A LUDICIDADE NA EDUCACAO - IBPEX_DIGITAL.pdf

Texto

(1)

(2) A ludicidade na educação: Maria Cristina Trois Dorneles Rau. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. uma atitude pedagógica.

(3) Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Série Dimensões da Dimensões da Educação. O selo DIALÓGICA da Editora Ibpex faz referência às publicações que privilegiam uma linguagem na qual o autor dialoga com o leitor por meio de recursos textuais e visuais, o que torna o conteúdo muito mais dinâmico. São livros que criam um ambiente de interação com o leitor – seu universo cultural, social e de elaboração de conhecimentos –, possibilitando um real processo de interlocução para que a comunicação se efetive..

(4) A ludicidade na educação: Maria Cristina Trois Dorneles Rau. 2ª ed. rev., atual., ampl.. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. uma atitude pedagógica.

(5) Conselho editorial. Análise de informação. Dr. Ivo José Both Drª. Elena Godoy Dr. Nelson Luís Dias Dr. Ulf Gregor Baranow. Silvia Kasprzak Revisão. Filippo Mandarino Capa e ilustração da capa. Editor-chefe. Lindsay Azambuja Editor-assistente. Ariadne Nunes Wenger. Denis Kaio Tanaami Projeto gráfico. Frederico Santos Burlamaqui Iconografia. Editor de arte. Raphael Bernadelli. Danielle Scholtz. Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Informamos que é de inteira responsabilidade da autora a emissão de conceitos. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Rau, Maria Cristina Trois Dorneles A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica [livro eletrônico] / Maria Cristina Trois Dorneles Rau. – Curitiba: Ibpex, 2013. – (Série Dimensões da educação) 2 Mb ; PDF Bibliografia. 978-85-417-0029-0. Foi feito o depósito legal. Esta obra é utilizada como material didático nos cursos oferecidos pelo Grupo Uninter.. 1. Aprendizagem perceptivo-motora 2. Atividades criativas 3. Capacidade motora em crianças 4. Crianças – Desenvolvimento 5. Educação pré-escolar 6. Jogos educativos – Atividades I. Título. II. Série. 13-00720 CDD-371.397 Índices para catálogo sistemático: 1. Jogos e atividades: Educação 371.397 2. Ludicidade: Educação 371.397 1ª edição, 2013.. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Avenida Vicente Machado, 317 – 14°andar Centro – CEP 80420-010 – Curitiba – PR Fone: [41] 2103-7306 www.editoraibpex.com.br editora@editoraibpex.com.br.

(6) Apresentação..........................................................................................................11 Organização didático-pedagógica.................................................................19 Introdução..............................................................................................................21. 1. As bases teóricas da educação lúdica.................................................25. 1.1. Ludicidade: um novo olhar para a. formação do educador.............................................................. 25. 1.2. A ludicidade na educação....................................................... 30. 1.3. A função lúdica e educacional do jogo............................... 32. 1.4. A atitude pedagógica do professor na utilização da. ludicidade como recurso pedagógico................................... 38. 1.5. O jogo, o brinquedo e a brincadeira na educação........... 43. 1.6. A função educacional da ludicidade.................................... 61. 2. A ludicidade no desenvolvimento do ser humano e. as implicações para a prática educativa............................................. 79. 2.1. O lúdico enquanto linguagem simbólica........................... 79. 2.2. Brinquedos e brincadeiras considerando as. diferentes culturas...................................................................... 86. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Sumário.

(7) O papel do jogo e da brincadeira no desenvolvimento. e na aprendizagem para a criança da educação infantil. e anos iniciais do ensino fundamental................................ 90. 2.4. Contribuições de Vygotsky..................................................... 95. 2.5. O lúdico como recurso pedagógico direcionado ao. diagnóstico do processo de aprendizagem infantil....... 101. 2.6. O lúdico como recurso pedagógico direcionado às. áreas de desenvolvimento e aprendizagem...................... 109. 2.7. A infância, o brincar, a cultura e a subjetividade........... 112. 2.8. O lúdico como recurso pedagógico direcionado à. alfabetização e à aprendizagem das diferentes áreas. do conhecimento..................................................................... 116. 2.9. O lúdico como recurso pedagógico direcionado ao. desenvolvimento psicomotor............................................... 124. 3. A ludicidade para além da prática na escola:. uma questão de atitude......................................................................... 141. 4. 3.1. Jogos educativos....................................................................... 146. 3.2. Jogos de regras.......................................................................... 150. 3.3. Jogos cooperativos................................................................... 161. 3.4. Jogos tradicionais..................................................................... 164. 3.5. Dinâmicas de grupo................................................................ 171. As práticas pedagógicas do lúdico na educação........................... 185. 4.1. Brincar e educar na educação.............................................. 191. 4.2. A ludicidade e o movimento na educação....................... 194. 4.3. Brinquedoteca: um espaço essencial à saúde física,. emocional e intelectual do educando................................ 209. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 2.3.

(8) Considerações finais............................................................................................225 Referências.............................................................................................................229 Bibliografia comentada.....................................................................................235 Apêndice...................................................................................................................237 Respostas..................................................................................................................241. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Sobre a autora........................................................................................................245.

(9) Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal..

(10) Cada jogo tem suas regras.. Mas cada grupo de crianças as interpreta, cria e recria a seu modo.. Vou explicar as regras do jogo. Cabe a você traduzi-las... Adriana Friedmann (1996). Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. É assim que se brinca....

(11) Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal..

(12) Nesta obra, pensamos a ludicidade no sentido de sistematizar conhecimentos teóricos e práticos centrais para a utilização do lúdico como recurso pedagógico pelos professores da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental. Tendo como ponto principal o entendimento sobre as necessidades e os interesses do educando e do educador no processo ensino e aprendizagem, a abordagem sobre o lúdico na educação está fundamentada aqui nas concepções teóricas e práticas de autores de grande expressão na área educacional, enfocando as concepções de ludicidade, infância, educação, sociedade, bem como a apresentação sobre a classificação dos jogos, o papel do educador e a organização de espaços e materiais. O objetivo é tratar de questões relativas à ludicidade como atitude pedagógica do professor de educação infantil e anos iniciais do. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Apresentação.

(13) 12 A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. Nesse sentido, a obra aponta também aspectos sobre o desenvolvimento e a aprendizagem das crianças do primeiro nível da educação básica, enfocando suas características, necessidades e interesses, e dos anos iniciais do ensino fundamental, abordando a ludicidade como um dos recursos pedagógicos a serem utilizados pelo professor que busque possibilidades metodológicas que atendam às especificidades do processo de ensino-aprendizagem das diferentes áreas de conhecimento, por meio de recursos pedagógicos, aliados à expressão lúdica, também necessária às crianças dessa faixa etária. Assim, as discussões apresentadas nesta obra pretendem que você, profissional da educação, reflita a respeito da concepção de ludicidade e sua relação com o desenvolvimento e o processo de ensino-aprendizagem da criança de 0 a 10 anos, ou, mais especificamente, a criança da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental. Para isso, é fundamental que o educador identifique a sua própria concepção sobre a ludicidade e sua relação com a cultura, a infância, a sociedade, a educação e seus desafios e avanços teóricos, práticos, políticos, ideológicos, tecnológicos. Nessa perspectiva, o conteúdo desta obra visa significar e ampliar a visão existente sobre a ludicidade e dialogar com todos que participam direta ou indiretamente da educação dessas crianças e acreditam poder mediar a construção do conhecimento sistematizado pela escola pelo currículo, observando o desenvolvimento da autonomia e da criticidade. Diálogo importante também para os que percebem a expressão da atual sociedade na voz e na corporeidade dos educandos e por isso têm objetivos educacionais e não medem esforços para alcançá-los. O título dado a esta obra aponta para a intenção de promover uma reflexão crítica e consciente por parte do educador que utilizar o lúdico como recurso pedagógico.. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. ensino fundamental, considerando o educando um sujeito ativo e reflexivo no processo de ensino-aprendizagem..

(14) Assim, a perspectiva aqui apresentada trata o lúdico como uma possibilidade pedagógica em consonância com a orientação metodológica do trabalho docente na educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental. A ludicidade como atitude pedagógica, nesse sentido, justifica-se por considerar que o educador que pesquisar, conhecer e vivenciar as diversas abordagens da ludicidade na educação considera que o conhecimento pode ser construído com base no universo infantil, que se desvenda e avança à medida que a criança, o jovem e o adulto ampliam seu repertório cultural e social. Agora, na segunda edição, o tema é amadurecido, já que no decorrer de três anos continuei a pesquisa, o estudo e as práticas sobre a ludicidade na educação. Nesse sentido, trago a inclusão de conteúdos, reflexões e sugestões práticas que podem auxiliar os educadores na utilização da ludicidade como recurso pedagógico para o processo de ensino-aprendizagem nas instituições de educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental.. Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. Os estudos sobre a concepção de ludicidade por parte de professores de educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental referidos neste livro levam em consideração a ligação existente entre o ensino, a formação acadêmica e a formação pedagógica. O que foi observado inicialmente é a existência de uma enorme lacuna no que diz respeito ao estudo sobre o lúdico como recurso pedagógico enquanto assunto tratado durante a formação inicial do educador.. 13. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Elaborada inicialmente para uma defesa de dissertação de mestrado em educação, esta obra conserva qualidades significativas, como o estudo atento do referencial teórico e os resultados da pesquisa-ensino realizada, ob a orientação da professora Dr.ª Pura Lúcia Oliver Martins, orientadora da dissertação, e da professora Dr.ª Joana Paulin Romanowski, que apontou diversas possibilidades reflexivas no tema pesquisado. A pesquisa foi feita com diretoras, pedagogogas, psicólogas e professoras que atuam em escolas públicas e privadas na educação básica em diferentes estados brasileiros; assim foram definidos os suportes teóricos, as classificações de jogos mais utilizados em suas funções lúdicas e educativas, consistindo então em uma abordagem que surgiu de experiências vivenciadas no cotidiano educacional brasileiro..

(15) A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. Nessa perspectiva, o professor, ao estudar a ludicidade em seus aspectos teóricos e práticos, terá a possibilidade de utilizá-la como recurso pedagógico voltado a uma práxis no processo de ensino-aprendizagem. Para que isso ocorra verdadeiramente, é preciso que a ludicidade, em suas funções lúdica e educativa, seja repensada constantemente pelo educador, observando as necessidades e os interesses de seu grupo de educandos, a reflexão sobre o que faz, por que o faz e a relação com os diferentes instrumentos pedagógicos e as várias linguagens utilizadas. A reflexão do educador poderá apontar caminhos que atendam às exigências das novas situações educativas. O lúdico utilizado pelo professor em sala de aula torna-se, então, um meio para a realização dos objetivos educacionais, e o aluno, ao praticá-lo, não se limita à sua ação livre, iniciada e mantida pelo prazer de jogar, mas participa ativamente do processo de construção do conhecimento. O presente livro foi organizado em quatro capítulos, que buscam discutir o significado de questões relativas ao lúdico na formação do educador: os conceitos de jogo, brinquedo e brincadeira, o desenvolvimento e a aprendizagem infantil e sua relação com o lúdico como recurso pedagógico. São apresentadas ainda as classificações dos jogos que têm maior expressão no cotidiano escolar e, por fim, as práticas lúdicas na educação, abordadas à luz da psicomotricidade, além da montagem da brinquedoteca. O primeiro capítulo, intitulado As bases teóricas da educação lúdica, tem por objetivo levar o leitor a refletir sobre sua formação no que tange ao lúdico como recurso pedagógico. Nessa perspectiva, quando os professores entendem o significado das experiências lúdicas vivenciadas por crianças e alunos da educação básica, podem, na formação lúdica, conhecer-se como pessoa, reconhecer suas potencialidades e limites,. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 14. Assim, a ludicidade possibilita a reflexão quando se pensa no sujeito autônomo e reflexivo, no que diz respeito às relações sociais em que estiver inserido e na sua função educativa, capaz de estabelecer relações significativas com o meio, utilizando a cognição e a criatividade na solução de problemas e tornando-se o que Friedmann (1996) descreve como um adulto saudável..

(16) O terceiro capítulo – A ludicidade para além da prática na escola: uma questão de atitude – traz a classificação dos jogos em seis categorias, que podem servir como referencial para a educação atual. Outras classificações poderiam ser incluídas, por serem relevantes ao debate que se propõe aqui, porém é preciso priorizar as aproximações entre os jogos e interesses dos educadores e dos educandos, e esse foi o critério que levou à seleção adotada nesta obra. O quarto capítulo aborda as práticas pedagógicas com a ludicidade na educação tornando-se por base o desenvolvimento psicomotor que destaca o movimento como forma de expressão humana. Os. Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. O segundo capítulo tem como título O lúdico no desenvolvimento do ser humano e as implicações para a prática pedagógica e promove a apresentação sobre as concepções e as práticas concernentes ao lúdico na educação, ao desenvolvimento e à aprendizagem infantil, buscando ampliar os conceitos de jogo, brinquedo e brincadeira. Para abordarmos o lúdico como recurso pedagógico, definiremos algumas categorias: o lúdico enquanto linguagem simbólica; os brinquedos e as brincadeiras, considerando as diferentes culturas; o lúdico como recurso pedagógico direcionado para o diagnóstico do processo de aprendizagem infantil; o lúdico como recurso pedagógico direcionado às áreas de desenvolvimento e aprendizagem; o lúdico como recurso pedagógico direcionado à alfabetização e à aprendizagem das diferentes áreas de conhecimento e o lúdico como recurso pedagógico direcionado ao desenvolvimento psicomotor.. 15. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. lidar com seus obstáculos e desafios e ter objetivos claros sobre a importância do jogo e do brinquedo para a vida do ser humano em todas as suas fases. Para tratarmos desse aspecto, examinaremos aspectos da ludicidade na educação, abordando a função lúdica e educacional do jogo. Nesse contexto, enfocaremos a atitude pedagógica do professor na utilização da ludicidade como recurso pedagógico com base na conceituação do jogo, do brinquedo e da brincadeira na educação e sua relação com a aprendizagem. Por fim, a reflexão sobre a teoria como expressão da prática objetiva identificar como o professor pode ensinar brincando..

(17) conceitos e as práticas têm por objetivo levar o leitor à reflexão de como o educando pode ser estimulado a partir das brincadeiras e jogos e não propiciar receitas prontas para um trabalho de reprodução.. A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. Nessa perspectiva, a brinquedoteca vem ao encontro da ideia de representação de papéis, de imitação, de aprendizagens autônomas, frente à diversidade cultural existente no universo da educação. O objetivo desta obra, contudo, é levar o leitor a refletir sobre o brincar como um eixo fundamental no desenvolvimento e na aprendizagem do ser humano. Para tanto, resgatar jogos, brincadeiras e brinquedos que fazem parte da infância traz a possibilidade de se rever sentimentos, sensações, diferentes culturas e linguagens, entre outros aspectos que podem contribuir para esse estudo. Pensando nisso, buscamos chamar a atenção para o resgate da cultura infantil por meio do lúdico, já que atualmente muitas discussões têm se referido de certa maneira à perda de valores nas famílias, nas comunidades e na sociedade como um todo. Nesse sentido, problematizar tal questão é fundamental para a sistematização dos saberes escolares, pois o conhecimento construído na escola parte da realidade na qual as crianças estão inseridas. Essa realidade, social com certeza, também é afetiva, cognitiva e motora, e é necessário um caminho que leve a criança à sua formação integral. Pensar sobre a escola, a educação, a sociedade e a cultura supõe assumir o princípio de que o homem, sujeito de todos esses aspectos, está em evolução, que nos remete à construção e transformação de hábitos, necessidades e questionamentos que a ciência tem se mostrado eficiente em atender e responder. Nesse contexto, a reflexão sobre o modo de brincar das gerações atuais aponta distinções em relação às anteriores, e isso ocorre porque o homem é um ser histórico, tem desejos e interesses que variam ao longo do tempo e, nesse sentido, busca diferentes formas de expressá-los para ser compreendido. Assim, pretendo que as reflexões e discussões organizadas sobre a formação lúdica sejam um incentivo ao educador pesquisador, problematizador, questionador e ludicamente vivo na permanente intenção de fazer parte do processo de construção do conhecimento da criança.. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 16.

(18) Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. 17. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Com efeito, aponto o lúdico como um dos recursos que possibilitam a utilização, ao mesmo tempo, de diferentes tipos de linguagem e, por esse e outros aspectos, facilita a apropriação de significações e conceitos por parte do educando na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental. Assim, considerar a ludicidade como recurso pedagógico requer que você, educador, debruce-se diante das diversas brincadeiras infantis e das suas relações com o aporte teórico, explore recursos e materiais, organize objetivos e elabore espaços e ambientes que favoreçam as ações educativa e recreativa..

(19) Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal..

(20) Esta seção tem a finalidade de apresentar os recursos de aprendizagem utilizados no decorrer da obra, de modo a evidenciar os aspectos didático-pedagógicos que nortearam o planejamento do material e como o aluno/leitor pode tirar o melhor proveito dos conteúdos para seu aprendizado.. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Organização didático-pedagógica.

(21) Simplificando... Síntese. Indicações culturais. Atividades de Atividades de autoavaliação aprendizagem. Aqui, nesta seção, fazemos com que você reflita sobre algumas questões pertinentes durante todo o capítulo.. Ao final do capítulo, a autora lhe oferece algumas indicações de livros, filmes ou sites que podem ajudá-lo a refletir sobre os conteúdos estudados, permitindo o aprofundamento em seu processo de aprendizagem.. Nesta seção você conta com um recurso que auxilia na fixação do que já foi apresentado no capítulo, facilitando o aprendizado e a memorização do conteúdo.. Com estas questões objetivas, você mesmo tem a oportunidade de verificar o grau de assimilação dos conceitos examinados, motivando-se a progredir em seus estudos e a preparar-se para outras atividades avaliativas.. Você conta nesta seção com um recurso que irá instigá-lo a fazer uma reflexão sobre os conteúdos estudados, de modo a contribuir para que as conclusões às quais você chegou sejam reafirmadas ou redefinidas.. Aqui você dispõe de questões cujo objetivo é levá-lo a analisar criticamente um determinado assunto e a aproximar conhecimentos teóricos e práticos.. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Pare e pense.

(22) A atual perspectiva sobre a infância, a educação e a sociedade vem apontando um universo distinto no que diz respeito às formas de expressão de valores, interesses, ensino e aprendizagem. Nesse sentido, a ludicidade, área que trata dos jogos, dos brinquedos e das brincadeiras, tem levado os profissionais da educação a estimular a sua prática como forma de proporcionar a aprendizagem e o desenvolvimento infantil. No Brasil, muitos estudiosos sobre a ludicidade há algumas décadas vêm apontando o jogo como um instrumento pedagógico muito significativo e de grande valor social, oferecendo, assim, diferentes possibilidades educacionais. Paralelo a esse estudo está a discussão sobre os recursos e as metodologias que possam atender a uma demanda de educandos inseridos em um contexto social, econômico e tecnológico diverso. Nesse sentido, organizamos esta obra com o objetivo de sistematizar ideias consideradas centrais para a utilização do lúdico como recurso pedagógico pelo professor da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental. As discussões iniciais pretendem que você reflita sobre sua formação no que diz respeito ao lúdico, levando-o a identificar em si mesmo, na lembrança de suas experiências lúdicas em diferentes contextos, no significado que as brincadeiras tiveram para você, enquanto criança e aluno da educação básica, tanto nas instituições de educação infantil como nas escolas de ensino fundamental é também importante que você busque quais conceitos e práticas foram construídas com. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Introdução.

(23) A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. Assim, na tentativa de explicitar a ludicidade como uma atitude pedagógica, o texto deste livro irá apresentar a concepção de lúdico como recurso pedagógico na educação, de modo a evidenciar as aproximações entre o lúdico, o desenvolvimento e a aprendizagem infantil, convidando você a rever e repensar os conceitos e as práticas sobre a ludicidade na educação. Nesse contexto, trata-se de apontar a ludicidade como um conhecimento indispensável ao profissional da educação para que construa sua prática pedagógica considerando as diferentes realidades socioeconômicas e culturais nas quais estão inseridos os seus educandos, de maneira consciente, autônoma, criativa, crítica e reflexiva. As reflexões sugeridas com base em um denso referencial teórico sobre a ludicidade têm como objetivo pensar o lúdico como recurso pedagógico utilizado de forma significativa para o educando, uma vez que as concepções de educação atuais, pensadas e sistematizadas com base na Constituição Brasileira (1988a), no Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei a nº 8.069/1990b) e, principalmenPara ler a Constituição (1988) na íntegra, acesse te, na Lei de Diretrizes e Bases o site: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/ constituicao/constitui%C3%A7ao.htm>. da Educação Nacional (LDBEN nº 9.394/1996c), incentivam a ba prática de jogos e brincadeiras na Para ler a Lei nº 8.069/1990 na íntegra, acesse escola como um meio de proporo site: <http://www.planalto.gov.br/ccivil/LEIS/ L8069.htm>. cionar a aprendizagem e o desenvolvimento infantil. ca Para ler a Lei nº 9.394/1996 na íntegra, acesse o site: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/ LEIS/l9394.htm>.. Os conceitos abordados e discutidos são fundamentados. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 22. a ludicidade durante a sua formação inicial. Nessa perspectiva, tem-se como objetivo possibilitar a compreensão de que a formação lúdica permite ao futuro educador ter uma visão clara sobre a importância do jogo, do brinquedo e da brincadeira para a vida da criança em idade escolar que, para os níveis de ensino a que serão formados, atendem de 0 a 10 anos, abordando as necessidades e os interesses do educando e do educador no processo ensino e aprendizagem..

(24) por autores de efetiva atuação e expressão nacional e internacional e que relacionam o lúdico à realidade educacional brasileira.. Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. Assim, pretendemos estabelecer relações entre os referenciais teóricos e o lúdico na ação pedagógica do professor em sala de aula, considerando que essa área ainda tem muito que ser valorizada e por isso não se esgota aqui, mas acreditando que com estudo, pesquisa e atitude é possível empregar a ludicidade no processo de construção de conhecimento, fazendo dos jogos grandes colaboradores na prática pedagógica do professor da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental.. 23. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Nessa perspectiva, a classificação dos jogos que apresentamos foi concebida tomando-se por base discussões e reflexões surgidas das práticas desenvolvidas por professores que atuam na educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental, considerando seu conhecimento inicial, prático, vivenciado e fortalecido por uma necessidade de ampliação. Questões como a organização de conteúdos que contemplem metodologias e linguagens interessantes aos educandos, a significação histórica e cultural da ludicidade na educação e na sociedade, a elaboração, a confecção e o desenvolvimento de práticas e recursos lúdicos, dúvidas, sucessos e fracassos fizeram parte do cenário que possibilitou a construção e o pensamento sobre o lúdico como recurso pedagógico..

(25) Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal..

(26) As bases teóricas da educação lúdica. Neste capítulo, objetivamos apresentar a ludicidade como uma atitude pedagógica na prática do professor de educação infantil e anos inicias do ensino fundamental. Traz a você, ainda, as concepções teóricas da área em questão, procurando demonstrar como a formação lúdica pode fazer parte do currículo de formação superior.. 1.1 Ludicidade: um novo olhar para a formação do educador Muitos profissionais da área educacional utilizam a ludicidade como um recurso pedagógico, pois a utilização de recursos lúdicos, como jogos e brincadeiras, auxilia a transposição dos conteúdos para o mundo do educando. Nesse sentido, a ludicidade, como elemento da educação, também é passível de demonstrar a evolução humana com base em suas interações sociais, culturais e motoras, pois o homem sempre teve em seu repertório as linguagens do brincar. Assim, a ludicidade na educação dá sequência aos estudos teóricos sobre esse tema, enfocando como este pode fazer parte do currículo escolar, a partir da conceituação sobre o jogo, o brinquedo e a brincadeira. O seu olhar para essa abordagem. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 1.

(27) A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. Entre as questões que moO seu olhar para essa bilizam os educadores, encontra-se a organização de propostas para abordagem deve ser a formação profissional fundadas o de alguém que se na estreita articulação entre teoria insere no ato de brincar, e prática. Pesquisas têm apontado procurando perceber, que, atualmente, há uma constanidentificar e ampliar te necessidade de a escola trabalhar conteúdos programáticos com apli- seus conhecimentos cabilidade prática, correspondendo práticos, teóricos e aos anseios de um aluno que hoje táticos sobre o tema. é mais questionador. Assim, os professores não têm poupado esforços para buscar metodologias que sejam significativas e atendam aos interesses e às necessidades não apenas de seus alunos, mas também de todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem. No entanto, estudos revelam que, desde há muito, ocorrem problemas na formação desses professores, no sentido de identificar a relação dialética existente entre os aspectos acadêmicos que possibilitam uma relação de interação entre a prática que cada professor irá desenvolver baseando-se na realidade educacional em que for atuar e a teoria, que se funda na concepção de educação, de criança e de sociedade da própria instituição educacional. Nesse sentido, Santos (1997, p. 12) aponta que “a falta de clareza do perfil profissional se reflete nos currículos, tornando os cursos fragmentados e distantes da prática pedagógica desenvolvida nas. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 26. deve ser o de alguém que se insere no ato de brincar, procurando perceber, identificar e ampliar seus conhecimentos práticos, teóricos e táticos sobre o tema. Nessa perspectiva, desejo a todos os que puderem dialogar com o texto elaborado para o estudo da ludicidade na educação que possam se envolver, de maneira lúdica, às vezes subjetiva, às vezes objetiva, clara ou reflexiva, de maneira a resgatar a cultura existente nos jogos..

(28) escolas”. Para a autora, a formação acadêmica em nível universitário, na maioria das vezes, limita-se a um grupo de disciplinas teóricas que não guardam relação com a prática na qual aqueles profissionais irão atuar.. O que você espera encontrar no curso de Pedagogia? Qual relação entre a teoria e a prática você pretende construir em seus estudos?. Ao refletir sobre tais questões, saiba que quando se trata da formação do professor da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental, uma questão tem ocupado os meios educacionais, seja na academia, seja nas escolas desses níveis de ensino: é o lúdico como recurso e/ou método de ensino. Desse modo, ao participar de encontros educacionais e possibilitar discussões sobre o lúdico com professores, constata-se que estes se referem à importância de jogos e brincadeiras de que participaram quando em formação inicial, evidenciando elementos pertinentes ao lúdico como uma possibilidade de formação pessoal e pedagógica nas graduações e nas licenciaturas na área da educação, apesar de poucos mencionarem a presença do lúdico nesse contexto. Nessa perspectiva, os estudos de Santos (1997, p. 14) definem bem essa questão:. Ilustração: Andre Figueiredo Muller. Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. Pare e pense. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 27.

(29) A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. Pare e pense. Você se lembra da última vez em que brincou? Você se divertiu? Em que contexto estava, quais as pessoas envolvidas, que objetos faziam parte desse cenário?. Provavelmente, ao retomar essas lembranças, você irá perceber o quanto foi prazerosa a sensação que lhe possibilitou tal momento. A ludicidade tem como característica lidar com as emoções e por isso traz à tona sentimentos de alegria, companheirismo e cooperação, mas também evoca sentimentos de medo, ansiedade e frustração. Por isso, a ludicidade é uma possibilidade pedagógica que, fortalecida pelos diferentes tipos de linguagem, como a música, a arte, o desenho, a dramatização, a dança, entre outros, torna significativo os conceitos a serem trabalhados. Em resumo, Santos (1997, p. 14) afirma que, “quanto mais o adulto vivenciar sua ludicidade, maior será a chance de este profissional trabalhar com a criança de forma prazerosa”. Neste momento, talvez você esteja pensando sobre qual o tempo e o espaço disponibilizados para o lúdico em sua vida.. Pare e pense. Quantas vezes você se pegou brincando e inventando passatempos e histórias para aliviar as tensões do cotidiano?. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 28. A formação lúdica se assenta em pressupostos que valorizam a criatividade, o cultivo da sensibilidade, a busca da afetividade, a nutrição da alma, proporcionando aos futuros educadores vivências lúdicas, experiências corporais, que se utilizam da ação, do pensamento e da linguagem, tendo no jogo sua fonte dinamizadora..

(30) Em conversas observadas por educaIlustração: Andre Figueiredo Muller dores que participam de cursos de capacitação na área da educação, muitas vezes percebe-se que a grande maioria gostaria de encontrar metodologias que fossem explícitas, como bulas de remédio, com indicações e contraindicações. Nesse sentido, na educação, muitas vezes entendemos que a melhor maneira de contribuir para analisar e transformar o processo de ensino-aprendizagem seria encontrar uma fórmula que minimizasse o desinteresse, a falta de concentração, a indisciplina e as dificuldades de aprendizagem dos alunos, temas que constantemente preocupam os educadores. Nesse caso, uma alternativa seria dar ênfase à busca de pistas que auxiliem a modificar a atuação pedagógica no contexto do nosso sistema de ensino, indo, contudo, além da crítica: atuar pedagogicamente com força para a mudança, encontrar formas de agir com os próprios meios, tomando. Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. Contudo, optamos por iniciar as discussões propostas nesta obra por essas reflexões, na tentativa de pensar sobre a ludicidade na formação inicial do educador.. 29. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Você deve ter percebido que, apesar de relaxar por um momento, havia a necessidade e até a cobrança por parte da sociedade em voltar rapidamente à realidade, como se estivesse negando a sua responsabilidade. Assim, um dos mitos que o estudo da ludicidade desmistifica nesta disciplina objetiva é o de que a brincadeira é apenas um passatempo, algo tido como não sério e, assim, desprovido de qualquer possibilidade de aprendizagem para o educando dos anos iniciais do ensino fundamental, já que os conteúdos apresentados nesse nível de ensino são sistematizados de forma diferente aos da educação infantil.. Brincar é coisa séria! Isso envolve uma atitude por parte do adulto, seja ela nos momentos planejados ou livres, seja durante a atuação pedagógica voltada à aprendizagem significativa..

(31) 30 A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. Logo de início, já aponto algumas questões fundamentais para você, que pretende se utilizar desses recursos – os jogos, os brinquedos e as brincadeiras – no seu cotidiano escolar. A prática pedagógica por meio da ludicidade não pode ser considerada uma ação pronta e acabada que ocorre a partir da escolha de um desenvolvimento de jogo retirado de um livro. A ludicidade na educação requer uma atitude pedagógica por parte do professor, o que gera a necessidade do envolviA prática pedagógica mento com a literatura da área, da por meio da definição de objetivos, organização ludicidade não pode de espaços, da seleção e da escolha ser considerada uma de brinquedos adequados e o olhar ação pronta e acabada constante nos interesses e das neque ocorre a partir cessidades dos educandos.. da escolha de um desenvolvimento de jogo retirado de um livro.. Nessa perspectiva, visando à discussão acerca da ludicidade na formação do educador que irá atuar na educação infantil e nos anos iniciais, apresentaremos a seguir as ideias dos principais autores que focalizam o lúdico, em uma interlocução que se faz necessária para esclarecer conceitos e concepções usualmente comentadas.. 1.2 A ludicidade na educação De acordo com Costa (2005, p. 45), “a palavra lúdico vem do latim ludus e significa brincar. Nesse brincar estão incluídos os jogos, brinquedos e brincadeiras e a palavra é relativa também à conduta daquele que joga, que brinca e que se diverte”. Por sua vez, o jogo possibilita a aprendizagem do sujeito e o seu pleno desenvolvimento, já que conta. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. como ponto de partida as partes e não o todo, enfrentando o desafio de educar com criatividade e responsabilidade, descobrindo maneiras mais interessantes de lidar com a realidade..

(32) Assim, qualquer ati- Ensinar por meio da ludicidade vidade dirigida e orienta- é considerar que a brincadeira da visa a um resultado e faz parte da vida do ser humano possui finalidades pedagóe que, por isso, traz referenciais gicas, portanto, a ludicidade da própria vida do sujeito. como recurso pedagógico tem objetivos educacionais a atingir. Nessa perspectiva, utilizado em sala de aula, o jogo torna-se então um meio para a realização dos objetivos educacionais, e ao educando, ao praticá-lo nesse contexto, deve ser garantida a ação livre, iniciada e mantida unicamente pelo prazer de jogar é atrelada aos objetivos educacionais sistematizados pelo educador. a. Kishimoto (1994, 2008, 2010) é uma autora estudiosa da ludicidade e o faz à luz da realidade educacional brasileira; assim, sugiro a leitura de suas obras referenciadas neste livro e também a pesquisa de outros títulos e sites da internet voltados à educação.. Tais questões têm trazido à tona discussões em torno da apropriação do jogo pela escola, especialmente do jogo educativo. Diversos autores, entre eles Tizuko Morchida Kishimoto (2008)a, estudiosa sobre os jogos educativos, defendem que estes. Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. O entendimento do jogo como recurso pedagógico passa pela concepção de que a função educacional da escola é ensinar e que por isso esta tem objetivos educacionais a atingir; o aluA ludicidade se define pelas no, nesse sentido, faz parte ações do brincar que são da elaboração e orientação organizadas em três eixos: rumo a esses objetivos, para o jogo, o brinquedo e a chegar à construção de seu próprio conhecimento. brincadeira.. 31. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. com conteúdos do cotidiano, como as regras, as interações com objetos e o meio e a diversidade de linguagens envolvidas em sua prática. Desse modo, com base no pressuposto de que a prática pedagógica possa proporcionar alegria aos alunos no processo de aprendizagem, o lúdico deve ser levado a sério na escola, proporcionando-se o aprender por meio do jogo e, logo, o aprender brincando. Podemos deduzir, assim, que a formação lúdica do professor favorece essa prática..

(33) A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. Já há mais de uma década, as pesquisas desenvolvidas por Kishimoto (2008) apontam a diferença entre o jogo e o material pedagógico e trazem a reflexão condizente à utilização do jogo educativo em sala de aula, garantido pela sua função lúdica: a de ser escolhido voluntariamente pelo educando ou um meio para alcançar um objetivo. Nas palavras da autora (2008, p. 26), há uma característica do jogo que deve ser levada em consideração: [...] controle interno: no jogo infantil, são os próprios jogadores que determinam o desenvolvimento dos acontecimentos. Quando o professor utiliza um jogo educativo em sala de aula, de modo coercitivo, não oportuniza aos alunos liberdade e controle interno. Predomina, neste caso, o ensino, a direção do professor. Nessa perspectiva, é importante que o educador tenha clara essa diferenciação, pois muitas vezes o jogo é utilizado com o objetivo de ensinar sem que o professor tenha claro o que realmente pretende estimular em relação ao processo ensino e aprendizagem.. 1.3 A função lúdica e educacional do jogo O significado atual do jogo na educação, segundo Kishimoto (2008), sinaliza a existência de divergências em torno do jogo educativo, que estaria relacionado concomitantemente a duas funções. Para a autora (2008), a primeira seria a função lúdica do jogo, expressa na ideia de que sua vivência propicia a diversão, o prazer, quando escolhido. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 32. surgiram na Roma e na Grécia antigas, quando havia a produção de doces em forma de letras destinados ao aprendizado das letras. Ao encontro desse fundamento, Ariès (1981, p. 77) argumenta que “a prática de unir o jogo aos primeiros estudos justifica o nome ludus atribuído às escolas de instrução elementar, semelhante aos locais destinados à prática de exercícios de fortalecimento do corpo e do espírito nessa época”..

(34) Pare e pense. Mas será que é sempre assim? Será que ensinar por meio da ludicidade sempre dá certo ou apresenta algumas dificuldades? Quais seriam elas e como enfrentá-las? Você se lembra quando, em alguma série do ensino fundamental, houve uma disciplina em que você parecia ser um “extraterrestre” e a professora parecia falar uma língua muito diferente da sua?. Toda vez que um conteúdo novo estava para ser iniciado em sua educação básica, você elaborava novas expectativas. Na tentativa de superar a dificuldade, você prestava atenção a tudo que a professora explicava. No início tudo ia bem, as suas habilidades cognitivas de atenção e concentração o ajudavam, mas no decorrer das explicações parecia que algo acontecia dentro de você e tudo explodia, parecendo não ter significado algum. Logo, você experimentava uma sensação de frustração, medo, ansiedade. A aprendizagem requer a significação das informações para que se torne conhecimento. Assim, sempre que se aprende algo novo há um universo de significações que passam pela área cognitiva, afetiva, motora e social. Por exemplo: para aprender a contar é necessário que o. Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. A ludicidade utilizada como recurso pedagógico em ambiente de ensino traz o prazer como um referencial das ações dos educandos.. 33. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. voluntariamente pela criança. A segunda seria a função educativa, quando a prática do jogo leva o sujeito a desenvolver seus saberes, seus conhecimentos e sua apreensão de mundo. O equilíbrio entre as duas funções seria então o objetivo do jogo educativo. Nessa perspectiva, a organização do espaço, a seleção dos brinquedos e a interação entre os educandos refletem na ação voluntária da criança e a ação pedagógica do professor..

(35) sujeito encontre um sentido. É preciso que as funções cognitivas, como o raciocínio lógico, possibilitem a elaboração da soma. A linguagem dos números também precisa ser decodificada. 34. Veja quantas relações você precisa fazer!. Assim, como toda aprendizagem, o jogo também evoca problemas e a necessidade de sua superação. Nem sempre estarão todos preparados para jogar; haverá dificuldades cognitivas, motoras, Jogar também passa por esse afetivas e sociais. Nessas condiprocesso. Quando você entra ções, em se tratando da utilizana ação do jogo, elabora ção da ludicidade como recurso metas (seus objetivos), pedagógico, é importante refleprepara estratégias (sua ação tir sobre quais dificuldades podem ser enfrentadas quando se cognitiva e motora no jogo), desenvolve algum tipo de jogo escolhe caminhos (elabora com os alunos em sala de aula. hipóteses), brinca de “faz Atualmente, existe um grande de conta” (vivencia papéis), número de livros descrevendo raciocina e enfrenta desafios jogos para estimular conhecimentos específicos, identifican(tenta superar os obstáculos), do objetivos e recursos. Ocorre vivencia emoções e conflitos muitas vezes que, à primeira (alegria, ansiedade), organiza vista, essas atividades lúdicas o pensamento (supera os parecem interessantes, poproblemas, percebe erros rém, ao desenvolvê-las em sala, acontecem interações que não e acertos), e sintetiza são esperadas e com as quais (compreende resultados, não se sabe lidar, como os convencendo ou perdendo). flitos cognitivos e emocionais.. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. Pare e pense.

(36) Ludicidade. função lúdica. função educacional. brincar livre. brincar direcionado. Com efeito, nos últimos anos vem havendo significativo aumento do número de autores que recomendam a adoção do jogo na escola, considerando as funções lúdica e educativa. Campagne, citado por Kishimoto (1994), por exemplo, sugere critérios para uma adequada escolha de brinquedos de uso escolar, de modo a garantir a essência do jogo. Segundo a autora (1994, p. 113), a seleção do jogo precisa considerar: I) II) III). IV). o valor experimental que visa permitir a exploração e manipulação; o valor da estruturação para dar suporte à construção da personalidade infantil; o valor da relação que busca colocar a criança em contato com seus pares e adultos, com objetos e com o ambiente em geral para propiciar o estabelecimento de relações; valor lúdico ao avaliar se os objetos possuem as qualidades que estimulam o aparecimento da ação lúdica.. Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. Figura 1.1 – Ludicidade: ações do brincar. 35. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. Para a superação das dificuldades é preciso que você, educador, tenha conhecimento sobre as classificações dos jogos que possibilitam identificar quais tipos atendem aos objetivos elaborados de acordo com as necessidades dos alunos e do planejamento pedagógico; como organizar um ambiente rico e dinamizador de interações, como lidar com conflitos afetivos nas relações entre os educandos e como observar os avanços e as dificuldades explicitadas em momentos de jogos por meio da escuta das falas orais e corporais, pois o corpo também fala..

(37) A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. É necessário entender que a utilização do lúdico como recurso pedagógico na sala de aula pode constituir-se em um caminho possível que vá ao encontro da formação integral das crianças e do atendimento às suas necessidades. Ao se pensar em atividades significativas que respondam às necessidades das crianças de forma integrada, articula-se a realidade sociocultural do educando ao processo de construção de conhecimento, valorizando-se o acesso aos conhecimentos do mundo físico e social. Ao destacar a importância do papel da educação em relação à sociedade, os estudos de Friedmann (1996, p. 43) revelam que muitas vezes as atividades desenvolvidas na escola acontecem de forma fragmentada: “uma hora para o trabalho com a coordenação motora, outra para a expressão plástica, outra para o brincar orientado pelo professor e assim por diante”. Friedmann (1996, p. 54) argumenta que a escola é um elemento de transformação da sociedade, sua função é contribuir, junto com outras instâncias da vida social, para que essas transformações se efetivem. Nesse sentido, o trabalho da escola deve considerar as crianças como seres sociais e trabalhar com elas no sentido de que sua integração seja construtiva. A educação é um processo historicamente construído, e o educador possui um papel nesse processo, devendo estimular o educando. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 36. Para Campagne, citado por Kishimoto (1994, p. 113), a atuação do professor incide sobre a valorização das características e das possibilidades dos brinquedos e sobre possíveis estratégias de exploração. O docente, nesse sentido, pode oferecer informações sobre diferentes formas de utilização dos brinquedos, ampliando o referencial infantil. É importante que os brinquedos oferecidos às crianças reconheçam e valorizem os aspectos culturais da própria região, explorando suas origens, seus materiais, sua estética e sua história..

(38) O jogo é um instrumento pedagógico muito significativo. No contexto cultural e biológico é uma atividade livre, alegre, que engloba uma significação. É de grande valor social, oferecendo inúmeras possibilidades educacionais, pois favorece o desenvolvimento corporal, estimula a vida psíquica e a inteligência, contribui para a adaptação ao grupo, preparando a criança para viver em sociedade, participando e questionando os pressupostos das relações sociais tais como estão postos. Conforme a autora anteriormente citada (2008, p. 63), o lúdico é um instrumento de desenvolvimento da linguagem e do imaginário, vinculado aos tempos atuais como “um meio de expressão de qualidades espontâneas ou naturais da criança, um momento adequado para observar esse indivíduo, que expressa através dele sua natureza Para que isso se torne psicológica e suas inclinações”. Tal realidade no contexto concepção mantém o jogo à margem escolar, faz-se necessário da atividade educativa, mas sublinha refletirmos sobre a sua espontaneidade. Ainda segundo formação lúdica dos a autora, se o objetivo é formar seres professores da educação criativos, críticos e aptos para tomar decisões, um dos requisitos é o en- infantil e dos anos riquecimento do cotidiano infantil iniciais do ensino com a inserção de contos, lendas, fundamental. brinquedos e brincadeira.. Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. Nas palavras de Kishimoto (2008, p. 37),. 37. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. a buscar sua identidade e a atuar de forma crítica e reflexiva na sociedade. O enfoque atual ofertado aos jogos infantis incentiva educadores e pesquisadores da educação a valerem-se desses instrumentos em sua prática como recurso pedagógico para promover a aprendizagem e o desenvolvimento infantil..

(39) A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica • Maria Cristina Trois Dorneles Rau. 1.4 A atitude pedagógica do professor na utilização da ludicidade como recurso pedagógico Brincar propicia o trabalho com diferentes tipos de linguagens, o que facilita a transposição e a representação de conceitos elaborados pelo adulto para os educandos. Educar, nessa perspectiva, é ir além da transmissão de informações ou de colocar à disposição do educando apenas um caminho, limitando a escolha ao seu próprio conhecimento. Segundo Costa (2005, p. 21), “Educar é ajudar a pessoa a tomar consciência de si mesma, dos outros e da sociedade, Ilustração: Andre Figueiredo Muller oferecendo ferramentas para que o outro possa escolher, entre muitos caminhos, aquele que for compatível com seus valores, com sua visão de mundo e com as circunstâncias adversas que cada um irá encontrar”.. Pare e pense. Por que ensinar brincando?. Pensar na ludicidade como recurso pedagógico envolve questões sobre as quais os temas trabalhados nas disciplinas acadêmicas e. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. 38. Nesse sentido, Santos (1997) defende que a formação lúdica valoriza a criatividade, o cultivo da sensibilidade e a busca da afetividade. O adulto que vivencia atividades lúdicas revive e resgata com prazer a alegria do brincar, potencializando a transposição dessa experiência para o campo da educação por meio do jogo..

(40) Como a vivência da ludicidade auxilia o professor na sua prática pedagógica?. O lugar da práxis pedagógica na escola de educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental reflete a relevância do conhecimento teórico e prático do professor que atua em sala de aula como forma de sistematizar o conhecimento no processo de ensino- aprendizagem do educando. Nessa perspectiva, é fundamental que o professor estabeleça uma ponte entre a sua própria concepção de ludicidade, com base em suas vivências, e o conhecimento construído a partir de um sólido referencial teórico. O exemplo a seguir tem como objetivo explicitar com maior clareza a necessidade de estudo sobre a ludicidade como recurso pedagógico em sala de aula. Antunes (2003) constrói uma analogia para explicar seu entendimento de que o professor, ao utilizar o lúdico, deve ter domínio Ilustração: Andre Figueiredo Muller. Maria Cristina Trois Dorneles Rau • A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. Pare e pense. 39. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei nº 9.610/1998 e punido pelo art. 184 do Código Penal.. pedagógicas possibilitam a articulação entre a teoria e a prática. Nesse sentido, Mialaret (1991) aponta para a ligação existente entre o ensino, a formação acadêmica e a formação pedagógica do educador. Segundo o autor (1991, p. 12), “a prática na aula pode ser esclarecida pelos princípios teóricos e melhorada pelos resultados da investigação. A teoria pedagógica só pode erguer-se a partir de uma prática conhecida e refletida”. Desse ponto de vista, cabe ao educador conhecer a possibilidade da utilização de diferentes recursos pedagógicos em consonância com a orientação metodológica do seu trabalho..

Imagem

Referências

temas relacionados :