Capítulo Nove

No documento Sergei. Sinopse. Her Russian Protector-05 Roxie Rivera (páginas 127-141)

Verificando meu espelho retrovisor, desliguei a ignição e deslizei para fora do meu carro. Olhei em volta do calmo e incrivelmente privado bairro onde Vivian vivia. Eu esperava ver o sedan marrom ou a caminhonete azul que jurei que tinha me seguido durante todo o dia, mas a rua estava vazia. Decidi que a visita do gatuno tinha me colocado nervosa e até paranoica, fui pela calçada e toquei a campainha.

Quando a porta esculpida se abriu para revelar Nikolai, eu sorri nervosamente. Apesar de nunca ter sido nada além de gentil comigo, ele tinha um ar intimidante. As mangas de sua camisa cinza estavam enroladas até os cotovelos, revelando uma faixa de tatuagens que eu nunca tinha visto. Duas delas eram semelhantes às marcas que decoravam a pele de Sergei, mas eu suspeitava que Nikolai tinha dez vezes mais do que o russo que aquecia meus lençóis.

Fazendo o meu melhor para não olhar para os seus braços, eu encontrei seu olhar convidativo.

—Oi, Nikolai.

—Olá, Bianca. — Ele se afastou e fez um gesto em direção à porta de entrada. —Por favor, entre. Vee está em seu estúdio. Ela está esperando por você.

—Ótimo. — Eu passei por ele, mas não fui mais do que alguns metros à frente dele. Ele provavelmente não teria se importado se eu tivesse ido direto até o recentemente convertido espaço em estúdio, mas eu não teria me sentido confortável ficando muito à vontade em sua casa.

Depois que ele trancou a porta, Nikolai fez sinal para eu andar com ele.

—Como está seu negócio?

—A temporada de casamento está em pleno andamento por isso está uma loucura na loja.

—Estamos com o Samovar totalmente reservado com jantares de ensaio e encomendas de buffet. Posso imaginar que sua programação deve ser parecida.

—Eu prefiro estar trabalhando feito louca a estar implorando por trabalho, entende?

—Oh, eu entendo.

A batida fraca da música eletrônica era ouvida através da porta francesa fechada que selava o estúdio. Ele chegou até a maçaneta, mas não a abriu imediatamente. Em vez disso, ele olhou para mim e perguntou:

—Há quanto tempo você está tendo esse problema com o ladrão?

Surpresa com o seu interesse, respondi:

— Apenas há algumas semanas. Por quê?

Seus ombros se mexeram despreocupadamente.

—Você é uma das melhores amigas da Vee. Ela se preocupa com você, é importante para mim que as pessoas com quem ela se preocupa estejam seguras.

—Oh. Bem... Obrigada.

Ele inclinou a cabeça em reconhecimento e bateu com suas juntas contra a porta antes de abri-la.

—Vee? Bianca está aqui.

Ela apareceu com manchas de tinta nos dedos e uma blusa velha suja de tinta seca. Girando uma faca de paleta, ela me acenou para entrar.

—Ei! Estou quase terminando. Você quer me ajudar a limpar os pincéis?

Eu emiti um risinho.

—Claro.

—Vee... — Nikolai falou com cuidado. —Eu vou cuidar disso para você mais tarde. — Ele gesticulou ao redor do estúdio. —Os vapores, solnyshko moyo.

Então, ele estava preocupado com os vapores de solvente de tinta? Eu marquei outro X na minha lista de sintomas de gravidez. Agora eu estava mais do que certa de que Vivi tinha um pouco de Nikolai dentro dela.

Vivian colocou a mão suja de tinta em cima de seu marido parado na porta em um gesto de amor.

—Tudo bem, Kolya. Vou deixar os pincéis para você.

Ele abaixou, beijou a bochecha dela e, em seguida, passou os lábios ao longo da curva da garganta de uma maneira sensual, íntima.

Sorrindo para nós, Nikolai se afastou da porta.

—Bianca, você vai ficar para o jantar?

—Oh, eu não quero me intrometer.

—Você não vai. —Ele me assegurou. —Eu vou colocar um terceiro lugar na mesa do jantar.

—E quanto a Sergei? — Vivian perguntou. —Ele está livre hoje à noite?

—Não, ele vai ficar até tarde no ginásio. Ele me disse que ia fazer um lanche com alguns dos caras do armazém.

—Você gostaria de um copo de vinho, Bianca? Eu ficaria feliz em trazer um para você. —Nikolai ofereceu.

—Não, mas eu vou tomar um com o jantar. —Eu levantei um dedo. — É meu único limite quando estou dirigindo.

—Menina esperta. —Disse ele e nos deixou.

Vivian segurou minha mão e me levou para o estúdio.

—Eu estou tentando terminar algumas peças novas para minha exposição em Londres.

—Oh! Certo! — Depois de seu sucesso espetacular em janeiro, Vivi tinha conseguido várias exposições com um importante benfeitor no mundo da arte internacional.

Niels Mikkelsen, o bilionário dinamarquês colecionador de arte e magnata, tinha amado sua arte e tinha feito contatos no exterior para conseguir para ela um convite para mostrar suas peças em uma das melhores galerias de Londres. Era uma enorme realização para ela, eu não podia estar mais orgulhosa.

—Você vai vir?

—Para Londres?

—Sim.

—Ah...

—Vamos! Você sabe que você quer ir.

—Bem...

—Você e Sergei poderiam dar uma escapadela romântica. —Ela sugestivamente balançou as sobrancelhas. —Vocês dois precisam de um período de férias.

A ideia me tentou o suficiente para que eu não a descartasse imediatamente.

—Nós vamos ver.

Sorrindo triunfante, ela abaixou os pincéis sujos em um recipiente de plástico e colocou as tampas de volta nos tubos de tinta abertos.

Examinei as telas apoiada sobre os cavaletes. Inspecionando mais de perto, percebi que ela estava reavivando antigas técnicas que eu não a tinha visto usando desde o colegial.

—Você está usando técnicas mistas nesta coleção?

—Estou construindo a história das tatuagens nesta coleção e fazendo a minha interpretação de tudo isso. —Ela segurou uma paleta

de cores. —Você sabe, esta minha vida bizarra e a posição do lado bom de Houston com, bem, o lado mais obscuro da cidade. Parecia a coisa certa me direcionar para algo mais corajoso, mais texturizado. —Ela estudou suas obras. —Camadas, sabe? Na arte e na vida.

—Eu entendo. Eu gosto disso.

—Eu sabia que você iria gostar. — Ela sorriu para mim. —Então...

Me conta sobre Sergei.

Encostei na sua mesa de trabalho e brinquei com uma toalha de papel.

—É realmente bom.

—Ouvi dizer que ele chutou sua porta. —Ela começou a rir. —Eu teria gostado de ter visto seu rosto quando você viu a porta suspensa sem suas dobradiças.

Eu não pude deixar de rir com ela.

—Ele fez tudo certo e substituiu a porta.

—E, correu atrás de seu ladrão na última à noite?

—Sim. Ele lhe contou sobre quase ser preso?

—Não! O que aconteceu? — Ela tirou sua blusa suja. —Eu deveria estar preocupada?

—Não. Foi uma coisa estúpida com Kevan. Sergei estava perseguindo o ladrão e eu liguei para o 911. Kevan era o oficial de polícia mais próximo. Kevan não acreditou em sua história de modo que algemou Sergei e levou para a minha casa para provar que ele era um mentiroso. Honestamente, acho que ele provavelmente reconheceu Sergei como um dos..., bem, funcionários de Nikolai. Kevan sabe que sou sua amiga, então acho que ele estava tentando fazer um ponto sobre Sergei ser o tipo de cara errado.

Ela me deu um olhar.

—Bem, isso é estranho.

—Você não tem ideia. — Eu decidi não dizer sobre como Sergei é talentoso me despindo e fazendo amor comigo até que eu pensei que fosse desmaiar. Eu percebi que ela não gostaria de receber os detalhes das habilidades de Sergei como um amante, especialmente desde que

ela o considerava quase um irmão. —O que quer que Kevan estivesse tentando fazer, não funcionou comigo.

Vivian veio até mim e pegou minha mão. Ela não disse nada, mas parecia estar escolhendo as palavras com cuidado.

—Eu sei que é muito difícil para você quebrar sua regra. Eu entendo e respeito suas razões para isso.

Querendo saber onde isso ia chegar, eu fiz uma careta.

—Eu sei que você respeita.

—E eu não vou ficar aqui e dizer que os homens de Nikolai são diferentes dos homens que levaram seu irmão para longe de você. Eu só vou dizer que Sergei é um dos melhores homens que eu já conheci.

—Ela ergueu a mão. —Ok. Sim, sei que ele cruza a linha de vez em quando, mas eu sei que ele nunca cruzou essa linha.

—Mas ele fez tantas coisas ilegais. —Eu tentei mascarar meus medos. — Como faço para ignorar isso?

Ela engoliu em seco.

—Aceito Nikolai por aquilo que ele é e pelo que não é. Eu o amo, e estou disposta a seguir com ele, onde quer que isso nos leve.

—Você soa como Sergei. —Eu disse suavemente. —Ele diz que temos de começar a nossa jornada aqui, onde estamos agora.

—E onde esta viagem está indo?

—Eu não sei, Vivi.

—Está tudo bem. — Ela apertou meu ombro. —Você ainda está sentindo os parâmetros. É um relacionamento muito novo.

—É? — Falei em voz alta um pensamento que eu tinha tido durante todo o dia. —Sergei e eu estamos dançando em torno disso durante meses. Vamos ser realistas aqui. Eu estive obcecada por este homem desde o primeiro momento em que o vi. O que eu sinto por ele agora? Isso me assusta. É tão forte.

—Você diz isso como se fosse uma coisa ruim.

—É perturbador para mim.

—Então fale com Sergei. —Vivi sugeriu. —Ele é um bom ouvinte.

Eu converso em sua orelha durante todo o dia. Ele sempre dá bons conselhos quando eu preciso.

—Sério?

—Sim. — Ela apertou minha mão. —Eu sei que Sergei parece forte e assustador, mas ele é uma alma gentil. Se você quer que ele saiba que você precisa de algum tempo, ele vai esperar por você.

—Eu já o fiz esperar por cinco meses por um único beijo, Vivi.

—E ele estava feliz por esperar. —Ela insistiu. —Ouça-me. Caras como Sergei e Nikolai..., você sabe o que eles querem? Eles só querem uma mulher forte, sexy e inteligente para que eles possam amar e mimar. Se você acha que isso é algo que você pode querer...

—É. Só que... Ainda não.

—Então diga a ele.

—Eu vou.

Nikolai bateu na porta e colocou a cabeça dentro do estúdio.

—O jantar está pronto.

Sentar-me com o casal para jantar foi uma experiência agradável.

Eu não tinha ideia de que Nikolai cozinhava tão bem. Talvez eu devesse ter suspeitado considerando que ele possuía um dos melhores e mais populares restaurantes da cidade. Eu observei a maneira como ele derramou meio copo de vinho para Vivian e do jeito que ela não o tocou. Eu queria muito matar minha curiosidade, mas segurei minha língua e não comentei sobre seu segredo.

Enquanto apreciava a minha sobremesa e uma xícara de café, eu a peguei bocejando e decidi terminar a minha visita. Ambos caminharam comigo para a porta, mas, na verdade, Nikolai saiu para a calçada, quase como se ele quisesse ter certeza de que eu entrasse em meu carro sã e salva. Eu achei que era um pouco estranho, mas acho que era por ele ser superprotetor.

Quando cheguei ao meu carro, olhei para a rua a frente e vi o maldito carro marrom parado mais abaixo. Frustração brotou dentro de mim. Que diabos?

Colocando minha bolsa no ombro, abandonei meu carro e marchei para frente. Eu tinha tido o suficiente de esquisitos tentando me assustar esta semana. Independentemente de quem cara era, ele estava prestes a levar uma bronca minha.

—Bianca! — Nikolai chamou meu nome. —Pare! Volte!

Mas eu já estava na porta lateral do passageiro. Puta, bati duro no vidro de lentes escuras.

—Hey! Idiota! Abaixe essa janela agora mesmo!

Em vez de baixar a janela, a porta do lado do motorista se abriu, e a última pessoa no mundo que pudesse esperar, saiu. Era Eric Santos, primo de Vivian e um detetive que se especializou em gangues de Houston.

—Eric? — Eu gaguejei seu nome com a surpresa.

Ele ofereceu um ligeiro sorriso.

—Eu prefiro a idiota.

Atordoada, eu perguntei:

—O que você está fazendo aqui?

O olhar de Eric deslizou para Nikolai que finalmente havia chegado até nós.

—Eu estou a negócios.

Olhei para Nikolai e imediatamente reconheci sua expressão tensa. Havia alguma história antiga e muito complicada entre estes dois e eu realmente não queria pisar no meio disso.

—Santos.

—Nikolai.

Com um suspiro agravado, Nikolai disse:

—Santos, eu deixei claro várias vezes que você é bem-vindo em minha casa.

—Sua casa, hein?

A boca de Nikolai se apertou.

—Nossa casa.

—Uh-huh.

—Você não tem que se esconder na minha rua cada vez que quiser visitar Vee.

—Sua rua? — Eric olhou para cima e abaixo da estrada. —Eu tinha a impressão de que estas ruas pertenciam à cidade de Houston.

Nikolai não respondeu essa. Em vez disso, ele disse:

—Vee gostaria de ver você. Já faz algumas semanas desde que vocês almoçaram juntos. Você deveria ir lá e dizer Olá.

Eric parecia querer dizer sim, mas ele balançou a cabeça.

—Eu não posso. Estou de serviço.

—Em frente da minha casa?

—Não. Eu não estou em frente da sua casa.

Se ele não estava de olho na casa de Nikolai, então quer dizer...

O olhar de Nikolai foi para mim, um calafrio subiu no meu pescoço. Com a boca seca, fiz a pergunta óbvia a Eric.

—Por que você está me seguindo?

Eric parecia estar pesando em suas palavras com muito cuidado.

—Eu tenho algumas preocupações com a sua segurança.

Meu estômago caiu.

—O que você quer dizer?

—Você teve uns relatórios múltiplos sobre um gatuno nas últimas semanas. O aniversário de dez anos da morte de seu irmão está chegando muito rapidamente. Depois do ataque a Adam Blake...

Ouvir o nome do assassino do meu irmão causou arrepios gelados na minha espinha.

—Que ataque?

Agora era Eric que parecia chocado.

—Kevan não te disse? Eu tinha certeza de que...

—Ele não disse nada. — Traição atingiu meu peito. Por que Kevan não tinha mencionado algo assim para mim? Isso era importante, e eu precisava saber!

—Adam Blake foi atacado em uma luta no pátio da prisão. Eles chegaram até ele com um canivete e quase foi eviscerado. Ele está mal.

Estão dizendo que ele não vai andar de novo e vai ter que usar uma bolsa de colostomia pelo resto de sua vida miserável.

Se fosse qualquer outra pessoa, eu poderia ter sentido alguma simpatia. Em vez disso, senti a sensação mais estranha de justiça. Talvez fosse vingança. De qualquer forma, me senti bem por causa do sofrimento que ele tinha feito para o meu irmão e por que ele havia tirado da minha família. Lá no fundo, eu sabia que era errado me sentir dessa maneira, que eu deveria mostrar alguma misericórdia e perdão, mas eu simplesmente não conseguia.

—E daí? Você acha que alguns de seus amigos estão tentando me assustar? —Isso não fez sentido para mim. Estreitando os olhos com desconfiança, eu tentei obter mais informações. —O que não está me dizendo, Eric?

Seu olhar aguçado se fixou em Nikolai.

—O prisioneiro que eles apontaram como o principal atacante está vinculado com a tripulação albanesa.

—E daí? Eu não conheço nenhuma dessas pessoas.

—Não, você não conhece, mas o homem que está passando um tempo em sua cama com certeza conhece.

Meus dentes cerraram instantaneamente com a insinuação desagradável de Eric.

—Você seriamente vai me acusar de contratar um assassino?

—Adam Blake atirou em seu irmão a sangue frio na sua frente quando você tinha 14 anos de idade, Bianca. Pessoas organizaram visitas à prisão por muito menos.

A ira me queimou.

—Eric, fique feliz por ter um carro maldito entre nós. Caso contrário, eu estaria batendo na sua cabeça com a minha bolsa por dizer algo tão feio para mim.

Um lampejo de arrependimento cruzou seu rosto.

—Se vale alguma coisa, eu não acho que você teve alguma coisa a ver com isso, mas os Night Wolves? Eles não vão ser tão indulgentes. — Ele olhou para Nikolai novamente antes de se concentrar totalmente em mim. —Você provavelmente não vai querer o meu conselho, mas vou dar de qualquer maneira. Arranje um cachorro grande, uma arma e um sistema de segurança. Inferno, contrate um guarda costas se puder pagar. Mas o mais importante, Bianca: Fique longe de Sergei Sakharov.

—Você está certo, Eric. Eu não quero seu conselho. —Girando no meu calcanhar e ainda chateada com ele por me acusar de arranjar um assassinato, eu rosnei sobre meu ombro. —E pare de desperdiçar os dólares dos contribuintes me seguindo. Vai procurar os verdadeiros criminosos.

—Como aquele que tem andado em seu carro?

Eu não podia acreditar que ele teve a coragem de me dar esse tiro de despedida. Para seu crédito, Nikolai não mordeu a isca. Ele acompanhou meus passos e manteve o olhar fixo para frente. Quando chegamos ao meu carro, destranquei a porta, mas não deslizei para o banco do motorista. Com a mão na porta, me virei para o marido da minha melhor amiga e tentei fazer uma leitura sobre ele. Ele era impossível de se decifrar.

—Você sabia?

—Sobre o ataque a Adam Blake? Sim.

—Por que você não me contou?

—Eu assumi que o seu advogado ou que seu ex-namorado policial tivesse dito a você. Parecia improvável que você não ouvisse sobre isso através de seus próprios funcionários.

—Bem, eu não.

—Eu sinto muito, Bianca. Eu posso ver o quão abalada você está.

Ele parecia sinceramente chateado por mim.

—É por isso que você me perguntou há quanto tempo o ladrão estava aparecendo?

—Sim. Eu estava preocupado que os nochniye Volki, desculpe, que os Night Wolves iriam tentar prejudicá-la.

—E Sergei? Será que ele sabe sobre Adam Blake? —Pensar que Sergei manteria algo assim de mim fez meu estômago dar nó.

—Não. Na verdade, ele nem sabia que você tinha laços com a tripulação dos skinhead até ontem. Ele ficou muito surpreso e perturbado com isso.

O nó no estômago se afrouxou um pouco. Pelo menos Sergei não estava mentindo para mim.

—Perturbado? Por quê?

Nikolai tamborilava os dedos sobre o teto do meu carro.

—É uma situação complicada, Bianca, e que, francamente, estou desconfortável em explicar os detalhes para você. Tudo o que posso dizer é que ela se liga com o sequestro de Vee no ano passado. Eles estão fazendo as coisas difíceis para alguns dos meus parceiros de negócios...

—Você quer dizer sobre aquelas dançarinas que Sergei teve que ajudar?

Nikolai não parecia satisfeito com a minha interrupção.

—De certa forma, sim.

Eu estava empurrando minha sorte tentando obter mais informações, mas decidi jogar o cuidado para o vento e ser intrometida.

—E sobre os albaneses? Eles estão realmente por trás do ataque a Adam?

—Não. — Havia um ar de finalização em sua resposta. Movendo sua parte superior do corpo, Nikolai levantou a mão. Nesse momento, um par de faróis apareceu na nossa direção. Engoli em seco quando reconheci a forma do veículo, o caminhão azul acinzentado que tinha estado me seguindo.

—Sim. —Disse ele suavemente. —Sergei se preocupa que os skinheads saibam que um dos meus homens de maior confiança está namorando uma garota como você.

—Como eu? Oh. — Fiz um gesto em direção ao meu rosto. — Você quer dizer uma garota negra, hein?

A contração em seu rosto me disse que eu tinha batido o prego direto na cabeça.

—Esse tipo de coisa não interessa a ninguém na minha família, você entende? São aquelas pessoas. Não nós. Mas, sim, a sua raça torna esta uma situação complicada. Você é o alvo perfeito para a retaliação por causa da sua cor de pele e por causa de sua história com Adam Blake.

Olhei para os faróis brilhantes.

—E daí? Sergei colocou alguém na minha cola?

—Você é tudo para ele, Bianca. Ele quer protegê-la e garantir a sua segurança. Ele não pode estar com você durante o dia, porque está cuidando da coisa mais preciosa do mundo para mim, por isso ele escolheu homens de sua confiança para olhar por você.

—Você é tudo para ele, Bianca. Ele quer protegê-la e garantir a sua segurança. Ele não pode estar com você durante o dia, porque está cuidando da coisa mais preciosa do mundo para mim, por isso ele escolheu homens de sua confiança para olhar por você.

No documento Sergei. Sinopse. Her Russian Protector-05 Roxie Rivera (páginas 127-141)