Capítulo Onze

No documento Sergei. Sinopse. Her Russian Protector-05 Roxie Rivera (páginas 160-177)

—Eu não posso acreditar que você nunca comeu no Samovar. — Sergei segurou minha mão enquanto me levava pela calçada até o restaurante cinco estrelas do marido de Vivian.

Nós íamos nos encontrar com os amigos, Benny e Dimitri uma última vez antes do bebê chegar.

—Comida russa não é realmente minha praia. Além disso, quando Vivi queria sair para jantar, o último lugar que ela queria ir era o local em que ela trabalhava.

—Tem razão. — Ele fez uma pausa antes de alcançarmos as portas principais e deu um peteleco nos meus brincos de argola de ouro. —Me desculpe por nossos primeiros planos de encontro terem que ser colocados em espera.

—O bebê está vindo a qualquer momento. Esta provavelmente será a última vez para que saiam com Benny e Dimitri por um bom tempo. —Rindo, acrescentei: — Além disso, eu não sei quanto a você, mas Lena me assusta. Eu não tive coragem de lhe dizer não.

Ele riu e deslizou a mão para minhas costas, me puxando contra ele em um gesto protetor. Baixando a cabeça, ele sussurrou:

—Não diga a ela que eu disse a você isso, mas os caras no clube em que ela trabalhava costumavam chamá-la de Lady Dragon.

Meu queixo caiu.

—Você está brincando!

Ele balançou a cabeça e sorriu.

—Alguns homens têm medo de uma mulher forte.

—Não Yuri. — Eu disse, avistando o casal assim que entramos no lobby do restaurante.

O magnata bilionário estava sentado a alguns metros atrás dela, seu tornozelo apoiado em seu joelho, enquanto Lena conversava com um casal de homens do petróleo. Vivi em Houston toda a minha vida, e eu tinha desenvolvido uma espécie de sexto sentido para reconhecer esses tipos.

Ela pegou um cartão de visita de um deles e o colocou em sua bolsa antes de acariciar seus braços. Yuri sorriu para ela quando ela se aproximou e ele disse algo que fez Lena sorrir. Ela se abaixou para ajustar o nó da gravata, mas ele não a deixou recuar a mão até que ele tivesse beijado cada ponta de seus dedos.

—Bianca! — Lena sorriu para mim e me arrastou para um abraço.

Não querendo manchar minha bochecha com seu batom vermelho exuberante, ela beijou o ar no meu rosto. —Estou tão feliz que você pôde vir. —Seu olhar pulou para Sergei antes de voltar para o meu rosto. Com um sussurro conspiratório, ela disse: — Eu tenho que ouvir essa história.

—Mais tarde. —Eu prometi e virei para cumprimentar Yuri.

Eu ainda estava apertando a mão dele quando Nikolai apareceu para nos levar para uma das melhores mesas do restaurante. Senti as mãos de Sergei entre minhas omoplatas enquanto nós cruzamos o salão para nos juntarmos a Dimitri, Benny e Vivian. Eu estava caindo rápido por Sergei e me tornando irremediavelmente viciada por sua presença. Quando tinha jogado os lençóis na máquina de lavar hoje pela manhã, tinha ficado realmente triste por tirar o cheiro de eucalipto dele. Só de saber que o meu grande e delicioso russo iria aquecer aqueles lençóis novamente tinha aliviado a tristeza.

Eu não acho que era possível, mas a barriga de grávida de Benny parecia ainda maior do que no casamento de Erin e Ivan apenas uma semana antes. Ela parecia adorável em seu vestido e tinha um enorme

sorriso no rosto enquanto nós nos abraçávamos, mas eu sentia que ela estava se aproximando de um ponto em sua gravidez onde ela estava cansada e pronta para ter seu bebê.

Como sua estrutura extremamente pequena conseguiu suportar essa carga me deixou perplexa. Por conta própria, percebi que provavelmente teria que perder peso antes de pensar em engravidar.

Eu tinha certeza de que o bebê seria saudável com 3 kg, mas algo me dizia que a suposição bizarra de 4 kg de Erin ia provavelmente chegar mais perto da realidade.

Sentando entre Nikolai e Sergei, eu dei ao marido de Vivian um sorriso agradável. Nós não tínhamos nos falado desde aquela noite fora de sua casa. Tanto quanto eu sabia, Vivian permanecia completamente no escuro sobre o que tinha acontecido. Eu queria que ficasse desse jeito. Quando Nikolai devolveu o sorriso, eu não pude deixar de pensar que ele possuía o meu homem. Ouça você! Eu não pude acreditar que estava pensando em Sergei como o meu homem. Claro, eu suspeitava que Sergei pensava em mim como sua mulher desde antes da noite em que ele tinha chutado minha porta. Esse era simplesmente o seu jeito.

Quando a nossa garçonete se aproximou da mesa, notei um ligeiro aperto na boca de Vivian. Era essa micro expressão de frustração que ela às vezes tinha, isso desapareceu rapidamente. Sorrindo para a garçonete, ela se dirigiu a ruiva deslumbrante em russo.

O que quer que elas tenham dito, não pareceu incomodar qualquer outra pessoa na mesa, então achei que era como uma daquelas coisas de trabalho. Pode ser que a mulher, que de acordo com seu crachá se chamava Lidia, tivesse sido uma dor na bunda de Vivian quando ambas atendiam mesas aqui.

Ou talvez Lidia tivesse errado em tentar dar em cima de Nikolai...

O braço de Sergei se moveu para a parte de trás da minha cadeira, lembrando-me da noite do casamento.

—Você quer alguma ajuda com o cardápio?

Fiquei aliviada ao ver que tinha sido impresso em russo e em inglês, mas não tinha ideia do que era bom e o que poderia ser demais para o meu decididamente paladar sulista.

—Por Favor?

Enquanto Sergei apontava os pratos que poderiam me interessar, mantive o ouvido nas conversas ao nosso redor. Todo mundo estava falando sobre promover novos negócios, expansões, sucessos recentes e dicas de investimento. Bem. Todo mundo menos Sergei.

Quando fui arrastada para uma conversa com Benny sobre fazer vestidos para festas de quinze anos, não pude me abalar com a sensação de que Sergei pudesse estar se sentindo deixado de fora esta noite. Ele estava em uma estranha posição. Claro, ele era amigo de Vivian, e Nikolai o tratava como família, mas isso não mudava os fatos.

Nikolai era proprietário do corpo de Sergei e o usava, como ele faria com qualquer outra arma em seu arsenal.

Como se isso não fosse bizarro o suficiente, Sergei era o único homem na mesa que tinha significativamente menos dinheiro do que sua parceira e que não era proprietário de uma empresa de algum tipo.

Eu acredito que Sergei estava orgulhoso do meu sucesso, mas será que ele estava um pouco constrangido ou decepcionado com sua situação ou carreira?

Depois de saber que ele tinha ido para faculdade para perseguir seus sonhos de ser um arquiteto, eu só podia imaginar o quão difícil a pílula amarga de sua posição como um executor era de engolir. Será que ele imaginava como sua vida poderia ter sido se seu irmão mais velho não tivesse sido tão miseravelmente estúpido?

Com esse pensamento desconfortável chocalhando na minha cabeça, olhei para cima, para o meu cardápio e peguei Sergei encarando a garçonete quando ela se aproximou da mesa. Eles trocaram um sorriso antes dele baixar o olhar para o copo de água.

Pelo fato de ele ser amigável com todos, não pensei muito nisso...

Até que Lidia caminhou ao redor da mesa para ficar atrás de Sergei enquanto ela tomava nossos pedidos. A linda e esbelta garçonete colocou a mão no ombro de Sergei com um toque que era muito familiar.

Uma ideia indesejável começou a se formar. Eu mandei para longe, me recusando a ir por essa linha e considerei que não ela nada mais do que amizade. Sergei passou muito tempo com Nikolai, seu chefe ficava, provavelmente, no Samovar a maior parte do dia. Era normal que Sergei fosse amigável com a equipe.

Sempre um macho alfa, Sergei fez o pedido por mim e me serviu um copo de vinho. Eu belisquei a sua coxa sob a mesa, mas ele se antecipou deslizando sua grande palma áspera debaixo da minha saia.

As pontas dos dedos encontraram o tecido fino e suave da minha requintada calcinha que ele tinha me dado. Eu tinha quase morrido de rir quando tinha descoberto as calcinhas maravilhosas sem fundilhos, de cetim e renda, mas depois de um pouco de persuasão de Sergei, eu tinha prometido dar a elas uma chance.

Reconhecimento brilhou em seus olhos escuros. Ele tentou afastar o tecido para descobrir a parte secreta minha, mas eu apertei meus joelhos juntos, prendendo a mão e lhe negando. Deixando a mão direita lá, ele atirou em mim um olhar que prometia mais uma noite para o livro dos recordes.

Depois de seu celibato auto imposto, Sergei parecia estar fazendo pelo perdido tempo. Eu não acho que tinha tido tanto sexo em todos os anos em que tinha sido ativa como tivemos na última semana. O homem era insaciável e inventivo. Algumas das coisas que tínhamos feito juntos me fizeram corar enquanto pensava sobre isso. No calor do momento, seu sorriso megawatt e charme sexy me induziam a tentar qualquer coisa. Até agora, eu não tinha me decepcionado com seu espírito aventureiro ou habilidade.

Quando os nossos aperitivos chegaram, o conversa em torno da mesa virou para o bebê e sua precária posição invertida. Benny ainda estava esperançosa de que o bebê iria decidir virar, mas tinha a sensação de que o bebe estava tão grande que não havia espaço para manobra. Eu entendi o seu medo de uma cesária, especialmente com a possibilidade de complicações e demora na recuperação, mas eu sentia que Dimitri preferia este caminho a tentar um parto pélvico que poderia ser difícil.

Pensando na situação de Benny, não pude deixar de me imaginar dando a luz algum dia. Com a minha carreira em recuperação e as exigências do negócio crescente, assumi que maternidade estava a alguns anos de distância.

Bebendo meu vinho, olhei para Sergei que estava em profunda conversa com Dimitri e me perguntei como ele seria como pai. O pensamento fez meu coração fraquejar. Eu não devia estar se quer

pensando nisso agora, era muito cedo na nossa relação para estar pensando em carrinhos e berços, mas eu não podia deixar de pensar.

Depois de ouvir o quão longe Sergei estava disposto a ir para salvar sua mãe e irmão e de ter visto com meus próprios olhos o que ele estava disposto a fazer para me proteger, eu não tinhas dúvidas sobre seus instintos para nos prover e amar. Mas sua atual linha de trabalho era muito arriscada para se criar uma família. Assim, muitas coisas ruins poderiam acontecer com ele ou com as pessoas que ele amava por causa de sua associação com Nikolai.

Empurrando esse estranho pensamento de lado, me perguntava se essa era a razão para Vivian teimar em manter sua gravidez em segredo. Ela já tinha sobrevivido a tanta violência em sua curta vida. O desejo de proteger seu bebê dos inimigos de Nikolai deve ter sido forte.

O som da voz rouca de Lidia me tirou dos meus pensamentos. Ela tinha parado para encher os copos e levar os pratos vazios. Eu observava a maneira como ela falava com Sergei, fazendo questão de conversar em sua língua compartilhada, de forma que eu não pudesse entender o que ela estava dizendo. A mão esbelta dela deslizou de seu ombro para alisar um certo ponto acima do colarinho do seu blazer azul.

Ela é de verdade? Eu não conseguia decidir se esta senhora era apenas ignorante ou estava ativamente tentando me atingir. Sergei parecia totalmente alheio à sua intenção, assim decidi deixar isso por agora. Me recusando a fazer uma cena, fingi não perceber e deixei Lena me colocar em uma discussão sobre sua empresa de relações públicas em uma crise incipiente mergulhando seus dedos dos pés nas águas da moda.

Quando Lidia voltou com nossas entradas, ela me deu outro ponto de flexão para conversar com Sergei. Desta vez, eu realmente entendi uma das palavras que deixou sua boca. Era um termo que muitas vezes ouvi Vivian chamar Nikolai, que era totalmente inadequado para a situação.

A risada baixa de Sergei murmurada em resposta me atingiu como um picador de gelo no peito. Eu reconheci que não eram simplesmente termos amigáveis. Não, eles tinham estado muito, muito

mais perto do que isso. Tão perto que ela se sentia confortável em chamá-lo de querido...

Até aquele momento, eu tinha tido apenas uma vaga ideia das mulheres que Sergei tinha namorado antes de mim. Sentada aqui, olhando para este homem com uma figura esbelta e com pernas longas bem torneadas, eu só queria chorar. Como no inferno ia competir com isso?

A resposta veio rapidamente. Eu não podia.

Lidia era um dez, e eu era, no meu melhor dia, um sete. Minha autoconfiança teve um grande baque, eu comecei a desinflar. O vestido dourado lindo que eu tinha pensado que parecia tão bem em mim, de repente parecia ser muito pegajoso e apertado. Eu pensei na maneira como ele não abraçava tão bem minhas curvas, e nos locais que balançavam precisavam de um modelador corporal.

Se Sergei podia ter uma supermodelo como Lidia, o que diabos ele estava fazendo comigo?

Todos aqueles velhos sentimentos de inadequação começaram a se aproximar de mim. Eu nem sequer considerei os “e se?”. Eu queria desesperadamente acreditar que Sergei me queria com a celulite, falhas e um grande traseiro porque ele gostava de mim. Confrontada com Lidia e as evidências de que ele poderia fazer e tinha feito muito melhor, comecei a me perguntar quanto tempo eu poderia segurar o seu fascínio. Com todas as complicações que eu trouxe a sua vida, agora que meus laços com os Night Wolfes eram certos, ele iria se cansar de mim e se lembrar de como bom seria se ele estivesse com uma mulher bonita que compartilhava sua herança e sua língua?

Cada fibra do meu ser gritava para eu demonstrar publicamente o meu poder sobre ele e colocar Lidia no lugar dela, mas eu me recusei a me rebaixar a esse nível. Eu não estava prestes a começar brigas por causa de um homem, até mesmo um homem que me preocupava tanto como Sergei, em um restaurante cercada por nossos amigos. Eu tinha muito auto respeito para fazer algo assim tão sem classe.

Olhando em volta da mesa, parecia apenas que Vivian tinha pego no ar as estranhas vibrações. Ela estreitou seus gelados olhos azuis em Lidia, mas esperou para dizer algo para a nossa garçonete até que a mulher se abaixou para colocar um prato na frente de Vivian. O que

quer que Vivian tinha sussurrado no ouvido de Lidia, a atingiu em cheio.

A garçonete ficou ereta e se afastou da mesa.

—Vee... — Nikolai se dirigiu à sua esposa em uma voz que eu mal pude ouvir sobre o barulho de talheres e das conversas baixas ao nosso redor. O olhar fulminante de Vivian o dissuadiu a continuar o que quer ele havia planejado dizer. Aparentemente, havia uma pessoa em todo o vasto mundo que poderia assustar Nikolai. Infelizmente para ele, era sua esposa.

Optando por não fazer disso uma grande coisa, eu dei ao meu jantar um teste e decidi que não era tão ruim. Eu duvidava que os sabores da comida russa jamais fossem agradar ao meu paladar, mas gostei da experiência de tentar coisas novas. Uma vez, peguei Lena atirando um olhar de simpatia que nos fez sorrir. Parecia apenas que Benny tinha desenvolvido um amor verdadeiro para os pratos requintadamente preparados. Ou talvez fosse só uma coisa da gravidez...

—Como estava? — Sergei se inclinou para falar comigo e roçou a pontas dos seus dedos ao longo da minha nuca, enquanto esperávamos que nossos pratos fossem retirados. Com um sorriso provocante que fez minha barriga se apertar, ele perguntou: —Será que vou ter que fazer ovos mexidos e torradas para você quando chegarmos em casa?

—Não. —Eu disse com uma risada curta. —Estava bom. Foi diferente, mas eu gostei um pouco.

Ele pegou o pequeno cardápio das sobremesas e o colocou na minha frente.

—Vamos encontrar algo que você goste.

—Oh, você vai me deixar escolher desta vez?

—Sobremesa deve ser sempre a escolha da senhora. —Seu olhar ardente me aqueceu por dentro. Sua mão sorrateira deslizou na minha coxa e chegou ao seu destino antes que eu pudesse pará-lo. Os cantos de sua boca sexy se levantaram com a sugestão de um sorriso.

Com ele estudando minhas feições, consegui não reagir ao ataque furtivo das pontas dos seus dedos ao longo do tecido que cobria meu sexo. Havia renda suficiente para impedir sua exploração, mas eu duvidava que ele fosse deixar uma coisa tão pequena como isso detê-lo.

—O que você recomenda?

—Algo suave, quente e doce. —Ele murmurou, as pontas dos dedos mergulharam por baixo da renda para deslizar sobre meu clitóris.

Minhas coxas ficaram tensas em torno de sua mão, eu tive que morder o lábio inferior. Isso estava realmente acontecendo? Eu estava aqui sentada em um restaurante deixando meu namorado brincar com a minha buceta? Que diabos Sergei tinha feito para me fazer comportar assim desenfreadamente? Por que eu não podia detê-lo?

Porque você não quer...

Mantendo meu olhar focado no cardápio, eu tentei não demonstrar nada. Eu morreria de vergonha se uma pessoa na mesa percebesse o que Sergei estava fazendo com sua mão pecaminosa. Feliz pelas longas toalhas de mesa e pela parede à nossa volta que nos mantinha na maior parte escondidos, pensei em Sergei desistindo de suas sobremesas até depois das suas lutas.

—Eu realmente não deveria pedir sobremesa. Seria cruel fazer você me assistir a comer.

Embora a declaração tivesse significado para Sergei, foi Lidia quem bufou ironicamente enquanto se abaixava para recolher os pratos entre Sergei e Yuri. Consciente de que ela estava tirando sarro do meu peso, eu endureci com o embaraço. Meus lábios se separaram para esclarecer a minha declaração, mas Sergei me parou.

Sem um único olhar em direção a sua ex, Sergei manteve o olhar fixo em mim. Ele arrastou um dedo na minha bochecha. Não tinha dúvidas de que ele podia sentir o rubor do meu embaraço. Sua respiração fez cócegas no meu ouvido quando ele falou tão perto que ninguém mais poderia nos ouvir. Com a outra mão, ele segurou minha buceta na forma mais possessiva.

—Você come a sobremesa agora, e eu tenho a minha mais tarde, não é?

Olhando em seus olhos, eu senti um pouco do meu embaraço se derreter.

—Sim.

—Perfeito. — Ele beijou minha bochecha e arrancou o cardápio da minha mão.

Entregando a Lidia, ele nem sequer olhou para ela quando ele pediu algo para mim. A mão que estava sensualmente me atormentando deslizou para baixo da minha coxa em um confortante gesto. Eu raramente me focava nos números que iluminava a minha balança de banheiro, mas Lidia tinha encontrado esse ponto fraco na minha armadura e cravou sua vara pontuda direto nela.

Sergei pareceu sentir que minha autoconfiança estava sob ataque e para me acalmar continuou me acariciando delicadamente com a mão. Feliz de que todos os outros na mesa pareciam alheios ao que acabara de acontecer, escutei a discussão da próxima exposição de Vivian em Londres.

—Bianca, você decidiu se vocês dois vão? —Vivian distraidamente correu o dedo para trás e para frente ao longo da aliança de casamento de Nikolai.

Olhei para Sergei que parecia surpreso com a pergunta.

—Isso passou pela minha cabeça.

—Se você quiser voar com a gente, há espaço de sobra no jato, e adoraríamos ter você. —Disse Yuri.

—Oh! Obrigada, Yuri. — Sorri para o bilionário escandalosamente

—Oh! Obrigada, Yuri. — Sorri para o bilionário escandalosamente

No documento Sergei. Sinopse. Her Russian Protector-05 Roxie Rivera (páginas 160-177)