• Nenhum resultado encontrado

Rev. Assoc. Med. Bras. vol.59 número4

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2018

Share "Rev. Assoc. Med. Bras. vol.59 número4"

Copied!
1
0
0

Texto

(1)

r e v a s s o c m e d b r a s .2 0 1 3;5 9(4):325

Revista da

ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA

w w w . r a m b . o r g . b r

Acreditac¸ão

Atualizac¸ão em leucemia mieloide crônica

Update on chronic myeloid leukemia

Wanderley M. Bernardo

, Arthur Moellmann Coelho, Carla Maria B. de Moura Freitas,

Carmino Antonio de Souza, Israel Bendit, Katia Borgia Barbosa Pagnamo, Monika

Conchon e Veneza Araujo Moreira Funke

Projeto Diretrizes da Associac¸ão Médica Brasileira, São Paulo, SP, Brasil

Nesta sec¸ão são encontradas perguntas elaboradas a partir da leitura da sec¸ãoDiretrizes em foco, publicada na RAMB 59(3).

Perguntas

Marque nas questões de múltipla escolha a seguir a alternativa com a resposta que considerar correta.

1. Quais são os critérios diagnósticos para LMC?

a. Presenc¸a do cromossomo Filadélfia e/ou da presenc¸a do rearranjo BCR-ABL

b. Leucocitose com basofilia e plaquetose c. Leucocitose e esplenomegalia

d. Leucocitose, plaquetopenia e < 10% de blastos

2. Anormalidade citogenética adicional ao cromossomo Fila-délfia (Ph) ao diagnóstico tem importância prognóstica? a. Aumenta a sobrevida em 60%

b. Aumenta a mortalidade em 36% a 40%

c. Reduz a mortalidade pela progressão da doenc¸a em 28% d. Confere maior sobrevida global em 5 anos

3. O imatinibe é superior aos inibidores de tirosinoquinases de segunda gerac¸ão no tratamento da LMC em fase crônica em primeira linha?

a. O imatinibe produz maior benefício do que o dasatinibe b. O nilotinibe produz menor benefício do que o imatinibe c. Não há diferenc¸a na resposta ao tratamento

d. O dasatinibe e o nilotinibe produzem maior benefício do que o imatinibe

4. A avaliac¸ão citogenética tem impacto no prognós-tico?

Autor para correspondência.

E-mail: diretrizes@amb.org.br (W.M. Bernardo).

a. A presenc¸a de resposta citogenética aumenta a morta-lidade

b. A perda de resposta citogenética no 1o ano de trata-mento com imatinibe é de 77%

c. Nos pacientes que obtém resposta citogenética ao ima-tinibe há aumento na sobrevida

d. Na resposta citogenética ao dasatinibe não há diferenc¸a na mortalidade

5. Qual é o tratamento de escolha para pacientes com LMC em FC com resistência ao imatinibe 400 mg?

a. Imatinibe (800 mg/dia)

b. Dasatinibe 100 mg/dia ou nilotinibe 400 mg 12/12 h ou escalonamento do imatinibe para até 800 mg se não for candidato aos outros inibidores

c. Dasatinibe 140 mg/dia d. Nilotinibe 300 mg 12/12 h

Referência

Bernardo WM, Paranhos FR, Costa RA, Meirelles R, Simões R. Atualizac¸ão em degenerac¸ão macular relacionada à idade (DMRI). Rev Assoc Med Bras. 2013;59(3):233.

Respostas

1. A 2. B 3. D 4. C 5. B

Referências

Documentos relacionados

Logo, para produzir encaminhamentos que permitam elucidar a identidade do autor dos serviços realizados na Matriz de Nossa Senhora da Conceição (Catas Altas), confrontaram-se

O sexto e último ano do Mestrado Integrado em Medicina (MIM) da Nova Medical School é composto por seis Estágios Parcelares (Cirurgia, Medicina, Ginecologia e Obstetrícia,

1.1 As inscrições para o Processo Seletivo Simplificado se dará a partir do dia 10/03/2020 até o dia 13/03/2020 exclusivamente através do e-mail: vagas@intecsslz.com.br com o

As Tabelas 1 e 2, baseada nos resultados de pesquisa de Macedo-Soares (2002), com os atributos necessários/ desejáveis de cada variável principal para implementação de estratégia

Previamente à realização de estudos de genética molecular devem ser excluídas as causas adquiridas atra- vés de neuroimagem (cerebral e espinal medula) e estudo analítico

Para Kehdy (1968), os arquivos criminais são caracterizados pelo arquivamento de certificados do registro criminal, certificados do registro policial, ficha de

Os valores da quantidade de precipitação ocorridos variaram entre 16.3 mm em Beja e 221 mm nas Penhas Douradas e foram bastante superiores aos normais (61-90) para a época em todo

Nesta pesquisa, propôs-se avaliar como a Gamificação e a abordagem de Aprendizagem baseada em Projetos pode engajar os alunos na colaboração em um