C O R P U S D E E V I D Ê N C I A S ( A U T E X P E R I M E N T O L O G I A )

Download (0)

Full text

(1)

CO R P U S D E EV I D Ê N C I A S

(A U T E X P E R I M E N T O L O G I A)

I. Conformática

Definologia. O corpus de evidências é o conjunto de elementos, indícios, indicações,

tra-ços, sinais, provas, fatos e parafatos, capazes de sustentar determinada hipótese investigativa, a partir da autopesquisa, de modo coeso, coerente e consistente.

Tematologia. Tema central neutro.

Etimologia. O vocábulo corpus é emprestado do idioma Latim, corpus, “corpo;

conjun-to”. Apareceu, no idioma Português, no Século XIX. O termo evidência vem também do idioma Latim, evidentia, “evidência; visibilidade; clareza; transparência; hipótese”. Surgiu no Século XVI.

Sinonimologia: 1. Conjunto de provas. 2. Estrutura factual. 3. Estrutura parafactual.

4. Repertório de indícios. 5. Grupo de indicações.

Neologia. As 3 expressões compostas: corpus de evidências do Curso Intermissivo,

cor-pus de evidências na proéxis grupocármica e corcor-pus de evidências na proéxis policármica são neologismos técnicos da Autexperimentologia.

Antonimologia: 1. Corpus da Conscienciologia. 2. Corpus delicti. 3. Corpus criminis. Estrangeirismologia: o corpus de evidências; o modus operandi autexperimentador;

a otimização do know-how investigativo; o feedback consciencioterápico; o Argumentarium; o Tertuliarium; o continuum da pesquisa intra e extrafísica; o breakthrough parapesquisístico pes-soal; o Paraperceptarium.

Atributologia: predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento

quanto à holomaturidade nas pesquisas prioritárias evolutivas.

II. Fatuística

Pensenologia: o holopensene da experimentologia; os tecnopensenes; a

tecnopensenida-de; os cognopensenes; a cognopensenidatecnopensenida-de; os lucidopensenes; a lucidopensenidatecnopensenida-de; os nexo-pensenes; a nexopensenidade; os neonexo-pensenes; a neopensenidade; os ortonexo-pensenes; a ortopenseni-dade; os parapensenes; a parapenseniortopenseni-dade; os paratecnopensenes; a paratecnopenseniortopenseni-dade; o cor-pus de pensenes da autexperimentação; as evidências pensênicas do discernimento.

Fatologia: o conjunto de informações fidedignas; a reunião de fontes esclarecedoras;

a compilação exaustiva dos materiais contidos na fonte; a acumulação de dados para fins científi-cos e não apologéticientífi-cos; a autonomia da pesquisa; o paradigma mecanicista-fisicalista redutor das evidências autopesquisísticas; as estratégias e métodos modernos utilizados na pesquisa; a Meso-logia provedora; as inferências qualificadas acerca da investigação com base no corpus de evidên-cias; o tratamento sistemático do material informacional selecionado e acumulado; o acervo docu-mental; os tipos de provas ideais; a investigação e análise dos fatos; o alvo na análise circunstan-cial do objeto de pesquisa; as pistas fecundas; a mira detalhista do investigador; a análise das ca-suísticas importantes; os relatos de experiências vividas pelas cobaias entrevistadas como parâme-tro de autopesquisa; o esboço e cooptação de análises biográficas; o corpus total de dados sinteti-zados; as peculiaridades do processo autoinvestigativo; a busca em escritos antigos para corrobo-rações casuísticas atuais; o estudo em publicações científicas e enciclopédicas recentes; o pé-de--meia empregado na autopesquisa; a condição econômico-financeira interferindo na coleta de pro-vas; a Perfilologia do grupocarma evidenciando o perfil do investigador; a autocorrupção e sabo-tagem na autopesquisa; a massa considerável de informações de ponta; os posicionamentos quan-to ao Corpus da Conscienciologia; o paradigma consciencial; o faquan-to da concin ser cobaia de si mesmo; as pesquisas no Holociclo e na Holoteca; o acervo de artefatos do saber; o conjunto de Tecas; os neologismos esclarecedores de evidências autopesquisísticas; o voluntariado da CCCI; a docência parapedagógica a autopesquisística; a Consciencioterapia e a Conscienciometria como

(2)

ferramentas de autoinvestigação; a procura de melhores pistas para autossuperação; a resiliência pesquisística; a abstração produtiva; a conscienciocentragem incrementando o saldo da ficha evo-lutiva pessoal (FEP); a desancoragem das interferências do passado; a persistência quanto à con-quista da autoimunidade aos pertúrbios exteriores; o aprendizado inicial do sobrepairamento aci-ma dos fatos; autoconhecimento alicerçando a autossegurança existencial.

Parafatologia: a autovivência do estado vibracional (EV) profilático; a sinalética

ener-gética e parapsíquica pessoal; as evidências do Curso Intermissivo (CI) pré-ressomático; as re-trocognições; a recuperação de cons; a assistência através da pesquisa; as assimilações energéti-cas intervenientes na autoinvestigação; os parafatos; os parafenômenos; a primazia das auto-he-ranças multiexistencias sobre as influências mesológicas; a paragenética evidenciando-se na Ge-nética; a tenepes; a participação frequente no Tertuliarium; as dinâmicas parapsíquicas; o Aco-plamentarium; a Megaeuforização; as projeções conscienciais lúcidas; a eliminação dos blo-queios energéticos corticais; a ação positiva do arco voltaico craniochacral; a minipeça engrenada no maximecanismo multidimensional.

III. Detalhismo

Sinergismologia: o sinergismo Pesquisologia-Argumentologia-Debatologia; o

sinergis-mo assimilação da teoria–autovivência da prática; o sinergissinergis-mo bagagem experiencial atual–ba-gagem experiencial multidimensional; o sinergismo reflexão científica–autopesquisa evolutiva; o sinergismo curiosidade-autopesquisa-leitura; o sinergismo descrenciológico autoquestiona-mento-heteroquestionamento-omniquestionamento; o sinergismo formulação do problema–levan-tamento de hipóteses–esclarecimento de dúvidas.

Principiologia: o princípio do megafoco mentalsomático na autopesquisa; o princípio

da descrença; o princípio do exemplarismo pessoal (PEP).

Codigologia: o código pessoal de cosmoética (CPC) maduro; o código grupal de

cos-moética (CGC).

Teoriologia: a teoria da coerência; a teoria da correspondência; a teoria do

conheci-mento científico; a teoria da Hermenêutica Científica; a teoria das verdades relativas de ponta; a teoria das neoideias; a teoria do autoconhecimento evolutivo; a teoria do autodiscernimento multidimensional.

Tecnologia: as técnicas pesquisísticas da Conscienciologia; a técnica dos 100

procedi-mentos; a técnica conscienciológica das 50 vezes mais; a técnica do detalhismo na autopesquisa; a técnica da circularidade; a técnica da exaustividade; a técnica da autochecagem racional per-manente; a técnica da cosmoética destrutiva; a técnica do sobrepairamento analítico; o registro técnico.

Laboratoriologia: o laboratório conscienciológico da Pensenologia; o laboratório

conscienciológico do estado vibracional (EV); o laboratório conscienciológico da autorganiza-ção; o laboratório conscienciológico da autexperimentaautorganiza-ção; o laboratório conscienciológico da Paragenética; o laboratório conscienciológico da Cosmoética.

Colegiologia: o Colégio Invisível da Autexperimentologia; o Colégio Invisível da

Para-pesquisologia; o Colégio Invisível dos pesquisadores da Conscienciologia; o Colégio Invisível da Ressomatologia; o Colégio Invisível dos Intermissivistas; o Colégio Invisível da Paragenética; o Colégio Invisível dos Proexistas; o Colégio Invisível da Dessomatologia.

Efeitologia: o efeito do diagnóstico mais preciso na indicação das tomadas de decisão;

a correção de rota como efeito da comprovação das evidências; os efeitos da constatação da ba-gagem experiencial na proéxis.

Neossinapsologia: as neossinapses geradas pelas quebras dos apriorismos diante de

no-vas evidências.

Ciclologia: o fato desencadeante explicativo do ciclo de outros fatos.

Enumerologia: a junção de elementos; a coletânea de fatos; o agrupamento de indícios;

(3)

Binomiologia: o binômio abordagem extrafísica–abordagem intrafísica; o binômio

fa-tos-parafatos; o binômio tentativa-erro; o binômio forma-conteúdo.

Interaciologia: a interação conscins-consciexes nas investigações avançadas; a

intera-ção faculdades mentais–parapercepções multidimensionais; a interaintera-ção causa-efeito; a interaintera-ção autodiscernimento-autodeterminação na pesquisa de campo; a interação consciência-fato; a inte-ração racionalidade-autorreflexão; a inteinte-ração autopesquisa constante–autorrenovações infin-dáveis; a interação realidades-pararrealidades.

Trinomiologia: o trinômio vontade granítica–intencionalidade fixada–autorganização

rigorosa na clarificação de fatos e parafatos.

Polinomiologia: o polinômio volição-intenção-decisão-determinação-sustentação na

pes-quisa.

Antagonismologia: o antagonismo procurar provas / esconder provas; o antagonismo

correr atrás / deixar para lá; o antagonismo obstinação madura / teimosia infantil.

Politicologia: a informaticocracia; a parapsicocracia; a cosmoeticocracia; a

discerni-mentocracia; a lucidocracia; a teaticocracia; a cognocracia; a democracia pura.

Legislogia: a lei do maior esforço pesquisístico; as leis da Cosmoética.

Filiologia: a experimentofilia; a criticofilia; a desafiofilia; definofilia; a pesquisofilia;

a assistenciofilia; a evoluciofilia.

Fobiologia: o medo do desconhecido.

Maniologia: a evitação da Filosofia do ignorantismo maníaco.

Mitologia: a busca da exclusão dos mitos, preconceitos, convencionalismos e dogmas. Holotecologia: a definoteca; a cognoteca; a volicioteca; a intelectoteca; a

experimento-teca; a mentalsomatoexperimento-teca; a consciencioteca.

Interdisciplinologia: a Autexperimentologia; a Autopesquisologia; a Argumentologia;

a Refutaciologia; a Verbaciologia; a Autodeterminologia; a Autodecidologia; a Organizaciologia; a Autoproexologia; a Evoluciologia; a Priorologia; a Recexologia; a Tenepessologia.

IV. Perfilologia

Elencologia: a consciênçula; a consréu ressomada; a conscin baratrosférica; a conscin

ele-tronótica; a conscin lúcida; a isca humana inconsciente; a isca humana lúcida; o ser desperto; o ser interassistencial; a semiconsciex; a dupla conscin parapsíquica–amparador extrafísico; a conscin enciclopedista; a conscin incansável; a conscin resoluta.

Masculinologia: o agente retrocognitor; o amparador intrafísico; o amparador

extrafísi-co; o acoplamentista; o atacadista consciencial; o autodecisor; o intermissivista; o cognopolita; o completista; o comunicólogo; o conscienciólogo; o conscienciômetra; o consciencioterapeuta; o macrossômata; o conviviólogo; o duplista; o duplólogo; o proexista; o proexólogo; o reeduca-dor; o epicon lúcido; o escritor; o exemplarista; o intelectual; o reciclante existencial; o inversor existencial; o maxidissidente ideológico; o tenepessista; o ofiexista; o parapercepciologista; o pes-quisador lúcido; o projetor consciente; o sistemata; o tertuliano; o verbetólogo; o voluntário; o conscienciólogo; o tocador de obra; o homem de ação; o pesquisador conscienciólogo.

Femininologia: a agente retrocognitora; a amparadora intrafísica; a amparadora

extrafí-sica; a acoplamentista; a atacadista consciencial; a autodecisora; a intermissivista; a cognopolita; a completista; a comunicóloga; a consciencióloga; a conscienciômetra; a consciencioterapeuta; a macrossômata; a convivióloga; a duplista; a duplóloga; a proexista; a proexóloga; a reeduca-dora; a epicon lúcida; a escritora; a exemplarista; a intelectual; a reciclante existencial; a inversora existencial; a maxidissidente ideológica; a tenepessista; a ofiexista; a parapercepciologista; a pés-quisadora lúcida; a projetora consciente; a sistemata; a tertuliana; a verbetóloga; a voluntária conscienciológica; a tocadora de obra; a mulher de ação; a pesquisadora consciencióloga.

(4)

Hominologia: o Homo sapiens investigator; o Homo sapiens autocriticus; o Homo

sa-piens heterocriticus; o Homo sasa-piens reflexivus; o Homo sasa-piens analyticus; o Homo sasa-piens te-nepessista; o Homo sapiens intermissivista; o Homo sapiens epicentricus; o Homo sapiens cos-moethicus; o Homo sapiens conscientiocentricus; o Homo sapiens proexologus.

V. Argumentologia

Exemplologia: corpus de evidências na proéxis egocármica = o conjunto de evidências

na vida humana indicadoras das recuperação de cons; corpus de evidências na proéxis grupo-cármica = o conjunto de evidências na vida humana sinalizadoras da realização de trabalho em grupo conscienciológico; o corpus de evidências na proéxis policármica = o conjunto de evidên-cias na vida humana orientadas no trabalho interassistencial diário da tenepes.

Culturologia: a cultura da investigação científica; a cultura de acumulação e

manuten-ção atualizada de bancos de dados; a cultura dos registros sistemáticos; a cultura da pesquisa conscienciológica.

VI. Acabativa

Remissiologia. Pelos critérios da Mentalsomatologia, eis, por exemplo, na ordem

alfabé-tica, 15 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-trais, evidenciando relação estreita com o corpus de evidências, indicados para a expansão das abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:

01. Agente confluencial: Confluenciologia; Neutro.

02. Aprofundamento da pesquisa: Experimentologia; Neutro. 03. Autopesquisologia: Experimentologia; Homeostático.

04. Autossuperação específica: Experimentologia; Homeostático. 05. Direção megafocal: Proexologia; Neutro.

06. Escala das prioridades evolutivas: Evoluciologia; Homeostático. 07. Escolha evolutiva: Experimentologia; Homeostático.

08. Iniciativa pessoal: Voliciologia; Neutro.

09. Interação dos recebimentos: Proexologia; Homeostático. 10. Megafoco permanente: Megafocologia; Neutro.

11. Momento da megadecisão: Recexologia; Neutro. 12. Paracientista: Experimentologia; Homeostático.

13. Pesquisador independente: Experimentologia; Homeostático.

14. Princípio do posicionamento pessoal: Autodefinologia; Homeostático. 15. Voliciolina: Voliciologia; Neutro.

O

CORPUS DE EVIDÊNCIAS NA

A

UTEXPERIMENTOLO

-

GIA É RESULTADO DA AUTOINVESTIGAÇÃO DETALHISTA

E EXAUSTIVA

,

ALICERÇADA PELA RACIONALIDADE E LÓ

-GICA DA CONSCIN

-

COBAIA NA EXECUÇÃO DA PROÉXIS

.

Questionologia. Você, leitor ou leitora, faz investigações detalhadas e exaustivas dos

fa-tos e parafafa-tos evidenciadores da autoproéxis? Tem lembranças de indicadores do Curso Inter-missivo?

(5)

Bibliografia Específica:

01. Bourdieu, Pierre; A Economia das Trocas Simbólicas; 362 p.; 8 caps.; 181 refs.; 22 x 12 cm; 6ª Ed.;

Perspectiva; São Paulo, SP; 2009; páginas 79 a 197.

02. Chauí, Marilena; Convite à Filosofia; 440 p.: 39 caps.; 25 ilus.; 1 índice; 24 x 17 cm; br.; 12ª Ed.; Ática; São Paulo, SP; 1999; páginas 59 a 89.

03. Dalbosco, Edi Paulo; Situação de Risco; 86 p.; 31 caps.; 22 x 14 cm; br.; Maneco; Caxias do Sul, RS; 2006; páginas 7 a 25.

04. Idem; Dupla Investigação; 106 p.; 24 caps.; 21 x 14 cm; br.; Maneco; Caxias do Sul; RS; 2003; páginas 7 a 106.

05. Jefferson, Roberto; Nervos de Aço: Um Retrato da Política dos Políticos do Brasil; 376 p.; 15 caps.; revi-sores Luciano Trigo; & Miguel Barros; 20 refs.; 22 x 16 cm; TopBooks; Rio de Janeiro, RJ; páginas 87 a 205.

06. McLaren, Peter; Multiculturalismo Revolucionário; 308 p.; 8 caps.; 113 refs.; 23 x 16 cm; br.; Artmed; Porto Alegre, RS; 1997; páginas 10 a 29.

07. Nova, Sebastião Vila; Introdução à Sociologia; 230 p.; 11 caps.; 83 refs.; 24 x 17 cm; 6ª Ed.; Campos

Elí-sios; São Paulo, SP; 2004; páginas 27 a 170.

08. Roque, Laraia Barros; Cultura: Um Conceito Antropológico; 118 p.; 11 caps.; 40 refs.; 18 x 13 cm; br.; 16ª Ed.; Jorge Zahar; Rio de Janeiro, RJ; 2003; páginas 9 a 94.

09. Rummel, J. Francis; Introdução aos Procedimentos de Pesquisa em Educação; 356 p.; 11 caps.; 32 refs.; 21,5 x 16 cm; Livraria do Globo; Porto Alegre, RS; 1972; páginas 1 a 164.

10. Vieira, Waldo; Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano; 1.248 p.; 525 caps.; 150 abrevs.; 4 ilus.; 5 índices; 1 sinopse; glos. 300 termos; 2.041 refs.; alf.; geo.; ono.; 28 x 21 x 7 cm; enc.; 4ª Ed.; Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC); Rio de Janeiro, RJ; 1999; páginas 22 a 46.

11. Idem; 700 Experimentos da Conscienciologia; 1.058 p.; 700 caps.; 147 abrevs.; 600 enus.; 8 índices; 2 tabs.; 300 testes, glos. 280 termos; 5.116 refs.; alf.; geo.; ono.; 28,5 x 21,5 x 7 cm; enc.; Instituto Internacional de

Projeciolo-gia; Rio de Janeiro, RJ; 1994; páginas 72 a 80, 142 a 152, 191 a 210, 716 a 733.

12. Idem; Temas da Conscienciologia; 232 p.; 90 caps.; 16 refs.; alf.; 21 x 14 cm; br; Instituto Internacional

de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC); Rio de Janeiro, RJ; 1997; páginas 12 a 190.

R. R.

Figure

Updating...

References

Related subjects :