• Nenhum resultado encontrado

RELATÓRIO DAS PROVAS BIMESTRAIS 2017 BIM 3

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2019

Share "RELATÓRIO DAS PROVAS BIMESTRAIS 2017 BIM 3"

Copied!
154
0
0

Texto

(1)
(2)

2

À GUISA DA REFLEXÃO

VAM OS FALAR SOBRE O DESEM PENHO DOS ALUNOS EM M ATEM ÁTICA?

Abrindo o debat e a part ir dos result ados oriundos de avaliações ext ernas, em mat emát ica, no Programa Int ernacional de Avaliação de Est udant es (Pisa), realizado, em 2015, pela Organização para a Cooperação e Desenvolviment o Econômico (OCDE), o Brasil apresent ou a primeira queda desde 2003. Além disso, foi possível const at ar que set e em cada dez alunos brasileiros, com idade ent re 15 e 16 anos, est ão abaixo do nível básico de conhecimento.

Nas avaliações ext ernas nacionais, os result ados na disciplina mat emát ica t ambém não são os melhores. Os últ imos result ados da Prova Brasil revelam que uma parcela significativa dos alunos da nossa rede, t ant o no 5º ano quanto no 9º ano do ensino fundament al, encont ravam-se nos níveis básico e abaixo do básico (figuras 1 e 2). É verdade que o IDEB da rede municipal de educação do Rio de Janeiro subiu de 5,3 para 5,6 em 2015, nos anos iniciais. No ent anto, ainda buscamos por melhores performances, especialment e, nos anos finais, levando-se em consideração que o IDEB passou de 4,4 para 4,3.

Com o intuito de diagnost icar a aprendizagem dos alunos, em 2017, a gerência de avaliação organizou simulados das disciplinas língua portuguesa e mat emát ica. As quest ões foram selecionadas a partir de diferent es avaliações ext ernas, cont emplando os descrit ores present es nas mat rizes de referência da Prova Brasil.

(3)

3

FIGURA 1: EVOLUÇÃO PROVA BRASIL – M ATEM ÁTICA (5º ANO)

Font e:Portal QEdu1

1

(4)

4

FIGURA 1: EVOLUÇÃO PROVA BRASIL – M ATEM ÁTICA (9º ANO)

Font e:Portal QEdu2

Os valores percent uais represent am a proporção de alunos que aprenderam o adequado na compet ência de resolução de problemas.

É fundament al que os professores, coordenadores e gest ores das unidades escolares olhem para os result ados, percebendo o context o que pode explicar o desempenho e pensar ações volt adas para a melhoria.

2

(5)

5

SUM ÁRIO

APRESENTAÇÃO ... 6

PARA INÍCIO DE CONVERSA ... 10

A – RESULTADOS GERAIS ... 13

A.1 – A QUESTÃO DA FREQUÊNCIA ... 13

A.2 – M ÉDIA DA REDE NAS DISCIPLINAS, POR ANO DE ESCOLARIDADE ... 14

A.3 – M ÉDIA NAS DISCIPLINAS, POR COORDENADORIA REGIONAL E ANO DE ESCOLARIDADE ... 16

B - RESULTADOS POR ANO E DISCIPLINA ... 19

B.1 – 1º ANO ... 19

B.2 – 2º ANO ... 25

B.3 – 3º ANO ... 31

B.4 – 4º ANO ... 41

B.5 – 5º ANO ... 51

B.6 – 6º ANO ... 62

B.7 – 7º ANO ... 74

B.8 – 8º ANO ... 85

B.9 – 9º ANO ... 96

B.10 – ACELERAÇÃO 1 ... 108

B.11 – ACELERAÇÃO 6 ... 116

B.12 – ACELERAÇÃO 8 ... 133

C - M ÉDIA DA REDE NAS DISCIPLINAS, COM PARATIVO POR GRUPOS ... 150

C.1 – REDE ... 150

C.2 – TURNO ÚNICO ... 151

C.3 – 6º ANO EXPERIM ENTAL/ NÃO EXPERIM ENTAL ... 152

(6)

6

APRESENTAÇÃO

Cara Professora, Caro Professor

A Secret aria M unicipal de Educação da cidade do Rio de Janeiro - SM E/ Rio, realizou a t erceira PROVA BIM ESTRAL de 2017, visando à aferição da aprendizagem de seus alunos, com o objet ivo de subsidiar o trabalho dos professores, uma vez que os result ados dest a avaliação est ão disponíveis para a escola no moment o final da digit ação das provas no DESESC.

O Relat ório das Provas Bimest rais elaborado pela Gerência de Avaliação da SM E apresent a dados e análises da Rede e das Coordenadorias; para um det alhamento maior dos result ados de cada escola, turma ou aluno, o DESESC deve ser consult ado.

A Gerência de Avaliação deseja t ornar est e inst rumento cada vez mais acessível para t oda a Rede, dialogando sobre os result ados, em busca de uma avaliação consist ent e, que cont ribua para o replanejament o das práticas pedagógicas.

PROVAS BIM ESTRAIS

As Provas Bimest rais foram est abelecidas em documento oficial, a Resolução SM E nº 1123, de 24/ 01/ 2011, e são elaboradas por professores da Rede que fazem part e da equipe da Gerência de Ensino Fundamental, responsável t ambém pelo mat erial pedagógico que as escolas recebem bimestralment e. Todo est e mat erial é validado por professores das onze Coordenarias Regionais da Rede. Essa avaliação t em sido de fundament al import ância para a diagnose da aprendizagem na Rede M unicipal de Educação do Rio de Janeiro.

DESESC

(7)

7

ORGANIZAÇÃO DAS PROVAS BIM ESTRAIS

As provas foram aplicadas a t odos os alunos do 1º ao 9º Ano e dos Projet os e est avam assim est rut uradas:

a) 1º Ano – 10 quest ões de Port uguês-Leit ura, 10 quest ões de M at emát ica e 5 quest ões de Alfabet ização Escrit a;

b) 2º Ano – 10 quest ões de Port uguês-Leit ura, 10 quest ões de M at emát ica e 5 quest ões de Alfabet ização Escrit a;

c) 3º Ano - 15 quest ões de M at emát ica, 15 quest ões de Port uguês-Leit ura e 5 quest ões de Alfabet ização Escrit a;

d) 4º e 5º Anos – 10 questões de Ciências, 10 quest ões de M at emát ica e 15 quest ões de Port uguês-Leit ura;

e) 6º ao 9º Ano – 15 quest ões de Ciências, 15 quest ões de M at emát ica e 15 quest ões de Port uguês-Leit ura;

f) Acelera 1 - 10 quest ões de Ciências, 10 quest ões de M at emát ica e 10 quest ões de Português-Leit ura;

g) Aceleração 6 e 8 - 10 quest ões de Ciências, 10 quest ões de M at emát ica, 10 quest ões de Port uguês-Leit ura, 10 quest ões de Hist ória e 10 quest ões de Geografia.

Além dessas provas, foi aplicada, t ambém, a prova de Produção Text ual do 3º ao 9º Ano e nas turmas dos projet os Aceleração 1, 6 e 8.

É import ant e relembrar que, lançados os dados das provas no DESESC, a escola deve ent regar os result ados de cada t urma a seus respect ivos professores e, em reunião, analisá-los, percebendo-se em relação à E/ CRE e à Rede. É preciso que a escola, a cada bimest re, de posse de sua planilha de result ados, veja que alunos est ão em cada nível de desempenho, de forma a m elhor programar as at ividades de recuperação paralela e de reforço escolar. É fundament al, t ambém, que a escola, nessa mesma planilha, verifique, aluno a aluno e t urma a turma, que habilidades necessit am ser abordadas com maior ênfase, definindo que met odologia aplicar em cada situação.

Tal análise deve subsidiar o planejamento das ações pedagógicas para o restante do ano letivo, especialmente as de reforço, para os alunos que estão situados nos níveis mais baixos de desempenho (1 e 2).

É preciso notar que soment e com significativa melhoria de desempenho dos alunos nos níveis 1 e 2, a escola conseguirá atingir seus objet ivos (t er t odos os alunos com aprendizagem adequada ao seu ano escolar).

(8)

8

NÍVEIS DE DESEM PENHO NAS PROVAS BIM ESTRAIS

As t abelas e os gráficos que most ram a dist ribuição dos alunos por nível são referencial import ant íssimo para o planejamento e a execução das atividades de recuperação paralela e de reforço escolar, as quais devem acont ecer a cada bimest re.

O desempenho dos alunos nas Provas Bimest rais de Leit ura, Alfabet ização Escrit a, M at emát ica, Ciências, Hist ória e Geografia est á indicado por cinco níveis, os quais const it uem indicadores para a intervenção pedagógica:

NÍVEL ACERTOS CLASSIFICAÇÃO NECESSIDADE/ POSSIBILIDADE

1 (* ) M UITO CRÍTICO Int ensificar at ividades de recuperação paralela e efet ivar as de reforço, abrangendo todos os cont eúdos essenciais.

2 (* ) CRÍTICO

3 (* ) INTERM EDIÁRIO

Oferecer at ividades de recuperação, abrangendo os cont eúdos de maior dificuldade para esses alunos.

4 (* ) ADEQUADO Est ar at ent o a event uais necessidades desses alunos.

5

(* ) M UITO BOM

Ampliar a aprendizagem (Por exemplo: por meio da part icipação dos alunos dest e grupo como monit ores, na recuperação paralela em sala de aula).

(* ) Para cada média, de acordo com a prova e o ano de escolaridade, há um parâmet ro de acert os por nível.

As t abelas com o índice de acert o de cada quest ão, em cada prova, apont am que habilidades foram ou não desenvolvidas pelos alunos. São as habilidades ainda não desenvolvidas pelos alunos as que devem ser t rabalhadas com maior ênfase no bimest re seguint e, especialment e nas atividades de recuperação paralela e de reforço escolar.

O desempenho dos alunos nas Provas Bimest rais de Produção Text ual, est á indicado por seis níveis, os quais const it uem indicadores para a intervenção pedagógica em cada um dos critérios avaliados – estrutura, coerência, coesão e uso da língua:

NÍVEL CLASSIFICAÇÃO PERCURSO DO ALUNO M EDIAÇÃO DO PROFESSOR

1 M UITO CRÍTICO

O aluno ainda está na fase inicial

do desenvolvimento da

compet ência escritora, não demonstrando conheciment o mínimo do crit ério avaliado.

Int ensificar atividades de recuperação paralela e efetivar as de reforço, abrangendo os conhecimentos básicos sobre o critério observado. É important e fazer uso da leit ura de textos, apontando e discutindo o que é solicitado em cada crit ério.

2 CRÍTICO

(9)

9

conhecimento precário do

critério avaliado.

3 INTERM EDIÁRIO

O aluno está em fase intermediária da aquisição das habilidades de escrita, apresentando a noção da forma de um texto e demonstrando razoável conhecimento do critério avaliado.

Oferecer atividades de

recuperação, abrangendo os

conhecimentos de maior

dificuldade para esses alunos. Sempre é pertinent e fazer uso da leitura de t extos do gênero solicitado na Produção Textual para exemplificar sua elaboração.

4 ADEQUADO

O aluno já desenvolve um t exto,

demonstrando bom

conhecimento do crit ério avaliado, mas, provavelment e,

apresenta falhas nos

conhecimentos desse critério, as quais compromet em a fluência do t exto.

Oferecer atividades de

recuperação, focalizando os pontos em que os alunos falham. Sempre é pertinent e fazer uso da leitura de t extos do gênero solicitado na Produção Textual para exemplificar sua elaboração.

5 M UITO BOM

O aluno já desenvolve bem um text o, mas apresenta pequenas dificuldades no critério avaliado, sem compromet er a fluência do text o.

Estar at ent o a eventuais necessidades desses alunos.

6 EXCELENTE

O aluno já desenvolve um t ext o fluent e, podendo apresentar, eventualment e, algum deslize no critério avaliado, mas sem compromet er a fluência do text o.

Ampliar a aprendizagem do aluno.

(10)

10

PARA INÍCIO DE CONVERSA...

O QUE ENSINAR EM M ATEM ÁTICA

Amanda Polat o3 É cada vez maior o conheciment o sobre como as crianças aprendem conceitos mat emát icos. Pesquisas sobre a didát ica da disciplina aos poucos chegam aos cursos de formação e começam a difundir uma nova maneira de ensinar. O que ant es era considerado erro do aluno ou falt a de conhecimento do cont eúdo, agora se revela como a expressão de diferent es formas de raciocinar sobre um problema, que devem ser compreendidas e levadas em consideração pelo professor no planejamento das intervenções, como se pode acompanhar nas fot os que ilust ram est a report agem.

No decorrer do século 20, as discussões se int ensificaram, motivadas pelas descobert as da psicologia do desenvolviment o e da abordagem socioconst rut ivist a, feit as principalment e pelo cient ist a suíço Jean Piaget (1896-1980) e pelo psicólogo bielo-russo Lev Vygot sky (1896-1934).

"No Brasil, foi nas décadas de 1950 e 60 que os educadores passaram a se preocupar com a baixa qualidade do desempenho dos est udant es. Em diversos países, propost as para enfrent ar as dificuldades começaram a ser const ruídas e, da busca de soluções, surgiu um novo campo de conheciment o", explica Célia M aria Carolino Pires, do Programa de Est udos Pós-Graduados em Educação M at emát ica da Pont ifícia Universidade Cat ólica de São Paulo. Na França, essa área do saber é chamada de didática da M at emát ica e os os principais pesquisadores são Guy Brousseau, Gérard Vergnaud, Régine Douady e Nicolas Balacheff. No Brasil, ela t ambém é conhecida como Educação M at emát ica.

"As pesquisas francesas deram aport e a invest igações que concebem o aluno como sujeit o at ivo na produção do conhecimento e considera as formas part iculares de aprender e pensar", resume Crist iano Albert o M uniz, coordenador adjunto do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Brasília (UnB). Essa abordagem t em implicações didáticas, pois coloca o professor como conhecedor do processo de aprendizagem, da natureza dos cont eúdos e das int ervenções mais adequadas para ensinar.

Aulas em que se expõem conceit os, fórmulas e regras e depois é exigida a repet ição de exercícios, t ão usadas at é hoje, t êm origem no começo do século 20. Porém sabe-se que elas não são a melhor opção para a Educação M at emát ica. "Procediment os clássicos podem ser ut ilizados desde que t enham coerência com os objet ivos do planejament o e est ejam acompanhados de t empo para a reflexão e a discussão em grupo", observa M uniz.

3

(11)

11

ENTENDER COM O AS CRIANÇAS APRENDEM É FUNDAM ENTAL

Os conheciment os sobre como as crianças aprendem M at emát ica t êm mais de 30 anos, mas ainda não const am dos currículos dos cursos de licenciat ura. Aos poucos, aparecem em programas de formação cont inuada, most rando maneiras eficient es de ensino da disciplina.

O foco dessa t endência que coloca o aluno no cent ro do processo de aprendizagem é apresent ar a ele sit uações-problema para resolver. "O docent e t em o papel de mediador, ajudando a const ruir os conceit os e fazendo com que o est udant e t enha consciência do que faz na hora de responder as quest ões", afirma Sandra Baccarin, do Compasso, grupo de pesquisa em Educação M at emát ica da UnB.

No livro Didática da M at emática, Roland Charnay afirma: "O aluno deve ser capaz não só de repet ir ou refazer, mas t ambém de ressignificar diant e de novas sit uações, adapt ando e t ransferindo seus conheciment os para resolver desafios".

Guy Brousseau, ao const ruir a t eoria sobre o cont rato didát ico, descreveu as relações ent re o professor, o saber e o aluno. O docent e t em a função de criar sit uações didáticas em que nem t udo fica explícit o (são os obst áculos). À criança cabe pensar em possíveis caminhos para resolvê-las, formulando variadas hipóteses sem t er a necessidade de dar nenhuma respost a imediat a. Esse segundo momento é chamado de adidático. É aí que o aluno usa a própria lógica para produzir. "Assim, começamos a preparar os jovens para pensar de forma autônoma", dest aca Crist iano M uniz. Depois disso, é t arefa do professor ret omar o planejado, para analisar as hipót eses da t urma e sist emat izar o aprendizado.

Para compreender melhor as condições de ensino, Gérard Vergnaud elaborou a t eoria dos campos conceit uais. Ao est udar como as crianças resolvem problemas de soma e subt ração, o francês percebeu que elas procuram a respost a usando procedimentos diversos do t radicional, com base em vivências e aprendizados ant eriores. Foi assim que ele classificou os problemas do campo aditivo em seis t ipos:

dois de t ransformação (alt eração do est ado inicial por meio de uma sit uação

inicial, posit iva ou negat iva);

combinação de medidas (junção de conjuntos de quant idades preest abelecidas);

comparação (confront o de duas quantidades para achar a diferença);

composição de t ransformações (alt erações sucessivas do est ado inicial);

est ados relat ivos (t ransformação de um est ado relat ivo em out ro est ado relat ivo).

Da mesma forma, ele classificou as quest ões relat ivas ao campo multiplicat ivo em t rês: proporcionalidade, organização ret angular e combinatória.

(12)

12

afirma Daniela Padovan, selecionadora do Prêmio Victor Civit a Educador Not a 10. A just ificativa pode ser feit a oralment e ou por escrit o. Nesse caso, é possível que ele inicie com represent ações pessoais - como riscos e desenhos - ant es de chegar ao regist ro formal da linguagem mat emát ica. É esse processo que leva à aprendizagem efet iva.

Um aspect o muit o disseminado da abordagem socioconst rut ivist a - base da didática da M at emát ica da escola francesa - é a visão da aprendizagem como um processo social. Isso significa considerar a art iculação dos saberes escolares com a realidade das crianças. A ideia, contudo, cost uma gerar muit os equívocos. Um deles ocorre quando o professor privilegia a vivência de sit uações do cot idiano para int roduzir um cont eúdo, esquecendo-se, post eriorment e, de sist emat izar o aprendizado.

(13)

13

A – RESULTADOS GERAIS

A.1 - A QUESTÃO DA FREQUÊNCIA

A.1.1 - ANOS REGULARES

- Frequência (%) por disciplina (Rede)

ANO LEITURA PRODUÇÃO TEXTUAL

ALFABETIZAÇÃO

ESCRITA M ATEM ÁTICA CIÊNCIAS

1º ANO 95,7 94,8 95,8

2º ANO 96,5 95,9 96,4

3º ANO 96,0 96,0 95,5 96,0

4º ANO 97,4 96,8 97,1 96,8

5º ANO 97,5 97,2 97,3 97,1

6º ANO 94,7 92,9 94,2 93,1

7º ANO 92,9 89,4 92,5 91,2

8º ANO 95,2 91,0 94,6 93,2

9º ANO 95,8 92,3 95,6 94,9

Obs.: Padrões de Frequência - 100% = Excelente; 95% a 99% = Bom; 90 a 94% = M ínimo Aceitável; 85% a 89% = Razoável; 80 a 84% = Sofrível; Abaixo de 80% = M uito fraco.

A.1.2 - PROJETO DE ACELERAÇÃO

- Frequência (%) por disciplina (Rede)

ANO LEITURA PRODUÇÃO

TEXTUAL M ATEM ÁTICA CIÊNCIAS HISTÓRIA GEOGRAFIA

ACELERA 1 95,7 94,6 95,1 94,6

ACELERA 6 91,1 89,0 90,7 90,3 89,7 90,0

ACELERA 8 94,6 93,3 94,2 94,2 93,5 93,8

(14)

14

A.2 – M ÉDIA DA REDE NAS DISCIPLINAS, POR ANO DE ESCOLARIDADE:

A.2.1 - ALFABETIZAÇÃO

Obs.: Soment e o 3º Ano realizou a Prova de Produção Text ual.

(15)

15

A.2.3 - 7º AO 9º ANO

A.2.4 - PROJETOS – ACELERAÇÃO 1, 6 E 8

(16)

16

A.3 - M ÉDIA NAS DISCIPLINAS, POR COORDENADORIA REGIONAL E ANO DE ESCOLARIDADE

A.3.1 - NOS ANOS REGULARES

Obs.: A escala de notas vai de 0 a 10. Cor: azul – média igual ou superior a 6,0; magenta – menor média na Rede; verde – maior média na Rede.

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em Leitura:

LEITURA

CRE/ REDE 1ª 9ª 10ª 11ª REDE 1ºANO 8,1 8,2 8,2 8,0 8,1 8,4 8,1 8,3 8,1 8,0 8,5 8,2 2ºANO 8,1 8,3 8,1 8,2 8,2 8,2 8,1 8,2 8,3 8,1 8,5 8,2 3ºANO 7,3 7,3 7,2 6,9 7,4 7,3 7,1 7,2 7,4 7,0 7,8 7,2 4ºANO 6,6 6,8 6,5 6,4 6,7 6,6 6,7 6,8 6,9 6,5 7,1 6,7 5ºANO 6,4 6,5 6,4 6,2 6,5 6,5 6,5 6,6 6,7 6,3 6,5 6,5 6ºANO 6,9 6,9 6,9 6,6 6,7 6,7 7,1 6,6 7,2 6,6 6,8 6,8 7ºANO 7,3 7,5 7,3 7,2 7,3 7,1 7,6 7,2 7,2 7,1 7,5 7,3 8ºANO 7,6 7,7 7,7 7,6 7,4 7,1 7,9 7,4 7,5 7,4 7,8 7,5 9ºANO 6,8 6,9 6,7 6,7 6,5 6,4 6,8 6,5 6,7 6,4 6,7 6,6

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em Produção Textual:

PRODUÇÃO TEXTUAL

CRE/ REDE 1ª 9ª 10ª 11ª REDE 3ºANO 6,3 6,3 6,1 6,0 6,3 6,3 5,8 6,1 6,4 6,0 6,8 6,1 4ºANO 6,6 6,4 6,4 6,3 6,5 6,4 6,4 6,5 6,6 6,3 6,8 6,4 5ºANO 6,7 6,8 6,8 6,5 6,7 6,7 6,6 6,8 6,8 6,5 6,8 6,7 6ºANO 6,5 6,1 6,3 5,9 6,1 6,3 6,5 5,9 6,7 6,2 6,5 6,2 7ºANO 6,0 6,0 6,0 5,8 5,8 5,9 6,0 5,9 5,7 5,8 6,0 5,9 8ºANO 6,4 6,1 6,3 6,1 6,4 6,2 6,3 6,4 6,1 6,2 6,4 6,2 9ºANO 6,9 6,6 6,6 6,4 6,4 6,8 6,5 6,6 6,6 6,5 6,7 6,6 Obs.: Esta prova é aplicada a partir do 3º Ano.

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em Alfabetização Escrita:

ALFABETIZAÇÃO ESCRITA

(17)

17

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em M atemática:

M ATEM ÁTICA

CRE/ REDE 1ª 9ª 10ª 11ª REDE 1ºANO 8,3 8,3 8,3 8,3 8,3 8,6 8,4 8,3 8,3 8,2 8,6 8,3 2ºANO 7,4 7,5 7,5 7,6 7,5 7,6 7,5 7,5 7,6 7,5 7,9 7,5 3ºANO 7,2 7,0 6,9 6,8 7,2 7,0 6,9 7,0 7,2 6,8 7,5 7,0 4ºANO 7,2 7,2 7,0 7,0 7,2 7,1 7,4 7,3 7,4 7,0 7,5 7,2 5ºANO 6,0 6,1 6,1 5,9 6,2 6,3 6,2 6,5 6,5 6,0 6,3 6,2 6ºANO 6,3 5,9 6,0 5,9 5,7 5,8 6,4 5,5 6,6 5,8 5,9 6,0 7ºANO 6,3 5,9 5,7 5,5 5,6 5,4 6,1 5,6 5,9 5,6 5,9 5,7 8ºANO 5,9 5,7 5,8 5,6 5,7 5,3 5,9 5,4 5,8 5,6 5,6 5,7 9ºANO 6,7 6,7 6,4 6,5 6,2 5,9 6,6 6,3 6,6 6,3 6,3 6,4

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em Ciências:

CIÊNCIAS

CRE/ REDE 1ª 9ª 10ª 11ª REDE 4ºANO 6,4 6,4 6,4 6,2 6,6 6,5 6,6 6,6 6,8 6,5 6,9 6,5 5ºANO 7,6 7,7 7,7 7,4 7,7 7,8 7,7 7,8 7,8 7,6 7,7 7,7 6ºANO 5,6 5,4 5,6 5,3 5,3 5,7 5,9 5,1 6,3 5,6 5,7 5,6 7ºANO 5,0 4,9 4,9 4,6 4,7 4,9 5,1 4,7 4,8 4,8 5,0 4,8 8ºANO 5,4 5,1 5,2 5,0 4,9 5,1 5,4 4,8 5,2 5,0 5,3 5,1 9ºANO 6,3 6,4 6,4 6,5 6,0 5,9 6,4 6,1 6,1 6,0 6,1 6,2 Obs.: Esta prova é aplicada a partir do 4º Ano.

A.3.2 - NOS PROJETOS DE ACELERAÇÃO

Obs.: A escala de notas vai de 0 a 10. Cor: azul – média igual ou superior a 6,0; magenta – menor média na Rede; verde – maior média na Rede.

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em Leitura: LEITURA

CRE/ REDE 9ª 10ª 11ª REDE Aceleração 1 7,7 7,5 8,1 7,6 8,1 6,8 8,0 7,7 6,9 7,4 7,6 7,7 Aceleração 6 6,5 6,6 5,8 6,0 5,9 6,1 6,3 5,9 5,6 6,3 6,9 6,1 Aceleração 8 7,0 7,1 7,0 6,7 6,9 6,9 7,3 6,5 6,4 6,7 7,5 6,8

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em Produção Textual: PRODUÇÃO TEXTUAL

(18)

18

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em M atemática:

M ATEM ÁTICA

CRE/ REDE 9ª 10ª 11ª REDE Aceleração 1 6,0 6,7 7,8 6,7 7,2 5,9 7,4 7,1 6,5 7,0 6,7 6,9 Aceleração 6 5,4 6,0 5,4 5,5 5,3 5,4 5,9 4,9 5,1 5,6 6,4 5,5 Aceleração 8 6,5 7,1 7,2 6,7 6,5 6,8 6,9 6,4 6,3 6,5 7,0 6,7

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em Ciências: CIÊNCIAS

CRE/ REDE 9ª 10ª 11ª REDE Aceleração 1 7,1 7,2 8,5 7,6 7,4 8,1 8,0 7,9 7,4 7,7 7,8 7,7 Aceleração 6 5,8 6,3 5,5 5,8 5,4 5,7 6,2 5,5 5,5 5,9 6,4 5,8 Aceleração 8 7,3 7,7 7,8 7,2 7,3 7,3 7,7 7,0 6,8 7,3 7,5 7,3

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em História: HISTÓRIA

CRE/ REDE 9ª 10ª 11ª REDE Aceleração 6 6,8 7,2 6,7 6,9 6,5 6,8 7,2 6,6 6,3 7,0 7,5 6,8 Aceleração 8 6,0 7,1 7,0 6,3 6,5 7,1 6,9 6,2 6,0 6,1 7,4 6,5 * Aceleração 1 não faz essa avaliação

M édia da Rede e por CRE, por Ano de Escolaridade, em Geografia: GEOGRAFIA

(19)

19

B – RESULTADOS POR ANO E DISCIPLINA

B.1 - 1º ANO:

B.1.1 - LEITURA

M édias do 1º Ano em Leitura:

(20)

20

Composição das Provas:

PROVA COC

Nº QUESTÕES POR NÍVEL DE DIFICULDADE FÁCIL

(70% ou mais de acerto)

M ÉDIO (30% a 69% de acerto)

DIFÍCIL (0% a 29% de acerto)

LEITURA

8 2 0

9 1 0

10 0 0

Os Descrit ores da Prova de Leitura e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

% de acerto na questão

Alta marcação num distrator (+ 20%) M arcação entre 17 e 20%

Dois distrat ores que totalizam 25% ou mais

QUESTÃO

POR COC CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1 1 bD11 Diferenciar letras de outros sinais gráficos. 93,2 91,7

2 e

9 2 bD12 Identificar as letras do alfabeto.

91,6

79,4 87,2

3 3 3 bD34 Reconhecer, a partir da palavra ouvida, o

valor sonoro de uma sílaba. 89,4 83,3 83,2

4 e 5

4 e 5

4 e

5 bD4 Ler palavras.

59,9 59,7 84,0 78,0 80,9 81,2 6 e 7 6 e

7 2 bD31

Identificar em palavras a representação de unidades sonoras como letras que possuem correspondência sonora única (ex.: p, b, t , d, f).

80,8 74,5

86,0

68,5 83,5

8 DNC* Identificar diferent es modos de apresentação

de textos escritos. 90,4

10 9 9 bD6 Localizar informação explícita em textos. 91,3 79,0 75,8

8 6 e

10 bD5 Ler frases. 76,7

73,0 80,9 Questão Q.01 Q.02 Q.03 Q.04 Q.05 Q.06 Q.07 Q.08 Q.09 Q.10 Descritor bD32 bD31 bD34 bD4 bD4 bD5 bD7 bD8 bD6 bD5 % de Acerto 83,8 83,5 83,2 80,9 81,2 73,0 82,9 90,0 75,8 80,9

O

P

Ç

Ã

O A B 83,8 7,6 5,5 6,6 83,2 4,0 9,0 7,1 81,2 7,8 15,0 5,1 82,9 9,0 90,0 4,8 6,6 6,6 80,9 9,2

C 6,5 83,5 5,3 2,5 8,0 6,0 3,3 1,5 75,8 4,5

D 1,6 3,9 7,0 80,9 2,5 73,0 4,2 3,1 10,3 4,7

Nulo 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,2 0,1 0,1 0,1 0,1

(21)

21

10 8 bD8 Identificar a finalidade do texto. 73,4 89,9

1 bD32

Identificar em palavras a representação de unidades sonoras como let ras com mais de uma correspondência sonora (ex.: “ c” e “ g” ).

83,8

7 bD7 Reconhecer assunto de um t exto. 82,9

* Descrit or não cadastrado

B.1.2 - ALFABETIZAÇÃO ESCRITA

M édias do 1º Ano em Alfabet ização Escrit a:

(22)

22

Os Descrit ores da Prova de Alfabet ização Escrit a e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

COC DESCRITORES

aE1 aE21 aE42 aE41 aE71

% de alunos nos níveis

4 e 5 por descrit or

93,4 58,6

44,9 25,9 16,8

95,4 67,9 48,3 29,4 24,2

76,6 68,8 52,7 37,8 28,8

Acima de 50% (desejável) Abaixo de 50%

QUESTÃO POR

COC CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1 1 1 aE1 Escrever o nome. 93,4 95,4 76,6

2 e 3 2 2 aE21 Escrever palavras com o apoio de figura.

58,6

44,9 67,9 68,8

4 3 3 aE42 Escrever frase ditada. 25,9 48,3 52,7

5 4 4 aE41 Escrever frase com o apoio de figura. 16,8 29,4 37,8

5 5 aE71 Criar texto a partir de imagem. 24,2 28,7

* Obs.: Os itens consideram o percentual nos níveis 4 e 5 (níveis desejáveis em escrita).

(23)

23

B.1.3 - M ATEM ÁTICA

M édias do 1º Ano em M at emát ica:

Alunos por nível em M at emát ica:

Composição das Provas:

PROVA COC

Nº QUESTÕES POR NÍVEL DE DIFICULDADE FÁCIL

(70% ou mais de acerto)

M ÉDIO (30% a 69% de acerto)

DIFÍCIL (0% a 29% de acerto)

M ATEM ÁTICA

5 0 0

9 1 0

9 1 0

(24)

24

Os Descrit ores da Prova de M atemát ica e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

% de acerto na questão

Alta marcação num distrator (+ 20%) M arcação entre 17 e 20%

Dois distrat ores que totalizam 25% ou mais

QUESTÃO POR COC

CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1 1 bD13

Comparar ou ordenar quantidades pela contagem para identificar igualdade ou desigualdade numérica.

90,0 56,3

2 3 5 bD14 Comparar ou ordenar números

naturais. 89,5 86,0 87,0

3 2 6 bD11

Associar a contagem de coleções de objet os à representação numérica das suas respectivas quant idades.

90,8 83,2 85,3

4 e 5

4,5,6,7 e 10

3,7

e 8 bD21

Resolver problemas que demandam as ações de juntar, separar, acrescentar e retirar quant idades.

86,0 84,8 77,2 74,2 85,5 84,3 87,0 74,4 87,3 67,8

8 10 bD62 Identificar informações apresentadas

em gráficos de colunas. 90,5 81,0

9 9 bD61 Identificar informações apresentadas

em tabelas. 86,0 89,9

1 bD12 Associar a denominação do número a

sua respectiva representação simbólica. 80,0

2 bD52 Identificar e relacionar cédulas e

moedas. 92,0

4 bD41 Identificar figuras geométricas planas. 88,1

Questão Q.01 Q.02 Q.03 Q.04 Q.05 Q.06 Q.07 Q.08 Q.09 Q.10 Descritor bD12 bD52 bD21 bD41 bD14 bD11 bD21 bD21 bD61 bD62 % de Acerto 80,0 92,0 74,4 88,2 87,0 85,3 87,3 67,8 89,9 81,0

O

P

Ç

Ã

O A B 6,3 7,7 92,0 5,8 13,2 74,4 3,7 2,8 3,9 4,6 85,3 4,6 87,3 4,7 22,8 5,0 3,8 2,4 81,0 3,5

C 5,6 0,9 9,8 4,6 87,0 4,7 3,2 3,7 89,9 3,0

D 80,0 0,8 2,0 88,2 3,8 4,8 4,0 67,8 3,1 11,8

Nulo 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1

(25)

25

B.2 - 2º ANO:

B.2.1 - LEITURA

M édias do 2º Ano em Leitura:

(26)

26

Composição das Provas:

PROVA COC

Nº QUESTÕES POR NÍVEL DE DIFICULDADE FÁCIL

(70% ou mais de acerto)

M ÉDIO (30% a 69% de acerto)

DIFÍCIL (0% a 29% de acerto)

LEITURA

9 1 0

8 2 0

9 1 0

Os Descrit ores da Prova de Leitura e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

% de acerto na questão

Alta marcação num distrator (+ 20%) M arcação entre 17 e 20%

Dois distrat ores que totalizam 25% ou mais

QUESTÃO POR

COC CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1 bD12 Identificar as letras do alfabeto. 87,0

2 bD31

Identificar em palavras a representação de unidades sonoras como letras que possuem correspondência sonora única (ex.: p, b, t, d, f).

83,5

3 e

4 bD34

Reconhecer, a part ir da palavra ouvida, o valor sonoro de uma sílaba.

95,8 78,8 5 e 6 2 e 7 1 e

2 bD4 Ler palavras.

95,0 87,8 85,0 85,3 87,0 95,5

7 1 bD32

Identificar em palavras a representação de unidades sonoras como letras com mais de uma correspondência sonora (ex.: “ c” e “ g” ).

90,9 93,5

8 5 5 bD71

Antecipar o assunto do t ext o com base no suporte ou nas caract erísticas gráficas do gênero.

74,8 78,0 83,0 Questão Q.01 Q.02 Q.03 Q.04 Q.05 Q.06 Q.07 Q.08 Q.09 Q.10 Descritor bD4 bD4 bD21 bD5 bD71 bD5 iD4 bD6 bD81 bD6 % de Acerto 87,0 95,5 84,1 87,1 83,1 88,3 83,2 66,3 70,4 75,1

O

P

Ç

Ã

O A B 7,0 4,3 95,5 2,2 5,4 3,9 87,1 6,4 7,7 5,9 3,8 4,8 83,2 7,0 11,0 12,1 70,4 10,3 75,1 5,0

C 87,0 1,3 84,1 3,6 83,1 2,6 5,9 10,0 6,1 4,4

D 1,4 0,7 6,1 2,5 3,0 88,3 3,5 66,3 12,3 14,7

Nulo 0,1 0,0 0,1 0,0 0,0 0,1 0,1 0,2 0,1 0,1

(27)

27

9 DNC*

Identificar diferent es modos de apresentação de t extos escritos, t endo em vista seu gênero t extual.

69,6

10 8 8 e

10 bD6 Localizar informação explícita em textos. 80,3 57,4

66,3 75,1

3 3 bD21 Identificar o número de sílabas que formam

uma palavra por contagem. 82,9 84,1

4,6 e 9

4 e

6 bD5 Ler frases.

82,8 76,2 90,3

87,1 88,3

10 9 bD81

Reconhecer a finalidade do t exto com apoio no suport e ou nas caract erísticas gráficas do gênero.

61,4 70,5

7 iD4 Inferir uma informação implícita em um

text o. 83,2

* Descrit or não cadastrado

B.2.2 - ALFABETIZAÇÃO ESCRITA

(28)

28

Alunos por nível em Alfabet ização Escrit a:

Os Descritores da Prova de Alfabet ização Escrit a e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

COC DESCRITORES

aE21 aE42 aE41 aE71

% de alunos nos níveis 4 e 5 por descrit or

73,2

75,1 55,1 41,9 35,6

74,0 66,7

47,5

49,5 44,4

80,1

76,2 57,7 63,6 44,5

Acima de 50% (desejável) Abaixo de 50%

QUESTÃO POR

COC CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1 e 2 1 1 e 2 aE21 Escrever palavras com o apoio de figura.

73,2

75,1 74,0

80,1 76,2

3 2 4 aE42 Escrever frase ditada. 55,1 66,7 57,7

4 3 e

4 3 aE41 Escrever frase com o apoio de figura. 41,9

47,5

49,5 63,6

5 5 5 aE71 Criar texto a partir de imagem. 35,6 44,4 44,5

(29)

29

B.2.3 - M ATEM ÁTICA

M édias do 2º Ano em M at emát ica:

Alunos por nível em M at emát ica:

Composição das Provas:

PROVA COC

Nº QUESTÕES POR NÍVEL DE DIFICULDADE FÁCIL

(70% ou mais de acerto)

M ÉDIO (30% a 69% de acerto)

DIFÍCIL (0% a 29% de acerto)

M ATEM ÁTICA

8 2 0

6 4 0

6 4 0

(30)

30

Os Descrit ores da Prova de M atemát ica e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

% de acerto na questão

Alta marcação num distrator (+ 20%) M arcação entre 17 e 20%

Dois distrat ores que totalizam 25% ou mais

QUESTÃO POR

COC CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1 e

9 4 7 bD14 Comparar ou ordenar números naturais.

93,1

85,4 63,2 87,3

2, 3 e 10

6,9 e 10

2,6

e 8 bD21

Resolver problemas que demandam as ações de juntar, separar, acrescentar e retirar quantidades. 80,7 68,4 63,1 88,5 68,3 67,8 92,0 85,3 67,8 4 e

6 8 3 bD62

Identificar informações apresentadas em gráficos de colunas.

82,6

89,3 83,9 74,4

5 bD41 Identificar figuras geométricas planas. 90,7

7 2 5 bD52 Identificar e relacionar cédulas e moedas. 76,0 70,2 87,0

8 1 bD61 Identificar informações apresentadas em

tabelas. 71,5 80,0

1 bD12 Associar a denominação do número a sua

respectiva representação simbólica. 84,5

3 iD27 Ler informações e dados apresentados

em tabelas. 77,3

5 iM 44 Ler horas exatas em relógio analógico ou

digital. 78,4

7 4 bD13

Comparar ou ordenar quantidades pela contagem para identificar igualdade ou desigualdade numérica.

58,5 88,1

9 bD31 Resolver problemas que envolvam as

ideias da multiplicação. 89,9

10 bD32 Resolver problemas que envolvam as

ideias da divisão. 81,0

Questão Q.01 Q.02 Q.03 Q.04 Q.05 Q.06 Q.07 Q.08 Q.09 Q.10 Descritor bD61 bD21 bD62 bD13 bD52 bD21 bD14 bD21 bD31 bD32 % de Acerto 86,3 72,2 90,5 64,7 81,2 65,1 75,4 60,2 88,8 69,9

O

P

Ç

Ã

O A B 86,3 6,3 11,1 9,6 90,5 3,4 20,9 9,0 81,2 7,8 8,0 7,7 75,4 6,5 23,2 9,1 88,8 4,7 4,8 4,6

C 3,9 72,2 3,1 64,7 5,2 17,8 11,3 6,6 2,7 69,9 D 3,1 6,3 2,5 4,5 5,0 65,1 5,7 60,2 3,1 19,7

Nulo 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1

(31)

31

B.3 - 3º ANO:

B.3.1 - LEITURA

M édias do 3º Ano em Leitura:

Alunos por nível em Leit ura:

(32)

32

Composição das Provas:

PROVA COC

Nº QUESTÕES POR NÍVEL DE DIFICULDADE FÁCIL

(70% ou mais de acerto)

M ÉDIO (30% a 69% de acerto)

DIFÍCIL (0% a 29% de acerto)

LEITURA

9 6 0

9 6 0

11 4 0

Os Descrit ores da Prova de Leitura e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

% de acerto na questão

Alta marcação num distrator (+ 20%) M arcação entre 17 e 20%

Dois distrat ores que totalizam 25% ou mais

QUESTÃO POR COC

CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1 e 2 bD32

Identificar em palavras a representação de unidades sonoras como letras com mais de uma correspondência sonora (ex.: “ c” e “ g” ).

77,1 60,9

3,5,7,10

e 14 bD6

Localizar informação explícita em t extos.

74,6 74,6 82,2 70,0 68,0

4 e 15 bD10 Inferir informação. 68,5

67,4

6 bD4 Ler palavras. 67,4

8 iD9 Identificar a finalidade de t extos

de diferent es gêneros. 64,4

9 6 7 bD7 Reconhecer assunto de um 71,1 74,4 78,4

Questão Q.01 Q.02 Q.03 Q.04 Q.05 Q.06 Q.07 Q.08 Q.09 Q.10 Q.11 Q.12 Q.13 Q.14 Q.15 Descritor iD1 iD8 bD71 iD1 iD4 bD81 bD7 iD3 iD1 iD5 iD1 iD3 fD2 iD4 iD1

% de

Acerto 71,7 74,2 81,1 72,1 67,1 76,4 78,4 61,3 80,7 65,1 74,9 70,7 53,6 80,0 72,3

O

P

Ç

Ã

O A B 10,4 7,5 10,6 6,2 74,2 5,6 11,6 7,8 12,7 72,1 9,3 5,2 78,4 7,9 14,3 6,7 7,5 6,8 14,6 10,2 65,1 8,7 70,7 7,9 13,4 7,5 11,7 17,9 80,0 8,3

C 9,9 6,0 81,1 8,3 67,1 4,8 7,5 16,3 80,7 11,5 5,5 10,8 14,1 5,2 6,9

D 71,7 8,7 6,3 7,4 15,1 76,4 5,6 61,3 5,2 8,1 74,9 9,7 53,6 6,5 72,3 Nulo 0,1 0,1 0,1 0,2 0,2 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1

Sem

(33)

33

text o.

11 e 13 3 3 bD71

Antecipar o assunto do t exto com base no suporte ou nas caract erísticas gráficas do gênero.

73,6

76,1 76,6 81,1

12 DNC*

Identificar elementos que compõem a narrativa, como tempo, espaço e personagem.

76,6

1 6 bD81

Reconhecer a finalidade do text o com apoio no suport e ou nas caract erísticas gráficas do gênero.

82,8 76,4

2,4 e 15

1,4,9,11 e 15 iD1

Localizar informações explícitas em um t exto.

83,2 71,8 77,5 71,7 72,1 80,7 74,9 72,3

5 13 iD2

Estabelecer relações entre

partes de um texto,

identificando repetições ou substituições que contribuem para a continuidade de um text o.

75,0 53,6

7 e 9 5 e 14 iD4 Inferir uma informação implícita em um t exto.

54,9 46,4

67,1 80,0

8,10

e 13 8 e 12 iD3

Inferir o sentido de uma palavra ou uma expressão.

57,4 70,9 52,4

61,3 70,7

11,14 10 iD5

Interpretar t exto com auxílio de mat erial gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, foto, et c.)

73,4

60,6 65,0

12 2 iD8

Estabelecer relação

causa/ consequência entre partes e elementos do texto.

68,8 74,2

(34)

34

B.3.2 - ALFABETIZAÇÃO ESCRITA

M édias do 3º Ano em Alfabet ização Escrit a:

(35)

35

Os Descritores da Prova de Alfabet ização Escrit a e seus Result ados no 3º

COC

* Legendas abaixo das t abelas

COC DESCRITORES

aE21 aE41 aE71 aE42

% de alunos nos níveis 4 e

5 por descritor

53,3

49,9

53,3

49,9 41,8

56,8

57,3 49,1

63,4 58,1

65,4

62,7 52,5

64,0 60,2

Acima de 50% (desejável) Abaixo de 50%

QUESTÃO POR

COC CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1 e 2 aE21 Escrever palavras com o apoio de

figura.

53,9 60,8

3 e 4 1 e

3 1 e 3 aE41 Escrever frase com o apoio de figura.

53,3 49,9

56,8 57,3

65,4 62,7

5 5 5 aE71 Criar texto a partir de imagem. 41,8 49,1 52,5

2 e

4 2 e 4 aE42 Escrever frase ditada.

63,4 58,1

64,0 60,2

(36)

36

B.3.3 - PRODUÇÃO TEXTUAL

M édias do 3º Ano em Produção Text ual:

(37)

37

Os Aspect os da Prova de Produção Text ual e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

COC ASPECTOS

ESTRUTURA COERÊNCIA COESÃO USO DA LÍNGUA

% de alunos nos níveis 4 a 6 por Aspecto

56,2 54,2 50,1 45,3

70,1 64,2 59,1 54,2

73,5 73,7 68,1 62,4

Acima de 50% (desejável) Abaixo de 50%

B.3.4 - M ATEM ÁTICA

(38)

38

Alunos por nível em M at emát ica:

Composição das Provas:

PROVA COC

Nº QUESTÕES POR NÍVEL DE DIFICULDADE FÁCIL

(70% ou mais de acerto)

M ÉDIO (30% a 69% de acerto)

DIFÍCIL (0% a 29% de acerto)

M ATEM ÁTICA

8 7 0

7 8 0

7 8 0

Os Descrit ores da Prova de M atemát ica e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

% de acerto na questão

Alta marcação num distrator (+ 20%) M arcação entre 17 e 20%

Dois distratores que tot alizam 25% ou mais

Questão Q.01 Q.02 Q.03 Q.04 Q.05 Q.06 Q.07 Q.08 Q.09 Q.10 Q.11 Q.12 Q.13 Q.14 Q.15 Descritor iD28 iD19 iD17 iD14 iD10 iM 30 iD18 iD10 bD31 iD15 iD19 bD32 iD13 iD18 iM 44

% de

Acerto 88,9 74,2 77,9 87,1 68,2 81,4 57,3 77,5 69,2 54,4 51,8 65,8 78,5 66,7 50,0

O

P

Ç

Ã

O

A 4,5 74,2 8,3 4,9 12,2 5,3 10,6 77,5 17,6 16,6 51,8 11,6 78,5 9,7 31,3

B 3,8 11,5 77,9 4,0 8,0 81,4 17,6 7,8 8,8 54,4 21,1 8,2 9,7 66,7 13,4

C 2,5 8,2 7,7 87,1 11,0 5,2 13,6 9,7 69,2 8,1 6,9 13,6 4,6 10,2 50,0 D 88,9 5,5 5,4 3,5 68,2 7,4 57,3 4,3 3,6 20,0 19,4 65,8 6,3 12,1 4,4

Nulo 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,2 0,1 0,1 0,1 0,1

Sem

(39)

39

QUESTÃO POR

COC CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1,7 e

11 bD61

Identificar informações apresentadas em tabelas.

77,1 74,7 68,5

2,8,10

e 14 bD21

Resolver problemas que demandam as ações de juntar, separar, acrescentar e retirar quant idades.

75,7 79,5 71,1 61,1

3 e 9 bD41 Identificar figuras geométricas planas. 78,4

58,4

4 e 13 12 iD10

Num problema, estabelecer trocas entre cédulas e moedas do Sistema M onetário Brasileiro, em função de seus valores.

68,7

61,9 71,2

5 5 bD42 Reconhecer as representações de figuras

geométricas espaciais. 56,9 81,5

6 e 12 14 6 iM 30

Identificar a unidade de medida (de comprimento, de massa ou de capacidade) a ser utilizada em situações do cot idiano.

69,8

78,1 78,0 81,4

15 bD53 Identificar, comparar, relacionar e ordenar tempo em diferent es sistemas de medida. 89,3

1 4 iD14 Identificar a localização de números

naturais na reta numérica. 81,2 87,1

2 10 iD15 Reconhecer a decomposição de números

naturais nas suas diversas ordens. 49,4 54,4

3 13 iD13

Reconhecer e utilizar características do Sistema de Numeração Decimal, tais como agrupament os e trocas na base 10 e princípio do valor posicional.

71,1 78,5

4 e 7 2 e 11 iD19

Resolver problema com números naturais, envolvendo diferent es significados da adição ou subtração: juntar, alteração de um estado inicial (positiva ou negativa), comparação e mais de uma transformação (positiva ou negativa).

60,8 60,6

74,2 51,8

6 1 iD28

Ler informações e dados apresentados em gráficos (particularmente em gráficos de colunas).

80,4 88,9

8 e 15

3 iD17 Calcular o resultado de uma adição ou subtração de números naturais.

63,1

55,0 77,9

9 5 e 8

iD10

Num problema, estabelecer trocas entre cédulas e moedas do Sistema M onetário Brasileiro, em função de seus valores.

54,4 68,2 77,5

10 15 iM 44 Ler horas exatas em relógio analógico ou

digital. 41,8 50,0

11 9 bD31 Resolver problemas que envolvam as

ideias da multiplicação. 85,8 69,3

(40)

40

envolvendo as noções de: dezena, dúzia,

metade, dobro ou triplo. 7

e 14

iD18 Calcular o resultado de uma multiplicação ou divisão de números naturais.

57,3 66,7

12 bD32 Resolver problemas que envolvam as

(41)

41

B.4 - 4º ANO:

B.4.1 – LEITURA

M édias do 4º Ano em Leitura:

Alunos por nível em Leit ura:

(42)

42

Composição das Provas:

PROVA COC

Nº QUESTÕES POR NÍVEL DE DIFICULDADE FÁCIL

(70% ou mais de acerto)

M ÉDIO (30% a 69% de acerto)

DIFÍCIL (0% a 29% de acerto)

LEITURA

12 3 0

7 8 0

7 8 0

Os Descrit ores da Prova de Leitura e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

% de acerto na questão

Alta marcação num distrator (+ 20%) M arcação entre 17 e 20%

Dois distrat ores que totalizam 25% ou mais

QUESTÃO

POR COC CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1 7 14 iD4 Inferir uma informação implícita em um

text o. 75,6 49,1 40,1

2 e 6 11

1 e 6 iD14

Identificar o efeito de sent ido decorrente do uso da pontuação e de outras notações.

77,9

79,0 61,9

55,5 82,0

3 4 11 iD11 Distinguir um fato da opinião relativa a esse

fato. 71,9 42,8 63,7

4 e

14 8 5 iD9

Identificar a finalidade de t extos de diferentes gêneros.

86,6

83,0 83,2 78,5

5 e

10 13 2 iD3

Inferir o sentido de uma palavra ou uma expressão.

78,6

82,4 71,0 67,2

7 e 13 5

4 e 12 iD8

Estabelecer relação causa/ consequência ent re part es e element os do text o.

74,3

66,8 72,3

54,3 75,5

8 e 12

3 e

9 15 iD5

Interpretar t exto com auxílio de mat erial gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, foto, etc.)

77,5 73,9

90,5

77,0 80,4

Questão Q.01 Q.02 Q.03 Q.04 Q.05 Q.06 Q.07 Q.08 Q.09 Q.10 Q.11 Q.12 Q.13 Q.14 Q.15 Descritor iD14 iD3 iD6 iD8 iD9 iD14 iD1 iD12 iD10 iD2 iD11 iD8 iD7 iD4 iD5

% de

Acerto 55,5 67,2 79,6 54,3 78,5 82,0 54,4 72,3 72,2 59,7 63,7 75,5 63,6 40,1 80,4

O

P

Ç

Ã

O A B 13,6 12,4 15,3 11,9 5,8 14,4 79,6 22,7 8,2 78,5 82,0 7,5 28,5 12,0 8,8 72,3 72,2 12,2 10,8 10,1 59,7 16,8 13,5 75,5 63,6 8,3 11,5 28,6 9,6 80,4

C 55,5 8,2 7,4 8,3 7,0 6,3 54,4 9,8 11,9 22,3 63,7 5,7 19,1 19,4 4,7

D 15,4 67,2 7,0 54,3 6,1 3,9 4,7 8,7 3,3 6,8 9,0 4,9 8,6 40,1 4,8

Nulo 0,1 0,0 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,0

Sem

(43)

43

9 e

15 1 e

10 7 iD1 Localizar informações explícitas em um text o.

73,0 66,2

76,6

69,6 54,4

11 15 10 iD2

Estabelecer relações entre part es de um text o, identificando repet ições ou substituições que contribuem para a continuidade de um t exto.

62,2 63,5 59,7

2 e

12 8 iD12

Estabelecer relações lógico-discursivas present es no t exto, marcadas por conjunções, advérbios et c.

58,4

65,1 72,3

6 13 iD7 Identificar conflito gerador do enredo e os

elementos que constroem a narrativa. 78,1 63,6

14 9 iD10

Identificar as marcas linguíst icas que evidenciam o locut or e o interlocut or de um text o.

60,1 72,2

3 iD6 Identificar o tema de um t exto. 79,6

B.4.2 - PRODUÇÃO TEXTUAL

(44)

44

Alunos por nível em Produção Text ual:

Os Aspect os da Prova de Produção Text ual e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

COC ASPECTOS

ESTRUTURA COERÊNCIA COESÃO USO DA LÍNGUA

% de alunos nos níveis 4 a 6 por Aspecto

67,1 68,2 60,4 54,6

71,1 71,5 65,9 60,7

78,4 75,9 69,5 64,7

(45)

45

B.4.3 - M ATEM ÁTICA

M édias do 4º Ano em M at emát ica:

Alunos por nível em M at emát ica:

Composição das Provas:

PROVA COC

Nº QUESTÕES POR NÍVEL DE DIFICULDADE FÁCIL

(70% ou mais de acerto)

M ÉDIO (30% a 69% de acerto)

DIFÍCIL (0% a 29% de acerto)

M ATEM ÁTICA

8 7 0

6 9 0

8 7 0

(46)

46

Os Descrit ores da Prova de M atemát ica e seus Result ados no 3º COC

* Legendas abaixo das t abelas

% de acerto na questão

Alta marcação num distrator (+ 20%) M arcação entre 17 e 20%

Dois distrat ores que totalizam 25% ou mais

QUESTÃO POR COC

CÓD. DESCRITOR

% DE ACERTO NA QUESTÃO

1º BIM 2º BIM 3º BIM

1 e 10 iD13

Reconhecer e ut ilizar características do Sistema de Numeração Decimal, tais como agrupamentos e trocas na base 10 e princípio do valor posicional.

84,1 46,5

2 2 iD15

Reconhecer a decomposição de números naturais nas suas diversas ordens.

84,1 89,9

3,8,11

e 12 bD21

Resolver problemas que demandam as ações de juntar, separar, acrescentar e ret irar quantidades.

64,1 41,8 39,3 70,9

4 iD6

Estimar a medida de grandezas, utilizando unidades de medida convencionais ou não.

50,6

5 5 iD1

Identificar a localização/ movimentação de objeto em mapas, croquis e out ras representações gráficas.

78,8 90,0

6,13,14 e 15

6 e 11

iD17 Calcular o resultado de uma adição ou subtração de números naturais.

74,5 83,3 51,7 72,4 79,7 61,9

7 iD2

Identificar propriedades comuns e diferenças entre poliedros e corpos redondos, relacionando figuras tridimensionais com suas planificações.

56,5

Questão Q.01 Q.02 Q.03 Q.04 Q.05 Q.06 Q.07 Q.08 Q.09 Q.10 Q.11 Q.12 Q.13 Q.14 Q.15 Descritor iD28 iD7 iD7 iD11 iD1 iD17 iD18 iD19 iD20 iD27 iD17 iD18 iD19 iD20 iD19

% de

Acerto 75,2 79,3 70,5 67,8 90,0 79,7 68,9 84,5 70,5 91,9 61,9 64,3 64,8 64,9 44,1

O

P

Ç

Ã

O A B 75,2 5,2 79,3 10,5 12,7 10,2 6,1 8,4 90,0 2,7 8,4 4,7 18,0 5,2 68,9 4,7 70,5 8,9 2,3 10,7 16,2 13,1 8,7 18,7 2,1 9,8 64,3 8,5 64,9 20,1

C 13,3 7,2 10,3 67,8 3,5 79,7 6,5 84,5 7,1 3,1 61,9 9,7 13,0 10,9 16,4

D 6,1 2,7 70,5 13,3 3,4 6,8 6,1 5,3 12,9 91,9 17,0 9,0 64,8 14,9 44,1 Nulo 0,1 0,0 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1

Sem

(47)

47

9 bD61 Identificar informações apresentadas

em tabelas. 74,8

1 iD14 Identificar a localização de números

naturais na reta numérica. 90,1

3,14

e 15 iD10

Num problema, estabelecer trocas ent re cédulas e moedas do Sistema M onet ário Brasileiro, em função de seus valores.

50,9 69,5 48,5 4,5 e 13 8, 13 e 15 iD19

Resolver problema com números naturais, envolvendo diferentes significados da adição ou subtração: juntar, alteração de um estado inicial (positiva ou negat iva), comparação e mais de uma transformação (positiva ou negativa). 62,2 36,3 73,0 84,5 64,8 44,1 6 e 11 9 e 14 iD20

Resolver problema com números naturais, envolvendo diferentes significados da multiplicação ou divisão: mult iplicação comparativa, ideia de proporcionalidade, configuração ret angular e combinatória.

70,5 63,7 70,5 64,9 7 e 12 7 e 12 iD18

Calcular o result ado de uma mult iplicação ou divisão de números naturais.

60,6 57,8

68,9 64,3

8 iD2

Identificar propriedades comuns e diferenças entre poliedros e corpos redondos, relacionando figuras tridimensionais com suas planificações.

78,1

9 iD5

Reconhecer a conservação ou modificação de medidas dos lados, do perímetro, da área em ampliação e/ ou redução de figuras poligonais, usando malhas quadriculadas.

54,4

10 10 iD27 Ler informações e dados apresent ados

em tabelas. 78,3 91,9

1 iD28

Ler informações e dados apresent ados em gráficos (particularment e em gráficos de colunas).

75,2

2 e 3

iD7

Resolver problemas significativos, utilizando unidades de medida padronizadas, como km/ m/ cm/ mm, kg/ g/ M G, l/ ml.

79,3 70,5

4 iD11

Resolver problema envolvendo o cálculo do perímetro de figuras planas, desenhadas em malhas quadriculadas.

(48)

48

B.4.4 – CIÊNCIAS

M édias do 4º Ano em Ciências:

Alunos por nível em Ciências:

Composição das Provas:

PROVA COC

Nº QUESTÕES POR NÍVEL DE DIFICULDADE FÁCIL

(70% ou mais de acerto)

M ÉDIO (30% a 69% de acerto)

DIFÍCIL (0% a 29% de acerto)

CIÊNCIAS

3 7 0

3 7 0

4 6 0

Referências

Documentos relacionados

Utilizando alguns componentes do Kit PETE Mecatrônica como módulo, dois motores, três rodas, sendo uma livre e uma cantoneira, foi possível iniciarmos os

3 – A formação de três grupos na análise de agrupamento e a confirmação de suas representatividades por meio da análise discriminante (95% de acerto) comprova

Assim que os alunos tenham tido tempo suficiente para registarem as suas ideias, diga-lhes para rodarem o tabuleiro, e irem acrescentando UMA nova ideia às secções dos

Ideias para discussão: Os problemas com se lida numa relação homossexual não são diferentes dos problemas com que os adolescentes lidam nos relacionamentos

- Que relações sexuais desprotegidas são propícias a uma gravidez não desejada (por exemplo, relações sexuais desprotegidas numa situação de ciclos irregulares —

consideraram a consciência da cultura da organização importante ou muito importante para a gestão de mudanças em projetos... O Relatório Global Human Capital Trends 2016 da Deloitte

a) Sigilo Profissional. Ao conjunto das informações, decisões, normas e regras definidas a partir de um ato oficial, atribui- se o nome de: a) Expedição. Nas empresas, em um

Há três anos, ele procurou a Fundação Banco Central de Previdência Privada – Centrus, para aderir ao Plano de Contribuição Definida (PCD) oferecido pela instituição