— A HISTÓRIA E O SURGIMENTO DO TEATRO

No documento História do Teatro. Prof. a Aline de Oliveira Ferraz. Indaial a Edição (páginas 10-20)

TÓPICO 3 – O TEATRO ROMANO

TÓPICO 4 – PANORAMA DO TEATRO ORIENTAL

Preparado para ampliar seus conhecimentos? Respire e vamos em frente! Procure um ambiente que facilite a concentração, assim absorverá melhor as informações.

CHAMADA

TÓPICO 1 —

UNIDADE 1

A HISTÓRIA E O SURGIMENTO DO TEATRO

1 INTRODUÇÃO

Acadêmico, neste tópico, abordaremos o teatro como manifestação da presença, em um determinado espaço, que prevê a interação entre pessoas, originada da própria necessidade de expressão do homem.

Podemos imaginar que à medida que o homem pré-histórico transitou do nomadismo para as condições de vida em comunidades agrícolas, as necessidades comunicacionais se fizeram mais evidentes.

Em um contexto no qual o convívio com a natureza era mais intenso, os homens se valiam da materialidade natural (peles de animais, tintas naturais, cascas de árvores, fogueiras) para construírem representações que os permitissem expressar os temas e as questões que povoavam seus imaginários.

Por meio de rituais nos quais as comunidades se organizavam em circunferências e compartilhavam danças, sons, narrativas, manipulação de objetos e a representação do divino, o homem pré-histórico buscou formas de dizer para além das palavras. E, graças aos estudos arqueológicos, podemos, atualmente, compreender que onde há um grupo de pessoas reunidas há também espaços para coexistência da teatralidade.

2 A ORIGEM DO TEATRO

É conhecida a legitimidade da seguinte afirmação: toda história tem uma pré-história. Entretanto, o que seria a pré-história do teatro? Sabemos que a inexistência da escrita é o que caracteriza um período pré-histórico. Então, a pré-história do teatro diz respeito a todas as manifestações cênicas anteriores aos textos produzidos pelas antigas civilizações. “Onde quer que o teatro floresça, o homem volta a ser, não caindo em apologia, um animal superior ou uma criança imitando a criatura-mundo e desfrutando do prazer igualmente fundamental de brincar com a ajuda de todas as suas faculdades, desde o mais elementar movimento físico aos mais elaborados voos da fantasia" (GASSNER.1991, p. 4).

O estudo das artes ao longo dos diversos tempos e espaços distintos comprovam a necessidade da expressão humana, mesmo nas sociedades tidas como mais "primitivas" como ocorre nos casos das civilizações que antecedem a escrita, também conhecidas como pré-históricas. Houve uma necessidade de as comunidades buscarem, na simbologia, formas de falarem para além das palavras.

UNIDADE 1 — A ORIGEM DO TEATRO E SUAS PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES

A história da comunicação (GONTIJO, 2001) nos informa que à medida que as comunidades deixaram de ser nômades, os recursos comunicacionais se fizeram mais necessários. Sabemos ainda que, muito antes da invenção das palavras, os homens já se valiam dos recursos cênicos, tais como: os gestos, os movimentos, os sons, para expressar necessidades e emoções. O que nos permite compreender que o teatro, como meio expressivo, surge muito antes da sua própria nomenclatura.

E o que é possível saber sobre as manifestações teatrais por meio dos estudos arqueológicos do período pré-histórico? Segundo Berthold (2001, p.

3) “[...] o teatro primitivo utilizava acessórios exteriores, exatamente como seu sucessor altamente desenvolvido o faz. Máscaras e figurinos, acessórios de contrarregragem, cenários e orquestra eram comuns, embora nas mais simples formas concebíveis".

FIGURA 1 – REPRESENTAÇÃO DE RITUAL PRÉ HISTÓRICO

FONTE: <https://bit.ly/3ksjKg7>. Acesso em: 4 jun. 2021.

3 PRÉ HISTÓRIA TEATRAL

Podemos compreender que, diante da necessidade desses povos se expressarem e estabelecerem meios para tornar possível a comunicação, bem como produzir justificativas para os eventos naturais advindos de um universo desconhecido, originaram-se os mitos.

A explicação dos fatos desconhecidos, a origem das existências, as justificativas para os acontecimentos e fenômenos da natureza, bem como a projeção de desejos para o futuro, tornaram- se motivos para elaboração de

TÓPICO 1 — A HISTÓRIA E O SURGIMENTO DO TEATRO

Por meio dos rituais, a comunidade dava vida às representações mitológicas rudimentares. Em circunferências, ou em outras estruturas espaciais favoráveis à participação de todos, organizavam-se ao redor de fogueiras, ou diante da luz solar, para produzir cerimônias, onde se compartilhavam tais narrativas, de forma oral e ou através de mimesis (imitação de gestos, de posturas e sons de animais), que pudessem explicar os temas e fenômenos da natureza de origem enigmática.

É possível imaginar que a personificação de entidades, a produção de alegorias, a ornamentação dos corpos, a realização de movimentos, de sons permitiam a representação concreta dos elementos muitas vezes indisponíveis (tais como o divino, um animal feroz, o desconhecido, ou mesmo o próprio medo) possibilitando, assim, a criação de uma série de expressões dramáticas.

Tudo indica que muitas dessas manifestações foram elaboradas com o intuito de controlar as intempéries e fenômenos naturais – ou, ainda, com o objetivo de

"acalmar os deuses".

FIGURA 2 – ILUSTRAÇÃO EM PAREDE

FONTE: <https://img.comunidades.net/mos/mosqueteirasliterarias/prehistoria.jpg>.

Acesso em: 4 jun. 2021.

A presença dessas manifestações simbólicas da realidade, provavelmente, produzia possibilidades de uma percepção mais ampliada tanto dos temas da vida cotidiana (caçadas, guerras, colheitas etc.), como dos acontecimentos de caráter mais ritualístico, ligados ao universo mágico. O formato coletivo e festivo desses eventos propiciava aos participantes uma relação igualitária, onde se podia atuar e observar simultaneamente.

Nessas cerimônias, de forma muitas vezes instintivas, surgiam os contadores de histórias. Tais narrativas eram incrementadas pelo uso de máscaras, figurinos construídos a partir de pele de animais, madeira e argila. Imagens incrustadas em cavernas e vestígios de instrumentos musicais são indícios de que a música e as danças compunham a teatralização de diversos aspectos da vida dessas comunidades.

UNIDADE 1 — A ORIGEM DO TEATRO E SUAS PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES

Devemos salientar que não existem registros escritos deste período. As informações que temos são frutos de pesquisas arqueológicas, nas quais a herança cultural dos povos primitivos se evidencia através das expressões artísticas primárias bastante simples.

4 A ORIGEM DO CONCEITO DE TEATRO

Como vimos, as manifestações teatrais primitivas tinham como característica uma expressão espontânea e improvisada, visto que no período não existia a escrita, o que nos impossibilita o acesso preciso aos registros das possíveis estruturas cênicas do período.

Por meio do estudo da teatralidade durante o período pré-histórico, podemos conhecer mais sobre essas culturas, tais conhecimentos, nos demonstram que os rituais dramáticos foram produzidos paralelamente em culturas localizadas em espaços distintos do mundo, contribuindo para a produção das particularidades de diferentes formas de expressão dos povos pré-históricos.

Para melhor compreender a cultura pré-histórica, recomendamos que você assista ao filme A Guerra do Fogo. Direção de Jean-Jacques Annaud, Anthony Burgess e Desmond Morris. Você conseguirá outras referências de filmes sobre a pré-história em:

https://cinema10.com.br/tipos/filmes-sobre-pre-historia.

DICAS

Neste tópico, você aprendeu que:

● Podemos saber mais sobre a história a partir da história do teatro.

● Que as manifestações teatrais são anteriores à própria nomeação teatral.

● A vida do homem pré-histórico em comunidades agrícolas propiciou o desenvolvimento das expressividades cênicas.

● A partir de estudos arqueológicos, é possível perceber que os elementos dramáticos foram usados de formas variadas em lugares e épocas diferentes.

● Que a teatralidade na pré-história teve uma função importante na elaboração de narrativas que visavam explicar muitos fenômenos que permaneciam interditados, inclusive em uma fase anterior ao uso da palavra.

● Que o teatro na pré-história acontecia em cerimônias de caráter ritualístico, e se caracterizava pela participação coletiva circulares, com práticas de danças, músicas, uso de máscaras, pinturas corporais etc.

RESUMO DO TÓPICO 1

1 As manifestações cênicas ocorridas na fase anterior à história escrita, também conhecido como período pré-histórico, ocorreram em espaços e tempos distintos, apresentando variações de acordo com as necessidades de cada comunidade. De forma geral, com relação ao objetivo das manifestações teatrais que ocorreram na pré-história, analise as sentenças a seguir:

I- Em cerimônias ritualísticas que propiciavam a participação de todos os integrantes da comunidade na elaboração de um mundo bastante desconhecido.

II- A partir de uma relação entre palco e plateia, no qual os espectadores apreciavam em absoluto silêncio os textos dramáticos.

III- Geralmente, os espetáculos aconteciam sob carroças onde os atores da comunidade improvisavam cenas a partir da supervisão dos chefes religiosos.

IV- Se valiam de elementos da própria natureza: fogueiras, peles de animais, máscaras de argilas em rituais destinados a estabelecerem comunicação com os deuses, com os sentimentos e realidades vivenciadas.

Assinale a alternativa CORRETA:

a) ( ) Somente a sentença III está correta.

b) ( ) As sentenças I e II estão corretas.

c) ( ) As sentenças II e IV estão corretas.

d) ( ) As sentenças I e IV estão corretas.

2 Segundo Margot Berthold (2001, p. 1), "[...] o teatro é tão velho quanto a humanidade. Existem formas primitivas desde os primórdios do homem.

A transformação numa outra pessoa é uma das formas arquetípicas da expressão humana. O raio de ação do teatro, portanto, inclui a pantomima de caça dos povos da idade do gelo e as categorias dramáticas diferenciadas dos tempos modernos". Nesse sentido, podemos apreender que:

a) ( ) O teatro surge da própria necessidade dos homens se expressarem.

b) ( ) O teatro só tem início na Grécia Antiga.

c) ( ) O teatro sempre esteve atrelado aos textos, por isso só passou a existir com a escrita.

d) ( ) O teatro é condicionado à relação entre atores e espectadores e, por isso, necessita de um edifício teatral para que possa se estabelecer.

3 A descoberta de artefatos arqueológicos tem sido, em grande medida, fonte para o conhecimento sobre a cultura que a humanidade desenvolveu ao longo do período pré-histórico. Sabemos que as comunidades primitivas se estabeleceram em diversos territórios ao longo de um período extenso, fazendo

AUTOATIVIDADE

TÓPICO 2 —

UNIDADE 1

O TEATRO NA GRÉCIA ANTIGA

1 INTRODUÇÃO

Se a história nos mostra que as manifestações teatrais são tão antigas quanto a própria humanidade, nos informa também que foram os gregos que criaram a nomenclatura teatral, e nos possibilitaram, por meio dos registros escritos, ter acesso a toda uma estrutura cênica que ainda hoje são estruturantes para as formas como pensamos e fazemos teatro dos nossos dias.

FIGURA 3 – PAPIRO CONTENDO TRECHO DO CORO DE ORESTES (EURÍPIDES), 200 a.C.

FONTE: <http://docplayer.com.br/docs-images/68/59726866/images/7-0.jpg>.

Acesso em: 4 jun. 2021.

Entretanto, de que forma a teatralidade grega transitou do teatro primitivo para as apresentações nos moldes palco e plateia? Ao longo dos tempos, os refinamentos expressivos propiciaram a transformação das antigas narrativas e das cerimônias ritualísticas em verdadeiros atos cívicos, nos quais as questões fundantes dos povos gregos tornaram-se matéria-prima para o exercício estético.

Vale lembrar que a origem da palavra estética, assim como muitos outros termos do vocabulário artístico, é grega, e pode ser traduzida, como ciência do belo. Uma beleza compreendida como sublime, possível de ser vista e sentida.

O termo teatro tem origem na palavra grega (theatron), e significa “local onde se vê” ou “lugar para olhar”. Interessante observar que também em outras regiões a compreensão do teatro tem vínculo com lançar um olhar para questões coletivizadas para acessar as subjetividades, numa espécie de contemplação.

UNIDADE 1 — A ORIGEM DO TEATRO E SUAS PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES

Assim, por exemplo, na Mesopotâmia, a ideia do teatro, num primeiro momento, vai dizer respeito aos ritos de encontros com os deuses descidos à terra; no Egito, esteve ligado a uma espécie de ritual mágico-mítico, mitológico, de cunho farsesco; na Pérsia, às lendas originárias, na Turquia aos rituais xamânicos e as crenças relativas às divindades da Ásia Menor e na Índia, às danças dramáticas produzidas em homenagem aos deuses.

Os registros das manifestações teatrais na Grécia ocorreram por volta do século 550 a.C., principalmente em Atenas. Tais eventos se estabeleceram nas comemorações e nos festivais, em celebrações grandiosas em louvor e homenagem a Dioniso, divindade grega relacionada às uvas, ao vinho, e às festas e a fertilidade.

Essas celebrações mitológicas chegaram a durar semanas. Nelas havia procissões, onde um coro, formado por homens livres, cantavam, dançavam, bebiam e representavam, utilizando máscaras e vestimentas especiais. Na Antiga Grécia, somente os homens detentores de terras eram considerados livres.

Mulheres e escravos não participavam das atividades teatrais, da mesma forma como não participavam de outras atividades da polis (cidade em grego).

Nas cerimônias havia cânticos, danças e representações. Dioniso, a divindade do vinho, era personificado como um bode. Os gregos se fantasiavam com roupas de pele de cabra e folhas de parreiras na cabeça. As procissões tinham um aspecto cívico religioso, em forma de drama frequentemente imposto pelos deuses, pelo destino ou pela sociedade, caracterizado pela sua seriedade e dignidade.

Nos festivais os textos dos dramaturgos premiados eram lidos publicamente.

O coro lia em uníssono (em um único tom vocal). Atribui-se a Téspis de Icária o título de primeiro ator da história. Téspis viajava com um carro (Carro de Téspis) levando o teatro pelas cidades da Grécia. Em síntese Téspis foi um homem grego, que em 534 a.C., utilizou uma máscara e interpretou Dioniso, proferindo o texto em primeira pessoa. Essa atitude chocou muitos espectadores, pois, até então, ninguém havia tido a coragem de encenar um símbolo divino. Téspis também é conhecido como o primeiro diretor de coro (corifeu) e dramaturgo.

A evolução final do ditirambo cantado para o texto recitado e dialogado teve como base “Os Cantos” de Homero que narravam as histórias mitológicas de deuses, semideuses e heróis gregos. Essa passagem favoreceu o surgimento dos festivais, que chegaram a reunir mais de 20 mil participantes.

Além de ser um evento que reunia a pólis grega, graças aos festivais herdamos uma série de textos dramatúrgicos dos autores premiados nesses eventos, entre eles temos os trágicos: Èsquilo, Sófocles e Eurípides e os cômicos Aristófanes e Menandro. As obras desses dramaturgos, assim como a "A poética de Aristóteles"

No documento História do Teatro. Prof. a Aline de Oliveira Ferraz. Indaial a Edição (páginas 10-20)