Engenharia ambiental

Top PDF Engenharia ambiental:

Logística resa aplicada a pilhas: um estudo de caso no Programa de Educação Tutorial (PET) do Curso de Engenharia Ambiental da UFC

Logística resa aplicada a pilhas: um estudo de caso no Programa de Educação Tutorial (PET) do Curso de Engenharia Ambiental da UFC

O excessivo consumo de produtos eletrônicos traz, aliado a ele, o grande consumo de pilhas. As pilhas, quando descartadas de maneira errada, causam danos à saúde humana e à natureza devido a sua alta capacidade toxicológica. A preocupação com a questão ambiental faz com que a Logística Reversa desses produtos seja uma ferramenta eficaz para o descarte correto. O objetivo deste trabalho é analisar como o Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Engenharia Ambiental da Universidade Federal do Ceará (UFC) atua na sensibilização da comunidade acadêmica e da sociedade sobre a importância de destinar corretamente esses produtos. A pesquisa foi realizada através de uma visita a sede do PET e questionário enviado através do correio eletrônico. Os resultados mostram que a reciclagem de resíduos em Instituições de Ensino Superior pode trazer benefícios relevantes à sociedade.
Mostrar mais

42 Ler mais

Mestrado em Engenharia Ambiental

Mestrado em Engenharia Ambiental

Por volta dos anos 70, surgiu a preocupação com o consumo de energia, os elevados custos dos tratamentos convencionais, a valorização da ocupação do solo e a necessidade de proteção ambiental, colocando então o tratamento anaeróbio em destaque. Desta forma, foram desenvolvidas novas tecnologias e por conseqüência reatores classificados como sendo de alta taxa (reatores operados com baixos tempos de detenção hidráulica e elevados tempos de retenção celular), como por exemplo, os reatores de leito fluidizado, os filtros anaeróbios, o reator anaeróbio de fluxo ascendente e manta de lodo (UASB – Upflow Anaerobic Sludge Blanket) entre outros (OLIVA, 1997).
Mostrar mais

102 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO ENGENHARIA AMBIENTAL MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO ENGENHARIA AMBIENTAL MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

Este trabalho foi desenvolvido com base na aplicação dos conceitos e da metodologia de Produção mais Limpa – P+L em uma indústria, como uma ferramenta gerencial disponível para se alcançar a ecoeficiência nas empresas e se obter benefícios ambientais associados a ganhos econômicos, que permitiram comprovar a viabilidade da metodologia e servir de motivação para futuras iniciativas nesse sentido em outras empresas. Baseado na implantação de um Programa de P+L em uma indústria do setor moveleiro – Mod Line Soluções Corporativas Ltda –, instalada no município de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, promoveu-se, em dois setores produtivos dessa empresa, uma auditoria de geração de resíduos e de efluentes, utilizando-se ferramentas de avaliação de fluxos de material e água, para subsidiar a identificação, a avaliação e a implantação de nove oportunidades de P+L, de caráter preventivo, as quais resultaram na minimização de geração de resíduos e de efluentes e, consequentemente, na diminuição do fluxo de entrada de matérias-primas, insumos e água. Ao longo deste trabalho também foram identificadas e discutidas as barreiras encontradas para a implantação do Programa de P+L, e a forma como foram transpostas. A implantação das nove oportunidades da P+L proporcionou para a empresa uma economia anual de cerca de R$172.000,00, obtida com a minimização da geração de resíduos sólidos e da emissão de efluentes líquidos, em quantidades equivalentes a 374.000,00 kg e 200.000,00 L, respectivamente, somadas à redução do consumo anual de 381.000,00 kg de matérias- primas e de 200.000,00 L de água, ou seja, à minimização de perdas de processo. Além desses resultados, alcançou-se, conforme explicado ao longo do trabalho, um nível maior de conscientização ambiental dos empregados e da Alta Direção da empresa, o que, se julga, contribuirá para a manutenção das práticas de P+L no desenvolvimento das atividades cotidianas dos operadores e para incentivar sua extensão a toda planta industrial.
Mostrar mais

277 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

Em 1997, a USEPA, juntamente com a Agency for Toxic Substances and Disease Registry (ASTDR), formulou uma lista conhecida como CERCLA (Comprehensive Environmental Response, Compensation, and Liability Act – Priority List of Harzardous Substances) de substâncias potencialmente nocivas aos seres humanos. Essa lista prioriza as substâncias que devem ser controladas, com base na combinação de três fatores: freqüência de ocorrência ambiental, nível de toxicidade e potencial de exposição dos seres humanos. Para cada fator é atribuído uma pontuação e, ao final, os pontos são somados. A substância que obtém a maior pontuação vem em primeiro lugar na lista. O benzo[a]pireno ocupa a oitava posição dessa lista, HPAs, de forma genérica, ocupam o nono lugar e o benzo[b]fluoranteno ocupa a décima posição (ASTDR, 2010).
Mostrar mais

272 Ler mais

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL PROAMB

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL PROAMB

Do ponto de vista geomorfológico o Quadrilátero Ferrífero está inserido nas terras altas do centro de Minas, com grande diversidade de relevo e altitudes máximas na casa dos 2000 m. Apresenta grande diversidade de biomas, que incluem resquícios de mata atlântica, trechos de cerrado, campos rupestres, onde vivem diversas espécies vegetais e animais, algumas delas se encontram vulneráveis às ameaças provenientes da expansão das atividades mineiras e da ocupação urbana em desarmonia com usos sustentáveis do território (SILVA, 2007). É a sede de diversas áreas de proteção ambiental e de diversas categorias de unidades de conservação, dentre as quais a Área de Proteção Ambiental das Andorinhas, o Parque Estadual do Itacolomi, a Floresta do Uaimii, o Parque Estadual do Rola –Moça, Estação Ecológica do Tripuí e a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) da Serra do Caraça.
Mostrar mais

125 Ler mais

Universidade Federal de Ouro Preto Programa de Pós-Graduação Engenharia Ambiental Mestrado em Engenharia Ambiental

Universidade Federal de Ouro Preto Programa de Pós-Graduação Engenharia Ambiental Mestrado em Engenharia Ambiental

se faz necessária para a eficiente da oxidação da amostra. No estudo da influência do pH, a maior solubilização de arsênio foi constatada em pH 1,75. A redução nos valores de extração com o aumento da concentração de sólidos parece estar relacionada à necessidade de um tempo maior de reação, uma vez que não foram evidenciados prejuízos ao crescimento microbiano. Foram também realizadas análises do produto da bio-oxidação pelas técnicas de DRX e MEV/EDS de maneira a complementar o entendimento dos fenômenos relativos à oxidação do concentrado. Verificou-se que a estibinita é pouco susceptivel a bio-oxidação, uma vez que a sua morfologia apresentou similiaridade com cristais do mineral original, enquanto os grãos de pirita foram atacados. Após a determinação dos valores ótimos das variáveis estudadas, foram conduzidos ensaios em sistema de garrafas de 10L e os produtos sólidos dos ensaios com o concentrado e o rejeito de flotação foram cianetados. Os testes de cianetação foram também realizados com as amostras sem pre-tratamento e apenas 20% do ouro foram recuperados, confirmando a refratariedade das amostras em estudo. A bio- oxidação demonstrou ser eficiente, uma vez que os produtos sólidos da etapa de bio- oxidação atingiram 84% e 85% de extração de ouro no caso do rejeito e do concentrado de flotação, respectivamente. Estes resultados confirmaram o efeito catalítico dos micro-organismos na oxidação dos sulfetos em relação à lixiviação química. Além disso, verifica-se a relevância do estudo do ponto de vista ambiental ao possibilitar o desenvolvimento de uma alternativa para a recuperação contido nesse rejeitos.
Mostrar mais

82 Ler mais

MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

Para avaliar o teor de arsênio na biomassa da Spirodela intermedia e da Lemna minuta calculou-se a diferença entre os teores inicial e final de arsênio na solução e a porcentagem de[r]

84 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado em Engenharia Ambiental

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado em Engenharia Ambiental

O início da produção industrial do benzeno se deu a partir de 1849, como subproduto da destilação seca do carvão mineral, nas coquerias de usinas siderúrgicas. No começo do século XX, entre os anos 20 e 30, o benzeno foi largamente utilizado em vários processos industriais e como nesta época não existia controle das emissões nos ambientes de trabalho a exposição ocupacional ao benzeno atingiu níveis muito altos (MOREIRA; GOMES, 2011). Por ser uma substância reconhecidamente cancerígena (IARC, 1987; WHO, 1993) e pela sua grande difusão e utilização, o benzeno tem sido objeto de controle em todo o mundo, em razão de suas características de contaminante universal e de seus potenciais efeitos à saúde (CARBONARI et al., 2014). Um marco fundamental do controle do benzeno no Brasil foi a proibição de sua presença em solventes, em 1982. Quase ao mesmo tempo ocorreu a discussão sobre exposição ocupacional ao benzeno no setor siderúrgico, que desencadeou uma série de ações sindicais, de vigilância epidemiológica e de direitos previdenciários (MACHADO et al., 2003 apud COSTA, 2009). O benzeno é, portanto, tema de discussão e interesse ocupacional e ambiental em todo o mundo, seja pela sua presença em produtos, por sua utilização industrial ou pelas emissões que o contem, principalmente as de veículos automotivos e fumaça de cigarro (WHO, 2000; COSTA, 2009).
Mostrar mais

176 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado em Engenharia Ambiental

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado em Engenharia Ambiental

Os municípios de Mariana e Itabirito não possuem nenhum tipo de incentivo regulamentado na forma de Lei para o fortalecimento da participação popular no programa de coleta seletiva. Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMA), a cidade de Mariana realiza campanhas com panfletos e propaganda nas rádios locais contendo informações a respeito da importância da participação individual e dos benefícios que a coleta seletiva pode trazer ao município, com intuito de aumentar a participação popular no programa de coleta seletiva. A Prefeitura de Mariana, conforme divulgado em sítio eletrônico, está em processo de atualização do Plano de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos Urbanos (PGIRSU). O plano anterior da cidade foi feito em 2007 pela Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto e contemplava somente o Aterro Controlado. A atualização teve como objetivo de contemplar o funcionamento e a gestão do Aterro Sanitário, a atuação do Centro de Reaproveitamento de Materiais Recicláveis (CAMAR), a coleta seletiva e medidas de educação ambiental (PMM, 2012). O município também não contabiliza os benefícios e custos do programa de coleta seletiva.
Mostrar mais

155 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado em Engenharia Ambiental

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado em Engenharia Ambiental

Além disso, as diferenças entre os níveis de remoção indicam que os diversos íons presentes nos efluentes industriais se tornam interferentes no processo de precipitação tanto por sínt[r]

127 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E AMBIENTAL CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E AMBIENTAL CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL

Vale destacar que é obrigatória a obtenção de licenciamento ambiental aos locais os quais se destinam ao desenvolvimento de atividades que envolvem embalagens vazias de agrotóxicos, componentes ou afins, bem como de produtos em desuso ou impróprios para utilização. Além disso, as empresas titulares de registro, produtoras e comercializadoras serão responsabilizadas pelo recolhimento, transporte e destinação final das embalagens vazias caso fabriquem ou comercializem produtos: apreendidos pela ação fiscalizatória; e impróprios para utilização ou em desuso, com vistas à sua reciclagem ou inutilização, de acordo com normas e instruções dos órgãos registrantes e sanitário-ambientais competentes. (BRASIL, 2016).
Mostrar mais

78 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E AMBIENTAL CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E AMBIENTAL CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL

A Tabela 11 foi elaborada de acordo com dados extraídos da Unidade ambiental de saúde, Victoria, Australia, e Sant’Anna (2012), a qual traz informações a respeito da morfologia das cianobactérias mais encontradas no reservatório. Alguns organismos foram classificados somente pelos gêneros devido à falta de ferramentas ou chaves de identificação visíveis necessárias para a determinação da espécie exata da cianobactéria. Mesmo assim, é possível notar que o gênero Pseudanabaena sp. possui o menor volume celular, diâmetro e comprimento em relação as outras cianobactérias, sendo o da Planktothrix agardhii o maior biovolume e o diâmetro da célula dentre todas analisadas. Essa diferença em volume e tamanho pode justificar as diferenças nas remoções observadas.
Mostrar mais

63 Ler mais

ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE AMBIENTAL NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E PROBLEMAS AMBIENTAIS LOCAIS: O CASO DE SÃO JOSÉ DO SUL/RS, BRASIL

ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE AMBIENTAL NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E PROBLEMAS AMBIENTAIS LOCAIS: O CASO DE SÃO JOSÉ DO SUL/RS, BRASIL

O setor de saúde tem sido instado a participar ativamente, seja pela sua atuação tradicional no cuidado a populações atingidas por riscos ambientais, seja pela valorização das ações de promoção. Dentro da Atenção Básica (AB) o Ministério da Saúde possui como principal estratégia para remodelar o modelo de assistência à saúde, o programa “Estratégia Saúde da Família” (ESF). O presente estudo teve por objetivos realizar o diagnóstico ambiental do município de São José do Sul/RS, Brasil, descrever o processo de promoção da Saúde Ambiental no ESF e problematizar o envolvimento do profissional de meio ambiente na Atenção Primária Ambiental (APRIMA). Aplicaram-se questionários junto aos agentes comunitários de saúde (ACS) e comunidade, e entrevistas com os profissionais da unidade básica de saúde (UBS) e gestores municipais. A caracterização ambiental mostrou que o município apresenta problemas relacionados com as práticas do campo, como o uso de agrotóxicos, incinerações não autorizadas, vetores e desmatamento. Além de problemas urbanos como a falta de saneamento básico. As entrevistas com os gestores e profissionais de saúde mostraram que o conceito de Saúde Ambiental não está, ainda, inserido no cotidiano, denotando tratar-se de um campo pouco explorado. Este estudo elenca uma série de ações que poderiam ser tomadas em conjunto com o profissional da Engenharia Ambiental, visando o enfrentamento das questões ambientais do município de São José do Sul/RS como: capacitação dos ACS na temática, o uso de agrotóxicos, suinocultura, saneamento básico, melhorias sanitárias domésticas (MSD) e oficinas municipais de saúde (OMS), resíduos orgânicos e abastecimento por poços artesianos.
Mostrar mais

22 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA ANALITICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA ANALITICA

Avaliação do potencial de atenuação natural de hidrocarbonetos monoaromáticos de petróleo em presença de etanol. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) – Departamento de Engenha[r]

233 Ler mais

Sistema automatizado para o aproveitamento de água cinza e azul, com controle de PH utilizando lógica fuzzy

Sistema automatizado para o aproveitamento de água cinza e azul, com controle de PH utilizando lógica fuzzy

A cada dia a escassez de água se torna um problema mais grave e que atinge diretamente a sociedade mundial. Estudos são dirigidos no intuito de conscientizar a população do uso racional desse bem natural que é imprescindível à sobrevivência. Somente 0,007% das águas disponíveis no globo apresentam acesso fácil e podem ser consumidas por seres humanos, sendo encontradas em rios, lagos, etc. Para melhor proveito das águas utilizadas em residências e pequenos estabelecimentos, projetos de reuso são muitas vezes implementados, implicando, em economia para os clientes das concessionárias de água. Os projetos de reuso envolvem as mais diversas áreas da engenharia, podendo ser citadas a Engenharia Ambiental, Engenharia Química e também a Engenharia Elétrica e de Computação, essas últimas, responsáveis pelo controle dos processos, que tem por objetivo tornar a água cinza, ou seja, águas com sabão e águas azuis, mais conhecidas como águas de chuva, ideais para o consumo, ou apenas para utilização em regas de jardins, descargas sanitárias, entre outros.
Mostrar mais

73 Ler mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO RESPOSTA À PROBLEMÁTICA AMBIENTAL

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO RESPOSTA À PROBLEMÁTICA AMBIENTAL

Diante da problemática ambiental que vivenciamos em nosso cotidiano, causada por nossas próprias ações que revertem em perda da qualidade de vida, percebe-se que a maior parte da população tem pouca clareza conceitual acerca de termos necessários ao diálogo. Neste contexto, a Educação Ambiental é resposta à minimização dessa problemática, configurando-se num processo de exposição de conceitos e formação de valores, com respeito à diversidade e à promoção, através da sensibilização, da mudança de atitude em relação ao meio. Este artigo trata da experiência vivida em um Programa de Educação Ambiental não-formal, realizado pela turma de mestrandos em Engenharia Ambiental da Universidade Regional de Blumenau (FURB), no ano de 2006, na comunidade do Wehmuth, município de Blumenau, SC. A interpretação dos resultados demonstra que a educação ambiental surge como resposta à problemática ambiental, especialmente aquela vinculada aos riscos de deslizamentos.
Mostrar mais

14 Ler mais

Eng. Sanit. Ambient.  vol.19 número especial

Eng. Sanit. Ambient. vol.19 número especial

A Associação Brasileira de Engenharia Ambiental (ABES) vem ampliando, nos últimos anos, suas atividades apresentando um perfil amplo e multidisciplinar, incorporando não ape- nas a visão da Engenharia Sanitária, mas expandindo a área de conhecimento, passando a abranger a Engenharia Ambiental. Essa nova inserção se reflete no aumento de artigos relacionados à temática ambiental que vêm sendo submetidos e publicados nos congressos nacionais e regionais, bem como na Revista de Engenharia Sanitária e Ambiental (ESA).

1 Ler mais

Áreas verdes e qualidade térmica em ambientes urbanos: estudos em microclimas de...

Áreas verdes e qualidade térmica em ambientes urbanos: estudos em microclimas de...

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE HIDRÁULICA E SANEAMENTO.. PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA ENGENHARIA AMBIENTAL.[r]

135 Ler mais

Reconstrução dos conhecimentos sobre pesca acidental de tartarugas marinhas / Knowledge reconstruction about accidental fishing for sea turtles

Reconstrução dos conhecimentos sobre pesca acidental de tartarugas marinhas / Knowledge reconstruction about accidental fishing for sea turtles

Este projeto surgiu em 2009 e está cediado no Laboratório de Biologia do Nécton e Ecologia Pesqueira (Ecopesca), do Departamento de Biologia Marinha da UFF, em Niterói, com a missão “não só trabalhar diretamente com as tartarugas, mas também conscientizar a população litorâneas nas praias do enterno da Baía de Guanabara e nas áreas que estão sob influência de suas águas, principalmente através da Educação Ambiental (UFF, 2016; TAGLIOLATTO et al., 2019).

17 Ler mais

ANÁLISE DE PROCESSOS VERBAIS EM INTRODUÇÕES DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DE TRÊS ÁREAS: ECONOMIA, ENGENHARIA SANITÁRIA AMBIENTAL E LINGUÍSTICA SOB O VIÉS DA LINGUÍSTICA SISTÊMICO-FUNCIONAL

ANÁLISE DE PROCESSOS VERBAIS EM INTRODUÇÕES DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DE TRÊS ÁREAS: ECONOMIA, ENGENHARIA SANITÁRIA AMBIENTAL E LINGUÍSTICA SOB O VIÉS DA LINGUÍSTICA SISTÊMICO-FUNCIONAL

Nas introduções analisadas nas áreas de Economia, Engenharia Sanitária Ambiental e Linguística foi observada a metafunção ideacional, que expressa a experiência do mundo material ou do mundo interior (própria consciência), e tiveram destaque os processos verbais, isso quer dizer que estas três áreas apresentam as atividades linguísticas com frequência, as representações dos dizeres em suas construções textuais, os processos que estão na fronteira entre os mentais e relacionais; lembrando que o processo em comum das áreas com bastante frequência foi determinar e os dez primeiros mais frequentes nestas áreas eram todos verbais. Estas áreas apresentam em suas construções textuais processos como dizer, afirmar, mostrar, que estão vinculados a representação da fala.
Mostrar mais

12 Ler mais

Show all 10000 documents...