Decisão suspende efeitos do ato de posse do presidente da Caesb

Texto

(1)

Poder Judiciário da União Poder Judiciário da União

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOSDOS TERRITÓRIOS

5VAFAZPUB 5VAFAZPUB

5ª Vara da Fazenda Pública do DF 5ª Vara da Fazenda Pública do DF

Número do processo: 0701301-51.2019.8.07.0018 Número do processo: 0701301-51.2019.8.07.0018 Classe judicial: AÇÃO CIVIL PÚBLICA CÍVEL (65) Classe judicial: AÇÃO CIVIL PÚBLICA CÍVEL (65)  AUTOR: MINISTER

 AUTOR: MINISTERIO PUBLICO DO IO PUBLICO DO DISTRITO FEDERDISTRITO FEDERAL E DOS TERRITAL E DOS TERRITORIOSORIOS RÉU: COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL CAESB, RÉU: COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL CAESB, FERNANDO RODRIGUES FERREIRA LEITE

FERNANDO RODRIGUES FERREIRA LEITE

DECISÃO INTERLOCUTÓRIA DECISÃO INTERLOCUTÓRIA

O O

pedido de tutela de evidência em face da pedido de tutela de evidência em face da

Relatou que o segundo réu foi condenado pela prática de ato de improbidade no Relatou que o segundo réu foi condenado pela prática de ato de improbidade no processo n.º 2006.01.1.033927-9, o qual transitou em julgado em

processo n.º 2006.01.1.033927-9, o qual transitou em julgado em 22.09.2016.22.09.2016.

Asseverou que o exercício do cargo de presidente da CAESB do segundo requerido é Asseverou que o exercício do cargo de presidente da CAESB do segundo requerido é ilegal, primeiramente porque está impossibilitado, por sentença, de contratar com o Poder ilegal, primeiramente porque está impossibilitado, por sentença, de contratar com o Poder Público pelo período de 03 (três) anos, o qual somente findará em 22.09.2019 e ainda pelo Público pelo período de 03 (três) anos, o qual somente findará em 22.09.2019 e ainda pelo fato do mesmo não possuir reputação ilibada em razão da suspensão dos direitos políticos fato do mesmo não possuir reputação ilibada em razão da suspensão dos direitos políticos por conta da precitada sentença condenatória.

por conta da precitada sentença condenatória.

Aduziu ainda que a posse do segundo réu foi ilegal porque foi condenado na ação de Aduziu ainda que a posse do segundo réu foi ilegal porque foi condenado na ação de improbidade administrativa acima mencionada à perda do cargo público.

improbidade administrativa acima mencionada à perda do cargo público.

Sustentou também que a posse do segundo requerido afrontou decisão judicial, a Sustentou também que a posse do segundo requerido afrontou decisão judicial, a legislação acerca do tema, bem como o princípio da moralidade.

legislação acerca do tema, bem como o princípio da moralidade.

Arrolou razões de direito, juntando jurisprudência acerca do tema. Arrolou razões de direito, juntando jurisprudência acerca do tema.

Requereu a concessão da tutela de evidência para que fosse determinada a Requereu a concessão da tutela de evidência para que fosse determinada a suspensão dos efeitos do ato de posse do segundo requerido no cargo de presidente da suspensão dos efeitos do ato de posse do segundo requerido no cargo de presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal - CAESB e, no mérito, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal - CAESB e, no mérito, a confirmada da tutela concedida com a declaração de nulidade do ato de nomeação do confirmada da tutela concedida com a declaração de nulidade do ato de nomeação do referido requerido para o cargo de presidente empresa acima mencionada.

referido requerido para o cargo de presidente empresa acima mencionada. MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL ingressou com ação civil pública com ingressou com ação civil pública com COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL

(2)

Os requeridos foram notificados a apresentarem notificação. Os requeridos foram notificados a apresentarem notificação.

O segundo requerido, Fernando Rodrigues Ferreira Leite, juntou a petição de ID n.º O segundo requerido, Fernando Rodrigues Ferreira Leite, juntou a petição de ID n.º 29271117, na qual defendeu que as sanções aplicadas na sentença trazida pelo autor já 29271117, na qual defendeu que as sanções aplicadas na sentença trazida pelo autor já foram cumpridas em sede de execução provisória, modalidade de cumprimento permitida foram cumpridas em sede de execução provisória, modalidade de cumprimento permitida pelos tribunais superiores.

pelos tribunais superiores.

No mesmo sentido também não ocupou nenhum outro cargo público durante esse No mesmo sentido também não ocupou nenhum outro cargo público durante esse período.

período.

A CAESB juntou a manifestação de ID n.º 29337230, na qual sustentou que a A CAESB juntou a manifestação de ID n.º 29337230, na qual sustentou que a concessão da tutela de urgência pleiteada traria consideráveis impactos negativos para a concessão da tutela de urgência pleiteada traria consideráveis impactos negativos para a empresa, razão pela qual deveriam ser observados os princípios da razoabilidade e da empresa, razão pela qual deveriam ser observados os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade.

proporcionalidade.

Defendeu ainda que a concessão da medida ocasionaria grave lesão à ordem pública, Defendeu ainda que a concessão da medida ocasionaria grave lesão à ordem pública, tendo em vista que impactaria na execução dos serviços públicos prestados pela primeira tendo em vista que impactaria na execução dos serviços públicos prestados pela primeira requerida, no prosseguimento regular das obras, entre outras conseqüências.

requerida, no prosseguimento regular das obras, entre outras conseqüências.

Disse também que o ato de nomeação do segundo requerido foi legal, uma vez que Disse também que o ato de nomeação do segundo requerido foi legal, uma vez que este apresentou as certidões negativas do Tribunal Regional Eleitoral (ID n.º 29338234), bem este apresentou as certidões negativas do Tribunal Regional Eleitoral (ID n.º 29338234), bem como já cumpriu as sanções aplicadas na condenação por ato de improbidade como já cumpriu as sanções aplicadas na condenação por ato de improbidade administrativa e possui conduta ilibada.

administrativa e possui conduta ilibada.

O MPDFT informou através da petição de ID n.º 29862074 que não ocorreu a O MPDFT informou através da petição de ID n.º 29862074 que não ocorreu a execução provisória das sanções às quais o segundo requerido foi condenado em razão da execução provisória das sanções às quais o segundo requerido foi condenado em razão da vedação legal constante no art. 20, da

vedação legal constante no art. 20, da Lei n.º 8.429/92.Lei n.º 8.429/92.

É o breve relato. É o breve relato.

Trata-se de pedido de tutela de evidência formulado na petição inicial na qual a parte Trata-se de pedido de tutela de evidência formulado na petição inicial na qual a parte autora requer que seja determinado o afastamento do segundo requerido da presidência autora requer que seja determinado o afastamento do segundo requerido da presidência da CAESB em face de estar cumprindo sanção em razão de condenação pela prática de ato da CAESB em face de estar cumprindo sanção em razão de condenação pela prática de ato de improbidade administrativa

de improbidade administrativa

Verifico que pretensão se amolda ao conceito de tutela provisória, sendo uma das Verifico que pretensão se amolda ao conceito de tutela provisória, sendo uma das modalidades da tutela provisória prevista no artigo 294 e seguintes do Código de Processo modalidades da tutela provisória prevista no artigo 294 e seguintes do Código de Processo Civil.

Civil.

Nesse diapasão, as tutelas provisórias (de urgência e de evidência), vieram Nesse diapasão, as tutelas provisórias (de urgência e de evidência), vieram sedimentar a teoria das tutelas diferenciadas, que rompeu com o modelo neutro e único de sedimentar a teoria das tutelas diferenciadas, que rompeu com o modelo neutro e único de processo

(3)

cognição do processo ainda não se esgotaram, o que apenas ocorrerá no provimento cognição do processo ainda não se esgotaram, o que apenas ocorrerá no provimento definitivo.

definitivo.

No caso em análise, o MPDFT sustenta a impossibilidade de o segundo requerido No caso em análise, o MPDFT sustenta a impossibilidade de o segundo requerido ocupar o cargo de presidente da CAESB em razão de estar proibido de contratar com a ocupar o cargo de presidente da CAESB em razão de estar proibido de contratar com a administração pública pelo prazo de 03 (três) anos e estar com os direitos políticos administração pública pelo prazo de 03 (três) anos e estar com os direitos políticos suspensos, os quais só estarão exauridos em setembro/2019, além de supostamente, não suspensos, os quais só estarão exauridos em setembro/2019, além de supostamente, não ter conduta ilibada e ter perdido o cargo em razão da condenação.

ter conduta ilibada e ter perdido o cargo em razão da condenação.

Em contrapartida, os requeridos defendem que o segundo requerido já cumpriu as Em contrapartida, os requeridos defendem que o segundo requerido já cumpriu as sanções imputadas em razão da condenação na ação de improbidade administrativa em sanções imputadas em razão da condenação na ação de improbidade administrativa em discussão em sede de execução provisória, uma vez que não ocupou cargo público desde a discussão em sede de execução provisória, uma vez que não ocupou cargo público desde a referida condenação.

referida condenação.

Pois bem. Analisando a documentação juntada pelo autor, verifico que o segundo Pois bem. Analisando a documentação juntada pelo autor, verifico que o segundo requerido foi condenado em sentença irrecorrível pela prática de ato de improbidade requerido foi condenado em sentença irrecorrível pela prática de ato de improbidade administrativa, a qual transitou em julgado em 22.09.2016 (ID n.º 28714558 e ID n.º administrativa, a qual transitou em julgado em 22.09.2016 (ID n.º 28714558 e ID n.º 28714569).

28714569).

Em razão da condenação acima referida o segundo requerido ficou proibido de Em razão da condenação acima referida o segundo requerido ficou proibido de contratar com a Administração Pública, bem como teve seus direitos políticos suspensos, contratar com a Administração Pública, bem como teve seus direitos políticos suspensos, ambas as sanções pelo prazo de 03 (três) anos.

ambas as sanções pelo prazo de 03 (três) anos.

Primeiramente, em relação ao argumento trazido pelo MPDFT quanto à Primeiramente, em relação ao argumento trazido pelo MPDFT quanto à impossibilidade do segundo requerido ocupar o cargo de presidente da CAESB em razão de impossibilidade do segundo requerido ocupar o cargo de presidente da CAESB em razão de estar impossibilitado de contratar com a Administração Pública por 03 (três) anos, entendo, estar impossibilitado de contratar com a Administração Pública por 03 (três) anos, entendo, em cognição sumária, que

em cognição sumária, que não deve ser acolhido, isso porque apesar não deve ser acolhido, isso porque apesar do segundo requeridodo segundo requerido ter celebrado contrato de trabalho com a CAESB, tal tipo de contratação, não se enquadra ter celebrado contrato de trabalho com a CAESB, tal tipo de contratação, não se enquadra na sanção prevista no art. 37, §4º, da CF, uma vez que a referida sanção se destina, em na sanção prevista no art. 37, §4º, da CF, uma vez que a referida sanção se destina, em especial, ao agente ímprobo empresário, vejamos as palavras de Waldo Fazzio Júnior, in especial, ao agente ímprobo empresário, vejamos as palavras de Waldo Fazzio Júnior, in

Improbidade Administrativa

Improbidade Administrativa(4ª Edição, Ed. (4ª Edição, Ed. Atlas, SPAtlas, SP, pg. 522):, pg. 522):

“A interdição contratual afasta do elenco dos possíveis  “A interdição contratual afasta do elenco dos possíveis  contratantes o empresário que não prima pelo  contratantes o empresário que não prima pelo  reconhecimento da distinção entre o público e o privado, reconhecimento da distinção entre o público e o privado, sobretudo, da proeminência do

sobretudo, da proeminência do primeiro”.primeiro”.

No entanto, quanto à alegação trazida pelo autor em relação à impossibilidade do No entanto, quanto à alegação trazida pelo autor em relação à impossibilidade do segundo requerido ocupar o cargo por também estar com os direitos políticos suspensos, segundo requerido ocupar o cargo por também estar com os direitos políticos suspensos, de fato verifico a presença da condição impeditiva para o referido requerido exerça, no de fato verifico a presença da condição impeditiva para o referido requerido exerça, no momento, o cargo de presidente da CAESB, uma vez que o cumprimento da sanção acima momento, o cargo de presidente da CAESB, uma vez que o cumprimento da sanção acima mencionada aplicada na condenação em comento somente findará em 22.09.2019, isso mencionada aplicada na condenação em comento somente findará em 22.09.2019, isso porque assumiu um cargo comissionado, como ele mesmo defendeu na petição de ID n.º porque assumiu um cargo comissionado, como ele mesmo defendeu na petição de ID n.º

(4)

29271117, pag. 3, razão pela qual é caso de aplicação do disposto do art. 7º, da Lei 29271117, pag. 3, razão pela qual é caso de aplicação do disposto do art. 7º, da Lei Complementar n.º 840/2011, que traz como um dos requisitos básicos para exercer cargo Complementar n.º 840/2011, que traz como um dos requisitos básicos para exercer cargo público o gozo d

público o gozo dos direitos políticos,os direitos políticos, “in verbis”: “in verbis”: 

“  “  público:  público:  (...)  (...)  II – o gozo dos

II – o gozo dos direitos políticos;(..direitos políticos;(...)” .)” 

Dessa forma, ainda que a primeira requerida seja sociedade de economia mista os Dessa forma, ainda que a primeira requerida seja sociedade de economia mista os requisitos do art. 7º, II, da Lei Complementar n.º 840/11 devem ser observados, uma vez requisitos do art. 7º, II, da Lei Complementar n.º 840/11 devem ser observados, uma vez que seu capital é inteiramente público e presta serviços públicos de forma exclusiva, tanto que seu capital é inteiramente público e presta serviços públicos de forma exclusiva, tanto que decisão recente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal aplicou o regime de que decisão recente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal aplicou o regime de precatórios para o pagamento de suas dívidas, vejamos:

precatórios para o pagamento de suas dívidas, vejamos:

1. A CAESB, apesar de ser uma sociedade de economia mista, 1. A CAESB, apesar de ser uma sociedade de economia mista, é constituída por capital exclusivamente público, atuando em é constituída por capital exclusivamente público, atuando em regime de monopólio no fornecimento de água potável e regime de monopólio no fornecimento de água potável e coleta de esgoto sanitário no

coleta de esgoto sanitário no Distrito Federal.Distrito Federal.

 2. De acordo com o STF, no julgamento do RE 599.628/DF, os  2. De acordo com o STF, no julgamento do RE 599.628/DF, os privilégios da Fazenda Pública podem ser estendidos às privilégios da Fazenda Pública podem ser estendidos às empresas públicas e sociedades de economia mista que não empresas públicas e sociedades de economia mista que não atuam em regime de concorrência, ou seja, que detenham atuam em regime de concorrência, ou seja, que detenham monopólio da atividade, e que não tenham como objetivo monopólio da atividade, e que não tenham como objetivo distribuir lucros, como é o caso da

distribuir lucros, como é o caso da CAESB.CAESB.

3. Conforme prevê a jurisprudência do STF, é aplicável o 3. Conforme prevê a jurisprudência do STF, é aplicável o regime dos precatórios às sociedades de economia mista regime dos precatórios às sociedades de economia mista prestadoras de serviço público próprio do Estado e de prestadoras de serviço público próprio do Estado e de natureza não concorrencial, sob pena de lesão aos princípios natureza não concorrencial, sob pena de lesão aos princípios constitucionais da legalidade orçamentária e da harmonia constitucionais da legalidade orçamentária e da harmonia entre os Poderes, bem como ao regime constitucional dos entre os Poderes, bem como ao regime constitucional dos precatórios.

precatórios.

  4. RECURSO CONHECIDO E PROVIDO. (Acórdão n.1124916,   4. RECURSO CONHECIDO E PROVIDO. (Acórdão n.1124916, 07026837020188070000, Relator: ROBSON BARBOSA DE 07026837020188070000, Relator: ROBSON BARBOSA DE AZEVEDO 5ª Turma Cível, Data de Julgamento: 19/09/2018, AZEVEDO 5ª Turma Cível, Data de Julgamento: 19/09/2018,

Art 7º

Art 7º São requisitos básicos para investidura em cargo  São requisitos básicos para investidura em cargo 

AGRAVO DE INSTRUMENTO. DIREITO ADMINISTRATIVO. AGRAVO DE INSTRUMENTO. DIREITO ADMINISTRATIVO. CAESB. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. CAPITAL CAESB. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. CAPITAL EXCLUSIVAMENTE PÚBLICO. IMPENHORABILIDADE. REGIME EXCLUSIVAMENTE PÚBLICO. IMPENHORABILIDADE. REGIME DE PRECATÓRIOS. APLICÁVEL. MONOPÓLIO NO DE PRECATÓRIOS. APLICÁVEL. MONOPÓLIO NO FORNECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTO. RECURSO CONHECIDO FORNECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTO. RECURSO CONHECIDO E PROVIDO.

(5)

Publicado no PJe:

Publicado no PJe: 02/10/2018. Pág.: 02/10/2018. Pág.: Sem Página Cadastrada.)Sem Página Cadastrada.)

Nesse diapasão. pela leitura do art. 7º, II, da Lei Complementar n.º 840/11, há de se Nesse diapasão. pela leitura do art. 7º, II, da Lei Complementar n.º 840/11, há de se concluir que o segundo requerido está impossibilitado de exercer o cargo de presidente da concluir que o segundo requerido está impossibilitado de exercer o cargo de presidente da CAESB em razão de estar com seus direitos políticos suspensos até o término do CAESB em razão de estar com seus direitos políticos suspensos até o término do cumprimento da sanção aplicada na sentença condenatória já mencionada, isso porque a cumprimento da sanção aplicada na sentença condenatória já mencionada, isso porque a certidão trazida pelos requeridos (ID n.º 29338234) emitida pelo Tribunal Superior Eleitoral certidão trazida pelos requeridos (ID n.º 29338234) emitida pelo Tribunal Superior Eleitoral faz menção apenas à inexistência de condenação criminal eleitoral transitada em julgado faz menção apenas à inexistência de condenação criminal eleitoral transitada em julgado em desfavor do segundo requerido, tanto que a consulta juntada pelo MPDFT, emitida pelo em desfavor do segundo requerido, tanto que a consulta juntada pelo MPDFT, emitida pelo mesmo tribunal eleitoral (ID n.º 28721207), informa que o título de eleitor do segundo mesmo tribunal eleitoral (ID n.º 28721207), informa que o título de eleitor do segundo requerido se encontra suspenso.

requerido se encontra suspenso.

Corroborando com esse entendimento, verifico ainda que a inclusão do nome do Corroborando com esse entendimento, verifico ainda que a inclusão do nome do segundo requerido no Cadastro de Condenações por Improbidade Administrativa (ID n.º segundo requerido no Cadastro de Condenações por Improbidade Administrativa (ID n.º 28721198) somente ocorreu após o trânsito em julgado da sentença condenatória.

28721198) somente ocorreu após o trânsito em julgado da sentença condenatória.

Por outro lado, quanto à alegação dos requeridos de que as sanções já foram Por outro lado, quanto à alegação dos requeridos de que as sanções já foram cumpridas em sede de execução provisória, entendo, em cognição sumária, que não há cumpridas em sede de execução provisória, entendo, em cognição sumária, que não há como ser acolhida, isso porque ainda que os referidos requeridos sustentem o como ser acolhida, isso porque ainda que os referidos requeridos sustentem o cumprimento da sanção de proibição de contratar com a Administração Pública pelo prazo cumprimento da sanção de proibição de contratar com a Administração Pública pelo prazo de 03 (três) anos, não houve comprovação de tais fatos nesse momento.

de 03 (três) anos, não houve comprovação de tais fatos nesse momento.

Ainda que haja controvérsia quanto à possibilidade de execução provisória da Ainda que haja controvérsia quanto à possibilidade de execução provisória da sentença condenatória de improbidade administrativa em razão da vedação legal, há sentença condenatória de improbidade administrativa em razão da vedação legal, há recentes julgados do Superior Tribunal de Justiça que o permitem. No entanto, não se pode recentes julgados do Superior Tribunal de Justiça que o permitem. No entanto, não se pode sustentar, no caso em análise, que as sanções foram cumpridas apenas pelo fato do sustentar, no caso em análise, que as sanções foram cumpridas apenas pelo fato do segundo requerido não ter ocupado nenhum cargo público após a condenação

segundo requerido não ter ocupado nenhum cargo público após a condenação em segundaem segunda instância, isso porque, ainda que, provisória, a execução da sentença deve ser formalmente instância, isso porque, ainda que, provisória, a execução da sentença deve ser formalmente iniciada quer seja pelo exeqüente, quer seja pelo executado, o que não ocorreu no caso em iniciada quer seja pelo exeqüente, quer seja pelo executado, o que não ocorreu no caso em discussão.

discussão.

Outrossim, há de se ter claro o art. 20, da Lei n.º 8.429/92 veda a execução das Outrossim, há de se ter claro o art. 20, da Lei n.º 8.429/92 veda a execução das sanções aplicadas antes do trânsito em julgado da as sentença condenatória, “

sanções aplicadas antes do trânsito em julgado da as sentença condenatória, “in verbis in verbis ”:”:

“  “ 

direitos políticos só se efetivam com o trânsito em

direitos políticos só se efetivam com o trânsito em julgado da julgado da  sentença condenatória.

sentença condenatória.

competente poderá determinar o afastamento do agente  competente poderá determinar o afastamento do agente  público do exercício do cargo, emprego ou função, sem  público do exercício do cargo, emprego ou função, sem  prejuízo da remuneração, quando a medida se fizer  prejuízo da remuneração, quando a medida se fizer  necessária à instrução processual.”

necessária à instrução processual.”

Art 20

Art 20. A perda da função pública e a suspensão dos . A perda da função pública e a suspensão dos 

Parágrafo único

(6)

Assim, havendo vedação legal, não há o que se falar em execução provisória das Assim, havendo vedação legal, não há o que se falar em execução provisória das sanções às quais o segundo réu foi condenado, não cabendo a aplicação, por analogia, de sanções às quais o segundo réu foi condenado, não cabendo a aplicação, por analogia, de entendimento jurisprudencial que permite a prisão após a decisão condenatória de entendimento jurisprudencial que permite a prisão após a decisão condenatória de segunda instância, já que se tratam de sanções que restringem direitos, razão pela qual segunda instância, já que se tratam de sanções que restringem direitos, razão pela qual devem ser interpretadas restritivamente.

devem ser interpretadas restritivamente.

Nesse sentido há julgado do Superior Tribunal de Justiça – STJ, vejamos: Nesse sentido há julgado do Superior Tribunal de Justiça – STJ, vejamos:

6. Consectariamente, o termo inicial para a contagem da 6. Consectariamente, o termo inicial para a contagem da pena de suspensão de direitos políticos, independente do pena de suspensão de direitos políticos, independente do número de condenações, é o trânsito em julgado da decisão, número de condenações, é o trânsito em julgado da decisão, à luz do que dispõe o art. 20 da Lei 8.429/92, verbis: "a perda à luz do que dispõe o art. 20 da Lei 8.429/92, verbis: "a perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos só se da função pública e a suspensão dos direitos políticos só se efetivam com o trânsito em julgado da sentença efetivam com o trânsito em julgado da sentença condenatória".

condenatória".

7. A título de argumento obiter dictum, sobreleva notar, o 7. A título de argumento obiter dictum, sobreleva notar, o entendimento sedimentado Tribunal Superior Eleitoral no entendimento sedimentado Tribunal Superior Eleitoral no sentido de que "sem o trânsito em julgado de ação penal, de sentido de que "sem o trânsito em julgado de ação penal, de improbidade administrativa ou de ação civil pública, nenhum improbidade administrativa ou de ação civil pública, nenhum pré-candidato pode ter seu registro de candidatura recusado pré-candidato pode ter seu registro de candidatura recusado pela Justiça Eleitoral".

pela Justiça Eleitoral".

Precedentes do TSE: REspe 29.028/MG, Rel. Min. Marcelo Precedentes do TSE: REspe 29.028/MG, Rel. Min. Marcelo Ribeiro, publicado em sessão em 26.8.2008 e CTA nº 1.607, Ribeiro, publicado em sessão em 26.8.2008 e CTA nº 1.607, Rel. e. Min. Caputo Bastos, DJ de 6.8.2008.

Rel. e. Min. Caputo Bastos, DJ de 6.8.2008.

8. Recurso especial desprovido, divergindo-se do voto do e. 8. Recurso especial desprovido, divergindo-se do voto do e. Ministro Relator. (REsp 993.658/SC, Rel. Ministro FRANCISCO Ministro Relator. (REsp 993.658/SC, Rel. Ministro FRANCISCO FALCÃO, Rel. p/ Acórdão Ministro LUIZ FUX, PRIMEIRA FALCÃO, Rel. p/ Acórdão Ministro LUIZ FUX, PRIMEIRA TURMA, julgado em 15/10/2009, DJe 18/12/2009)

TURMA, julgado em 15/10/2009, DJe 18/12/2009)

PROCESSUAL CIVIL. ADMINISTRATIVO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. PROCESSUAL CIVIL. ADMINISTRATIVO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. LEI 8.429/92. SUSPENSÃO DE DIREITOS POLÍTICOS. LEI 8.429/92. SUSPENSÃO DE DIREITOS POLÍTICOS. MULTIPLICIDADE DE CONDENAÇÕES. SOMATÓRIO DAS MULTIPLICIDADE DE CONDENAÇÕES. SOMATÓRIO DAS PENAS. TRÂNSITO EM JULGADO. ART. 20, LEI 8429/92. PENAS. TRÂNSITO EM JULGADO. ART. 20, LEI 8429/92. PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS. RAZOABILIDADE E PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS. RAZOABILIDADE E PROPORCIONALIDADE.

PROPORCIONALIDADE. (...)

(7)

No mesmo sentido entende o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, No mesmo sentido entende o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, vejamos:

vejamos:

Não se concede efeito suspensivo à apelação, por ausência Não se concede efeito suspensivo à apelação, por ausência de fundamentação relevante, quando, genericamente, de fundamentação relevante, quando, genericamente, alega-se a injustiça da condenação e o risco advindo da perda do se a injustiça da condenação e o risco advindo da perda do cargo e suspensão dos direitos políticos, cujos efeitos cargo e suspensão dos direitos políticos, cujos efeitos somente se implementam após o trânsito em julgado da somente se implementam após o trânsito em julgado da sentença. (Acórdão n.1088015, 20160020045768AGI, Relator: sentença. (Acórdão n.1088015, 20160020045768AGI, Relator: FERNANDO HABIBE 4ª TURMA CÍVEL, Data de Julgamento: FERNANDO HABIBE 4ª TURMA CÍVEL, Data de Julgamento: 11/04/2018, Publicado no DJE: 16/04/2018. Pág.: 436/446) 11/04/2018, Publicado no DJE: 16/04/2018. Pág.: 436/446)

1 - O art. 14 da Lei nº 7.347/85, aplicável às ações civis 1 - O art. 14 da Lei nº 7.347/85, aplicável às ações civis de improbidade administrativa, estabelece que a atribuição de improbidade administrativa, estabelece que a atribuição de efeito suspensivo ao recurso de apelação é medida de efeito suspensivo ao recurso de apelação é medida excepcional, que depende da existência de prova inequívoca, excepcional, que depende da existência de prova inequívoca, capaz de convencer o julgador da verossimilhança da capaz de convencer o julgador da verossimilhança da alegação, e, também, do fundado receio de dano irreparável alegação, e, também, do fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação, de maneira que a mera possibilidade ou de difícil reparação, de maneira que a mera possibilidade de execução provisória da sentença não se apresenta como de execução provisória da sentença não se apresenta como argumento suficiente para a sua concessão.

argumento suficiente para a sua concessão.

2 - Nos termos do art. 20 da Lei nº 8.429/1992, a imposição 2 - Nos termos do art. 20 da Lei nº 8.429/1992, a imposição das sanções de perda da função pública e das sanções de perda da função pública e de suspensão de direitos políticos apenas se dá com de suspensão de direitos políticos apenas se dá com o trânsito em julgado da sentença condenatória, de maneira o trânsito em julgado da sentença condenatória, de maneira que a formulação de pedido de efeito suspensivo a recurso que a formulação de pedido de efeito suspensivo a recurso relativamente à sua aplicação é inócua. Agravo de relativamente à sua aplicação é inócua. Agravo de Instrumento desprovido. ADMINISTRATIVO E PROCESSUAL CI Instrumento desprovido. ADMINISTRATIVO E PROCESSUAL CI (Acórdão n.869893, 20150020023143AGI, Relator: ANGELO (Acórdão n.869893, 20150020023143AGI, Relator: ANGELO CANDUCCI PASSARELI 5ª Turma Cível, Data de Julgamento: CANDUCCI PASSARELI 5ª Turma Cível, Data de Julgamento: 27/05/2015, Publicado no DJE: 01/06/2015. Pág.: 267)

27/05/2015, Publicado no DJE: 01/06/2015. Pág.: 267)

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. EFEITO SUSPENSIVO À IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. EFEITO SUSPENSIVO À APELAÇÃO. VEROSSIMILHANÇA DAS ALEGAÇÕES. DANO APELAÇÃO. VEROSSIMILHANÇA DAS ALEGAÇÕES. DANO IRREPARÁVEL.

IRREPARÁVEL.

ADMINISTRATIVO E PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO DE ADMINISTRATIVO E PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO DE

INSTRUMENTO. AÇÃO CIVIL

INSTRUMENTO. AÇÃO CIVIL

PÚBLICA. IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. RECURSO DE PÚBLICA. IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. RECURSO DE APELAÇÃO. EFEITO SUSPENSIVO. EXCEÇÃO. DECISÃO APELAÇÃO. EFEITO SUSPENSIVO. EXCEÇÃO. DECISÃO MANTIDA

(8)

1. As sanções

1. As sanções de perda dos de perda dos direitos poldireitos políticos e a íticos e a proibiçãoproibição de contratar com o Poder Público são de aplicação de contratar com o Poder Público são de aplicação compulsória, e se efetivam com o transito em julgado da compulsória, e se efetivam com o transito em julgado da sentença condenatória, conforme dispõe o art. 20 da Lei sentença condenatória, conforme dispõe o art. 20 da Lei 8429/92, in verbis: "[A] perda da função pública e a 8429/92, in verbis: "[A] perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos só se efetivam com o suspensão dos direitos políticos só se efetivam com o trânsito em julgado da sentença condenatória."

trânsito em julgado da sentença condenatória." 2. No

2. No caso em caso em apreço, apreço, não se enão se encontram prncontram presentes osesentes os requisitos para se conceder o efeito suspensivo ao requisitos para se conceder o efeito suspensivo ao cumprimento da sentença, a fim de suspender a perda dos cumprimento da sentença, a fim de suspender a perda dos direitos políticos e a proibição de contratar com o Poder direitos políticos e a proibição de contratar com o Poder Público, impostas ao agravante, porquanto, consoante já Público, impostas ao agravante, porquanto, consoante já salientado, o cumprimento de sentença diz respeito somente salientado, o cumprimento de sentença diz respeito somente ao valor a ser pago em relação à multa civil, correspondente ao valor a ser pago em relação à multa civil, correspondente ao valor de uma remuneração mensal recebida pelo ao valor de uma remuneração mensal recebida pelo agravante durante o período em que ocupou o cargo de agravante durante o período em que ocupou o cargo de Administrador Substituto do Park Way.

Administrador Substituto do Park Way. 3. Ressalto,

3. Ressalto, ainda, o disainda, o disposto no posto no art. 489 art. 489 do Código do Código dede Processo Civil, tendo em vista que simples ajuizamento da Processo Civil, tendo em vista que simples ajuizamento da ação rescisória não impede o cumprimento da sentença, ação rescisória não impede o cumprimento da sentença, ressalvada a concessão de antecipação de tutela apenas em ressalvada a concessão de antecipação de tutela apenas em hipóteses excepci

hipóteses excepcionais, o que não é o caso onais, o que não é o caso dos autos.dos autos. 4.

4. Agravo Agravo conhecido conhecido e e desprovido. desprovido. (Acórdão (Acórdão n.835926,n.835926, 20130020299658AGI, Relator: SILVA LEMOS 3ª TURMA CÍVEL, 20130020299658AGI, Relator: SILVA LEMOS 3ª TURMA CÍVEL, Data de Julgamento: 19/11/2014, Publicado no DJE: Data de Julgamento: 19/11/2014, Publicado no DJE: 04/12/2014. Pág.: 90)

04/12/2014. Pág.: 90)

Corroborando com tal conclusão, verifico que não foram juntadas provas de que o Corroborando com tal conclusão, verifico que não foram juntadas provas de que o referido requerido deixou de exercer seu direito de voto no período do eventual referido requerido deixou de exercer seu direito de voto no período do eventual cumprimento provisório da sentença.

cumprimento provisório da sentença.

CIVIL. PROCESSO CIVIL. AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO CIVIL. PROCESSO CIVIL. AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. PERDA DOS CIVIL PÚBLICA. IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. PERDA DOS DIREITOS POLÍTICOS E PROIBIÇÃO DE CONTRATAR COM O DIREITOS POLÍTICOS E PROIBIÇÃO DE CONTRATAR COM O PODER PÚBLICO. CUMPRIMENTO DE SENTENÇA. PODER PÚBLICO. CUMPRIMENTO DE SENTENÇA. IMPUGNAÇÃO. MULTA.

(9)

Quanto ao argumento trazido pela primeira requerida em relação à necessidade de Quanto ao argumento trazido pela primeira requerida em relação à necessidade de aplicação dos princípios da proporcionalidade e razoabilidade ao caso em análise, ainda aplicação dos princípios da proporcionalidade e razoabilidade ao caso em análise, ainda que tais princípios tenham escopo constitucional e balizem decisões administrativas e que tais princípios tenham escopo constitucional e balizem decisões administrativas e  judiciais,

 judiciais, não não podem podem se se sobrepor sobrepor ao ao princípio princípio da da legalidade, legalidade, também também constitucional, constitucional, e e àà decisão judicial transitada em julgado, isso porque admitir tal hipótese feriria a garantia decisão judicial transitada em julgado, isso porque admitir tal hipótese feriria a garantia constitucional da coisa julgada.

constitucional da coisa julgada.

Por outro lado, também não há o que se falar em lesão à ordem pública, isso porque Por outro lado, também não há o que se falar em lesão à ordem pública, isso porque as atividades hoje desenvolvidas pelo segundo requerido poderão ser executadas pelo seu as atividades hoje desenvolvidas pelo segundo requerido poderão ser executadas pelo seu substituto legal, uma vez que entre os princípios que regem a Administração Pública está o substituto legal, uma vez que entre os princípios que regem a Administração Pública está o princípio da impessoalidade, que garante que os serviços públicos devem ser prestados princípio da impessoalidade, que garante que os serviços públicos devem ser prestados independentemente da presença de pessoa individualmente considerada, não podendo o independentemente da presença de pessoa individualmente considerada, não podendo o bom funcionamento de um órgão ou empresa pública ficar condicionado à presença de bom funcionamento de um órgão ou empresa pública ficar condicionado à presença de pessoa determinada.

pessoa determinada.

Assim, Assim,

os efeitos do ato de posse do segundo requerido no cargo de presidente da Companhia de os efeitos do ato de posse do segundo requerido no cargo de presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal - CAESB.

Saneamento Ambiental do Distrito Federal - CAESB.

Deixo de designar audiência de conciliação, nos termos do art. 334, §4º, Inc. II, do Deixo de designar audiência de conciliação, nos termos do art. 334, §4º, Inc. II, do Código de Processo Civil.

Código de Processo Civil.

CITEM-SE os requeridos para, querendo, OFERECER DEFESA no prazo legal, contados CITEM-SE os requeridos para, querendo, OFERECER DEFESA no prazo legal, contados da juntada da carta/mandado de citação, na forma do art. 231, I e II do CPC, oportunidade da juntada da carta/mandado de citação, na forma do art. 231, I e II do CPC, oportunidade em que deverá se man

em que deverá se manifestar acerca das provas que pretende produzir.ifestar acerca das provas que pretende produzir.

Tr

Transcorrido o prazo acima, intime-se anscorrido o prazo acima, intime-se o autor para o autor para apresentar réplica no prazo deapresentar réplica no prazo de 15 (quinze) dias, momento em que deverá informar o interesse na produção de provas, 15 (quinze) dias, momento em que deverá informar o interesse na produção de provas, especificando-as e informando a finalidade.

especificando-as e informando a finalidade.

Cumpridas as diligências acima, venham os autos conclusos para decisão. Cumpridas as diligências acima, venham os autos conclusos para decisão.

Intimem-se Intimem-se

BRASÍLIA, DF, 2 de abril de

BRASÍLIA, DF, 2 de abril de 2019 14:00:09.2019 14:00:09. ACÁCIA REGINA SOARES DE SÁ ACÁCIA REGINA SOARES DE SÁ

Juíza de Direito Substituta Juíza de Direito Substituta DEFIRO

(10)

Assinado eletronicamente por: Assinado eletronicamente por: https://pje.tjdft.jus.

https://pje.tjdft.jus.br:443/consultapublicabr:443/consultapublica/Processo/Co/Processo/ConsultaDocumentnsultaDocumento/listViewo/listView.seam.seam ID do documento:

ID do documento:

19040214004025100000030020980 19040214004025100000030020980 IMPRIMIR

IMPRIMIR GERAR PDFGERAR PDF ACACIA REGINA SOARES DE SA

ACACIA REGINA SOARES DE SA 02/04/2019 14:00:40

02/04/2019 14:00:40

31364386 31364386

Imagem

Referências

temas relacionados :