4.2.1. Crédito para misturas de biodiesel e crédito para biodiesel

4.2.1.1. Ba se ju rídica

(43) A base jurídica do regime do crédito respeitante ao imposto para misturadores de biodiesel, retalhistas e utilizadores finais é o título 26, secção 40A (b), do Código dos EUA (U.S.C.). Prevê os seguintes créditos para o biodiesel: 1) Crédito para misturas de biodiesel;

2) Crédito para o biodiesel;

3) Crédito para pequenos produtores de agrobiodiesel.

(44) O Crédito para misturas de biodiesel está em vigor no ordenamento jurídico federal dos EUA desde 2005 (12). Em conformidade com a secção 202, alínea a), do Energy Improvement and Extension Act de 2008, este crédito fiscal devia caducar em 31 de dezembro de 2009 (13). Na realidade, este regime de subvenção nunca terminou, tendo sido reinstituído retroativamente repetidas vezes até à data, a mais recente das quais em 20 de dezembro de 2019, quando o Congresso dos EUA, pelo Further Consolidated Appropriations Act, reinstituiu o regime por mais dois anos a partir de 31 de dezembro de 2017, prorrogando-o por um período de três anos, ou seja, até 31 de dezembro de 2022 (14). Esta prorrogação de cinco anos é a mais longa desde que este regime de subvenções foi introduzido. (45) Na sequência da divulgação, o requerente informou a Comissão de que, em 25 de maio de 2021, foi apresentado um

projeto de lei no Senado e na Câmara dos Representantes dos EUA com vista a prorrogar o regime de crédito para misturas de biodiesel por um período adicional de três anos, ou seja, até 31 de dezembro de 2025.

(46) Tal como o crédito para misturas de biodiesel, o crédito para o biodiesel está em vigor no ordenamento jurídico federal dos EUA desde 2005 (15). Em conformidade com a secção 202, alínea a), do Energy Improvement and Extension Act de 2008, este crédito fiscal devia caducar em 31 de dezembro de 2009 (16). Na realidade, este regime de subvenção nunca terminou, tendo sido reinstituído retroativamente repetidas vezes até à data, a mais recente das quais em 20 de dezembro de 2019, quando o Congresso dos EUA, pelo Further Consolidated Appropriations Act, reinstituiu o regime por mais dois anos a partir de 31 de dezembro de 2017, prorrogando-o por um período de três anos, ou seja, até 31 de dezembro de 2022 (17).

(47) O crédito respeitante ao imposto sobre o rendimento para pequenos produtores de agrobiodiesel aplica-se exclusivamente aos pequenos produtores de agrobiodiesel. Este regime é analisado nos considerandos 62 a 79.

4.2.1.2. El eg i bil i dade

(48) Para poder beneficiar do crédito para misturas de biodiesel referido no considerando 43, alínea 1), uma empresa deve criar uma mistura de biodiesel e de combustível para motores diesel que seja vendida como combustível ou se destine a ser utilizada como combustível.

(12) Criado em 2005 pelo American Jobs Creation Act de 2004, secção 302 (P.L. 108-357), prorrogado pelo Energy Policy Act de 2005, secção 1344 (P.L. 109-58).

(13) Ver a secção 202, alínea a), do Energy Improvement and Extension Act de 2008 (P.L. 110-343, Divisão B). (14) Lei pública 116-94 — 20 de dezembro de 2019, Further Consolidated Appropriations Act, 2020, secção 121.

(15) Criado em 2005 pelo American Jobs Creation Act de 2004, secção 302 (P.L. 108-357), prorrogado pelo Energy Policy Act de 2005, secção 1344 (P.L. 109-58).

(16) Ver a secção 202, alínea a), do Energy Improvement and Extension Act de 2008 (P.L. 110-343, Divisão B). (17) Lei pública 116-94 — 20 de dezembro de 2019, Further Consolidated Appropriations Act, 2020, secção 121.

(49) A pessoa que solicita o incentivo deve obter uma certificação por parte do produtor ou importador do biodiesel que identifique o produto e a percentagem de biodiesel e agrobiodiesel (18) no produto. Este crédito assume a forma de um crédito respeitante ao imposto especial ou, se o montante do imposto especial de uma empresa for inferior ao total do referido crédito, a empresa pode pedir o crédito residual como crédito respeitante ao imposto sobre o rendimento reembolsável. Um crédito respeitante ao imposto sobre o rendimento reembolsável é um crédito referente aos impostos sobre o rendimento do contribuinte ou um pagamento direto. É reembolsável porque o crédito em excesso pode ser pago ao contribuinte como um pagamento direto em numerário se o crédito for superior ao montante do imposto devido pela pessoa.

(50) O crédito para o biodiesel referido no considerando 43, alínea 2, é um crédito respeitante ao imposto sobre o rendimento não reembolsável para retalhistas ou utilizadores finais de biodiesel sem mistura (puro). O crédito para o biodiesel puro só pode ser concedido à pessoa que introduz o biodiesel puro no depósito de um veículo ou o utiliza como combustível. Repare-se que também os produtores de biodiesel, que produzem o seu próprio biodiesel, poderiam beneficiar deste crédito. Por conseguinte, para ser elegível o produtor de biodiesel deve agir como retalhista (ao abastecer o depósito de combustível do utilizador final com um galão de biodiesel) ou como utilizador final (abastecendo os seus próprios veículos com o biodiesel).

4.2.1.3. Apli cação prát ic a

(51) O biodiesel misturado com diesel pode beneficiar de um crédito respeitante ao imposto especial ou de um crédito respeitante ao imposto sobre o rendimento. Durante o período de inquérito de reexame, o crédito prevalecente era de 1 USD por galão para todos os tipos de biodiesel, ou seja, incluindo o agrobiodiesel e o diesel produzido a partir de biomassa.

(52) Assim, o crédito fiscal final para a mistura de combustível depende da proporção de biodiesel que contém. O requisito mínimo, que é a prática mais corrente, consiste em adicionar 0,1% de diesel mineral a 99,9% de biodiesel (esta mistura é conhecida como B99 nos EUA), garantindo assim a obtenção do crédito fiscal máximo. A proporção de biodiesel numa mistura beneficia do crédito fiscal (por exemplo, 100 galões de B99 conterão 99,9 galões de biodiesel e são elegíveis para um crédito fiscal de 99,90 USD). A conversão do biodiesel de um produto em estado puro (B100) para uma mistura (B99) é um processo simples. Implica a adição de 0,1% de diesel mineral ao biodiesel puro, sem grande transformação do produto em causa. É a atividade de efetuar a mistura que desencadeia a elegibilidade para o crédito.

(53) Os produtores de biodiesel podem requerer o incentivo quando efetuam eles próprios a mistura. O produtor tem de misturar o biodiesel puro com diesel mineral. Em termos de direito ao incentivo não há diferença entre o biodiesel em mistura destinado a venda no mercado interno ou para exportação.

(54) As empresas que não produzem mas compram biodiesel puro para o misturar também têm direito ao crédito fiscal. Estas empresas têm de obter um certificado do produtor ou do importador (e se for caso disso dos revendedores intervenientes) do biodiesel em que este declara não ter solicitado o crédito fiscal (19).

(55) O incentivo pode ser solicitado quer como crédito sobre os montantes devidos do imposto especial ou do imposto sobre o rendimento quer como pagamento direto em numerário. O montante total do incentivo permanece o mesmo (1 USD por galão) quer o incentivo seja requerido como crédito respeitante ao imposto especial, crédito respeitante ao imposto sobre o rendimento ou pagamento direto ao contribuinte quer como uma combinação destas possibilidades.

(56) O U.S.C. prevê que o crédito para misturas de biodiesel só seja concedido se a empresa (misturador) que efetua a mistura de biodiesel e diesel mineral apresentar um certificado de biodiesel («Certificate for Biodiesel») passado pelo produtor de biodiesel, certificando este, entre outros elementos, a quantidade de biodiesel a que se refere o certificado e se o produto é agrobiodiesel ou de outro tipo.

(18) De acordo com a legislação dos EUA, entende-se por «agrobiodiesel» o biodiesel obtido exclusivamente a partir de óleos virgens, incluindo ésteres obtidos a partir de óleos vegetais virgens de milho, soja, sementes de girassol, sementes de algodão, colza, crambe, sementes de colza, cártamo, linhaça, farelo de arroz, sementes de mostarda e camelina, e de gorduras animais. [Título 26, secção 40A (d)(2), do Código dos EUA].

(57) No que diz respeito ao crédito para o biodiesel, tal como no reexame da caducidade anterior, o retalhista (ou o produtor de biodiesel agindo como retalhista) ou o utilizador final de biodiesel em estado puro podem agora pedir 1,00 USD por galão de qualquer tipo de biodiesel em estado puro introduzido no depósito de um veículo ou utilizado como combustível. Um crédito comercial geral não reembolsável é um crédito referente ao imposto sobre o rendimento da empresa. É não reembolsável pois se os créditos da empresa forem superiores aos montantes devidos do imposto o crédito excedentário não pode ser pago à empresa como pagamento direto em numerário. (58) Dado que os produtores de biodiesel são elegíveis para estes regimes, a Comissão concluiu, com base nos dados

disponíveis (20) (já que não houve colaboração, como indicado no considerando 27), que os produtores--exportadores dos EUA beneficiaram deste regime.

4.2.1.4. Co nclu sã o

(59) O crédito para misturas de biodiesel, bem como o crédito para o biodiesel têm de ser considerados como um incentivo fiscal, quer assumam, quer não, a forma de pagamento em numerário (apenas possível no caso do crédito para misturas de biodiesel) ou compensação de obrigações fiscais (aplicável a ambos os créditos fiscais).

(60) A Comissão apurou, em conformidade com as conclusões do inquérito inicial, que os regimes constituem uma subvenção na aceção do artigo 3.o, n.o 1, alínea a), subalíneas i) e ii), do regulamento de base, na medida em que preveem uma contribuição financeira pelo Governo dos EUA sob a forma de subvenções diretas (pagamentos em numerário, só possíveis no caso do crédito para misturas de biodiesel) e renúncia de cobrança de receitas públicas normalmente exigíveis (compensação fiscal) (aplicável a ambos os créditos fiscais). Os incentivos concedem vantagens às empresas que deles beneficiam.

(61) Os regimes aplicam-se apenas às empresas envolvidas na indústria do biodiesel, pelo que são considerados de caráter específico nos termos do artigo 4.o, n.o 2, alínea a), do regulamento de base, sendo, assim, passíveis de medidas de compensação.

(62) Por último, visto que o regime de crédito para misturas de biodiesel prevê uma subvenção de 1 USD por galão para todos os tipos de biodiesel, a Comissão considerou que este regime proporcionou um montante de subvenção significativo aos produtores-exportadores de biodiesel dos EUA, continuando a ser, de longe, o regime mais importante durante o período de inquérito de reexame. Esta subvenção de 1 USD por galão corresponde a cerca de 302 euros por tonelada.

4.2.2. Crédito respeitante ao imposto sobre o rendimento para pequenos produtores de agrobiodiesel 4.2.2.1. B ase jurí dic a

(63) O título 26, secção 40A, do U.S.C. prevê igualmente um crédito respeitante ao imposto sobre o rendimento para pequenos produtores de agrobiodiesel, como o crédito para misturas de biodiesel e o crédito para biodiesel.

(64) À semelhança do crédito para misturas de biodiesel e o crédito para biodiesel, tal como estabelecido nos considerandos 44 e 46, o crédito respeitante ao imposto sobre o rendimento para pequenos produtores de agrobiodiesel está em vigor no ordenamento jurídico federal dos EUA desde 2005 (21). Em conformidade com a secção 202, alínea a), do Energy Improvement and Extension Act de 2008, este crédito fiscal devia caducar em 31 de dezembro de 2009 (22). Na realidade, este regime de subvenção nunca terminou, tendo sido reinstituído retroativamente repetidas vezes até à data, a mais recente das quais em 20 de dezembro de 2019, quando o Congresso dos EUA, pelo Further Consolidated Appropriations Act, reinstituiu o regime por mais dois anos a partir de 31 de dezembro de 2017, prorrogando-o por um período de três anos, ou seja, até 31 de dezembro de 2022. 4.2.2.2. El e gibi li dade

(65) O regime aplica-se apenas aos pequenos produtores de agrobiodiesel puro. Os misturadores ou comerciantes que compram mas não produzem biodiesel não podem beneficiar do crédito. Por pequeno produtor entende-se qualquer pessoa cuja capacidade de produção não seja superior a 60 milhões de galões de agrobiodiesel por ano.

(20) Ver secções 3.1.1.1. e 3.1.1.2. do pedido de reexame.

(21) Energy Policy Act de 2005, secção 1345 (P.L. 109-58), com a redação que lhe foi dada pelo Energy Improvement and Extension Act de 2008 (P.L. 110-343, Divisão B) secções 202-203; prorrogado pelo Tax Relief, Unemployment Insurance Reauthorization, and Job Creation Act de 2010 (P.L. 111-312), secção 701.

(66) O pequeno produtor de agrobiodiesel pode requerer um crédito comercial geral respeitante ao imposto sobre o rendimento, não reembolsável, de 0,10 USD por galão de agrobiodiesel produzido. A produção qualificada de um produtor não pode ser superior a 15 milhões de galões em qualquer ano fiscal. Para que o produtor possa requerer o crédito, o agrobiodiesel tem de ser utilizado como combustível, vendido para utilização como combustível ou utilizado para criar uma mistura de biodiesel e gasóleo que possa ser utilizada como combustível ou vendida para utilização como combustível. Por conseguinte, os pequenos produtores de agrobiodiesel podem combinar este regime com o regime de crédito para misturas de biodiesel e, assim, receber um total de 1,10 USD por galão. Em contrapartida, os grandes produtores de agrobiodiesel são elegíveis apenas para o regime de crédito para misturas de biodiesel.

4.2.2.3. Ap li ca çã o prátic a

(67) Os pedidos de créditos comerciais gerais respeitantes ao imposto sobre o rendimento, não reembolsáveis, são apresentados anualmente, quando o requerente preenche a sua declaração de imposto sobre o rendimento. O crédito por cada galão de biodiesel produzido pelo requerente durante o ano fiscal pertinente, até um máximo de 15 milhões de galões, vai compensar os montantes devidos pelo requerente a título de imposto sobre o rendimento das pessoas coletivas. Se a dívida fiscal do requerente for inferior ao montante do crédito solicitado, o montante em excesso pode ser reportado a anos fiscais subsequentes.

(68) Dado que os produtores de biodiesel são elegíveis para este regime, e com base nos dados disponíveis (23) (já que não houve colaboração, como indicado no considerando 27), a Comissão concluiu que os produtores-exportadores dos EUA beneficiaram deste regime, utilizando os dados disponíveis em conformidade com o artigo 28.o do regulamento de base.

4.2.2.4. Co n cl usão

(69) Em conformidade com as suas conclusões no inquérito inicial, a Comissão estabeleceu que este regime constitui uma subvenção na aceção do artigo 3.o, n.o 1, alínea a), subalínea ii), do regulamento de base, na medida em que prevê uma contribuição financeira pelo Governo dos EUA sob a forma de renúncia de cobrança de receitas públicas normalmente exigíveis. O incentivo concede uma vantagem às empresas que dele beneficiam.

(70) O regime aplica-se apenas às empresas que produzem biodiesel, pelo que é considerado de caráter específico nos termos do artigo 4.o, n.o 2, alínea a), do regulamento de base, sendo, assim, passível de medidas de compensação.

4.2.3. Programa de bioenergia do USDA para biocombustíveis avançados

4.2.3.1. Ba se ju rí dica

(71) O Programa de bioenergia para biocombustíveis avançados (BPAP) do Ministério da Agricultura dos EUA («USDA») rege-se pelo Título IX, secção 9005, do Farm Security and Rural Investment Act de 2002 («Lei Agrícola de 2002») e está atualmente codificado no título 7, secção 8105, do Código dos EUA.

(72) O programa devia expirar em 2012, mas foi prorrogado em 2013 (24) e, posteriormente, em 2014 (25). O Agriculture Act de 2014 prorrogaria o programa por mais cinco anos, até ao final de 2018. Mais recentemente, pelo Agricultural Improvement Act, de 20 de dezembro de 2018, este programa de subvenção seria prorrogado por novo período de cinco anos, ou seja, até ao final de 2023 (26).

(23) Ver secção 3.1.1.3. do pedido de reexame.

(24) American Taxpayer Relief Act, de 2 de janeiro de 2013 [Lei pública 112-240, secção 701(f)(4)] (25) Agricultural Act, de 7 de fevereiro de 2014 [Lei pública 113-79, secção 9005(2)].

4.2.3.2. E legi bil idade

(73) Este programa prevê subvenções diretas aos produtores de biocombustíveis avançados, que são geralmente definidos como «combustíveis obtidos a partir da biomassa, com exceção do amido de milho». A definição inclui o diesel produzido a partir de biomassa (27). Podem ser distribuídos, no máximo, cinco por cento dos fundos do programa a produtores elegíveis com uma capacidade de refinação superior a 150 milhões de galões de biocombustível avançado por ano. Os misturadores não são elegíveis para o programa.

4.2.3.3. Apli ca ção prát ica (28)

(74) Os participantes recebem pagamentos diretos do Governo depois de se terem candidatado ao programa. Os produtores têm de se registar primeiro junto da autoridade e assinar um contrato. Os produtores têm de apresentar pedidos de pagamento relativos a cada trimestre do ano fiscal para receber o pagamento relativo à produção de biocombustível avançado desse trimestre. Efetuam-se pagamentos tanto pela produção efetiva como pela produção incremental. Os pagamentos pela produção efetiva são calculados trimestralmente para a quantidade efetiva de biocombustível avançado produzido em cada trimestre.

(75) Os pagamentos pela produção incremental são efetuados para a quantidade de biocombustível avançado elegível, produzido durante um ano fiscal, que exceda a quantidade produzida nos anos fiscais anteriores (desde 2009). (76) O financiamento é repartido por todos os produtores que se apresentem com base no valor BTU (29) da produção. O

financiamento é repartido de forma equitativa por todos os produtores, em função do valor BTU.

(77) Dado que os produtores de biodiesel são elegíveis para este regime, e com base nos dados disponíveis (30) (já que não houve colaboração, como indicado no considerando 27), a Comissão concluiu que os produtores-exportadores dos EUA beneficiaram deste regime, utilizando os dados disponíveis em conformidade com o artigo 28.o do regulamento de base.

4.2.3.4. Co n cl usão

(78) A Comissão considera que este regime constitui uma subvenção na aceção do artigo 3.o, n.o 1, alínea a), subalínea i), do regulamento de base, na medida em que prevê uma contribuição financeira pelo Governo dos EUA sob a forma de subvenção direta. O incentivo concede uma vantagem às empresas que dele beneficiam.

(79) O regime aplica-se apenas às empresas que produzem biodiesel, pelo que é considerado de caráter específico nos termos do artigo 4.o, n.o 2, alínea a), do regulamento de base, sendo, assim, passível de medidas de compensação.

4.2.4. Crédito para produção de biocombustível celulósico

4.2.4.1. Ba se ju rí dica

(80) Criado pelo Food, Conservation, and Energy Act, de 2008, o programa existe desde 1 de janeiro de 2009 e é gerido pelo Serviço da Receita Interna. Está codificado no título 26, secção 40 (b)(6), do Código dos EUA.

(81) Esta subvenção, que inicialmente se previa viesse a caducar em 31 de dezembro de 2012, foi prorrogada várias vezes, a última das quais pelo Further Consolidated Appropriations Act de 20 de dezembro de 2019, até 1 de janeiro de 2021.

(27) Ver o Código de Regulamentos Federais (CFR), título 7, parte 428.102, do Código dos EUA, «Definições» dos regulamentos de execução: «Combustível equivalente ao diesel, obtido a partir de biomassa renovável, incluindo óleos vegetais e gorduras animais». Potencialmente, o «biocombustível obtido a partir de resíduos, incluindo resíduos de culturas, outros resíduos vegetais, resíduos animais, resíduos alimentares e resíduos de jardins» pode englobar também a produção de biodiesel.

(28) https://www.rd.usda.gov/sites/default/files/fact-sheet/508_RD_FS_RBS_AdvancedBioFuel.pdf

(29) A unidade térmica britânica (British thermal unit - BTU ou Btu) é uma unidade de energia igual a cerca de 1055 joules. (30) Ver secção 3.1.1.4. do pedido de reexame.

4.2.4.2. E legi bil idade

(82) Este regime prevê um crédito comercial geral respeitante ao imposto sobre o rendimento, não reembolsável, de 1,01 USD por galão de biocombustível de segunda geração usado como combustível ou vendido para utilização como combustível. São elegíveis os produtores, incluindo os produtores de biocombustível obtido a partir de qualquer tipo de matéria lignocelulósica ou hemicelulósica, disponível numa base renovável ou recorrente, bem como de combustíveis obtidos a partir de algas.

4.2.4.3. Apl ica ção prát ica

(83) Dado que os produtores de biodiesel são elegíveis para este regime, e com base nos dados disponíveis (31) (já que não houve colaboração, como indicado no considerando 27), a Comissão concluiu que os produtores-exportadores dos EUA beneficiaram deste regime, utilizando os dados disponíveis em conformidade com o artigo 28.o do regulamento de base.

(84) Além disso, espera-se que os biocombustíveis celulósicos venham a constituir uma parte significativa da produção norte-americana no futuro, como se atesta por vários projetos em curso orientados para o desenvolvimento de capacidades de diesel celulósico (32).

4.2.4.4. Conc lusã o

(85) A Comissão considera que este regime constitui uma subvenção na aceção do artigo 3.o, n.o 1, alínea a), subalínea i), do regulamento de base, na medida em que prevê uma contribuição financeira pelo Governo dos EUA sob a forma de subvenção direta. O incentivo concede uma vantagem às empresas que dele beneficiam.

(86) O regime aplica-se apenas às empresas que produzem biocombustível obtido a partir de qualquer tipo de matéria lignocelulósica ou hemicelulósica, disponível numa base renovável ou recorrente, bem como combustíveis obtidos a partir de algas. Por conseguinte, considera-se que tem caráter específico nos termos do artigo 4.o, n.o 2, alínea a), do regulamento de base, sendo, assim, passível de medidas de compensação.

4.2.5. Programa de auxílio do USDA ao fabrico de produtos de biorrefinaria, produtos químicos renováveis e produtos biológicos

4.2.5.1. Bas e jurí dic a

(87) O programa de auxílio do USDA ao fabrico de produtos de biorrefinaria, produtos químicos renováveis e produtos biológicos está previsto no título 7, secção 8103 (auxílio à biorrefinaria), do Código dos EUA e é gerido pelo Ministério da Agricultura dos EUA (USDA).

(88) Designado «garantias de empréstimo para biocombustíveis avançados» no reexame da caducidade anterior, este programa não foi analisado durante o mesmo.

(89) De acordo com as informações constantes do pedido de reexame, este programa esteve em vigor durante o período de inquérito de reexame.

4.2.5.2. E leg ibi l idade

(90) O programa concede garantias de empréstimo até 250 milhões de dólares, a fim de apoiar o desenvolvimento de tecnologias novas e emergentes para biocombustíveis avançados (incluindo o biodiesel), produtos químicos renováveis e produtos de base biológica. Em termos gerais, são elegíveis para o programa dois tipos de projetos: biorrefinarias e instalações de fabrico de produtos de base biológica. Entende-se por biocombustíveis avançados, os combustíveis obtidos a partir da biomassa, com exceção do amido de milho. O projeto deve estar localizado num Estado dos EUA.

(91) São elegíveis, entre outros, pessoas singulares, administrações estaduais e locais, cooperativas agrícolas, laboratórios nacionais, instituições de ensino superior e cooperativas de energia rurais.

(31) Ver secção 3.2.1. do pedido de reexame.

(32) Pedido de reexame, versão para consulta pelas partes interessadas, apresentado em 11 de junho de 2020 pela European Biodiesel Board («EBB» ou «requerente»), em nome de produtores da União que representam mais de 25 % da produção total de biodiesel da União, considerando 102, p. 21.

(92) O montante total da participação federal (garantia de empréstimo mais outros fundos federais) não deve exceder 80% do total dos custos elegíveis do projeto. O mutuário e outros responsáveis principais envolvidos no projeto

No documento L 277. Jornal Oficial. da União Europeia. 64. o ano Legislação 2 de agosto de Edição em língua portuguesa. Índice. Atos não legislativos (páginas 72-78)