4.3 PROCESSOS FORMAIS E INFORMAIS PARA A APRENDIZAGEM

4.3.4 Processos informais de aprendizagem grupal

A aprendizagem informal se refere a oportunidades naturais que surgem no quotidiano, no qual o indivíduo controla seu próprio processo de aprendizagem. Inclusive, caracteriza-se como predominantemente experimental, prática e não intencional (CONLON, 2004). Dentre os processos informais identificados na aprendizagem grupal, emergiram três categorias, a saber,

aprendizado a partir de: conversas com os colegas sobre as dificuldades encontradas; conversas com colegas sobre as dificuldades e dúvidas encontradas; atendimento realizado por dois ou três agentes para observação e análise. Na categoria conversas com os colegas sobre as dificuldades e dúvidas encontradas, percebeu-se que o cenário adequado para a aprendizagem grupal é a interação realizada mediante socialização e o compartilhamento de conhecimento:

[...] a gente sempre conversa com os colegas, o que que tu tá fazendo de diferente? Bah, eu tô com uma certa dificuldade em entrar em certos setores, o que que tu me aconselha? Então, qualquer coisa que eles me falem, de, que possa agregar o meu trabalho, com certeza vai ajudar (AGENTE 04 IES B).

A gente vai conversando, trocando ideias. Quando alguém está com dificuldades, perguntar como é que tu faz pra fazer tal coisa. Daí a gente vai conversando (AGENTE 07 IES A).

[..] se ajudam bastante. Esses aqui se ajudam. É bem uma troca de informação. Um aprendeu uma coisa numa empresa, descobriu uma coisa nova, aprendeu alguma coisa, já passa para o outro que tem dificuldade (MONITOR IES D).

Ademais, um agente que ainda não havia começado a atender, manifestou-se acreditar na aprendizagem propiciada pela interação com os demais agentes, como forma de os agentes de orientação empresarial atenderem, conforme a próxima resposta.

Eu acredito que elas conseguem aprender em grupo, porque como que eu ainda não comecei a fazer a parte do treinamento, nós criamos um grupo (WhatsApp) de todos os novos agentes e cada um que tem uma dúvida, nós vamos se ajudando. Nós conseguimos ir se tirando as dúvidas. Até tem um piá de Lagoa, ele começou atendimento, e nós já começamos a pedir pra ele como que foi o primeiro atendimento dele, daí ele falou como foi a experiência dele que muitos disseram não, mas no momento que ele falou que é gratuito e que ele só precisa de uns minutinhos deles, a maioria acabou aceitando (AGENTE 01 IES C).

Dos três monitores entrevistados, dois ressaltaram perceber o aprendizado entre colegas, principalmente pelo grupo de mensagem nos celulares e durante a reunião mensal de equipe, por exemplo, como pode ser lido a seguir:

Acredito que sim, nessa troca. A única, acho que o momento que a gente tem de troca é quando eles trazem a dúvida no nosso grupo, que a gente tem um grupo do WhatsApp, que a dúvida de um pode ser a de todos. Que a gente vai buscar a resposta pra isso no grupo e quando tem a reunião mensal quando eles se encontram ou quando eles trabalham junto, quando eles viajam junto, eu acho que isso ajuda também (MONITOR, IES A).

Outra categoria percebida foi conversas com colegas em deslocamentos para outras cidades. De acordo com os relatos apresentados na sequência, percebeu-se a oportunidade de

conversas de troca de experiências durante os deslocamentos de veículos para outras cidades, conforme realizado pela IES A, o que facilita o aprendizado grupal.

[...] na troca de dúvidas, de informações no dia a dia, durante o percurso das viagens, certo. Nas reuniões mensais de fechamento, na própria sala quando o pessoal se encontra semanalmente pra fazer os lançamentos, a efetivação do trabalho, e todos os fóruns em que o grupo se encontra (AGENTE 08 IES A).

Acredito que sim, ainda mais agora que eles vão em viagem, eles vão em grupinhos juntos, então acho que todo o percurso que eles vão junto, acho que com certeza eles conversam disso, então acho que há uma dinâmica de grupo ali (SECRETÁRIO IES A).

[...] tanto na troca de experiências quanto nas viagens que a gente faz, muitas vezes tem que se deslocar para outras cidades. Acredito que nas conversas que a gente traz, não são a toa, pra alguma coisa a gente sempre acaba tirando (AGENTE 03 IES A). [...] ainda mais com as viagens em que a gente pode se conhecer melhor. Porque o perfil do nosso trabalho ele é muito individualizado, é muito cada um por si, porque cada um tem a sua área, tem a sua maneira de trabalhar, de se organizar, então dentro disso que a gente consegue aprender, estando mais junto, a gente consegue conviver melhor.

Na categoria atendimento realizado por dois ou três agentes, e de acordo com o relato apresentado a seguir, ocorre o aprendizado por meio de visitas em duplas ou trios, pois desta forma é possível o agente de orientação empresarial desenvolver melhor as suas técnicas de abordagem e de atendimento.

A gente aprende muitas vezes através de conversas com os colegas, às vezes a gente vai visitar empresas em duplas, trios, pra desenvolver um pouco mais as nossas técnicas. Isso aí é uma ferramenta que a gente utiliza sozinho e cada um tem que procurar esse tipo de conhecimento junto ao colega até pra, porque não nos é indicado, no nosso trabalho não é indicado a gente trabalhar em dois ou três até porque prejudica a produção (AGENTE 03 IES A).

Por mais que esta não seja uma prática autorizada pela coordenação por afetar a produção, esta foi citada na corroboração para a aprendizagem do agente de orientação empresarial.

Então, estas três categorias podem ser conferidas no quadro 31 que sintetiza os processos informais de aprendizagem grupal por IES.

Quadro 29 – Processos informais de aprendizagem grupal

CATEGORIAS IES

A B C D

Conversas com os colegas sobre as dificuldades e dúvidas

encontradas. X x x x

Conversas com colegas em deslocamentos para outras

cidades. X

Atendimento realizado por dois ou três agentes para

observação e análise. X

Fonte: Elaborado pela autora (2017).

Por meio destas trocas de conhecimento, por conversas com os colegas sobre as dificuldades e dúvidas encontradas, em viagens de deslocamento para realizar atendimentos em outros municípios ou mesmo o atendimento realizado por dois ou três agentes para observação e análise, o aprendizado do agente de orientação empresarial pode ser ampliado informalmente.

No documento Aprendizagem individual e grupal em serviços empresariais intensivos em conhecimento : um estudo de casos múltiplos (páginas 151-154)