinte fiscal n.º 188142150.

2.º Rui Miguel de Abreu Gomes, solteiro, maior, natural de Angola, residente na Rua do Dr. António Justiniano da Luz Preto, 37, 3.º

esquerdo, na cidade de Ourém, contribuinte fiscal n.º 193962349, cujo contrato segue:

Pacto social da sociedade por quotas BESTSAFE — Segurança em Tecnologias de Informação, L.da, elaborado nos termos do n.º 2 do artigo 64.º do Código do Notariado, composto pelos seguintes artigos:

ARTIGO 1.º

A sociedade adopta a firma BESTSAFE — Segurança em Tecno-logias de Informação, L.da

ARTIGO 2.º

1 — A sociedade tem a sua sede na Avenida do Engenheiro Adelino Amaro da Costa, lote 2, 2.º, escritório 5, Arrabalde da Ponte, fregue-sia de Marrazes, concelho de Leiria.

2 — Por deliberação da gerência a sede social poderá ser deslocada dentro do mesmo concelho ou para concelho limítrofe.

3 — A gerência poderá criar sucursais, filiais, agências ou outras formas locais de representação social, onde e quando o julgar conve-niente.

ARTIGO 3.º

A sociedade tem por objecto fornecimento de produtos e serviços relacionados com segurança em tecnologias de informação; desenvol-vimento de projectos de segurança de informação; implementação de soluções de comunicações, consultoria e outras actividades conexas à informática e à segurança de informação.

ARTIGO 4.º

O capital social, integralmente subscrito e realizado em dinheiro, é de 5000 euros, e corresponde à soma de duas quotas, do valor nomi-nal de 2500 euros, cada, pertencentes uma a cada um dos sócios.

ARTIGO 5.º

Por deliberação unânime dos sócios poderão ser exigidas presta-ções suplementares até ao décuplo do capital social, desde que naque-la deliberação sejam fixados os respectivos termos e condições.

ARTIGO 6.º

Poderão ser feitos suprimentos à sociedade desde que, por delibera-ção unânime dos sócios, sejam fixados os respectivos termos e con-dições.

ARTIGO 7.º

1 — A administração e gerência da sociedade, com ou sem remu-neração, conforme for deliberado, incumbirá a sócios ou não sócios designados em assembleia geral.

2 — A sociedade obriga-se validamente em todos os seus actos e contratos com a intervenção de um gerente.

3 — Fica desde já nomeado gerente o sócio Rui Miguel de Abreu Gomes.

ARTIGO 8.º

A sociedade poderá participar no capital social de outras socieda-des, mesmo que estas tenham objecto diferente do seu ou sejam regu-ladas por leis especiais, podendo ainda integrar agrupamentos com-plementares de empresas e constituir associações em participação e consórcios.

ARTIGO 9.º

1 — A cessão de quotas, total ou parcial, é livre entre os sócios, mas a cessão a estranhos carece do consentimento da sociedade, que goza de direito de preferência, em primeiro lugar e os sócios não cedentes, em segundo lugar.

2 — Caso mais do que um sócio deseje exercer direito de preferên-cia, na falta de acordo, as cessões serão feitas na proporção das quo-tas que cada um dos preferentes já detenha na sociedade, observados que sejam os condicionalismos legais quanto ao valor das quotas.

3 — Na comunicação quanto à cessão de quotas e ao exercício do direito de preferência, com as devidas adaptações, observar-se-á o disposto nos artigos 414.º e seguintes, do Código Civil.

ARTIGO 10.º

1 — A sociedade poderá amortizar qualquer quota nos seguintes casos:

a) Por acordo com o respectivo titular;

b) Se a quota for cedida a não sócios sem o prévio consentimento da sociedade;

c) Se a quota for penhorada, arrolada ou arrestada ou, em geral, apreendida judicial ou administrativamente;

d) Se o sócio praticar actos que violem o pacto social ou as obri-gações sociais;

e) No caso de morte de sócio a quem não sucedam herdeiros legitimários;

f) Quando, em partilha, a quota for adjudicada a quem não seja sócio;

g) Por interdição ou inabilitação de qualquer sócio; e h) Por exoneração ou exclusão de um sócio.

2 — Os sócios podem deliberar que a quota amortizada figure no balanço e que, posteriormente, sejam criadas uma ou várias quotas, destinadas a serem alienadas a um ou a alguns dos sócios ou a tercei-ros.3 — Salvo acordo em contrário ou disposição legal imperativa, a contrapartida da amortização será o valor que resultar do último ba-lanço aprovado.

4 — Se por falecimento de um sócio a respectiva quota não for

4 — Se por falecimento de um sócio a respectiva quota não for

No documento III. Terça-feira, 7 de Setembro de 2004 Número 211 PARTE A PARTE B. 3. Diversos. 1. Concursos públicos. 2. Despachos, Éditos, Avisos e Declarações (páginas 62-67)