Princípios Metodológicos adotados no desenvolvimento do Curso

No documento PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO. História EaD. Segunda Licenciatura (páginas 51-58)

2 ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA

2.5 Princípios Metodológicos adotados no desenvolvimento do Curso

A aplicação prática da proposta educativa lassalista e da proposta pedagógica e curricular do curso de História, considerando os princípios formativos incorporados pelas mesmas, deve se concretizar no espaço da sala de aula virtual, bem como nos demais ambientes de aprendizagem e em cenários de prática fora da universidade e de seus polos.

Para tanto, o processo pedagógico, numa perspectiva prática, conforme orienta o PPI, pressupõe pelo menos cinco momentos: a apreensão da realidade, a experimentação, a reflexão, a manifestação operacional e a avaliação.

A apreensão da realidade é propiciada pela inserção do educando nos temas, fatos e circunstâncias sociopolíticos e econômicos, culturais e de natureza moral. A experimentação é oportunizada pela mobilização do educando no sentido da percepção da realidade e dos fenômenos. A reflexão, estimulada para provocar a busca de significado da experiência e a apropriação do contexto para o exercício da crítica, da comparação e da adequação do entendimento. A manifestação operacional ocorre por meio da mobilização do educando para a ação, devendo estar relacionada à transformação do conhecimento em discernimento e para a atuação responsável. Por fim, a avaliação é oferecida em cada uma das etapas do processo de ensino-aprendizagem, verificando erros e acertos, ponderando a contribuição das ações implementadas frente aos objetivos pretendidos e a validade dos resultados. (PDI, 2019-2025, p. 74).

Há que se considerar, ainda, que a prática pedagógica em um currículo voltado ao desenvolvimento de competências técnicas precisa dar ênfase aos conhecimentos e habilidades que darão suporte ao fazer, ou seja, à resolução de problemas e situação em contexto específico, potencializando o domínio de técnicas e ferramentas aplicadas às diferentes áreas de conhecimento. Ao desenvolver as competências interpessoais, a prática pedagógica concentra-se no desenvolvimento do ser e do conviver, da capacidade de percepção do outro e da atuação com o outro, por meio da realização de estudos teóricos e práticos que contribuam para o desenvolvimento das atitudes e valores intrínsecos ao perfil do egresso almejado para o curso.

Isso posto, a ação-intervenção pedagógica no curso de História enfatiza o aprofundamento teórico na sua relação com os diferentes cenários de aprendizagem e prática. Para tanto, o estabelecimento de relações de parceria e o vínculo com museus e centros culturais, as escolas da rede municipal e estadual, e secretarias municipais e estaduais de educação nas regiões onde há oferta do curso, tais como com o Museu La Salle e a Casa dos Rosa, e as escolas da Rede La Salle perpassam o percurso formativo.

São adotadas diferentes metodologias e estratégias de ensino, com ênfase naquelas centradas no aluno como sujeito de aprendizagem e apoiadas no professor como facilitador e mediador do processo, com vistas à formação integral e adequada do estudante, articulando ensino, pesquisa e extensão. A pesquisa é tomada como um princípio educativo e pedagógico, e a extensão, como espaço privilegiado de articulação entre teoria e prática, formação e mundo do trabalho, universidade e sociedade.

Considerando o exposto, o uso de metodologias ativas é incentivado no curso a fim de desenvolver a capacidade do estudante de aprender a aprender, por meio do seu

protagonismo, da valorização de aprendizagens e conhecimentos anteriores, de atividades interativas e colaborativas, da contextualização e da problematização do ensino.

Nesse sentido, as estratégias de ensino adotadas privilegiam a aprendizagem de forma colaborativa e interativa, a partir do desenvolvimento de atividades que promovem a comunicação e a cooperação entre os estudantes, como fóruns temáticos, trabalhos individuais e em grupos, leitura e discussão de materiais, videoaulas, atividades práticas, estudos de caso, resolução de problemas, dentre outras propostas que privilegiam a participação ativa do aluno no processo ensino-aprendizagem e a interação entre os alunos, o professor e o tutor, bem como o estabelecimento de relações entre teoria e prática, a multi e a interdisciplinaridade.

Os cursos de graduação EaD da Universidade La Salle ocorrem considerando de duas metodologias pautadas nos princípios aqui apresentados, quais sejam: a semipresencial e a on-line, que se diferenciam entre si de acordo com a oferta e o número de encontros presenciais com tutores. A opção pelo curso e metodologia será realizada pelo aluno, conforme o que é ofertado em cada polo.

Na modalidade semipresencial o aluno conta com um encontro presencial multidisciplinar semanal com a tutoria do curso e aulas a distância com professores no Ambiente Virtual de Aprendizagem, onde realiza as atividades, para as quais tem o suporte e interação tanto com o professor quanto com a tutoria. Além disso, realiza também as atividades de extensão, assim como uma avaliação final em cada componente curricular, de forma presencial. Já na metodologia on-line, o aluno precisa comparecer presencialmente no polo apenas no final de cada semestre letivo para realizar a avaliação presencial de cada disciplina, além de cumprir presencialmente as atividades de extensão e de prática que requeiram presencialidade previstas no currículo. As demais atividades e aulas ocorrem a distância no ambiente virtual de aprendizagem, por meio do qual ocorrem momentos de interação e mediação tanto do professor quanto do tutor.

Os componentes curriculares têm por base os materiais didáticos elaborados especificamente para cada disciplina, tais como: e-book (livro didático), objetos de aprendizagem, videoaulas, arquivos de áudio, infográficos, materiais de estudo, fóruns temáticos, telas interativas, dentre outros. Os estudantes têm possibilidades de interação por meio dos fóruns temáticos e endereços de e-mail (assíncronos), chats e webconferências (síncronos).

2.5.1 Práticas Pedagógicas Inovadoras

A sociedade atual vem passando por inúmeras transformações: o volume de informação aumenta cada vez mais, o acesso às mesmas é mais facilitado, a globalização e as novas tecnologias rompem com as fronteiras do conhecimento, provocando uma nova compreensão acerca das concepções de tempo e espaço.

Nesse contexto, a universidade, por meio do ensino de graduação, não pode mais limitar-se à transmissão de conhecimentos técnicos e científicos, pois espera-se dela a capacidade de desenvolver as competências e habilidades necessárias ao profissional do século XXI, como a capacidade de aprender a aprender ao longo da vida, de comunicar-se, de resolver problemas, de trabalhar em equipe, dentre outras necessárias para viver em uma sociedade cada vez mais complexa. Esse cenário passa a exigir da universidade a revisão e

avaliação constante dos currículos e das práticas pedagógicas, a fim de garantir a formação de profissionais cidadãos aptos ao enfrentamento das mudanças aceleradas da sociedade, de forma crítica e autônoma.

A Universidade La Salle acolhe e incentiva a criação, o desenvolvimento e a implantação de experiências consideradas inovadoras e significativas no campo pedagógico, como a apropriação da cultura digital e dos recursos midiáticos para gerar oportunidades diferenciadas de integralização curricular e o uso de novas metodologias de ensino e aprendizagem.

Desse modo, compartilha-se do conceito de inovação pedagógica proposto por Carbonell (2002, p.19) que a descreve como:

[...] um conjunto de intervenções, decisões e processos, com certo grau de intencionalidade e sistematização, que tratam de modificar atitudes, ideias, culturas, conteúdos, modelos e práticas pedagógicas. E, por sua vez, introduzir, em uma linha renovadora, novos projetos e programas, materiais curriculares, estratégias de ensino e aprendizagem, modelos didáticos e outra forma de organizar e gerir o currículo, a escola e a dinâmica da classe.

A inovação no curso de História parte da implementação de um currículo modular, organizado em torno do desenvolvimento de competências e orientado para uma formação integral, humanista, cidadã e ao mesmo tempo atenta às demandas sociais e do mundo do trabalho atual e futuro. Um currículo com essa proposição requer a adoção de metodologias que proporcionem aos estudantes recursos e métodos que potencializem sua aprendizagem, de forma ativa e personalizada, com recursos tecnológicos do ambiente virtual, o aprendizado por projetos e a vivência de atividades de extensão.

Especialmente nos projetos integradores e atividades de extensão, desenvolvidos ao longo da formação, os alunos encontram espaço de atuação como protagonistas ao serem desafiados a solucionar problemas reais, desenvolvendo projetos e competências e articulando conhecimentos em uma perspectiva multi e interdisciplinar.

Destaca-se, ainda, a parceria da Universidade com a Google For Education que permite a utilização dos aplicativos do Google, por todos os professores e estudantes, os quais dispõem de recursos que ampliam as possibilidades de interatividade entre estudantes, proporcionando a expressão individual e cooperativa, e com os tutores e professores, facilitando a mediação pedagógica.

A inovação no campo pedagógico apresenta características multidimensionais, estando diretamente relacionada com a orientação, ação e intervenção do docente, um dos principais atores na promoção de novas práticas pedagógicas. Considerando o exposto, a instituição vem ampliando os espaços de formação pedagógica para seus docentes, voltados ao estudo, discussão e socialização de novas práticas pedagógicas, com ênfase aos métodos ativos de ensino, que privilegiam a atuação discente, a valorização de aprendizagens e conhecimentos anteriores, a aprendizagem significativa, interativa e colaborativa, a contextualização, a problematização do ensino e a relação teoria/prática.

Buscando desenvolver o empreendedorismo e a inovação, prima-se pela realização de diversas ações e projetos como workshops, aceleração de projetos, educação e experiência empreendedora, hackathons, projetos de inovação aberta, laboratório de startups e aproximação entre empresas, governo e sociedade civil organizada a fim de desenvolver

soluções para problemas reais, pautados em um conceito de universidade empreendedora e no desenvolvimento de uma cultura de inovação.

2.5.2 Material didático

O material didático é organizado pelo setor de produção da EaD, a partir de conteúdos produzidos internamente — incluindo a autoria dos objetos por parte de docentes mestres ou doutores —, bem como de conteúdos licenciados de empresas externas, conforme a natureza e a complexidade do componente curricular. Os materiais e as atividades — produzidos ou licenciados — são revisados pela equipe multidisciplinar e diagramados pela equipe responsável pelo design instrucional antes de serem disponibilizados ao setor pedagógico.

Com relação ao processo de produção, há um workflow que é orientado pelos parâmetros pedagógicos institucionais, constantes no PPC e nas matrizes dos cursos.

Portanto, os professores e o coordenador de curso exercem importante papel na constituição da proposta do conteúdo-base de cada componente curricular, em um processo de planejamento e produção que é acompanhado pela equipe de design instrucional a fim de chegar-se à estrutura final desejada para os materiais didáticos.

Dessa maneira, a produção de conteúdo se dá, em cada componente curricular, buscando estabelecer as concepções do PPC como aspectos orientadores ao professor que elabora ou ao que faz a curadoria do conteúdo, o qual conta também com a orientação constante da equipe de produção e da equipe multidisciplinar — incluindo o papel essencial da coordenação de curso. A partir do conteúdo base e da bibliografia prevista para o componente curricular, são desenvolvidos os objetos de aprendizagem, as atividades e as questões (de estudo ou avaliativas) e, por fim, o material é disponibilizado no ambiente virtual.

Durante o processo de organização do material didático, que inclui e-book, telas narradas, quiz, atividades de aprendizagem, questões em formato ENADE, fóruns, vídeos e vídeo-aulas, áudios, infográficos, dentre outros recursos multimídia, mantém-se interação dialógica constante dos professores (autores ou curadores) com os coordenadores e, por meio destes, com o NDE, tendo em vista a qualidade do material didático e o atendimento às necessidades do componente curricular, considerando sua abrangência, seu aprofundamento e coerência teórica de modo a garantir o atendimento à proposta formativa do curso.

Da mesma forma, estabelece-se um processo dialógico a posteriori com os estudantes, que serão convidados a avaliarem o material didático utilizado nos diferentes componentes curriculares. Tal processo mostra-se relevante para manter os recursos disponibilizados atualizados, interessantes, eficazes, promovendo um ciclo de melhoria da qualidade dos produtos dos cursos na modalidade a distância.

Destaca-se ainda a formação continuada dos autores/curadores, da equipe de produção e da equipe multidisciplinar para a afinidade de todos no andamento dos processos de produção em todas as suas etapas e demandas. No que se refere ao material físico, a Universidade La Salle disponibiliza uma versão impressa do livro didático de cada componente curricular para empréstimo/consulta dos alunos nas bibliotecas dos polos com alunos carentes. Esses materiais são editados, impressos, catalogados e enviados aos polos.

Desse modo, a Instituição busca contribuir com a acessibilidade de estudantes que

necessitem ou dependam da versão física do material para ampliar suas possibilidades de aprendizagem.

Ainda sobre a acessibilidade dos materiais, a equipe multidisciplinar conta com apoio de profissionais que promovem a adaptação dos conteúdos às potencialidades e necessidades dos estudantes com deficiência, procurando adotar o melhor caminho pedagógico conforme as especificidades e características de cada estudante.

2.5.3 Atividades de tutoria

As atividades dos tutores se voltam para as demandas didático-pedagógicas do curso sendo corresponsáveis pela mediação e pela facilitação do processo ensino-aprendizagem.

Essas atividades são orientadas e supervisionadas pelo professor do componente curricular, em contatos periódicos. Os tutores encaminham as dúvidas dos estudantes aos professores, sempre que não se sentem totalmente aptos a respondê-las. Do mesmo modo, cabe aos coordenadores de curso manter contato continuado com os tutores e docentes, tendo em vista a observância à implementação do Projeto Pedagógico do Curso e dos planos de ensino das disciplinas.

As atividades de tutoria são realizadas tanto de modo virtual, por meio das ferramentas do ambiente virtual, quanto presencial, estando os tutores disponíveis para apoio presencial aos estudantes, a fim de esclarecer dúvidas. Por meio do ambiente virtual, o tutor também realizará ações de retenção dos estudantes, verificando, sistematicamente, o acesso dos acadêmicos nos componentes curriculares em que estiver matriculado e sua participação nas atividades propostas. Ao identificar os acadêmicos que estiverem sem acesso ao ambiente, os tutores entrarão em contato pelo e-mail pessoal e institucional do acadêmico, buscando identificar eventuais dificuldades que possam estar enfrentando a fim de prestar suporte a ele.

Isso posto, constituem-se como atividades da tutoria:

a. apropriar-se do material didático do componente curricular para o qual foi alocado;

b. realizar a mediação no processo de ensino e aprendizagem no componente curricular, em articulação com as coordenações e o professor formador;

c. esclarecer dúvidas dos estudantes, buscando orientação com as coordenações e com o professor formador, sempre que necessário;

d. prestar suporte aos estudantes em relação ao uso das ferramentas disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem;

e. motivar, interagir e acompanhar os estudantes no desenvolvimento das atividades propostas no ambiente virtual;

f. realizar a postagem de materiais didáticos no ambiente;

g. incentivar os estudantes a participarem dos encontros presenciais, dos fóruns temáticos e demais atividades planejadas pelo professor;

h. dinamizar a realização das atividades previstas para os encontros presenciais;

i. acompanhar a realização das provas presenciais obrigatórias, quando pertinente, solicitando e conferindo as assinaturas das atas;

j. acompanhar e conferir a postagem das notas dos estudantes no AVA;

k. acompanhar as atividades práticas e os estágios supervisionados vinculados ao Projeto Pedagógico do Curso;

l. acompanhar o desempenho dos estudantes vinculados às tendências de evasão, comunicando às coordenações e realizando ações de retenção;

m. manter comunicação permanente com os professores formadores e as coordenações acerca do andamento das atividades de tutoria, apresentando relatórios e análises sobre o desempenho das turmas;

n. receber e encaminhar solicitações dos estudantes no que tange às suas atividades discentes.

Periodicamente, a instituição organiza situações de avaliação dos tutores, por parte dos estudantes e da equipe pedagógica, cujos resultados são analisados e utilizados para embasar ações de formação e desenvolvimento da tutoria, visando à qualificação de sua prática e adequações no planejamento de atividades futuras.

2.5.4 Ambiente Virtual de Aprendizagem - AVA

Tendo em vista a natureza da modalidade de ensino a distância torna-se inerente a incorporação de avanços tecnológicos congruentes com o contexto cibercultural. Desse modo, o curso de História - Segunda Licenciatura - EaD o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) La Salle Learning Experience - LEX que dialoga com as mais recentes tecnologias e ferramentas digitais voltadas ao processo ensino-aprendizagem.

O LEX está adequado aos padrões WCAG 2.0 de acessibilidade. Desse modo, os acadêmicos com deficiência poderão utilizar seus próprios softwares (de leitura de tela, por exemplo), já que o sistema está adequado em seu código de ordens do HTML para leitura de NVDA e JAWS. Desse modo, todo o acesso do aluno cego pode ser guiado dentro do ambiente por meio das ferramentas de percurso.

É nesse ambiente que se dá a integração dos principais atores desse processo, por meio de recursos síncronos (chat, webconferência) e assíncronos (fóruns, tarefas, wikis), que possibilitam a interatividade dos estudantes com seus próprios pares, com os tutores e professores, bem como com os conteúdos, por meio dos materiais didáticos e objetos de aprendizagem disponibilizados no ambiente.

Destaca-se que o AVA está integrado com o sistema acadêmico e foi desenvolvido para multiplataformas a fim de promover uma comunicação ubíqua, ou seja, o acesso está disponível para o estudante em qualquer espaço e tempo, possibilitando a interação e a aprendizagem contínua por meio de dispositivos móveis.

Anualmente, os estudantes serão convidados a avaliar o Ambiente Virtual de Aprendizagem utilizado, no que tange a sua funcionalidade e layout, suas ferramentas e recursos e sua acessibilidade.

2.5.5 Tecnologias de Informação e Comunicação no processo ensino-aprendizagem

A sociedade contemporânea encontra-se, cada vez mais, marcada pela conectividade e pela rápida evolução de processos e serviços relacionados às diferentes demandas sociais.

Esta rápida evolução de processos e saberes na contemporaneidade por meio das tecnologias vem ressignificando continuamente as relações sociais, bem como as formas de comunicação e interação entre as pessoas. Com o advento das tecnologias digitais, a educação gradativamente vem incorporando diversos recursos e metodologias no processo ensino-aprendizagem.

As instituições de ensino superior, como espaços de formação e transformação social, devem acompanhar os desafios, tendências e necessidades que emergem na contemporaneidade. Segundo FAVA (2018, p. 15) “A globalização, a informatização, a tecnologia, a inteligência artificial, a trabalhabilidade e o advento das gerações Y e Z forçaram as instituições de ensino a adotar o uso de novas metodologias mais aderentes ao perfil dos estudantes e às tecnologias digitais.”

Com a apropriação de diferentes tecnologias que emergem na contemporaneidade, a educação também assume um caráter inovador frente ao modelo tradicional, até então predominante no contexto educacional. “Lidar com as tecnologias da inteligência na era digital envolve recriar sentidos e significados para o conhecimento construído e compartilhado em redes”. (ANDRADE; SARTORI, 2018, p. 175). Instituições de ensino superior viram, nas tecnologias digitais, possibilidades de otimização dos processos desenvolvidos.

Partindo do exposto, durante a sua formação, o estudante do curso de História - Segunda Licenciatura EaD utilizará diferentes mídias e tecnologias digitais de informação e comunicação, mobilizando diversas competências alinhadas ao perfil profissional e ao mundo do trabalho contemporâneo. Estas tecnologias envolvem recursos digitais que promovem a comunicação, a interação e a cooperação entre docentes, tutores e discentes, possibilitando uma aprendizagem mais dinâmica. Entre as tecnologias de comunicação e informação disponíveis estão: a suíte de aplicativos Google Workspace for Education, a partir da criação de contas institucionais para cada professor, tutor e estudante; o Ambiente Virtual de Aprendizagem Lasalle Learning Experience - LEX, desenvolvido pela Universidade e integrado com os aplicativos Google, o qual possibilita a utilização de diversas ferramentas de interação síncrona e assíncrona, tais como: chat, videoconferência, fóruns, edição colaborativa de arquivos de texto, apresentações, quadros, mapas mentais, infográficos, nuvens de palavras, objetos de aprendizagem, vídeos, podcasts etc. A integração com a plataforma Google Workspace for Education permite a utilização de recursos como o Google Meet, o Hangouts, o Google Groups, o Google Drive e o Google Docs pelos estudantes, sendo estes de uso dinâmico e colaborativo, contribuindo para uma aprendizagem pautada na interação e na cooperação entre os estudantes. Nesse contexto, a utilização de diferentes recursos tecnológicos, bem como de metodologias ativas por meio das tecnologias propiciam a adoção de experiências diferenciadas na aprendizagem dos estudantes.

Assim, a presença de tais tecnologias de informação e comunicação no processo formativo do estudante, ao promover a interação entre este e os diversos atores envolvidos na sua formação, como colegas, professores, tutores e coordenação de curso, contribuirá para o desenvolvimento do trabalho em equipe, da comunicação, do pensamento sistêmico

e da resolução de problemas de forma colaborativa, habilidades necessárias ao profissional de História.

Por fim, importante destacar que os recursos utilizados nas aulas ficarão disponíveis ao estudante no Ambiente Virtual de Aprendizagem, podendo ser acessados de qualquer

Por fim, importante destacar que os recursos utilizados nas aulas ficarão disponíveis ao estudante no Ambiente Virtual de Aprendizagem, podendo ser acessados de qualquer

No documento PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO. História EaD. Segunda Licenciatura (páginas 51-58)