Correção da ficha de revisões de 9.º ano

Download (0)

Full text

(1)

Correção da ficha de revisões de 9.º ano

2- O modo de apresentação do discurso é a descrição.

3- O objetivo do autor, ao utilizar este modo de apresentação, é dar a conhecer ao leitor a casa de Bruno de forma pormenorizada.

4- a) comparação b) personificação c) adjetivação d) enumeração

e) comparação e adjetivação

5- As sensações presentes no texto são as visuais “a sua boca abriu-se de espanto”, auditivas

“paravam para conversar umas com as outras”, olfativas “mistura doce dos aromas” e táteis

“tudo em redor era frio”.

II

1- Ela disse que tinha outra frase para ele e que tinham de aprender a tirar melhor partido das situações.

Bruno retorquiu que não sabia se tinham e que achava que ela devia dizer ao pai que tinha mudado de ideias, e pronto. Acrescentou ainda que, se tivessem de passar ali o resto do dia, jantar e dormir ali, por estarem cansados, tudo bem, mas que talvez fosse melhor levantarem-se no dia seguinte de manhã cedinho se quisessem estar em Berlim à hora do lanche.

2- A mãe insistiu:

– Não discutas comigo e vai para o teu quarto!

Porém, antes de o fazer, ainda ouviu a mãe dizer ao criado:

– Se o Comandante perguntar, diremos ter sido eu a tratar de Bruno.

3-

a) Sujeito nulo expletivo

Em Berlim – Modificador do grupo verbal havia mesas postas na rua – predicado

(2)

mesas postas – complemento direto na rua – modificador do grupo verbal

b) Sujeito nulo subentendido

Pousou os copos em cima da mesa com cuidado – predicado Os copos – complemento direto

Em cima da mesa – complemento oblíquo Com cuidado – modificador do grupo verbal

c) As malas – sujeito simples

foram desfeitas por Bruno – predicado por Bruno – complemento agente da passiva

d) Bruno – sujeito simples

muito determinado – modificador do nome apositivo encheu o armário com roupa – predicado

o armário – complemento direto

com roupa – modificador do grupo verbal

e) Bruno e a irmã – sujeito composto leram um livro maravilhoso – predicado um livro – complemento direto

maravilhoso – modificador do nome restritivo

f) Sujeito nulo indeterminado

Ouviu-se um estalido no corredor – predicado Um estalido – complemento direto

No corredor – modificador do grupo verbal

4- a) Bruno sentiu uma dor de estômago.

b) Um erro não será cometido por Bruno e Maria.

c) O soldado, seu amigo, fora encontrado por Bruno.

d) Bruno respeita os soldados.

(3)

5- Bruno não percebeu (verbo perceber, no Pretérito Perfeito do Indicativo) o que ela queria (verbo querer, no Pretérito Imperfeito do Indicativo) dizer e, por isso, fez (verbo fazer, no Pretérito Perfeito do Indicativo) de conta que nem tinha ouvido (verbo ouvir, no Pretérito Mais-Que-Perfeito Composto do Indicativo).

– Eu continuo (verbo continuar, no Presente do Indicativo) a achar que foi muito má ideia – repetiu. – Acho que o melhor a fazer (verbo fazer, no Infinitivo Impessoal) é nós esquecermos (verbo esquecer, no Futuro do Conjuntivo) tudo isto e voltarmos (verbo voltar, no Futuro do Conjuntivo) para casa.

É a errar que se aprende – acrescentou, usando (verbo usar, no Gerúndio) uma frase que tinha aprendido (verbo aprender, no Pretérito Mais-Que-Perfeito Composto do Indicativo) há pouco tempo e que estava decidido a usar tantas vezes quantas fosse (verbo ser, no Pretérito Imperfeito do Conjuntivo)

possível.

A mãe tem evitado (verbo evitar, no Pretérito Perfeito Composto do Indicativo) falar com Bruno sobre esse assunto e o rapaz não percebera (verbo perceber, no Pretérito Mais-Que-Perfeito Simples do Indicativo) por que razão.

6- a) Quando Bruno viu a casa pela primeira vez – oração subordinada adverbial temporal os seus olhos arregalaram-se – oração subordinante

b) a boca abriu-se de espanto – oração coordenada

e os braços afastaram-se do corpo – oração coordenada copulativa

c) Eles não queriam acreditar – oração subordinante

que iam realmente viver ali – oração subordinada substantiva completiva

d) Era sempre agradável olhar para elas – oração subordinante

porque eram quase todas iguais – oração subordinada adverbial causal

e) As ruas estavam sempre cheias de pessoas – oração subordinante

que iam dar ao centro da cidade – oração subordinada adjetiva relativa restritiva

f) Ninguém a deambular – oração coordenada

ou a correr apressado – oração coordenada disjuntiva

g) Tudo em redor era frio e vazio – oração subordinante

como se estivesse no lugar mais solitário do mundo – oração subordinada adverbial comparativa

h) Ela podia interrompê-lo – oração coordenada

(4)

mas ele não – oração coordenada adversativa

i) Ele decidiu fazer as malas – oração subordinante para regressar a casa – oração subordinada adverbial final

7- a) Abriu-o.

b) Não achas que o cometemos?

c) Bruno sorriu-lhe.

d) O rapaz encostar-lha-á.

e) Ele viu-o.

f) Gretel arranjá-los-ia.

g) Ele conhecê-lo-á.

h) Bruno e o seu amigo iniciá-la-ão.

i) O jovem rapaz não o compreenderia.

j) Os jovens tê-lo-iam.

Figure

Updating...

References

Related subjects :