Fusões e Aquisições no Brasil

Texto

(1)

Fusões e Aquisições

no Brasil

Abril de 2016

(2)

395 337 415 389 573 722 645 644 799 752 771 812 879 742 113 108 102 118 152 203 221 170 250 244 243 258 261 268 203 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 Jan-Dez Jan-Abr

No primeiro quadrimestre de 2016 foram totalizadas 203 transações, volume total 24% inferior ao quadrimestre do ano de 2015, com 268 transações concretizadas. No período de abril foram realizadas 55 negociações, volume 30% inferior quando comparado ao mesmo período do ano anterior (2015 - 79 transações).

No mês de abril, foi atingido um novo volume máximo de transações em 2016 com 55 transações, em comparação aos demais meses do ano, (janeiro – 51 transações, fevereiro - 43 transações, março - 54 transações).

Com 55 transações concluídas em abril, o volume acumulado no

primeiro quadrimestre de 2016 totalizaram 203 transações

Média de 254 transações em abril Média de 187 transações em abril Média de 110 transações em abril

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

(3)

26 30 27 25 52 62 65 53 61 70 62 74 70 79 55 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016

Transações anunciadas em abril (2002 a 2016)

abril

Transações

63 43 83 61 68 73 57 68 62 58 68 95 56 53 65 7072 49 58 71 66 57 58 77 58 6063 62 88 7271 62 58 61 5759 53 60 71 74 74 66 65 66 68 67 67 81 60 68 63 70 61 7271 8887 77 74 88 60 54 7579 66 72 54 53 52 5357 67 51 43 54 55 jan/ 10 fev /10 m ar /10 abr /10 m ai /10 jun/ 10 jul /10 ago/ 10 s et /10 out /10 nov /10 dez /10 jan/ 11 fev /11 m ar /11 abr /11 m ai /11 jun/ 11 jul /11 ago/ 11 s et /11 out /11 nov /11 dez /11 jan/ 12 fev /12 m ar /12 abr /12 m ai /12 jun/ 12 jul /12 ago/ 12 s et /12 out /12 nov /12 dez /12 jan/ 13 fev /13 m ar /13 abr /13 m ai /13 jun/ 13 jul /13 ago/ 13 s et /13 out /13 nov /13 dez /13 jan/ 14 fev /14 m ar /14 abr /14 m ai /14 jun/ 14 jul /14 ago/ 14 s et /14 out /14 nov /14 dez /14 jan/ 15 fev /15 m ar /15 abr /15 m ai /15 jun/ 15 jul /15 ago/ 15 s et /15 out /15 nov /15 dez /15 jan/ 16 fev /16 m ar /16 abr /16 Transações por mês (2010 a 2016)

(4)

Centro-oeste

6%

1%

Norte

Região Sudeste é a preferência dos investidores no primeiro

quadrimestre de 2016 com 64% de interesse de investimento

Nota: Não inclui acordos. Fonte: PwC.

Nordeste Sul

15%

5%

SP 49% RJ 7% MG 7% ES 1%

No acumulado de 2016, a Região Sudeste continua sendo a preferência dos investidores em território brasileiro, com o interesse de 64% nos negócios concluídos (129 transações), no mesmo período de 2015 foram registradas 190 transações. No mês de abril, foram concluídos 35 transações no Sudeste, redução de 36% em comparação ao mesmo período do ano anterior (abril 2015 – 55 transações no Sudeste).

O Estado de São Paulo mantém a liderança com 49%, representado por 100 transações (2015 - 151 transações). Na Região Sul, foram efetuadas 30 negociações, 14% inferior ao mesmo período de 2015 (35 transações).

Transações fora do Brasil representam 9% do total de

transações concluídas, com 18 negócios (2015 – 20 transações).

4 64% 16% 2% 7% 11% Sudeste Sul Nordeste Centro-Oeste Estrangeiros

Transações por região – mês de abril 2016

(5)

O setor de TI consolida a preferência dos investidores no mercado

de Fusões e Aquisições brasileiro com 17% do total transacionado

no primeiro quadrimestre

Participação dos setores em M&A Brasil - 2016

TI – O setor com maior interesse desde jan/2014 34 Transações, redução de 36% em relação a 2015

(53 transações)

17% do total transacionado Serviços Auxiliares

24 Transações, redução de 17% em relação a 2015 (29 transações)

12% do total transacionado Financeiro

19 Transações, redução de 5% em relação a 2015 (20 transações) 9% do total transacionado

1

2

3

Top 5 setores (2015 e 2016) 15 13 20 29 53 16 19 19 24 34 Alimentos Quím./Petroquím. Financeiro Serv. Auxiliares TI 2016 2015 17% 12% 9% 9% 8% 7% 6% 5% 3% 24% TI Serv. Auxiliares Financeiro Quím./Petroquím. Alimentos Varejo Mineração Logística Serv. Imobiliários Outros

(6)

Exemplos de transações - Top 5 setores anual

PwC | Fusões e Aquisições no Brasil – Abril 2016 6

TI

Auxiliares Financeiro

Serviços

Químico

Alimentos

• A empresa brasileira de

serviços de TI, Tivit, realizou a aquisição da startup mineira One Cloud; • A plataforma de anúncio de carros Webmotors, do grupo Santander Brasil, realizou a aquisição do site do mesmo segmento BuscaCarros. • A MediaMonks realizou a aquisição da empresa brasileira Cricket Brasil, do mesmo segmento de marketing multimídia; • A empresa italiana GI Group, por meio de sua subsidiária brasileira, GI Group Brasil, realizou a aquisição do grupo brasileiro Laborh. • A Stone Pagamentos realizou a aquisição de 100% da Elavon do Brasil, anteriormente do grupo Citibank e US Bancorp, sem valores anunciados; • A empresa americana de pagamentos móveis SumUp e a companhia brasileira do mesmo segmento payleven, anunciaram a fusão de suas empresas. • A companhia francesa Saint-Gobain, realizou a aquisição de 51% da companhia brasileira Poli Tape, fabricante de fitas adesivas no Brasil; • A companhia brasileira de laboratórios Aché, realizou a aquisição da companhia paranaense Nortis Farmacêutica, fabricante de medicamentos de Londrina, sem valores anunciados. • A companhia de alimentos brasileira, BRF realizou a aquisição da totalidade da distribuidora de alimentos congelados Al Khan Foodstuff; • A empresa brasileira do setor alimentício, BRF, realizou a aquisição da companhia argentina especializada no segmentos do mercado de frios, Calchaqui.

(7)

Financeiro

Serviços

Auxiliares

TI

Mineração

Varejo

Exemplos de transações - Top 5 setores mensal

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos. • A empresa Siteware, de gestão de performance corporativa, realizou a aquisição da sua concorrente do mesmo segmento ControlCorp, sem valores anunciados. • A bolsa de valores de São Paulo, BM&F Bovespa realizou a aquisição da câmara depositária de títulos, CETIP, pelo valor de 11,9 bilhões. Segundo nota, a CETIP deve ficar com 11,8% do capital social da bolsa brasileira. • O fundo de investimento brasileiro SP Partners realizou um aporte na plataforma Bicos, que faz a ponte entre prestadores de serviços e contratantes, pelo valor de R$ 2 milhões. • A companhia canadense mineradora de ouro Yamana, e a Carpathian Gold, realizaram a aquisição da mina de ouro Riacho dos Machados (RDM), na região norte de Minas Gerais, pelo valor de USD 48,5 milhões. • A GP Investments Acquisition, braço de aquisições da GP Investments, realizou a compra de participação na WKI Holding Company, controladora da fabricante de utensílios domésticos World Kitchen.

(8)

57 55 46 40 61 93 138 81 132 121 122 134 132 111 98 32 26 30 45 45 59 43 57 76 85 89 101 109 126 92 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 Nacionais Estrangeiros

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Número de negócios realizados até abril (2002 a 2016)*

* Não inclui Joint-Ventures , fusões e cisões

No acumulado do primeiro quadrimestre, investidores nacionais

posicionam-se a frente dos investimentos pela segunda vez no ano de

2016, com 52% de participação nas transações envolvendo o Brasil

PwC | Fusões e Aquisições no Brasil – Abril 2016 8

No mês de abril, os investidores nacionais posicionam-se na liderança, pela segunda vez no ano, com 52% de

participação, equivalente a 98 transações (redução de 12% quando comparado ao mesmo período de 2015 – 111 transações). Com 48% das transações realizadas em abril, os investidores estrangeiros tiveram uma redução de 27% em relação ao mesmo período de 2015 (126 transações).

(9)

Estados Unidos, França e Canadá foram responsáveis por 53% do

total de transações acumulado em 2016 envolvendo capital

estrangeiro, com 97 transações no primeiro quadrimestre

31 11 10 9 6 47 7 2 7 8

EUA França Canadá Reino Unido Alemanha

Top Investidores estrangeiros de 2016 e 2015 (janeiro a abril)

2016 2015

Nota: Não inclui acordos. Fonte: PwC.

No período acumulado até abril foram constatadas 97 transações envolvendo capital estrangeiro, redução de 27% em comparação ao mesmo período acumulado do ano anterior, (2015 - 132 transações), países como EUA, França e Canadá representam 53% do interesse em ativos brasileiros.

No mês de abril foram concretizadas 30 negociações por capital estrangeiro, redução de 25% em comparação ao mesmo período de 2015 com (40 transações).

EUA: com 32% do total das transações - 31 negociações, 34%

inferior ao ano anterior (2015 - 47 transações);

França: com 11% do total - 11 transações (2015 – 7 transações);

Canadá: com 10% do total - 10 transações (2015 - 2 transações).

53% de interesse em ativos brasileiros do total de transações estrangeiras

33% 10% 10% 12% 7% 7% 26% Investidores estrangeiros do mês de abril 2016 EUA Alemanha China Austrália Canadá França Outros

(10)

Investidores estrangeiros - abril 2016 x 2015

Nota: Não inclui acordos. Fonte: PwC.

10

1º EUA

A gestora de fundos de investimentos Valor Capital Group, realizou um aporte no valor de R$ 28 milhões na plataforma de agendamento em salões de beleza Beauty Date.

2º França

A empresa francesa produtora de gases industriais, Air Liquide, realizou a aquisição da companhia brasileira Vic Pharma, empresa do ramo de produtos de higiene.

3º Canadá

A empresa canadense de softwares Redbrick, realizou a aquisição da companhia brasileira do mesmo segmento DeskMetrics, sem valores anunciados. Ranking 2016 Ranking 2015 País investidor Transações 2016 Transações 2015 Variação 2015 x 2016 EUA 31 47 -34% França 11 7 57% 14º Canadá 10 2 400% Reino Unido 9 7 29% Alemanha 6 8 -25% Suíça 4 10 -60% Japão 3 5 -40% Austrália 3 3 0% 18º Espanha 3 2 50% 10º 15º China 3 2 50% 11º 26º Noruega 3 1 12º Argentina 2 6 13º 12º Irlanda 2 3 14º 13º Itália 2 3 15º 11º India 1 3 16º 10º Holanda 1 3 17º 20º Bélgica 1 1 18º 29º Rússia 1 1 19º 32º Emirados Árabes 1 África do Sul 4 16º Colômbia 2 17º Cingapura 2 19º Arábia Saudita 1 21º Bermudas 1 22º Dubai 1 23º Hong Kong 1 24º Israel 1 25º México 1 27º Peru 1 28º Portugal 1 30º Suécia 1 31º Tailândia 1 Total 97 132 Top 3 52 65 % Top 3 53% 49%

(11)

Evolução das modalidades no período acumulado até abril (2002 a 2016) 0 20 40 60 80 100 120 140 160 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 Aquisições Compras Joint ventures Fusões Incorporações Cisão

No acumulado do primeiro quadrimestre de 2016 foram realizadas

126 aquisições de participação majoritária, a preferência dos

investidores em território brasileiro

Nota: Transações divulgadas na imprensa. Não inclui acordos.

Fusões e Aquisições no Brasil

35%

60%

Perfil de transações – mês de abril 2016 Aquisições Compras Incorporações

Perfil de

Transação 2016 Total2015 Variação %2015-2016

Aquisições 126 107 18% Compras 64 130 -51% Joint Ventures 5 8 -38% Fusão 5 13 -62% Incorporação 2 10 -80% Cisão 1 0 100% 5%

(12)

Private Equity

PwC | Fusões e Aquisições no Brasil – Abril 2016 12

Setor de TI com 8 transações (69% inferior a 2015 - 26

transações até abril)

Serviços Financeiros com 5 transações (redução de 38% em relação a 2015 - 8 transações) Logística com 5 transações (crescimento de 25% em relação a 2015 - 4 transações)

Investidores financeiros: No período acumulado do primeiro quadrimestre de 2016, os investidores financeiros estiveram

presentes em 30 transações, redução de 68% quando comparado ao mesmo período do ano passado (2015 – 94 transações até abril), sendo 27% investidores nacionais (8 transações) e 73% de

investidores estrangeiros (22 transações) em 2016.

No mês de abril, foram realizadas 5 transações (redução de 85% em relação ao mesmo período de abril 2015 - 34 transações), sendo 100% de investidores estrangeiros (5 transações).

Das 34 transações concluídas no mesmo período de 2015, 47% (16 transações) foi composto por investidores nacionais e 53% por investidores estrangeiros (18 transações).

8 6 11 5 18 16 26 34 25 26 13 14 6 12 15 16 8 14 24 18 19 23 12 28 23 24 19 12 Transações envolvendo Private Equity

(2014 a 2016) 20162015 2014 8 5 5 2 2 26 8 4 1 4 9 16 2 0 7

TI Financeiro Logística Agropecuária Serv.

Imobiliários Top 5 setores mais investidos até

abril (2014 a 2016)

2016 2015 2014

(13)

• A Supporte Logística Integrada realizou a aquisição do terminal intermodal em Uberlandia (MG) anteriormente do grupo Libra Logística, pelo valor de R$ 2,8 milhões;

• A companhia farmacêutica SeQuent Scientific, por meio de sua subsidiária Alivira Animal Health, realizou a aquisição de 70% da companhia brasileira Interchange Industria, pelo valor de USD 3,6 milhões;

• O fundo de investimento suíço Sallfort realizou um aporte na startup brasileira de compra e venda de celulares e tablets seminovos, a Trocafone, pelo valor de R$ 20 milhões;

• O fundo de investimento Aeroespacial (FIP) realizou um aporte de R$ 28,2 milhões na companhia Tempest Security Intelligence, sediada em Recife, especializada em

segurança cibernética;

• A companhia japonesa multinacional, Shimadzu,

especializada nas áreas científicas e médicas, por meio de sua subsidiária no Brasil, realizou a aquisição da companhia brasileira Sinc do Brasil;

• A empresa alemã Thyssenkrupp, realizou a compra de participação minoritária de 26,87% na Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), participação essa anteriormente da empresa brasileira Vale, sem valores anunciados.

Casos selecionados; não é uma lista exaustiva. Não representa necessariamente as maiores transações anunciadas, mas uma abordagem combinada de relevância e tamanho da operação anunciada. Algumas transações sujeitas a análise e aprovação por parte de órgãos reguladores.

• A empresa Black Bamboo Enterprises, do grupo chinês Foresun, realizou a aquisição das unidades na Argentina da companhia brasileira de alimentos Marfrig, pelo valor de USD 75 milhões;

• O fundo norte-americano de private equity General Atlantic realizou a compra de participação da companhia brasileira XP Investimentos, comprando 10% da participação

anteriormente da Actis pelo valor de R$ 300 milhões; • A empresa americana Towerco, por meio de sua subsidiária,

Towerco Latam Brasil, realizou a aquisição de 1.655 torres, anteriormente da Telefónica Brasil, pelo valor de R$ 760 milhões;

• A companhia francesa CNP Assurances realizou a aquisição de 51% nas companhias brasileiras Pan Seguros e na Pan Corretora, anteriormente da BTG Pactual, pelo valor de R$ 700 milhões;

• A companhia chinesa China Molybdenum realizou a aquisição dos negócios de nióbio e fosfatos no Brasil, anteriormente da mineradora global Anglo American, pelo valor de USD 1,5 bilhão.

.

Transações selecionadas de abril 2016

(14)

• A empresa de pedidos de alimentos online Just Eat realizou a aquisição das rivais na Espanha, Itália, Brasil e México, anteriormente propriedades da Rocket Internet e

foodpanda, no Brasil, a Just Eat realizou a aquisição da hellofood Brasil;

• A empresa CCR, por meio de sua controlada CPC, realizou a aquisição de imóveis situados nos municípios de Cajamar e Caieiras, pelo valor total de R$ 387,4 milhões;

• O grupo paulista de logística JSL realizou a aquisição das empresas goianas Quick Logística e Quick Armazéns, pelo valor de R$ 130 milhões;

• A americana UnitedHealth, dona da Amil, realizou a aquisição do Hospital Samaritano de São Paulo, pelo valor de R$ 1,3 bilhões;

• A Arezzo, fabricante de calçados e bolsas, anunciou um programa de recompra de ações de até 10% de suas ações ordinárias em circulação no mercado, correspondendo a 4,2 milhões de papéis;

• A AR Metallizing realizou a aquisição da Málaga Produtos Metalizados, especializada no mesmo segmento, sem valores anunciados.

Casos selecionados; não é uma lista exaustiva. Não representa necessariamente as maiores transações anunciadas, mas uma abordagem combinada de relevância e tamanho da operação anunciada. Algumas transações sujeitas a análise e aprovação por parte de órgãos reguladores.

• A companhia japonesa Qualicaps, subsidiária da Mitsubishi Chemical, realizou a aquisição do fabricante brasileiro de cápsulas Genix, pelo valor de USD 43 milhões;

• Dois investidores privados brasileiros realizaram a aquisição das operações de televisão, rádio e jornal do grupo RBS, no estado de Santa Catarina;

• A empresa do setor imobiliário Gafisa, anunciou um programa de recompra de ações de até 8.198.565 ações ordinárias, correspondendo a 2,2% do total de ações em circulação. Segundo nota, as compras serão realizadas até 03 de março de 2017;

• A empresa canadense Lara Exploration realizou a aquisição do projeto Tocantins Gold, anteriormente da Brazil

Americas Investments, sem valores anunciados; • A Henry Schein realizou a aquisição da companhia

brasileira Dental Cremer, de produtos para cuidados com a saúde, sem valores anunciados;

• A Qualcomm Ventures e a DGF Investimentos, ambos gestora de fundos dedicados a empresas de tecnologias, realizaram um aporte no valor de R$ 40 milhões

na WebRadar.

Transações selecionadas do primeiro trimestre de 2016 (1/2)

(15)

• A mineradora canadense Lara Exploration, realizou a compra do projeto de níquel Damolândia, em Goiás, pelo valor de USD 580 mil;

• A empresa americana Archer Daniels Midland (ADM) realizou a venda de sua usina de etanol em Limeira do Oeste (MG) para a empresa brasileira JFLim Participações, sem valores anunciados;

• A gestora de fundos de investimentos, FAMA realizou uma compra minoritária de participação na empresa Mills Estruturas e Serviços, atingindo um total do capital votante de 6,02%;

• A empresa americana Gleason Corporation realizou a aquisição do negócio de ferramentas da Hurth Infer Indústria de Máquinas, localizada em Sorocaba (SP), sem valores anunciados;

• O grupo Folha de Comunicação, empresa que comanda a Folha de Londrina, realizou a aquisição da emissora MultiTV, sem valores anunciados;

• A Govbr, empresa em tecnologia para prefeituras, realizou a compra da carteira de clientes na área pública da RCL Softwares para Gestão pelo valor de R$ 1,8 milhão.

Casos selecionados; não é uma lista exaustiva. Não representa necessariamente as maiores transações anunciadas, mas uma abordagem combinada de relevância e tamanho da operação anunciada. Algumas transações sujeitas a análise e aprovação por parte de órgãos reguladores.

• A Agroceres Multimix, empresa de nutrição animal do grupo Agroceres, realizou a aquisição da Novanis Animal, sem valores anunciados;

• A Merieux NutriSciences, empresa parte do instituto Mérieux, que oferece testes e serviços analíticos em

alimentos, agroquímicos e entre outros, realizou a aquisição do laboratório brasileiro Allabor Laboratórios;

• A Cubic, uma empresa formada pelo Banco Santander e dois fundos de pensão canadenses, realizou a aquisição de duas usinas eólicas no Nordeste do Brasil, pelo valor de R$ 2 bilhões;

• A gestora de fundos de investimentos BlackRock realizou a compra minoritária de participação da administradora de shoppings centers BR Malls, elevando sua participação para 5,03% do capital social, somando 23.323.521 ações

ordinárias;

• A Vivante, empresa de manutenção industrial e gestão predial, realizou a compra de 40% da Bc2 Construtora, especializada na prestação de serviços de manutenção e conservação de rodovias e concessionadas, sem

valores anunciados.

(16)

Aquisição de participações controladoras são aquelas em que o comprador obtém, na transação, o controle da empresa. Enquadram-se nesta categoria as transações de compra de 100% das ações, de uma participação majoritária (maior do que 50%, mesmo que por apenas uma ação), participações adicionais que transferem o controle para o comprador (por exemplo, um acionista que já possui 30% ao comprar uma participação adicional de 21%), ou qualquer outra transação em que fique explícito que o controle foi transferido para o comprador.

Compra de participações não-controladoras são aquelas em que o controle da empresa não é transferido junto com as ações - tipicamente, são transações menores do que 50% do capital.

Joint venture caracteriza-se por ser um empreendimento de dois ou mais sócios em uma nova empresa, sendo que os sócios continuam a existir com suas operações independentes. É diferente de um acordo comercial (uma representação, por exemplo), em que não existe a criação de uma nova empresa. Fusão é quando duas empresas juntam suas operações e deixam de existir isoladamente, dando origem a uma terceira nova empresa.

Incorporação acontece quando uma empresa absorve as operações de outra, que deixa de existir.

Cisão é o tipo de transação em que uma empresa é dividida, surgindo daí uma outra empresa. É caso das empresas que querem separar os negócios em unidades independentes.

Glossário

Definições aplicadas neste relatório na categorização de uma transação

(17)

Contatos

© 2016 PricewaterhouseCoopers Brasil Ltda. Todos os direitos reservados. Neste documento, “PwC” refere-se à

PricewaterhouseCoopers Brasil Ltda., firma membro do network da PricewaterhouseCoopers, ou conforme o contexto sugerir, ao próprio network. Cada firma membro da rede PwC constitui uma pessoa jurídica separada e independente. Para mais detalhes acerca do network PwC, acesse: www.pwc.com/structure

Rogério Gollo

rogerio.gollo@pwc.com

11 3674 2435

Alessandro Ribeiro

alessandro.ribeiro@pwc.com

11 3674 2593

Leonardo Dell’Oso

leonardo.delloso@pwc.com

11 3674 2209

Humberto Tognelli

humberto.tognelli@pwc.com

11 3674 2593

Imagem

Referências

temas relacionados :