• Nenhum resultado encontrado

Rev. Bras. Enferm. vol.55 número5

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2018

Share "Rev. Bras. Enferm. vol.55 número5"

Copied!
2
0
0

Texto

(1)

d iferentes frentes de trabalho q u e nem sempre têm aderência às propostas d e m u d anças. A b u sca do crescimento e do aperfeiçoamento profissional do enfermeiro é uma real idade e tem se dado de forma a leatóri a , na tentativa de se i nserir no processo. O envolvi mento e o desempenho dos enfermeiros nas atividades d e educação para a saúde para pacientes, fam í l ia e com unidade, de forma i n ovadora , têm trazido valorização e rea l ização p rofissional , sinalizando um dos ca minho através do qual buscam i n ovar sua p rática , conq u i star espaços na equ i pe interdisci p l i n a r e n a i n stituição, para participar das mudanças. Verificamos, ainda, que, mesmo não tendo participado das discussões do projeto do novo do hospital e não conhecendo a fil osofia das mudanças em curso no H U , os e nfermei ros estão cam i n hando em d i reção ao alcance dos objetivos propostos pela i n stitu ição, mostra ndo-se abertos e , d e certa forma , permeáveis às mudanças.

DA BANALIAÇÃO DO SOFRIMENTO

À

SUA RESIGNIFICAÇÃO ÉTICA NA ORGANIAÇÃO

DO TRABALHO

Autora : Carmem Lúcia Colomé Beck Orientadora : Maria Tereza Leopardi

RESU M O : Este estudo ca racteriza-se como uma i nvestigação d a á rea h u ma n o-soci a l , d o tipo exploratório-descritiva , estruturada a partir de uma a bordagem qual itativa . Foi real i zado com vi nte enfe rmeiras e 26 auxiliares de enfermagem d e d o i s hospitais da cidade de Santa Mari a - RS e em cinco un idades consideradas críticas, quais sejam: a un idade de terapia i ntensiva de adultos, o centro cirúrgico, o pronto-atendimento, a un idade e o ambulatório de hematooncologia. A triangulação foi usada na coleta de dados, i ncluindo a entrevista semi-estrutu rada, a observação nos três turnos de trabalho e o preench imento de um form ulário j u nto com os trabalhadores de enfermagem . O problema que suscitou a i nvestigação foi a cerca dos efeitos que a o rganização do trabalho e os eventos situacionais p rovoca m na vida dos trabal hadores e , como objetivos , a ca racterização das u n idades críticas , a identificação destes eventos vivenciados pelos trabalhadores e a repercussão no modo de enfrentamento d o sofrimento, bem como as rel ações e ntre os eventos presentes na organização do trabalho e a produção do sofri mento, desconforto , desprazer dos trabalhadores da enfermagem . A tese que foi defendida é de que a organ ização do trabalhador, bem como os eventos situacionais específicos , decodificados ou não, vivenciados i ndividual ou coletiva mente , em u n idades críticas, prod uzem efeitos sobre o modo d e enfrentamento do sofri mento. Esses modos apresentaram-se através da utilização d e mecan ismo de defesa , como a n egação e a sublimação do sofri mento ou a parti r da banalização do sofri mento quando os trabalhadores fazem d e conta que nada está acontecendo, ou como se os acontecimentos fossem esperados e não req ueressem decisões . Outras estratégias defensivas foram mencionadas pelos trabalhadores para fazer frente ao sofrimento, tais com : esquecer a qualquer custo o sofri mento cotidiano; separar a vida social da vida d o trabalho; vivenciar crises e adoecer, tendo em vista os sentimentos não conscientes; anular as emoções ; utilizar "válvulas de escape" para aliviar a ansiedade, dentre outras. Nesta situação, é possível afirmar que estes trabalhadores ainda estão negando suas crises decorrentes do sofrimento do trabal h o . E ntreta nto, percebi que alguns deles já buscam novas fórm ulas de se relacionarem com o seu trabalho e de enfre ntar o sofri mento e , portanto , já se situam na fase chamada "aumento da tensão", segundo Taylor ( 1 992). As novas formas de enfrentamento do sofrimento incluem possibilidades como o reconheci mento da existência do mesmo; a necessidade de aprender a conviver com ele e de compatilhar essas experiências com os colegas; a busca do sign ificado dessas vivências para a sua vida e o desejo de a lcançar o equ i l í brio entre sofrer sem limites, negar ou banalizar o sofrimento. A enfermagem permanece desempenhando o papel social esperado, ou seja, real izando aquilo que esperam dela "a qualquer custo". O utro achado i m portante foi o estado de alerta permanente revelado pelos trabalhadores, o qual precisa ser i nvestigado com mais profu ndidade e associado às doenças apresentadas por eles, decorrentes do desenvolvi mento do seu trabalho.

SOFRIMENTO NA PRXIS DA ENFERMAGEM: REAL OU DESLOCADO EM SEU

SENTIDO?

Autora : Rosa Mari a Braci n i Gonzales Orientadora : Maria Tereza Leopardi

RESUMO: Neste estudo, defendendo a tese de que o sofri mento no trabalho d a enfermagem é superd i mensionado, muitas vezes potencializado pelas cargas do cotidiano social do individuo em vida de rel ações, o que se confi gura num deslocamento de sentido, ou seja numa desarticulação entre sua origem completa e aquela evidenciada pelos trabalhadores. O grupo que participou do estudo foi com posto por vi nte enfermei ros e vi nte auxi l iares d e enfermagem que constitu íram uma amostra desta população, na cidade de Santa Maria - RS . Nesta pesquisa qualitativa , uti l izei a entrevista semi-estruturada, real izada antes e depois do turno d e trabalho, como i n strumento para coleta de dados. Os objetivos que g u iaram o estudo foram :

(2)

reconhecer situações antecedentes ao trabalho que possam gerar ou induzir ao deslocamento de sentido tanto do prazer como do sofrimento dos trabalhadores de e nfermagem no seu processo de trabalho; estabelecer parâmetros para discri minação entre o sofri mento rea l e o deslocado em seu sentido, dentre aqueles d escritos pelos trabalhadores de enfermagem; evidenciar as formas encontradas pelos trabalhadores de enfermagem n a prod ução de deslocamento de sentido do prazer ou sofrimento n o trabalho, contri buindo para o aprofundamento reflexivo da temática . A anál ise teve por base quatro matrizes constru ídas a partir dos mitos de Apolo, Prometeu , Dioniso e Narciso. O estudo evidenciou a afirmação contida na tese, embora a d ificu ldade encontrada pela não percepção das pessoas , que poucas vezes param para pensar em questão como esta . Mostro u , també m , que o cotidiano destes trabalhadores é atri bulado pelo ritmo i ntenso im posto pela necessidade de conci l i a r mais de um trabalho, pela corrida frenética na tentativa de não deixar nada para trás, para atender as exigências da educação dos fi lhos, da manutenção do relacionamento afetivo , para honrar os compromissos fi nanceiros assu midos , entre tantas outras coisas, próprias da vida destes homens e m u l heres que compõe o quadro de pessoal da enfermagem. Aponto para a necessidade de construção de uma práxis refl exiva , relativa ao sofri mento e ao prazer no trabalho da enfermagem q u e , acred ito, configura-se como uma possibil idade concreta para a vivência destas sensações no trabalho e na vida, de modo gera l , tirando as pessoas da i nconsciência em rel ação aos seus próprios sentimentos e permiti ndo que se estabeleça uma relação mais objetiva entre o sofrimento d a vida social e o sofri mento da vida social do trabalho.

ENFERMERA, TRABAJO Y RESISTENCIA: EL SIGNIFICADO DE A ESPERANA: EL

CASO DEL CEARÁ, BRASIL

Autora : Silvia Maria Nóbrega-Therrien Orientador: Mariano Fernández Enguita

RESUMO: Las contri buciones de i nvestigaciones socio históricas que estudian el trabajo y los tra bajadores pueden surgir a partir de los clásicos que a bordan este aspecto socio histórico y que pasa por Max, Engels, Weber, hasta Hobsbawa , Braverman y Thompson, entre m uchos otros, sobretodo sociólogos e historiadores. Las i nvestigaciones sobre el trabajo y más especificamente las estrategias colectivas o individuales de defensas, resistencias desarralladas por los trabajadores, presentan g rande i ntéres para l a com prensión dei tema en cuestión . La forma por la cual los trabajadores o escapan de la explotación y dominación, ofrece su bsid ios para estúd ios comparativos, pues la domi nación y explotatción en los trabajos ocu rre en d iferntes contextos y socio culturales. Estas formas como ta mbién los contextos, por acrescentar d iferencias" nuevas dimensiones.

PZER E O SOFRIMENTO NO COTIDIANO DO ENFERMEIRO DE CENTRO CIRÚRGICO

PRAZER E O SOFRIMENTO NO COTIDIANO DO ENFERMEIRO DE CENT RO CIRÚRGICO

PRAZER E O SOFRIMENT O NO COTIDIANO DO ENFERMEIRO DE CENTRO CIRÚRGICO

Autora : Mônica Krahl Orientadora : Rosita Saupe

RESUMO: Las contribuciones de i nvestigaciones socio históricas que estudian e l trabajo y los trabajadores pueden surgir a partir de los clásicos q u e a bord a n este aspecto socio histórico y que pasa por Max, Engels, Weber, hasta Hobsbawa , Braverman y Thompson , entre muchos otros, sobretodo sociólogos e historiadores. Las investigaciones sobre el tra bajo y más especificamente las estrategias colectivas o individuales de defensas, resistencias desarralladas por los trabajadores , presentan g rande i ntéres para la comprensión dei tema en cuestió n . La forma por la cual l os tra bajadores o escapan de la explotación y dominación , ofrece subsidios para estúdios comparativos , pues la dominación y explotatción en los tra bajos ocu rre en d iferntes contextos y socio culturales. Estas formas como también los contextos , por acrescentar d iferencias, también se d iferencia n . E n Basil , surgió uma avalancha de trabajos en las áreas de sociología y psicolog ía, así como en el campo de las ciencias sociales, como los de Brandão ( 1 964), Leite-Lopes ( 1 978 ) , que tienen aportado contribuciones sign ificativas para los análises sobre el trabajo y el trabajador uma vez que buscan compreender la resistência de estos en la lucha contra l a domin ación y exploración. Son estudios que tiene la fábrica como locus d e investigación . En el área de la salud de los trabajadores, se destacan los estudios de Laurel ( 1 983), Laurel y Noriega ( 1 989), Cavalho ( 1 988), M i n ayo ( 1 986) y Seligman n-S i lva ( 1 994 ) . Las i nvestigaciones hechas en el área especifica de i nfermería ya fueron citadas y se

Referências

Documentos relacionados

La asociación público-privada regida por la Ley n ° 11.079 / 2004 es una modalidad contractual revestida de reglas propias y que puede adoptar dos ropajes de

Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade de Brasília, 2007. A organização como fenômeno psicossocial: notas para uma redefinição da psicologia organizacional e

Em suma, ainda que seja uma forma de trabalho vista como degradante pela sociedade, os “ catadores de materiais recicláveis ” fazem do lixo uma forma de obter renda para o

RES U M O : Para compreender como o poder, enquanto fenômeno que envolve as rel ações de trabalho é experienciado e percebido pelos enfermeiros que atuam em uma instituição

RES U M O : Para compreender como o poder, enquanto fenômeno que envolve as rel ações de trabalho é experienciado e percebido pelos enfermeiros que atuam em uma instituição

A transcrição de depoi mentos de familiares e idosos, os quais são carregados de realismo e sentimentos, parecem "vozes vivas" dentro do texto; vozes que se pode ouvir

Final ly, the p resented model arg ues the emerging social phenomeno n , representi ng a contribution towards the rea l ity l ived by the sick or fra i l aged, and his/her

desde el punto de vista dei fam i l iar que se ve ten iendo que cuidar dei pa riente viejo, asumiendo y real izando los cuidados con todas las implicaciones decu rrentes de ese